História Zombi Infekta - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Zumbi
Visualizações 8
Palavras 1.071
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Survival, Terror e Horror, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 12 - Fuga


- Foster está vivo. - Todos me encaravam, cada um com uma expressão diferente. Nathalie estava com uma expressão de tristeza; Julie, com felicidade; Valentine achou que eu estava brincando, por isso estava rindo; Tony estava irritado; e Carrie parecia um pouco surpresa. - Mas se ele está vivo, e todos esses corpos estão marcados por balas, considerando que ele era o único carregando uma arma de fogo, lamento dizer, mas... Não é ele que está nos ajudando. É ele que está querendo que o grupo morra.

 

Agora as expressões eram unanimamente de espanto e ódio.

- Ele sabe onde estamos, agora. Está nos observando. - Disse Carrie.

- Precisamos de uma rota de fuga. - Disse Julie.

- Ainda tem muitos suprimentos no Mathyn. - Disse Valentine.

- Então vamos dar uma última olhada, e dar o fora. - Disse Tony.

- Realmente precisamos ir a algum lugar, mas aonde? - Perguntou Nathalie.

- Eu conheço um local seguro. - Dá pra sustentar todo mundo. - Respondi.

- O que tem em mente? - Perguntou Tony, enquanto eu apenas sorri, como resposta. - Espera... você não tá pensando no que eu acho que você ta pensando, né?

- Se você acha que eu tô pensando na sede do McLee, sim, eu tô.

O McLee costumava ser o meu grupo escoteiro até... toda a merda acontecer.

- Você! É um gênio!

Escutei alguns ruídos, e pedi silêncio, colocando meu indicador cruzado sob meu lábio. Comecei a cochichar.

- Ouviram isso? São zumbis. Vamos voltar pro Mathyn, rápido!

Tony concordou com a cabeça, e guiou o grupo, enquanto eu fiquei na retaguarda. Fechamos os portões do Mathyn, e começamos a procurar por suprimentos. Nos separamos em duplas. Valentine foi com Julie, eu fui com Nathalie, e Tony foi com Carrie. Na secretaria, eu e Nathalie achamos muita coisa, pois era onde eles guardavam as armas, explosivos e munição. Coletamos o máximo que conseguimos, enquanto Tony e Carrie vasculhavam o prédio A, onde eram guardados os suprimentos médicos; e Valentine e Julie foram para o prédio B, onde haviam armas brancas, peças e ferramentas espalhadas por cada sala.

Quando eu e Nathalie finalizamos, passamos para o prédio A, para procurar por Tony e Carrie. Bem quando entramos, nos deparamos com a escadaria que levava diretamente ao terceiro andar, onde havia a sala de informática, mas antes mesmo de subirmos o primeiro degrau, vimos Tony descendo, embora ele não tenha visto a gente. Carrie parecia estar vindo atrás. Ela tropeçou na escada, e... Caiu por cima do Tony? Agarrada nele, corada, ela escutava sua voz.

- Tá... tudo bem? - Perguntou ele.

- S-s-sim... t-tudo... ótimo na verdade...

Eles se encararam por um tempo. Era um momento tão lindo... até que Tony me detectou e tudo foi quebrado, como um vaso de vidro atingindo o chão. Que desperdício. Continuamos até achar Valentine e Julie. Elas não tinham vasculhado tudo, mas as mochilas já estavam cheias. A noite se aproximava. Teríamos que passá-la em aberto?

- Ok, mas... e agora? - Perguntou Carrie. - É noite, né?

- O que tem isso? - Perguntou Valentine, com aquela expressão fria e vazia.

Já estava claro que não iríamos dormir.

- Pretende chegar até a sede por onde? - Perguntou Tony.

- Realmente, precisamos decidir um caminho mais seguro.

- Onde fica essa sede? - Perguntou Julie.

- Perto da mansão Creepson. - Respondi.

- Podíamos passar pelo caminho da Abyss. - Disse ela.

- Ficou maluca?! Tem três clubes por aquele caminho! Deve estar infestado! - Resmungou Tony.

- Que tal o caminho das favelas do Bell Dree? - Perguntou Carrie.

- Seria ótimo pra conseguir suprimentos, mas já estamos cheios. - Respondeu Nathalie.

- Ou... - Começou Valentine. - Poderíamos passar pelo clássico Grassy. Isolado, sem um alto risco de encontrar zumbis, lugares seguros no caminho, a chance de corrermos risco de vida é quase zero.

Impressionante. Soava quase como uma fala do Brandon. Era bom perceber que Vincent aprendeu estratégias com o Brandon, e Valentine levou um pouco disso dele consigo. Confesso que senti um pouco de remorso pelos dois, principalmente por Brandon, que não recebeu nem um enterro digno. Mas depois disso, parei pra pensar que, provavelmente por termos descartado alguns integrantes, e feito escolhas ruins, o universo estaria nos punindo de alguma forma, fazendo com que fôssemos obrigados a nos virar sem alguns dos nossos amigos. Brandon e Vincent seriam muito úteis para os planos, mas Valentine está desempenhando o papel deles, o seu próprio e um pouco do de Bart, muito bem, por sinal. Enquanto isso, o grupo ainda precisa desenvolver habilidades para substituir a manipulação de Maeve, a direção de Foster, e talvez a sanidade de Larry.

- Valentine, você é genial! - Disse eu, sorrindo.

Saímos rapidamente do Mathyn, andando sempre juntos.

- N-não querendo atrapalhar o plano, nem nada, mas... - Começou Carrie - Não é perigoso sair à noite?

Tony a abraçou com um braço só, enquanto continuávamos a andar.

- Agora que o Foster sabe onde estamos, o Mathyn é ainda menos seguro. Além do mais, estamos armados! - Disse ele, aliviando Carrie.

Passamos tranquilamente pelas quadras em volta do Mathyn, passando pela entrada do caminho da Abyss, mas desviando-o, para chegar a um posto de gasolina, logo antes da entrada do Grassy.

O Grassy era um caminho meio longo e árduo para se atravessar a pé. Haviam carros no posto de gasolina, mas Foster não está mais do nosso lado.

- Precisam de uma motorista? - Perguntou Nathalie.

Era isso. Essa era a solução para substituir Foster. Nathalie se virou perfeitamente nos últimos três longos anos, completamente sozinha! Ela entrou em um carro que possuía o tanque quase cheio.

Ela conseguiu ligar o carro raspando os fios. Só tinha espaço para cinco pessoas, então Julie sentou no colo de Valentine, embora eu achasse bem mais conveniente que Carrie sentasse no colo de Tony, mas isso não vem ao caso. Nathalie não dirigia nada mal, e conseguiu passar pela metade do caminho, até que o motor engasgou. O carro não ligava mais. Optamos por passar a noite ali, como já estava ficando tarde.

- E se um zumbi atacar? - Perguntou Julie.

- Estamos dentro de um carro. Vamos acordar se eles atacarem. Além disso, é provável que isso aqui seja uma das regiões mais pacíficas da cidade. - Respondeu Valentine. - Relaxa, Julie. Estamos seguros.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...