História Your Sweet Side - Imagine Suga - Capítulo 46


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts, Drama, Heterossexualidade, Min Yoongi, Romance, Suga, Yoongi
Visualizações 200
Palavras 1.089
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse foi um pouco mais engraçado rsrs, espero que gostem <3

Capítulo 46 - Confissão.


Fanfic / Fanfiction Your Sweet Side - Imagine Suga - Capítulo 46 - Confissão.

S/N *OFF*

YOONGI *ON*

Passaram-se dois dias desde que S/n descobrira a minha volta para a Coréia, e eu estava no meu último dia de aula na escola.

Eu fiquei apenas seis meses na escola, mas foram bons seis meses. Acho que pude me abrir mais com as pessoas, e tirar um pouco do meu sotaque no português.

Pego minha mochila e abro a porta de casa para ir para a escola. Dou uma última olhada para trás, visando as malas estufadas na sala, que por si só estava bem vazia.

Fecho a porta e a tranco, antes de guardar a chave na parte da frente da mochila.

Caminho a passos curtos e sonolentos em direção ao colégio.

*

Chego à sala de aula, percebendo logo a presença de s/n. Sentia-me mais alegre na sua companhia, e pensar em ficar longe dela fazia meu coração doer.

Eu nunca gostei de mostrar muito os meus sentimentos senão nas minhas músicas, e com s/n não era diferente. Entretanto, eu só não me preocupava tanto em mostrá-las na sua frente como na dos outros.

Ela acena ao me ver, com uma pontada de preocupação, provavelmente por estar ciente de aquele era o meu último dia.

 Aceno de volta, com o mesmo pensamento, e sento-me em minha mesa.

Os professores e o diretor já estavam cientes da minha saída, obviamente, porém os alunos ainda não sabiam.

Quando o professor de Inglês pisa na sala de aula, os meus colegas imediatamente se colocam em seu lugar e ele pigarreia antes de começar a introduzir a aula.

- Bom dia, alunos – Sua voz era séria e rígida – Antes de começar a aula, gostaria de noticiar-lhes a respeito de algo.

Todos ficam mais sérios e curiosos, e eu já sabia do que se tratava.

- O novato Yoongi terá de retornar para a Coréia por motivos pessoais, e esse é o último dia dele – O professor faz um suspense antes de pronunciar tais palavras. Grande parte dos alunos fica triste com a notícia, enquanto por parte havia os que não davam a mínima.

Olho para a minha diagonal da frente, onde s/n sentava-se. Ela suspira, e olha para mim com um olhar triste. Eu acabo por retribuindo a mesma expressão, e nós já sentíamos falta um do outro mesmo estando a centímetros de distância.

Logo, o professor retoma a sua aula e começa a passar exercícios no quadro cuja matéria eu já sabia. Eu não era muito confiante em falar em inglês, mas sabia boa parte do vocabulário, provavelmente o suficiente para entender uma conversação mais formal.

Suspiro, sem a menor intenção de abrir o caderno de Inglês, e, apesar de o professor notar a minha falta de interesse, ele não se incomoda.

*

O intervalo se aproxima e, antes que o sinal tocasse os alunos já estavam com os lanches dispostos nas carteiras e mais agitados do que o normal.

Logo, a música do intervalo soa pelo colégio, permitindo os alunos de saírem correndo de suas cadeiras, provocando uma expressão frustrada na professora de Espanhol. Mas, convenhamos, ninguém ali se preocupava com Espanhol.

Pego o lanche que trouxera de casa, e desço as escadas junto com Yasmin e s/n.

Ao chegar no pátio, nós, como de costume, sentamos na mesma mesa de xadrez de sempre. Entretanto, a atmosfera estava mais diferente. Talvez porque eu estava na plena consciência de que nunca mais veria ninguém ali: Yasmin e todas as outras pessoas que estavam ali.

Exceto s/n. Eu tinha a certeza de que a veria de novo. Não sabia quando, mas eu tinha essa sensação.

Repentinamente, uma garota a qual eu provavelmente só vi uma vez, cutuca o meu ombro de forma tímida. Ela provavelmente era do 9º ano.

A garota tinha os olhos castanho-claros e o cabelo curto. Era bem fofa, me deu uma súbita vontade apertar suas bochechas.

- E-Ei... – Sua voz era doce e serena, ainda que vacilasse ao falar comigo.

Percebo com o canto do olho s/n, que estava com os olhos semicerrados e sobrancelhas um pouco erguidas. Se fosse comparar as duas, eu diria que s/n era uns dois anos mais velha.

- Ah, oi – Respondo, estranhando um pouco.

- Posso falar com você...? A sós? – Ao ouvir essas últimas palavras, congelo. Não pelas palavras em si, mas pela possível reação de s/n.

Olho lentamente para o seu rosto, com medo.

S/n estava com os olhos quase fechados, franzindo o cenho e incrédula. Deu-me uma vontade de abraçar a garota para protegê-la de ser morta pelas mãos de s/n.

- Posso? – Indago para ela, preocupado.

- P-pode... Claro... – S/n aparentava estar se segurando muito para não surtar.

Assinto, indo para um lugar mais privado com a garota.

- Desculpe pela s/n, ela é bem ciumenta...

- T-Tudo bem...

- Então, o que é? – Dou um meio-sorriso sutil.

- Eu descobri que você vai embora da escola para voltar para a Coréia... – Sua voz soava meio triste e desapontada – E eu queria falar algo para você antes que você vá.

Abro uma expressão mais séria, esperando a informação.

- O quê? – Indago, mais curioso.

- Eu... – A garota cujo nome eu desconhecia subitamente corou, e começou a ficar mais tensa – Eu... Eu...

- Você...? – Cruzo os braços, erguendo as sobrancelhas.

- FUI EU QUEM DEIXEI AS PEDRINHAS NA SUA CHUTEIRA PARA CHAMAR A SUA ATENÇÃO!!!!

Levanto as pálpebras inferiores, confuso.

- Que... Chuteiras...? Eu nem jogo futebol...

Imediatamente, ela arregala os olhos, confusa consigo mesma.

- A chuteira... Era de quem...? – A garota leva as mãos à boca, percebendo a merda que tinha feito.

Dou de ombros, surpreso.

- Era só isso? – Indago, sem querer parecer rude.

- Yóonji – Ela pronuncia o meu nome errado e eu me seguro para não demonstrar vergonha alheia – Você não percebeu?! Eu gosto de você! – A maneira como a menina falava me lembrava de um K-drama que eu assisti há um tempo.

- A-Ah... – Levo a mão para trás da orelha – N-Não... Eu nem sei o seu nome... – Sinto que não deveria ter falado aquilo, pois ela começa a chorar de forma dramática, e eu não sei o que fazer – D-Desculpe! Não era intenção te magoar...! Eu... Hã...

- Seu MONSTRO! – A garota exclama como se as minhas palavras fossem absurdas – Por que eu só gosto de garotos idiotas?!

Aquilo estava estranho demais para um último dia de aula.

Acabo por magoando uma garota de catorze anos sem querer e da forma mais estranha possível, mas pelo menos aquela seria a última vez que a veria.


Notas Finais


Espero q tenham gostado <3 pretendo acabar a primeira temporada no cap 50 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...