1. Spirit Fanfics >
  2. Your eyes tell (MiTzu, MiChaeng - Twice) >
  3. Capítulo 37

História Your eyes tell (MiTzu, MiChaeng - Twice) - Capítulo 37


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 37 - Capítulo 37


1 semana depois



Son Chaeyoung estava a ponto de surtar, seu corpo estava agitado, as mãos trêmulas, coração acelerado. Esteve aguentando tanta coisa no último ano, nos últimos meses, ela iria surtar, claro que ia.

Ela queria chorar, os olhos ardiam, choro de raiva, e decepção. Havia saído com Mina, estavam em um dos lugares mais tranquilos da cidade, a famosa 'praça'. A intenção era relaxar, mas não foi o que rolou.

No começo, só ela e Mina, o clima frio, era incrível, andar de mãos dadas com a "amiga", ver aquele enorme sorriso sincero era lindo demais.

Mas tudo mudou assim que Chaeyoung avistou do outro lado da pequena lagoa, duas pessoas familiares, a Son pensou estar vendo coisas, mas não... Era isso mesmo, não estava louca, ainda não.


__ Chaeyoung, espera.__ Mina chamou tentando alcançar a menor, temia pelo que a coreana poderia fazer.__ Espera.


A jovem a cada passo, sentia mais e mais raiva, elas estão sorrindo?! Como?! Por que?!


Não muito longe delas, Sana foi a primeira a notar a amiga vindo como um touro bravo, apertou a mão de Tzuyu, essa que também notou a Son depois de alguns segundos.


__ O que está fazendo com ela, e de novo sua maldita?!__ Chegou gritando, não deu tempo de Tzuyu sequer pensar em responder, Chaeyoung havia acertado um soco na boca da maior que quase, quase caiu no chão com o impacto.


Mina e Sana estavam boquiabertas.


__ Já não ficou claro que você deveria estar longe de nós?!__ Puxou a maior pelo colarinho.


Até mesmo Tzuyu ficou inicialmente assustada.


__ O que você quer?! Hein?!__ Acertou um tapa no rosto da maior.__ O que você quer?! Por que está fazendo isso?!

__ Me solta porra!__ Empurrou Chaeyoung que deu alguns passos para trás, soltando Tzuyu.__ Que merda é essa?

__ O que está tentando fazer com Sana?! Por que você continua nos perseguindo sua infeliz?! __ Seus olhos já se encontravam lacrimejados.

__ Mina, acalme seu cãozinh...

__ Não ouse falar com ela.__ Apontou o dedo para a Chou.__ Você é o pior ser humano do mundo, não sente vergonha?! O que foi que eu fiz para você?! Por que quer destruir tudo o que eu tenho?! Tudo o que eu amo?!

__ Do que está falando maluca do caralho?__ Sua boca estava cortada.__ Eu não quero...

__ Já não basta o que fez com a Mina, e agora quer fazer o mesmo com a Sana? Por que você é tão malvada assim?!__ Sua voz mudou um pouco por estar segurando o choro de ódio.


Tzuyu se sentiu naquele momento uma verdadeira aberração. Olhou Mina atrás de Chaeyoung, essa que parecia assustada com o surto da amiga.


__ Eu odeio você, odeio com todas as minhas forças.__ Tzuyu não disse nada.__ Eu não aguento mais, não aguento mais você atrás das minhas amigas, não aguento mais ver você machucando as pessoas que eu gosto. E não adianta dizer que é diferente! Você não vai mudar, você não vai mudar nunca!


Tzuyu tinha um olhar mortal nos olhos, a pouca consciência que estava formando em sua mente nos últimos meses, estavam prestes a ir para casa do caralho.


__ Chaeyoung, por favor...__ Sana tentou.

__ Não Sana! Não!__ Gritou.


Lembrando que tudo isso acontecia no meio da praça, não era tarde, e tinha algumas pessoas ali.


__ Por que está tentando se matar Sana? Que inferno por que não nos ouviu?!__ Gritou para Sana.


Tzuyu sentiu o sangue ferver.


