História You're my flashlight. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Arrow, Legends of Tomorrow, Supergirl, The Flash
Personagens Alex Danvers, Kara Zor-El (Supergirl), Mick Rory (Onda Térmica), Raymond "Ray" Palmer (Átomo), Sara Lance (Canário Branco)
Tags Avalance, Legends Of Tomorrow
Visualizações 355
Palavras 4.683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não sou excelente escrevendo fanfic, mas me deu tanta saudade de Avalance, que eu não resisti e tive que vir escrever um pouco. Espero que gostem.

Capítulo 1 - Miss you, Gideon.


Fanfic / Fanfiction You're my flashlight. - Capítulo 1 - Miss you, Gideon.

O sol queimava seus olhos, Sara colocou a mão sobre os olhos. Havia estudantes correndo de um lado para o outro. Ela estava encostada embaixo de um pé de Amendoeira, com um livro que ela tentara se concentrar, sem sucesso. Sara e as Lendas estavam temporariamente separados. De volta a Star City, Sara arranjara um bico com seu pai e se infiltrou na faculdade de Star City, tentando acabar com um mercado de drogas novo que estavam destruindo os estudantes. Na verdade, era uma boa vida para Sara. Apesar dela sentir falta das lutas e de Gideon, Sara podia relaxar e vez ou outra, chutar uns traseiros. Com os olhos fechados, Sara viu seu campo de visão escurecer. Ela abriu lentamente um olho, pronta para mandar a pessoa sair dali, quando viu que era Zari. Que havia ficado com ela em Star City 2018. Zari, comendo um sanduíche vegano, jogou-se ao lado dela.

- Sinceramente, sinto falta da Waverider. Tive que dividir um chuveiro agora com umas dez lideres de torcida, que aparentemente, descobriram meu horário de banho. – Zari bufou. Sara riu um pouco.

- Bom, pelo menos é melhor do que ter que fingir ser amiga de uma delas, sabe. – Sara apontou para seu uniforme de líder de torcida. – As vezes, nos meus melhores momentos, me pego  imaginando minha faca rasgando a jugular delas. – Sara deu de ombros, como se fosse normal. Zari não conseguiu segurar a risada. – Tenho todas as novidades das vidas românticas delas.

- Argh! Imagino que Brad chutou a Trish, para ficar com a Tiffany.

- Oh, não. Brad chutou a Trish, para ficar com o Zac. – Sara esticou o corpo, sentando-se direito. Zari e ela dispararam à rir.

- Trish deve ter perdido toda maldade dela. – Zari comentou.

Um grupo de meninas estavam se aproximando, todas vestidas iguais a Sara, havia uma loira, alta, tomando a frente do grupo. Ambas reuniram-se em volta das duas sentadas. A mais alta olhou para Zari com desdém.

- Lance, você vai vir treinar ou vai ficar fazendo a caridade de falar com... Desculpe, qual é mesmo o seu nome? – Ela se dirigiu a Zari, que levantou em um pulo.

- Oh, deixe-me lembrar para você. – Sara segurou a mão da amiga bem na hora exata. Zari encarou Sara de cara feia. – Só pode ser brincadeira, Capitã. – Zari revirou os olhos e saiu andando na direção oposta.

- Lance. Que historia é essa de Capitã? Eu sou a Capitã do time. – Trish puxou Sara para um abraço. – Nem tive a chance de te agradecer por me ouvir.

- Não há necessidade.  – Sara deu de ombros. – Temos treino agora? Eu não sabia.

- Temos uma nova Coach. É complicado, ainda não entendo porque tiraram a Paty. Ela tinha um péssimo gosto para roupas e homens, mas era uma boa pessoa.

