História You're My Little Cat (Hiatus) - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Cat, Híbrido, Hoseok, Hybrid, Jikook, Jimin, Jungkook, Jungkook!top, Kookmin, Namjin, Namjoon, Seokjin, Taehyung, Vhope, Vhopega, Yoongi, Yoonseok
Visualizações 2.624
Palavras 3.796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Parece que eu voltei ao meu ritmo normal de passar anos sem atualizar, mas pretendo me recuperar desse problema kdsjhvs Tirando a parte que eu geralmente tenho um motivo para atrasar -cof cof estudos, vida social, saúde meio errada, etc- ME DESCULPEEM
Espero que gostem desse cap ~
Boa leitura bbs

Capítulo 32 - A maior prova de amor.


Fanfic / Fanfiction You're My Little Cat (Hiatus) - Capítulo 32 - A maior prova de amor.

— Eh, Jungkook...? — o amorenado tomou coragem para se pronunciar após um longo tempo observando o Jeon, este que estava bem a sua frente, cobrindo o rosto com as mãos numa tentativa de esconder o próprio nervosismo.

— Hum — respondeu abafado, de cabeça baixa. Se, por acaso, eles fizessem parte de um desenho animado, com certeza daria para notar a aura pesada exalando no local.

De fato o de fios negros estava completamente desestabilizado, mas Taehyung também não ficava muito para trás, principalmente porque era ele quem estava ao lado do gatinho. O Kim não se sentia nem um pouco bem.

Aquele clima definitivamente estava péssimo.

Depois de todo aquele alvoroço e correria após o desmaio de Jimin bem no meio da loja, Taehyung recebeu ajuda de algumas pessoas que presenciaram o ocorrido e, felizmente, conseguiu avisar ao mais novo que estava levando o híbrido imediatamente para a emergência.

Era para aquilo ser um dia normal e divertido. O amorenado estava animado por finalmente poder sair sozinho com Jimin, como bons amigos, e comprar presentes para o bebê que estava sendo gerado com tanto amor.

Como Yoongi e Hoseok tinham muitos afazeres e queriam marcar presença de alguma forma, apenas contribuíram com as finanças e pediram para que o Kim comprasse as melhores coisas para o gatinho.

Tudo estava planejado, era para ser legal.

Mas não foi.

Como o esperado, Jungkook quase teve um ataque quando recebeu a ligação de Taehyung e foi em disparada para a emergência.

Atualmente, ambos estavam sentados na cadeira do hospital, completamente tensos, aguardando notícias do que diabos havia acontecido com o gatinho. O Jeon sequer conseguia pensar no motivo daquele desmaio de tão nervoso que se encontrava.

— A culpa foi toda minha, eu não devia tê-lo deixado ficar atrás de mim em nenhum momento. Acabei me empolgando tanto que me distanciei e só pude me dar conta do que estava acontecendo quando o Jimin já tinha caído — mexeu os dedos, envergonhado.

Não era como se a parte de ter ocorrido uma queda fosse a mais importante. Naquele momento, eles só queriam saber o porquê do ruivinho desmaiar repentinamente, mas, de qualquer maneira, Taehyung se sentia na obrigação de se desculpar, afinal além de debilitado, o menor iria acordar com um belo galo na cabeça.

— Para de besteira, Tae. Se tiver algum culpado aqui, sou eu — levantou a cabeça e encarou o amigo — Eu sou o responsável pelo Minnie e achei que estaria tudo bem em deixa-lo um pouco livre de mim por um tempo, mas como sempre, minhas decisões são as piores.

— Claro que não! Não é isso, é só que... aish, esquece — era melhor que não alimentasse qualquer sentimento de culpa, não queria que Jungkook acabasse se afundando ainda mais na decepção por si mesmo — Como... você está?

 — Ah, acho que melhor... antes eu estava mais desesperado — respondeu aéreo, achando que conseguiria disfarçar o quão ainda continuava completamente desesperado. Não queria preocupar o amigo, mesmo com tudo indicando seu péssimo estado.

— Você não me parece nada bem, mas eu vou fingir que não sei disso porque você não quer que eu saiba — suspirou, vendo os ombros do mais novo tensionarem — Apenas... vamos esperar o doutor dar alguma notícia. Tente relaxar um pouco — sugeriu, mesmo sabendo que Jungkook nunca conseguiria relaxar numa situação daquelas — Que tal irmos ao refeitório? Eu posso comprar algo para a gente. É melhor do que ficar nessa expectativa agoniante.

