História Youth - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Suga, Taehyung, Yonnmin
Visualizações 4
Palavras 7.871
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom, decidi postar dois capítulos no começo da história por que o primeiro era só de introdução mesmo, mas não vai ser sempre assim.
Espero que gostem de ler esse capítulo assim como eu gostei de escrever, nos vemos nas notas finais.
Boa leitura.

Capítulo 2 - A Festa Parte I - (Des) Organização.


 

03/03/2018 - Sábado 

Já se faziam cinco desde a chegada de Jimin no instituto JYS, e sua adaptação não estava sendo difícil como ele achou que seria. Na verdade, ele passava a maior parte do seu tempo com Tae e Jin, que assim como ele não tinham muita coisa pra fazer. Seokjin havia lhes explicado que a primeira semana era vaga, destinada totalmente a instalação dos alunos, e que após essa semana, seus celulares seriam recolhidos e eles começariam a ter as aulas.

Jimin não era uma pessoa muito apegada ao seu celular, mas saber que ele seria tirado de si o fez criar um sentimento de necessidade sobre o objeto que ele não tinha antes, portanto todos os dias ele efetuava o máximo de ligações possíveis para o máximo de pessoas que poderia, como naquele instante, por exemplo, que ele falava com sua tia Sook deitado no sofá do seu dormitório.

- Eu sei tia Sook, você já me falou isso.

“Mas é sério Jimin, as pessoas aí são horríveis... Não deixe ninguém te fazer de trouxa”

- Eu não vou.

“E fique longe do clube de ciências Jimin, eles te comeriam vivo lá”

- Do que você está falando?

“Lá é onde fica a maior concentração de ‘CDFs’ do campus, eles são realmente muito inteligentes e só aceitam pessoas como eles”

- Aish... O que você quer dizer com isso? Eu sou inteligente.

“Claro que é meu amor” ela riu enquanto falava, com seu típico tom de ironia “Inteligente como eu”

Jimin revirou os olhos dramaticamente.

 - Tia Sook, você vem me ver quando estiver passando por Busan?

Originalmente a família de Jimin era de Busan, o próprio garoto havia nascido e vivido lá durante seus primeiros anos, mas devido ao crescimento da empresa que agora pertencia a seu pai eles foram obrigados a se mudar para Seoul e sua tia Sook agora cuidava da sede de Busan, quando ela não estava fazendo uma de suas inúmeras viagens, é claro.

“Jimin, eu não perderia a chance de te visitar por nada nesse mundo. Adoraria ver a cara dos diretores por me ver de novo”

- O que você quis dizer com isso?

“Digamos que o conselho não é meu maior fã” Ela riu enquanto falava

- O que você fez tia Sook?

“Seu pai me mataria se soubesse que eu estou dizendo isso, mas mantenha a reputação dos Parks, por favor.”

- Reputação? Que reputação?

“Descubra por si mesmo, agora eu tenho que ir, e de novo, não deixe que eles te façam de trouxa mesmo que você tenha que socar a cara de alguém, e comporte-se” ela riu e completou “Na medida do possível”

- Ok, Tchau Tia Sook.

“Tchau Chimchim”

Ela desligou o telefone e Jimin ficou meio atônito olhando para o teto do dormitório quando de repente Tae se debruçou no braço do sofá aparecendo na vista de Jimin com o seu típico sorriso quadrado.

- Chimchim? – Ele começou a rir da expressão nervosa que Jimin lhe direcionou.

- É um apelido de infância... Nunca mais repita isso ‘pra ninguém.

- Acho que o Chimchim está muito bravinho...

- Tae, é sério, para com isso – Jimin disse já se levantando.

- Por quê? O Chimchim não gosta de ser chamado de Chimchim?

Jimin então começou a correr atrás de Tae pela sala do dormitório enquanto o último ria sem parar e fugia, isso até ambos serem surpreendidos por uma batida na porta de seu Hanok.

- Quem é? – Jimin perguntou se encaminhando a porta um pouco ofegante depois de correr tanto atrás de Taehyung.

- Sua esperança – Park revirou os olhos. Era quase perceptível o sorriso de Hoseok pela sua voz.

Ao abrir a porta, Park concluiu que estava certo; Hoseok sorria abertamente para ele. Nos últimos dias o garoto sempre visitava o dormitório atrás de Tae e Jimin, querendo passar um tempo com eles ou só conversar. Poderia parecer chato para quem visse de fora, mas o garoto era uma ótima companhia, ele iluminava o ambiente e tanto Taehyung quanto Jimin gostavam muito dele.

- Hobi hyung! – Tae sorriu ao ver o garoto na porta.

- Como vai Tae?

- Muito bem, e você?

- Eu estou ótimo, mas ficaria bem melhor se você e Jimin aceitassem meu convite para uma festa.

- Uma festa? – O rosto de Jimin se iluminou, ele adorava festas, e recentemente a monotonia havia tomado conta dos seus dias.

- Sim, e uma das boas, o que vocês me dizem?

Jimin olhou para Taehyung inquisitivo e o garoto deu de ombros deixando a decisão nas mãos do amigo.

- Nós vamos, só precisamos de um minuto.

- Claro, levem o tempo que precisarem.

 

* * *

 

- Hoseok, você precisa rever os seus conceitos de ‘Bom’ – Disse Jimin.

- Você precisa rever os seus conceitos de festa – Tae completou.

Hoseok apenas riu dos dois garotos. Eles haviam andado por vários blocos do campus até chegar a um ginásio de basquete muito afastado das outras construções, onde havia nada mais que umas seis pessoas contando com dois monitores ‘CDFs’, o zelador do bloco de esportes e três meninas que olhavam para o nada desinteressadas.

- Não sejam apressados – Hoseok sorriu – Ainda está cedo.

Jimin revirou os olhos e o mais velho continuou:

- Por que vocês dois não me fazem um favor e vão buscar algumas coisas ‘pra mim enquanto eu lido com eles? – Disse apontando para os monitores e o zelador.

