1. Spirit Fanfics >
  2. Zero Kosei. >
  3. Pra' que isso?

História Zero Kosei. - Capítulo 11


Escrita por: e MiriMosuku


Notas do Autor


Oi, um capítulo um pouco mais rápido que os anteriores.

Espero que gostem.
Boa leitura.

Capítulo 11 - Pra' que isso?


Fanfic / Fanfiction Zero Kosei. - Capítulo 11 - Pra' que isso?

Akeny on.

Eu ainda estou sonolenta, tento me mover e noto que algo está me prendendo, finalmente abro os olhos e vejo Kurama abraçado a mim. Não posso negar, realmente é confortável ficar abraçada a ele assim, mas não posso me dar o luxo de ficar assim para sempre, mais alguns minutos não mata.

- Não achei que gostasse tanto de ficar assim. - ele já está acordado? Ele passa a mão delicadamente sobre os meu cabelos. Akeny, você não pode ficar corada. - Você está acordada. - ele começa a rir de foram calma e quase muda. - Como se eu conseguisse notar isso, mas durma só mais um pouco.

Ele voltou a acariciar meus cabelos, pra' minha sorte foi brincadeira, ele quase me matou do coração. Ele tira seu braço que estava em volta da minha cintura e se senta na cama. Acho que já tá na hora de parar de fingir que estou dormindo.

- Bom dia. - digo com voz manhosa, enquanto esfrego meus olhos, acho que dou uma boa atriz.

- Bom dia. - retiro o que pensei, Kurama finge bem melhor que eu. - Tem algum plano pra' hoje?

- O mesmo de sempre. Por quê? - ele está aprontando alguma. Ele pega sua toalha e sai do quarto.

Eu faço o mesmo, mas ele está parado no corredor conversando com Yami.

- Onde estão as meninas? - Yami me responde apontando para a porta do banheiro, só tem um nesse andar, mas isso está mais pra casa de banho, além das pias e bacias ficam separadas e praticamente outro cômodo.

Já que são as meninas não tem problema. Assim que eu entro já posso ver as duas, Shiro está lavando o cabelo de Angel, após me despir, ando até um dos choveiros e começo a me ensaboar.

- Tá eu pergunto! - Nina grita no meio do que antes eram sussurros. - Akeny, por que você usa roupas maiores que você?

- Como assim? Não entendi a pergunta. - qual o problema das minhas roupas?

- Você tem um corpo lindo, além de que, seus peitos são maiores do que sua roupa mostra. - ela apontou para meus seios. Eu vou matar essa loira. - Até quando a gente sai em missão, você normalmente usa aquela mini capa por cima da jaqueta, só dá última vez que você não colocou.

- Eu não quero chamar atenção. - não gosto muito disso, acho terrível ter pessoas me encarando.

- Vocês duas poderiam me deixar entrar? - Yami, ele esqueceu que eu também estou aqui?

- Claro que não! - obrigada Shiro.

- Você reclama como se eu já não tivesse visto as duas, que por falar foi noite passada.- eu sabia que elas duas estavam ficando, o Yami no meio é novidade, mesmo que não seja surpreendente.

Ele entra no banheiro, nesse momento eu tiro todo o sabão do meu corpo e entro no ofurô*. Eu me encolho e fico submersa até a boca. Prestando atenção, vejo Kurama tentando puxar Yami para fora do banheiro.

- Viu, nós dois já entramos, agora é tarde. - fala Yami soltando seu braço das mãos de Kurama.

Eu o vi corar, não passou muito tempo para que todos estivessem dentro do ofurô junto a mim, ainda bem que isso ele é enorme. Eu fico no ofurô até que os meninos saiam do banheiro.

- Shiro tem alguma coisa na cidade hoje? - Nina fala fitando o teto.

- Só uma promoção em algumas lojas. - Shiro responde tranquila. - Não me diga que você quer ir naquele clichês de fazer compras? - acho que ela entendeu a pergunta.

- Não exatamente, temos que comprar roupas do tamanho dela. - Qual o problema com as minhas roupas? Ela aponta para mim enquanto fala.

- A conversa está ótima, só que eu tenho mais o que fazer. - eu me enrolo na toalha, me visto e saio do banheiro, eu prendo meu cabelo em um coque bagunçado.

