História Your Fantasy - Contos Hentai - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Black Pink, Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Hinata Hyuuga, Jisoo, Lisa, Sakura Haruno, Sarada Uchiha
Tags Erótico, Fantasia, Hentai, Lemon
Visualizações 132
Palavras 2.848
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom... Antes de continuar os capítulos anteriores vou postar essa... Espero que gostem e me digam se estão gostando da fic, seu comentário é muito importante
Thank You ^^

Capítulo 4 - Lucy e Levy - Fairy Tail


Fanfic / Fanfiction Your Fantasy - Contos Hentai - Capítulo 4 - Lucy e Levy - Fairy Tail

O céu de Magnólia brilhava forte naquela noite, as estrelas tingindo o céu em paz e a lua brilhante a iluminar a cidade. Algo  que há tempos não se via. Pelo menos, não para Lucy Heartfilia, desde que entrara na Fairy Tail. Claro, após ser aceita na poderosa Guilda, tudo que aguardava Lucy desde então, eram encrencas atrás de encrencas. E com Natsu Dragneel por perto, mais ainda. Ela sentiu-se aliviada quando Levy convidara Lucy e Erza para aproveitar o fim de semana em sua casa, longe dos garotos. Apenas elas: sem Guida, sem Natsu, sem Happy, e o melhor de tudo, sem encrencas...

Aquela noite, então, parecia o cumulo da paz, para seu alivio. A ruiva havia saído para resolver assuntos pendentes na cidade, no entanto, e Lucy decidira dar um espaço para a companheira, permanecendo com Levy McGarden em sua residência.

Lucy perambulava pelo apartamento de Levy, passando os dedos nas grossas capas dos muitos livros que sua amiga mantinha. Apenas o fato de vê-los a deixava entusiasmada, se Lucy desejava ser uma escritora um dia; e melhor, uma das boas, então aquilo era a visão do que ela desejava possuir. Finalmente, Lucy chegou à última linha de livros, assoprando levemente nos objetos, uma onda de poeira espalhando-se.

- Levy, são estas as histórias que você escreveu? - ela gritou pelo apartamento.

Sua amiga esticou a cabeça pela porta, entrando no cômodo.

-Sim, a maioria delas são histórias curtas, na verdade. Leia algumas, se quiser.

Sorrindo, Lucy puxou um fora do lugar e jogou-se na cama, colocando o livro no colo. Deslizando os olhos pelas páginas, a maga celestial percebera que a maioria delas eram peças de romance adoráveis, como as pequenas coisas que ela sonhava na escola. Lucy riu para si mesma, pensando em todas as coisas românticas, como nas histórias de Levy, que ela queria fazer.

Uma sombra se projetou em cima de Lucy, e ela virou-se para Levy, que também jogou-se na cama.

- Então, você gostou deles? - ela questionou. Ela se arrastou na cama na frente de Lucy, engatinhando para seu lado. Ela sorria, os olhos esbanjando que fossem agradados, como se não quisesse um não como resposta.

Lucy assentiu, fechando os contos. - Sim, eles são muito bons.

Levy levou os dedos aos lábios, fazendo um sorrissinho inocente. - Quando posso ler o que você escreveu?

Desviando o olhar, a loira mordeu os lábios.

- Eu não acho que você gostaria das coisas que eu escrevi...

A maga de cabelos azulados inclinou-se em um sorriso, as mãos em suplica.

 - Ah mas eu adoraria, Lucy! Mesmo que não escrevemos o mesmo, não significa que eu não gostaria de lê-los.

Lucy sorriu diabólicamente. - Então, você acha que vai gostar do que eu escrevo? - Ela ergueu uma sobrancelha - E você nem sabe o que eu faço?

Levy riu.

- Sim! Agora, deixe-me ler algo que voce fez, certo? Volte amanhã com as paginas e eu dou uma olhada - ela assentiu a si mesma, fazendo planos sem a aprovação de Lucy.

