História Youth - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Suga, Taehyung, Yonnmin
Visualizações 7
Palavras 6.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Senhor, eu não faço a mínima ideia de o que falar aqui, tô achando isso mais difícil que escrever um capítulo, mas enfim, serei breve.
Primeiro eu queria agradecer se você está aqui com interesse de ler essa história, eu escrevi ela com muito carinho e espero que goste. Quero também que você saiba que essa é minha primeira vez postando uma historia de minha autoria aqui, e eu ainda estou meio perdida (Help me), então qualquer coisa que eu fizer de errado adoraria que algum de vocês me alertasse e me ajudasse, porque o desespero é real.
Não vou ficar me alongando muito aqui e vou deixar vocês lerem o capítulo, se vocês gostarem nos vemos nas notas finais.
É isso, boa leitura.

Capítulo 1 - O começo.


27/12/2017 – Quarta feira.

-Mas pai, eu não quero ir! – O garoto disse já com a voz levemente embargada – Por favor, eu te imploro... Não me faça ir para aquele lugar

-Jimin, você está exagerando. – Disse o homem de semblante sério que observava seu filho por detrás da mesa de seu escritório – Não é como se o instituto fosse o pior lugar do mundo, além disso, lá é a melhor fundação de ensino de toda a coréia. Todos os membros da nossa família quando chegam a sua idade ingressam no instituto, não será diferente com você.

-Pai, por favor...

-Já chega Jimin, você vai e ponto. Dia 26 de fevereiro eu te levarei ate Busan e espero que até lá você já tenha se despedido de todos os seus amigos, pois queira você ou não, agora é um aluno do instituto JYS.

Jimin conhecia muito bem seu pai, e apesar de ser um bom homem, Park era irredutível. O garoto sempre soube que o dia em que seria mandado para o instituto iria chegar, contudo uma parte de si acreditava que poderia fazer seu pai mudar de idéia, o que não aconteceu, visto que o homem a sua frente o olhava com a firmeza de quem não iria ceder.

-Tudo bem pai. – Disse por fim soltando um longo suspiro de derrota antes de prosseguir – Só me prometa que vai me deixar voltar para casa nos feriados.

- Jimin... – KwangSoo começou, esboçando um leve sorriso – por que eu não deixaria meu próprio filho me visitar nos feriados? Além do mais, uma vez em que se adaptar, serei eu a pedir que você volte para casa.

O garoto duvidava muito daquilo, mas preferiu não comentar nada com seu pai.

 

* * *

 

Os dias em que se seguiram foram alternados entre ficar parte do seu tempo com seus amigos ou com sua família. Como nenhum dos dois grupos eram muito grandes, não tardou até que Jimin já tivesse se despedido de todos aqueles que realmente eram importantes para si e só Sobrassem as três pessoas de quem mais iria sentir falta – Sua avó, seu melhor amigo e sua namorada. Ele preferiu adiar tais despedidas para seus últimos dias em Seoul.

Primeiro ele levou sua namorada Kim Sunhee para a praça em que os dois se conheceram – a aproximadamente um ano atrás – onde ele refez todas as ações de seu primeiro encontro com a garota. Aquilo tudo era muito clichê para o gosto Jimin, no entanto Sunhee adorava clichês, e ultimamente a garota andava tão chorosa e deprimida que Park pensou que a alegraria um pouco se fizesse aquilo. O que não deu certo tendo em vista que a noite terminou com uma Kim agarrada ao peito de Jimin como um coala chorando enquanto dizia aos soluços que não queria que o garoto a deixasse. Ela era tão pequena e frágil que partiu o coração de Jimin a ver naquela situação. Por mais que ele gostasse de Sunhee, sua mente constantemente o alertava de que aquilo não iria dar certo, afinal relacionamentos a distância quase nunca dão certo. Contudo ele não queria terminar com ela, e estaria disposto a tentar mesmo que as chances estivessem totalmente contra os dois.

Com Choi Jaewon – Que sempre fora seu melhor amigo desde muito jovem – ele passou o dia jogado no sofá de  sua casa conversando sobre um milhão de coisas aleatórias e sem perceber o tempo passar, como eles sempre faziam. Jimin iria sentir falta do garoto que conhecia tão bem por seu jeito imaturo, irresponsável e despreocupado. Jaewon sempre tinha uma solução para os problemas da vida e não deixava que absolutamente nada o colocasse para baixo. Por vezes ambos haviam se metido em problemas, e sempre resolveram juntos. Eles apanhavam juntos,  choravam juntos e sorriam juntos. Choi era como um irmão para Jimin, e o fato de que pelos próximos seis meses ele não veria aquele rosto tão familiar com os traços suaves e sempre esboçando o seu grande sorriso fez com que o garoto que já estava descontente com sua partida ficasse ainda mais.