- Que tipo de coisas? – Tae perguntou

- Aqui – Hoseok entregou a ele um pedacinho de papel meio amassado e a Jimin ele entregou outro quase igual ao primeiro – prestem atenção, agora são sete e quarenta, depois das oito vocês não podem ficar circulando livremente pelo campus então sejam rápidos e tentem não ser pegos. Ah, e voltem antes das nove.

Tae sorriu e já foi se direcionando a saída do ginásio apressado para cumprir sua “missão” enquanto Hoseok o lembrava de não ser pego. Já Jimin ficou olhando para o papelzinho em sua mão ainda sem entender direito o que estava acontecendo.

- Jimin-ah, se apresse, logo serão oito horas.

- Você está falando sério? E se formos pegos?

- Vocês não serão pegos. Os únicos responsáveis pelo campus hoje são os monitores e os zeladores, e digamos que nós estamos cuidando dos zeladores – Ele sorriu para Jimin – Agora vá logo.

- Nós? Nós quem Hyung?

- Você verá.

- Aish... É melhor valer à pena.

- Vai valer, eu prometo.

Jimin se encaminhou apressado para a saída do ginásio já desdobrando a papelzinho de sua mão. A caligrafia que ele julgou pertencer a Hoseok era horrível, e no topo do papel se lia seu nome completo, como se aquela lista de tarefas já houvesse sido preparada para ele previamente. Jimin então leu o primeiro item da lista.

1 – Chave F41 – Bloco F hanok nº 4 Bae Hanguk.”

- Mas o quê? – Disse a si mesmo já fora do ginásio.

Ele já havia se adaptado ao campus e sabia onde ficava cada bloco, pois Seokjin passou um dia inteiro o explicando sobre o lugar, portanto sabia que bloco F ficava na extrema direita e era o segundo bloco de dormitórios. Provavelmente Bae Hanguk era o nome do garoto que ficava no hanok nº 4 e tinha a chave que Hoseok queria.

Park checou brevemente seu relógio de pulso; eram sete e quarenta e oito. Ele não levaria menos que cinco minutos para chegar ao bloco F constatando a distância que aquele ginásio ficava do resto do campus – o tempo estava definitivamente contra ele. Quando deu por si já estava correndo pelas vielas mal iluminadas daquela parte do campus, ele teria que ser rápido e o mais importante de tudo; Não ser pego.

O garoto correu por alguns minutos incessantes quando por fim chegou ao pátio do bloco F sem maiores problemas. Na realidade o campus inteiro estava extremamente silencioso e vazio, qualquer um diria que uma rebelião estudantil poderia muito bem estar acontecendo naquele momento, mas era apenas um grupo de adolescentes querendo um pouco de diversão no meio do que deveria ser uma disciplina rígida baseada em conhecimento e conhecimento, afinal, assim como dizia o lema do instituto: “Conhecimento é poder”. Jimin se pegou rindo sozinho ao pensar naquilo enquanto procurava pelo hanok nº4, que não demorou muito para achar, pois era um dos primeiros, logo ao lado do pátio a céu aberto que era uma característica dos blocos de alojamento.

Apressado, o garoto parou a porta do hanok e checou seu relógio, cinco para as oito, ele estava no prazo que havia estabelecido para si mesmo. Respirou aliviado e bateu a porta um pouco hesitante para alguns segundos depois um rapaz alto de cabelos castanhos e estranhamente, vestindo roupas totalmente pretas dos pés a cabeça o atender. Ele analisou Jimin com um olhar desconfiado e um silêncio constrangedor pairou entre os dois até que o rapaz estranho resolveu dizer:

- Quem é você?

- Park Jimin.

- Quem mandou você Park?

- Hoseok.

O garoto o olhou inquisitivo. Aquilo parecia um interrogatório e Jimin já estava começando a ficar irritado.

- Qual o nome da família?

- Park.

O garoto levou a mão à testa em sinal de reprovação.

- Não o seu idiota, o de Hoseok.

E foi ai que Jimin perdeu a paciência.

- Eu não corri desde o ginásio até aqui para ficar respondendo um questionário seu. Você sabe que horas são agora por um acaso? – Park falava mais alto que o normal e havia uma visível irritação em sua voz – Jung Hoseok me mandou aqui, J-U-N-G. Agora dá para você me dizer se é ou não o Bae Hanguk que tem a chave que eu quero e do contrario parar de desperdiçar meu tempo?

O garoto arregalou os olhos e ficou extremamente vermelho.

- Fala baixo pelo amor de Deus – Disse puxando Jimin para dentro do dormitório, e quando já estavam os dois lá dentro e a porta fechada ele continuou – Eu precisava ter certeza que era realmente você... Não precisava se irritar desse jeito.

- Quem mais seria?

- Algum monitor ou espião do bloco I.

Realmente Hanguk tinha alguns parafusos a menos, mas Park resolveu ignorar.

- Então você tem a chave?

- Tenho... Espere aqui um minuto, eu já volto – saiu entrando em um dos dois quartos e deixando Jimin sozinho na sala do seu dormitório.

Cada segundo que o garoto demorava a aparecer era um pouco mais de aflição para Park. Logo seriam oito horas e ele ainda estava no primeiro item da lista de Hoseok, portanto deveria tomar o dobro de cuidado para cumprir as outras “tarefas” e ainda ser rápido para acabar antes das nove.

- Namjoon! – Jimin ouviu o grito de Hanguk vindo do quarto que a pouco o garoto havia entrado – Você viu a chave?

- Que chave Guk? – Uma voz grave respondeu no mesmo tom vindo do outro quarto do dormitório.

- A minha seu idiota... A do ginásio, qual mais seria? 

Jimin começou a se questionar sobre suas escolhas de vida quando os dois começaram a discutir por gritos. O garoto com quem Hanguk falava parecia ter um pouco mais de senso, e em meio a toda a gritaria dos dois um com o outro, Park pôde entender que eles também estavam trabalhando para que a tal “festa” acontecesse e o grande cabeça disso tudo era Namjoon, que de repente saiu afobado do quarto gritando consecutivamente “achei” e chacoalhando uma chave amarela nas mãos. Ele era alto assim como Hanguk e tinha o cabelo loiro arrumado em um pequeno topete.