__ Não fale assim com ela.__ Deu um passo, Chaeyoung sorriu desacreditada com lágrimas nos olhos.

__ Você é uma ogra, asquerosa, um monstro, eu te odeio com todas as minhas forças.__ Falou firme, e devagar para Tzuyu entender tudo.__ Você é um lixo de ser humano, não merece nada de bom, merece apodrecer atrás das grades.


Mina se suprendia com Chaeyoung, e sentia medo também, afinal conhecia Tzuyu. Sana olhava tudo sem saber o que dizer.


__ Eu queria que você morresse.__ Tzuyu cerrou os punhos.__ Eu juro por Deus que só não mato você com minhas próprias mãos por que não quero estragar minha vida por causa de uma zé ninguém feito você.


Para Tzuyu ali foi o auge, ela explodiu mesmo foi depois do olhar de decepção que Chaeyoung lançou a Sana.


Não gostou nada daquilo.


Tzuyu se aproximou, talvez por estar a muito tempo sem surtar de verdade, ou por pura inocência, se aproximou sem muito cuidado, acabou levando outro soco no meio da cara.

Mina deu um meio sorriso, não sabia se ria ou ficava preocupada, por que dessa vez Tzuyu iria revidar.


__ Você realmente perdeu a nação do perigo, garota!__ Gritou furiosa, agarrou Chaeyoung pela roupa e a jogou com força no chão, essa que ficou meio desnorteada.


Tzuyu já se preparava para subir em cima dela, mas teve seu braço agarrado por alguém, quando olhou e viu que era Mina, sentiu mais raiva ainda, agarrou os cabelos da loira.


__ Tira a mão dela!__ Chaeyoung gritou pulando de forma desajeitada em cima da morena que soltou Mina.


Sana observou as duas rolarem no chão, entre tapas e pontapés, Chaeyoung estava furiosa, tinha explodido. Tzuyu também descontava os estresse dos últimos meses nessa briga.


__ Tzuyu, para por favor.__ Sana falava chorosa, assustada.

__ Eu vou matar você.__ Tzuyu estava no controle, estava em cima e socando o rosto da menor, mas por pouco tempo.


Chaeyoung conseguiu jogar a Chou para o lado, dessa vez ela quem socava a cara de Tzuyu, de forma desajeitada, mas com muita raiva. A Son foi empurrada para longe, e logo ambas estavam em pé, prestes a se atacarem de novo.

Mas no mesmo instante, Mina agarrou Chaeyoung com dificuldade. Sana também segurou com força o braço da morena a puxando para longe, com muito esforço.

E assim, com uma xingando a outra de longe, cada uma seguiu o seu caminho, e assim o episódio violento se encerrou.





•••



Chaeyoung estava sentada na cadeira da mesa da cozinha de sua casa, expressão séria, e segurava uma bolsa de gelo na temporã, ainda sentia seu corpo trêmulo.

__ Vai ficar imburrada, agora?__ Mina falou com os braços cruzados encostada na mesa.__ Não devia ter deixado isso acontecer.


A briga havia sido feia, infelizmente ou felizmente para as duas.


__ Devia ter matado ela.

__ Ficou louca? E a faculdade? Ia jogar sua vida fora por causa da Tzuyu?

__ Ele é uma infeliz!__ Aumentou a voz, suspirou fundo sentindo suas costelas e abdômen dolorido.__ Que droga.__ Falou baixo.

__ Olha, se tem uma coisa que eu aprendi indo ao psicólogo, é que ficar assim, só faz mal a você mesma.__ Chaeyoung sorriu irônica.

__ Não era você que estava gritando e surtando com ela a alguns dias?__ Mina se calou.

__ Ok, uma hora ou outra isso acontece, mas... por favor vamos admitir que isso foi burrice, ela é mais forte gostando ou não.

__ Mas ela não saiu ilesa dessa vez.__ Resmungou.__ A Sana ainda foi embora com ela.__ Falou até sentindo sua cabeça doer.__ Eu não acredito...

