1. Spirit Fanfics >
  2. YuMark - (Wave of colors) >
  3. Cap. 101

História YuMark - (Wave of colors) - Capítulo 101


Escrita por: JuliaLOVESYuta

Capítulo 101 - Cap. 101


Fanfic / Fanfiction YuMark - (Wave of colors) - Capítulo 101 - Cap. 101

Minseok após tomar um bom banho daqueles demorados por estar pensando e repensando, refletindo sobre alguns acontecimentos em sua vida, saiu debaixo do chuveiro e enquanto secava seus cabelos, olhava para seu celular carregando em cima da misinha de cabeceira pensando se ligava ou não para Yuto aquela noite. Após pendurar sua toalha no varal que ficava na parte de trás de sua casa, Minseok respirou fundo, tomando coragem de pegar seu celular e procurar o número do japonês em sua lista telefônica e o ligar.

📲 _ Te atendi no primeiro toque.

_ Tá esperto. Você chegou bem em casa?

📲 _ Eu demorei pra chegar em casa, mas cheguei bem sim.

_ O quê aconteceu?

📲 _ Eu tinha esquecido aonde eu estacionei meu carro e depois fui buscar minha esposa e meu filho na saída do hospital.

_ Esposa?! Então quer dizer que você não pediu o divórcio, né?

📲 _ Eu vou pedir.

_ Não é pra pedir, Yuto. Nossa relação não vai passar de amizade.

📲 _ Vai sim. Eu vou me casar com você, escreve isso que eu estou te falando agora.

_ Ata. Bom. O Yuta está aqui em casa. Quando vi ele levei um susto.

📲 _ Eu sei que meu filho é feio, mas não é pra tanto, né?!

_ Eu não acho ele feio, para.

📲 _ Eu tô brincando. Meu filho é lindo. Puxou a mim.

_ Então, né?! Eu me assustei porque eu devo. A gente se beijou e me deparar com ele me fez lembrar da sua esposa e do problemão em que me meti.

📲 _ Problema nenhum. É você que está pensando demais, apenas.

_ Eu não consigo ser pleno numa situação dessa igual você está sendo. Enfim. É o Taro que tá chorando ai?

📲 _ Sim. Ele pegou catapora e agora tá bem enjoadinho. Ele costuma ficar chorão quando fica doente.

_ Oh, meu deuso. Mima muito ele, Yuto. Ele é um bebê e vai precisar de atenção redobrada por esses dias.

📲 _ Tenho que ter muita paciência, isso sim. Quando ele fica manhoso ele só quer saber de ficar no colo. Eu acabo não fazendo nada o dia todo porque ele chora muito pra ficar no meu colo.

_ Ah, pois eu largaria tudo pra ficar com ele o dia inteiro no meu colo. Eu iria amar cuidar dele manhosinho.

📲 _ Você não sabe o quê está falando. Ele chora muito na cabeça dos outros, isso incomoda.

_ Vocês que não tem paciência, ele é só um bebê incompreendido.

📲 _ Também sou um bebê incompreendido.

_ Para. Eu vou desligar..

📲 _ Porquê?

_ Sua esposa não vai gostar se ouvir você falando isso. Ela vai querer saber com quem você está falando e ai vai dar o maior rolo quando ela souber que é comigo.

📲 _ Não sei que medo é esse que você tem. Se ela descobrir é consequência, não tem muito o que fazer. Te bater ela não vai.

_ Não dúvido de nada nessa vida.

📲 _ Medroso. Só um minutinho, Min. O Shotaro tá me enchendo o saco.

_ Pega ele no colo, Yuto.

📲 _ Ele já está no meu colo, ele quer que eu levante da cama. Eu não vou levantar.

_ Levanta com ele ou eu vou desligar a ligação e te bloquear.

📲 _ Isso não vale.

_ Ele tá doente. Cuida dele direitinho, poxa.

📲 _ Táaa. Levantei. Satisfeito?

_ O Taro parou de chorar, então sim. Satisfeito.

📲 _ Chato. O Mark já pegou catapora alguma vez?

_ Não, nunca.

📲 _ Avisa pra ele não ir na casa do Yuta essa semana que vai se passar pra não correr o risto de pegar também.

_ Aviso sim, senhor.