- Eu sabia que estava com você – Bae apareceu sorridente – Agora eu tenho que ir, já são oito horas e eu estou atrasado.

- Cuidado com os monitores – Namjoon falou

Hanguk apenas sorriu e saiu apressado do hanok deixando os dois garotos para trás.

- Você deve ser Park Jimin, certo?

- Sim, e antes que você pergunte, Jung Hoseok me mandou aqui.

Namjoon soltou uma longa risada antes de prosseguir.

- Hanguk é bem paranóico, mas não deixa de ser uma boa pessoa Jimin. Meu nome é Kim Namjoon como você já deve ter percebido.

- É um prazer Namjoon, mas sem querer ser rude... Eu realmente preciso me apressar.

- Ah sim, claro – Estendeu a chave amarela que Jimin não hesitou em pegar – Eu também estou um pouco atrasado, tenho que cuidar de alguns zeladores. Vejo você mais tarde ok?

- Certo, até mais Namjoon.

Deu um breve aceno com a mão para o garoto e deixou o dormitório já buscando o papelzinho de Hoseok dentro do bolso de sua calça e checando o segundo item.

“2 – Chave da cede – Bloco F escritório do zelador: entre pela janela da lateral esquerda, é só empurrar.”

Jimin olhou brevemente ao seu redor. Se aquele bloco fosse igual ao seu, o escritório do zelador ficava na extremidade da direita, próximo ao limite das construções. Checando seu relógio – Que marcava oito e cinco exatamente – ele concluiu que deveria levar no máximo dez minutos para chegar lá, entrar e pegar a chave, então respirou fundo antes de voltar a correr na direção que acreditava ser a certa.

Depois de correr por vários dormitórios e quase perder totalmente o fôlego ele avistou uma construção verde pequena que era exatamente o que estava procurando: O escritório do zelador. Jimin nem se deu tempo para respirar e já foi se encaminhando para a lateral da esquerda a procura da janela que Hoseok citava nas suas instruções.

Entrar no escritório não foi um problema. Park havia conseguido localizar, abrir e pular a janela com muita facilidade, e agora já dentro do escritório mal iluminado ele tateava as cegas a procura de qualquer coisa que se assemelhasse a uma chave. Em seus pensamentos ele sabia que era em vão continuar procurando por algo no escuro, mas não podia se dar ao luxo de acender uma luz e correr o risco de chamar atenções indesejadas. Ele já estava se arrependendo por não ter levado o celular para que lhe provesse de alguma iluminação quando uma voz conhecida, porém meio robótica soou por um rádio de comunicação que estava em cima da mesa.

- Jimin? Você está me ouvindo?

Mais que depressa Park se debruçou contra a mesa e agarrou o radio apertando o botão que lhe permitia falar.

- Estou... Quem é você?

- É o Guk, eu estou te vendo pelas câmeras da sala de controle e consigo ver todo o escritório por meio do infravermelho. Não acenda as luzes, eu vou te guiar ok?

- Ok.

- Agora você vai estender seu braço para trás até sentir uma prateleira.

- Certo – Jimin estendeu seu braço ligeiramente para trás até sentir algo frio e metálico que julgou ser a tal prateleira que Guk falou – É isso?

- Isso, isso... Agora com as mãos na prateleira você vai andar para a sua direita até eu falar pare, entendeu?

- Entendi – Jimin se virou totalmente ficando assim de frente para a prateleira e com as duas mãos segurando firme na mesma e no radio começou a se locomover lentamente para a direita.

- Vamos logo Jimin, confie em mim... Pode andar mais, isso, um pouco mais... Aí! Para, não se meche.

Jimin percebeu que tinha chegado ao extremo do escritório, pois seu ombro direito encostou-se a uma parede.

- Agora você vai levantar sua mão acima da cabeça e levar ela para frente até encontrar um guarda chaves – Guk estava um pouco aflito enquanto falava – o que você procura é um molho de chaves em formato de argola, só tem um no guarda chaves.

Então Park fez como ele disse até que sua mão encontrou de cara uma grande argola sustentando varias chaves.

- Ótimo, agora sai daí – Guk estava mais aflito que antes o que fez Jimin ficar nervoso e se apressar para a direção contrária até a janela por onde entrou, porém antes que ele pudesse sair, a voz de Bae soou novamente pelo rádio em um leve tom de desespero – Se abaixa ai mesmo e fica quieto.

Jimin fez como ele disse e se esgueirou para baixo da mesa que estava próxima de si deixando a aflição tomar levemente conta do seu corpo.

- Guk? Hanguk? – o medo era nítido em sua voz – por favor, me responde...

Nada... Ele estava sozinho de novo sem saber o que estava acontecendo e imaginando que a qualquer momento algum zelador apareceria ali para pega-lo. E com esse pensamento em mente ele ouviu um barulho de chaves e maçaneta antes de a porta do escritório ser aberta. Todo o cômodo ainda era escuro, e Jimin teve a certeza de que estava ferrado quando viu por baixo da mesa o vulto da mão do homem se direcionar ao interruptor.

- Senhor Oh – Era a voz de Namjoon soando alta ao longe e impedindo que o homem na porta do escritório ascendesse às luzes.

- Namjoon? O que faz fora do seu dormitório? Não sabe que já passou das oito horas?

- Sim senhor, me desculpe – A voz do Kim já estava mais próxima, como se ele tivesse alcançado o zelador – é que eu tive um problema no meu dormitório e precisei vir atrás de você, se incomoda em me ajudar?

- Que tipo de problema? Não me diga que você quebrou mais alguma coisa...

- Dessa vez eu juro que não foi culpa minha o cano ter estourado.