Eu entro no quarto apenas para pegar meu caderninho, que eu recuperei da U.A. a pouco mais de um mês. Achei, ele esta em um centrinho ao lado da cama.

- Vamos as compras! - fala Nina assim que abro a porta do quarto, de que porra de tomada ela saiu, eu achei que ela ainda estava no banheiro.

- Eu não vou. - elas me empurram para mais adentro do quarto e começaram a olhar minhas roupas. - Parem de vasculhar nas minhas roupas!

- Então tire esse jaleco e ponha uma roupa bonitinha, hoje é dia seis de Janeiro. Por que não começa a o ano com alguma roupa que preste. - que insulto, ainda mais vindo da Shiro, elas nem fazem ideia de que dia realmente é hoje, eu troco de roupa e vou até elas.

- Você realmente não sabe se vestir. - fala Nina segurando meu pulso. - Vamos logo.

- Vocês dois estão prontos? - Shiro bate na porta do quarto de Yami.

- Já estamos. - fala Yami ao abrir a porta do quarto.

Todos nós saímos da instalação e fazemos uma longa caminhada até o pé da montanha.

- Por que tivemos que vir andando? - falou Nina se encostando em uma árvore.

- Porque vocês tiraram minha paciência. Mas falta pouco. - ela se levantou e continuamos a andar, finalmente chegando ao pé da montanha.

- Me veio uma dúvida. O que acontece se alguém perguntar quem nós somos? - estava esperando alguém tomar no cu pra' falar, mas é claro que Yami tinha que notar.

- Inventa um nome, mas não use o de ninguém daqui. - a cidade não é muito grande, então chegamos rápido ao centro.

- Yano-san? - alguém tocou em meu ombro, que merda, eu to no fim do mundo e o povo ainda me encontra. Eu me viro em direção a pessoa e me deparo com Tsachi.

- Me desculpe. Mas não sou quem você pensou? - sabia que devia ter posto alguma coisa para modificar a aparência.

- Desculpa, lhe confundi com uma conhecuda. Qual seu nome? - que merda, com tanta gente eu tinha que encontrar ela?

- Hashibira Aoi. Você, como se chama? - eu tenho que arrumar uma saída daqui.

- Tsachi Etsuko, prazer. Você mora aqui? É que eu me perdi. - no caso, ela está acompanhada, provavelmente por mais alunos da U.A.

- Infelizmente não moro, desculpe não posso lhe ajudar. - dou as contas para ela e me volto para o grupo. - Vamos indo? - todos afirmam com a cabeça, finalmente consegui encontrar uma forma de ir embora.

- Eu posso acompanhar vocês? Claro só enquanto não encontro meu grupo. - que chiclete, eu não aguento isso, um fora já é o suficiente.

- Claro. Meu nome é Okumura Hirata. Prazer em conhecer. - eu juro, se o lugar não fosse tão claro eu iria matar o Kurama por essa resposta. Ele da um beijo nas costas da mão dela.

- Mas nós não tínhamos marcado o dia para nós cinco. - dou ênfase no número quando falo.

- Amor, não precisa ter ciúme. - amor? Amor! Eu vou matar esse albino maldito.

- Como se eu fosse ter ciúme de você. - respira, se eu não seguir o baile ela vai notar, ele me mostra um sorriso de vitorioso.

- Vocês namoram? Eu acho que me metendo demais. - ela da um pequeno passo para trás, finalmente.

- Só estamos aqui, porquê ele levou um fora. Uma pessoa a mais não faz mal. - eu juro se eu pudesse eu explodiria a cabeça dele. Olho um pouco para trás e noto que sou a única incomodada. - Não é gente? Quanto mais melhor?

- Sim! - os três respondem em sintonia, não devia ter feito eles descerem a montanha a pé.

- Então se apresentem, ou vai ser falta de educação. - é só seguir o baile, que você vai ficar bem.

- Mas é claro, eu me chamo Hatake Irina. - Nina quem fala, pelo menos o nome é convincente.

- Sou Akashi Kuro. - Yami fala com um sorriso, de todos esse é o nome menos convincente.

- E eu sou Tsukino Gilian. - Pelo menos o nome é bonitinho, gostei, na próxima deixo a Shiro escolher o nome de todo mundo.