Contudo nada superou a tristeza que foi se despedir de park EunJi, sua avó, que sempre amou e cuidou de Jimin desde que sua mãe o deixou quando ainda era muito pequeno. A senhora de 63 anos que havia se mudado para a casa de seu filho no intuito de ajudar na criação do garotinho de três anos que fora abandonado pela sua mãe, abdicou de muitas coisas na sua vida em prol de Jimin. Devido a esse motivo, o garoto era extremamente grato a EunJi, e compartilhava com ela o mais forte vinculo afetivo de sua vida. Quando Jimin tirou à tarde para tomar o tão costumeiro chá de sua avó um dia antes de viajar para Busan, ela o olhou nos olhos com a maior ternura que poderia caber em um olhar e lhe disse que ele não deveria se preocupar ou ficar aflito com aquela mudança, pois ela sabia que tudo ficaria bem e ele seria feliz no instituto. Aquilo acalmou um pouco seu coração apesar de ainda sentir o medo e a aflição que a viagem estava lhe proporcionando.

* * *

26/02/2018 – Segunda feira.

 

Eram seis e meia da manhã e Jimin já estava no avião acompanhado de seu pai. Em menos de uma hora eles estariam em Busan, e tudo que o garoto conseguia pensar era em como o homem ao seu lado parecia visivelmente satisfeito e contente em um horário em que as pessoas não deveriam estar satisfeitas ou contentes. Era raro ver KwangSoo daquele jeito, pois normalmente ele sempre mantinha sua expressão ou séria ou impassível, fato que já fez Jimin se questionar se o homem só tinha aquela variação de semblante. Contudo, o que realmente surpreendeu o mais novo dos Park e o fez engasgar levemente com o suco que estava bebendo no momento do ocorrido, foi o fato de seu pai ter flertado com a comissária de bordo, ou pelo menos tentado flertar. Não que KwangSoo fosse um homem totalmente solitário, mas desde que a mãe de Jimin foi embora, ele voltou quase toda sua atenção a empresa da família, focando em seu crescimento e sucesso, o que não deixava muito tempo para que ele conhecesse pessoas novas ou se envolvesse em um relacionamento. Jimin queria que KwangSoo arrumasse alguém, ainda mais agora que ele ia embora e deixaria o pai sozinho com a avó na casa grande até demais que pertencia a sua família.

Ver a tentativa falha de flerte de seu pai com a comissária de bordo teria sido cômico se não fosse tão trágico. O mais surpreendente, no entanto, foi KwangSoo não ter perdido sua animação mesmo em meio à situação incomoda que se instalou quando Jimin começou a rir da cara vermelha da comissária, o que fez o mais velho dos Park acabar rindo junto com seu filho assim que a moça se afastou afobada para sair logo dali. Eles passaram o resto do vôo rindo vez ou outra quando ela passava apressada por eles evitando olhar diretamente para o lugar onde estavam sentados, fazendo com que aquele tempo no avião com seu pai fosse agradável para Jimin. Tão agradável que ele só percebeu que haviam chegado quando começaram a aterrissar em Busan, e toda a aflição e nervosismo que o garoto tinha sentido no ultimo mês voltaram o atingindo com mais intensidade agora.

- Não se preocupe Jimin, você se sairá bem. – Kwangsoo disse notando a visível preocupação de seu filho.

- Como você pode ter tanta certeza disso pai?

- Eu me saí bem, seu tio e seu avô se saíram bem e até sua tia Sook se saiu bem. Não tem razão para ficar nervoso. Todas as mudanças podem parecer difíceis e desafiadoras, mas eventualmente nós nos adaptamos e tudo se torna mais fácil.

Kwangsoo tinha um jeito de falar que fazia com que tudo parecesse realmente fácil, no entanto, Jimin sabia da verdade. Ele pesquisou tudo sobre o instituto desde que tomou conhecimento daquela “tradição” de sua família em que todos eram mandados para lá aos 17 anos, e a princípio o que achou não foi ruim; JYS era um lugar enorme e muito bem avaliado pela sua qualidade de ensino, além de prover alas que suprissem as atividades extracurriculares de seus alunos, tais como ciência e tecnologia, atletismo, artes e comunicação. Contudo, nada é perfeito, e o grande defeito do lugar se encontrava em seus alunos. Basicamente existiam apenas dois jeitos de se ingressar no instituto, que consistiam em mérito e riqueza. Ou você vinha de uma família de renome e pagava uma absurda mensalidade, como era o caso de Jimin, ou você se destacava como um exímio estudante com boa conduta e ganhava uma bolsa. Como as bolsas eram extremamente raras, o instituto estava lotado de adolescentes ricos e mimados que se achavam melhor que tudo e todos. E se tinha uma coisa que Jimin odiava nas pessoas, essa coisa era a prepotência.

- Certo, eu me sairei bem. – Disse por fim mais para si mesmo do que para seu pai.