- Aish Kim Namjoon, você não tem jeito – O homem riu enquanto falava – Me deixe só pegar minha maleta de ferramentas já que visivelmente eu vou precisar.

Jimin prendeu a respiração e sentiu todos os músculos do seu corpo se contraírem em desespero.

-Não! – A voz de Namjoon saiu mais alta e descontrolada que o normal – O senhor não se lembra que deixou a maleta no meu dormitório?

- Eu deixei? Nesse caso vamos logo então. Você pelo menos fechou o...

A fala do homem foi abafada pela porta fechada. Jimin ouviu o barulho da chave sendo girada contra a fechadura e soltou todo o ar que estava guardado em seus pulmões. Devia sua vida a Kim Namjoon.

- Tudo bem aí Park? – A voz de Guk soou descontraída pelo rádio, mas existia um resquício de alivio nela.

- Melhor impossível – Jimin riu – Me lembre de agradecer à Kim Namjoon depois.

- Ya! Agradeça a mim também, quem você acha que o mandou até aí?

- Muito obrigado Hanguk, eu fico te devendo essa.

- Certo – Ele riu – Agora sai logo daí antes que o senhor Oh volte. Boa sorte Jimin.

Hanguk nem precisou falar duas vezes para que Jimin levantasse correndo e pulasse a janela na mesma velocidade buscando algum lugar para se recompor, pois suas pernas ainda estavam bambas e coração disparado. Quando ele se sentou na base de um arbusto e julgou estar bem escondido, respirou fundo três vezes e sorriu. Nem as mais arriscadas aventuras que passou com Choi Jaewon se comparavam àquilo, estranhamente Jimin se sentiu feliz, estava sendo uma noite muito conturbada em sua vida, que com certeza ele sempre se lembraria.

Checou seu relógio mais uma vez e constatou que havia perdido muito tempo no escritório do zelador, pois já eram oito e vinte. Sem mais demora ele pegou o papelzinho amassado de seu bolso e olhou o terceiro item, que o deixou extremamente confuso e o fez questionar suas escolhas de vida pela segunda vez naquela noite.

3 –Min Yoongi – Bloco F hanok nº7: se ele se recusar a colaborar ameace bater nele, não tem como cumprir o próximo passo sem Yoongi.”

- Hoseok, eu te mato – disse a si mesmo – Aish, você só pode estar brincando comigo.

Não que Park tinha alguma coisa contra Yoongi, eles mal trocaram uma palavra um com o outro. Contudo, incomodava muito a Jimin o jeito que o mais velho o olhava – nas raras ocasiões que se encontraram durante aqueles cinco dias – sempre muito desafiador, como se quisesse intimidar ou provocar Jimin, travando uma batalha de olhares com o mais novo. Aquilo além de estranho era assustador. Será que Min não tinha ido com a cara do seu calouro? Porque pelo que Jimin observou e constatou, ele era sempre muito distante a tudo que acontecia e não fazia aquilo com mais ninguém.

Jimin se levantou e suspirou cansado. Tinha passado pelo hanok nº7 ao sair do dormitório de Namjoon e eram relativamente próximos. Ele olhou em volta algumas vezes e quando teve certeza de que o caminho estava livre se direcionou a passos rápidos até seu destino.

Reconheceu de longe o dormitório de Min Yoongi pela a plaquinha que todos os hanoks tinham para sua identificação. Respirou fundo ao parar na porta do dormitório do mais velho e bateu. Sem resposta. Bateu mais uma vez. Sem resposta. Tornou a bater, porém novamente em vão. O que faria agora? Seria Min Yoongi realmente imprescindível para a próxima tarefa? Porque havia luzes acesas e um som de musica vindos de dentro do dormitório se “não havia ninguém” lá dentro?

- Ah, mas você vai me atender... – Jimin começou a bater incansavelmente na porta e elevou seu tom de voz para que Yoongi o ouvisse – Min Yoongi, se você estiver ai dentro pode, por favor, abrir a porta?

O som da música parou de repente e Jimin ouviu passos nervosos se aproximando.

- Você é louco? – Abriu a porta e puxou Jimin para dentro rapidamente – Quer ser pego pelos monitores?

- Se você tivesse aberto a porta quando eu bati nas primeiras vezes poderia ter evitado isso.

- Bom, existe um motivo para as pessoas não abrirem a porta – ele parecia irritado – e se eu não abri é por que não queria ser incomodado.                                                                                       

- Mas Hobi hyung me mandou até aqui e...

- Então você pode falar para o Hoseok que como eu disse mais cedo, eu não tenho nenhum interesse em participar dessa bagunça que eles estão planejando – Disse interrompendo Jimin.

- Espera... Você está me dizendo que o Hoseok já sabia que você não iria me ajudar e me mandou aqui do mesmo jeito?

Yoongi apenas assentiu com a cabeça.

- Porque ele faria isso?

- Pergunte ao Hoseok. Agora, se você me dá licença eu tenho muita...

- Não. Me desculpa Yoongi, mas você vai vir comigo – Jimin interrompeu o mais velho.

- O que disse?

- Você vai vir comigo.

Yoongi riu debochado.

- Qual o seu nome mesmo garoto?

- Jimin.

- Então Jimin, eu não sei se você entendeu direito o que eu disse ou se tem algum problema de compreensão, mas eu não vou. Não adianta insistir.

- Acho que você não tem escolha Yoongi.

- Ah é mesmo? – Min arqueou uma sobrancelha – Me explique o porquê de eu não ter escolha.

- Você estava lá no primeiro dia assim como eu, e se me recordo bem, você é meu veterano certo? – Yoongi permaneceu em silêncio – Como o diretor Goo falou, os veteranos são responsáveis por seus calouros, logo você é responsável por mim.

- Esse é o seu grande ‘porque’ Jimin? – O mais velho tinha um olhar divertido ao se direcionar ao mais novo – eu esperava mais de você.

- Não sei se você entendeu direito o que eu disse ou se tem algum problema de compreensão – Jimin o olhou debochado – Mas você é responsável por mim. O que significa que se eu for pego, não serei o único a me ferrar.

