História Your path is traced to my (Jikook) - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Bangtanboys, Bts, Hoseok, Jennie, Jikook, Jimin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Menção!sope, Menção!vhope, Mencaokookmin, Namjin, Namjoon, Rose, Seokjin, Taehyung, Vhope, Yoongi
Visualizações 67
Palavras 4.963
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi babeeees
Demorei né
Ai me desculpa teve uns bagui muito loco aí p eu resolver e acabei atrasando né sabe como é
Mas eu vou começar a atualizar mais rápido agora, me perdoem mesmo

Bora ler?

Capítulo 26 - Vigésimo Quinto capítulo


- Jimin... Eu tô sem palavras... Porra! - Jungkook encarou Jimin com uma expressão surpresa, se inclinando até o mesmo e o abraçando. 

- Eu sinto muito que você tenha passado por isso... Sinto muito mesmo. Mas olha, presta atenção. - Soltou o abraço para ficar apenas com as duas mãos nos ombros de Jimin, encarando seus olhos inchados pelo choro e sua carinha vermelha. - Você vai conseguir passar por isso. Nós vamos, eu vou te ajudar. Yang Mi e Kwan estão bem! Isso graças a você. Jimin você é um ótimo pai não tenha dúvida disso, eu acredito em você. - Levou sua mão direita até o rosto do mais velho e enxugou uma lágrima que havia caído. - Yang Mi e Kwan acreditam em você... - Deixou sua mão cair até o queixo do mesmo, sussurrando as palavras e deixando um selinho no mesmo. - E eu sei que você não vai decepcionar eles... 

- Jungkook eu não sei se eu consigo! Eu nunca tive muito contato com os dois, era sempre Omma pra cá, omma pra lá. - Fungou. - Eu acho que mal sei trocar uma fralda do Kwan! - Riu incrédulo.

Realmente não achava que conseguiria criar os filhos sem a ajuda de Lisa. A mesma sempre fazia tudo, não deixava Jimin ter alguma participação nos cuidados de seus filhos. 

- Hey... É a sua chance. Você não era próximo deles, mas agora pode ser, agora você pode se aproximar deles, firmar seu nome como pai. Jimin eles nunca precisaram tanto da sua ajuda... Lisa tá totalmente louca da cabeça, eles precisam de cuidados. Quem melhor do que você? - Levou seu dedo indicador tocando o nariz de Jimin, que deixou um sorrisinho escapar.

- Eu já disse que você é incrível? - Jimin resolveu tentar quebrar o clima triste que havia se formado quando contou sobre o que aconteceu para Jungkook.

- Uh, esse você nunca falou. - Jungkook brincou, sorrindo para o mais velho.

- Você é incrível. - Aproximou-se do mais novo, dando-o mais um abraço apertado e deixando um selar em seu pescoço, enterrando sua cabeça ali. Ato que fez Jungkook suspirar.

Jimin não continha palavras para distinguir o que sentia, o sentimento por Jungkook só crescia, trazendo uma calma enorme para o seu coração inquieto. Toda a insegurança fora embora em segundos logo após a fala de Jungkook e mais um peso era tirado das costas de Jimin.

Jungkook por sua vez amava fazer parte da vida de Jimin, o ajudar daquela maneira era inexplicável para ele. Sentia que queria ir além, tomar os problemas de Jimin para si e pegar todo aquele medo e insegurança e trancar em algum lugar. Mas sabia que dando o suporte que era necessário, Jimin iria conseguir arcar com aquilo. Adorava a idéia de ter um tempo com os filhos de Jimin, afinal, o sonho que ele tinha de algum dia cuidar de um 'filho seu' com Jimin estava acontecendo. Mesmo que Yang Mi e Kwan possivelmente fossem somente seus enteados, já tinha um carinho enorme pelos dois.

Após algum tempo abraçados, ouviram-se algumas reclamações em forma de um chorinho baixo seguido por falas infantis. Jimin sorriu, sabia que seu filho havia acordado. Era a sua hora de agir e ser o pai que sempre sonhou ser.