***

O treino das lideres de torcida era ao lado do campo de futebol. Sara realmente odiava fazer aquilo, mas a suspeita de seu pai que algum dos garotos do futebol poderiam estar contrabandeando, obrigou ela a se aproximar o máximo que podia. O sol não daria descanso nessa tarde, Sara podia sentir seu corpo começando a suar conforme ela alongava. Ela estava agachada, quando alguém apareceu atrás dela, falando quase em um sussurro.

- Muito bem, miss Lance. Vejo que não perdeu a forma durante esses meses. – Sua voz saiu aveludada, rouca e risonha.

 Sara virou-se de supetão para encarar uma Ava, de roupa de moletom encarando-a. A vontade que Sara tinha era pular em seus braços e toma-la em beijo ali mesmo, mas não poderia, sem estragar seu disfarce e toda operação do seu pai. Sara então sorriu, sentindo-se cheia de vida novamente.

- Miss Sharpe. Bem, nunca se sabe quando teremos que usar a força de novo. – Ela deu de ombros. – O que há traz aqui, Ava?

- Aparentemente, está na hora de juntar as Lendas de novo. Espero que tenha aproveitado suas férias. – Sara riu. – E também, eu estava realmente com saudade de você. – Ava deu de ombros com se não fosse importante.

- O que você me diz de matarmos a saudade no meu quarto? – Sara segurava o cordão do moletom de Ava.

- Tentador. – Ava falou rouca. – Mas seria muito errado uma professora dormindo com uma aluna. – Ela sorriu de canto. – Não quis estragar a operação do seu pai, sabe.

- Hum, alguém está fazendo média com o sogro. – Sara se divertia. – Espere, quer dizer que você é a nova treinadora?

- Achou que eu deixaria você, totalmente solta, Sara? Por favor. – Ela riu.

- Vai ser muito difícil me segurar assim, professora. – Sara falou maliciosamente a ultima palavra. Ava suspirou.

- Eu que o diga. Já se olhou nessas roupas? – Ava olhou Sara lentamente de cima a baixo.

- Até que enfim. – Alguém gritou do fundo. Sara revirou os olhos. – Você está atrasada.

- Essa é Trish, a capitã, se divirta. – Sara sussurrou se divertindo.

Ava virou-se de vez: - Para você é senhora, ou professora. E eu nunca estou atrasada, vocês estão adiantados, porque eu sou a professora. – Ela falou grosseiramente. Sara achava tudo muito sexy.

As meninas fizeram formação, enquanto Ava analisava todos os movimentos, mas seus olhos não conseguiam sair de Sara, que, para surpresa dela, era excelente como líder de torcida. Sara estava exausta no final do treino. Ava não falou muito, mas parecia se divertir extremamente com a situação. No meio do treino, um homem veio correndo em direção Ava, com os óculos caindo e cansando, como se tivesse corrido uma maratona. Sara reconheceu imediatamente Gary e não pôde deixar de sentir alegria de vê-lo de novo. Quando o treino acabou, Gary se adiantou em direção a Sara, entusiasmado até demais.

- Capitã Lance! – Ele gritou. Todas as meninas se viraram de supetão. Sara sentiu a vontade de acertar Gary invadir novamente.

- Ok, Lance. Pensei estar ouvindo coisas quando você estava conversando com aquela indigente. Mas agora o assistente da treinadora te chama de capitã, também? – Trish segurava uma garrafa de água.

- Ele se equivocou. Não é nada demais. – Sara deu de ombros.

- Miss Lance, poderíamos trocar uma palavrinha? – Ava chamou, interrompendo qualquer fala de Trish.

Sara seguiu seu caminho junto com Ava e Gary, que havia se desculpado algumas vezes pela gafe. Ava havia trazido a waverider de volta para ela, estava estacionada no campus, camuflada. A noite poderia voltar para sua cabine e rever Gideon. Um estudante de futebol correu em direção a Sara, suado e sem camisa. O rapaz possuía um perfil atlético e seu cabelo preto reluzia com o vento. Ava mirou ele de cima a baixo. Assim como Gary. Sara sorriu encantadoramente para ele.

