1. Spirit Fanfics >
  2. You're My Light - Jungkook >
  3. Será?

História You're My Light - Jungkook - Capítulo 35


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii♡

Me desculpem o atraso e o capítulo pequeno, mas... Vocês sabem, o tempo me odeia. Enfim...

Espero que gostem😉

Capítulo 35 - Será?


Fanfic / Fanfiction You're My Light - Jungkook - Capítulo 35 - Será?


[Nancy]

Eu e Jungkook ficamos um bom tempo abraçados, chorando juntos. Ele chorava feito uma criança e eu percebi a sua alegria. Quando nos separamos ele envolveu os meus lábios em um beijo apaixonante e desceu para beijar também a minha barriga, coberta pelo tecido um pouco grosso da blusa. Por fim um selar em minha testa e me conduziu para sentarmos no sofá. 

Ele enxugou as lágrimas que ainda escorriam pelo seu rosto e as minhas também, deu-me um sorriso lindo e passou um tempo observando a caixa em sua mão, juntou os dois sapatinhos e eu mostrei o teste. Ele começou a chorar de novo e colocou a mão em minha barriga fazendo ali um certo carinho.

Quando descobriu? – perguntou olhando em meus olhos.

Hoje. – comecei e seus olhinhos brilhavam. – Eu tava vomitando e com tonturas desde ontem, então assim que eu saí da escola eu fui na casa da Yoo Mi e ela mandou eu fazer o teste.

Então a Yoo Mi sabe? – surpreso ele arregalou os olhos e me olhou atentamente.

Sim!

E o Jimin-hyung...? – tinha um certo medo em sua pergunta, é, confesso que eu também estava morrendo de medo.

Temos que contar pra ele... – falei e vi ele engolir em seco.

Não podemos simplesmente pagar duas passagens só de ida para um país distante, tipo o Brasil, e nunca mais voltar pra Coréia?!!? – seu sarcasmo me fez rir e ele coçou a cabeça receoso.

Jungkook, eu entendo o seu medo, eu também estou, mas precisamos algum dia enfrentar o meu irmão.

Precisamos enfrentar agora...? – arqueou as sobrancelhas e soltou um "ufa" quando eu neguei com a cabeça. 

Mas tava pensando em contar nesse final de semana, o que acha? – dei um sorriso confiante e ele assentiu derrotado.

Espera... – ele sorriu esperançoso e pensou um pouco... – A gente pode esperar a sua barriga crescer e não contar nada pro Jimin, ele vai descobrir por si só...

Ele vai querer te matar do mesmo jeito... – falei simples e vi seu sorriso se desmanchar rapidamente e me olhou com uma cara de tacho. 

Desse jeito você só tá aumentando a minha vontade de ir pro Brasil... – franziu o cenho e sorriu sapeca.

Amor, vai dar tudo certo. Uma hora o Jimin vai ter que aceitar isso, e se não aceitar também não importa. O importante é que eu tenho você.

Claro que você me tem. – era uma frase tão pequena, mas com um significado tão imenso, e eu tive a mais plena certeza de que eu queria aquela criança comigo, conosco.

Ah, Kookie, você não sabe o quanto eu fiquei com medo quando descobri que tava grávida,  pensei em diversas coisas, pensei em rejeitar esse bebê, e não sabia como iria ficar quando você descobrisse, fiquei com medo de você não aceitar, de você não querer, de você não me amar mais... – disse tudo o abraçando e deixando algumas lágrimas rolarem, ele me abraçou mais forte e depois fez com que eu olhasse em seus olhos e foi o que eu fiz.

Não pense essas coisas, eu estou muito feliz, já aceitei e quero esse filho. – uma mão acariciava meu rosto e a outra a minha barriga e o seu olhar me passava confiança. – Eu nunca, NUNCA vou deixar de te amar, ouviu bem?

