História You're Afraid? | CHANYEOL - EXO (+18) - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanyeol, Chanyeol Exo, Exo, Kpop, Park Chanyeol, Psicopata
Visualizações 1.012
Palavras 1.705
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, primeiramente...

#HappyPcysooDay

Segundamente...

OLAA MEU ANJINHOS ♡

- como vocês estão? EU TO ÓTIMA.

Não atualizei a fic antes por falta de tempo, já que criei uma comu no amino (aliás, se você é nctzen ou quer conhecer o nct, eu recomendo a nctzen union hein rsrsrs) e virei designer em outra... Ou seja, to 100% atarefada.

MAS

Eu tenho um compromisso aqui, e vou seguir sempre que conseguir ♡
Amo muito o spirit e amo vocês.

Ps* é meu aniversário hihihi
Ps** explicações do cap nas notas finais, então leiam!

Obrigada por não desistirem da fic sz

Beijinhos

Capítulo 22 - Este é seu segredo?


Um mês...

Já se fazia um mês desde a última vez em que vi Chanyeol. Era sem dúvidas um novo recorde, ele nunca tinha passado tanto tempo sem fazer contato comigo, e tenho de admitir que estou sentindo falta.

Na verdade, não foi como se ele tivesse sumido por completo, já que as mensagens e ligações sempre continuavam e eram sempre em situações complicadas. Mas isso não era suficiente, a minha saudade é de senti-lo junto a mim; saudades de seus lábios macios e de sua voz rouca que aprofundava em meus ouvidos. Saudades de seus espalmos e carinhos. Era uma saudade física. 

Eu já havia me conformado com meus sentimentos, e já estava ciente de que talvez eu despertaria algo forte por ele. Claro que continuava sendo estranho, porém, era a realidade, e o pior era que essa realidade estava se tornando imutável. 

O último mês foi normal, e eu até gostei - tirando a parte do Chanyeol. - porque eu pude finalmente ter mais tempo com meus amigos, colocar assunto em dia, recuperar a confiança e continuar sendo ignorada a todo momento por uma pessoa que sempre confiei e pensei gostar em um momento delicado da minha vida. Sinceramente, eu já estava melhor emocionalmente, preparada qualquer tipo de notícia. 

De todos os momentos, o pior era quando Jongin se aproximava e conversava normalmente com as outras pessoas enquanto me ignorava, fingia que eu não existia. Doía quando ele me tratava assim, talvez a culpa seje toda minha, eu sei, mas isso não é motivo de tratar alguém da forma que ele me tratava agora. Eu sentia saudades do Jongin antigo, saudades das melações e das mini crises de ciúmes que ele tinha, mesmo a gente não tendo nada assumido. De fato eu não o amo, porém, você não precisa amar alguém para sentir saudades, certo?  

Com o tempo, também, eu venho notando que as pessoas passaram a me tratar diferente... Não era como Kai, mas estavam agindo estranhas, como se eu fosse uma grande mentirosa e todos já sabiam. Talvez seja coisa da minha cabeça, mas todos sabem reconhecer os amigos que tem. Os meus não pareciam os mesmos, pode até ser porque nós nos distanciamos muito depois que Chanyeol virou meu cotidiano, e eu, sinceramente, prefiro acreditar que essa é a explicação. 

(...)

Já era sexta, e para minha felicidade, já estavamos no penúltimo horário. A semana inteira foi um saco, meu humor não muda desde segunda, que foi quando Hyu começou a faltar para ficar com meu irmão. Kris deu de que estava doente, eu até me ofereci a ficar em casa pra ajudar, mas acho que só Hyu pode dar conta do recado, se é que me entendem. Então eu estou tendo que passar o intervalo com o Baek, não é ruim, até porque somos bem próximos e ele não fica agindo como um idiota. Ou seja, ficamos igual duas velhas fofoqueiras, não damos pausa. 

