História Zona de amizade - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Readaptação
Visualizações 58
Palavras 3.987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 12 - A amizade pode ser um saco


 

 

Hoje é quinta-feira.

Passou dias desde a última vez que eu vi Tina e obviamente, eu a estou evitando. Ela veio ao meu escritório ontem, mas implorei a Kentin para despachá-la. Eu disse a ele que lhe falasse que estava tão ocupado que não estava recebendo ninguém. Era uma mentira. Eu estava sentado na minha mesa fazendo aviões de papel e tentando que eles voassem até o cesto lixo que tinha sido colocado na porta. Depois que ela saiu, Kentin veio ao meu escritório, sentou-se à minha mesa e ficou me olhando de maneira a fazer furos em minha cabeça. Disse:

— Qualquer coisa que você fez para foder as coisas, - e apontou para o meu peito com um dedo, — trata de corrigir.

Sem esperar por uma resposta, ele foi embora.

Hoje, eu ligo o computador e encontro uma mensagem instantânea esperando.

 

TheTomicBomb: Olá, forasteiro, você se lembra de mim? Eu quero sushi hoje. Você está dentro?

 

Que demônios?

Eu pensei que Tina estava com raiva de mim. É a razão pela qual eu não a vi ontem. Eu pensei que ela estava se preparando para me despedaçar por ser um completo idiota. E eu teria merecido. Ou chorar, o que iria rasgar o meu coração em pedaços. Quer dizer, praticamente a agarrei enquanto estava bêbada. Não é algo que um cavalheiro faz. Eu me aproveitei dela.

Foi o melhor beijo da minha vida, mas ainda assim me aproveitei disso.

Eu tenho vergonha de mim mesmo. Minha mãe me criou melhor do que isso.

Esta mensagem não soava como se ela estivesse com raiva de mim. De fato, soou como a mesma velha Tina, apenas querendo almoço com seu amigo.

Ding...

TheTomicBomb: Se alguma vez você tomar um descanso, me avise. Vou levar sushi.

 

Eu não posso deixar de rir. Passo a mão pelo meu cabelo. O peso que estava carregando por todo fim de semana desapareceu.

Estou tão aliviado que ela não está chateada comigo. Ela deveria estar. Graças a Deus ela está sendo madura e fingindo que nunca aconteceu.

 

Você pode fingir que nada aconteceu?

 

Posso até senti-la sugando meu lábio inferior. Quando coloquei minha mão na parte baixa do seu vestido e me dei conta que não estava usando roupa íntima imediatamente tive um derrame. Doce Jesus, que bunda. É uma linda bunda. Suave como seda, mas firme também. A bunda perfeita. Bem, minha ideia de bunda perfeita.

Seus lábios são suaves, cheios e tão doces que parecem como goma de mascar. Quero beijá-la uma e outra vez.

Sim, eu gostei de beijar Tina. Não, eu amei beijar Tina. Em seguida, ela se esfrega contra a minha dureza e quase venho como na história que eu contei sobre a perda da minha virgindade aos quinze anos.

... eeeeeee você está duro. Feliz agora?

Saber que ela teve somente um cara e não esteve com este cara em cinco anos, me fez sentir bem. Muito bem. Tão bem, mas não da forma que os amigos devem sentir por suas amigas.

Maldição. Eu não sei como isso aconteceu. Um minuto nós estávamos rindo e em seguida, eu a estava empurrando contra a parede.

Uma repentina urgência me oprime.

Eu tenho que vê-la. Eu preciso tentar explicar. Eu não sei como vou fazer sem explicar tenho alguns sentimentos fortes por ela. E sei que não é o que ela quer.

 

Mas e se ela quer isso?

Se eu soubesse que Tina queria estar comigo, eu iria levá-la em meus braços em um instante. Eu tenho esses sentimentos por ela. Os sentimentos. Não posso acreditar. O pensamento de ela estar com alguém mais faz com que ácido queime minhas entranhas. Eu quero bater na parede só de pensar nisto.

Que desastre.

Tudo por causa de seus lábios de caramelos ridículos. Eu sorrio ao recordar. Esta adorável pequena mulher sendo arrastada ao meu escritório por Kentin, muito tímida para sequer me olhar, saltou declarando que queria que eu fosse seu amigo... Tanta coisa mudou. Eu nunca conheci ninguém como ela em toda minha vida. Tão aberta com seu coração. Eu faria qualquer coisa para proteger esse coração. Eu quero que seja meu para protegê-lo.

