História Youth - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Tags Pretty Little Liars
Visualizações 4
Palavras 1.415
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Depois de anos tá aí novo capítulo.
Espero que gostem.

Capítulo 8 - Ex


Quando acordei de manhã com o despertador resolvi não ir na escola, motivo: não tava afim (simples). Depois daquele sonho eu não dormi direto mais, só umas sonecas.

E agora o que eu estou fazendo? Mexendo no celular, única coisa que eu sei fazer na vida mesmo.

Vem uma mensagem no whatsApp, abro e vejo que é mensagem do Daniel.

What? O que ele quer? Só deve querer algo, pode escrever ele só me procura quando precisa de alguma coisa.

Também né eu sou a mais inteligente do grupo.

Abri a mensagem:

“Tá aí?”

“Tô, que que cê quer?”

“Peguei recuperação de espanhol, pode me ajudar nos conteúdos? Você é a melhor nessa matéria”

Anotou o que eu disse? Sou a melhor mesmo.

“50 reais, garanto que você sai falando espanhol daqui”

Se vocês não perceberam eu sempre cobro dele pra ajudar, não sou abrigada a fazer as coisas de graça pra ele.

“Ok, depois a gente marca”

“De boas então”

Acho que devo ter uns 500 só desse ano que ele me deu (não se engane nós nos odiamos mas fazer o que se ele é burro né), lucro pra mim.

Sabe que agora me deu uma fome.

Me levanto e vou até a cozinha achar alguma coisa pra mim comer, abro a geladeira e vejo o que tem de bom.

Abro um sorriso quando vejo um molho de cachorro quente, coloco esquentar e monto com tudo o que tenho direito.

Comecei a comer ali mesmo na cozinha, ainda bem que estou sozinha na cassa, mamãe vive reclamando que eu sou muito exagerada, mas que se importa?

Fazer o que se comer é a única coisa que eu amo de paixão e não requer esforço, olha que coisa boa né?

Outra mensagem aparece dessa vez é do Travis:

“Tá bem?” ai que fofinho ele, awm.

“Tô sim, só não tava com vontade de ir na escola hoje”

“Que bom, que tal vir jantar aqui em casa hoje?”

“Claro só que antes vou ter que falar com a Melissa”

“Tá combinado então”

“Ok, tchau, bj”

“Tchau, bj”

E agora só me resta esperar a Melissa chegar (ela chega as 13 horas e a mamãe as 22).

Decido ir para o parque que tem aqui perto (duas quadras á direita, pra ser mais exata), pego o casaco porque tá frio e com o tempo nublado bem do jeito que eu gosto.

Coloquei o celular no bolso e sai, nem tranquei a casa (aqui no bairro é muito seguro).

Me sento em um banco na praça, me escoro no banco e coloco os meus fones com uma música triste, fico observando a movimentação da rua.

Em frente tem um prédio, em umas das janelas um homem fala no telefone com cara de bravo, provavelmente xingando alguém, muitos dos carros que passam também falam no telefone, a maioria são homens, essa é uma típica cidade em que os homens dominam e as mulheres ficam com a cabeça baixa, são poucas as mulheres que ocupam cargas importantes, o resto tem um pensamento do século passado, acho isso muito idiota, “lugar de mulher é na cozinha’, lugar de mulher é onde ela quiser e ninguém tem nada que ver com isso, penso primeiramente em mim e segundamente nos outros, sou egoísta? Sou mesmo mais quem se importa com isso? Não é pensamento de homem que vai me fazer mudar de pensamento.

Dá vontade de matar essas mulheres e colocar ET´S no lugar, eles tem um pensamento mais avançado que elas.

Fazer a mesma coisa com os homens que querem mandar nas mulheres.

Me revolto com isso, por muitos desses motivos que eu quero sair daqui, morar em um lugar maior e ter um emprego bom, ainda não sei o que eu quero fazer mais quero ficar rica, muito rica.

O chefe da minha mãe também é assim, ela gosta dele mas não sabe como falar porque ele é casado e deixou bem claro que é só curtição, mas eu sei que não é isso, como eu descobri? Não foi muito difícil já que ela passa a maior parte do tempo no trabalho, vi eles entrando no motel e o resto eu dei meu jeito, nada discretos eles, acho que ele também gosta dela mas não tem coragem de assumir e largar a mulher, já sabe como é.