Inclinando próximo de Levy – mais próximo do que a maga gostaria que estivessem próximas - Lucy jogou o livro no chão, arrumando o cabelo com uma das mãos e fitando a amiga com o canto dos olhos.

- Eu acho que me lembro de algumas das histórias. Quer que eu conte a você? Eu sou uma boa contadora de historias.

Suspirando, Levy encolheu os ombros. - Eu gosto de ler, mas ... eu acho que sim, né? Afinal, quem é melhor contar uma história do que o próprio auto...?

As palavras de Levy foram interrompidas quando Lucy avançou, pressionando seus lábios contra os da companheira. Os olhos de Levy se arregalaram, e Lucy sentou-se a quatro em cima dela, deslizando os dedos por seu rosto. A maga de cabelos azuis puxou os lençóis da cama enquanto Lucy invadia sua boca com sua língua, seus lábios suaves lambendo Levy.

 - Lu-chan -  Levy a empurrou, corando. Ela se sentou sobre os calcanhares, agarrando a própria saia. Por que fez isso?

A loira sorriu, levando um dedo a sua boca. – É que... Não há muito diálogo nas minhas histórias. Achei que seria mais fácil mostrar dessa forma.

Levy se retraiu na cama, quando sua amigo voluptuosa se arrastou para ela, quando Lucy abriu a blusa levemente, seus peitos pendendo para fora da roupa, os bicos rosados sendo acariciados pela própria Lucy. Rapidamente, ela saltou em Levy, agarrando a pelo pescoço e lançando um beijo aos lábios suaves da maga. Nervoa no iniico, Levy a olhou enquanto se tocavam, tomando coragem e aprofundando o contato com Lucy, recostando-se em seus seios suaves.

Lucy puxou as pernas de Levy debaixo dela, colocando-a sobre seu o colo e agarrando a maga pelos ombros. - Você queria ler minhas histórias, certo? - ela fez beicinho, seus dedos caminhando pelo busto de Levy, acariciando seus peitos pouco menores do que da loira.

Olhando para baixo, corada, Levy assentiu. – S-Sim...

- E... – Lucy continuou, sugando o pescoço da morena - Você queria que eu a mostrasse, certo?

- Bem, eu – Levy gemia com cada toque de Lucy, agarrando a loira pelso cabelos dourados. – Eu... eu tinha algo u-um pouco diferente em mente ... – ela suspirou.

Lucy sorriu, beijando a bochecha da jovem. - Inocente e pequena Levy...

 De repente, sua mão agarrou os seios de Levy, batendo-a através da camisa. - Você não será inocente por muito tempo.

As palavras sujas vindas da boca de sua amiga a excitaram nos modos mais estranhos, para surpresa de Levy. Ela olhou para Lucy, map evitando de se inclinar mais próximo da loira, a respiração pesada em seu rosto.

- Você disse que queria isso, Levy - Lucy deu de ombros - Não tente sair disso agora, fofa.

Levy gemeu enquanto a outra mão de Lucy apalpava seu peito livre, massageando os pequenos mamilos com firmeza. Levy mordeu o lábio, seu coração acelerando com cada toque que lhe era provido. Lucy apertou Levy, deslizando a língua por seu pescoço, e suas mãos foram para baixo, puxando o tecido que cobria sua pele.

Lucy rasgou sua camisa, jogando no chão, a blusa levemente úmida com os pingos de suor que escorriam da pele clarinha de Levy.

 - Pra cima, Levy-chan- Lucy riu, empurrando seu rosto pequena em seus braços contra seus peitos, levemente eretos na ponta. Levy corou, sentindo os seios esquentarem com a mera ideia de te-los tocados.

Ela ergueu os braços obedientemente, sentindo que o ar frio escapando pela janela atingia todo seu corpo. Lucy sorriu, segurando e apalpando um dos seios de Levy em sua mão.

- Voce é maravilhosa, sabia Levy-chan? – Lucy murmurou, com uma voz baixa e sensual.

- Lu-chan, pare  com isso - Levy gemeu, cruzando os braços sobre os seios expostos. A loira suspirou, retirando a própria blusa e jogando ao chão, os seios fartos balançando na frente de Levy.

