1. Spirit Fanfics >
  2. You're what I need >
  3. Afternoon with a friend

História You're what I need - Capítulo 41


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meu povo, miss me? Kkk
Como estão? Todos se protegendo do corona? Se cuidem viu? Aproveitemque estão de quarentena em casa e releiamos capítulos anteriores hehehhrrh
Hoje o capítulo é um tantinho diferente, já que Harry sequer aparece (spoiler) kkkkk
Enfim, vou deixar vocês lerem e julgarem como quiserem :))
Aproveitem!!!

Capítulo 41 - Afternoon with a friend


Fanfic / Fanfiction You're what I need - Capítulo 41 - Afternoon with a friend

Charlotte

Já era manhã de sábado, Holly por algum milagre acordara cedo e não calava a boca desde que abriu os olhos. Cubro meu rosto com o travesseiro a fim de abafar o som irritante da sua voz. Após muita falação ela finalmente cala a boca, eu me levanto ainda sonolenta e me encaminho para o banheiro, arranco as roupas do meu corpo, e me olho no espelho, minhas olheiras já não eram tão fundas e nem meus cortes eram recentes, namorando o Harry agora eu não tinha muito tempo pra pensar nas merdas que me cercam e de certa forma isso tudo é graças a ele. Entro no chuveiro, a água cai em meu corpo, eu fecho os olhos agradecida, terminando meu banho em poucos minutos.
Assim que saio do banheiro ouço meu celular tocar num barulho estridente, eu corro até ele e o pego, vendo o visor franzo a testa e atendo, ele me atende animado:
- o que você quer? - pergunto secando as pontas dos meus cabelos, que estavam pingando por todo o quarto.
- nossa, nem um oi? Estou bem inclusive, obrigada por perguntar - reviro os olhos, eu não estava com paciência pra drama.
- tá bom, o que você quer Niall? - me sento na cama com o pente e os passo na minha cabeça, ele suspira profundamente do outro lado.
- Estava pensando em sair hoje, ou você já tem alguma coisa planejada? - eu penso, não tinha nada pra fazer, mas não iria entregar tão facilmente assim.
- ainda não sei, por que? Aonde você queria ir? - faço cara feia quando puxo o pente e ele enrosca nos fios, me machucando.
- eu não sei, uma volta por aí, ir comer alguma coisa, algo assim..você toparia? - ele parece nervoso e eu me sinto culpada de dizer não de cara pra ele, então invento alguma coisa.
- Eu ainda tenho que ver o que eu preciso resolver hoje e assim que eu terminar eu te ligo, confirmando se eu vou ou não. Okay?
- claro, okay - dá risada e eu sorrio com a reação boba dele - não vai me dar o cano hein Gardner - ele diz ainda rindo, dou risada e digo que não farei isso, já que nem confirmei nada ainda. Desligo a ligação e fico olhando para a tela desligada, pensando no que fazer. É óbvio que Harry não é meu dono e eu faço o que eu quiser, além de quê somos apenas amigos, mas eu não me sinto muito bem ao sair sem dizer nem aonde estou para ele. Penso em ligar pra ele, mas desisto, também não sabia se ele teria algo pra gente fazer mais tarde.
Eu fico nesse dilema por pelo menos uma meia hora, finamente eu tomo coragem pra me vestir, colocando um moletom cinza grosso e uma calça molinha, junto com as meias rosas felpudas que May me deu no aniversário de 16 anos. Finalmente pego meu celular e mando uma mensagem para Niall, confirmando que eu iria sim.

(...)