- Vai lá, uh? Vou tomar um banho, estou exausto. - Jungkook deu dois tapinhas nas costas de Jimin, que grunhiu em afirmação e levantou-se, seguindo até a porta.

Claro, não sem antes virar para Jungkook e sussurrar que o amava, recebendo um sorriso tímido do maior.

Seguiu para o quarto onde estavam seus pequenos, suspirando e pondo a mão na testa, massageando aquele local. Sabia que estava cansado e começaria a trabalhar amanhã, que precisava dormir para ter forças para enfrentar seu chefe e tudo mais, mas um de seus filhos precisava dele.

Entrou no quarto abrindo a porta devagar, e o choro se fez mais presente no cômodo.

Jimin caminhou até a cama iluminada pela pouca luz da lua, refletindo no pequeno menininho de rosto avermelhado que ainda chorava grunhindo por seu pai.

Jimin deixou um sorrisinho escapar, ah, como seu filho era fofo.

- Sh... Papai tá aqui, filho. - Falou apoiando o joelho na cama e se abaixando para enfim conseguir envolver o menininho em seus braços. Claro, tomando cuidado para Yang Mi não acordar.

- Appa... - O bebê choramingou, envolvendo o pescoço do pai com seus bracinhos. Jimin deixou um beijinho no cabelo cheiroso do filho, o Apertou em um abraço enquanto seguia para fora do quarto, temendo acordar a mais velha.

- Appa tá aqui, sh... Tá tudo bem. - Jimin falou enquanto tirava o cabelo da testa do neném, afim de reduzir o calor que o apartamento exalava. - Tá com calor, filho? - Perguntou, recebendo um grunhido manhoso em resposta. Mesmo que Jimin o houvesse pegado no colo, o bebê ainda chorava, puxando o ar e fungando. Jimin reconhecia aquilo, Kwan estava com fome.

- Hey pequeno, o que acha de fazermos uma mamadeira pra você? - Perguntou carinhoso, segurando o filho no colo e enchendo seu rosto de beijinhos molhados. Jimin amava seu bebê. Kwan deu uma risadinha gostosa e afirmou levemente com a cabeçinha, coçando seus olhinhos.

Tentou não fazer barulho ao abrir novamente o cômodo onde Yang Mi dormia e pegou dentro da mochila os respectivos recipientes onde haviam as coisas para preparar a mamadeira do bebê.

Saiu do quarto e foi para a cozinha, pegando uma colher e colocando as quantidades de leite. Kwan observava com seus olhinhos curiosos cada passo desengonçado que seu pai dava ao fazer sua primeira mamadeira. Já havia visto Lisa fazê-la várias vezes.

- Pronto... - Falou fechando a mamadeira. - Ok, eu acho que agora... Eu tenho que esquentar? - Olhou para o rostinho de Kwan, que também olhou para o pai, inocente. Jimin sorriu e não conseguiu se segurar ao dar uma mordida fraca na bochechinha gorda do neném, que deu uma risadinha gostosa, deitando a cabecinha no ombro de Jimin.

Jimin preparou uma panela com água dentro e deixou a mamadeira esquentar dentro dela no fogo, prestando atenção na temperatura para não ficar muito quente.

Enquanto isso balançava Kwan, cantarolando algo para que o bebê não perdesse o sono que ainda tinha e voltasse a dormir logo.




Logo após pronta, Jimin tirou a mamadeira do fogo e o desligou, deixando a panela com a água lá.

Sentou no sofá juntamente a Kwan, que ansiava por alimentar-se.

- É a primeira mamadeira que o papai faz... - Falou colocando um pouco do líquido dentro da mamadeira na mão para averiguar se não estava quente demais. - A da mamãe certamente deve ser melhor, mas tenho certeza que com o tempo eu vou melhorar, ok? - Brincou com o filho, deitando o pequeno em seu colo e apoiando o braço nas costas do pequeno para  que ficasse mais confortável deitar ali. Levou a mamadeira até a boca do mesmo e a segurando, vendo o bebê mamar e ir fechando os olhinhos aos poucos. Jimin fazia um carinho na cabecinha do neném, pensando em quanto sono ele estava sentindo.