- Não duvido disso, agora venha, ainda temos que desembarcar, pegar a bagagem e te mandar para o instituto antes das oito.

- Como assim 'e mandar para o instituto'? Você não vai comigo?

- Ah sim, eu me esqueci de comentar com você? – riu um pouco sem graça – Os pais não costumam acompanhar seus filhos ao instituto. Tem um coquetel que será realizado hoje à noite na cidade para nós, enquanto vocês serão recepcionados pelo conselho acadêmico às dez horas da manhã no salão principal, e visto que agora são quase oito horas e leva em torno de uma hora e meia para se chegar ao instituto de carro, eu diria que você está atrasado.

O garoto ficou olhando para a cara de seu pai por um breve instante até soltar um leve risinho debochado.

- Muito engraçado pai, realmente, muito engraçado.

- Você acha que eu estou brincando Jimin? Tem um carro te esperando na saída principal do aeroporto. Eu estaria correndo se fosse você.

De repente como um click na mente de Jimin ele se lembrou de uma reportagem que achou em suas pesquisas sobre JYS que dizia algo sobre os pais não terem controle sobre coisas básicas relacionadas a seus filhos uma vez que eles ingressavam no instituto. Alguma besteira sobre a importância para a formação de independência e caráter. Foi nesse momento que o desespero tomou conta de si e ele começou a correr para fora do avião burlando a fila de saída e sendo repreendido por varias pessoas ao seu redor. Só conseguiu ouvir por fim a voz de seu pai o desejando boa sorte ao longe enquanto corria ao portão de desembarque.

 

* * *

 

Quando Jimin por fim conseguiu pegar sua bagagem depois de muito correr, viu que um garoto alto e de cabelos platinados o observava de longe. Ele trajava uma calça social bege com uma camisa branca e gravata vermelha com listras transversais azuis, o que Jimin reconheceu ser parte do vestiário obrigatório do instituto JYS. O garoto platinado percebeu que a atenção de Jimin agora era voltada para si e levantou uma placa que segurava nas mãos onde estava escrito “Kim TaeHyung” em uma caligrafia fina. Park entendeu o que ele quis dizer com aquilo e apenas negou com a cabeça, para logo depois o garoto levantar outra placa exatamente igual a primeira onde se lia “Park JiMin”. O olhar de expectativa do garoto fez com que Jimin risse internamente, somente para confirmar com a cabeça depois e ser respondido com um enorme sorriso vindo do outro, que agora rumava em sua direção.

- Bem vindo a Busan Park Jimin, espero que seu vôo tenha sido agradável – Disse ao se aproximar já estendendo a mão a Jimin.

- Foi sim, muito agradável, obrigado. – respondeu aceitando o cumprimento do outro.

- Meu nome é Kim Seokjin e eu sou o monitor do bloco A, onde você será instalado. É dever de todo monitor receber os novos alunos no aeroporto e os acompanhar na viagem de volta ao instituto, por isso eu estou aqui. Você irá dividir um quarto com Kim Taehyung que assim como você, está muito atrasado.

- Eu sinto muito por isso Kim Seokjin, eu não sabia direito o que fazer e acabei me atrapalhando quando meu...

- Jimin – Disse o interrompendo – não precisa se justificar. É normal se atrasar um pouco e, por favor, me chame de Jin. Detesto formalidades em excesso.

Seokjin não parecia ser prepotente. Jimin havia gostado do jeito dele, apesar de não ter trocado mais que algumas palavras com o mesmo.

- Olha só aquele garoto – Jin estava apontando para um rapaz alto de cabelos castanhos que parecia extremamente afobado enquanto corria de um lado para o outro atrás de sua bagagem – Acho que encontramos o senhor Kim atrasado Taehyung. Fique aqui enquanto eu vou até lá falar com ele.

Jimin assentiu com a cabeça e ficou observando Jin se aproximar calmamente do garoto – ainda afobado – erguendo sua plaquinha dos nomes. No entanto, o garoto não pareceu notar a aproximação de Jin ou sequer sua plaquinha, pois no minuto que conseguiu pegar sua mala da esteira, ele saiu correndo em direção a saída do aeroporto deixando um Seokjin desesperado para trás. Assim que Jin começou a correr atrás do garoto, gritando seu suposto nome e para que ele parasse, Jimin não agüentou e começou a rir da situação. Se o resto do instituto fosse como aqueles dois garotos, definitivamente Park não tinha com o que se preocupar.

 

* * *

 

- Bom, se você tivesse falado alguma coisa ao invés de ficar parado como uma estatua segurando essa plaquinha ridícula e esperando que eu te achasse, talvez eu não tivesse saído correndo pensando que tinha perdido o carro do instituto.