Lucy se inclinou sobre Levy, reclamando enquanto seus dedos suaves apaertavam e acariciavam os mamilos eretos de Levy, a maga tapou a proria boca, deixando escapar gemidos entre seus dedos, para a diversão de Lucy, que so acelerava os movimentos.

- Agora, Levy-chan - murmurou Lucy. Finalmente, ela abraçou Levy e aproximou o rosto dela em seus próprios seios, os bicos eretos parecenod queimar de calor, e Lucy a olhava com olhos desejosos. Ela queria que fossem chupados, como ela queria...

 A morena corou, erguendo uma sobrancelha.

 - Bem? É sua vez, Levy - Lucy sorriu, balançando seus peitos contra Levy, puxando-a por seus fios azulados para próxima de si.

- Hum... - Levy desviou o olhar. Ela queria, ela realmente queria... Mas era tão estranho fazer isso com Lucy, de todas as pessoas – Eu... Lucy-chan...

Chateada, Lucy a empurrou e pulou da cama. - Desde que você não vai - Lucy sorriu, desabotoando rapidamente sua blusa – Eu vou.

 

Levy engoliu em seco quando um nó começou a se formar no estômago. Ela estava dançando?! Era estranhamente erótico, ver sua melhor amiga se afastar de suas roupas e girar seu corpo perfeitamente curvilíneo, a pele clarinha e suada brilhando na luz da lua. Ela realmente escreve sobre esse tipo de coisa?

Lucy tirou a camisa de seus braços, deixando cair no chão. Seu sutiã de renda não fez nada para impedir que seus seios perfeitamente redondos e macios fossem saltar para cima e para baixo, os bicos levmente marrons durinhos. Lucy enfiou os polegares em torno da cintura de sua saia, desabotoando e revelando-se em apenas sua calcinha.

As bochechas de Levy queimaram quando Lucy a lançou um olhar excitado, jogando sua saia para Levy. As longas e lisas pernas da loira caminharam até Levy, com Lucy se inclinando sobre a pequena amiga, os dedos deslizando por sua saia. Levy nada disse, deixando Lucy tirar suas roupas lentamente.

 - Mesmo sua pequena calcinha é fofa - Lucy sussurrou, enquanto descia a calcinha cor-de-rosa da companehira por suas pernas.

- Lucy! - Levy gemeu, sentindo seu corpo esquentar, suas coxas, seus seios, sua virilha. A morena tapou a boca, soltando leves gemidos com os toques de Lucy.

- Eu quero ver essa coisinha ai embaixo, Levy-chan...

A morena sentiu o calro do corpo de Lucy, sendo puxada para o colo da amiga. Suas pernas esticadas, Lucy pressionava seus seios cheios contra as costas de Levy, levando os dedos suaves por centimentro do corpo de Levy. A mão direita de Lucy agarrou-se aos seios, massageando-o lentamente. Sua mão esquerda movia-se sobre o estômago e as pernas, tocando em todos os lados, exceto a área aquecida de Levy, e a morena sentiu sua virilha pingar sobre a cama, o calor aumentando entre suas pernas.

 

Era embaraçoso, mas enquanto os dedos de Lucy lhe apalpavam, Levy não podia deixar de gemer, pedindo mais. Ela queria Lucy, e o mero pensamento a fazia pingar ainda mais, os líquidos deslizando sobre as coxas da loira que a agarrava.

Levy agarrou os cabelos de Lucy e massageou ondas de prazer em seus seios. Levy mordeu sua mão, corada, gemendo baixinho enquanto era tocada.

- Lucy - Levy gemeu.

- O que, Levy? - Lucy sussurrou, mordendo o lóbulo da orelha da morena em seus braços, e Levy revirou a cabeça, sua boca extasiada, pingos de saliva escapando de seus labios.

O corpo de Levy começou a tremer. - Pare de me provocar – ela corou, seus peitos vulneráveis aos mãos de Lucy, e a loira sorriu maliciosamente, espremendo os mamilos mais forte. – Lucy... Eu... Eu quero que você me toque direito... eu quero que você me toque...