Deixou um grunhido descontento escapar quando lembrou que ainda tinha que separar a papelada do divórcio. 

Odiava separar papelada

Jungkook estava disposto a repôr os anos que ficou sem faculdade. Depois de uma longa conversa, decidiu que era melhor encontrar algum emprego numa padaria ou restaurante perto de casa pra pagar o apartamento  juntamente com Jimin e estudar na área de farmácia, como sonhava desde a adolescência. Jimin apoiou totalmente e deixou bem claro que iria ajudar Jungkook nos estudos. No fundo Jimin estava adorando aquele tempo com Jungkook, Yang Mi e Kwan não iriam atrapalhar, até era uma boa experiência para os dois homens se adaptarem a uma família, Jimin tinha em mente que tudo iria ficar bem, contando que Jungkook estaria ao seu lado.

Também amou a idéia de que firmaria seu lugar como pai dos dois bebês, ficar longe de Lisa por um tempo, cuidar dos menores, e se possível acostumar os dois com a presença de Jungkook.


Sentiu o corpo do filho amolecer em seu braço e viu que o bebê já havia caído no sono novamente. Deixou um beijinho estalado na testa do pequeno e levantou com cuidado, deixou a mamadeira na bancada, indo até o quarto e colocando Kwan na cama.

- Hm... Appa... - O bebê se moveu, grunhindo e ameaçando começar a chorar novamente, estendendo suas mãozinhas para Jimin. - Colo... - Falou manhoso.

Jimin se deitou juntamente ao filho que engatinhou até o pai, se aconchegando em cima do peito do mesmo e voltando a ressonar. Jimin começou a fazer um carinho no cabelo do bebê, envolvendo Yang Mi em seu outro braço e se permitindo dormir ali com os dois.


[~]


Jungkook acordou com o barulho incessante do despertador do celular de Jimin, bufou com raiva ainda com o lençol em seu rosto, se ajeitando na cama. 

- Jimin, desliga essa merda antes que eu taque minha mão na sua cara. - Murmurou, procurando com sua mão o corpo do companheiro na cama, não recebendo resmungos ou então a fala de Jimin em seu ouvido, estranhou, saindo debaixo do lençol e percebendo que o mesmo não estava na cama ou então em seu quarto.

 Pegou o celular do mesmo, desligando o alarme e vendo mais de 10 chamadas perdidas de 'Lalisa'. Bufou revirando os olhos e colocando o celular já bloqueado em cima do criado mudo.

Levantou e foi até o banheiro, se olhando no espelho e murmurando algumas coisas que não faziam sentido nem para si mesmo. Fez suas higienes e ajeitou sua calça de moletom no corpo, passando as mãos no cabelo e também na blusa, para ficar um pouco mais apresentável.

Caminhou até o corredor, passando pela sala e ouvindo a TV ligada em algum desenho, olhou para o sofá curioso e somente viu uma cabecinha animada se balançando conforme a música do desenho, murmurando as letras.

Pela vozinha infantil, soube que era Yang Mi. Deixou um sorriso escapar ao perceber que a pequena já estava a vontade em sua casa.

Caminhou em direção ao outro quarto do apartamento, vendo no relógio de parede que Jimin já estava atrasado com o compromisso no trabalho, e tinha em mente que Yang Mi e Kwan tinham escola e creche, apressou mais o passo.

Abriu a porta devagar, se deparando com a cena fofa de Jimin dormindo com Kwan em cima de seu peito. Sorriu caminhando até a beira da cama, sentando lá e levando sua mão até o rosto de Jimin, depositando um carinho.

- Hey... - Murmurou deixando um beijo na testa de Jimin. - Hoje você não tem compromisso no trabalho? - Perguntou carinhoso, vendo Jimin acordar lentamente, segurando as costas do bebê em seu peito, sorrindo sonolento assim que bateu o olhar em Jungkook, murmurando um 'bom dia'.