Ela ganha bem mais do que deveria por isso, de alguma forma ele tá se aproveitando dela e ela dele.

Isso é mais um motivo pra ter ranço dele, se ele trai ela com a minha mãe imagina se houver outras, provavelmente.

Sinceramente eu não entendo o que tem na cabeça dessas mulheres que perdoam traição, porra, ele foi pra cama com outra mulher e elas perdoam, pau no cu delas, “é pra não destruir a família perfeita”, o caralho isso, não existe família perfeita mais existe famílias que se respeitam, e daí se temos brigas se “a mulher não estava dando conta”, se separa, simples, mas não tem que trair, nunca vou entender a cabeça deles.

-Mariana?- ouvi uma voz me chamando.

Pera ai, pera ai, pera ai, eu conheço essa voz, não pode ser, não seja ele, não seja ele, por favor, ele foi embora e não voltou mais não é agora que ele iria voltar.

Me virei pra ver se era mesmo quem eu estava pensando, e adivinha é ele.

-Rodrigo- sussurrei seu nome, não sei se ele ouviu, foi a única coisa que saiu da minha boca.

Ele está diferente, deixou a barba rasa o que destacou os seus olhos azuis, o cabelo tá comprido, os músculos cresceram, que homão da porra.

-Você está mais linda do que da última vez que nos vimos- galanteador como sempre, pelo visto não mudou muito, só pela voz dá pra perceber que continua o mesmo canalha de sempre.

-Já faz muito tempo, em 3 anos tudo pode acontecer- falei fria.

-Pelo visto não esqueceu do que aconteceu, eu sei que nem nos despedimos e eu fui um babaca mas como você falou em 3 anos tudo pode acontecer- eu até acreditaria nessa cena dele mas eu sei que é mentira.

-No seu caso é diferente, eu aprendi que tipos como você não mudam nunca- falei.

-É sério, eu não trai mais nenhuma namorada minha, aquela foi a última vez, eu me arrependi muito- ele se aproximou mais.

Ri sarcástica.

-Você não deveria estar no México?-  perguntei.

-Acabei de voltar, lembra da minha tia?- assenti- ele tá com câncer tem poucos dias de vida, nos mudamos pra ficar com ela e resolvemos ficar aqui.

-Sinto muito por ela, mas realmente prefiro que você esteja longe de mim, sabe muito bem que nem se deu ao trabalho de me procurar, não vai ser agora depois de anos que vamos nos reaproximar- falei com raiva, já sei a intenção dele, aprendi muito nesses 3 anos, ainda mais tendo um melhor amigo pegador que por acaso tem um melhor amigo quebrador de corações.

-Porcaria, eu te procurei mas você não quis falar comigo, você fez o maior drama- quase gritou comigo.

-DRAMA, EU PEGUEI VOCÊ NA CAMA COM OUTRA E FIZ O MAIOR DRAMA, SEU IDIOTA, DEPOIS QUER VIM FALAR QUE MUDOU, SE TOCA E NÃO ME PROCURA MAIS- gritei, fazendo algumas pessoas que tinha no lugar arregalarem os olhos, mas nem dei bola pra eles.

Meus olhos se marejaram, não que eu sentisse algo por ele, estou com vontade de chorar de raiva, pelo tempo em que eu sofri com a imagem dele fodendo uma garota na minha frente.

-Eu sinto muito- falou baixinho envergonhado, me poupe né.

-Eu também- sussurrei.

Virei as costas e sai andando o mais rápido possível.

Parece que foi ontem, eu entrando no quarto dele e ela em cima dele, os dois nus, tranzando, filho da mãe, idiota.

Derramo algumas lagrimas quando chego perto de casa, lagrimas de raiva, na verdade nem quando eu tô triste eu choro, mas me deixa com raiva, que eu choro litros, quebro tudo, mas não antes de falar umas verdades, me controlo e só choro quando estou sozinha, quase ninguém me vê chorando, são poucas as pessoas que veem.

Entro em casa e me jogo na cama, e penso sobre o passado, tive ainda mais 3 namorados que me traíram, só que não doeu tanto, o primeiro chifre a gente nunca esquece, isso mesmo ele me deu o meu primeiro chifre.

Durmo já que ainda é sedo e a melissa chega daqui 3 horas.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e que tenha ficado legal.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...