__ Chae...__ Tocou a mão da coreana.__ A-acho que não podemos impedia-lá de ficar com ela, Sana é grandinha. Vamos nos acalmar, amanhã é outro dia, depois conversamos com ela. Ok?


Chaeyoung olhou o rosto da amiga, se levantou ficando cara a cara com ela, suspirou cansada e tocou o rosto da maior com cuidado.


__ Ela não devia ter tocado em você.__ Murmurou.__ Eu amo você, Mina.__ Se aproximou mais.


Mina sentiu o coração acelerar, não evitou sorrir fraco.


__ Eu também amo você.


Chaeyoung olhou seus olhos por alguns segundos, então sorriu de forma boba, era a primeira vez que ouvia isso da amiga, significou muito. Mina fitou os lábios da menor, com um corte não tão grave no canto.

Sorriu pensando no quão corajosa Chaeyoung foi, não que antes não fosse, mas sentia orgulho da mulher que ela estava se tornando. Afim de quebrar aquele pequeno espaço entre elas, Chaeyoung selou seus lábios.

A segurou pelas coxas e a colocou sentada na mesa, ficando entre suas pernas. Mina entrelacou os braços pelo pescoço da menor, sentindo toda sua boca ser explorada com calma pela língua da amiga.


Sim, ela definitivamente amava Son Chaeyoung.










__ Porra é só merda.__ Tzuyu dizia movimentando seu corpo, o sentindo dolorido.__ Não acredito que deixei aquela idiota me bater.__ Falou.


Sana que estava deitada na cama, até então sem expressão, acabou rindo, a famosa expressão "rir para não chorar", Tzuyu se deixou acompanhar.


__ Foi culpa minha.__ Sana falou em um momento.__ Me desculpa, não queria que tivessem brigado.

__ Ia acontecer.__ Falou se aproximando e se sentando na ponta da cama da japonesa.


Tzuyu estava com machucados cuidados, Sana havia lhe ajudado, e já que os pais da japonesa não estavam em casa, elas estavam.


__ Tzuyu, me fala por favor. Eu sou uma péssima amiga? Por que estou saindo com a ex da minha amiga, e aconteceu toda essa confusão e eu...

__ Não Sana.__ A cortou.__ Você não é uma péssima amiga. Quer dizer, eu não acho.__ Sorriu fraco.

__ Não está brava com tudo isso?__ Perguntou depois de alguns minutos em silêncio.

__ Surpreendentemente não. Foi coisa de momento, não gostei de como ela gritou com você, nem dela agindo como se fosse alguma coisa além de uma otaria que obedece tudo o que aquela outra manda.__ Sorriu para a japonesa.__ Com todo respeito, sei que são suas amiguinhas.__ Sana sentiu o tom debochado, apenas negou com a cabeça.

__ Acho que depois de hoje elas nem vão querer mais conversa comigo.

__ Relaxa, não precisa delas. Você tem a mim, não é grande coisa, mas...__ Deu de ombros.


Tzuyu parecia muito calma, calma até demais.


Sana sorriu fraco desviando o olhar, seu peito ficou levemente agitado, quando voltou a olhar a taiwanesa a viu se aproximando, a mais nova se deitou ao seu lado juntou as mãos em enfrente ao corpo.


__ Eu gosto de você.__ Tzuyu a olhou.

__ Eu também gosto de você, Sana.__ Sorriu para a mais velha.

__ Não é assim, tipo...__ Aproximou seu rosto.__ Eu gosto mesmo de você.


Por longos minutos elas apenas encaravam uma a outra, Sana se apegava mais e mais, sabia e sentia muito por suas amigas, mas não queria se afastar de Tzuyu. Querendo ou não foi um momento em que ambas estavam tristes, as duas estavam em fases ruins e tiveram uma a outra.

Tzuyu só conseguia pensar no quão louco era isso, tudo começou com um ódio gratuito, ninguém do crente ao ateu explica por que e o que aconteceu entre Tzuyu e Mina. A Chou não era boba, era uma oportunista, notou o quão apegada e sensível Sana era, e então sorriu para ela depois de um tempo.




Um mês depois.