- Bom dia amor... - Jungkook respondeu sorrindo. Jimin se virou e deixou Kwan em cima da cama, levantando da mesma com cuidado pra não acordar o bebê.

- Não dormi o suficiente ontem... Kwan demorou a... - Bocejou. - Pegar no sono. - Jungkook abriu ainda mais o seu sorriso, Jimin ficava super fofo quando acordava. - Vou dar um banho na Yang Mi. - Falou parecendo lembrar de algo. Aproximou-se de Jungkook e o deu um beijo na bochecha, o abraçando, mas logo se afastando rápido, murmurando que estava atrasado.

Jungkook foi até a cozinha e fez a única coisa que sabia fazer:  café.

Bom, certo que ele somente colocasse na máquina, mas mesmo assim, era a única coisa que não queimava.

Observou Jimin correr pela casa, pegando Yang Mi e a colocando em cima do seu ombro, enquanto a pequena ria e tentava se soltar, depois entrando no banheiro. Riu sozinho, separando e cortando algumas frutas para a menina.

Alguns segundos depois, somente ouviu a risada sapeca da pequena que corria pelos apartamento só de calcinha, fugindo de Jimin que reclamava algo sobre chegar atrasado no trabalho e ela na escolinha. Num passo rápido Jungkook foi até a menina e a pegou por debaixo das axilas, a tirando do chão e entregando para Jimin, um bico emburrado brotou na boca da pequena.

- Agora você vai tomar banho. - Jimin usou um tom autoritário, tom este que quase nunca precisou usar, Jungkook assustou-se um pouco também por nunca ter visto aquele tom autoritário em Jimin. A menina se encolheu um pouco no braço do pai, seu bico aumentou enquanto ele a levava para o banheiro. Jimin também estava assustado com o próprio tom que nunca havia usado com nenhum dos filhos.

- Jimin - Jungkook o chamou e ele se virou para o mesmo. - Eu arrumo Kwan, pode ser? - Jimin o olhou surpreso.

- Tem certeza? Olha eu dou banho nela rapidinho não precisa se preocu...

- Tenho. Eu disse que iria te ajudar e vou fazê-lo. - Sorriu para Jimin que retribuiu o ato pensando em como Jungkook era demais para si...

- Ok. As coisinhas dele estão na mochila azul. Pode deixar que eu preparo a comida dele. - Jungkook assentiu e observou Jimin seguir com a menininha emburrada para o banheiro.

Limpou as mãos no pano da cozinha e andou até o quarto onde o pequeno ressonava, dava dó de ter que acordar aquela criaturinha que parecia estar num sonho bom, mas Jungkook se aproximou do mesmo e alisou as costas do bebê. - Hey Kwan, vamos acordar? - Murmurou carinhoso para o pequeno que abria seus olhos devagar.

Sorriu para o bebê quando viu o mesmo esticar seu corpinho, bocejando. Jungkook levou sua mão até a testa do mesmo, ajeitando alguns fios rebeldes.

- Vamos nos arrumar para a creche, garotão. - Falou ajeitando gentilmente o pequeno deitado de barriga para cima na borda da cama, tirando a blusa e short do conjunto de pijama que era do ursinho Pooh.

- Papai? - O bebê murmurou sonolento para Jungkook, levando sua mão até a boca.

- O papai tá dando banho na Yang Mi. - Jungkook respondeu dando um beijinho na cabeça do bebê, logo trocando a fralda do mesmo. Foi até a mochila que Jimin falou, pegando uma jardineira jeans e uma blusinha de tecido leve branca, vestindo com cuidado no menor que continha o mordedor na boca, coçando os dentinhos enquanto olhava cada passo de Jungkook com curiosidade.

- Kwan! - Ouviu a menina soltar um gritinho fino, logo se virando para a porta e encontrando a mesma enrolada em uma toalha. - Meu irmão acordou! - Disse sorrindo e subindo na cama, indo até o irmão que sorria e deixando um beijinho na barriga do bebê. - Tá cheiroso. - elogiou fazendo uma careta engraçada que fez Jungkook rir junto.