Os olhos de Lucy se arregalaram, e ela levou sua língua a orelha de Levy. - Você quer isso? - ela provocou, apertando os peitos de Levy.

A morena gemeu baixinho, mordendo os pulsos. - Sim! – ela se contorceu – Eu Quero isso sim... – suas bochechas esquentaram. O mero fato de ter Lucy tão dominante sobre ela... Te-la em seus braços, tocando em cada parte do seu corpo... Estava a deixando louca.

A loira sorriu, tocando a virilha de Levy. Sua vagina tremia enquanto os dedos de Lucy deslizavam umidamente para dentro e fora de Levy. A morena agarrou os lençóis, e suas pernas tremeram, encharcando a cama. A loira sorriu, masturbando a amiga devagar, fazendo Levy se contorcer em seus braços. Os dedos leves da Heartfilia apertavam seu clitóris, umedecendo a cada toque em Levy. A pressão crescia enquanto as mãos de Lucy trabalhavam no corpo de Levy.

A maga celestial mordiscou a orelha de Levy, e sua mão apertou um dos seios da morena, enquanto Levy sentia suas coxas escorrendo mais e mais a cada caricia da loira em seu corpo. Lucy inclinou Levy contra a cama, deixando-a de quatro, agarrando a morena por trás. - Você tá tão molhada nas minhas mãos, Levy-chan - ela disse, fazendo Levy gemer outra vez, os olhos extasiados, sua boca aberta de prazer. – Sabe, mal posso esperar para te comer todinha...

Os gemidos eróticos escapavam cada vez que Levy tremia violentamente em suas mãos, os dedos de Lucy ​​esfregando e deslizando por seu clitóris, fazendo Levy cruzar as próprias pernas. Os panos em baixo das duas molhava com os pingos que escorriam de dentro de Levy, o cheiro agridoce da morena nas mãos de Lucy.

Com um ultimo gemido, o prazer entrou em erupção dentro dela, trazendo extase e esguichando nos dedos da loira, o liquido morno e viscoso banhando a mão de Lucy, que levou a boca e engoliu lentamente, sentindo o calor do gozo queimar sua garganta.

O corpo de Levy suava, tremendo pelo orgasmo intenso que acumulava seu corpo. Os traços de prazer ainda faziam seu clitóris sentir queimar, e Lucy inclinou-se sobre ela, esfregando a mão pelo corpo de Levy, deixando uma pequena trilha dos seus próprios sucos em sua pele.

- Você também prova muito doce, hein? - Lucy sussurrou em Levy, esfregando-se nas suas costas. – Sabia que a sua bocetinha é praticamente uma sobremesa?

Um grito escapou dos lábios de Levy quando Lucy a virou na cama. Lucy espalhava suas longas pernas e pousou sobre ela, seus seios cheios apertando novamente Levy, esfregando-se contra ela suavemente.

- Você está tão fofa - Lucy riu, seus cabelos suados caindo por Levy. - Eu ainda tenho tantas coisas que eu quero fazer com você, Levy-chan. E olha, nem tente parecer tão inocente - Lucy sentou-se em cima de Levy. - Você e seu corpo estão praticamente implorando por mim.

Não havia nada que Levy pudesse negar quando Lucy a empurrou novamente, empinando seus quadris por cima do rosto de Levy, suas nádegas torneadas balançando em cima da morena. Seus quadris balançaram, enquanto Lucy abriu as pernas, os lábios rosados pingando diretamente sobre o rosto de Levy.

- Lu-chan ...-  Levy gemeu.

Lucy olhou por cima do ombro enquanto suas mãos deslizavam entre as pernas, abrindo sua vagina. - Você sabe o que fazer -  a loira sorriu, levando a língua a propria feminilidade de Levy.

- Ahhh, Lu-chan! - Levy gritou, cruzando os joelhos trêmulos - Eu já gozei... Deixe-me... deixe-me fazer isso pra você - Levy murmurou, olhando para a boceta úmida de Lucy, pingando em suas bochechas.