Yoongi pareceu refletir sobre aquilo por um breve segundo. O silêncio se instalou entre eles e foi só nesse momento que Jimin percebeu que o garoto tinha os cabelos levemente bagunçados e estava de pijamas, sinais de que ele estava se preparando para dormir.

- Eles não vão me punir por algo que você fez de errado – Yoongi falava em um tom de incerteza, como se quisesse convencer mais a si mesmo do que a Park – eu não vou.

Jimin estava perdendo tempo com o mais velho, então simplesmente suspirou cansado e se direcionou a saída do dormitório deixando para trás o ser mais arrogante e mal humorado que ele havia conhecido até então: Min Yoongi.

Já a alguns passos de distância do Hanok nº7, em um lugar que Jimin concluiu ser seguro, ele pegou mais uma vez o papelzinho de Hoseok torcendo mentalmente para que não tivesse que fazer algo que realmente dependesse totalmente do Min.

4 – Equipamentos de som – Cede do instituto”

Quando Jimin estava ponderando acerca de sua total falta de noção sobre como faria aquilo e o que ele precisava pegar, uma mão no seu ombro o fez sobressaltar e olhar assustado para a pessoa que agora estava ao seu lado.

- Você é realmente horrível em se esconder – Yoongi havia trocado de roupas e carregava uma grande mochila preta nas costas – Hoseok não poderia ter escolhido uma pessoa pior.

- O que você está fazendo aqui? Pensei que não ajudaria.

Min deu de ombros.

- Você definitivamente seria pego, o que me traria muitos problemas – Disse tirando o papelzinho da mão de Jimin e passando os olhos sobre ele – Além do mais, eu sei que você não sabe o que fazer, estaria perdido sem minha ajuda.

Jimin revirou os olhos e Yoongi prosseguiu:

- Você pegou as outras chaves pelo menos?

- Peguei.

- Então me segue, agora são oito e meia e nós temos que ser rápidos – Começou a andar apressado enquanto falava – E tenta não fazer barulho.

- Eu não estou fazendo barulho – Jimin já começou a segui-lo a passos rápidos.

- Eu não disse que você está fazendo barulho Park, eu disse ‘pra você não fazer barulho, no futuro.

- Park? – Jimin riu – Pensei que você não sabia meu nome.

Yoongi ficou ligeiramente vermelho.

- Você está fazendo barulho agora.

- O que? – Jimin fingiu uma falsa indignação ainda com um sorriso no rosto – Mas eu não fiz nada

- Falar se inclui nas coisas que você não deve fazer, por que faz barulho.

Jimin continuou sorrindo durante todo o trajeto ate a cede do instituto. Vez ou outra eles paravam em algum lugar a comando de Yoongi para ter certeza que estava tudo vazio, e então tornavam a andar rapidamente. Yoongi sabia exatamente o que estava fazendo, pois era cauteloso, rápido e seguia por caminhos que Jimin não conhecia, mas que os levaram até a construção principal mais depressa.

Ao chegarem à cede, pararam em frente a porta principal, onde Yoongi pegou o molho de chaves de Jimin e instruiu para que ele vigiasse qualquer sinal de pessoas se aproximando. Em geral tudo correu perfeitamente bem, ninguém apareceu e o mais velho dos garotos não demorou a achar a chave certa, por isso conseguiram acesso ao interior da construção até que com muita facilidade.

- Cuidado com onde pisa – Yoongi advertiu enquanto buscava algo em sua mochila.

Assim como o escritório do zelador, a cede do instituto estava totalmente escura, e ligar a luz ali era uma opção menos considerável do que em qualquer outro lugar do campus.

- Me diz que você trouxe alguma coisa para iluminar o caminho – Jimin olhava suplicante para Yoongi que ainda mexia em sua mochila.

- Eu não tive muito tempo para pegar as coisas, nem pensei direito nisso – Ele suspirou e arrumou a mochila nas costas – Estava com esperança de que tivesse uma lanterna comigo, mas aparentemente não.

- E o seu celular?

- Se eu estivesse com meu celular você não acha que eu já o teria pegado?

Jimin bufou frustrado e de supetão Yoongi agarrou seu antebraço o puxando para frente conforme andava.

- Pise onde eu pisar entendeu? Já conheço bem esse lugar e sei onde temos que ir.

- E onde exatamente temos que ir? – Jimin resolveu ignorar o fato de que estava sendo praticamente arrastado por Min Yoongi, pois o garoto havia se mostrado ser uma grande incógnita, você não questiona e só aceita.

- Se lembra do salão onde foi a recepção alguns dias atrás?

- E o que nós temos que pegar lá? Eu não entendi muito bem pelo que Hoseok escreveu.

- Toda festa precisa de música Jimin, mas nós não podemos contar com o transporte de caixas de som pesadas, pois levaria muito tempo e chamaria muita atenção – A voz de Yoongi saia em uma velocidade quase tão lenta quanto seus passos, guiando a si mesmo e a Jimin no escuro – Por isso, Namjoon teve a brilhante idéia de usar as caixas de som do ginásio, e seria até muito simples se elas não precisassem de uma conexão com algum aparelho de reprodução sonora, como um rádio ou até mesmo uma caixa de som ainda que pequena.

- Por isso vocês vêm pegar os cabos de conexão aqui...

- Não só os cabos de conexão como também os microfones e adaptadores de entrada.

Yoongi parou de andar de repente e soltou o braço de Jimin. Pelo pouco que se dava para ver, eles haviam de fato chegado ao salão, agora totalmente vazio.

- Como nós vamos conseguir pegar tudo no escuro?

- Nós não vamos Jimin. ‘Tá vendo o telão atrás do palco? Quando você o liga, a luz que ele emite é forte o suficiente para iluminar parcialmente o salão, mas fraca o bastante para não ser vista de fora.

- Você tem certeza?

- Não – Yoongi começou a rir – Mas é nossa única escolha. Agora fica aqui enquanto eu procuro o interruptor e reza ‘pra eu não ligar o errado.