As vezes ele vem com o Suho, e eu sinceramente ando me sentindo estranha quando vejo ele... Não sei o motivo, já que o Junmyeon nunca me fez mal nenhum, porém é como se eu pressentisse algo diferente. Sempre que nossos olhares se encontram, parece que ele quer adentrar na minha mente, descobrir coisas que mais ninguém sabe. As vezes parece que ele é desconfiado de algo, mas não demonstra saber. 

Tomara que tudo isso não passe de imaginação. 

Despertei dos meus pensamentos assim que ouvi o sinal do intervalo soar por toda a escola. Juntei meu material e fui em direção ao corredor dos armários para guardá-lo. Assim que avistei meu armário vi Kai encostado no mesmo, conversando sorridente com um de seus amigos. Me perdi no meio dos seus inúmeros sorrisos, eram tão lindos e apaixonantes que ainda me causavam dúvidas em relação a o que eu sentia por ele. Quando nossos olhares se encontraram, eu pude ver o sorriso se desfazendo aos poucos e ficando apenas em formato. 

Espera, ele continou sorrindo? Tem algo de errado....

Caminhei até o armário e suspirei fundo, procurando a coragem para seguir em frente e trocar pelo menos um 'licença' sem parecer uma total idiota. 

- Oi S/n. - Lay comprimentou e eu sorri em resposta.

- Oi Lay. - fiz uma pequena referência e me virei para Jongin, repetindo a mesma coisa. Ele, para minha surpresa, não agiu como um idiota dessa vez. Senti que algo estava realmente errado...

- Pode arredar só pra mim guardar meu material? - reuni coragem e pedi, completamente nervosa e tomada pela vergonha. 

- Ah, desculpe. - ele sorriu fraco e meu coração bateu forte, ele estava falando comigo de novo, e dessa vez não era brigando. 

Abri a portinha e coloquei todo o material ali, confesso que fiz uma horinha para matar a saudade de estar perto dele novamente, até porque não é todo dia que um milagre acontece. Recebi uma mensagem de Baekhyun e notei que já estava demorando muito, então tranquei tudo de volta e me despedi. Assim que virei de costas pude sentir o olhar de Kai me queimar, eu estava tentada a olhar para trás e encontrar com seus olhos, mas decidi ignorar e fui para o pátio. 

- Pensei que tinha ficado presa dentro da sala. - Baek brincou assim que me sentei na mesa. 

- Você nem imagina o que aconteceu. - sorri boba e ao mesmo tempo ainda impactada. - Acho que nem eu imagino direito. - fechei os olhos e suspirei. 

- O que? Um menino queria te beijar? 

- hahaha - deu um tapa fraco em seu ombro e cheguei mais perto dele. - Kai me tratou normal, não me deixou falando sozinha ou ignorou, como de costume. 

- Sério isso? Então milagres acontecem mesmo. - ele riu acenou para alguém, fazendo menção para se aproximar. - O que rolou?

- Ele estava com o Lay na porta do meu armário, eu pedi licença e ele respondeu um 'desculpa'. - Baek me lançou um olhar debochado e balançou a cabeça em negação, rindo. - O que foi? 

- S/n, pensei que tinha sido algo de verdade, e não um ato de educação. 

- Meu amor, isso já demonstra avanço. - sorri convicta e ele franziu o cenho, com um sorriso nos lábios. 

- Grande avanço. - brincou e eu ri. 

Olhei para frente e vi Suho vindo em nossa direção, meu corpo foi novamente tomado pelas sensações estranhas assim que nossos olhares se encontraram. Tentei não parecer nervosa, mas acho que o nervosismo era visível. 

- Oi S/n! - sorriu e me comprimentou, retribui o sorriso e acenei. 

- Baek, preciso ir ao banheiro. - menti - Já que daqui a pouco o intervalo acaba, não vou me encontrar com vocês. Então, não precisam me esperar. - sorri fraco e notei que Baekhyun me olhava desconfiado, enquanto Suho observava cada movimento meu. 