- Ei, Sara. Não vi você o dia todo. Festa hoje, passo no seu dormitório? – Ele segurou a mão de Sara.

- Matt, ei. Eu estive ocupada... Nos encontramos lá na festa, ok? – Ela soltou sua mão e seguiu, sem deixar tempo de resposta para ele.

- Então... – Ava virou a cabeça para ela.

- Ele não é novo demais, capitã Lance? – Gary parecia preocupado.

- Ele tem idade suficiente, Gary. E eu não estou dormindo com ele. Eu tenho na-mo-ra-da. – Sara soletrou, arrancando sorriso de Ava. – Só me aproximei porque precisava de uma entrada.

Eles atravessaram o campus e do outro lado, muito diferente de Sara, que estava vestida de líder de torcida, estava Zari, com uma calça preta e uma camisa xadrez azul, seu cabelo preso em coque. Ela levantou os olhos para Sara, quase sem acreditar quem estava acompanhando ela. Zari deu um pulo e abraçou Gary.

- Oh, oh, essa era a recepção que eu esperava.

- Graças a Deus! Não aguentava mais um dia aqui. Quando iremos? – Zari parecia ansiosa. – Digam que a waverider está por aqui, preciso de um banho particular.

***

Sara recolhia as coisas do seu quarto, para levar de volta a Waverider. Ava estava encostada na mesa de estudos, observando Sara arrumando sua caixa. Fazia meses que Ava não via Sara e não fazia ideia de que pé estava a relação delas. Da ultima vez, trocaram ‘eu te amo’ e a promessa de se ver de novo. De todo esse tempo, Ava só conseguiu escapar da Agência do Tempo uma vez para ver Sara. Mas Sara parecia extremamente calma em relação a distância delas.

- Então... Quer dizer que era aqui que você dormia, sozinha, todas as noites? – Ava tentou disfarçar sua pergunta. Sara sorriu de canto e parou de arrumar as caixas.

- Tem algo que você queira me perguntar, miss Sharpe? – Sara cruzou os braços e parou na frente de Ava.

- Não. Nada. – Ava desconcertou.

- Se você está querendo saber, se eu dormi com alguém, eu posso te garantir que não. – Sara se aproximou de Ava. – Eu falei sério, sobre namorar você. E eu não costumo trair.

- Não que eu duvidasse disso. Mas não sabia como ficamos, no final de tudo. – Ava segurou Sara pela cintura e puxou seu corpo para mais perto. – Se eu era realmente, sua namorada.

- Isso significa que você dormiu com outras pessoas? – Sara fez cara de brava, mas segurou o riso. Ava engasgou.

- Claro que não, Sara. Esse tempo todo, só pensava em voltar para você. – Ela deu de ombros.

- Bom! Porque eu tenho energia acumulada de meses que pretendo gastar com você. – Sara roçou os lábios próximos ao ouvido de Ava, mordiscando de leve.

- Sara...

Ava não esperou por Sara tomar a iniciativa, seus lábios se chocaram, o gosto tão compatível de suas bocas. Sara sentiu seu estomago revirar de felicidade. Não esperaram ter aval uma da outra, Sara corria suas mãos urgentemente, pelo corpo de Ava. Faziam meses que estavam distantes uma da outra, seus corpos soltavam corrente elétrica, fazendo-os vibrar um com o outro. As roupas estavam no chão, ambas na cama de Sara, lutando uma contra a outra para ver quem assumiria o controle primeiro. Sorrisos que não deixavam dúvidas da felicidade de estarem novamente uma nos braços da outra. Elas não faziam amor, era sexo. Era tesão. Sem romantismo nenhum. Era a necessidade urgente de dar ao corpo, o que ele queria. Não sabiam quanto tempo haviam ficado no quarto, mas pela janela já não havia mais sol. Ava estava enroscada no corpo de Sara, deslizando seus dedos no pescoço dela, molhado de suor. Sara tinha os olhos fechados, como se quisesse gravar o momento que estava vivendo, para não escorregar pelo seus dedos. Apenas um fino lençol cobria partes do corpo das duas.