Lucy sorriu, deslizando os dedos pela virilha de Levy - Não seja tão humilde. Não é errado ser ganancioso de vez em quando. Ela disse, beijando os leves pelinhos azulados entre as pernas de Levy - Além disso, comer sua bocetinha... está sendo ótimo pra mim, sabia?

Suas mãos agarraram a bunda em sua frente, puxando a cintura de Lucy para baixo e pressionando as nadegas da loira contra seu rosto. Engolindo em seco, deslizava sua língua lentamente pela boceta de Lucy, o gosto de Lucy invadindo sua boca. Tremendo, Lucy apertou os lençóis, gemendo baixinho, e Levy sorriu para si mesma, fechando os olhos e levando Lucy totalmente a sua boca.

Os lábios de Levy chupavam sua umidade, sentindo o gosto da loira em sua língua. A morena circulava sua língua pelos lábios de Lucy, sentindo seu aroma viciante escorrer por seu rosto. Levy apertou as nadegas da loira em cima dela, fazendo-a se contorcer com o gesto, suas mãos agarrando aquela bunda deliciosa.

 

- Mhhmmm, Le-Levy-chan, isso… é tão bom - Lucy murmurou, apertando os lençóis. Lucy avruy a boca e começou a esfregar chupar lentamente o clitóris de Levy, enfiando seus dedos na boceta apertada da morena. - Mais, Levy-chan. Mais... Você... é tão deliciosa...

Levy apenas gemeu quando sua boca se abriu sobre o centro de Lucy, e a loira parou de usar sua língua, suas pernas tremendo em cima da boca de Levy. A morena podia senti-la tremendo em sua boca, a umidade escorrendo sobre o queixo enquanto ela lambia a loira.

- Levy-chan, estou tão perto... -  Lucy gemia, agarrando as coxas suadas de Levy e enfiando seu rosto entre suas pernas.

- Eu também... eu também, Lu-chan... - Levy gritou, gritando na , os sucos de Lucy esguichando contra seu rosto, banhando a morena com seu calor. O interior de Levy apertou-se, gozando outra vez nos dedos de Lucy, que arfava pesadamente em cima da amiga.  Suas bocas abertas, as gotas de suor escorrendo por seus rostos enquanto elas tremiam uma na outra.

O prazer que acumulou em seu centro explodiu, disparando cada centímetro de seu corpo em êxtase. Os dedos dos pés enrolaram-se quando Levy gritou, gemidos baixos e suaves enquanto ela apertava forte a bunda da loira. Ela colocou sua boca de volta entre as pernas de Lucy, contendo seus gemidos.

Deixando um beijo nos lábios róseos e molhados Levy, Lucy virou-se e aproximou-se dela. Um sorriso se espalhou por ambos os rostos. As mãos de Levy cobriram seu rosto corando imensamente enquanto Lucy ria, abraçando e agarrando a morena em seus braços.

- Levy-chan, me deixa ver o seu rosto. - Lucy pediu, enquanto Levy cobria suas bochechas vermelhas. - Você é tão fofa, sabia?

Olhando entre os dedos, Levy rolou no lado de Lucy e se inclinou sobre ela, seu corpo esguio pressionado contra as curvas macias da outra - Você é pervertida, Lucy-chan... – ela murmurou, seus dedos circulando pelo peito de Lucy.

 

A loira sorriu, beijando Levy na bochecha. - Eu não pude evitar, Levy! Você é muito fofa e nem mesmo sabe disso.

Levy corou, escondendo o rosto no pescoço de Lucy. Ela teve que puxar o queixo de Levy, aproximando a cabeça dela e beijando-a outra vez nos lábios.

- Além disso, sua expressão quando você goza... não tem preço, sabia?

- Lu-chan!


Notas Finais


Obrigado por lerem, não esqueçam de comentar

Ahhh PS... Esse capítulo faz parte de uma fanfic que foi excluída


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...