Quando Yoongi adentrou o salão andando a passos curtos até a parede do interruptor, Jimin percebeu o quanto era melhor fazer aquilo com alguém. Ele nunca teria chegado até ali sem o Min e nesse momento estaria morrendo de medo sozinho.

- Achei! Agora reza ‘pra eu não fazer merda.

- Você não vai.

E no segundo que Jimin terminou de falar a luz do telão invadiu seus olhos.

- Ótimo - Yoongi disse correndo até Jimin – Agora nós precisamos ser rápidos, por que eu não tenho certeza se dá ‘pra ver a luz do lado de fora.

- Do que precisamos?

- Você vai no armário que tem ao lado do palco e pega pelo menos três microfones enquanto eu cuido dos fios lá atrás.

- E como você vai enxergar?

- Eu dou meu jeito, agora se apressa.

Dizendo isso ele se dirigiu a portinha nos fundos do salão e Jimin foi procurar o tal armário no palco. Enquanto pegava os microfones, vez ou outra Yoongi aparecia na frente do telão e apontava alguns cabos para a luz. Fez isso pelo menos três vezes e quando terminou pegou os microfones de Jimin e colocou dentro da mochila agora cheia.

- Você tem relógio?

- Agora são dez para as nove – Jimin usou a luz do telão para checar as horas.

 - Certo, vamos logo então – Agarrou o antebraço de Jimin mais uma vez e saiu andando pelo salão até o interruptor, onde desligou o telão.

- Você é sempre assim com as pessoas Yoongi? – perguntou quando começaram a andar até a porta principal novamente.

- O que quer dizer com isso? Assim como?

- Sai arrastando elas em lugares escuros ‘pra roubar cabos e microfones quando na verdade deveria estar no dormitório.

Yoongi riu.

- Você não esta sendo justo comigo Park Jimin, afinal quem foi me atormentar e me tirar do lugar que como você disse, eu deveria estar?

- Touché – Os dois riram juntos enquanto continuavam andando.

Ao chegarem à porta principal Yoongi apenas girou a maçaneta e saiu cauteloso olhando tudo a sua volta. Jimin repetiu as ações do mais velho e respirou aliviado quando se viu fora da cede.

- O que mais devemos fazer? – perguntou à Yoongi que agora mantinha o papel de Hoseok consigo.

- Nada, pegamos tudo. Agora precisamos só levar ao ginásio e ajudar na organização.

- Então vamos logo, já são quase nove horas.

Min tomou a frente novamente e Jimin começou a segui-lo. Eles não tinham mais tanta pressa como mais cedo, e teria sido tudo tranqüilo, se de repente uma mão não tivesse tomado a boca de Jimin e o empurrado contra a parede de um prédio por onde passavam.

Jimin arregalou os olhos assustado ao olhar para Yoongi, que o segurava contra a parede com uma mão ainda na boca de Park e um dedo a frente da própria boca em um claro sinal de silêncio. Foi quando ouviu uma voz conhecida por si que resmungava palavras meio desconexas e se aproximava cada vez mais.

- Ah, mas se eles pensam que eu sou bobo... Como se não soubesse – naqueles cinco dias de convivência, Jimin havia aprendido que Seokjin tinha mania de resmungar para si mesmo quando estava nervoso – Eles vão ver quem é o bobo quando eu delatar essa bagunça.

O semblante de Yoongi se fechou e ele soltou a boca de Jimin.

- Volta para o seu dormitório e não sai de lá que eu vou tentar avisar eles, entendeu? – Sua voz era um sussurro tão baixo que se o garoto não estivesse extremamente próximo Jimin não teria ouvido.

- Nem morto Yoongi, não passei por tudo isso ‘pra acabar assim – Jimin não tinha a mesma descrição do mais velho e ao empurrá-lo para sair da parede e caminhar até o centro da viela Jimin elevou ainda mais seu tom de voz – Seokjin hyung!

- Jimin? – Seokjin parou de andar e se virou confuso para olhar o mais novo – O que você está fazendo aqui? Não sabe que não pode sair do dormitório depois das oito?

- Eu sei hyung, é só que ouvi o que você estava falando e não posso deixar que nos entregue.

- Nos entregue? Espera... Jimin me diz, por favor, que você não esta metido com essa historia de festa – O semblante de Jin era tempestuoso.

- Eu estou Hyung, e pra ser sincero eu não passei a última hora correndo por todo esse campus e me escondendo de monitores e zeladores, tendo que lidar com garotos estranhos e mal humorados e quase sendo pego ‘pra desistir fácil assim, então, por favor, não diga nada.

Jin negou com a cabeça em desaprovação.

- Eu estou decepcionado Jimin. Não pensei que você fosse esse tipo de garoto que...

- Que tipo de garoto? – Park o interrompeu – O tipo que se diverte? Que socializa? Que gosta de festas e vive?

- Você não sabe o quanto o que você está fazendo é errado. Infelizmente eu não posso abrir seus olhos para a realidade e como já sei que não vai me falar quem te colocou nisso e já vou indo. Só espero que Taehyung não esteja envolvido como você.

-Hyung... Por favor.

- Sinto muito Jimin, mas é o meu trabalho.

- Você deveria ir Seokjin – Era Yoongi que havia surgido do nada e se posicionava do lado de Jimin para falar com Jin – Eu posso pensar em vários motivos para você ir.

Ao ver Yoongi, Jin olhou exasperado para Jimin que quase conseguiu ler o que se passava na mente do garoto, como “Eu te avisei para não andar com ele” “não confie nesse garoto” “Min Yoongi não é uma boa companhia”.

- Eu sabia que você estava envolvido com isso – O tom de Seokjin era acusatório e ele estava gesticulando mais que o normal para falar – Mas você realmente precisava ter arrastado o Jimin ‘pra isso?

Jimin abriu a boca para contestar, mas Yoongi o impediu de fazê-lo.

