História Zodiac Serial Killer ( imagine J-hope ) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Luke Hemmings, Michael Clifford, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 19
Palavras 1.395
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Policial, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi vim com mais umimha pra cá. Resolvi fazer uma mais sombria do J-hope, um pouco alternativa.
Bom se vocês quiserem saber sobre o Assassino e só procurar. Se quiser saber sobre a história dele. Eu mudei a história é claro pois aqui terá um romance então tá bem diferente pelo menos eu acho hehe...
Bom vamos a história♡♡

Capítulo 1 - - São Francisco!


Fanfic / Fanfiction Zodiac Serial Killer ( imagine J-hope ) - Capítulo 1 - - São Francisco!


Jung hoseok um garoto normal pra todos a sua volta. Mas por trás disso tudo,existe um assassino cruel, de sangue frio...um dos piores!

 Conhecido por seus crimes perfeitos, por seu símbolo deixado em cada uma de suas vítimas...ninguém faz a menor idéia de quem é ou o que ele é! Todos o temem, o estado da Califórnia inteira. Ele não tem a menor piedade para suas vítimas...

O departamento de polícia de São Francisco faz pesquisas até hoje. Faz exatamente 14 anos que esses crimes acontecem, j-hope(chamado assim pelos amigos) age de um jeito perfeito para cada crime, ele entrega uma carta com símbolos e sua assinatura. Uma cruz é um círculo no meio...ele age por diversão, mata por diversão. Ele não tem amor no coração, apenas se finge ser uma pessoa sorridente é feliz. Mas no fundo disso tudo existe ele o Assassino do Zodíaco!



Delegacia de São Francisco ( 21:45 da noite).



O tenente Park esperava alguma reação do detetive Hood. Ele olhava um ponto fixo, enquanto Park esperava uma resposta do mesmo, ele olhava pensativo em um canto da parede, provavelmente não sabendo o que falar para o loiro à sua frente.

- Calum, o que pretende fazer? - ele perguntou depois de um tempo em silêncio - não podemos desistir agora. Bem agora que pelo menos conseguimos desvendar 1 das cartas entregues! - Hood parecia ter saído de seu tranze é olhou para o loiro respirando fundo.

- Eu seu Jimin, eu sei! - colocou a mão no queixo - mais o que podemos fazer! - disse desapontado - não temos nada além das cartas. - desviou o olhar do loiro a sua frente para a tela do computador - ele age perfeitamente bem! - continuou - parece até...mágica. - Jimin olhava atentamente para o chefe. Ele parecia cansado, com olheiras fundas, pálido e parecia um pouco mais magro.

- Olha chefe - o detetive olhou pro mesmo - deveria descansar. O senhor está tentando a meses é nada... - sentou na cadeira de frente para Hood - tirar umas férias, ou sei lá...pelo menos um descanso de alguns dias. - sugeriu mas Calum negou, ele se levantou da cadeia e se virou de frente para a  janela, olhando para lua iluminada.

- Não! Eu não vou desistir deste caso! Falta pouco,eu sei, a gente tá perto de descobrir quem é! - disse convicto. Parecia até um picicopata falando.

- Não estou dizendo pra você desistir Calum! - negou com a cabeça - longe disso. Apenas disse pra você tirar alguns dias de folga pra descansar! - deu de ombros - pode colocar outra pessoa no seu lugar até voltar! - sugerio outra vez. 

Calum se calou por um tempo, parecia pensar, antes que ele responde se o mesmo, batidas na porta foram ouvidas, os olhares foram diretamente pra mesma.

Uma pequena fresta foi aberta e a cabeça de Luke,um dos ajudantes de Jimin aparece.

- Com licença! - pediu é abrio a porta por inteira - é que recebemos um chamado na rua Brodway, bairro Pasifc. Parece que aconteceu um assalto na casa 204! - avisou o loiro que rapidamente se levantou e colocou seu chapéu, antes que sai-se deu uma rápida olhada para Calum e deu um aceno com a cabeça e saio junto de Luke.

Assim que Park saio, Hood se pois a sentar novamente na cadeira,ainda pensativo, ele sabia que precisava de um descaso. Mas se negava a descansar até achar o assassino. 