O moreno não pôde evitar um pequeno sorriso no meio daquela inquietação toda. Mesmo que Taehyung também se sentisse horrível e já tivesse sacado que ele não estava em condições de simplesmente tentar pensar em outra coisa que não fosse o seu gatinho desacordado, estava fazendo de tudo para animá-lo.

— Eu já comi em casa, estou um pouco cheio — mentira, ele sentia seu estômago reclamar de tão vazio, entretanto tinha consciência de que nada entraria numa situação nervosa como aquela — Mas eu ficaria feliz e mais tranquilo se você fosse.

— Tem certeza? — perguntou receoso — Não é uma má ideia?

— Claro que não. Eu também preciso... sabe, pensar um pouco sozinho — sorriu amigável — Qualquer novidade eu aviso. Não é justo que você fique aqui sentindo a minha neura. Você vai ficar melhor se sair um pouco.

— Tudo bem... — decidiu não insistir naquilo. Jungkook tinha cabeça o suficiente para saber o que queria e ele não podia fazer nada quanto a isso — Fique bem. Não vou demorar muito — levantou, dando uma tapinha nas costas do moreno e rumando rapidamente para o local onde poderia se alimentar um pouco depois de tanto tempo.

Aos poucos, junto ao silêncio perturbador, o rosto simpático do Jeon foi caindo, o sorriso pequeno o deixou como se nunca houvesse existido e tudo pareceu o tomar como uma avalanche impiedosa.

— Droga — murmurou quando se certificou de que se encontrava sozinho e poderia tomar uma aparência péssima sem preocupar ninguém — Porque tantas coisas ruins acontecem? — cerrou os dentes e contraiu as mãos com força — O que eu faço com isso? — bateu no próprio peito e fechou os olhos.

Julgando pela velocidade em que seu coração palpitava e a respiração acelerava, provavelmente o sangue corria o mais rápido possível pelas suas veias. Aquilo não era um bom sinal.

Certamente não estava nada bem. Tudo em si estava embrulhado e indicando que, caso não procurasse se acalmar, acabaria tendo uma crise ali mesmo.

A cada dia novo que se passava, Jungkook tomava consciência do quão aquela gravidez era complicada. Não que fosse ruim, mas era preocupante. Ele havia se transformado num paranoico e vivia na cola do ruivinho por pura insegurança. Não se perdoaria se algo grave acontecesse, mas também se sentia terrível por acabar tirando a liberdade de Jimin, este que, dentro da sua inocência, sempre fazia questão de reclamar por se sentir tão sufocado.

Não era bom viver preocupado daquela forma, muito menos sufocando alguém que amava como estava fazendo. Certas vezes, o Jeon tentava evitar que seu lado protetor agisse de maneira invasiva demais e rezava para que nada acontecesse de ruim enquanto deixava Jimin respirar um pouco, ter privacidade.

Por um bom tempo, o gatinho não passou por mais nenhum problema desde o incidente com os vômitos, então aquilo já deixava o moreno menos maluco, mas como ele iria respeitar o espaço do híbrido a partir dali? Ele nunca conseguiria deixar Jimin um pouco livre sabendo que o pequeno tinha chances de sair por aí desmaiando repentinamente.

Ah, sério, estava tudo uma bagunça.

— Hey, Jungkook? — o doutor chamou a atenção do mais novo, que parecia imerso na própria mente — Está me ouvindo?

— Huh? — demorou um tempo para processar, mas se assustou e levantou rapidamente quando percebeu quem estava ali — Hyung! — exclamou exasperado — C-Como ele está? O que aconteceu? Ele vai ficar bem? — disparou as perguntas que sua cabeça lembrou no momento.

— Fique calmo. Tanto ele quanto o bebê vão ficar bem. Foi mais um susto do que algo grave — tratou de dar logo uma resposta concreta para não acabar matando o mais novo de preocupação — Foi uma queda de pressão, é algo bem comum numa gravidez. Como o Jimin tem sintomas mais exagerados, acabou desmaiando na hora. O mais preocupante era saber onde e como ele caiu, mas seu amigo me disse que não foi nada muito estrondoso, então, depois de fazer mais exames de precaução, ele vai descansar um pouco e ser liberado.

Oh, no final a queda realmente foi a parte mais importante.