Meu choro era de felicidade agora e Jungkook passava seu polegar em meu rosto para enxugá-lo. Um pequeno selar acabou virando um beijo calmo e a mão dele ainda continuava ali, em minha barriga. Ouvi sim, Kookie, e era tudo o que eu mais queria ouvir, meu amor...

[...]

A semana estava passando um pouco rápida, já era quinta feira e combinamos de contar ao Jimin sobre a minha gravidez no sábado assim que Jungkook chegasse do trabalho. Pedi a Yoo Mi que não contasse a ninguém ainda, nem Emily e Lia sabiam. Queria contar para todo mundo depois de contar para o Jimin, assim ele não ficaria mais furioso em descobrir que foi o último a saber de tudo.

Jimin tentou me levar ao hospital porque ele acordou algumas vezes de madrugada para segurar meu cabelo enquanto eu vomitava e ele disse que aquilo não era normal. Coitadinho, mal sabe ele que é normal sim e que eu carrego um serzinho na minha barriga. 

Como na quinta feira eu não tenho que dar nenhuma aula no turno da tarde, resolvi ir visitar a minha vózinha, fiz ligação e ela disse que estaria em casa e que tava morrendo de saudades, eu não estava diferente.

Arrumei minhas coisas, dei um beijo no Jimin e chamei um táxi. Minutos depois eu já estava apertando a campainha da casa dela e segundos depois a porta foi aberta me dando a visão dela com roupas confortáveis e um avental em si, presumi que estava cozinhando.

Ela me envolveu em um abraço tão apertado que eu quase fiquei sem ar. Era recíproco todo o amor e carinho que eu recebia da mesma.

Um cheirinho bom exalava pela casa toda, era lasanha. Vovó sabia que era um dos meus pratos favoritos e quando eu disse que ia visitá-la, com certeza correu para fazer tudo. Fui seguindo o cheiro até a cozinha e ela me fez sentar a mesa e disse que estava quase pronto. Ajudei ela a arrumar a mesa e já estávamos saboreando da magnífica lasanha.

Meu Deus, vó, tá uma delícia! Há tempos que eu não comia sua lasanha... – dei uma garfada na comida e minha vó me observava com um sorriso imenso no rosto.

É, você e seu irmão deveriam vir aqui mais vezes... – disse num tom de brincadeira, mas no fundo eu sabia que ela se sentia realmente muito só, e que eu precisava, de fato, vir aqui mais vezes.

Desculpa, vózinha, é que as vezes é complicado.

Tudo bem, eu sei... Mas, alguma novidade? – perguntou curiosa e sua expressão revelava isso.

Tenho sim! – gritei animada e pulei da cadeira para lhe dar um abraço. 

Então tá esperando o que pra contar? 

A senhora tem que me prometer que não vai contar, em hipótese alguma, para o Jimin e nem pra mais ninguém.  Promete? – perguntei meio receosa, pois ela não sabia esconder coisas do Jimin.

Prometo! Isso tem a ver com o seu namorado lindão? – perguntou simples e eu a encarei indignada.

COMO ASSIM?!

Vóóóóó! – gritei e a mesma se assustou com o meu ato repentino.

Ué? Tem ou não tem? – foi direta e eu estava pasma.

Sim, tem... – falei derrotada, não iria conseguir vencer a minha vó nunca.

Então conte...!

Eu estou grávida! – meu coração acelerava cada vez mais e mais e o jeito que ela me olhava não dava para saber se era de aprovação ou de reprovação.

Agora de verdade eu estou com medo, se vovó ficou daquele jeito, imagina o Jimin que ficou pistola só com um simples gostar e agora então...

O silêncio era agoniante e não saber o que ela pensava era mais agoniante ainda. Sua expressão me dava um misto de sensações que eu não sei distinguir qual é. 

Será que ela vai surtar que nem o Jimin?! Será que ela vai me aceitar?! Será que... Será?!

SERÁ?!



Notas Finais


Será?

E aí, gostaram? Espero que sim, hein😆
Até o próximo capítulo.
Beijuuuu ❤💜❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...