História Your Sweet Side - Imagine Suga - Capítulo 42


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts, Drama, Heterossexualidade, Min Yoongi, Romance, Suga, Yoongi
Visualizações 247
Palavras 931
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem <3

Capítulo 42 - Amizade.


- S/n... – Yasmin começa um assunto novo às uma hora de videochamada – Sabe aquela menina do shopping?

- Sim – Respondo, entrelaçando os dedos, curiosa – O que tem ela?

- Eu vou sair com ela~~ - Min anima-se com as próprias palavras.

Exclamo de animação.

- Que legal! – Digo, verdadeiramente empolgada – Quando?

- Vai ser amanhã, no shopping.

- Isso é muito legal! Você tem tanta facilidade para sair com novas pessoas...

- Bem, não reclame também, porque você tem um namorado lindíssimo – Ela sorri, orgulhosa.

 Assinto, orgulhosa da mesma forma.

Eu e Yasmin nos conhecemos já faz seis anos, e, apesar de muitas brigas, nós sempre fomos muito próximas e ela é tudo para mim.

FLASHBACK *ON*

*4 anos atrás.

- MinMin! – Exclamo, correndo desajeitadamente pelo parquinho. O escorregador estava enferrujado e a madeira de alguns brinquedos estava podre. Mas eu adorava ali. Eu adorava, por causa de Min. Nós sempre éramos meio isoladas do resto da escola, por gostarmos de boneca nessa faixa de idade. E, decerto, éramos meio imaturas, mas era gostoso ter o nosso próprio mundinho com os nossos próprios segredos e saber que ninguém poderia se meter entre a gente – Volte aqui!

- Venha me pegar! – Yasmin abre seu sorriso quadrado e fofo, e aponta o indicador para mim como me zombando – Você é tão lenta!

- Arf... – Fico sem fôlego, tentando me recompor, e logo volto a correr atrás dela – Vou te pegar...!

Corro o máximo que posso, mas ela sempre é mais veloz.

De repente, tropeço na borracha do chão, que estava meio desmontada do resto das peças de quebra-cabeça coloridas, e caio no chão. Felizmente, a borracha amorteceu a queda, ainda que eu, surpreendentemente, havia ralado levemente o joelho.

- S/n! – Yasmin, com sua voz de criança, corre até mim, com aquela expressão típica de preocupação de irmã mais velha – Você tá bem?

- S-Sim... – Gaguejo, arfando com o machucado. Ele era leve, mas, para alguém da minha idade, ainda era quase insuportável.

- Vem cá, vamos passar uma aguinha – Ela fala, estendendo a mão para me levantar.

- Tá bom – Recupero o fôlego, e prendo a respiração, na tentativa de parecer forte.

*

- Viu? Agora tá melhor, não tá?

- Sim, obrigada, MinMin – Sorrio, mesmo sentindo dor.

- Já disse para não me chamar assim – Ela semicerra os olhos, mas depois gargalha.

- Como eu deveria te chamar?

- Pode ser só Min – Ela sorri docemente.

*2 anos atrás.

- Yasmin, eu sei que foi você quem pegou o meu moletom.

- Não fui eu! – Ela exclama, irritada.

- Se não foi, foi quem? Um fantasma?

- Eu sei lá, mas não fui eu!

- Huh, vamos continuar procurando.

*

Aproximo-me da cama pela milésima vez para procurar o maldito moletom.

De repente, percebo algo estranho embaixo da cama, perto da parede.

Olho por baixo e avisto o moletom. Eu provavelmente o havia deixado cair, e simplesmente culpei Yasmin...

- Há! Eu sabia! Viu?! Não fui eu! – Ela exclama ao me ver com o moletom na mão, sem jeito – Você sempre me culpa...

- Desculpe... Eu deveria ter confiado em você... – Digo verdadeiramente arrependida.

- É sempre assim... – Yasmin murmura, chateada – Não dá para ser sua amiga desse jeito...

Levanto a cabeça bruscamente, com os olhos arregalados.

- M-Mas... – Começo a lacrimejar – D-Desculpe... – Enxuga as lágrimas rapidamente.

Ela se surpreende, e aproxima-se. Em seguida, coloca a mão nos meus ombros.

- Calma, eu estava brincando – Yasmin sorri, com pena – Nós vamos ser amigas para sempre, está bem?

- T-Tá... – Fico envergonhada por estar chorando e tento me recompor apressadamente.

* 1 ano atrás.

- S/n... – De repente, Yasmin aparece para mim, bem apreensiva – Eu acho que preciso te contar uma coisa.

- Calma, o que foi? – Fico preocupada, imaginando o que poderia ser.

- Promete que não vai ficar com raiva... Ou pior, me odiar...? – Sua voz falhou, e eu supus que ela estava segurando o choro.

Fico pensativa por uns instantes, mas concordo veementemente.

- Tá, eu não sei como explicar o que aconteceu comigo, mas... – Yasmin subitamente interrompe a própria fala e suspira fortemente, como se estivesse à beira de desabar.

- Calma, calma, Min... Eu não vou ficar com raiva de você.

- Eu sou bissexual... – Ela fala isso rapidamente e logo acaba chorando.

Fico pasma por alguns instantes. Não por causa do que ela disse em si, mas pela relevância com que Yasmin levara a sua orientação sexual.

- E...? – Indago, erguendo os ombros e as sobrancelhas. Ela arregala os olhos, surpresa – O que tem demais?

- Eu... Eu não sei, eu sou defeituosa... Eu nasci errado.

Por um momento fico surpresa, mas logo me irrito.

- Quem te disse isso, para eu dar uma surra nessa pessoa?

- N-Ninguém...

- Yasmin, você é a pessoa mais fofa e engraçada que eu conheço, e, tipo, a gente é amiga faz MUITO tempo. Você acha mesmo que eu me importaria com a sua orientação sexual no ponto em que estamos? – Ela estava mais surpresa que eu – Não tem nada de errado em ser bissexual, eu prometo. Você só é diferente, mas isso não significa nada, eu juro.

Yasmin arregala os olhos sem dizer nada por um momento, até que de repente ela desaba em mim e soluça incessantemente.

- D-Desculpe...! Mas é tão ruim... Eu não queria ser assim! – Ela não consegue se controlar.

Sorrio com pena, e acaricio sua cabeça.

- Tudo bem ser assim... Eu te amo de qualquer jeito, maninha...

- O-Obrigada... – Yasmin murmura, soluçando. Continuei acariciando sua cabeça até que ela se acalmasse.

FLASHBACK *OFF*


Notas Finais


Ain q lindas <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...