— Então ele vai ficar bem? Mesmo? — olhou para o médico com os olhos brilhando e recebeu um aceno positivo — Ah meu Deus, é tão bom ouvir isso — Jungkook soltou um suspiro alto de alívio e levou a mão para o peito esquerdo, sentindo que podia, finalmente, voltar a respirar normalmente — Eu devia ter pensado nisso, mas o desespero foi tão grande que... ugh, eu vou mesmo ser um péssimo médico — fez uma careta enquanto coçava a nuca, envergonhado.

— Não se cobre tanto, garoto. Você só está no começo e ainda vai passar por muitas experiências para se tornar bom. Nenhum médico se manteria inatingível sabendo que alguém querido não está bem — sorriu fechado, levando a mão para os fios negros, bagunçando-os — Vou levar alguns papéis na recepção para autorizar os exames. Enquanto isso, você pode entrar ali e ficar um pouco com ele — piscou um olho e apontou para uma sala.

— Muito obrigado, hyung — abriu um sorriso de orelha a orelha. Estava aliviado, sentindo um enorme peso a menos, como se cinquenta elefantes tivessem descido das suas costas.

Sem sequer esperar um segundo, o Jeon correu eufórico até a sala onde seu pequeno estava adormecido como um anjinho.

Quando abriu a porta e adentrou o local, não pôde evitar sorrir novamente quando olhou para aquele rosto delicado. Saber que estava tudo bem era algo mais que incrível, talvez uma das melhores sensações do universo.

— Jimin-ah — sussurrou extremamente baixinho enquanto fechava a porta com cuidado. Não queria acordar o ruivo — Você me deu um susto tão grande... — chegou perto da maca onde o outro dormia e encarou a mão alheia, não demorando para segurá-la com a sua — Me desculpe por estar sendo tão grudento, mas aguente mais um pouco. Eu só não quero que nada de ruim aconteça — fez um carinho na mão gordinha — Sabe, eu sei que soa meio egoísta pedir para que não fique chateado se eu acabar invadindo demais a sua privacidade, mas... ah, droga, eu realmente não aguentaria ver você sofrendo de novo.

— Ele vai entender — o Kim se pronunciou, entrando na sala que estava com a porta entreaberta — Ops, assustei? — perguntou ao ver o pulinho que Jungkook deu ao ouvir sua voz, achando graça.

— Preciso responder? — encarou Taehyung como se quisesse fuzilá-lo, negando com a risada que o outro soltou.

— Encontrei o doutor enquanto voltava e ele me disse o que houve. Acho que me sinto mais leve — suspirou.

— Ah, eu ia ao refeitório lhe chamar para avisar que está tudo bem, mas precisei vir falar com o Minnie antes. Me desculpe — se justificou e recebeu um “Não tem problema” do outro.

— Ya, foi um belo susto — se aproximou mais de onde o ruivinho estava deitado — Na verdade foi terrível mesmo. Acho que, por hoje, eu me senti ainda mais culpado que você.

— Pode ter certeza que não tem ser humano nesse mundo que me supere — riu sem graça — Acho que ele ainda vai dormir por um tempo. Depois ele vai para alguns exames e nós vamos para casa.

— Eu realmente me sinto psicologicamente melhor agora — falou, recebendo um pequeno abraço e um agradecimento do Jeon por ter se preocupado e levado Jimin até o hospital do doutor Cheon.

— Acho que é melhor você ir para casa agora, não? O Hobi hyung e o Yoongi hyung podem estar preocupados e você deve estar cansado.

— Sim, eles já devem ter estranhado a minha demora para voltar, mas e vocês? — perguntou preocupado.

— Pode deixar que eu vou pedir um Taxi para eu e o Minnie voltarmos assim que os exames acabarem. Você já fez muito por hoje, obrigado — sorriu para o Kim.

— Não agradeça, não foi nada. Você sempre foi um amigo precioso e o Jimin também se tornou um. Eu não faria nada a menos por vocês — se aproximou do Jeon e o abraçou forte — Então acho que já vou. Qualquer coisa, não hesite em me ligar, sim?

— Claro.

 

 

 

 

— Tae? Ya, porque demorou tanto? Pensei que era apenas “uma voltinha” no shopping — assim que viu o mais novo adentrar a casa, Hoseok o questionou num tom receoso, de braços cruzados e pernas inquietas — Não esperava que fosse chegar do trabalho e não te encontrar aqui. Aconteceu algo?

