1. Spirit Fanfics >
  2. Your Eyes Tell - Jikook >
  3. Manhãs...

História Your Eyes Tell - Jikook - Capítulo 19


Escrita por: amy578

Notas do Autor


Voltei, brigadeirinhos💜
Boa leitura e leiam as notas finais💜

Capítulo 19 - Manhãs...


Fanfic / Fanfiction Your Eyes Tell - Jikook - Capítulo 19 - Manhãs...

Mina entrou pela porta dos fundos da mansão Jeon quando o relógio bateu 03:37 hrs da manhã. Tinha conseguido escapar do ângulo das câmeras de segurança, e confirmado se podia entrar. A sala de estar era iluminada pela luz melancólica da lua, e a dona de tudo aquilo estava parada vendo o quintal pela janela.

- Alguém te viu? - Min Jee indagou, sem tirar os olhos de seu precioso jardim.

- Não - A garota respondeu, se jogando no sofá e acendendo um cigarro - Sabe que é perigoso nos encontrarmos aqui, né?

- Eu sei de tudo - A mais velha murmurou, se virando para encarar a mais nova - Joga essa porcaria fora, antes que eu enfie na sua garganta.

Mina revirou os olhos, indo até a janela e jogando o cigarro lá fora. Que saco, por que todo mundo implicava com seus cigarros? Cada um com seus vícios, eu hein.

- Vem aqui - Min Jee ordenou, apontando pro chão. A garota caminhou despretensiosamente até a mais velha, e parou em sua frente - Acho que você esqueceu a educação que eu te dei.

- Eu não fi-

O tapa foi desferido no rosto da ômega antes que pudesse começar a se explicar. O cabelo castanho longo cobriu sua face, a impedindo de olhar nos olhos da tutora.

- Eu falo, você escuta - A maior sibilou, se inclinando pra ver o rosto da garota - Você pôs tudo a perder, tem noção disso?! Todo o nosso trabalho jogado fora, e tudo por quê?! Porque você não pode ver um pinto maior que o do meu filho que já vai correndo quicar em cima!

Mina passou uma mão pelo cabelo, e finalmente encarou a mais velha à sua frente. Os cabelos longos estavam presos num coque que estava quase se desfazendo, e ela usava um roupão branco de seda que deslizava conforme andava. Típico de dondocas como ela.

- Me diz uma coisa, garota. Você se lembra do trabalho que tivemos pra eliminar o último garoto que pisou nessa casa? - A mulher indagou, cruzando os braços.

- Sim... - A ômega mais nova respondeu, num fio de voz. Min Jee agarrou seu maxilar com força, fincando as unhas na bochecha da mesma.

- Sim o quê?! - Exigiu.

- Sim, senhora... - A garota gemeu de dor, e a outra soltou seu rosto com brutalidade.

- Ah, parece que um pingo de educação você ainda tem, né? Agora me diz alguma coisa útil, e rápido, porquê a peste daquele garoto é sempre o primeiro a acordar.

Min Jee já estava se cansando daquela situação. Se sentia uma imbecil por ter deixado Jimin pôr os pés em sua casa, céus, devia ter imaginado que Jungkook ia acabar se apaixonando. Conhecia o filho, era sensível, vulnerável e facilmente manipulável. Achava que o garoto estava satisfeito e certo de seu relacionamento com aquela inútil, mas infelizmente estava enganada. Pela primeira vez em anos não tinha um plano.

- O Jin e eu - Mina começou baixinho, passando os dedos pela área que as unhas daquela cobra arranharam - Nós conseguimos fazer o Jimin brigar com o melhor amigo dele. Um tal de Taehyung.

- O garoto da delegacia, sei - A mais velha resmungou - Jimin disse que ele tá grávido e que o pai queria bater nele. Essa gravidez pode ser útil pra tirar esse garoto do meu caminho.

- Vai fazer ele perder o bebê?! - A menor exclamou, franzindo as sombrancelhas.

- Se o Park não colaborar, quem sabe. Tenho certeza que ele odiaria ver o amigo perder o bebê por culpa dele - Min Jee deu as costas pra garota - E qual é dessa história com o Jin? Achei que ele fosse só mais um inútil como você.