-Primeiramente, eu sou seu hyung, tenha respeito, e não haja como se você estivesse certo, por que você estava meia hora atrasado – o tom de Seokjin era elevado enquanto ele olhava desafiador para o garoto que agora sentava na sua frente no carro disponibilizado para levá-los até JYS – E não chame minhas plaquinhas de ridículas. Você não sabe quanto tempo eu passei fazendo cada uma delas, além do mais park Jimin só me achou por causa da plaquinha, não é mesmo Jimin?

- Hum? – Jimin observava a paisagem dos lugares descampados e montanhas por onde passavam e não dava realmente atenção à discussão dos dois rapazes que se iniciou assim que saíram do aeroporto – Sim, claro. As plaquinhas que Jin fez foram de extrema utilidade.

- O que eu notei foi sarcasmo na sua voz garoto? – O olhar de Jin agora era inteiramente voltado para si e Taehyung esboçava um sorriso vitorioso.

- É lógico que foi sarcasmo. Eu gostei dele.

- Espero mesmo que tenha gostado, pois Jimin é seu novo colega de quarto Taehyung.

Por um breve segundo, Taehyung – que até então não havia dado muita atenção a Jimin – mediu o garoto de cima a baixo antes de sorrir para ele e lhe estender a mão que Park não hesitou em aceitar

- É um prazer te conhecer Park Jimin.

- Igualmente Kim Taehyung.

- Acho que vocês vão se dar bem como colegas de quarto – Começou Jin – Agora, passadas as formalidades, é bom que vocês saibam de algumas coisas antes de chegarmos ao instituto. E prestem muita atenção no que eu vou dizer, por favor.

O tom de Seokjin estava mais grave que o habitual, como se ele quisesse colocar a importância do que iria dizer em sua voz.

- Ao chegarmos lá, vocês irão me acompanhar até o bloco A onde eu irei mostrar seu quarto. Como ambos se atrasaram na chegada do aeroporto, não terão muito tempo para se familiarizarem com o local, portanto deixem isso para depois e se arrumem depressa para a recepção do conselho – Jin olhou rapidamente para um relógio em seu pulso antes de continuar – Vocês terão no máximo quinze minutos para se arrumar e, por favor, não se atrasem mais do que já estão atrasados, é uma péssima primeira...

- O que nós deveríamos vestir para a recepção?

- Obrigado por me interromper Taehyung, se tivesse me deixado terminar eu já teria chegado nesse tópico – Seokjin suspirou enquanto olhava para um Taehyung que se segurava para não rir – Enfim, geralmente vocês têm a liberdade de escolher qual uniforme vão usar. Existem varias combinações e modelos diferentes, mas em todos os eventos da escola, como a recepção do conselho, vocês devem usar o uniforme oficial, que é praticamente o que eu estou...

- E onde você espera que nós encontremos esse uniforme?

Jimin começou a rir no mesmo instante da cara que Seokjin fez para Taehyung quando o garoto o interrompeu pela segunda vez. Era um semblante sem muita expressão, com a boca meio aberta e um olhar cansado.

- Taehyung, Jin já demora uma eternidade para falar, se você ficar o interrompendo toda hora acho que ele nunca acaba – Park disse ainda rindo, fazendo com que Seokjin voltasse sua expressão engraçada para ele.

- É por isso que eu fico interrompendo, ‘pra ver se ele fala logo as coisas importantes e para de ficar enrolando.

- Enrolando? – Jin colocou mais entonação na palavra do que o necessário. Ele estava visivelmente irritado, o que fazia Jimin rir ainda mais – Falaram os garotos que não conseguiram chegar no horário certo ao aeroporto em seu primeiro dia como alunos do JYS. Bom, pelo menos agora eu não tenho duvidas de que vocês se darão bem como colegas de quarto, ambos são extremamente parecidos; Se atrasam, são sarcásticos e altamente insolentes.

- Me desculpa Jin hyung, eu não vou mais te interromper, pode continuar falando o quanto você quiser já que é visível o quanto você adora falar.

- Já chega! – Jimin parou de rir e Taehyung abaixou a cabeça no instante que o tom de Seokjin chegou mais alto e imponente aos seus ouvidos – Nós estamos chegando ao instituto, e no momento que descermos desse carro eu quero que vocês me acompanhem. Nada de parar para observar o lugar, terão bastante tempo para isso depois. O uniforme de vocês já está no seu quarto e não precisam se preocupar com bagagem, ela vai ser colocada em seu dormitório. Fui direto o suficiente para vocês?

Ambos confirmaram com a cabeça e Seokjin sorriu suavizando toda sua expressão como se há poucos segundos atrás ele não estivesse querendo matar os dois rapazes mais novos que ele, e apontando para a janela do carro ele disse:

- Aproveitem, pois o tempo que vocês terão para observar o instituto será esse.