Em apenas um mês muita coisa aconteceu, Chaeyoung e Mina estavam cursando a faculdade, estudavam e trabalhavam. O melhor de tudo era morar sozinhas, claro que amavam a companhia, os cuidados e proteção dos pais, mas nada como ser independente.


Um mês apenas.


Sana se afastou um pouco das amigas, não completamente, se viam na faculdade e as vezes se encontravam em algum lugar, ela sempre sorria e agia normalmente, mas a Son e a Myoui sabiam que algo estava diferente.


Na verdade as coisas ficaram estranhas desde o dia da briga entre Chaeyoung e Tzuyu.


Infelizmente ou felizmente, agora havia dois casais, Sana e Tzuyu, que acabaram aceitando rapidamente o que sentiam uma pela outra e logo iniciando o namoro.

Chaeyoung e Mina já tinham algo a muito tempo, faltava apenas a japonesa aceitar e parar de perder tempo. E era compreensível que ela ficasse receosa, afinal a Son de uma forma ou de outra era uma companheira preciosa e importante, e Mina não gostaria de forma alguma perder isso.

E também tinha o fato de Mina ter tido um namoro abusivo, não que tivesse criado um trauma, a própria conseguiu entender rápido que as pessoas são diferentes, nem todo mundo é daquela forma. Claro que também não achava que Chaeyoung lhe machucaria, era apenas... Dúvidas e inseguranças.


Isso vai dar certo? Vamos ser felizes? E se algo mudar? Eu quero um relacionamento de novo?


Após muita luta interna, Mina apenas se rendeu a Son.


Agora, moravam juntas a uma semana, e só nesse tempo, viram o quão imprudentes e inocentes foram ao pensar que seria mil maravilhas.


__ Eu não achei que precisaria de uma lista.__ Chaeyoung falou frustrada.__ Você já morou sozinha Mina, por que isso está tão complicado?__ Massageou as têmporas.

__ Meus pais me ajudaram em praticamente tudo, minha mãe fez a lista de compras, produto de limpeza, móveis. __ Colocou as mãos na cintura olhando a bagunça.__ Ainda não entendo o por que de você não querer ter tido ajuda dos nossos pais.

__ Eu não achei que precisaria.__ Suspirou.__ Está tudo bem, acho que com tempo tudo vai se indiretando.

__ Olha isso...__ Apontou.__ Que desordem. Devíamos ter sido mais organizadas, devíamos ter pedido ajuda, está claro que não fazemos a menor ideia de como é morar sozinhas, mesmo eu tendo morando sozinha por quase um ano, mas é diferente eu não sei...__ Chaeyoung se aproximou da menina que falava sem parar.

__ Hey, fique calma, eu sei que é uma nova vida.__ Segurou as mãos da japonesa.__ Vamos conseguir, não precisa se estressar ok?__ A loira respirou fundo.__ Talvez tenhamos ido rápido demais, ou talvez tenhamos feito tudo sem muito planejamento. Mas vai dar tudo certo, ok?__ Tocou o rosto da namorada.

__ Ok.__ Susurrou, sentia seu coração meio acelerado, não fazia ideia de onde vinha aquilo.__ Ok, tudo bem.

__ Relaxa.__ A puxou para um abraço, Mina fechou os olhos sentindo o cheiro da garota, sentindo a segurança e confiança.




•••




__ Relaxa não precisa ficar nervosa.__ Sana sorriu.

__ Nervosa? Não estou nervosa, e-estou normal...__ Engoliu seco.

__ Ótimo.__ Beijou o queixo da namorada.

__ Então Chou Tzuyu.__ A voz grave do homem se fez presente novamente.__ É realmente muito bom que estejam juntas, vi o quanto Sana pareceu triste depois daquela Dahyun.__ Sana sorriu fraco.__ Fico muito feliz que ela esteja bem com você.

__ Eu também Senhor.__ Olhou a japonesa.__ A sua filha merece alguém bom, que cuide, ame, e proteja ela. Eu com certeza vou garantir isso.__ Sana não evitou sorrir e abraçou a namorada de lado,deitando a cabeça em seu ombro.