- Ele me ajudou até certo ponto, sabe como ele é super protetor com o Jungkook - Mina contou, se sentando no braço do sofá - Mas aí ele conheceu o Jimin, e bom... também se apegou.

- Maldito o dia que eu deixei esse moleque vir pra cá - A ômega praguejou - Preciso de uma estratégia agora que você pôs tudo a perder.

- Foi você que trouxe ele pra cá - A mais nova retrucou, cansada de ter a culpa toda jogada em si.

- Você quer levar outro tapa? - A mais velha chiou, sem se virar. Mina bufou em resposta, e um silêncio desconfortável tomou o ambiente - Eu só preciso de algo que eu possa usar, um único fator decisivo pra usar à meu favor.

- Ele já tomou a primeira dose do chá?

- Não, o pestinha se safou. Não por muito tempo... Park Jimin vai se arrepender amargamente de ter atrapalhado meus planos, nem que pra isso eu tenha que destruí-lo de dentro pra fora. Como fiz com aquele patético do Hoseok.



[ ... ]


- Namjoon, eu não tô ficando maluco - Jin dizia pela milésima vez naquela manhã, enquanto bebericava o capuccino caro que tinha praticamente obrigado o marido a comprar.

- Tá, mas você entende o meu ponto? Não faz sentido, amor - Namjoon respondeu, roubando um pedaço de pão doce do prato do ômega - A gente procurou ele por todo canto na época, rodamos quase o país inteiro atrás dele. Por que ele voltaria assim do nada?

- Eu não sei, Namjoon, mas eu vi - O Kim mais novo afirmou, apontando pro alfa com o canudinho - Você lembra como ele era? Aquele jeitinho de andar dele que a gente zoava sem parar? E aquelas roupas coloridas que ele gostava? Quem além do Hoseok usaria uma calça lotada de carinhas felizes, Namjoon?!

- Aish, amor, sei lá. Você sabe que tem doido pra tudo - O maior deu de ombros, observando a cafeteria com apenas algumas pessoas além dos dois - Se tinha tanta certeza que era ele, por quê simplesmente não foi até lá falar com o garoto?

- Aish, porque eu fiquei em choque, né? Já fazem dois fucking anos - O ômega respondeu, suspirando ao sentir o gosto do recheio de seu bolinho - Você acredita em mim, né?

- Claro, meu bem, você é meu marido - Namjoon acarinhou o braço do mais novo a sua frente, arregalando os olhos em seguida - Calma, cadê os bolinhos que tavam aqui há dois segundos atrás?!

- Hum, eles estavam bons, não é minha culpa - Jin murmurou, fazendo um biquinho enquanto mastigava o último bolinho. O alfa franziu as sombrancelhas, tentando entender como aquele ser tinha comido cinco bolinhos em menos de três segundos.

- Tu tá comendo parecendo um cão - O Kim comentou, fazendo o outro rir alto com a boca toda suja de chocolate.

- Palhaço - O ômega riu, estapeando o mais velho que apenas ria de sua reação.

Namjoon pegou um guardanapo pra limpar a boca e as bochechas do marido, Jin simplesmente não sabia comer sem se sujar. Tirou a franja dos olhinhos meigos do ômega, praticamente se debruçando sobre a mesa pra limpá-lo.

- Joonie... - Jin chamou, e o Kim logo reconheceu aquele tom - Como acha que o Jungkook vai reagir se encontrar o Hoseok?

O alfa se recostou na cadeira, deixando os guardanapos sujos no prato vazio do marido. Não conhecia Jungkook tão bem quanto Jin, mas tinha experiências suficientes com o mais novo pra saber o que aquele reencontro poderia acarretar.

- Acho que não tem como saber, meu bem. Ele já é um adulto, não é mais aquele adolescente traumatizado de antes - Namjoon respondeu por fim - Sem falar que ele tá com o Jimin agora, eles se amam.

- Mesmo assim, a gente não pode deixar eles se encontrarem, Namjoon. Isso vai abalar muito a cabeçinha do Jungkook, a gente não...

- Amor - O alfa o cortou, já sabendo onde aquilo iria chegar - Não começa com esses surtos de super proteção. O Jungkook não é nenhum incapaz, ele não é de vidro. Tem coisas que ele precisa aprender sozinho, viver sozinho e principalmente superar sozinho. Lembra de como a mãe dele o mantinha numa bolha onde tudo era perfeito antigamente?