E então Jimin olhou pelo vidro se deparando com uma visão melhor do que a que havia sido retratada em qualquer foto de reportagem sobre o instituto. O lugar, que se encontrava mais abaixo deles, aos pés da colina que estavam descendo, era estonteante. Ainda maior do que ele havia imaginado, o instituto era dividido em oito blocos, que se erguiam ao redor de uma construção principal, além de também conter quadras e campos de vários esportes diferentes espalhados por sua extensão. Cada bloco tinha sua peculiaridade, tal como a arquitetura dos prédios, e em todo o campus, só havia três blocos que eram exatamente iguais, compostos apenas por construções Hanok, e exatamente opostos nas extremidades da esquerda, da direita e do centro.

 O coração de Jimin batia mais acelerado à medida que se aproximavam de JYS, e no momento que terminaram completamente de descer a colina, uma placa enorme feita de mármore com os dizeres “Eduquem as crianças, para que não seja necessário punir os adultos” se erguia na beira da estrada, de onde já era possível ver um uma grade de ferro negro escondendo a fachada do instituto.

 - Nada de parar para observar a vista, entenderam? Nós vamos direto para o dormitório – Disse Seokjin checando seu relógio de pulso.

Os dois garotos mais novos assentiram e ficaram observando atentamente quando o portão se abriu para eles. Taehyung parecia tão encantado com o lugar quanto Jimin, e os dois só despertaram para a realidade quando o carro parou e Jin começou a os puxar para fora já fazendo ambos seguirem-no.

 

* * *

 

Eles haviam seguido Jin até o ultimo bloco da esquerda, denominado de A, onde existiam apenas construções Hanok, um pequeno pátio a céu aberto e uma torre gigantesca, de onde provavelmente dava para ver todo o instituto. Seu dormitório se encontrava próximo a base da torre, em um pequeno Hanok que se dividia em uma sala simples, banheiro e dois quartos. A mobília dos cômodos era básica, o lugar não estava decorado e contava apenas com dois sofás na sala, uma cama em cada quarto e algumas mesas e armários espalhados por todos os cômodos. Assim como Seokjin havia dito, o uniforme deles já estava devidamente separado em um dos quartos, portanto, assim que entraram em seu dormitório, ambos se apressaram para se vestir ouvindo Jin reclamar de segundo em segundo sobre o quanto eles estavam demorando, do lado de fora.

- Jimin, me desculpe te interromper, mas... Bem... – Taehyung parecia constrangido enquanto lutava contra sua gravata sem conseguir dar o nó corretamente.

- Você não sabe dar um nó em gravata? Fala sério...

- Eu não costumo usar essas coisas. Preciso de tempo ‘pra fazer algo do tipo e Seokjin fica colocando pressão...

Jimin revirou os olhos enquanto caminhava lentamente até Taehyung que estava do outro lado do quarto, em frente a um pequeno espelho de parede.

- Que fique claro que essa é a única vez que eu vou fazer isso – Park disse já começando a arrumar a gravata de Taehyung.

- Vocês estão prontos? – Seokjin perguntou dando leves batidinhas na porta

- Quase – Taehyung respondeu sem muito entusiasmo e abaixou seu tom de voz para quase um sussurro no intuito de que só Jimin ouvisse o que ele ia falar em seguida – Eu realmente não fui com a cara dele.

- Por que não? – Jimin, que já estava terminando o nó na gravata de Tae, perguntou no mesmo tom.

- Ele não te pareceu meio controlador? Desde que chegamos aqui não para de dar ordens e brigar com a gente.

- Mas ele é um monitor, certo? Esse é o trabalho dele.

Taehyung pareceu realmente refletir sobre aquilo por um breve segundo e em seguida concluiu:

-Monitor ou não, não fui com a cara dele.

 

* * *

 

Depois de terminarem de se arrumar e seguirem Seokjin novamente até a entrada do instituto, eles finalmente chegaram à construção principal, onde – pelo que Jin disse – eram realizadas algumas aulas teóricas e todos os eventos de maior importância do local. O prédio gigantesco tinha uma arquitetura voltada para o clássico com uma escadaria levando a entrada principal, onde uma porta dupla de madeira se encontrava já aberta abaixo de um letreiro com os dizeres: “Jeon YongSoo”

- Quando entrarem vocês irão se direcionar para o lado esquerdo do salão, onde em algum lugar tem uma mesa com o nome de vocês

- Você não vai se sentar com a gente Jin?

- Não, eu me sento com os monitores, além do mais todos os lugares são pré-estabelecidos Jimin. Vocês se sentam com seus veteranos.

- O que você quer dizer com nossos veteranos? – Tae perguntou dando ênfase em “nossos veteranos”

- Vocês vão ver quando entrarem lá, agora vamos logo.

E com isso os garotos se apressaram a subir a escadaria e entrar no prédio. Do lado de dentro, a construção tinha um enorme saguão muito bem decorado com tapetes, quadros e alguns sofás distribuídos por sua extensão, de onde saia uma escadaria dupla e alguns corredores. Seokjin guiou os dois rapazes por um desses corredores até chegarem a um salão enorme repleto de alunos trajados com as vestes de JYS.