__ Perfeito. __ Seu pai sorriu.__ Isso era tudo, Tzuyu se você quiser pode ficar e assistir o jogo de futebol com a gente.

__ Obrigado pelo convite Senhor, mas eu não sou fã de futebol.__ O homem assentiu.

__ Vem.__ Sana se levantou e puxou Tzuyu consigo.

__ Vão aonde?

__ Para o meu quarto.__ Sana continuou.__ Só vamos conversar, nada a mais.

__ Tudo bem.__ O homem se deu por vencido.


Tzuyu sentia um tremor no peito, viu o quanto o pai de Sana parecia bom, igualmente sua mãe, que havia lhe recebido tão bem, todos eles pareciam gente boa. Foi algo que deixou Tzuyu receosa, no fundo ela gostaria sim de ter Sana como sua namorada, sentia que estava no controle com ela, isso lhe fazia bem.


Mas ao mesmo tempo, sabia que poderia não fazer muito bem a japonesa ruiva, Tzuyu se conhecia.

 

__ Acha que gostaram de mim?__ A Chou se sentou na cama.

__ Claro que sim, meu pai pareceu mais satisfeito do que quando conheceu Dahyun.__ Se aproximou e sentou no colo da maior, essa que segurou sua cintura.

__ Você... tem certeza disso?__ Encarou os lábios da Minatozaki.__ Quer mesmo isso?__ Ergueu o olhar os mirando nos olhos da menina a sua frente.

__ Sim, por que?__ Franziu levemente o cenho.

__ Eu sou... um...

__ Você é a garota na qual eu me apaixonei.__ Se apressou em dizer.__ Você me ajudou, me acolheu, me protegeu.__ Tzuyu ouvia tudo.__ Eu quero você.


Isso foi o suficiente para a morena, essa que sorriu.


__ Eu também quero você.






Duas semanas depois.




Mina se sentia estranha, de alguma forma não estava se sentindo cem por cento bem com aquilo, ela nunca seria feliz em sua vida? Por que sempre algo tem que acontecer?

A loira frequentou o psicólogo por dois meses, quase três, e logo deixou de ir lá, era notável o quão bem ela parecia estar, mas algo estava incomodando a japonesa.


__ Por que está assim?__ Mina não respondeu a pergunta da namorada.__ O que está acontecendo? Quer falar sobre isso?


Mina suspirou sentindo seu corpo ficar agitado.

 

__ Conversa com a sua amiga da faculdade.__ Falou séria enquanto cortava o pimentão.


Chaeyoung franziu o cenho levemente.


__ Está com ciúmes? É isso?

__ Ciúmes...__ Murmurou.__ Eu deveria achar lindo ela claramente flertando e sendo tão íntima com você?__ Começou a cortar o pimentão de uma forma mais rude.

__ I-íntima? Como assim íntima? Ela era nossa colega no colégio, não se lembra?

__ Me lembro dela dar sorrisinhos, conversar tocando em você, mexer no cabelo...__ Bufou.


Chaeyoung cruzou os braços não entendendo a atitude da namorada. A própria Mina não entendia o por que daquilo, estava estressada, era isso que sabia.


__ Eu vou me deitar um pouco, se precisar de ajuda me chame.__ Chaeyoung sem dar nenhum tempo, sumiu pela casa.


Mina suspirou parando o que fazia, sabia que tinha exagerado, deveria pedir desculpas mais tarde.



No outro dia elas estavam a caminho da faculdade, Chaeyoung diria o carro que havia ganho de seus pais, não era tão grande, mas o suficiente para as duas.

O caminho até então havia sido silencioso. Até Mina resolver quebrar.


__ Está brava comigo?

__ O que? Não, por que eu estaria?__ Não tinha irônia ou sarcasmo em sua voz.__ Eu só não entendi o por que daquilo, e aliás, eu pensei que você estivesse brava comigo.