Isso é estranho S/n...

- Então ta, mas olha... - mexeu o dedo indicador, mencionando para me aproximar de sua boca. - Cuidado pro Jongin não aparecer na porta da sua casa e você pedir licença também. - ele riu e eu neguei com a cabeça, dando um tapa fraco em sua nuca e me despedindo. 

- - - 

Para minha sorte, o banheiro estava vazio. Então, me sentei na pia e fechei os olhos, suspirando cansada. Minhas mãos estavam tremendo e eu estava soando, as emoções não economizaram para hoje. 

Olhei para meu celular e entrei em uma conversa antiga, por mensagens, com Chanyeol. 

Eu nunca entendi o tipo de psicopata que ele era, já que psicopatas não se demonstram afetivos ou preocupados com suas vítimas. Nem muito menos se comunicam por telefone. Mas tudo bem, eu acho... 

Sai dos meus pensamentos assim que ouvi o sinal tocar, e que por azar - ou não - o meu celular também tocou. Olhei para o visor e vi o numero desconhecido que eu já conhecia de co - pelo menos eu vou poder ouvir a voz dele mais uma vez... - Sai do banheiro e me apressei para um lugar vazio, optei por ficar em uma parte do pátio e atendi o telefone. 

- Alô. 

- Oi S/n, está sentindo minha falta? - a voz rouca e ipnotizante era como uma melodia, ela me viciava cada vez que eu ouvia. 

- Por que sempre insiste em me ligar quando estou ocupada? - desviei de sua pergunta e questionei. 

- Porque eu quero. 

- Chanyeol eu vou tomar falta por sua culpa, por que não para de fazer isso? 

- Está reclamando de mais, será que se esqueceu de quem dita as regras? - fiquei em silêncio, eu sempre me esquecia do quão explosivo ele ficava quando eu fazia isso. - Não me deixe falando sozinho. 

- Não, não me esqueci.  -suspirei fraco. 

- Ótimo, mas isso nós cuidamos depois. Você está precisando de colocar os modos em prática quando fala comigo. - riu - não sou seu amiguinho S/n, entenda isso. 

- De..desculpe. 

- Não. - respondeu seco. - Isso resolvemos depois. Queria apenas te dizer que hoje você virá para cá. - meu coração bateu forte ao me imaginar ao lado dele novamente. - Preciso ver você. 

- Chanyeol, eu não sei se vou poder ir. 

- Eu não quero saber, quero que venha. 

- Mas e se me perguntarem para onde fui? O que vou dizer? 

- Invente, como fez com seu namoradinho.

- Mas e se não acreditarem?

- O problema é seu, o meu recado já está dado. 

- Chanyeol? Eu... - o telefone desligou e eu joguei a cabeça para trás, fechando os olhos e respirando fundo.

- Este é seu segredo? - ouvi uma voz familiar e me virei para trás, assustada. 

- Suho? O que está fazendo aqui? - meu peito subia e descia rapidamente, e sua expressão era de chocado. 

- S/n, você mantém um relacionamento forçado escondido? 

- O que? Não! - cheguei perto dele e neguei com a cabeça. - O que você ouviu? 

- O suficiente para saber que você está dentro de um relacionamento impulsivo.

- Não, calma, não é nada disso. 

- Então o que é? 

- Eu te conto, mas por favor Junmyeon, mantenha segredo. - pedi piedosa e ele assetiu. 

- Então comece. 


Notas Finais


Ficou pequeno? SIM
Mas me perdoem, o próximo vai vir maior.

Então, O Suho descobriu o segredo (acharam que ele não ia servir pra nada né rsrsrs) não vou contar o resto da história porque o próximo cap vai estar bem explicadinho...

De agora em diante a S/n vai ficar mais envolvida com o Junmyeon, e não se iludam com o Kai (pf)

Beijinhos sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...