- Então, eu não perguntei antes, mas nossas férias foram revogadas? – Sara colocou o cabelo suado de Ava atrás da orelha.

- É bem, podemos ter um problema maior do que apenas anacronismos causados pela brilhante ideia de soltar um demônio. – Ava encarou Sara, tentando fazer cara de brava.

- Bem, isso é culpa minha. – Sara deu de ombros. – Constantine havia comentado algo sobre coisas mais sérias, mas não queríamos estragar Aruba.

- Ele tem sido muito útil e muito irritante também. Gary tem aproveitado bastante. – Ava riu.

- Então, Gary, sério? – Sara se divertia.

Uma batida na porta interrompeu as duas. Ava deu um pulo, sentando na cama. Sara passou por cima dela, acalmando e puxou um lençol para seu corpo. Uma voz grossa atravessava a madeira.

- Lance! Matt está te procurando. Vamos, temos uma festa para ir. – Era Brad.

- Droga. – Sara revirou os olhos. – Já estou indo. Encontro você lá.

- Abra a porta, Lance. Sou eu. – Brad segurou na maçaneta mas Ava correu e prendeu a porta.

- Estou acompanhada, Brad. Já estou indo!

Não precisou de muito para o garoto ir embora. De todos, ele era o único que Sara realmente gostava. Ela olhou para o relógio pendurado na parede. Olhou para uma Ava inteiramente nua encostada na porta do seu quarto e sorriu maliciosamente. Deixou seu lençol cair no chão, expondo seu corpo, o que fez Ava arfar um pouco. Sara se aproximou lentamente de Ava, deslizando a mão pelo pescoço da loira e descendo. Ava segurou a respiração.

- Sara. Tenho certeza que seu pai iria querer você lá. – Ava tentava se segurar, sem muito sucesso.

Sara não ouvia mais, sua boca estava muito ocupada. Ava arqueou a cabeça para trás e percorreu com as mãos em cima da escrivaninha, procurando apoio. Não durou muito tempo, entretanto, quando um Gary abriu seu portal do tempo para dentro do quarto e pegou as duas de susto. Gary soltou um grito tão histérico que qualquer um poderia ter ouvido. Sara jogou-se na frente de Ava, tapando a visão, porém ficando totalmente exposta. Gary evitou o olhar, mas não conseguiu, soltando um nervoso “Capitã Lance.” Quando Ava puxou o lençol para elas duas.

- Gary, posso, pelo amor de Deus, saber o que faz aqui sem aviso prévio? – Ava estava vermelha de tão furiosa. Sara achava graça na situação.

- Bom, veja bem, todas as Lendas estão reunidas na Waverider esperando vocês. – A mão de Gary tapava seus olhos. – Eu vou indo agora, não demorem, não demorem. – Ele ia se retirando, quando Sara chamou.

- Gary, diga que estou mandando eles se vestirem para uma festa na república. E Gary, já encontro vocês lá. – Gary não falou mais nada, apenas abriu o portal novamente e se retirou. Sara começou a gargalhar sem parar e Ava parecia que ia soltar fogos pela boca. – Vamos Ava, acho que traumatizamos mais ele do que ele a nós. – Ela deu um selinho em meio a risada em Ava, que ao ver Sara feliz desse jeito, não conteve um sorriso.

- Bem, eu espero que ele esteja mesmo. – Ava deu de ombros.

