História Zootopia: A Raposa e o Lobo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Zootopia - Essa Cidade é o Bicho
Personagens Judy Hopps, Nick Wilde, Personagens Originais
Tags Ação, Amizade, Animais, Fanfic, Nick Wilde, Zootopia
Visualizações 18
Palavras 1.791
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Saga
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capítulo 1: Uma tarde "comum"


Fanfic / Fanfiction Zootopia: A Raposa e o Lobo - Capítulo 1 - Capítulo 1: Uma tarde "comum"

 

 

Era uma tarde bem quente em Zootopia, necessariamente na Savana Central, principalmente para os animais que possuem mais pelo no seus corpos. Como sempre me despeço da minha mãe com um beijinho na boceja e um abraço, pego minha mochila e vou caminhando da minha casa até o ponto do ônibus para chegar naquela drog.. digo, a Escola Pública de Zootopia. Chegando no ponto eu acabo me sentado no banco e pacientemente espero pelo ônibus. Durante esse tempo costumo observar os arredores da cidade, prestando atenção nos animais que passam pela avenida provavelmente indo trabalhar ou voltando do trabalho. Grande parte deles eram praticamente presas. Se resumem a Elefantes, Rinocerontes, Porcos, Girafas... 

De vez em quando passava algum leopardo, um leão, uma pantera, um grupo de lobos (que por sinal é a minha espécie) ou raramente até mesmo uma raposa!

Pra falar a verdade eu nunca de fato tinha visto uma raposa de perto. Elas sempre passavam do outro lado da avenida e sempre afastadas dos lobos, pois nessa época os lobos e as raposas estavam vivendo uma guerra idiota de espécies.

Sim, eu chamo minha própria espécie de idiota. Nunca me enturmei com nenhum lobo ou alcateia, e nem ligo. Dizem que eu não tenho nada haver com minha própria espécie pois eu sou diferente dos lobos. Ao invés de ser “o durão valente machão totalmente leal as lobas e lob..” eu sou apenas um lobo comum, simpático, gentil, corajoso (coragem é o básico de um lobo) é só! 

Por mais que eu queira eu sou incapaz de ser como os demais lobos da minha espécie, e acho a maneira deles agirem bastante rude e selvagem, e eu sofro com tudo isso, pois a sociedade vê os lobos como aqueles valentões da sua escola que ficam se achando batendo em menores ou algo parecido, e isso não é diferente comigo. Isso os faz pensar que eu sou um viadinho ou uma bichinha inútil, sendo que não sou nada disso! Sou somente um lobo que quer ter uma vida normal como todos os demais!

Desculpe, perdi o controle por um momento. Voltando ao assunto, meu maior sonho até o momento é ser amigo de uma raposa ou ajudar uma raposa. Essa espécie está cada dia mais indo pro buraco, desaparecendo aos poucos. Veem eles como trapaceiros mentirosos e para se ter uma ideia, nem sequer recebem o salário mínimo implantado pelo governo. Não é nada raro ver vários deles roubando lojas, bancos, carros e motos ou celulares...

Eu vejo isso e a única coisa que eu consigo sentir é pena, pois sei que esses já tentaram ser alguém na vida, fazer coisas extraordinárias e limpar esse lugar que chamamos de lar para os predadores e presas, mas sempre baseadas por quem?! Pela sociedade! Hoje em dia estão até mesmo se separando do resto de toda a cidade!

Quando o ônibus chegou eu finalmente consegui deixar esses pensamentos e entrar nele. Passei minha carteira de estudante e me sentei no primeiro banco vazio que encontrei. Coloquei uma música aleatória no meu celular e encostei minha cabeça na janela do ônibus, e fiquei olhando pra fora.

 

Momento musical ON 

Arroz Monkeys – Do I Wanna Know?

Have you got colour in your cheeks?

Do you ever get that fear

that you can't shift the type

That sticks around

like something in your teeth

 

Are there some aces up your sleeve

Have you no idea that you're in deep?

I've dreamt about you nearly

every night this week

 

How many secrets can you keep?