__ Me desculpa.__ Se limitou a dizer.__ Eu realmente não gostei daquilo, do quão próximas vocês pareciam.

__ Mina, eu sempre deixei claro que você poderia falar sempre que algo te incomodasse.

__ Eu preciso falar que aquilo me incomodou?__ Chaeyoung a olhou por poucos segundos, e por estar dirigindo rapidamente voltou a prestar atenção no trânsito.__ Ela não sabe que você tem namorada? Não contou a ela?__ Voltou a sentir seu corpo meio agitado.

__ Mina por que está agindo assim? Ok se te incomodou eu vou me esforçar para melhorar, mas é realmente novo esse seu lado. __ Suspirou pausando.__ Sabe que não precisa ter ciúmes de mim, acho que já deixei claro que eu amo você, você e mais ninguém.


Mina se calou, a reposta a convenceu, sabia que Chaeyoung não faria nada de errado consigo, mas... Por que ela parecia tão incerta a ponto de querer garantir isso?





•••




__ Por que está me olhando assim?__ Sana perguntou meio tímida, Tzuyu sorriu e desviou o olhar.

__ Você é linda.__ Sana sentiu o estômago revirar.

__ Você é uma fofa sabia?__ Segurou o rosto da maior a fazendo formar um biquinho nos lábios, lábios esses que foram selados rapidamente com o da mais velha.__ Eu amo você.

__ E-eu também te amo.__ Falou em um tom baixo,mas Sana pode a ouvir claramente, e abraçou seu corpo.

__ Preciso ir, ok? Nós vemos mais tarde.__ Deixou outro beijo no queixo da maior, Sana se acostumava a beija-lá ali, e Tzuyu gostava.

__ Até...__ Observou a namorada se afastando com um sorriso no rosto.


Tzuyu suspirou relaxando os ombros, o que aquela menina estava fazendo com a Chou? O namoro se iniciou a pouco tempo, e já tinha muita coisa em jogo. Elas se apegaram, Tzuyu precisava de alguém que a entendesse, que lhe ajudasse sem lhe criticar.

E Sana precisava ser amada, precisava de alguém ao seu lado, para lhe ajudar, lhe ouvir.

A Chou saiu de seu transe, parou de olhar a japonesa que já estava longe, para ver de um carro, sair Chaeyoung e Mina. As duas pareciam sérias, e não muito falantes.

Tzuyu bufou e deu a volta em seu próprio carro, entrou no mesmo e saiu em alta velocidade.





3 semanas depois.




__ Eu realmente não estou entendendo você, Mina.__ Chaeyoung dizia não querendo se irritar.

__ Não tem o que entender, está tudo bem, sempre está.__ Falou séria.


Mina não se reconhecia.


__ Como assim? Tem alguma coisa acontecendo? Sabe que pode me dizer.

__ Não tem nada acontecendo.__ Suspirou.__ Tem muita para fazer, tem faculdade, tem trabalho, tem outras coisas que temos que pensar por que agora somos adultas.__ Riu sem ânimo.__ A casa está uma bagunça, a última compra que fizemos foi a duas semanas...__ Perdeu as palavras.__ Está tudo uma zona.__ Cobriu o rosto com as mãos.

__ É só isso? É só o começo, nós vamos conseguir organizar tudo com o tempo, somos novas nisso, Mina. Agora, não vai adiantar você ficar estressada assim.

__ Eu estou estressada sim!__ Aumentou a voz.__ Eu a-acho... eu acho que isso foi um erro.


Chaeyoung se calou ficando surpresa, logo se aproximou da namorada.


__ O que está dizendo?

__ Desculpa Chae, meu Deus...__ Se aproximou também arrependida do que disse, puxou a menor para um abraço.__ Eu só estou... com muita coisa na cabeça, me perdoa...

__ Mina...__ Não soube o que dizer, abraçou devagar a cintura da menor.__ Eu ...


Que diabos estava acontecendo ali?






Um pouco mais distante dali, uma pequena discussão também acontecia.


__ Tzuyu ele é meu primo.__ Sana falou indignada.

__ Não importa, eu não gostei dele, não gostei como olhou pra você, não gostei como falou com você como se tivesse íntimidade. Não quero você perto dele de novo.

