História You've got to hide your love away - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Beatles
Personagens George Harrison, John Lennon, Paul McCartney, Personagens Originais, Ringo Starr
Tags Amor, Comedia, Cynthia Powell, Drama, George Harrison, John Lennon, Músicas, Paul Mccartney, Ringo Starr, The Beatles
Visualizações 37
Palavras 1.989
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi nenes! Ta aí mais um capítulo com essa foto linda do John e da Cyn. Queria saber de vocês, o que vocês preferem? 1 capítulo por dia, 1 por semana ou 1 a cada 3 dias? Aguardo a resposta de vocês nos comentários!
Boa leitura <3

Capítulo 11 - Chapter XI


Fanfic / Fanfiction You've got to hide your love away - Capítulo 11 - Chapter XI

Todos se entreolhavam boquiabertos com a oportunidade que foi lhes dada. John me beijou calorosamente agradecendo pela oportunidade, e todos saímos rindo à toa do clube.

George, Ringo e Paul foram na frente saltitando feito crianças e planejando o que fariam quando fossem ricos.

- Vou sentir sua falta – Puxei John pela mão fazendo-o parar de caminhar.

- Você não vai? – Perguntou surpreso tirando o cabelo de meu rosto.

- Não, essa é sua chance, e além do mais tem a escola, não posso abandonar de uma hora para outra. Essa é a sua chance, vá com tudo, estarei lhe esperando. – Concluí sorrindo olhando seu rosto. Que garoto lindo, deus do céu. Um silencio se formou por alguns minutos, John olhava fundo em meus olhos e aproveitava aquele momento como se fosse o mais feliz de sua vida.

- Eu te amo, Lucy – Disse John baixinho pela primeira vez, envolvendo minha cintura em seus braços. Corei imediatamente, mas sabia que sentia o mesmo.

- Eu também te amo, Lennon – Concluí fazendo-o sorrir ainda mais, e nos beijamos como se fosse a primeira vez. Entrelacei meus braços no pescoço de John arranhando levemente sua nuca. John passou a mão delicadamente sobre minhas costas até chegar em meu bumbum.

- John! Pare de transar e venha logo, precisamos escolher as músicas que irão ser gravadas! – Gritou George fazendo-nos rir entre o beijo.

- Vai, é a sua chance – Sorri, terminando o beijo e desejando-o sorte.

- Você é demais, Lucy – John me deu um selinho e correu em direção aos outros rapazes. Voltei para casa nas nuvens, como se eu fosse da banda. Os rapazes eram talentosos, iriam bombar nas paradas musicais, com certeza. Ao chegar em casa meu pai estava dando alguns telefonemas e avisando seu pessoal da viagem, e de como eram os garotos. Mamãe estava cozinhando algo para nós, e eu me senti extremamente feliz naquela situação, tudo estava dando certo. Logo mais jantamos e jogamos conversa fora, foi a coisa mais incrível que eu pude fazer, morria de saudade dos meus pais assim. Eles ainda se amavam, dava para ver. Tomei um banho demorado e fui me preparar para dormir. Estava deitando quando ouvi aqueles barulhos na janela novamente, só podia ser John. Abri a janela e lá estava ele escalando minha casa.

- Você acha que é o Romeu? – Perguntei rindo, o ajudando a entrar.

- Cale a boca – Disse ele me agarrando em seguida. John me pegou no colo e me beijou intensamente, me deixando surpresa com o ato. – Preciso ter você antes de partir – Disse entre o beijo, me deitando lentamente na cama. Não reagi, e simplesmente cedi. O beijava de forma tão intensa que nos faltava o ar. John sentou tirando sua camisa rapidamente, como se precisasse daquilo para viver. Deitou sobre mim e beijou meu pescoço alternando com mordidas. O empurrei para o lado e subi nele, se era aquilo que ele queria, aquilo teria. John tirou minha camisa e pressionou meu corpo no seu com força. Beijava seu pescoço com toda vontade que tinha, ele passava a mão no meu corpo, me atiçando ainda mais. Ao chegar em minha calça de pijama sussurrou em meu ouvido:

- Tira – e logo o mordeu, me fazendo arrepiar. E assim o fiz. Tirei minha calça e John prontamente se posicionou entre minhas pernas, começando a penetrar em mim lentamente. John estava com toda a corda aquele dia, parecia que seria a última vez que nos veríamos. Nossos corpos suavam e parecíamos um só. John sabia exatamente como me satisfazer, e nunca errava.  John aumentava a velocidade de seus movimentos, me fazendo arranhar com força suas costas, ele adorava. Ficamos ali por horas, que pareciam séculos, e nada nos importava, a não ser nós mesmos. Depois de um tempo John me agarrou com mais força e logo gozou, me fazendo suspirar profundamente.

