História Zeus, o maior herói do mundo. - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Cientistas.


Fanfic / Fanfiction Zeus, o maior herói do mundo. - Capítulo 13 - Cientistas.

Durante minha conversa com a Mariana, o radio que captava a frequência da policia começou a transmitir um alerta e comecei a ouvir:

- Atenção, assalto ao instituto de tecnologia da PUC, por favor, ir pra lá agora.

Ao ouvir isso coloquei o meu uniforme, ativei os meus poderes e fui em direção a faculdade e quando cheguei naquele local uma lembrança do Carlos veio a minha cabeça e pensei nele em muito tempo:

- Carlos, so te conheci por uma noite, mas ainda tem considero um amigo, espero que tenha encontrado a paz onde quer que esteja.

Depois continuei e fui até o local onde tinha acontecido o roubo e esperei a policia sair e quando eles saíram, ouvi alguns dos alunos conversando.

- Kamila, você acha que eles vão encontrar oque foi roubado.

- Não, a policia não faz nada desde que os poderes apareceram.

- Mas, não é culpa deles.

- Como não, deveria recrutar algumas pessoas com poderes para poder resolver esses tipos de problemas, como aquele cara de capuz preto tem feito.

- Tá falando do Zeus.

- Sim, aposto que ele deve valer mais que um batalhão da policia e deve ser bonitão.

- Como pode ter certeza sem nem ter provas.

- Isso não é tão importante.

- Somos cientistas, so podemos acreditar em algo se tivermos provas.

- Você é muito certinho, tem que parar com isso.

A garota saiu do local, eu pensei em falar com o cara, mas ele começou a falar do nada com ele mesmo:

- Agora ferrou, eu perdi a minha maior invenção, e agora como que eu vou continuar na faculdade, a minha vida acabou.

- Não acabou não.

Nesse momento ele me olha com uma expressão de susto e me pergunta:

- Você.

- Sim.

- Você veio bater em mim.

- Eu teria motivo pra fazer isso?

- Sim, eu sou um alterado.

- Eu não bato em algum por ter poderes, mas se usa ele para fazer o mau.

- Então porque esta aqui?

- Soube que um objeto foi roubado daqui e vim ajudar e pelo que eu vejo era algo muito importante pra você.

- Sim, era o projeto que estava trabalhando desde que ganhei os meus poderes.

Eu toco em seu ombro e digo:

- Calma, eu vou achar ele.

- Obrigada, Rafael.

Nesse momento tiro a mão dele e começa a ficar na defensiva e pergunto:

- Como você sabe?

- É o meu poder, desculpa não ter avisado.

- Você lê a mente da pessoa que toca em você.

- Não, eu toda vez que toco um objeto, adquiro um conhecimento de tudo sobre ele desde sua forma até dos átomos que ele é feito e em certos casos oque pode ser feito dele.

- Incrível, você construiu algo para te ajudar a controla-lo?

- Na verdade não, era uma maquina capaz de encontrar todas as pessoas modificadas.

- Como?

- Buscando o Cromossomo extra.

- Cromossomo extra, achei que era apenas parte de um cromossomo não um inteiro?

- Na verdade, antes que aquele vídeo que saiu hoje de manha, eu toquei em algumas pessoas com poderes e descobri que elas tinham um cromossomo a mais.

- Mas como isso funciona?

- Vou explicar oque eu entendi, sabe nas imagens que mostram os cromossomos das pessoas tem sempre um espaço entre as duplas três e quatro, quinze e dezesseis, dezoito e dezenove e vinte e vinte um. Nesses espaço, na realidade, existe um cromossomo sem funcionar, mas a luz por algum motivo ativou eles e aqueles que tinham em um lugar especifico tiveram tipos de poder diferentes.

- Como assim?

- Bom, os do primeiro espaço, adquiriram poderes mais complexos e que podem ser controlados por todo o corpo, o do segundo tiveram uma alteração que pode ser ligada a fatores externos e ao controle de elementos externos, os do terceiro espaço podem ter uma ou todo o corpo modificado, mas sem controle disso e os do quarto tem apenas uma parte do seu corpo com alguma modificação que pode ser controlável ou não, como e o meu caso.

Essa explicação é muita informação pra minha cabeça, mas me deu um exemplo de como funciona os poderes dessas quatro possibilidades, eu e Tifão seriamos do primeiro espaço, o Gabriel do segundo, aqueles caras do Bonde no terceiro e o Carlos do quarto. Mas uma coisa ficava em minha cabeça e decidi perguntar:

- Mas com essas informações e possível descobrir uma coisa pra mim?

- Talvez, oque?

- Realmente um decimo da população mundial que tem poderes.

- Não, pelos meus cálculos seria metade com poderes, metade sem poderes, eu queria saber o porquê aquele cientista falou aquelas coisas.

- Por medo.

- Oque.

- Se metade da população tiver poderes e a outra metade não, poderia a ver uma revolução, mas se tiver nove pessoas sem poderes contra uma que tem, parece que é melhor como as coisas estão.

- Entendo.

- Mas saindo do assunto Biologia, oque mais foi roubado?

- Sim, o projeto da minha colega, eu te falaria oque é, mas ela não me contou...

Nesse momento ouço a colega dele chegando e me escondo e ela abre a porta dizendo:

- Cara, sabia que a fila do refeitório estava enorme, so consegui o lanche agora.

- Imagino, mas me diz oque você construiu para eu poder contar a policia?

- Bela tentativa, eu não vou contar.

- Mas é muito importante pode ajudar a encontrar a minha invenção.

- Não.

Nesse momento eu saio de onde estava escondido e pergunto pra ela:

- Fale oque é a sua invenção.

- Sua voz esta diferente, mas oque é isso.

Ela toma um susto e quase cai, eu a seguro e pergunto novamente:

- Oque era a sua invenção?

- Nossa você é aquele cara, o Zeus, oque quer com a minha invenção?

- Encontra-la, a sua e a dele, agora oque ela é?

- Bom, acho que não tenho escolha, é um destruidor de vírus.

- Um destruidor de vírus?

- Sim, ao invés de criar uma vacina, seria algo que destruiria o vírus com pulsos constantes para destruí-lo.

- Parece uma invenção incrível, porque ainda não usam isso em hospitais.

- Ela tem um problema, ela pode destruir algumas células ao invés do vírus dependendo da frequência.

Nesse momento pensei nos dois projetos e perguntei pra garoto:

- Essa sua maquina encontra esse cromossomo de que forma?

- Através de uma onda de som.

Nessa hora ele entendeu a oque estava acontecendo e perguntou para a garota:

- Tem como essa onda atingir mais coisas?

- Sim, talvez com ajuda de algo que possa gerar um som maior.

Ela percebeu oque estava acontecendo nesse momento e eu disse:

- Qual o máximo que essa sua maquina pode emitir esse som?

- Bom, a uns dois quilômetros quadrados com a bateria que tem.

- Então não pode ser mais?

- Depende da fonte de energia, quanto mais forte ela for, maior a área que ela atinge.

- Poderia atingir o planeta inteiro?

- Talvez, mas precisaria de uma fonte energia muito poderosa.

- Que tipo de...

Nesse momento ocorreu uma interferência que atingiu os rádios e aparelhos de celular na sala e começou a reproduzir uma mensagem.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...