- Onde vocês estavam indo? - sério a Tsachi não calar a boca eu vou dar um murro nela.

- Não sei, meu amorzinho não quis dizer. - um nela e um no Kurama, é suficiente?

- Vou ter que mudar os planos, então vamos tomar sorvete enquanto eu refaço o roteiro. - Kurama segura minha mão e foi no momento perfeito, para que eu quase quebrasse ela apertando.

Não demorou muito para que nós encontrarmos uma sorveteria. Todos se sentam e eu abro um pequeno caderninho, não temos planos nenhum, então vou corrigir alguns erros em experimentos.

- Que calculos complexos! Você já está na faculdade? - que terrível mania de ficar bisbilhotando os outros.

- Sim, faço química. - já que a conta que ela viu foi química não posso dar outra explicação.

- Vocês também fazem faculdade? - que resposta os gênios vão dar para a curiosa e animada Tsachi?

- Sim, fazemos. Eu faço psicologia. - responde Nina, acho que foi uma boa escapada.

- Robótica. - fala Yami levantando uma das mãos.

- Gastronomia. - Shiro fala apoiando a cabeça na mesa.

- Musica. - pensei que esse idiota albino fosse dizer um curso estranho.

- Como foi que...

- Olha, não são os alunos da U.A. - falei apontando para a porta. Não tinha grupo pior, Spade, Natsu, Kaminari, Todoroki, Itari e Will. Ela corre até eles, abraçando inicialmente Natsu.

- Hora de sumir? - Shiro me encara ao falar.

- Hora de sumir. - eu já tinha pago, pego os sorvetes e saímos sem chamar atenção.

- Agora, vamos as compras! - grita Nina animada, eu já tinha até esquecido disso.

Se passaram horas e mais horas, comigo ainda provando roupas, devo ter gastado uma fortuna. Nós tivemos que subir a montanha cheios de roupas que elas me convenceram a comprar. O dia foi bastante divertido, nós chegamos e ficamos em uma das pequenas salas, mortos de cansaço.

- Achei bem divertido. Akeny, o que você achou? - fala Nina se jogando em um dos sofás.

- Não posso negar, eu adorei. Com toda certeza está em primeiro. - eu me deitei no outro sofá.

- Em primeiro? Gostou tanto assim do dia? - Kurama quem pergunta, fazendo com que eu me sentasse, para logo em seguida me deitar novamente usando suas coxas de travesseiro.

- Olha, vocês não precisam mais fingir que namoram. - Yami se senta em uma das poltronas e Shiro em seu colo e já noto uma das mãos dele no seio dela.

- Me deixa. Mas te respondendo, não é simplesmente melhor dia, foi o meu melhor aniversário. - eu me sento normalmente.

- Por que não falou antes? - Nina que vem até mim e apoia seu rosto no braço do sofá.

- Não gosto das lembranças. Mas já tô descendo. - falo a última parte apressada e saio da sala. - Kurama me ajuda. - ponho a cabeça de volta no cômodo por um pequeno momento.

- Já vou! - ele sai da sala e me segue até o elevador. - Obrigado por me tirar de lá.

- Vê os três se pegando não ia ser muito bom. - afinal eu saí da sala porquê Yami já estava tirando a camisa de Shiro. - Mas não foi nada. - nós dois rimos e a porta do elevador se abre.

- Vem eu te ajudo de verdade. - Kurama pegou uma parte das bolsas e levou até o quarto. - Precisa de ajuda para guardar? - pergunta estranha, afinal meu quarto não está pronto.

- Não, obrigada. - ele as colocou perto da cama e se deitou na mesma, enquanto eu vou pegar o livro que eu estava lendo antes na estante.

- Posso te fazer uma pergunta? Mas você vai me responder da forma mais simples possível. - O que ele quer agora?

- Você acabou de fazer, mas você pode fazer mais uma. - eu rio sem graça e me sento sobre minhas pernas em sua frente, ele faz o mesmo.

- O que aconteceu? Você tinha dito que não gosta das lembranças. O que são elas? - de todas as perguntas ele tinha que perguntar isso.

- Eu só exagerei. - um turbilhão de lembranças passa em minha mente, eu não as controlo e as lágrimas rolam sobre meu rosto. Ele simplesmente me abraçou e eu afundo meu rosto em seu casaco.

