História Youth - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan, Jikook, Kookmin, Taejin, Vmon, Yoonseok
Visualizações 65
Palavras 684
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - As bordas de Kim Namjoon


Taehyung se sentou sobre a cintura de Namjoon, e deslizou o tecido macio de sua camisa para cima, devagar. A iluminação do quarto de hóspedes projetava pontinhos de luz na pele dele, em seu tronco, subindo pelo pescoço, nos lábios fartos até o último fio de cabelo louro-acinzentado de sua cabeça. Era um sentimento diferente, aquele que estava tendo ao tocar Namjoon daquela forma tão intima, que só fizera outra vez com Seokjin. Mas Seokjin gostava de pressa, odiava gentileza e toques leves. Taehyung nunca podia bebê-lo com os olhos como estava fazendo agora.

 

Namjoon era lindo, tinha traços marcados e olhos inteligentes e profundos, a textura de sua pele era macia, como tocar algodão com a ponta dos dedos, e seus lábios tinham o sabor doce de uma bebida qualquer. 

 

Taehyung amava a delicadeza com a qual ele o tocava, como cada pêlo de seu corpo se arrepiava, cada pequena célula reagia às mãos calejadas de Namjoon.

 

— Você não tem nojo? — ele perguntou, passando a ponta dos dedos pelo maxilar alheio. Seus olhos suplicavam, imploravam por uma resposta sincera vinda de Taehyung.

 

E qual era a verdade? Bem, não. Ele não tinha nojo. As manchas claras no corpo do outro se estendiam no formato de continentes, banhados pelo mar moreno e com os pêlos louros arborizando cada milímetro de pele. Olhar para ele era como olhar para um globo terrestre, ou para um mapa. Havia tanto a conhecer...

 

— Como eu poderia ter nojo de alguém que tem um mundo inteirinho bem na própria pele? — perguntou, deslizando a ponta do dedo pela margem de uma das manchas de em seu rosto, enquanto ele sorria.

 

Talvez Taehyung estivesse um pouco bêbado, ou talvez ele só tivesse atrás de — mais uma — desculpa para a traição que estava cometendo. Não a traição física, não era como se Seokjin se importasse de ver Taehyung aos beijos com alguma pessoa aleatória, quando eles tinham um relacionamento, entre aspas, aberto. Estava pensando na traição sentimental, em como ele preferia ouvir as palavras de Namjoon ao silêncio de Seokjin, em como preferia ver o mais velho lhe dando toda sua atenção, mesmo tendo acabado de encontrá-lo após anos, do que a indiferença fria com a qual Seokjin andava o tratando.

 

E, bem, tinha aquela mensagem...

 

Tae e Namjoon haviam passado a noite toda juntos, jogando conversa fora e relembrando os doces tempos da infância. O mais velho lhe contou sobre como o vitiligo começou e Taehyung ficou tocado com o quanto ele sofreu por uma coisa que, em sua opinião, parecia tão linda. As manchas de Namjoon eram macias ao toque, e pareciam algum tipo de arte renascentista. Ele era tão lindo, e Taehyung era tão comprometido...

 

Não planejava ir para a cama com Namjoon naquela noite, muito pelo contrário, queria muito ter o moreno apenas como seu amigo. Mas entre um assunto e outro, enquanto ele pegava bebida, Taehyung encontrou Seokjin, e de quebra, o celular cor de rosa dele. O namorado sempre dizia que não havia nada demais, mas ele estava tão curioso, que pegou para ver as mensagens.

 

E encontrou dezenas de conversas com a única pessoa que Taehyung não gostaria de ver com Seokjin. A única que, acima de todas, o machucaria. Kidoh.

 

Foi por culpa de Kidoh que eles se conheceram. Seokjin namorava Kidoh que era uma pessoa importante no grupo de amigos de Taehyung. E, também, um dos principais responsáveis pelo final horrendo que levou. E eles estavam ali, se chamando de amor e todos cheios de intimidade.

 

Taehyung não se importaria de ver Seokjin transando com uma pessoa aleatória no banheiro. Mas se importava com aquilo. Com aquelas mensagens. A intimidade. 

 

Ele seria trocado.

 

Então acabou naquele quarto com Namjoon, que sequer deveria saber que ele namorava, e que aquela era a casa de seu namorado. Estava ali, machucando alguém apenas para se sentir bem, apenas para se esquecer um pouco.

 

Ele não queria vingança, só queria esquecer.

 

— Namjoon? — o garoto abriu os olhos, o encarando. — Obrigado. — sussurrou, e se deixou afogar novamente num mar infinito de autopiedade, escuro, mas ao menos, não solitário.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...