- Bom, é aqui que eu deixo vocês. Comportem-se e... Ah, antes que eu me esqueça, como sou o monitor responsável por vocês dois, se quiserem, depois da recepção eu posso apresentar a escola e explicar como as coisas funcionam por aqui – Havia certa expectativa tanto na voz quanto na expressão de Jin quando ele disse isso.

- Não vai ser necessário – Tae se apressou em dizer – Não é mesmo Jimin?

O olhar de Taehyung era quase suplicante para si e Park entendeu o que aquilo queria dizer.

- Muito obrigada Jin, mas nós podemos nos virar sozinhos.

E então por um breve segundo a expressão de Seokjin ficou mais séria, e Jimin pode ver certa tristeza em seu olhar.

- Certo, sem problemas. Vejo vocês depois então.

Dizendo isso Seokjin adentrou o salão e se misturou no meio da multidão de alunos que iam de um lado para o outro no intuito de achar seus respectivos lugares. Taehyung e Jimin não perderam muito tempo olhando e logo se encaminharam para o lado esquerdo do salão – como Jin tinha os instruído – procurando por uma mesa com seu nome. Não demorou muito para que eles encontrassem uma mesa redonda para seis pessoas onde havia apenas dois assentos vagos e seus nomes gravados em uma plaquinha de metal. Quando os dois se sentaram, as outras quatro pessoas que já estavam na mesa pararam o que estavam fazendo no momento para olhar os dois. Aparentemente, eles pareciam ser garotos normais e bem educados, pois não se demoraram muito os observando e logo se curvaram para recepcioná-los.

- Qual de vocês é Kim Taehyung? – Um dos garotos, que estava sentado no extremo da mesa, perguntou, e Jimin não pôde deixar de notar que ele estava visivelmente muito animado, pois esboçava um enorme sorriso que deixava seus lábios em um formato de coração, e falava em um tom alto o suficiente para atrair a atenção de todos na mesa.

- Sou eu – Tae respondeu sem cerimônias sorrindo tão amplamente quanto o garoto para quem se dirigia.

- Ótimo! Bem vindo ao instituto Taehyung, eu sou seu veterano e meu nome é Jung Hoseok.

- É um prazer Hoseok, e, por favor, me chame de Tae.

- Certo – Hoseok respondeu ainda sorrindo e voltou sua atenção inteiramente a Jimin – E quanto a você?

- Ele obviamente é Park Jimin, Hoseok – O garoto que estava sentado ao lado de Hoseok e ate então parecia um tanto quanto absorto a tudo que estava acontecendo se pronunciou pela primeira vez. Sua fala continha um leve tom de deboche e ele revirava os olhos quase que minimamente ao se dirigir ao amigo.

- Não seja mal educado Yoongi, se apresente propriamente ao garoto... Aliás, Seunghyun e Jaesook, não fiquem calados assim, principalmente você que é calouro como eles Jaesook – Realmente Hoseok era uma pessoa muito empolgada. Ele sempre gesticulava e colocava mais entonação que o necessário na voz, e como se não bastasse tudo isso, ele sorria de segundo em segundo de uma forma que poderia parecer boba, mas estranhamente lhe caia bem, como se o sorriso fizesse parte dele constantemente.

- Que seja... – O rapaz tinha uma voz grave e parecia distante quando falava, como se não se importasse nem um pouco com aquilo – Meu nome é Lim Seunghyun, sejam bem vindos.

- Eu sou Yun Jaesook – o ultimo garoto não identificado se pronunciou, e assim como Hoseok ele parecia muito animado, com seu tom de voz alto e sorriso destinado a Tae e Jimin – É um prazer conhecer vocês.

- E eu sou Min Yoongi, veterano de Park Jimin, não que isso realmente importe alguma coisa.

- Yoongi! – Hoseok o repreendeu – Por que você é assim? O garoto vai ter uma impressão errada de você se continuar agindo desse jeito.

Yoongi apenas soltou um suspiro exagerado e deu de ombros ignorando Hoseok

- Ele é uma boa pessoa Jimin, eu te garanto. Só não está tendo um dia muito bom.

- Yoongi tem razão Hoseok, toda essa historia de veteranos tendo que “cuidar” dos calouros é um pouco exagerada ate mesmo ‘pra você – Seunghyun fez aspas com os dedos enquanto falava, e mesmo se direcionando a Hoseok ainda parecia muito distante a tudo.

 Pela primeira vez desde que tinha se sentado àquela mesa Jimin viu o sorriso de Hoseok morrer e uma expressão chateada tomar conta de seu rosto por completo.

- Se vocês não se importam com os garotos e não querem ajudar tudo bem – ele não estava exaltado, mas seu aborrecimento era perceptível em sua voz – Eu vou ajudar, não só a Tae, mas também Jimin e Jaesook.