Eu sorrio para mim mesmo.

Eu tenho que ir ver a minha garota.

 

 

TINA

 

Vejo Cass saindo do The White Rabbit e um estremecimento corre por mim enquanto minhas mãos começam a suar.

E se ele me diz que não podemos ser amigos mais?

Simplesmente morreria, literalmente cairia morta.

 

Eu sabia que estava em seu escritório ontem e sei que se eu realmente quisesse Kentin não me deteria de irromper e lhe pressionar para falar comigo. Mas eu queria respeitar a sua privacidade. Ele não queria me ver por alguma razão.

Esta manhã quando eu mandei uma mensagem pedindo para comermos sushi juntos estava esperando que pudéssemos continuar como se nada houvesse acontecido.

Eu sei que ele lamenta o beijo mais incrível da minha vida. O que é uma porcaria, mas tendo pensado sobre isso pelos dois últimos dias, eu estou bem com isso. Eu estava esperando que Cassi fosse o indicado. Eu criei altas expectativas sobre ele na minha cabeça e eu não parei para proteger-me dele. Afinal, olha como ele trata a Rosalya? Se ele transasse comigo e me deixasse eu ficaria arrasada. Eu estive lá antes e não foi bonito. Estou bem estragada por isto. É ruim sentir-se segura com alguém e ver esta pessoa afastar-se como se você não fosse nada. Isso dói. Como, realmente dói. Mas eu teria assumido o risco com Cass.

Estou destinada a ser aquela garota?

Você sabe, a menina que ama uma vez e então odeia o amor e a todos os enamorados quando sua relação despenca?

Não! Inferno, eu espero que não.

Eu não quero me tornar a senhora louca dos gatos!

Cass lamenta o beijo. Tudo bem. Eu serei sua amiga, se ele deixar. Eu já sinto falta dele.

 

 

Rawr Raaawr...

 

 

— Você tem que consertar essa maldita campainha, querida. - Olho para porta e Cass esta lançando este sorriso encantador para mim. Não sei porquê, mas corro até ele e salto em seus braços. Enredo minhas pernas em sua cintura e o abraço forte.

É esta covinha maldita. É mágica!

— Santo Inferno, baby. Só foram três dias. - Ri para mim.

Que descaramento!

Relaxo meu aperto em seu pescoço, franzo o cenho e pergunto: — Onde você esteve?

Vejo-me patética porque seu rosto suaviza. Me segura com uma mão em baixo do meu traseiro e com a outra coloca uma mecha de meu cabelo atrás da minha orelha. Seu rosto mostra que não quer terminar nossa amizade. Na verdade, brilha com uma intensa emoção, mas não posso reconhecê-la.

Hurra!

Ele me olha nos olhos e diz:

— Sinto muito, coração. Eu estava atolado de trabalho. - Seu rosto suave sorri para mim e quero que me beije de novo. Meus olhos baixam e sinto meu coração bater mais rápido.

Iris grita: — Vocês dois poderiam conseguir um maldito quarto? - Olho para o balcão e encontro Ambre e Iris sorrindo como um par de palhaços para mim. Iris sacode seus dedos atrevidamente.

Eu zombo delas e grito: — Ao trabalho!

O rosto de Cass se move para o meu pescoço e sinto os golpes ar, enquanto ele ri.

Ele levanta a cabeça e sorri dizendo: — Eu acho que você disse que queria sushi hoje. - Eu concordo. Ele sussurra.

"— O que minha garota quer, minha garota consegue”.

Meu coração salta uma batida.

Ele se refere a que era sua amiga e uma garota, idiota.

Ah sim! Por suposto que ele faz. Não estava pensando em quão bom seria ser a garota do Cass.

De. Modo. Algum. Nope. Nem sequer um pouquinho. Eu digo: — Eu vou pegar minha bolsa.

Largo o seu pescoço, mas ele não me baixa, me segurando como se pesasse o mesmo que um clipe de papel. E é bom. Muito bom.

Ele graceja. — Você sabe que você não vai pagar, portanto, não precisa da sua bolsa.