'Cause there's this tune I've found

That makes me think of you somehow

And I play it on repeat

Until I fall asleep

Spilling drinks on my settee

 

(Do I wanna know?)

If this feeling flows both ways

(Sad to see you go)

Sort of hoping that you'd stay

(Baby we both know)

That the nights were mainly made

for saying things

That you can't say tomorrow day

 

Crawling back to you

Ever though of calling

when you've had a few?

'Cause I always do

Maybe I'm too

Busy being yours to fall

for somebody new

Now I've thought it through

Crawling back to you...

 

Já estava no portão da escola, respirei fundo, me preparando para a tortura, que são os meus colegas. 

Já lá dentro, como sempre fui cumprimentando meus colegas e me sentei em uma cadeira no refeitório, enquanto o sinal para ir a sala de aula não havia batido. Fiquei observando os animais conversando entre si, alguns brigando e alguns terminando duas atividades. Quando o sinal tocou, subi para a minha sala. Logo fui cumprimentado pelo o meu colega de classe, João Nascimento. Ele é um tigre, e também o único no qual me socializo na escola. Ele não parece ter nada contra mim, e ao meu ver ele é super sincero, forte, elegante, leal...

Eu só não curto o fato de ele andar junto de uma gangue de tigres que fazem bullying com os animais menores, abusam de fêmeas da escola, não estão nem aí pras aulas e por aí vai.

Me sento na minha carteira e fico observando os outros chegarem na sala. 

Quando finalmente foi intervalo nós descemos para o refeitório e como nossa escola possuem uma ocupação bastante pequena os únicos lugares acessíveis no intervalo é o refeitório e a quadra.

Fiquei sentado em uma cadeira no refeitório olhando ao redor, quando vi um raposo de pelagem avermelhada só que com a ponta da cauda de cor preta. Ele era um pouco menor que eu, e parecia estar correndo de alguém, em direção a quadra. Logo atrás eu vi um lobo correndo atrás dele, me levantei e fui ver o que estava acontecendo, porém os perdi de vista. Tentei não me preocupar com isso e voltei a me sentar.

Finalmente quando aquela merda acabou eu arrumei meus materiais, peguei minha mochila e fui andando pra o ponto de ônibus. Hoje eu decidi tentar ir mais rápido e peguei um atalho por uma rua por trás da escola.

Estava de noite, e aquela rua estava em uma escuridão bastante assustadora. Por sorte eu era bem corajoso e fui seguindo em frente, pelo menos até minhas orelhas se voltaram para alguém gritando “Me deixem em paz!” em um beco no qual eu acabei de passar. Tentei ignorar, mas a minha vontade de ajudar essa pessoa falou maior que a minha consciência e sai correndo disparadamente em direção a esse beco!

Chegando lá eu vi a mesma raposa que eu tinha visto na escola apanhando e sofrendo bullying daquela gangue de tigres da minha escola. Eu me escondi em um muro próximo e fiquei ouvindo a conversa.

-Eu não vou te bater moleque, contanto que você passe logo o dinheiro que você tá devendo pra gente! -Falou o chefe do grupo, o Alex.

 

-Eu já disse que ainda vou dar pra vocês! -Disse o raposo.

 

-Mano você e a sua família só sabem falar Isso! Já faz três dias que o prazo venceu! Se você não vai dar agora, então nós vamos te descer a porrada aqui mesmo!

 

-Eu juro que eu..  AAI! -A raposa acaba gritando de dor quando o Alex acabou dando um pisão na sua cauda.

Ainda sem tirar o seu pé de cima da cauda da raposa continuou dizendo:

-Não quero mais ouvir suas desculpinhas raposa! Vamos te moier na porrada agora mesmo! 

Eu não me resisti e intervi a situação, na intenção da salvar a raposa.

-Deixem ele! Agora! -Falei em um tom de ameaça.

O Alex tirou seu pé da cauda dela e se voltou para mim.

-E quem é você lobinho?! -Disse ele.

 

Não me regredi e continuei a ameaça-lo.

 

-Eu já mandei deixarem ele em paz! 