- Uau – Disse ele deitando-se exausto ao meu lado.

- Eu sei... – Respondi tirando o cabelo de meu rosto.

- Você é incrível – Completou John cobrindo sua cintura e me deitando em seu peito.

- Eu sei – Respondi rindo, ainda ofegante. Um silencio se formou até que recuperássemos nosso folego.

- Queria que você fosse conosco para NY – Disse ele acariciando minhas costas nuas com as pontas dos dedos.

- Eu também queria.... Mas confio no seu potencial. – Concluí dando um beijo em seu peito.

- Os sócios do seu pai disseram que precisávamos de algo como uma secretária, que ficasse perto de nós e nos ajudasse a programar nossa rotina.... Os garotos sugeriram Cynthia, pois ela já fez algo do tipo quando trabalhou para o dono do Cavern. Se os resultados da nossa música forem bons no primeiro mês, ficaremos lá por 1 ano, somente divulgando nosso trabalho e tentando ganhar alguns trocados. – John disse cuidando as palavras, pois sabia que a ideia não me agradaria. Cynthia colada em John por 1 ano, é isso mesmo? Bom, não podia demonstrar ciúme naquele momento, era a carreira dos meninos que estava em jogo, e não podia deixar minhas inseguranças atrapalhar.

- Ah... Bom, tudo bem... – Falei baixinho suspirando.

- Tudo bem? – Perguntou John assustado com minha tranquilidade.

- Eu confio em você – Completei olhando em seus olhos e sorrindo. John se sentiu um pouco mal naquele momento, pois se sentia atraído por ela.

- E eu amo você, garota. – Concluiu o assunto sorrindo e deitando-se em mim. Fizemos amor novamente e logo dormimos feito pedra, abraçados como se fosse nossa última noite juntos.

 

Acordamos em torno de seis horas da manhã, estava frio e eu estava abraçada em John. Seu corpo nu me aquecera de uma forma surpreendente, e eu desejava não precisar sair dali tão cedo, mas infelizmente, tínhamos aula. Virei-me lentamente para ele, que não movia um fio de cabelo, estava em sono profundo. Fiquei o observando por alguns instantes, sua expressão serena e seu cabelo baixo, sem aquele topete revelava um menino, um menino carente e que precisava de cuidados. Naquele momento percebi que estava completamente apaixonada por ele, sem imaginar o que viria pela frente. Coloquei minha coxa em sua cintura e beijei delicadamente seu rosto, sussurrando um suave “bom dia” em seu ouvido, e logo beijando seu rosto novamente. John despertava lentamente, formando um lindo e arrastado sorriso nos lábios.

- Eu sou o filho da puta mais sortudo desse mundo por poder acordar assim. – Seus olhos continuavam fechados, e ele não fazia o menor esforço para abri-los.

- Está na hora da escola – Continuei sussurrando, agora olhando seu lindo rosto e acariciando sua testa com a ponta dos dedos.

- Nós realmente precisamos ir? – Perguntou John com a voz arrastada de sono, que era bem sexy, devo admitir.

- Infelizmente sim – Respondi desanimadamente, dando um terno beijo em seus lábios, e levantando vagarosamente. Sentei aos pés da cama e levantei nua em direção a porta, na intenção de trancá-la, afinal, meus pais não sabiam que John passara a noite comigo.

- Você não cansa de ser linda? – Perguntou John olhando meu corpo nu como se fosse um pedaço de carne.

- Não – Respondi rindo e logo juntando as roupas dele do chão, na intenção que ele as vestisse, e assim o fez. Deixei John trancado no quarto, cumprimentei meus pais, para que não precisassem checar se estou acordada e assim dar de cara com John e tomei um breve banho, voltando ao quarto rapidamente.

