1. Spirit Fanfics >
  2. Zeus, o maior herói do mundo. >
  3. Caixa d'água.

História Zeus, o maior herói do mundo. - Capítulo 30


Escrita por:


Capítulo 30 - Caixa d'água.


Comecei a subir o morro, vi que muitos dos policiais estavam me seguindo, provavelmente achavam que se fizessem isso estariam fora de perigo, mas eu sabia que me colocaria em perigo mais do que qualquer um ali, então disse a eles:

- Se estão achando que vão ficar mais seguros atrás de mim, estão errados.

Eles ouviram isso e pararam, percebi que tinham ficado espantados pela minha resposta, talvez por causa de terem quase morrido antes, ficaram com muito medo e me viam como uma chance de isto não acontecer de novo, mas depois do que eu disse perderam essa esperança, então eu disse:

- Eu me colocarei em perigo caso seja necessário, se quiserem ficar seguros, não recomendo ficar atrás de mim, mas longe.

Depois de falar isso, eles ficaram mais calmos e começaram andar de novo, mas em vez de me seguirem, foram para todas as direções, mas alguns continuaram a me seguir, eu não sabia onde estava o VIP, mas sabia que se tinham pessoas com poderes, ele deveria ser um muito poderoso para ser o líder e colocar medo em quem ele comandava, fui subindo o morro e encarando diversos criminosos armados, todos tentavam atirar em mim, mas eu conseguia escapar das balas e golpeava-os de volta, fiz isso em quase todas as armadilhas que tinham colocado lá, até que em uma delas acabei acertando um deles com tanta força que ele acabou batendo em uma caixa d’água que estava em cima de uma das casas, mas quando a agua começou a sair percebi uma coisa estranha, ela não era cristalina, era mais esverdeada, era agua do mar, não entendi o porquê de ter agua do mar lá, até que chegou uma cara que começou a falar bem alto:

- Ai, Zeus, o bagulho é o seguinte, se tu não ficar esperto e se mandar daqui, vou te meter um tapão na cara e te mandar vazado daqui.

- Tapão?

- Cê não tá ligado né, sou o Tsunami, vou te mandar voado daqui tá ligado.

- Olha, eu não vou embora.

- Tu que pediu isso.

Ele começou a fazer um movimento com as mãos, como se estivesse tentando levantar algo invisível, mas nada acontecia, até que a agua nos tanque começou a se mover e ele começou a controlar ela, mas era uma quantidade bem pequena de agua, pensei que poderia se transformar em gelo ou em formas físicas que poderiam me matar, mas quando me atingiu, nada aconteceu, era apenas agua, eu disse:

- Achei que aconteceria alguma coisa.

- Vai, so espera.

De repente toda agua presente nas outras caixas d’água começaram a se aglomerar em mim e de repente eu estava todo coberto por agua, como se estive dentro de um tanque de agua, só que sem o vidro, tentei me mover, mais ele movia a agua pra direção onde eu estava nadando, percebi que talvez ele estivesse querendo me sufocar até que eu morresse, mas como a mascara que uso tem a função de servir como fonte ar caso eu precise, poderia ficar ali por algumas horas no mínimo, mas como ele não sabia, pensei em fingir que estava desesperado pra ele acreditar que o plano dele estava funcionando, ele caiu, depois fingi que tinha desmaiado, ele acreditou e separou a agua de mim e disse:

- Foi moleza, tu não foi nenhum...

Quando toquei no chão, pulei em direção a ele e dei um soco nele, ele continuava de pé, tentei bater nele de novo, mas ele me prendeu de novo, agora não me soltaria, ele disse:

- Tá se achando esperto cê vai ficar ai até meus parças chegarem, vão te metralhar.

Sabia que tinha que pensar rápido, sabia que ele provavelmente somente controlava agua salgada, por isso agua do mar nas caixas, mas oque será que acontecia se tentasse fazer isso com agua doce, mas onde arranjaria naquele lugar, sem as caixas, mas tive uma ideia nojenta, tentei nadar pra cima pra fingir que estava fugindo, mas quando ele viu, começou a fazer ela me seguir, depois comecei a descer e quando ela encostou ao chão, dei um soco no chão que me lançou pra cima bem rápido, acabei saindo da bolha e parei em uma das ruas, tentei ser o mais rápido possível, quebrando aquela parte do chão até tentar expor os canos da tubulação de esgoto, mas não achei de primeira, fui em outra e fiz a mesma coisa, e ai achei quando o Tsunami me encontrou, ele estava prestes a me encobrir naquela coisa de novo, mas quebrei o cano e oque jorrava de lá, foi parar naquela coisa, isso fez com que ele não conseguisse controlar mais ela, fui na direção dele e ele perguntou:

- Porque?

- Só tinha agua salgada naquelas caixas, sabia que se misturasse com o esgoto que tinha doce, você não poderia usar seus poderes.

- Tu se enganou, eu ainda tenho outro lugar com muita agua.

Ele começou a fazer um movimento com a mão, como se estivesse segurando uma corda e a puxando, de repente ouvi muitos gritos, olhei pra traz e vi uma onda de pelo menos uns quarenta metros, ele começou a falar:

- Tu vai me largar e vai vazar daqui, se não, aquela porra vai...

Nesse momento dei um soco na cabeça dele, ele desmaiou e a onda acabou quebrando antes de chegar na praia, não causou nenhuma morte ou coisa pior, mas pelo que eu imaginei, todos que estavam lá devem ter se molhado muito, percebi que alguns dos policiais que estavam atrás de mim estavam tampando o nariz e eu sabia o porque, decidi ir embora, fui adiante e desativei a mascara pra ver se tinha mau cheiro, nada, então continuei subindo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...