Ele me sorri e então olha a Iris e Ambre dizendo: — Garotas, vocês querem sushi?

Ambas acenam e olham para Cass como se ele fosse totalmente um sonho. Minhas amigas devem ter sido substituídas por robôs.

Rolo meus olhos para elas depois giro para ele e digo: — Você já pode me baixar, Cass.

Ele inclina a cabeça para o lado e levanta uma sobrancelha.

— Eu podia. Mas eu não quero. Eu gosto de você em meus braços. Ele diz a última parte em um sussurro e meu núcleo se contrai. Certamente não está referindo-se a outra noite.

Ele saiu da sala como se estivesse pegando fogo. Só que ele me deixou em chamas.

Não, definitivamente não.

Eu rio e o golpeio no ombro reclamando.

— Vamos Cass, estou com fome.

Relutantemente me baixa e coloca um braço em volta do meu ombro. Por sua vez, gira para as meninas e diz: — Nós vamos trazer sushi, meninas. Até logo. - Ele levanta os dedos em despedida, e me leva para fora da Safira sem minha bolsa.

Caminhamos pela rua, minha mão enrolada na sua cintura e a outra mão descansa na sua barriga, ele me abraça pelo meu ombro. Isso parece tão certo.

Amo isso. É totalmente natural.

 

Nós caminhamos em silêncio até o restaurante de sushi. Eu temo falar sobre o que aconteceu. Estamos sentados no bar olhando o que queremos da correia transportadora.

Está na hora. Eu não olho para ele quando começo.

— Então, sábado à noite foi bastante intenso, hein?

Ele fica tenso ao meu lado. Ele suspira e diz: — Sim, sobre isso, eu lamento muito Tina. Eu não sei o que aconteceu. Eu...

Eu o interrompo com um sorriso falso.

— Tudo bem Cass, realmente. Vamos chamá-lo de curiosidade entre amigos. Agora que está fora de nossos sistemas, podemos continuar com nossas vidas, certo?

Olho para ele e fico confusa.

Parece que Cass está com dor. Suas sobrancelhas estão levantadas, os olhos desfocados, e seus lábios se tornaram uma linha fina. Remove rapidamente o olhar e coloca um sorriso. Seus olhos seguem sendo duros.

— Sim. Seguramente. Mesmo assim lamento. - Ele diz em voz baixa, quase tristemente. — Não vai acontecer novamente.

Isso não vai acontecer novamente.

Por que meu coração está se rompendo silenciosamente se tudo que quero de Cass é sua amizade?

Quero seus beijos. Eu quero que aconteçam uma e outra vez. Quero mais com Cass. Quero seu amor. Não creio que alguma vez tenha o suficiente dele. Ou talvez somente acho isso porque quero que ele seja o único para mim. O escolhido para me ajudar a superar meus medos.

Deixar ir.

— Então, estamos ainda convidados à noite de pôquer? - Pergunto e mexo minhas sobrancelhas para ele em um ato falso de brincadeira.

Ele sorri suavemente.

— Sim. Não seria o mesmo sem você.

Hurra! Somos amigos!

 

 

***

 

Na noite de quarta-feira convidei as meninas para uma noite de garotas no meu apartamento.

Eu assei cupcakes de caramelo com molho fudge no meio. Aqueles eram os favoritos de todos os tempos de Ambre.

Só tenho um sofá, então, nós passamos sob as cobertas da minha cama king size.

Iris e eu estamos de um dos lados do colchão, Amby e Violet do outro, com Bear aceitando abraços e tapinhas de todos os lados, pois estava bem no meio.

Ambre começa o questionário assim que estamos na cama.

— Está bem. Estou trazendo isto à tona porque todas temos curiosidade. - Ela me olha diretamente. — Qual é o negócio entre você e o Cass?

Eu mordo minha língua por um segundo. Eu não sei o que dizer. Eu decido que ser honesta é a melhor opção. Eu arranho o lado do meu pescoço, olho para baixo e digo: — Pensei que Cass poderia ser o indicado.

Escuto vários suspiros. Eu olho para cima e vejo três pares de olhos arregalados e bocas abertas como peixes fora d'água.

Dou risada.

Violet me repreende: — Como Você pode rir em um momento como este?!

Iris fala baixinho. — Isso é ótimo, querida. Ele é completamente louco por você. Vá em frente.