__ Tzuyu, isso é ridículo, não pode me pedir isso.__ A taiwanesa sentia suas mãos trêmulas, começou a ficar brava.

__ Você tem que fazer o que eu mando!__ Aumentou voz.__ Eu sou sua namorada.

__ Mas Tzuyu...__ Não soube o que dizer.

__ Escuta...__ Se aproximou, Sana prendeu a respiração, Tzuyu parecia intimidadora quando estava brava. Segurou a japonesa pelo braço, e puxando para perto, um aperto meio forte.__ Você quer ver seu primo com a cara machucada? Hm?! Quer ver ele com um olho roxo e sangue por todo o rosto?

__ Não...

__ Então coloque limites nisso.__ Sua expressão era séria, sua voz era firme e clara.__ Eu não sou idiota Sana, você é minha namorada. Quando foi que me viu de graça com outra garota?

__ Está me machucando.__ Sana falou depois de alguns minutos em silêncio.


Tzuyu a soltou, logo a culpa e arrependimento lhe atingiram em cheio, mas não demonstrou, se afastou ainda séria e seguiu para seu quarto.

Sana alisou o braço se sentindo alivada por Tzuyu ter a soltando, mas não deixou de se sentir mal pela namorada.


Horas mais tarde a japonesa estava parada na porta do quarto, observava Tzuyu deitada com os braços cruzados, como uma criança imburrada quando a mãe diz 'Não'.


__ Tzuyu.__ Chamou.__ Tzuyu...

__ Não quero falar com você.__ Sana sorriu vendo a menina definitivamente agir como uma criança.



Eu amo ela.



__ Está brava?__ Começou a se aproximar.

__ Claro.__ Assumiu.

__ Não precisa ficar assim.__ Se sentou na cama, a menina não lhe olhou, continuou de braços cruzados.__ Eu... vou fazer o que me disse.__ E finalmente Tzuyu a olhou.__ Mas entende que não tem como eu ignorar ele, afinal ele é meu primo. Se meus pais souberem vão querer saber o que aconteceu e vão chegar até você, quer levar um esporro deles?


Tzuyu suspirou.


__ Não.__ Se sentou.__ Mas é melhor levar um esporro do que ir presa por espancar seu primo.__ Falou com tom divertido.


Mas aquilo não era piada nenhuma, na verdade ela falava bem sério.


__ Não precisa ter ciúmes dele.__ Tocou a mão da namorada.

__ E preciso ter de outra pessoa?

__ Claro que não, eu nunca faria nada de errado com você.__ Começou a se movimentar, logo Tzuyu tinha seu coração disparado quando Sana se sentou em seu colo.__ Eu amo você, mais ninguém.


Tzuyu de novo se pegou admirando a linda garota em cima de si, nesse hora nem percebeu quando o corpo relaxou e esqueceu que estava brava com a menina. Era só aquilo que era queria ouvir, mas como sempre não era o suficiente.


__ Se ele ficar tocando em você ou ficar perto demais, eu vou deitar ele no soco.__ Sana riu e beijou os lábios da namorada.

__ Ok, ele vai se comportar. Enquanto isso você podia tentar se acalmar, certo?__ Beijou a ponta do nariz da mais nova, essa que sorriu fraco.

__ É que eu te amo demais...__ Abraçou a menina e rolou pela cama.__ Você é fofa demais, e é só minha...__ Sana ria sentindo os lábios da menina em seu rosto.

__ Por que você está toda carinhosa?__ Tzuyu a olhou como se estive ofendida.

__ Eu sempre sou carinhosa.__ Sorriu encarando a mais velha.__ Eu me preocupo com você Sana, eu quero que... fique bem.__ Acariciou o rosto da menor.


Sana se pegava mais e mais apaixonada pela Taiwanesa e seu jeito bipolar, ela simplesmente não conseguia mais não gostar da garota. Por que no fim era por isso que Sana se atraía, por pessoas como... A Tzuyu.

