História Zombie World - Capítulo 8


Escrita por: ~

Visualizações 108
Palavras 1.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espeto que gostem e uma boa leitura pra todos.

Capítulo 8 - 3 Day



POV Camila







Neste momento ouço alguém dizer o meu nome interrompendo Christopher, imediatamente olho para a direção da voz que pra mim era bem conhecida, era Lauren junto com a Lucy que me olhava de um jeito que eu não sabia decifrar, mas parecia não gostar de me ver neste momento, e uma senhora que imagino ser a mãe de Lauren que olhava para mim e Christopher de forma assustada.




-Camila o que você faz aqui? —Lucy pergunta se aproximando de mim enquanto todos ficam me olhando esperando uma resposta.



-Bom eu estava indo até a sua casa para saber se você estava bem, mas como tive que pegar outro caminho devido ao estado da rua de sua casa estava inacessível.




-E quando estava passando por aqui por perto ouvi algo estranho vindo da casa do lado e resolvi ver do que se tratava, fui tudo muito rápido.



-Pois é a senhora Garson estava agindo feito uma louca eu tive que me defender. —Chris fala chamando atenção de todos.




-Mas está tudo bem com você meu filho? —A senhora Jauregui se pronuncia agora.



-Sim mamãe estou bem.



Lauren e Lucy ficam se entre olhando e depois olham pra mim até Chris fala chamando a minha atenção dizendo.




-Eu sabia que te conhecia de algum lugar.... —Lauren neste momento fala interrompendo ele.




-É claro que você conhece ela, ela estuda na mesma escola que a gente. —Lauren fala apressada ficando de lado de Lucy.



-Bom agora que tudo está esclarecido eu já vou indo. 




Falo dando alguns passos paro imediatamente quando sinto alguém segura o meu braço me viro pra olhar pensando que era Lucy me surpreendido vendo Lauren, então ela diz.



-Você não pode ir agora é perigoso Camila! —Ela fala aflita.



-Não posso ficar aqui preciso ir pra casa. 



Falo olhando nos seus olhos que me falta o ar ao ver tanta intensidade vindo de seus olhos, olho para a sua mão em meu braço que imediatamente ela segue o meu olhar e rapidamente retira a sua mão de meu braço ficando um pouco corada.



-É Lauren tem razão vice não pode ir é muito perigoso já que não sabemos o que esta acontecendo com as pessoas lá fora. —O senhor Jauregui fala agora.




-Eu sei disso, mas não posso ficar.




-Por que não Lauren? —Pergunta curiosa enquanto Lucy fica apenas observando tudo calada.



-Porque eu sair de casa sem os meus pais saberem e preciso voltar antes que o meu pai descubra e venha atrás de mim sem saber onde estou.




-Mesmo assim é melhor você espera até amanhecer e o meu pai te leva de carro até a sua casa, é mais seguro do que sair agora a noite. —Lauren fala com uma preocupação admirável.




-É também concordo com você minha filha, mas não podemos obrigar-la a ficar se ela não quiser. —O pai de Lauren fala.




-Você vai ficar não vai? —Lauren pergunta me encarando enquanto Lucy me olha com um ódio no olhar.



-Não vou ficar tenho que ir, obrigada pela preocupação Lauren apesar de não nos conhecermos direito.




-Mas você não pode ir. —Lauren fala olhando pra mim com uma suplica em seu olhar de dar dó, neste momento Lucy fala seca e irritada.




-Lauren deixa ela se não quer ficar aqui com a gente não adianta insistir, além do mais Camila é cabeça dura nem você e nem ninguém vai fazer-la mudar de ideia.




-Isso é verdade. —Falo olhando pra Lucy que parece nem se importar com a minha presença, já Lauren não parece ter gostado o jeito que ela falou.




-Então se o senhor não se importa eu vou indo.




-É claro, mas antes Chris vai dar uma olhada na rua pra ver se não vê ninguém estranho.




-Tudo bem. —Me viro para Lauren então falo.




-Não se preocupe eu seu me virar.



-É eu sei, mas não pode sempre contar a com a sorte Camila. —Ela fala com uma certa apreensão.




-Eu sei, mesmo assim obrigada pela preocupação. —Falo sorrindo pra ela que retribui de mediato.



-Tchau Camila.



-Tchau Lauren.



-Tchau Lucy e se cuida.



-Você também. —Ela diz quando estou perto da porta.




-Ah antes que eu me esqueça senhor Jauregui, o meu pai tem um contato em Washington, Dc e ele ficou sabendo que o exército a qualquer momento vira para nos levar para uma espécie de quarentena, por isso é melhor que estejam preparados.




-Tudo bem, obrigado pelo aviso Camila.



-Não por isso senhor. 




Falo me retirando da cozinha indo até a sala onde a senhora Jauregui e a outra irmã de Lauren estão sentadas no sofá enquanto Chris foi olhar lá fora se esta seguro, alguns minutos ele adentra a sala e diz.



-Aparentemente está tudo calmo lá fora. —Chris fala.




-Obrigada.



-De nada Camila, e você é muito corajosa por ter vindo até aqui sozinha.



-Se você esta dizendo. —Falo um pouco envergonhada pelo elogio de Chris.




-Tchau Camila.



-Tchau. 



Falo saindo pela porta que imediatamente é trancada assim que coloco o meu pé na rua, com o coração na boca vou correndo até em casa estranhando as ruas silenciosas e vazias desde a casa de Lauren não vi uma alma viva além da minha.




Olho no relógio no meu pulso e vejo que já é quase duas da manhã vendo que esta tudo bem em minha casa subo pelo cano do lado da minha janela conseguindo adentrar o meu quarto quase que silenciosamente se eu não fosse tão atrapalhada que cair de cara no chão fazendo um pouco de barulho.




Olho pela porta com medo de que meu pai tenha escutado o barulho que fiz, e por sorte ele não ouviu nada, respiro aliviada tirando os meus cortunos ficando só de meias vou até o quarto da minha irmãzinha e vejo que esta vazio, estranhando vou até o quarto dos meus pais e abro a porta lentamente e vejo os três dormindo serenamente, sorriu com a cena e volto mas tranquila pro meu quarto, tiro as minhas roupas e visto o meu pijama, e depois coloco a minha arma debaixo do meu travesseiro descansando a minha mente um pouco, e um sorriso se forma no meu rosto ao me lembrar da preocupação de Lauren ao ponto de segurar o meu braço durmo feliz.















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...