Ela sorri.

Quando eu faço um som de escárnio ela franze a testa para mim e diz: — O que isso significa?

Brinco com a minha capa da minha colcha e lhes asseguro: — Ele não está interessado em mim. Nem um pouco.

As meninas olham uma para outra e explodem em gargalhadas histéricas.

 

Eu sinto que estou corando. Eu gosto que as pessoas riam comigo, mas não gosto de ser ridicularizada.

Endureço a minha voz e rosno: — Não riam de mim.

Iris imediatamente para de rir e responde: — Sinto muito, querida, não estamos rindo de você. Você é simplesmente tão doce que nem sequer pode ver que Cass está louco por ti.

Violet sorri e confirma.

— Ele está Tina. Você deveria ver. Quando vocês estão no mesmo lugar ele não presta atenção em mais ninguém.

Ambre empurrou meu pé com o seu e afirma.

— Sim, querida, ele ama estar todo enrolado em tudo o que tem a ver com você. Muito mesmo.

Eu deixo cair minha cabeça contra um travesseiro e solto.

— Ah sim, tão interessado em mim que me beija e depois trata de escapar. E então me evitou por três dias e reaparece mais doce que nunca! Deus, Cass você é um idiota!

O silêncio continua por um longo tempo, antes que escuto alguém limpar a garganta.

Ambre sussurra. — Ele beijou você sábado à noite? Violet grita.

— Eu sabia! Veja, ele gosta de você Tininha! Iris grasna: — Onde diabos eu estava?

 

Suspiro profundamente.

— Sim. Ele me beijou em seu escritório. Ele me colocou contra a parede e me beijou profundamente. E agarrou a minha bunda. E meu seio. E eu realmente gostei.

Termino com um gemido.

Iris sorri como o gato Cheshire e diz: — Repete desde o início, se você puder.

Passo os próximos dez minutos explicando em detalhes o que aconteceu. Quando termino Iris pergunta: — Eu não entendo porque vocês estavam rindo tanto, o que aconteceu?

Eu mordo meu lábio para parar de rir e digo: — Bem, nós ouvimos algo realmente engraçado. — Eu lhe atiro um olhar e falo de novo. — Na sala de conferências. — Seus olhos se arregalam, e continuo. — Foi realmente alto. — Iris engole em seco e fica completamente vermelha.

Hehe... sim, eu conheço você garota impertinente.

Violet parece pensativa e diz lentamente: — Eu acho que sei o que aconteceu. — Eu me inclino para mais perto dela e abro bem os olhos como se ela fosse revelar todos os segredos do universo. Ela me lembra. —Você estava embriagada, Tina, e se colocou em evidência com todas as perguntas de sexo. Creio que talvez tenha pensado que estava se aproveitando de você.

Ambre e Iris acenam de acordo.

Poderia ser?

 

Não, eu tinha feito as minhas intenções claras. Eu o queria.

Eu estava me esfregando em cima dele como uma gata no cio pelo amor de deus! Eu gemi contra sua boca. Tudo isso dizia me tome agora! Ele poderia ter pensado que estava tirando vantagem de mim?

Ambre me lança um olhar sensual e pergunta: — Então, ele beija bem?

Meus olhos rolam para parte de trás da minha cabeça e gemo. As meninas riem do meu dramatismo.

Eu sorrio um pouco e explico suavemente.

— Foi o tipo de beijo que faz com que seus joelhos virem geleia. E você sente a eletricidade correndo em suas veias. E o seu estômago salta para todos os lados como um peixe fora da água. - Suspiro e digo: — O tipo que me fez pensar que poderia provavelmente ser o escolhido.

Violet faz um beicinho e põe as mãos sobre seu coração. Iris dá um grande sorriso. Ambre morde sua língua e concorda com a cabeça.

Bom.

Sorrio para mim mesma e sussurro. — Sim, foi.

Totalmente.

 

 

CASS

 

Kentin fala através de um cupcake de caramelo.

 

— Fico feliz em ver que Tina e você se acertaram.

Eu juro por Deus, Tina nos trouxe seis dos melhores bolinhos que alguma vez provei. De todos os seus cupcakes, estes são meus favoritos.

Ambrosia... O alimento dos deuses.