📲 _ Senhor tá no céu. Pra você é daddy.

_ Ai. Como você é besta, Yuto. Meu Deus..

📲 _ Min, eu vou desligar agora. Minha esposa entrou no quarto e tá me encarando. Depois nos falamos.

_ Sabia que iria dar merda. Vou te bloquear, Yuto.

📲 _ Para de ser medroso. Beijo.

_ Que porra de beijo. É tchau. Tchau, Yuto.

📲 _ Tchau, chato.

Minseok após desligar a ligação, suspirou profundamente e logo na sequência voltou a colocar seu celular pra carregar outra vez.

• Dia Seguinte/ Quinta-feira •

No dia seguinte Yuta acordou bem cedinho com Mark e tomou um banho juntamente do mesmo. Como a farra entre ambos havia se iniciado e terminado tarde da madrugada, ambos apenas foram dormir algumas horinhas. Mark tinha que ir a escola aquela manhã, já Yuta tinha que voltar cedo pra casa a pedido de seu pai. Tinha que obedecer porque uma: Mark também sairia aquela manhã, e o japonês não teria o que fazer na ausência do mesmo em sua casa, e duas: porque se não voltasse pra casa, com toda a certeza teria um problemão com seu pai.

Ao levar o mais novo na porta da escola, se despediu do mesmo com muitos beijos e abraços. Yuta se despediu também de Jeno e de Donghyuck na qual estavam esperando Mark ser liberado por si pra poderem enfim entrar pra dentro da escola. Ao voltar para sua casa, o japonês apenas trocou de roupa e sem medo de pegar outra vez catapora, foi até a casa de seu pai ver como o estado de seu irmão caçula estava.

_ Não mexe nele, Yuta. - Pediu o mais velho com olheiras profundas por não ter conseguido dormir a noite inteirinha. _ Ele chorou a noite inteira, foi dormir quase agora.

_ Já tá começando a aparecer as bolinhas nele. Você viu, pai? - Sussurrando, Yuta mantinha seus olhos sobre Shotaro na qual dormia tranquilo sobre o corpo de seu pai.

_ Vi. - Yuto demonstrava estar um tanto mal-humorado aquela manhã. _ Aonde você colocou meu black card?! - Perguntou e Yuta por sua vez arregalou seus olhos como se tivesse feito algo errado e estava sendo pego no pulo. _ Quando a farmácia abrir você vai lá e compra um vidrinho de pasta d'água. Essa bolhas vão começar a coçar e o Shotaro não vai aguentar.

_ Mas pasta d'água pra quê?! - Sorria demostrando nervosismo. _ O ideal é deixar sarar sozinho. Pra quê gastar dinheiro, né?! Deixa seu cartão guardadinho. Aproveito pra te lembrar que você mesmo disse que não gosta de usar cartão.

_ Meu cartão está com você, né? - Yuto sentia que tinha algo errado ali.

_ T-tá pai, tá comigo. - Mantinha o riso nervoso sobre o rosto. Na real, Yuta não fazia idéia de onde havia colocado o cartão de seu pai.

_ Então só faça o quê eu mandei. - Logo se voltou para Shotaro sobre si, ajeitando o algodão que havia colocado sobre suas orelhas, afim de evitar barulho que pudesse acordar o mais novo.

_ Pa-

_ Yuta! - Se voltou para seu filho um tanto impaciente, mas controlado. _ Eu acho bom você sair agora da minha frente e ir ver aonde você enfiou o meu cartão. Se ele tiver sumido, eu juro que vou te espancar.

_ Não sumiu, papai. Que tipo de pessoa você acha que eu sou?! - Com o riso nervoso estampado em seu rosto, Yuta agora saia andando de costas até a saída daquele quarto, mantendo sua atenção para o mais velho a sua frente. _ Eu tenho cuidado com as suas coisas. Imagina se eu vou perder o seu black card. Só vou dar um pulinho lá em casa, mas eu já volto, tá?!

Yuta ao chegar até a porta do quarto, saiu desesperado daquele cômodo já na intenção de começar a procurar o cartão de seu pai.

_ Meu Deus. - Yuto sabia que tinha algo errado. _ Ele perdeu o meu cartão. Eu vou matar o Yuta. É isso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...