 

-Isso não é da sua conta, uivante! –Respondeu ele.

-Desculpe, mas as suas tentativas de ofensas são mais ridículas que você em si. -Não consegui segurar a minha risada, eu não me ofendia facilmente.

 

-MERMÃO TU TÁ AFIM DE MORRER?! -Ele rosnou nervosamente pra mim.

 

-Claro! -Sarcasticamente respondo ele. -Acho que qualquer animal em Zootopia iria querer morrer não é mesmo?! Ah, me poup...

 

De repente ele se aproxima para bem perto de mim, quase até tocando meu focinho.

 

-E o que você vai fazer pra salvar a raposa? Vai me morder? -Falou ele, esperando que eu me regredisse.

 

-Se isso for preciso para deixar ele em paz, farei com certeza. -Respondi, de volta com meu tom de ameaça.

 

Ficamos nos encarando por alguns segundos mas no final, quem regrediu foi ele. Provavelmente por nós dois termos ouvido o som das sirenes dos carros da polícia próximos a gente.

 

-Você tem sorte raposa. -Disse ele, se virando para os seus comparsas.

 

-Pelo jeito vocês quatro...

 

Antes que eu pudesse completar ele se virou e me socou na bochecha. Quase cai no chão mas consegui resistir, e voltar ao normal. Logo após isso eles saíram correndo. O raposo, mesmo ferido veio em minha direção para ver se eu estava bem.

 

-Ai droga! Você está bem?! -Perguntou ele.

 

-Sim estou sim! Um soco não seria algo tão...

 

Fui interrompido pelo Alex, que disse:

 

-Já tá lua cheia uivante?! -Logo ele tentou imitar o uivo dos lobos, no objetivo de me ofender.

Meti um sorriso sarcásticono rosto, tampei as orelhas do raposo com as minhas pataa e uivei com toda a minha força.

Alex e seus comparsas fizeram uma cara de desaforo, desistiram e foram embora.

 

-Você ficou doido da cabeça?! Sabe o que aqueles quatro poderiam fazer com você?! Agora eles vão querer ir atrás de você! -Falou ele.

 

-Bom, contanto que você esteja seguro está tudo bem. –Falei, me recuperando. -Quer ajuda aí pra andar? 

 

-Não obrigado! foram só uns arranhões! -Disse ele, pegando sua mochila de volta. -E obrigado por me livrar dessa.

 

-Denada. -Falei enquanto o observava. -Cara você tá mancando, não vai conseguir andar até em casa  desse jeito.

 

-Olha, eu já disse que tá tudo b-

 

-Vem comigo mano, não se sabe se aqueles tigres realmente foram embora, podem estar esperando eu ir embora pra dai te pegarem. Eu tenho 5 reais, dá pra eu pagar o ônibus pra você pegar. -Falei, o ajudando a se arrumar.

 

-Eu.. eu não vou te incomodar não? -Perguntou ele.

 

Era a primeira vez que eu cheguei perto de uma raposa, e nessa eu já pude ver que ele era totalmente o contrário do que diziam deles. Ele não estava se aproveitando de mim, ou tentando me enganar. Na verdade me agradeceu, agiu naturalmente, gentilmente e aceitou minha ajuda. 

 

-Claro que não! Aliás qual é o seu nome? O meu é José Victor. –Falei.

 

-Prazer José Victor, o meu é Nicholas Wilde, mas pode me chamar de Nick. Nick Wilde.

-Prazer te conhecer Nick!

 


Notas Finais


Humans,

Essa é uma fanfic no qual eu sempre tive vontade de escrever, terminar e ainda mais pois tenho o roteiro todo na minha cabeça.
Mesmo assim pode ser que eu vá acabar a adiando pois eu ainda estou terminado a GoP Vol. 2 (Fanfic de MLP) e eu não sou capaz de fazer duas coisas ao mesmo tempo. Por causa disso irei continuar meu trabalho terminado a GoP e nos tempos livres irei ir escrevendo a de Zootopia.

Espero que tenham compreendido. :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...