Ela entrou na sala ‘relaxamento’ e tão logo Trick a viu carregando um recipiente saltou, beijou seu rosto e tomou o recipiente de suas mãos.

Ela riu.

— Trick, guarde uns para teus irmãos, por favor.

Ghost inclusive apertou seu ombro quando entrou na sala. Ela é parte da nossa família. Todas as meninas são. Eu as considero minhas irmãs. Bem, não a Tina, afinal seria estranho... Porque ela seria uma adorável irmã com um traseiro grande que eu quero beijar.

Uh, Ugh.

— Ontem tivemos uma noite das garotas e estes foram os que sobraram. - Enquanto pega um e segura para mim. — Experimenta.

Deus, ela parece Eva segurando uma maçã vermelha brilhante.

Sedutora tentação.

Uma mordida desse bendito pedacinho doce de caramelo e poderia ter pedido a Tina para se casar comigo.

 

Isso é estranho. Pensamentos sobre casamentos costumam fazer-me suar. De alguma forma, isso não parece acontecer quando eu penso em Tina como minha pequena esposa.

Tina na minha cozinha. Tina aconchegada comigo no meu sofá. Tina na minha cama em seus joelhos...

Não vá até lá.

Eu terminei mastigar, engolir e declaro: — Este é o meu favorito, querida.

Seu sorriso brilha como o sol da manhã e diz: — Vou me lembrar disso, Cassi.

Depois de dizer-nos para não trabalharmos muito, ela se foi de volta para o seu trabalho.

Quando voltei do nosso almoço de sushi ontem, estava irritado e chateado como o inferno.

Tina riu como se o beijo não fosse nada. Para mim, foi o melhor beijo que já tive e me fez louco de pedra que ela não se sentisse da mesma maneira. Eu estava pronto para pedir que Tina fosse minha garota, o que era um grande negócio para mim. Eu pensei que tudo ia bem. Entrei na Safira e bam! Ela pula em mim como se eu tivesse voltado para casa da guerra. Desfrutei de abraça-la desta forma. Ela é tão pequena, seus seios se empurravam contra meu peito e seu rosto estava um fio de distância. Bom.

 

Em seguida, ela descreve o beijo como ‘curiosidade entre amigos’... Que inferno!

Queria beijá-la ali mesmo no bar de sushi o suficiente para deixá-la sem fôlego!

Viro-me para Kentin e digo: — Sim, estamos bem.

 

 

TINA

 

A noite de pôquer foi ótima! De novo!

Estamos todos juntos na casa de Cass às oito e meia. Decido experimentar alguns novos sabores de bolinhos e vou com cupcakes de creme e morangos e chocolate branco e cranberry. Ambos foram um sucesso. Ceecee pegou um de cada antes de jantar. Kentin tentou parecer irritado, mas não pode deixar de sorrir para ela.

O tenho totalmente encantado!

Eu a pego surrupiando um a mais que ele não vê. A pizza chega às nove. Todos nós comemos, bebemos e conversamos, incluindo meu pequeno anjo Ceecee. Kentin acaba enviando Ceecee para cama um pouco mais tarde do que o habitual, porque eu consegui convencê-lo a deixá-la jogar algumas rodadas de Uno com as meninas. Nós lhe felicitamos nas duas vezes que ganhou e ela estava absolutamente radiante de orgulho. Kentin não pode deixar de sorrir. Eu sei por que está sorrindo.

 

Quando entrei na casa, cumprimentei a todos e fui até a cozinha para arrumar meus bolos. Eu estava prestes a terminar quando tenho quase um ataque do coração.

— Tina! Tina! Tina! Tinaaaaa!!! — O grito vinha de Ceecee. Meu coração se apertou de medo.

Eu corri para fora da cozinha com os olhos arregalados e rosto pálido. Todo o mundo parecia tão assustado quanto eu estava.

Só quando vi seu rosto sorridente comecei a relaxar. Eu coloquei a mão no meu peito e digo: — Nossa! Ceecee... Você quase me envia ao túmulo mais cedo!

Ela se deteve perto das minhas pernas, olhou para cima e começou a rir.

— Eu fiz!

Eu estava confusa. Eu balancei a cabeça um pouco, dei de ombros e perguntei: — Fez o quê, meu anjo?

Ele me deu um olhar de gratidão.