- Sabe vestir sua roupinha Yang Mi? - Perguntou vendo a menina afirmar freneticamente. - Então vamos ajudar o papai?

- Mas tio, eu não posso trocar aqui! Vocês são me-ni-nos! - Sussurrou apontando para os dois e cruzando os bracinhos. Jungkook sorriu ainda mais com aquela palavra que Yang Mi o havia dado, o que o deixava tão feliz.

- Pode trocar agora, eu e Kwan já estamos saindo. - Falou passando um pouco de perfume no menininho e colocando um boné azul na cabeça dele, terminando de pôr as crocs do mesmo, logo pegando o bebê no colo e saindo do quarto, deixando o menininho no sofá, assistindo o desenho.

- Jungkook! - Jimin o chamou, ele olhou para o menininho e apontou para ele. 

- Fica aí! Eu tô de olho. - Viu o bebê dar uma gargalhada gostosa e voltar seu olhar para a tv logo depois.



- Oi! - Jungkook chegou no quarto, se aproximando do Jimin totalmente vestido de terno e sapato social.

- Você sabe... Ehr... Dar nó na gravata? - Pergunto meio sem jeito, o que fez Jungkook sorrir.

- Eu vou te ensinar. - Afirmou se aproximando, indo para a frente de Jimin. - Pega aqui... Dobra aqui... E depois assim... E puxa. - Falou ajustando a gravata no pescoço de Jimin, logo o puxando e deixando um beijo em seus lábios cheios. - Aprendeu?

- Acho que se eu receber um beijo toda vez que você fizer o nó na minha gravata eu vou acabar ficando acostumado... - Falou sorrindo.

- Você pode ter beijos quando quiser. - Falou deixando outro selinho na boca do mesmo. - Eu fiz café, é uma salada de frutas, o Kwan pode comer? - Jimin afirmou um pouco besta com o Jungkook atencioso. - Ótimo.

- Eu te amo. - Falou pegando o rosto de Jungkook e o aproximando do seu, dando-o um beijo de verdade. 

- Eca! Ugh... Vou vomitar! - Separaram-se rapidamente ao ouvir Yang Mi falar. Olharam em direção a porta, onde ela estava com a mão na barriga, imitando sons de vômito. 

- Eca! Eca! - Kwan repetiu o que a irmã mais velha falou, sorrindo e batendo palminhas, sentindo-se feliz pela nova palavra que aprendeu.

- Então você estavam espionando? - Jimin pôs as mãos na cintura, lançando um olhar repreendendo para os filhos e negando com a cabeça.

 - Que feio! - Falou assim que viu Yang Mi afirmar sorrindo. - Sabem o que eu vou ter que fazer agora? - Perguntou se aproximando dos dois devagar, pondo as mãos a frente e movendo os dedos, os dois negaram. - Cosquinha! - Falou correndo atrás dos dois. Yang Mi deu mais um grito fino e saiu correndo, sendo seguida por Kwan.

Jungkook sorriu sozinho e foi para o banheiro tomar um banho, estava amando aquela animação em sua casa.

Aquele primeiro dia das crianças já estava o fazendo bem.

E sem perceber, aqueles dois homens e suas crianças estavam agindo como uma família.


*


Pov'on Namjoon


Jin dormiu ontem á noite, logo após chorar muito. Não me fez bem o ver chorar daquele jeito por minha causa, me senti a pior pessoa do mundo. Não dormi, muito pelo contrário. Tive medo da respiração calma do mesmo acelerar e eu não estar acordado para dizer que estou ali novamente, para o consolar.

Fiquei acordado o vendo dormir calmamente com seu rosto em meu peito, para falar a verdade, foi a melhor coisa que eu poderia ter feito. Ver os poucos raios do sol nascente bater em sua face era incrível, sem contar que tocar o seu rosto novamente para mim era um tanto quanto acolhedor.

Levei minha mão até o cabelo do mesmo, o fazendo um carinho, tentando não acorda-lo.

O que não funcionou.