***

Com todos seus pertences de volta a waverider, Sara já vestida como devia, seguiu para a ponte, um pouco ansiosa para reencontrar seus velhos amigos. Nate estava vestido com roupa de jogador de futebol. Ray, o mesmo nerd de sempre. Rory, bom, sendo Rory. Zari decidiu que hoje, ela iria como Zari, o que não muda muito do seu disfarce do dia a dia. Até mesmo Gary estava arrumado parecendo um nerd de colegial. Sara riu. Constantine por outro lado, não deixou de lado seu excêntrico traje. Todos eles se viraram para ver Sara chegar. Uma felicidade invadindo a Waverider, por juntar as Lendas de novo.

- Bem vinda, capitã. – A voz de Gideon ecoou na nave. Sara soltou um suspiro de felicidade. – Bem vindos, Legends.

- Gideon, você não faz ideia de como é bom ouvir sua voz de novo. – Zari deixou esparramar no painel como se tivesse abraçando a IA.

- Bem, love, qual o plano? – Constantine tinha um cigarro apagado na boca.

- Bem, é bem simples na verdade, pegamos o traficante, entregamos de bandeja policia de star city e vamos embora. – Sara balançou os ombros.

- Não, não, não. – Nate comentou dando círculos e chegando junto de Sara. – Não passamos MESES longe para ouvir você fazer isso.

- É Sara, você tem que fazer, sabe. – Ray demonstrou com as mãos. Ava deu uma risadinha para Sara.

- Ok, ok, Lendas! Vistam suas melhores roupas, pois hoje iremos para uma festa universitária chutar a bunda de uns universitários. – Sara virou e saiu andando na frente, com o time as suas costas.

- Era disso que eu tava falando. – Gary comentou para Constantine.

- De fato, motivacional. – Ele comentou.

Quando eles chegaram na fraternidade, antes de entrar, observaram de longe, quando Zari soltou: - Sara, nós vamos disfarçados? – Todos olharam para ela ansiosa. Eles estavam em formação. Finalmente as Lendas estavam juntas de novo. Sara podia sentir os olhares começando a se reunir em volta deles. Sara sorriu de canto.

- Não. Hoje nós entramos como Lendas. – E começaram a marchar em direção a festa.

- E se estragarmos alguma coisa, será para melhor. – Nate disse decidido.

- Ainda usamos esse lema? Achei que tinha ficado no ano passado. – Wally indagou confuso.

Na frente da fraternidade, estavam todos os interessantes reunidos. Todos que Sara realmente queria pegar no final da noite. E Brad. Que ela torcia silenciosamente para não estar participando de nada. As lideres de torcida, distribuídas em colos de jogadores de futebol. Todos pararam por um momento, quando Trish deu um salto em direção a Sara, bloqueando a entrada. As líderes seguiram. Sara bateu frente a frente com Trish. Marieta, melhor amiga de Trish alinhou do lado da loira. Zari fez o mesmo com Sara.

- Você está atrasada, Lance. E com excesso de perdedores. – Trish olhou com desdém para Zari.

- Esses são meus amigos, Trish. Deixe-me apresenta-los, as Lendas.

- Lendas? – Matt se meteu na conversa. – Mas que merda é essa?

- Não podemos entrar em detalhes com civis, sabem como é né. – Gary soltou uma piadinha. Sara queria recriminar mas até que gostou. Ava por outro lado, mandou ele ajeitar a grava.

- Eles são meus amigos, Mick Rory, Ray Palmer, Zari Tomaz, Nate Heywood, Wally West, Ava Sharpe, Constantine e Gary.

- Quem diria, Sara fucking Lance, faz parte de um grupo de estranhos. – Trish pirraçava. – Bom, vocês não podem entrar.

- Ela foi tão convidada quanto você, Trish. – Brad se interpôs.

- Eles cheiram a polícia. – Ricky, capitão do time de futebol, parou atrás de Trish.

- Eles não vão dedurar você, Ricky. Deixe eles passarem. – Brad se meteu na frente e acabou levando um empurrão.

- Cala a boca, engomadinho. Não sei o que você faz no time de futebol ainda. Subornou quem?