— Bem, sim... mas isso é um assunto para depois. Eu estou acabado — resmungou dolorido — As cadeiras do hospital são terríveis.

— Hospital? — Yoongi surgiu da cozinha com o cenho franzido em preocupação — Porque diabos você estava num hospital? Foi algo com você? — especulou, recebendo um gesto negativo do mais novo — Então foi com o Jimin? Desembucha Kim Taehyung! Esse negócio de deixar para depois não funciona comigo.

— Aish — respirou fundo — Nós estávamos olhando algumas roupas para o Jimin e ele ainda parecia um pouco tímido comigo, mas depois eu deixei claro que somos amigos agora e ele não precisava se sentir tão tímido. Até aí, tudo bem, mas quando eu dei um vacilo e fui andando que nem retardado para ver as roupinhas de bebê, o Jimin ficou para trás e meio que desmaiou no meio da loja de roupas. Daí eu entrei em um pequeno desespero, mas consegui leva-lo até o doutor Cheon depois de ligar para o Jungkook avisando o que tinha acontecido — encarou as faces assustadas — Foi só uma queda de pressão. Felizmente ele está bem agora — acabou com o suspense, arrancando expressões mais aliviadas dos namorados — Quando eu saí de lá, ele ainda estava dormindo, mas só faltava fazer exames de checagem para receber alta. O Jungkook me mandou voltar para não preocupar vocês e disse que iria para casa de Táxi.

— Caralho, eu nunca imaginei que isso podia acontecer — Hoseok murmurou surpreso — Céus, que loucura — pôs a mão na cabeça — Precisamos visita-los para ver se está tudo bem mesmo. A gravidez do Jimin é... realmente muito perigosa — coçou a nuca. Mesmo que já soubesse daquilo há algumas semanas, ainda era completamente estranho lembrar que o gatinho estava esperando um filho.

— Acho que nesse final de semana todos nós podemos, não é? — o menor encarou os outros, que confirmaram — Ótimo. Vou mandar uma mensagem para o Jungkook para marcar.

— Eu passei por muitas emoções fortes hoje, estou me sentindo como um caco de vidro que foi pisado, quebrado e depois triturado — respirou fundo, caminhando até o sofá para esparramar-se — Sabe... bem que vocês podiam me ajudar a relaxar, não é? — sorriu malicioso, brincando.

— Credo, Taehyung. Estávamos conversando sobre algo sério! Como você tem cara para vir com essas perversões? — o Jung reclamou — Francamente.

— Aish, que cruel — forçou um bico fofo — Eu só queria extravasar.

— Deixa de drama e levanta essa bunda daí, ninfomaníaco — o mais velho deu um tapa mediano no ombro do Kim.

— Doeu! — reclamou, alisando o local atingido — Certo, já entendi. Sem sexo hoje, okay. Eu supero — tentou soar ainda mais dramático.

— Você não tem jeito — reviraram os olhos, fazendo Taehyung bufar e desistir daquilo. Precisava de um banho e, acima de tudo, dormir bastante.

Querendo ou não, o Kim ainda se sentia um pouco mal, não era nem um pouco forte para aguentar ver um amigo desmaiar. Mesmo que soubesse que Jimin já estava bem, sua mente ainda se demonstrava levemente desesperada.

Ele realmente precisava descansar.

 

 

 

 

— Hm... — o moreno resmungou baixinho se mexendo aos poucos — Minnie...? Ya, você... — murmurou com a voz levemente rouca ao sentir um carinho no seu cabelo. Só naquele momento notou que havia cochilado um pouco, mas provavelmente não foi nada muito longo — Porque você não me acordou?

— O Jimin gosta de ver o Jungkookie dormindo — respondeu sorrindo para o maior, que quase se derreteu ali mesmo.

— Você está bem? Quando se levantou? — questionou preocupado e um pouco chateado. Queria ter visto o menor despertar, não o contrário.

— Não faz muito tempo — levantou os braços, se espreguiçando manhosamente — O Jimin se sente bem.

— Aish, você não tem noção do quão nervoso eu fiquei — encarou o híbrido seriamente — Se lembra de alguma coisa antes de apagar?

— O Jimin se lembra de sentir dor na cabeça e ver tudo ficar escuro... E o TaeTae também gritou o nome do Jimin — falou baixinho, com um pouco de dificuldade para recordar — Onde o TaeTae está?