- Tá me comparando à ela?! - O ômega questionou, indignado.

- Claro que não. Mas ele não é mais criança, Jin. Deixa ele viver as coisas por si próprio, você já o protegeu demais.

- Porque ele é o meu dongsaeng! Ele já sofreu muito, eu não vou deixar ele sofrer mais, não vou.

- A vida é dele! Já chega de interferir, Jin. O garoto vive numa bolha de proteção graças a você, graças a mãe dele e agora graças ao Jimin também, porquê você interferiu. Por que não deixou que ele mesmo contasse tudo pro Jimin?!

- Porque é um gatilho, Namjoon! Isso podia desencadear outra depressão, você quer vê-lo daquele jeito de novo?!

- Ele não tem mais dezessete anos! Acha que ele ia gostar de saber que todo mundo controla a vida dele menos ele?!

- Você não entende, é pro bem dele!

- Cabe a ele decidir o que o faz bem! - Namjoon se levantou bruscamente, pegando o casaco que tinha deixado nas costas da cadeira - Não a você.

O ômega observou o marido deixar o local, e se recostou na cadeira de braços cruzados. Aquela discussão o fez se questionar sobre tudo o que tinha feito pelo dongsaeng durante todos aqueles anos. Não era como Min Jee, não era. Tudo que queria era manter Jungkook à salvo, o alfa já tinha sofrido o suficiente. Estava fazendo o certo... Não estava?


[ ... ]


Hoseok destrancou a porta da casa de Yoongi, e entrou encontrando o alfa sentado no sofá bebendo uma xícara de café.

- Bom dia, hyung - Cumprimentou, deixando a mochila que sempre levava pra casa do casal no cabideiro.

- Bom dia, Hobi - O alfa respondeu, deixando a xícara no descanso do sofá - 3, 2, 1...

- HYUNG!!! - Taehyung berrou de algum cômodo da casa. O ruivo fechou os olhos, massageando as têmporas.

- Agora é com você - O Min riu, se recostando no sofá com seu café quentinho.

- Aish, você é o alfa dele! - Hobi reclamou, encarando aquele alfa folgado.

- E você é o hyung dele - O mais velho ali rebateu, lhe encarando com aquele sorriso gengival e sínico.

O ômega cerrou os olhos, o encarando enquanto ia atrás de Taehyung. Pegou uma almofada que estava largada no chão do corredor, e tacou no moreno que quase derrubou a xícara.

- Que abuso! Sou eu que pago seu salário, sabia?! - Yoongi provocou, se ajeitando no sofá.

- Folgado!

O Jung riu negando com a cabeça, enquanto procurava a coisinha perturbada. Gostava da relação implicante que tinha com Yoongi, era divertido, sempre estavam num clima brincalhão e confortável. Gostava daquilo.

- Eu não tô vendo isso não - Declarou, ao abrir a porta do banheiro.

- Olha, hyung, eu sou o papai Noel! - Taehyung falou, olhando pro ômega com aqueles olhinhos felinos e a boca aberta de animação.

Hoseok não conseguiu segurar a risada ao ver aquela cena. Não sabia se tinha um surto de fofura ou de estresse com aquele garoto. Taehyung estava dentro da banheira, totalmente coberto de espuma, tinha espuma pelo banheiro INTEIRO! No chão, nas paredes, no cabelo e no queixo daquele ser insuportável e cruelmente lindo.

- YOONGI, VEM VER O QUE O SEU NAMORADO FEZ!!! - O ruivo gritou, enquanto o Kim ria de sua reação. O alfa chegou na porta do banheiro, parando ao lado do Jung - Olha isso!

Yoongi deu um sorriso, todo boiola ao ver aquela cena. Taehyung era doido, mas era o seu doido. O Min apoiou o cotovelo no ombro de Hobi, e bebericou seu café.

- Amor, eu disse pra você tomar banho, não pra inundar nosso banheiro - Falou manso, e o ômega soprou espuma no ar.

- Foi você que colocou sabão demais, amor. A culpa é dele, Hobi, bate nele - Atiçou, apontando o dedo cheio de espuma pro alfa.