- Ninguém se importa com sua rede de tráficos, Ricky. – Trish falou baixo, mas audível para todos. – Eu só não quero eles na minha festa, porque Lance aqui, acha que pode roubar meu manto de Capitã.

Sara revirou os olhos: - Por favor, Trish. Você acha mesmo que eu queria ser capitã das lideres de torcida? Eu nem queria estar lá. – Sara deu de ombros, virando pras Lendas, que estavam rindo.

- Esse é meu time. E eles são excelentes. – Mick acabara de arrotar uma cerveja que ele tinha conseguido. – Bom, excêntricos mas excelentes. – Sara cruzou os braços.

- Passa as drogas, antes que eu tenha que ir ai arrancar de você. – Mick deu mais um gole da cerveja. – Pensando melhor, me faça ir ai arrancar de você.

- MICK! – O grito foi conjunto.

- Que?

- Era pra ser disfarçado, será que você não entendeu?

E então um estrondo ecoou do céu. Algo muito estranho caiu praticamente na frente deles. Possuia garras e tinha três vezes o tamanho de qualquer pessoa ali. Ouviu-se gritos atrás deles. A coisa rugia alto.

- Para dentro, vamos! Não saiam até eu dizer que podem sair.

Trish e os outros obedeceram Sara sem pensar duas vezes, trancaram-se na casa da fraternidade. A musica havia sumido, o silencio pairava. Sara e as lendas estavam despreparadas para ela luta, mas não poderiam deixar um monstro gigante em Star City. Sara mandou Ray e Rory buscar suas armas. Ela pegou sua arma. Deu a outra metade para Ava. Gary correu para dentro da fraternidade também. Constantine, Zari e Nate continuavam ali. Nate em aço.

- Bem, love, só eu e você sem super poderes, han? – Constantine deu um sorriso para Zari.

- Isso é...? – Zari não completou.

- Um alienígena. – Sara analisava ele cautelosa. – Onde está Barry e os outros?

Mas Barry não apareceu. Nem Oliver. Quem surgiu do ar, foi uma nave e uma mulher voando com uma capa. Sara não pôde deixar de sentir alivio. Supergirl voou direto no Alienigina, derrubando ele com um murro. Mas ao fazer isso, o monstro se dividiu em dois monstros da mesma estrutura. Um murro atingiu Kara que caiu nos pés de Sara. Sara estendeu a mão para ela, que levantou sorrindo.

- Sara? Que bom rever você. Mesmo nessas circunstâncias. – Kara abraçou Sara rapidamente.

- Supergirl. – Sara falou em alivio. – Você não faz ideia de como estou aliviada de você aparecer. – Elas riram.

- Ei! – Alex vinha empunhando armas grandes demais para seu corpo, pelo menos foi o que Sara observou. – Sara, ei. – Alex cumprimentou o resto dos Legends, mas faltou Ava.

- Oh, essa é Ava, minha namorada. Essa é Alex Danvers e Supergirl. – Ava estava muito confusa. – O que você não sabe, porque ainda não contei.

- Resumindo? Elas são de outra Terra, foram sequestradas por Nazis de outra Terra, nos conhecemos nesse momento de calor.

- Oh! Tudo bem. – Ava sorriu, estendendo a mão para todas. Quando apertou a mão de Kara fez uma careta. – Você é forte.

- Desculpe! – Kara falou rápido. – Podemos agora?

***

Sara estava sangrando um pouco. Ava tinha uma boca roxa. Kara seguia intacta, porém abalada. Alex também sangrava por um supercilio quebrado. Rory estava desmaiado no chão, recuperando a consciência. Zari talvez tivesse uma ou duas costelas quebradas. Nate estava igual a Kara. Ava seguiu até Sara, examinando o sangramento de um corte profundo com a unha do alienígena. Estavam exaustos. Kara, aparentemente a única animada o suficiente para dar a volta voando no perímetro. A porta da casa abriu de repente, com todos os adolescentes que Sara conviveu durante meses. Gary havia prendido Ricky, o que nunca na cabeça de Sara isso ia passar. Alex aproximou-se dela.