— Ele já foi para casa para não preocupar o Yoongi e o Hoseok com a demora, mas ele fez de tudo para que você ficasse bem. Trouxe você para o hospital e me chamou. Ele foi muito bom — explicou — Você ficou desacordado por um tempo, mas o hyung disse que não foi nada demais — levou a mão para a bochecha gordinha, acariciando-a — Eu quase morri de preocupação. Fico feliz que esteja bem, gatinho.

— O Jungkookie não pode morrer, o Jimin ficaria triste e sozinho — fez uma expressão emburrada.

— Não foi exatamente no sentido literal, bobinho — riu da inocência alheia — Você vai fazer alguns exames e nós vamos finalmente para casa.

— O Jimin não gosta de exames — arregalou os olhos, com medo.

— Hoje eu prometo que vai ser divertido, pequeno — uma terceira voz se fez presente no local, atraindo a atenção dos dois — Vamos fazer o primeiro ultrassom, Jungkook — sorriu para o mais novo, que mal pôde conter a reação de surpresa e ansiedade.

— Ultrom... huh? — o ruivinho tentou repetir a palavra, falhando miseravelmente.

— Ultrassom, Minnie — gargalhou com aquela tentativa — Esse exame vai permitir que nós vejamos a nossa sementinha.

— Mas a sementinha está na barriga do Jimin. Vai abrir? — olhou assustado. Aquilo parecia doer.

— Nada disso — o mais velho negou — Eu vou passar um aparelhinho bem devagar por cima da sua barriga e vamos conseguir ver tudo que está aí dentro pelo computador. Você vai gostar — se aproximou da maca em que o menor ainda estava deitado e usou suas mãos para bagunçar os fios ruivos.

Jungkook se sentia corroer por dentro. Como aquele bebê seria? Agitado ou quietinho? Será que cresceria logo? Se mexeria muito dentro da barriga do gatinho? Responderia com pequenos chutes quando ele tentasse conversar? Pareceria com ele ou com Jimin? Ou seria a mistura dos dois?

Droga, o Jeon estava mais ansioso que nunca, principalmente porque não esperava que, justo naquele dia, iria ver seu filho pela primeira vez... ou seria filha? Só de pensar em um ultrassom no qual continha uma imagem não muito boa, já conseguia imaginar aquela criança no futuro.

Ah, Deus, que nervoso.

— Já vai dar para saber o sexo? — perguntou afobado, com o coração a mil.

— Creio que ainda está muito cedo. Acho que só vai dar em cerca de um mês ou um pouco menos, mas quem sabe não tiramos a sorte grande hoje? — movimentou as sobrancelhas num ato engraçado, fazendo o moreno rir no meio do nervosismo — Então, vamos? Consegue levantar? — referiu-se a Jimin, que assentiu e deixou a maca rapidamente — Nós estamos indo para uma sala diferente agora. Nos próximos meses, vocês vão frequentá-la bastante — explicou enquanto direcionava os dois garotos para o local adequado.

— O Jungkookie está bem? — perguntou desconfiado ao ver o dono tenso durante todo o caminho.

— Não... quer dizer, não muito — respirou fundo — Não precisa se preocupar, só me sinto muito ansioso.

Depois daquela resposta, Jimin decidiu dar de ombros. Não estava entendendo muito bem o porquê de tanta afobação, por isso, deixaria para lá.

Assim que a porta da sala foi aberta pelo médico, o Jeon sentiu uma gota de suor frio deslizar pelo rosto. Havia uma maca branca, assim como todas as outras, e o equipamento que o permitiria conhecer aquele bebê. Nada a mais que isso.

— Podem entrar — falou educadamente, vendo ambos se apressarem e adentrarem — Deite-se ali, Jimin. O Jungkook vai ficar ao seu lado — o híbrido, sem questionar, fez o que foi ordenado, sendo acompanhado pelo moreno — Levante a camisa e deixe a sua barriga exposta para que eu possa passar um gel. Não vai doer nada, você só vai sentir um friozinho — sorriu, segurando o tubo com o conteúdo viscoso.

Um pouco tímido e receoso, o ruivinho levantou parte da roupa frouxa que usava, notando os olhos de Jungkook brilharem. Ele realmente parecia muito nervoso e feliz com aquilo.

— Está cada vez mais bonita, Minnie — sorriu para o pequeno, levando a mão para acariciar o local. Não sabia o que fazer, eram muitas emoções o invadindo naquele momento. Às vezes a ficha de que seria pai não caía, mas quando tomava consciência daquilo, só conseguia se sentir bem.