Eu acabo de colocar uma camiseta branca, a mesma que Harry me emprestou de Gemma, eu ainda estava com ela, eu devolvo mais tarde, duvido que ele irá se importar.
Niall diz que já está chegando, e por algum motivo eu fico nervosa, sei que não deveria, mas estou e não sei bem o motivo. É claro que sei que não gosto dele mais que um amigo, mas ainda fico um tanto desconfiada, já que ele só começou com essa coisa de amizade depois que eu e Harry aparecemos juntos, tento ignorar as ideia que minha cabeça trazem a tona e desço as escadas, preferindo esperá-lo na rua do que dentro de casa, onde Holly ou Jason o podem ver ou vice e versa, e essa mentira vai longe, ninguém, além de Harry, sabe do nosso parentesco, isso dura anos e nem desconfiam.
Dou um beijo em May, Jason está na cozinha conversando com ela e faz cara feia assim que passo por ele e me vê dando um beijo em sua mãe, o fato dela gostar de mim da mesma forma que gostava deles os incomodava, e eu estava pouco me fodendo pra isso, foi o único amor que eu recebi durante minha vida toda, as vezes eu era muito ingrata em relação a May, mas sabia de tudo que ela já havia feito por mim e por esse mesmo motivo eu me sentia culpada.
Saio da casa e caminho tranquilamente pela calçada, enquanto o espero respondo as mensagens de Harry, que diz que seu pai o impediu de sair por alguns motivos pessoais ou de trabalho, eu sabia que ele não estava bem com isso, eu queria poder tirá-lo de lá, mas ao invés disso estou indo passear com seu amigo, não havia muito o que fazer, não é como se eu fosse até sua casa e fosse peitar seu pai, nao seria nem um pouco prudente e inteligente.
Finalmente depois de 5 minutos eu vejo o carro de Niall chegando, ele está de óculos escuros e chama atenção por si só, ele para do meu lado e sorri galanteador:
- e aí? - eu dou risada dele e ergo as sobrancelhas - vai entrar ou não? - pergunta e eu o olho franzindo o cenho.
- esperava que você fosse um pouco mais gentil e abrisse a porta pra mim - ele me olha preocupado e eu faço um movimento de mão - não precisa - rio e abro a porta do passageiro, entrando em seguida - e então? Aonde vamos? Até agora você não disse nada e já está me deixando nervosa...
- vamos comer alguma coisa primeiro, depois a gente vai pra uma festa de um pessoal que eu conheço - eu o olho com uma cara estranha, eu não gostava de festas, muito menos de gente que eu nem conhecia - relaxa, são pessoas legais - ele percebe e dá risada, continuo com a mesma cara até ele arrancar com o carro.
Logo estávamos a caminho de alguma lanchonete perto do centro, as ruas estavam agitadas, era o começo do sábado a tarde, me sinto culpada vendo todas essas pessoas, e inclusive eu, se divertindo, enquanto eu sei que Harry está preso em sua casa com seu pai idiota. Quando dou por mim paramos em frente à uma lanchonete retrô dos anos 60, eu olho pra ele com um sorrisinho de canto e ele abre a boca, sorrindo que nem um idiota. Nós saltamos do carro e entramos no restaurante, era quente e confortável, as várias mesas vermelhas grudadas na janela davam um toque todo diferente no lugar, o ar cheirava a mel e manteiga, me fazendo perceber que eu estava morrendo de fome. Ele me conduz até uma das mesas no canto, de onde podemos ver uma daquelas máquinas antigas de tocar música, onde você coloca uma moeda e escolhe a música que quiser, Niall me olha animado e se levanta, correndo até a máquina, ele parecia uma criança com um doce, de repente uma música do Elvis começa a tocar alto por toda a lanchonete, eu não consigo não sorrir, o infeliz acertou, eu adorava aquela música.
- e então? - ele diz quando volta e pega o cardápio em cima da mesa - o que vamos comer?
- não sei, o que você sugere? Já que me trouxe aqui deve conhecer bem os pratos - digo zombeiteira, sorrio pra ele por cima do meu cardápio e olho as opções, todas parecendo perfeitamente deliciosas.
- você deve realmente provar as panquecas de mel, elas são perfeitas e vão muito bem com chantilly - ele diz parecendo estar sonhando, eu sou risada e procuro essa opção no cardápio em minha mão - é o que eu pediria agora, se fosse você - eu franzo os olhos pra ele e seguro um sorriso, ele me devolve, de repente parece lembrar de alguma coisa - e o milk shake também, são perfeitos juntos - ele fecha os olhos e estala os dedos quando os beija, eu rio. A garçonete vestida com um vestido rosa e patins vem até a gente e anota nossos pedidos, ela sorri para mim e para ele.
- ela te achou bonitinho - digo me inclinando sobre a mesa, olhando para dentro do balcão, onde a menina de avental nos lançava olhares rápidos e tímidos, ele ri e balança as mãos - e acha que você é meu namorado - acrescento, vendo ele me olhar com um sorrisinho.
- eu poderia ser mesmo... - dou risada e balanço a cabeça.
- estou falando sério, ela é bonita, devia chamá-la pra sair, sei lá - encolho os ombros.
- a garota que eu quero não está nem aí pra mim - ergo as sobrancelhas, tive a leve impressão de quem ele falava - não vou sair com ela só pra tapar um buraco - diz simplesmente, assim que termina ela vem até nós com duas bandejas e todo o conteúdo que pedimos. Niall tinha razão, as panquecas eram maravilhosas, enquanto eu não as terminei não disse uma palavra sequer com ele, que estava rindo na metade das panquecas - elas são incríveis - digo lambendo os lábios, ele sorri e toma seu milk shake de forma presunçosa.
- eu disse não disse? Aqui é um dos melhores lugares da cidade, meu pai sempre me trouxe... - ele parece contemplativo, aproveito para analisar melhor suas feições, era verdade, Niall era realmente bonitos, o nariz arrebitado, as maçãs do rosto avermelhadas do frio, fios ralos de barba crescendo no queixo e seus lindos olhos azuis. Ele era todo bonito, e eu só havia parado pra notar agora - ele quase não tem mais tempo pra mim...você está me ouvindo? - ele pergunta com uma nota de diversão na voz, eu sorrio envergonhada, eu o estava encarando na cara dura - você não prestou atenção em nada do que eu falei, não é? - eu o olho culpada e ele sorri - tudo bem, eu já estava melancólico - dou risada e corto um pedaço da panqueca, ele pega meu garfo e o leva a boca, eu o olho chocada - está mesmo deliciosa - ele lambe os lábios e ri.
- se você queria uma por que não pediu? - ele me devolve o garfo e eu sorrio, ele encolhe os ombros, tomando mais de seu milk shake.
Foi divertido, eu não poderia mentir, ele é divertido. Logo após o episódio da panqueca nós saímos da lanchonete, a tarde estava fria e corremos para o seu carro no estacionamento, rindo pela ventania que estava fazendo. Eu não sabia para onde iríamos agora, e não estava muito preocupada, eu só não queria voltar pra casa ainda.
- para onde vamos agora? - pergunto bocejando no banco do motorista, me viro pra ele, que sorri de canto, como se estivesse planejando alguma coisa.
- achei que não fosse perguntar...


Notas Finais


Uhuu o que acharam? Niall e Charlotte? Quem diria? Kkkkkkk
A história tá começando a chegar aonde eu quero, e eu fico muito feliz que vocês estejam lendo, mas se vocês também puderem dar algum comentário que seja, me ajuda muito a saber o que vocês estão achando, sério!
Enfim, se cuidem, lavem as mãos como se tivesse acabado de apertar as mãos do Bolsonaro talkei?
Leiam a fanfic, façam maratona kkkkk e comentem se puderem
Amo vocês e até o próximo capítulo amorxs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...