- Espero não ter estragado sua festa. – Ela sorriu.

- Danvers, você me salvou do tédio. – Sara riu. – Então, como você está? E Maggie? Era o nome dela?

- Terminamos por um tempo, mas, você sabe... A saudade falou mais alto. – Alex mostrou o anel de noivado. Sara não pôde deixar de sentir uma felicidade. – E você, Ava, ein? Ela é incrível lutando.

- É, bom, eu tenho um bom gosto para mulheres. – Sara piscou. Alex corou um pouco.

- LANCE! – Trish saiu correndo. – Não se atreva a ir embora sem nos explicar.

- Eu posso cuidar disso, Diretora Sharpe. – Gary se adiantou com o apagador de memórias.

- Não, Gary! – Sara falou. – Eu e Zari devemos uma explicação para eles. E depois você fica a vontade.

- Eu devo? Não devo não. – Zari deu de ombros. Mas a cara feia de Sara fez ela andar até Trish resmungando. – Bom, como você pode ver, com seu cérebro brilhante de líder de torcida, que não somos quem dizíamos ser. Estavamos aqui para prender Ricky. Gostaria de dizer que foi um prazer, mas não foi. Tchauzinho.  – E Zari virou as costas, deixando Trish sem palavras. Sara se esforçou para conter uma risada.

- Resumindo, é isso ai mesmo. Mas nem tudo foi mentira. Espero que você melhore, Trish. – Sara segurou no braço dela. – Brad, foi um imenso prazer te conhecer. Se você precisar de qualquer coisa, aqui. – Sara deu o numero real dela para ele. – Matt, desculpa te enrolar por tantos meses. – Sara deu de ombros. – Eu namorava.

- Você me disse que era virgem e queria ir devagar. – Ele soltou. Fazendo todas as Lendas pararem e olharem para Sara. Incluindo Ava, Alex e Kara.

- Virgem, love? – Constantine se meteu. -  Sério? Só aqui você dormiu com duas pessoas. – Sara deu um murro no ombro dele de leve.

- Três, na verdade. – Mick apontou para Alex. O rosto de Ava virou instantaneamente. Alex acenou sem graça.

- Não acredito que fui tão ingênuo. – Matt se lamentou.

- Bem, não se culpe, ela é excelente em seduzir mesmo. – Constantine continua a falar. Alex e Ava concordaram com a cabeça e se olharam em seguida. - Vamos indo, loves, Zari disse que quer tomar banho ainda hoje. – As lendas riram.

- Eu já tomei, para sua informação. – Zari reclamou.

***

Já na Waverider, cada um novamente estabelecido, eles faziam uma confraternização na área. Até Gideon participava as vezes das conversas. Sara, Ava, Zari, Kara e Alex estavam reunidas na mesa sentadas, conversando. Sara atualizou Kara e Alex de tudo que havia ocorrido desde a ultima vez que se viram, Kara e Alex fizeram a mesma coisa. Ava no começo não havia gostado de Alex, mas no fundo ela sabia que era ciúmes. Era muito difícil não gostar da Alex. Mesmo que ela e sua namorada já tivessem dormido juntas.

- Espero sermos chamadas para o casamento, Alex. – Sara deu um gole no seu whisky.

- Eu espero que não sejamos pegos de surpresa por nazistas, de novo. – Todas riram.

- Mas talvez a gente precise de vocês um pouco antes. – Kara comentou, saboreando o drink que Mick fez para ela. – É realmente gostoso, sabe.

- O que houve? – Sara sentou-se próxima a Alex, de frente para Kara.

- Estamos com uma equipe de vilões com super poderes em National City. Mas temos a Supergirl e Superman.