Ela mesma concordava que era mais fácil gostar de alguém certinho, amoroso e carinhoso, como Dahyun por exemplo. Mas ela não conseguia ignorar pedaços de mal caminho, como Tzuyu. Mesmo que ela talvez esteja entrando em um caminho, perigoso, e sem geralmente sem volta.






No outro dia de manhã, Tzuyu se encontrava sentada em um banco no meio da praça, ao seu lado estava sua mais nova amiga, Kim Jisoo. Tzuyu geralmente conversava com ela sobre algumas questões, passou a confiar na mulher, ela não lhe julgava, apenas conversavam.


__ Não converso sobre isso com Sana, ela está na faculdade e eu segui os passos dos meus pais.__ Falou com decepção.__ Não tem outra opção.

__ Sempre tem uma escolha Tzuyu, é só um ano, você pode recuperar e seguir em frente.

__ Eu não quero mais estudar, perdi completamente o interesse e ânimo para isso.__ Jisoo suspirou fraco.__ Talvez no fim das contas isso seja meu destino.

__ Não, o nosso destino, é feito por nós, você e mais ninguém é responsável por ele.__ Tzuyu suspirou e se calou.


Por minutos foi assim, silêncio.


Tzuyu podia ver algumas pessoas ali, outros jovens, crianças, idosos, ou até pessoas apressadas.

A Chou viu um casal com um bebê, o mesmo dava seus primeiros passos, ela os observou bem sentindo algo no peito, foi uma sensação estranha quando o bebê caminhou devagar e de forma desajeitada da mãe até o pai. Tzuyu desviou o olhar.

Viu um casal de idosos, caminhavam devagar e de mãos dadas, mesmo de longe, Tzuyu pode sentir uma energia boa, uma sensação de paz vindo deles. A senhora parecia tão satisfeita, tão... calma e em paz.

Tzuyu mexia freneticamente sua perna direita, no mesmo instante pensou que aquilo nunca aconteceria com ela, olhou na outra direção. Viu crianças brincando com sorrisos enormes, usavam roupas de frio, roupas aparentemente novas e boas, o que dava a impressão de serem filhos de pessoas com boas condições financeiras.


__ Eu nunca tive coisas caras.__ Jisoo olhou na mesma direção da jovem.

__ Minha mãe também nunca comprou muitas coisas para mim, minha primeira roupa de marca eu comprei com meu terceiro salário, com dezesseis anos.__ Tzuyu assentiu, mas logo abaixou a cabeça.

__ Quando eu era menor, era alvo de piadas e brincadeiras sobre meus matérias ou roupas, sapatos desgastados e outras coisas.__ Jisoo a olhou.__ Teve um dia que alguns meninos estavam me zoando e outras meninas rindo de mim...__ Se lembrou do ocorrido.__ Aquele dia foi o meu limite, depois disso prometi a mim mesma que ninguém nunca mais ia tirar sarro de mim.


Tzuyu sentia seu coração meio agitado com a revelação, se lembrava bem de como era aquela época, não conseguia não ficar brava ao se lembrar.


__ Talvez você devesse trabalhar mais para transformar sua raiva, seu rancor, em algo bom.


Tzuyu não disse mais nada, não queria simplesmente aceitar aquilo, as pessoas fazem mal a ela, e ela deveria retribuir fazendo coisas boas? Ela sabia que era o certo, mas não conseguia, não sinceramente, não honestamente, não de coração.


__ Como estão as coisas com Sana?__ Esse assunto era meio confuso e até triste para a morena.__ Estão bem?

__ Sim estamos, tudo está bem.

__ Como está agindo? Você tem melhorado? Tem controlado mais a sua raiva?

__ Eu sinto que melhorei, mas não é o suficiente.

__ Está tudo bem, você está tentando, ter recaídas é normal. Apenas se esforçe, e não se esqueça de que já perdeu uma vez uma pessoa que amava, não deixe isso acontecer de novo.

__ Certo...








Notas Finais


A Chae surtou galera.

Gente temos um sério problema com a Sana, já viram, certo? E essa Mina? O que acham?

Desculpem os erros e espero que tenham gostado. Me sigam @jeonhai


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...