- Não foi isso que eu quis dizer Hoseok... Eu vou ajudar o garoto, é só que acho...

- Tudo bem – Jimin o interrompeu – Eu realmente não me importo com isso, posso me virar sozinho.

E então Yoongi olhou Jimin com a mesma expressão desinteressada que se dirigia a Hoseok, e antes que pudesse falar alguma coisa uma voz soou pelos alto falantes do lugar e suas atenções foram voltadas ao palco onde um homem baixinho de terno preto se encontrava sorrindo para os alunos.

- Bem vindos a mais um ano no instituto JYS!

Vários alunos aplaudiram e o homem baixinho sorriu antes de prosseguir.

- Esse ano algumas mudanças significativas ocorreram para a melhor adaptação de vocês. Cada calouro será acompanhado por um veterano, para que todas as dificuldades e duvidas de vocês possam ser sanadas por uma pessoa que já passou pela mesma situação. E quanto a vocês, alunos mais antigos, seu calouro é sua responsabilidade, cuidem deles e não se abstenham em momento algum. Meu nome é Goo Minjun e eu sou o diretor desse instituto, me procurem sempre que precisarem, mas não se esqueçam que os monitores podem resolver problemas menores em meu nome – Ele virou brevemente enquanto falava e acenou para alguém se aproximar que Jimin logo reconheceu sendo Seokjin – Agora, nosso principal monitor do bloco A irá lhes dizer algumas palavras.

Jin caminhou calmamente até o lugar onde estava Minjun e pegou o microfone da sua mão, mas quando ele começou a falar algo relacionado a regras de conduta e disciplina Jimin não prestou realmente atenção, pois alguns alunos da mesa ao lado da sua começaram a cochichar nervosamente e rir. Quando as risadas ficaram mais altas era quase impossível não olhar para eles, e Jimin percebeu do que tudo aquilo se tratava quando um garoto disse em tom alto o suficiente para todos ouvirem um breve “anormal” evidentemente direcionado a Seokjin, que em momento algum parou de falar ou se mostrou desconfortável. No entanto mesmo que Jin não perdesse a calma, o mesmo não se aplicava ao Park e a Tae, que começaram a ficar nervosos a cada segundo que alguém ofendia o monitor. Porem antes que pudessem fazer ou falar alguma coisa, Seunghyun se pronunciou em alto e bom tom:

- Qual é... Deixem ele falar

E sua fala pareceu surtir efeito nos outros garotos, pois no mesmo instante eles ficaram quietos e deixaram que Seokjin prosseguisse.

- Qual é o problema deles? – Tae perguntou.

-Seokjin é um bolsista Tae – Hoseok o respondeu, com o rosto levemente abaixado e um tom de voz grave.

- E qual é o problema nisso? – Jimin entrou na conversa, seu sangue estava fervendo, ele queria arrebentar a cara de todos aqueles idiotas que haviam ofendido Jin.

Hoseok suspirou pesadamente e abaixou a cabeça totalmente.

- O problema – Yoongi começou olhando intensamente para Jimin – É que ele é melhor que todos nós. E algumas pessoas não conseguem aceitar isso Park Jimin.

Jimin devolveu seu olhar na mesma intensidade, não gostava de ser intimidado por ninguém.

- E sempre foi assim?

- Sim, sempre foi assim – Seunghyun respondeu.

- Isso é realmente horrível, ele não parece ser uma pessoa ruim – Jaesook resolveu se pronunciar.

- Ele não é Jaesook, mas infelizmente as pessoas aqui não julgam caráter, e sim capital – Seunghyun finalizou com uma voz cansada.

 

* * *

 

Depois de mais algumas pessoas aleatórias da coordenação e alguns monitores se pronunciarem dando as boas vindas aos alunos, eles finalmente tiveram um tempo livre para aproveitar a recepção. Tae, no entanto ficou o tempo todo incomodado e com um semblante nada bom no rosto, o que intrigou Jimin e o fez questionar o motivo ao garoto.

- Tem alguma coisa errada Tae?

- Jimin, eu acho que deveríamos pedir a Seokjin para nos apresentar o instituto.

Park sorriu amplamente e assentiu repetidas vezes com a cabeça.

- Concordo, seria uma ótima idéia.

E então os dois saíram pelo salão à procura de Seokjin, que estava sentado sozinho em uma mesa ao lado do palco. Ele tinha um pequeno pratinho de comida a sua frente enquanto observava sem expressão arranjo de flores sobre sua mesa, e quando Jimin e Taehyung se aproximaram ele voltou seu olhar aos garotos sem muito interesse e esperou que eles se pronunciassem

- Hm... Então, Tae e eu achamos que se não for te incomodar muito, talvez agora você pudesse nos mostrar o instituto.