 - Você está certo, envolver ele em tudo isso foi um erro, mas agora já está feito e sinceramente, você não gostaria de ver o garoto que mal entrou no instituto sendo repreendido e marcado pela direção não é mesmo?

Jimin olhou abismado para Yoongi. Ele estava realmente o protegendo?

- Olha o que você fez Yoongi! Aish, eu não posso deixar essa festa acontecer sem avisar um responsável pelos alunos.

- Então seja você o responsável, vá à festa e fique de olho em tudo, se alguma coisa der errado você pode delatar, e se não apenas aproveite, pois como eu te disse, tem vários motivos para você querer ir.

- Vários motivos? Engraçado que eu não consigo pensar em um.

- E que tal Kim Namjoon? Ele vai estar lá.

Jimin estranhou um pouco aquilo, mas percebeu que surtiu efeito, pois as orelhas de Jin ficaram extremamente vermelhas e seus olhos se arregalaram para Yoongi.

- E-eu, eu não...

- Não precisa se explicar Jin, só vá à festa.

- Bom, eu não posso ir – ele ainda estava vermelho, mas seu tom havia se neutralizado – mas também não vou entregar vocês. Vamos apenas fingir que essa conversa nunca aconteceu ok?

Yoongi sorriu vitorioso.

- Claro, nós nunca vimos você, não é mesmo Jimin?

O mais novo dos três apenas assentiu com a cabeça.

- Certo... Ah, e Jimin – Seokjin o olhou intensamente e Jimin viu a sombra de seu pai naquele olhar – conversamos mais tarde.

Com isso Jin foi embora e os outros dois voltaram ao trajeto do ginásio ainda com extrema cautela para não serem pegos, pois Seokjin não era o único monitor do instituto. Jimin até ficou aliviado de não ter aparecido ninguém enquanto conversavam – realmente eles estavam com sorte aquela noite.

 

* * *

 

- Você é corajoso Jimin – Yoongi soltou quando estavam entrando na viela que dava acesso ao ginásio.

- corajoso? – o mais novo riu – eu diria que sou imprudente.

- Isso também, mas acima de tudo a coragem requer um pouco de imprudência, na medida certa é claro.

Jimin não respondeu, ao invés disso resolveu sanar uma duvida que consumia sua mente desde a conversa com Jin.

- Yoongi, o que você quis dizer com ‘Kim Namjoon vai estar lá’?

Min parou de andar subitamente e olhou sério para Jimin.

- Aquilo Jimin, foi uma medida desesperada – ele estava sério enquanto falava – Tem coisas que não nos dizem respeito e nós não devemos repetir para ninguém, você me entendeu?

Jimin assentiu com a cabeça. Ele era uma pessoa extremamente curiosa, mas nunca havia invadido o espaço pessoal de ninguém e nem o faria, ainda mais por se tratar de um amigo.

- De qualquer jeito, obrigado por me ajudar – sorriu para Yoongi, que ficou um pouco tímido e desviou o olhar de Jimin.

Engraçado que apenas um sorriso podia o fazer perder a pose de intimidador.

- Você está fazendo muito barulho Park Jimin – Os dois riram e voltaram a andar até o ginásio.

 

* * *

 

Caos. Foi isso que Jimin encontrou ao entrar no ginásio e se deparar com pelo menos quinze estudantes que corriam de um lado para o outro carregando caixas e bebidas ou arrumando luzes e gritando um com o outro. Kim Taehyung já se encontrava no meio deles totalmente sorridente e animado seguindo Hoseok e o ajudando a carregar gelo de um lado para o outro da quadra. Jimin suspirou aliviado ao ver que o colega de quarto também não havia sido pego, e assim que o viu, Tae saiu correndo e o abraçou como se não se vissem há anos.

- Você conseguiu! – seu sorriso quadrado era visível no rosto animado – ainda bem, pensei que tinha sido pego.

- E eu quase fui, mas tive sorte.

- Park Jimin – A voz de Hoseok se sobrepôs ao caos – sabia que podia contar com vocês dois. Agora, por favor, me diz que trouxe a chave.

Jimin estendeu a chavezinha amarela que pertencia a Hanguk para Hoseok que abriu um de seus típicos sorrisos iluminados.

- Tae, você já sabe onde ficam os armários, pode ir pegar as coisas desse aqui ‘pra mim? – Hobi entregou a chave para Taehyung que assentiu com a cabeça – F41. traz tudo que tem lá dentro e cuidado ok?

Quando Tae se afastou animado para o vestiário do ginásio, Hoseok olhou sério para Jimin.

- Você o trouxe?

- O equipamento de som?

- Não... Quer dizer, isso também, mas eu me refiro ao hyung.

- Ah, Yoongi – Jimin então percebeu que o rapaz havia sumido de repente e olhou em volta o procurando – Bom, nós viemos juntos e até entramos no ginásio juntos, mas eu não sei onde ele está.

Hoseok arregalou os olhos em surpresa.

- Você está falando sério Jimin? O hyung concordou em ajudar?

- Você disse que era ‘pra eu ameaçar bater nele então...

Hoseok começou a rir.

- Obrigado Jimin.

- Jung Hoseok, se considere um homem morto – A voz de Yoongi soou por meio das caixas de som do ginásio.

Todos começaram a comemorar a presença de som e a rir de Hoseok naquele momento, e Jimin simplesmente olhou para a cabine de narração onde Yoongi estava, surpreendentemente, esboçando o sorriso mais adorável que Park já vira na vida.

- Ele deveria sorrir mais você não acha? – Hoseok o surpreendeu enquanto ele olhava para Yoongi – sinta-se feliz, pois você fez aquilo.

Jimin olhou meio bobo para Hoseok, que já andava para longe dele indo de encontro a Tae que apareceu carregando uma quantidade absurda de luzes e fios nos braços.

- Jimin-ah – Era Kim Namjoon que havia surgido do nada do lado do garoto e o olhava sorrindo – Posso falar com você por um instante?