Ele reabriu suas enormes orbes pretas e me encarou. 

- Você tá aqui. - Murmurou um pouco abafado por minha camisa. Levou sua mão até o meu rosto e depositou um carinho, me fazendo sorrir com o ato repentino.

- Me desculpa. - Sussurrei. - Eu não deveria ter feito aquilo, te deixado daquele jeito, me desculpa! Você foi a melhor coisa que me aconteceu e eu estraguei tudo, fui um total idiota por te deixar, foi o pior erro que eu cometi em minha vida. - Falei com um pouco mais de coragem, ainda o encarando. - Eu não fui atrás de você, eu sou totalmente errado e do contra, sou altamente influenciado e minha mãe é meu ponto fraco. Eu não posso te oferecer uma mansão luxuosa ou casas de férias em toda Coréia, mas posso te oferecer minhas sinceras desculpas e meu amor... Aquele que me fortaleceu para ter discussões com minha mãe todas as noites para conseguir pôr naquela cabeça dura que é amor, é um homem sim, mas é amor incondicional, Seokjin eu te amo, por favor volta pros braços dessa pessoa idiota que te ama, eu sempre vou estar aqui, não vou mais embora, meu amor... - Senti meus olhos encherem de lágrimas pelo medo dele não me aceitar ou então de não aceitar minhas desculpas, de não querer o que tenho para oferecer ou de não ser o suficiente para Kim Seokjin.

- Você não precisa pedir duas vezes para isso acontecer. - Falou devagar, e eu vi sua expressão de tristeza se tornar um lindo sorriso. - Eu também te amo, seu idiota. - Ri do seu comentário, me aproximando e deixando um beijo meio desengonçado em seus lábios. Ele sorriu entre o ósculo e se levantou, sentando em minha pélvis para podermos sentir melhor um ao outro.

Ele não precisava me beijar com malícia, nem eu precisava de um beijo com malícia, somente precisava sentir aqueles lábios que tanto amo novamente. Sentir Kim Seokjin.

- Namjoon, sua irmã irá chegar às 9:15 e você ainda não... - Ouvi a voz de minha mãe se fazer presente, logo após a porta se abrindo rapidamente. - Mas o quê... - Jin saiu do meu colo, rolando para o meu lado na cama e encarando minha mãe que nos olhava com uma expressão desolada.

- Bom dia, senhora Kim. - Jin acenou sorrindo para ela, que o devolveu um olhar frio, logo se direcionando a mim.

- Mãe... - Tentei falar, mas minha fala foi interrompida por um baque alto no chão, feito pelo corpo de minha mãe. 

- Acho que foi como demais para ela raciocinar... - Jin comentou levantando rapidamente da cama, assim como eu.


[~]


Deixei-a deitada no sofá de um jeito confortável, ajeitando o colar de pérolas que jazia em seu pescoço.

Olhei para Seokjin e vi em sua expressão que ele estava se segurando muito para não rir. - Você quer rir. - Comentei o olhando com os braços cruzados.

- Não... - Respondeu e pôs sua mão a frente da boca, escondendo um sorriso e seu rosto ficou vermelho. O encarei mais um pouco e ele explodiu em risadas que foram acompanhadas por mim.

- Minha mãe desmaiou! - Gritei ainda rindo com ele, enquanto nós jogávamos ainda rindo alto no outro sofá.

- E você tá rindo dela, seu sem coração! - Comentou ainda rindo.

- Você começou, é impossível não rir com essa sua risada. - Falei tentando acalmar minha respiração acelerada.

- Aish. Foi você. - Um bico se formou em seus lábios.

- Você.

- Vo... - O calei com um selinho demorado.

- Tô feliz que você tá aqui. - Comentei sorrindo.

- E eu tô feliz de estar aqui com você. - Ele Respondeu levando seu dedo a uma de minhas covinhas.

Eu iria beija-lo novamente, iria ficar ali com ele até enjoarmos e irmos para meu quarto assistir algum filme mas a campainha tocou, ato que me lembrou da minha irmã que estava chegando de viagem.