Taehyung abriu um enorme sorriso quadrado e Jimin direcionou a Jin seu típico olhar com os olhos exageradamente abertos de quando realmente queria algo de alguém e tentava atingir a pessoa com sua fofura, o que pareceu surtir efeito, pois Seokjin sorriu e levantou indo até os garotos.

- Pensei que vocês dois pudessem se virar sozinhos, o que fez com que mudassem de idéia?

- Nós sentimos sua falta Jin hyung – Tae disse simples.

- Os outros não são legais como você – Jimin completou.

Seokjin abaixou a cabeça e suspirou cansado.

- Não precisam ter pena de mim.

Os dois garotos parados a frente de Seokjin se olharam brevemente e Jimin sentiu seu coração apertar um pouco, mas antes que pudesse dizer qualquer coisa Tae deu um passo à frente e abraçou Jin, prendendo seus braços e depositando a cabeça antes baixa do garoto em seu ombro.

- O que você está fazendo Taehyung?

- O que você acha que eu estou fazendo? Obviamente isso é um abraço.

- Para com isso...

- Por que Jin hyung? Você não gosta de mim?

- Taehyung... Isso é estranho...

- Eu só paro de você aceitar eu e o Jimin de volta

Seokjin sorriu e assentiu com a cabeça para logo em seguida ser solto por um Taehyung visivelmente feliz esboçando seu sorriso quadrado.

- Certo, vamos?

- Esperem só um segundo – Jin se virou para a mesa e caminhou brevemente até ela pegando seu pratinho de comida e colocando seu conteúdo quase que todo na boca de uma só vez.

Jimin começou a rir com a cena e percebeu que alguém o observava de longe. Com seu cabelo cinza, olhos negros e a pele mais branca daquele lugar, Yoongi tentava ver sua alma de tão intensamente que o olhava. Park concluiu que o garoto gostava de intimidar as pessoas daquela maneira e então retribuiu seu olhar abrindo um sorriso para ele e arqueando ambas as sobrancelhas em uma atitude quase que infantil, e então começou a rir do semblante confuso que tomou conta do rosto de Yoongi antes do mesmo também começar levemente a sorrir discreto e mirando o chão levemente envergonhado. Ele não parecia mais intimidador, estranhamente aquela cena era adorável aos olhos de Jimin, que teve sua atenção tomada por Seokjin que estalava os dedos em frente a seus olhos.

- Ei, vamos logo

- Claro – Jimin sorriu acompanhando os garotos para a saída do salão.

- Jimin – Jin o chamou em um tom baixo o suficiente para que só ele ouvisse – Eu vi você o observando e digamos que Yoongi não é exatamente a melhor pessoa do mundo... Tenha cuidado com ele.

E então Park olhou para trás em busca do garoto que ainda mirava o chão levemente envergonhado. Jimin gostava de observar as pessoas, gostava de ler suas personalidades, e apesar de Yoongi tentar fortemente passar uma imagem de um cara fechado e frio pelo jeito como se portava, como falava e como encarava as pessoas, alguma coisa gritava para que Jimin não acreditasse naquilo, pois no fundo Yoongi poderia talvez ser uma pessoa doce, que se envergonha facilmente com um sorriso.

Claro Jin hyung – Sorriu para o platinado – Obrigado pelo conselho.

 

* * *

 

E então na companhia de Tae e Seokjin, Jimin viu os minutos daquela tarde ensolarada se tornarem horas, andando pelo campus, conversando e rindo com cada piada boba que Jin contava. Fora um dia realmente agradável, o que fez Jimin lembrar-se do que sua avó havia lhe dito há algum tempo atrás, antes de sua viagem:

Jimin meu querido... Não se preocupe com essa mudança, não há motivos para tanta aflição. Ache bons amigos e tente se adaptar que eventualmente as coisas irão se adaptar a você. Eu tenho certeza de que você será muito feliz no instituto, e eles terão sorte por ter um aluno como você por lá”

Jimin olhou brevemente para Tae e Jin e concluiu que aqueles eram os bons amigos que ele havia escolhido.


Notas Finais


E aí? O que vocês acharam?
Adoro críticas, acho que o melhor jeito de se corrigir é ouvindo o que as pessoas tem a dizer sobre o seu trabalho. Por isso eu adoraria que vocês falassem comigo se tiverem alguma opinião, por qualquer que seja.
Aliás, tô sempre aberta lá no twitter pra trocar umas ideias se você não gostar de deixar comentários
Espero que vocês perdoem meus erros, porque eu segurei esse capítulo um tempão com medo de postar e acabei não revisando, enfim, é só.
tá aqui o link do twitter, eu sou uma pessoa sociável e adoro conversar, então chama lá: https://twitter.com/Min_Trevosinha
Ah, e antes que eu me esqueça, Hanok são aquelas casinhas tradicionais coreanas ok?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...