- Claro – Jimin retribuiu o sorriso e acompanhou Namjoon até um assento de arquibancada, onde os dois se sentaram – antes de qualquer coisa Namjoon, eu preciso agradecer. Sério, se não fosse por você e Hanguk eu estaria ferrado.

- É isso que fazemos Jimin, nós protegemos um ao outro.

- Nós?

- É exatamente sobre isso que quero falar, Jimin. Você merece explicações sobre o que está acontecendo e não acho que quem colocou um papel de tarefas na sua mão – Olhou acusatório para Hoseok que ajudava Tae distraído – tenha o feito. Estou certo?

Jimin assentiu com a cabeça e Namjoon continuou:

- Quando eu, Yoongi, Hanguk e Hoseok entramos no instituto a mais ou menos um ano atrás, nós percebemos que esse lugar não era a maravilha que pensávamos. Os alunos eram pessoas horríveis, os professores eram pessoas horríveis e até mesmo os zeladores e monitores eram pessoas horríveis. É claro que isso não é uma regra e existem suas exceções, mas o fato é que nós começamos a ficar desmotivados. Eu me encontrei em Yoongi, que sofria assim como eu por não aceitar o que acontecia aqui e infelizmente, não poder fazer nada e nós trouxemos ambos nossos colegas de quarto para o nosso lado, nos unindo e nos tornando mais fortes contra a repressão. Mas infelizmente o sistema é muito grande Jimin, e nós somos muito pequenos. Eu não podia aceitar as coisas e mesmo se eu tentasse não conseguiria mudar nada.

“Foi aí que eu tive a idéia de fazer pequenos encontros, como reuniões, para as pessoas que assim como nós, achavam o que acontecia aqui inaceitável e queriam mudar essa situação. No começo, além dos quatro apenas duas pessoas apareceram, foi realmente desmotivador. Mas com o passar do tempo mais e mais pessoas começaram a aparecer e tudo foi ficando grande demais a ponto de nos tornarmos enfreáveis. Precisávamos de um lugar maior, onde não chamaríamos a atenção e precisávamos fazer isso as escuras, para que ninguém soubesse do nosso movimento. Então eu encontrei o ginásio. Ele está abandonado há muito tempo e só o clube de ciências usa de vez em quando para testes, por isso ele tem isolamento acústico. Era uma ótima idéia, nós poderíamos fazer o barulho que quiséssemos e ninguém iria nos ouvir, ninguém iria nos julgar e acima de tudo ninguém iria nos reprimir. Eu e Hanguk estudamos os horários e folgas de todos os funcionários do instituto, passamos meses tentando achar brechas e um modo de evitar as câmeras. Depois de muito observar nós descobrimos um dia todo mês que os guardas tinham folga e os professores saiam para um jantar na casa do diretor na cidade, nesse dia todo o campus ficava nas mãos dos monitores e zeladores. Era o plano perfeito, Hanguk era bom com eletrônicos e conseguia facilmente ter acesso a câmeras e monitorar nossas ações, eu fiz amizade com os zeladores, e sempre dava um jeito de tirá-los do nosso caminho e colocá-los para dormir depois das nove, Hoseok controlava tudo no ginásio e Yoongi era o responsável por invadir os prédios e pegar as coisas que precisávamos. Nossa única regra era que não houvesse ninguém fora do ginásio depois das nove horas, por que esse era o horário que Hanguk adulteraria as câmeras e as colocaria em loop até o final da noite. Nos meses seguintes ao nosso primeiro sucesso, nós aguardávamos ansiosos o dia em que o campus ficaria vazio para a “festa”. Essa se tornou a melhor parte de pertencer a esse lugar até o dia que nos pegaram. Hanguk, eu, Yoongi e Hoseok pensamos em todas as variáveis e em tudo que poderia levar a coordenação a saber disso, nós só não pensamos que os alunos com quem lutávamos poderiam ficar sabendo, isso nem sequer passou pela minha cabeça. Mas eles souberam no dia em que vieram a festa pensando que era uma coisa voltada somente para a diversão e ouviram quando nós gritávamos seus nomes em letras de Rap condenando tudo de mais errado que faziam. Para ser sincero acho que nunca apanhei tanto na vida como no dia seguinte quando pegaram a mim e a Yoongi e nos arrastaram até o ginásio de baseball. Eles tiraram nossas roupas e acertaram todo nosso corpo com tacos, eu nunca fui tão humilhado na vida, e o mesmo se aplica a Yoongi. Depois disso tudo acabou, o medo tomou conta de nossas vidas novamente e cada um seguiu seu caminho longe do outro até esse ano. Os meninos que haviam feito aquilo comigo e Yoongi eram veteranos do quinto ano e foram embora. Eu não tenho mais medo e também não quero mais ficar quieto. Nós planejamos isso muito bem e dessa vez realmente pensamos em todas as variáveis, não vai acontecer o que aconteceu no passado. Eu gostei de você e do seu amigo Taehyung, Hoseok me contou como vocês se portaram quando atacaram Seokjin e como vocês são próximos a ele, eu sou grato a vocês por isso e ficaria muito feliz se os dois aceitassem se juntar a nós e fazer exatamente o que fizeram hoje todos os meses, com todos os riscos e problemas que podem surgir ao longo do caminho.”

O garoto havia falado tudo de uma vez quase que sem pausas e Jimin o olhou ainda tentando digerir tudo que havia acabado de ouvir. Ele sentia um calor dentro de si que gritava para que dissesse sim a Namjoon, mas não podia ser egoísta.

- E quanto ao Tae? 

- Eu conversei com ele um pouco antes da sua chegada e ele disse que a única coisa que o impede de dizer sim é você. A amizade de vocês é realmente muito bonita.

Amizade que havia nascido em cinco dias e já era extremamente importante para Jimin.

- Nesse caso Namjoon, você pode contar inteiramente comigo todos os meses, com todos os riscos e problemas.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Me avisem qualquer erro e deixem suas opiniões nos comentários.
Muito obrigada por terem lido a história e até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...