- Aigoo... Noona atenda a campainha por favor! - Falei me referindo a empregada que afirmou e foi até lá, enquanto eu puxava Jin pela mão, o levando para meu quarto, ele perguntava o que era, quem era e o que estava acontecendo, mas eu não o respondia justamente para o deixar emburrado e com aquela cara fofa novamente.

- Namjoon! - Ele urrou com raiva quando entramos no quarto e eu fechei a porta, me dirigindo ao closet e pegando roupas limpas para mim e para ele. - Me responde! - Bufou.

- Você vai vestir essa roupa, a gente vai descer, cumprimentar minha irmã e iremos tomar um sorvete. Ok? - Falei e ele assimilou algum segundos, logo assentindo e tirando sua blusa, deixando seus olhos vidrados em mim e mostrando o abdômen que eu amava novamente.

- Não me seduz agora... - Murmurei virando de costas e tirando a roupa também, pondo a calça preta uma blusa listrada e um converse azul.

- Não fiz nada. - Fingiu ser santo, também vestindo as roupas.

- Sei. Vamos? - ele afirmou e eu sorri vendo que minha blusa rosa bebê se deu bem no corpo de Seokjin, minha calça branca e o vans também branco couberam como uma luva nele também. Parecia tão certo ter minhas roupas vestidas por ele...

Peguei em sua mão e fui saindo do quarto, descendo as escadas e quando chegamos ao final dela, ele apertou minha mão assim que bateu o olho em minha irmã que conversava com a empregada. Entrelacei nossos dedos tentando o passar confiança, o olhando e depois indo até minha irmã. 

- Mina! - A chamei e a mesma olhou nós dois, seu sorriso se desfez. 

- Namjoon, você tá maior do que da última vez. - Resmungou se aproximando de mim.

- Pois é. - Respondi sorrindo, o olhar dela pra nós dois não me surpreendeu. - Uh, esse ao meu lado é Kim Seokjin. Meu... - Não soube muito bem dizer o que éramos, não pudemos conversar sobre isso...

- Namorado. Prazer. - Seokjin respondeu e curvou-se sorrindo para ela, finalmente recebendo um sorriso de Mina.

- Isso é... Wow. - Ela disse extasiada e olhou para mim. - Cadê a mamãe? Ela não deve ter aceitado muito bem... 

- Tá desmaiada no sofá. - Dei de ombros e a loira me encarou com seus olhos arregalados, ouvi Seokjin reprimir um riso. - Estamos de saída, quando ela acordar afirme que sim, eu estava na cama com um homem e eu sou gay. - Sorri e a dei um beijo na bochecha. - Estamos de saída. - Segui rumo a porta e ela permaneceu no mesmo lugar, não se moveu.

 - Noona, traga uma água para a Mina por favor. Beijo mana, nos vemos qualquer dia. - Saí e fechei a porta, pegando a chave reserva fora da casa e andando rumo a rua com Seokjin.

- Desculpa! - Seokjin exclamou e só aí eu o olhei e percebi que ele estava rindo novamente.

- De novo, Seokjin? Tsc, tsc que feio! - Sorri juntamente a ele. - Mas eu admito... Elas são sim muito engraçadas. - Me permiti rir solto, eu estava com Seokjin, poderia ser eu mesmo.

- Será que foi só um desmaio mesmo da sua mãe? - ele pareceu preocupado.

- Ela é dura na queda. - Ri junto a ele.


*


Pov'on Hoseok


Há alguns dias, fomos até uma empresa única que aceitava decorar casamentos de homossexuais, e conseguimos marcar uma data para o nosso casamento, daqui 8 meses.

Muito tempo? Sim.

Mas valeu a pena. Decorações de festas grandes assim como eu e Taehyung queremos fazer geralmente demoram bem muito mesmo, e custa caro.

Mas só de ver os olhinhos brilhantes do meu noivo ao escolher algo em relação a festa, eu ganho o meu dia.

- Pode ser aqui mesmo, Hobi. Casamento em outras cidades custa caro, imagina em outro país! Já estamos pagando muito! - Insistiu.