- Aish, vocês vão acabar me enlouquecendo.

Yoongi riu da resposta do ômega, e voltou pra sala. Hobi pegou alguns panos na lavanderia pra tentar conter a molhadeira que Taehyung tinha feito, e voltou pro banheiro. Fechou a porta, e colocou um pano embaixo pra impedir que a água fosse pro corredor. Enquanto tentava secar o chão, sentiu algo ser colocado em seu cabelo.

- Hyung Noel - Taehyung disse, rindo. O ruivo respirou profundamente, aquele ser ia ser a causa de seu colapso.

- Você vai acabar se atrasando pra faculdade, anda - O apressou, tirando a espuma que o mais novo colocara em sua cabeça.

- Tá bom, me ajuda? - O ômega pediu, estendendo os braços como um bebê pedindo colo.

Hoseok segurou as mãos do garoto pra que ele pegasse impulso pra sair, mas acabou sendo puxado pra dentro da banheira. Taehyung começou a gargalhar ao ver o hyung todo molhado e com espuma no rosto e no cabelo.

- Eu juro que foi sem querer! - Riu, se sentando na borda de mármore. Hobi tirou a espuma do rosto, e se levantou lançando um olhar mortal pro garoto.

- Taehyung, eu não trouxe outra roupa! - Resmungou, e o ômega se levantou também, indo até o mais velho.

- Relaxa, hyung, eu te empresto algumas roupas minhas - Respondeu, afastando os fios ruivos molhados do rosto do ômega.

Hoseok estava revoltado, aquele garoto tinha o dom de lhe tirar do sério. Mas ao ver aquele rostinho tão perto do seu, aquele sorriso em formato de coração, aqueles olhinhos, não conseguiu ficar com raiva por muito tempo. Taehyung tinha espuma até nos cílios, e mesmo assim continuava lindo. O ruivo desviou o olhar, não conseguia entender o que acontecia consigo quando o Kim ficava assim tão perto. Nunca tinha se sentido atraído por um ômega antes, aquilo era errado em vários aspectos. Estava ali pra cuidar de Taehyung durante a gravidez, só isso. Ele tinha um alfa, estava esperando um bebê... Mas também estava ali nu, coberto apenas por espuma, em sua frente. Céus, quando foi parar naquela situação?!

- Quando foi que o meu banheiro virou um parque aquático?! - Yoongi questionou, entrando no banheiro - Eu não vou nem perguntar como você foi parar aí, Hoseok.

- A culpa é dessa coisinha perturbada! - O ômega exclamou, cruzando os braços. Aish, agora estava todo ensopado e com frio. Taehyung deu uma risadinha.

- Anda, vão se secar vocês dois - O alfa mandou, entregando as toalhas - Vão acabar pegando um resfriado.

O Kim deixou um beijinho molhado nos lábios do namorado, e saiu saltitando pelo corredor.

- Taehyung, para de pular, você vai acabar escorregando! - Hoseok berrou, se enrolando na toalha - Aish, não são nem oito da manhã ainda, de onde ele tira tanta energia?!

- Ele gosta de bagunçar com você - Yoongi respondeu, tirando um pouco da espuma do rosto do mais novo antes que entrasse em seu olho - Você deu corda, agora aguenta.

- Você devia me dar um aumento, sabia? Esse garoto vai me fazer ter um treco.

- E ainda assim você ama ele.

- Aish, não seja bobo - O ômega murmurou emburrado e com um biquinho nos lábios. O alfa sorriu, Hoseok era fofo assim todo nervosinho e molhado.

Enquanto Yoongi tomava banho e se arrumava pra faculdade, Taehyung estava sentado na cama de casal do quarto, cobrindo os olhos com as mãos. Hobi que tinha pedido, não queria que o mais novo lhe visse nu. Mas vez ou outra o Kim dava uma espiada no ruivo. Gostava da pele dourada do hyung, do cheiro de baunilha dele. Não sabia se eram os hormônios da gravidez, mas sabia que o filhote que crescia em seu ventre gostava da presença de Hoseok. As costas do ômega eram lindas, lhe dava vontade de morder. Aish, por quê o hyung tinha que ser tão bonito?