- Me encontre na esquina – Dei um selinho em John, abri a janela e saí pela porta normalmente. O encontrei a alguns metros dali e seguimos para a escola. Não consegui prestar atenção em absolutamente nada, ficava somente com o coração apertado ao saber que no dia seguinte John viajaria e poderia ficar até 1 ano longe dele. Estava me tornando dependente daquele garoto, da sua marra, de seu cheiro, dos seus lábios.... Precisava dele, e não era mais segredo. Naquela tarde não ficamos juntos, pois ele precisava arrumar suas coisas para a viagem, e não queria o atrapalhar. Resolvi para sair um pouco sozinha, adorava fazer isso de vez em quando, e desde que cheguei em Liverpool não havia o feito. Peguei meu cigarro, a chave de casa e saí pelas ruas a procura de um lugar calmo e tranquilo para esvaziar minha mente. A algumas quadras de casa, havia uma praça, muito bonita, por sinal. O dia estava cinza, fazia muito frio ainda, e o vento parecia cortar meu rosto, mas eu não ligava. Encontrei um lugar aparentemente confortável e sentei ali mesmo, no gramado. Acendi um cigarro e fiquei observando as folhas balançarem nas arvores, por causa do vento. A vida é engraçada, eu tentei tanto fugir de John, e quando resolvi deixa-lo entrar em minha vida, algo o afasta. Minha vida voltaria a ser um caos sem ele. Adam com certeza não pararia de me atormentar, e ele passaria o tempo todo com Cynthia, que além de linda e apaixonada por ele, já tiveram algo anteriormente. Pensando pelo lado positivo poderia me concentrar nos estudos e acabar de uma vez a escola.

- O que faz aqui, Lucy? – George disse com sua voz suave, sentando-se ao meu lado. Adorava George, nos dávamos muito bem, apesar de não contar muito sobre ele. Isso irá mudar.

- Olá George, estou aqui pensando na vida e tentando esvaziar a cabeça... – Respondi docemente dando um beijo em seu rosto e logo dando uma tragada em meu cigarro.

- E o que atormenta essa cabecinha agitada? – Perguntou acendendo também um cigarro e olhando as folhas das árvores, assim como eu.

- Demorei tanto para aceitar que amava John... E agora que aceitei isso vocês irão viajar e ficarei 1 ano longe dele. Muita coisa muda em um ano, minha vida mudou em um ano. – Concluí tragando novamente.

- Sabe Lucy, conheço John há um tempo, e ele não é uma pessoa fácil de se lidar – George falava sem tirar o olhar das folhas que se movimentavam gentilmente com o vento gelado que batia nelas. – Ele é muito teimoso, impulsivo e agressivo, em algumas vezes. Ele já ficou com diversas garotas, até perdemos as contas, mas ele realmente gosta de você. John nunca fora de baixar a guarda e tentar mudar seu comportamento por ninguém, até você chegar. – Continuou fazendo-me esboçar um sincero sorriso – Até para nós está sendo novidade, ele já foi muito galinha, mas acredito que se você esperar por ele, ele irá esperar por você – Concluiu me olhando com um iluminado sorriso no rosto. George me transmitia paz, e eu adorava tê-lo em minha vida.

- Eu o amo, George – Vomitei as palavras aliviando meu coração, e fazendo George arregalar seus olhos, surpreso de me ouvir admitindo aquilo.

- E eu tenho certeza de que ele ama você – Concluiu, dando-me um beijo na testa.

- Obrigada por tudo. – Agradeci sentindo-me realmente mais tranquila com toda aquela situação. – Mas, e você, o que está fazendo aqui essa hora? No fim não te perguntei – George não era de sair muito, principalmente com uma viagem importante prestes a acontecer.

- Vou pedir Pattie em namoro – Respondeu com um sorriso lindo e largo no rosto.

- Vocês são lindos George, tem tudo para dar certo, vá lá, não perca mais tempo comigo – Sorri dando um abraço bem apertado e caloroso em seu corpo magro e quente.

- Até amanhã – Despediu-se George indo em direção a casa de Pattie. Fiquei ali por mais algum tempo absorvendo cada palavra de George me falara anteriormente. Estava começando a escurecer quando resolvi voltar para casa lentamente, aproveitando cada segundo que restara daquele momento. Ao entrar em casa meus pais estavam assistindo televisão na sala, abraçados como dois adolescentes, o que aqueceu meu coração pelo resto da noite. Escrevi mais algumas cartas a Michelle, pedindo para que se pudesse, viesse me visitar. Precisaria dela naquele momento. Separei minha roupa mais bonita, afinal, amanhã me despediria de John por talvez um ano. 


Notas Finais


Esse capítulo ficou meio blé, mas espero que tenham gostado. Até amanhã <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...