— Fiz uma amiga! Por conta própria. Eu vi uma menina da minha classe na biblioteca e fui até ela e disse olá. Eu lhe disse meu nome e você sabe o que ela disse? - Emoção brilhava em seu rosto.

Arregalei os olhos, me inclinei para mais perto dela e sussurrei: — O que ela disse?

Ceecee me deu o meu sorriso torto favorito.

— Disse que viu meu projeto na exposição de arte e pensou que era surpreendente!

Isso. É. Surpreendente!

Ceecee tomou meu silêncio como permissão para continuar.

— Ela me disse para almoçar com ela amanhã para que eu possa conhecer suas amigas!

Isto.É.Maravilhoso!

Ainda em um ataque de entusiasmo, ela continua.

— Fiz o que você disse e funcionou! Você é a melhor Tina. Amo você! — Depois de jogar essa bomba que eu quero chamar milagre, ela rolou para o corredor e se perdeu de vista.

Jiminy Crickets! Nós fizemos isso!

Eu estava muito ocupada assistindo a minha pequena amiga perder-se de vista para ver Kentin dirigindo-se para mim. Deixei escapar um pequeno grito quando ele me abraçou por trás.

Ele estava rindo no meu ouvido.

— Só você, pequena Tina.

Quando teve o suficiente de abraçar-me, me baixou e me girou para olhar para ele. Estava surpreendida de ver seus olhos brilhantes e radiantes, não tão surpreendente como o amplo sorriso na sua cara.

Eu me virei para ver os outros e estavam em uma celebração silenciosa, fazendo danças de vitória e fazendo movimentos de touchdown.

Eu sussurrei um reverente: — Uau.

Cass caminhou em minha direção com o rosto sério e me deu um rápido beijo nos lábios antes de tirar meu fôlego.

Incrível!

Depois de Kentin colocar Ceecee para dormir, fomos para estúdio novamente e cantamos algumas músicas junto ao piano. Nós estávamos apenas começando ‘Do not Stop Believeng’ de Journey quando Trick veio derrapando em seus joelhos na sala cantando a todo pulmão as palavras. Os outros caras chegaram pouco depois e, em seguida, de alguma forma, terminamos cantando Sir Mix—A—Lot’s ‘Baby Got Back’ que incluiu Kentin rebolando e sacudindo seu traseiro. Foi tão engraçado, que eu realmente fiz um pouco de xixi.

Depois de ouvir Iris tocar umas quantas canções mais, os caras retornaram ao pôquer. Nós estávamos tão cômodas que enquanto os caras estão jogando a sua última partida, nos aborrecemos e colocamos um DVD sem sequer perguntar. Isso pareceu agradar a Cass que estava me mostrando sua covinha. Tomamos as mesmas poltronas que na semana passada e vimos ‘Dias incríveis’. Os garotos paravam de jogar cada vez que estourávamos em risadas e eventualmente deixaram o pôquer para vir assistir com a gente.

Cass sentou com as costas contra o braço do sofá e me jogou sobre minha barriga com a cabeça apoiada em seu peito, Kentin usando meu traseiro como almofada. Ambre sentado com os pés debaixo do seu corpo, Trick usando o colo da Violet como uma almofada enquanto Violet acariciava seu cabelo. Iris sentada ao final do sofá, suas pernas levantadas contra seu peito com Ghost reclinado sobre ela e usando suas pernas como uma poltrona reclinável.

Vendo Will Ferrell correr pelado pela rua só me fez explodir em risadas. Eu estava rindo tanto que bufava, cada vez que fazia isto todo mundo ria de mim e eu ria mais alto causando mais bufos. Mesmo rindo e bufando, eu implorei-lhes para parar tudo porque eu estava indo para fazer xixi.

Eu me deitei de novo e acabei adormecendo. Cass me perguntou se eu queria dormir em uma cama e balancei a cabeça. Em uma névoa de sono, eu virei minha cabeça na direção dele, movi meus dedos e tracei seus lábios. Sem pensar duas vezes, coloquei meus lábios sobre os seus. Suspirando suavemente. Eu poderia ter imaginado. Tenho certeza que eu fiz. Eu me inclinei para trás e sorri para sua expressão confusa.

Cass, por que você é como um sonho?

 

Eu descanso minha cabeça sob o        seu queixo e rapidamente caio adormecida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...