 Já fazem 6 meses que duas pessoas foram mortas, na  Fillmore, um bairro bem movimentado, a primeira vítima uma mulher, foi morta com facadas nas costas foi encontrada jogada perto de uma lixeira, um casal estava passando por perto quando a viram então ligaram pra delegacia imediatamente, o segundo foi um homem encontrado por um pescador que passava perto da praia e viu um corpo jogado na areia, parece que a vítima tinha vários cortes é machucados pelo corpo, mas o mais estranho de tudo era que os  dois corpos carregavam um símbolo na barriga. (Link) 

De começo até acharam que esse assassino fosse bem burro, pois ele deixou um corpo jogado apenas, poderia se achar digitais facilmente. Mas eles se enganaram, ele os enganou...e eles como peixinhos fora da água caíram na rede. Ao passar 2 meses um jornal começou a receber cartas de um desconhecido com vários símbolos e letras misturados. Acharam que era uma brincadeira de mal gosto, apenas adolescentes a flor da pele fazendo isso por diversão. Mas no final de cada carta tinha uma assinatura, uma assinatura exatamente igual a do assassinato. Quando a polícia ficou sabendo dessa "cartas" acharam que tinham solucionado o caso. Mas não apenas se tornou mais complicado do que já estava...



 Brasil- SP (09:45 PM) Delegacia de São Carlos. 



Apenas se escutava o relógio batendo "tik tak"  e o barulho de algumas sirenes. Enquanto a detetive Soares, tomava seu café e olhava para o computador, esperando que alguma mensagem chegase para ela. Foi tirada do tranze por alguém que abrio a porta e entrou pela mesma com fixas na mão.

- Bom dia Lice - o policial Taehung falou - como passou o feriado? - perguntou colocando as fixa na mesa e sentando na cadeira a sua frente.

- A mesma coisa de sempre - olhou pro mesmo, que fez cara de confuso - dormi! - ele revirou os olhos antes do soltar uma risada. Ela encostou na cadeira é respirou fundo.

- Ainda esperando uma mensagem? - levantou uma sombranselha. A mesma o encarou .

- Você sabe que sim Tae! - respondeu obivia - ele disse que ia me ligar! - olhou pra baixo, escutou Tae respirar fundo.

- Até quando vai ser iludir com ele? - você olhou pro mesmo que te encarava - até quando vai se tocar que ele não presta!? - aumentou um pouco a voz.

- Eu não estou me iludindo, apenas...estou esperando uma ligação dele, nada de mais! - deu de ombros - não é como se eu ama-se ele ainda. - tomou um pouco de seu café.

- Vai me dizer então que não ama? - perguntou óbvio - olha Alice eu quero seu bem, poxa você é minha melhor amiga! - cruzou os braços - eu te falo isso pra não se machucar mais! Ele já te fez sofrer de mais! - sua voz carregava um pouco de raiva.

- Eu sei Tae! Não precisa se preocupar tá bom? - ele assentiu ainda desconfiando - Vamo mudar de assunto! - balançou a cabeça e se sentou direito - você vio as assassinatos que estão acontecendo lá na Califórnia? - tinha animação em sua voz.

- Eu vi no jornal! Eu achei o caso bem interessante! - sorrio ainda mais.

- Eu conheço o detetive que está investigando o caso! - te olhou sem intender - ele é casado com uma amiga minha! - ele fez um "ah" que entendeu. 

- Já pensou se ele te pede ajuda no caso... - dei uma risada negando - Ué! Você é a melhor detetive do Brasil, vai saber se ele não pede! - deu de ombros.

- Claro que não né! - disse obvia - lá ele deve ter gente bem melhor que eu - peguei as fixas é comecei a das uma olhada. 

- Para de se rebaixar! - brigou - Se não parar com isso eu... - antes que ele termisase a frase o telefone começou a tocar. Você olhou pra Taehung que olhou pra você é depois pro telefone.

Ele susurou um "atende"  pra você que deixou a fixa em cima da mesa é respirou fundo antes de pegar no telefone. Você estáva com medo de quem poderia ser no telefone, poderia ser ele, mas você queria tirar essa opção. 

Pegou o telefone e atendeu.

- Alô? - perguntou meio reseiosa.

- Alice? - do outro lado da linha pergunta, não era uma voz estranha.

- Sim! Pois não? - você olhou pro Tae que te fez uma pergunta labial "quem é?" você balançou a cabeça dizendo um " não sei" de volta.

- Aqui é o detetive Hood - você arregalou os olhos e colocou a mão na boca  - é que eu te liguei pra te fazer uma proposta! - ele parecia nervoso. Taehung te olhou sem entender, você susurou um "é o detetive" ele arregalou os olhos se aproximou.

- Sim, pode falar! - disse com rapidez.

- Eu iria perguntar se você gostaria de fazer parte do caso? ...





Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...