- Mas... 

- Mas nada! Vai ser perfeito independente de ser aqui ou lá em outro país. Eu vou estar casando com você, isso é o que importa. - Respondeu me dando um selinho demorado, sorri com sua resposta.

- TaeTae, aquela sua tontura passou? - Perguntei preocupado. Há algumas semanas Taehyung vem tido algumas tonturas e enjôos, já insisti muito em levá-lo ao médico, mas ele não quer. Combinamos de que se aquilo continuasse iríamos.

- Um pouco, Hobi. - Respondeu e eu o lancei um olhar sugestivo, que ele logo entendeu e negou freneticamente com a cabeça. - Não! Hoseok, eu tô bem, a gente não vai para o hospital.

- Mas a gente combinou, se você piorasse você iria me deixar te levar, babe. Por favor, só quero cuidar de sua saúde... - Falei pegando sua mão e a balançando de um lado para o outro. 

Ele bufou. - Tá. 

Sorri e saí da cama. - Mas depois a gente vai comer hambúrguer, tô com uma vontade... - Ele levantou da cama também, logo pondo uma mão na testa, massageando o local.

- Tae...? - O seguro pela cintura o sentindo quase perder o equilíbrio em meus braços.

- Só um pequeno enjôo é uma tontura... nada demais, eu tô bem. - Falou sorrindo e logo me olhando, tirando a mão da testa e a deixando em meu rosto. 

- Eu vou cuidar de você. - Falei e seu sorriso aumentou.

- Eu sei que vai. - Minha vez de sorrir abertamente.

 - Vou te dar um banho. Vem. - O peguei em meu colo e ele entrelaçou suas pernas em minha cintura, enquanto eu o levava ao banheiro e preparava a banheira com alguns sais de banho.


[~]



- Pegou o plano de saúde? - Perguntei mais uma vez e ele assentiu sentando ao meu lado no banco do passageiro. - Tem certeza? - Ele afirmou novamente sorrindo.

- Amor, fica tranquilo, tenho certeza que não deve ser nada. - Assenti suspirando, esperei ele colocar o cinto e fechar a porta do carro, para eu finalmente dar partida em direção ao hospital.







- Senhor Jung... Eu tenho as minhas sugestões do que deve ser. - O médico comentou, se afastando de Taehyung juntamente a mim. - Mas é bem raro entre homens, muitos até morrem por não aguentar. Eu diria que a chance disso acontecer é de 1 em um bilhão. Se realmente for o caso, você e seu futuro marido são muito sortudos. - O papo que o médico estava batendo comigo me deixava confuso, realmente não sabia do que o mesmo estava falando, mas resolvi aceitar os exames que ele queria fazer em Taehyung, logo após explicar para o mesmo tudo o que o médico me explicou também.

- Vamos fazer uma ultrassonografia. - Falou e eu juntamente ao Taehyung o olhamos confusos.

- Esse não é um exame para saber se a mulher está grávida? - Taehyung Perguntou.

- Exatamente.






O médico deitou Taehyung numa maca e pediu para o mesmo levantar a blusa, ato quase não feito por ele por minha conta. 

Que médico mais abusado! Querendo ver o que é meu

Logo após Taehyung o fazer, o médico passou um gel na barriga do mesmo, que apertou minha mão dizendo que era gelado. Somente consegui sorrir e o acalmar. O médico ainda não havia dito o que pretendia com aquilo, mas eu estava confiando nele.

Após ligar a máquina, ele passou um pequeno aparelho pela barriga de Taehyung, observando em uma pequena máquina algumas imagens desfocadas em azul e preto aparecerem.

O médico começou a passear o objeto na barriga do mesmo, logo após o ato sorrindo abertamente. Não entendi muito a causa do sorriso, mas continuei a esperar sua fala.












- Parabéns, vocês são papais.


Notas Finais


Obrigada por chegar até aqui❤️



Até o próximo capítulo

Eu quero sua opinião, saber o que você acha, ok? Não seja um leitor fantasma. ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...