[ ... ]


Jungkook olhava pro pedaço de papel na bancada da cozinha, enquanto roía a unha de seu polegar. O trabalho de casa que seu psicólogo passara continuava ali, inacabado. Sabia a resposta daquela pergunta, só não sabia explicar com palavras.

- Qual a diferença entre amor e dependência emocional? - Leu pela milésima vez.

O alfa comparou seu relacionamento atual com o que teve com Hoseok. Tinha amado o Jung, muito mesmo, ele tinha se tornado sua vida quando não via mais motivos pra continuar vivendo. Isso explicava o porquê de ter ficado tão mal quando o ômega simplesmente desapareceu. Era sim totalmente dependente dele na época. Não podia negar isso.

Mas com Jimin... Bom, talvez fosse assim também. Jungkook percebeu naquele momento que tinha sim uma inclinação a depender emocionalmente das pessoas, a dar a elas a responsabilidade de lhe fazer feliz. Foi assim com Hoseok quando seus namoros anteriores não deram certo, foi assim com seu pai quando entrou em depressão por causa do término... Por que fazia isso?

Jungkook anotou todos aqueles pensamentos numa outra folha, queria saber a opinião do psicólogo sobre aquilo, e quem sabe encontrar as respostas pra tantas perguntas sobre si mesmo. O moreno guardou os papéis no bolso da bermuda, e foi pra sala de jantar onde Jimin e Ye-Jun já estavam tomando café da manhã.

- Bom dia, meu bem - Cumprimentou, se inclinando pra deixar um beijinho na testa do namorado - Bom dia, senhor Park.

- Bom dia, garotão - Ye-Jun falou distraído, enquanto lia o jornal.

- Bom dia, amor - O ômega respondeu, sorrindo - Já tomou o remédio da manhã?

- Tomei sim - O alfa se sentou ao lado do mais novo, enchendo um copo com suco.

- Quer que eu corte bolo pra você? - Jimin indagou, e o moreno negou com a cabeça.

- Eu posso fazer isso sozinho, amor - Jungkook respondeu, rindo.

- É Jimin, ele não é um bebê - O Park mais velho comentou, deixando o jornal na mesa.

- Ele é o meu bebê sim - O ômega resmungou, fazendo um biquinho com aqueles lábios cheinhos e vermelhos ao falar.

Os alfas riram, e o som dos saltos de Min Jee ecoaram pela sala, denunciando sua chegada.

- Bom dia, família - A ômega os saudou, enchendo o ambiente com seu perfume caro - Como estão os meus filhotes?

- Pensei que eu fosse seu único filhote - Jungkook manhou, e a morena deixou um beijinho na testa do mesmo.

- Você é, mas agora eu ganhei mais um - Falou, apertando a bochecha gordinha de Jimin.

- Aish, você vai deixar eles mal acostumados assim - Ye-Jun provocou, e a ômega riu, se sentando ao seu lado.

- Droga, esqueci o adoçante pro meu chá - Se lamentou, pondo o chá em sua xícara.

- Eu pego - Jimin se levantou, e correu até a cozinha.

- Obrigada, querido - Min Jee agradeceu, sorrindo - Tão prestativo.

- Claro, fui eu que criei - O Park mais velho deu de ombros, e a morena lhe deu um tapinha no braço.

- Aish, essas cortinas estão tão velhas, não acham? - Comentou, apontando para as janelas do outro lado da sala.

- Compramos elas não tem nem um ano, mãe - Jungkook respondeu, tentando encontrar algum defeito nas cortinas que enfeitavam o cômodo.

Os alfas estavam olhando pra onde a mulher apontara, e a mesma aproveitou a distração pra trocar sua xícara pela de Jimin disfarçadamente.

- Acho que vou comprar novas amanhã, já enjoei dessas - Continuou o assunto, dando de ombros. O Park mais novo voltou, e lhe entregou o adoçante com um sorriso gentil - Obrigada, Jimin. Estava falando com eles que preciso comprar cortinas novas, quer ir comigo amanhã quando chegar da faculdade? Se não estiver muito cansado, é claro.

- Eu adoraria - Jimin respondeu, bebericando seu chá. Seria uma ótima oportunidade de matar de vez as paranóias que andava tendo com relação à ômega.

- Ótimo, vamos nos divertir muito juntos.




Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...