- Nada é exagero. - ele passa a mão sobre os meus cabelos. - Não tem problema chorar. - nesse momento, minhas lágrimas não param.

- Obrigada. - foi a única coisa que eu consegui falar enquanto minhas lágrimas escorrem. - Eu não posso, você vai se machucar. - esse meu sussurro foi inconciente.

- Não, não vou. - ele me abraçou mais forte, mas eu não queria sair dali. Aos poucos minhas lágrimas pararam. - Está melhor? Desculpa, não vou mais perguntar sobre isso. - Kurama vai me soltando aos poucos.

- Já faz dez anos, eu deveria saber lidar com isso. - ele não precisa falar, sua expressão já diz que está curioso. - Foi uma luta, o nosso prédio começou a pegar fogo e desmoronar, todos reunidos para comemorar meu aniversário. - respiro fundo para que eu possa continuar. - O teto da casa começo a cair. - as lágrimas voltam a rolar, enquanto eu tento as enxugar. - Só eu e...

- Obrigado, por confiar em mim. - Kurama se aproxima e da um beijo em minha bochecha. O que eu tenho? Eu nunca falei disso pra ninguém, aí vem essa criatura e eu falo.

Kurama segura minhas mãos. Minha mente volta por completo, solto minhas mãos das dele, pego meu jaleco, caderneta e uma pequena sacola e vou para o laboratório, devo ter passado umas quatro horas aqui dentro, estou sentada comendo pocki e olhando para o teto.

- Tô com sono. - arrumo a bancada e saio do andar.

Ando até o quarto e o encontro vazio, realmente é estranho, pego uma camisola e minha toalha vou em direção ao banheiro e faço minhas higiene pessoal e volto para o quarto vestindo a camisola azul bebê com corações lilás, me deito e durmo.

- Akeny, acorda. - diz alguém me balançando um pouco.

- Que é? - me sento na cama e olho com fúria a loira que me acordou.

- Se arruma e põe isso. - Angel me mostrou um vestido simples que compramos ontem, ele é azul marinho com flores brancas.

- Pronto, o que você quer? - Angel pegou minha mão e me puxou até o elevador. O que essa porra tá aprontando?

- Feliz aniversário! - todos dão um grito em sincronia assim que a porta do elevador se abre.

- Um dia de atraso, tem algum problema? - Shiro faz a pergunta e me tira do elevador junto a Angel.

- Vocês são exagerados. - eu falo olhando tudo que tem sobre a mesa. - Mas obrigado. - eu sopro a vela sobre o bolo.

E no fim esse vai ser esse o nosso café da manhã. O clima tá estranho, todo mundo está encarando a mim e Kurama.

- Se ninguém pergunta eu pergunto! - Shiro quebra o silêncio com esse grito. - Quando vocês vão começar a namorar?

- Quem disse que eu gosto dele desse jeito? - não é mentira, mas que audácia.

- Vão logo! - que merda, Shiro não pode nos deixar em paz?

- Chega de comemorar, precisamos de dois de vocês. - fala Dabi invadindo a cozinha.

- Pra' que? - questiona Yami, pra' mim ele não podia aparecer em hora melhor.

- Obter informações de Shiketsu, Shiro e Angel, vocês duas vão. - Dabi parece esta mais irritado do que o normal.

- Não seria melhor, Akeny e Kurama. Afinal são mais novos, se misturam melhor. - Yami, acho que ele só não quer se separar de Shiro e Angel.

- Não tinha pensado por esse lado. - ele põe a mão no queixo e fecha seus olhos por algumas segundos. - Então, amanhã vocês vão começar como alunos de intercâmbio na Shiketsu. Vocês sabem falar outra língua?

- Só inglês. - Kurama lhe responde rápido.

- Sei falar outras cinco. - eu nem sempre encontrava o que queria em japonês.

- Ótimo. Venham, vou lhes dar os detalhes. - Dabi se afasta e eu e Kurama o acompanhamos.

Pronto, agora vou ter que voltar para uma escola de heróis. Que merda, pelo menos vou estar bem acompanhada.


Notas Finais


O que acharam? Deixem nós comentários.
Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...