— Está crescendo muito rápido, Jungkookie. A sementinha vai ficar grande — juntou as mãos pequenas às do dono, sentindo uma espécie de energia positiva. Apesar de se sentir mais pesado e redondo que o normal, além do grude que estava com o moreno, toda aquela situação acabava se tornando gostosa. Não era como se ele não gostasse da companhia constante do seu dono, mas nos momentos de oscilação de humor, acabava soltando coisas que não queria.

— Ya, vocês são muito fofos — o mais velho comentou, arrancando uma risada do Jeon — Agora desgrudem dessa barriguinha para eu começar logo. Também estou ansioso — comentou e viu os dois se afastarem do ventre do ruivinho, mas as mãos não se desgrudaram.

— Ah! — exclamou num susto ao sentir o líquido extremamente gelado em contato com sua pele — Frio...

— Eu avisei — brincou e terminou de lambuzar toda a barriga, ligando o monitor e pegando o aparelho que passaria por ali. Naquela altura, Jungkook mordia os lábios e apetava a mão do híbrido tão forte que o menor chegou a resmungar de dor.

— Kookie! — reclamou, apertando forte de volta.

— D-Desculpa — se lamentou, parando de demonstrar sua ansiedade daquela maneira.

Quando o aparelho começou a passar pela protuberância ainda um pouco discreta e a imagem foi, aos poucos, se formando na tela, o tempo pareceu parar.

— Estão ouvindo isso? — o doutor perguntou animado e um som de batidas altas e rápidas invadiu todo o cômodo, parecendo um cavalo correndo de tão rápido — É o coração desse pequeno. Antes que perguntem, é normal que seja rápido assim. Com o tempo vai diminuindo.

Então... aquilo era o coração do bebê? Na teoria, o Jeon sabia muito bem, mas na prática era completamente diferente. O moreno sentia seu peito transbordar de alegria, era mágico, algo que nunca esperava ser tão emocionante.

— Mas sementinhas fazem barulho? — o ruivinho questionou confuso, encarando aquela imagem não muito nítida na tela.

— A sementinha vai crescendo, Jimin. Ela cresce e se torna um lindo bebezinho — o mais velho explicou quando percebeu que Jungkook estava imerso demais nas próprias emoções para falar algo.

— Então a sementinha dentro do Jimin está crescendo e fazendo esse barulho? — encarou o próprio ventre — O Jimin gosta desse som, é bom — sorriu. Estranhamente, também se sentia bem.

O moreno sentiu um bolo se formar na sua garganta quando encarou aquele serzinho pequeno fazendo alguns movimentos que, com um pouco de dificuldade, conseguiam ser captados pela tela.

Era lindo, simplesmente a coisa mais incrível que já viu.

Talvez Jimin não entendesse muito bem a magnitude daquilo, o menor definitivamente não tinha maturidade o suficiente para saber o quão aquele bebê era importante para ambos, ainda mais por ter recebido a explicação da sementinha, mas Jungkook não se sentia incomodado com aquilo. Agora teria dois nenéns para cuidar. Um levemente pervertido e ainda aprendendo sobre a realidade e outro que educaria com todo carinho do mundo.

— Isso é o nosso amor, Minnie — encarou o gatinho — A maior prova de que, no futuro, seremos a família mais feliz desse mundo e que nada pode nos impedir de passarmos o resto da vida juntos.


Notas Finais


Espero que eu tenha conseguido passar as emoções direito e... nossa Taehyung ahahaha
não faço ideia de quando vou postar o próximo, mas creio que logo (assim espero).
Obrigada por aguentar minhas demoras e minhas enrolações, amo voxês
Até o próximooo

PS QUE EU ESQUECI DE COLOCAR: Geralmente eu não tenho tempo para responder todos os comentários de todas as fanfics porque eu sou toda bugada, MAS nesse cap eu faço questão de responder TODOS. Sinto saudades de interagir com vocês mesmo tendo o grupo da fanfic (que eu também não interajo muito pelo tempo, mas tento). APROVEITEM PARA FAZER PERGUNTINHAAS.
BÊJU.

PS 2 QUE EU ESQUECI DE COLOCAR: OLHEM QUE CAPA MARAVILHOSAAAAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAAA *SURTANDO* MUITO OBRIGADA LINDA S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...