- É, mas dessa vez não sei se é suficiente. – Kara dava goles violentos. – Para um incendiário ele faz uma bebida muito boa.

- É, são duas coisas que ele realmente entende. – Sara deu de ombros.

Ava surgiu no ambiente que estavam as três, Sara não havia percebido que ela tinha saído na verdade. Não sabia se ela estava chateada, mas não conseguiria dizer agora. Ava cambaleou um pouco ao subir o degrau. Sara observou sem falar nada. Ava aproximou-se de Sara e puxou ela pela mão, sem falar nada com ninguém.

- Tenho duas perguntas. – Ela falou, meio embolada. Sara não conseguia acreditar que Ava pudesse estar bêbada. Sara balançou a cabeça para ela prosseguir. – Existe alguém que você não dormiu? Não sinto ciumes sabe. – Ava balançou as mãos. – Mas nossa senhora. – Ela apoiou a mão na cintura e olhou de Kara para Sara. – Alienígenas? Sério? Meu deus!

Sara riu com as duas perguntas: - Em primeiro, eu não dormi com muita gente. Em segundo, tem muitos outros e nem todos são bonitinhas e felizes iguais a Kara.

- Ela é bem feliz né? – Ava cambaleou um pouco e se segurou no ombro de Sara. Sara olhou intrigada.

- Diretora Sharpe, você está bêbada? – Sara se divertiu com a situação.

- Claro que não. – Ava cruzou os braços. Tentando manter a postura perante Sara.

- Está sim! – Uma voz gritou enquanto passava pelo cômodo.

- Senhorita Tomaz, isso é uma conversa privada. – Mas a frase parecia mais longa do que de fato foi para Ava. – Com licença.

- Zari, venha aqui. – Sara chamou, rindo da situação. Alex e Kara também se aproximaram.

- Está tudo bem? – Alex perguntou.

- Está tudo ótimo, Alex. – Ava falou o nome de Alex devagar. Alex tentou não rir do ciúmes da loira.

- Zari...? – Sara olhou para a amiga.

- Ava e Mick disputaram quem bebia mais e mais rápido. Bom, olha aí o resultado. – Zari apontou para Ava, rindo.

- Em minha defesa, eu acho que fui muito bem. – Ava ia caindo para o lado, quando Sara segurou na sua cintura, puxando o corpo dela para ela.

- Foi mesmo. – Zari deu de ombros. – Mick está desmaiado na cozinha.

- Miss Sharpe, muito bem. – Sara ia dar um selinho em comemoração mas Ava se afastou.

- Melhor não, melhor não. - Sara entendeu como a deixa para levar a namorada para o quarto.

- Bem, eu vou indo com Ava. Zari, faça Alex e Kara se sentirem em casa... E Kara, temos roupas se você quiser. Zari vai te mostrar tudo. – Alex segurou no braço de Sara concordando e agradecendo.

- Obrigada, Sara.

Sara levou uma Ava embriagada para sua própria cabine. Ava conhecia, apesar de não entrar lá havia algum tempo, nem Sara na verdade. Mas tudo estava do jeito que ela deixara. Ava não deu muito trabalho para Sara, apenas precisou de ajuda para tirar as roupas e jogou-se na cama, sem roupa alguma. Sara pôde admirar o corpo perfeito da loira, mas riu com a situação que se encontrava Ava Sharpe. Sara tirou as próprias roupas, deitando-se do lado da loira. Sara cobriu ambas com um grosso edredom. Não demorou muito tempo para Ava aninhar-se no corpo quente de Sara, deitando sua cabeça no peito nu da loira. Ava levou seus lábios no pescoço de Sara e beijou carinhosamente, ainda bêbada e em um sussurro quase inaudível, Ava falou algo que fez o coração de Sara parar por alguns segundos.

- Eu amo você, também, Lance.  


Notas Finais


Desculpem os erros, não revisei :(
Espero que tenham gostado e continuem comigo. hahaha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...