1. Spirit Fanfics >
  2. Zurena - Forbidden Love >
  3. Alicia

História Zurena - Forbidden Love - Capítulo 16


Escrita por: ClexaZurena4ever

Notas do Autor


Gente peço perdão pela demora... eu estava bem ocupada pois estava fazendo a carteira... mas agora voltei!

Boa leitura 💕

Capítulo 16 - Alicia


Fanfic / Fanfiction Zurena - Forbidden Love - Capítulo 16 - Alicia

Flashback - Pub

POV MACARENA

- O que uma mulher tão linda assim tá fazendo aqui sozinha? - Ela pergunta maliciosa, e retribuo o sorriso. 

- Esperando alguém pagar una bebida pra mim. - Digo pretensiosa.

- Não seja por isso, hoje é por minha conta! - Ela diz sorrindo, e tira o pano que estava em seus ombros, esfregando dentro de um copo. 

- O que você vai querer beber? - Ela pergunta, se aproximando de mim no balcão. 

- Me surpreenda. - Digo somente, quase colando nossos lábios. 

Ela sorri novamente e se afasta, indo até o balcão de trás e preparando algo para eu beber. Enquanto isso, voltei o olhar para as mesas que haviam naquele pub, que estavam quase todas cheias. 

Agradeci por não ter ninguém que eu conhecia ali, com certeza não aprovariam o que eu estava pensando em fazer naquela noite.

- Voilá! - A bartender diz, chamando minha atenção de volta para si. 

- O que é isso? - Pergunto maravilhada, olhando a bebida azul na minha frente. 

- Blue ice com bastante vodka, e alguns licores que eu pessoalmente adoro. - Ela diz, apoiando o cotovelo no balcão e empurrando a bebida em minha direção. 

- Isso não tá envenenado não, né? - Pergunto brincando, arrancando uma gargalhada dela.

Quando ouvi aquela gargalhada, por um instante, eu esqueci de todos os problemas que tinha e senti meu coração cheio e calmo novamente por causa daquele som. 

Algo estranho me percorreu, como se eu conhecesse aquele sentimento, como se ele de alguma maneira me fosse familiar. 

Tiro aqueles pensamentos da cabeça quando ouço a bartender voltar a falar.

- Você não vai provar? - Ela pergunta, colocando uma mecha de cabelo atrás da minha orelha.

- Só se você provar primeiro. - Digo ousada, apontando para a bebida. 

- Com todo prazer, senhorita. - Ela diz cortês, e dá um gole na bebida, me olhando o tempo inteiro.

Não digo nada, apenas puxo lentamente o copo para mim, e dou um gole na bebida, tentando parecer o mais sexy que conseguia. Vejo ela morder os lábios e mantemos uma conexão no olhar, até que um homem grita do outro lado da bancada, chamando sua atenção.

- Já volto. - Ela diz revirando os olhos, fazendo eu rir.

Assim que ela sai, pego minha bebida e me volto novamente para as mesas, olhando para a TV que tinha de frente comigo e vendo uma perseguição sendo gravada ao vivo pela polícia. 

- Legal! - Digo animada, e vendo todos também prestando atenção na perseguição. 

Após alguns minutos vidrada na TV, sinto alguém tocar no meu braço, e vejo a bartender com uma roupa diferente do que estava usando antes, e ela também estava carregando uma mochila. 

- Se importa se eu me sentar aqui? - Ela pergunta, olhando para o banco do meu lado.

- Claro que não, sente-se! Estava assistindo a perseguição, você gosta? - Digo animada, a olhando. 

- Eu adoro! Você acha que a polícia vai conseguir pegar a pessoa? - Ela pergunta, olhando para a TV. 

- Eles sempre pegam, não sei porque os bandidos insistem em fugir se sabem disso. - Digo desapontada, fazendo ela rir. 

- Aliás, me chamo Alicia, e você? - Ela diz, estendendo a mão para mim.

- Macarena. - Digo sorrindo, e tomando sua mão em um cumprimento cúmplice.

- Você gosta de gatos? - Ela pergunta sorrindo.

- Meu Deus! Eu adoro! Tenho um só, mas se pudesse teria vários! - Digo animada.

- Eu tenho quatro, quer ir conhecê-los? - Ela pergunta um pouco nervosa.

- É claro! Vamos! - Digo animada, me levantando do banco.

Alicia pega minha mão e me leva até o estacionamento, nos direcionando até uma moto incrivelmente bonita.

- Uau, é sua? - Pergunto maravilhada enquanto nos aproximávamos.

- É sim, gostou? - Ela pergunta, me entregando um capacete. 

- É claro, adoro motos. - Digo, vendo ela subir no veículo. 

- Venha. - Ela diz, estendendo a mão pra mim. 

Com um pouco de dificuldade, subo na moto com sua ajuda e logo ela dá a partida, indo até onde ela morava. Fui o tempo inteira agarrada em seu abdômen, que por sinal era totalmente definido, o que me tirou o fôlego instantaneamente.

Assim que chegamos, ela estacionou a moto dentro de um condomínio super chique, e nos levou até a mansão onde morava, me deixando boquiaberta com aquilo.

Logo entramos no lugar e eu olhei em volta maravilhada, pensando como uma bartender havia conseguido uma mansão caríssima e luxuosa daquelas.

- Você deve estar pensando como eu consegui dinheiro pra comprar essa casa né? - Ela pergunta, me tirando dos meus pensamentos.

- Err... nem passou pela minha cabeça... - Digo nervosa, tentando disfarçar. 

- Está tudo bem... a resposta é: vendendo muita droga. - Ela diz séria, e arregalo meus olhos.

Fico em silêncio, tentando processar o que ela havia acabado de dizer e tentando falar algo, mas estava impossibilitada de fazer aquilo. 

Logo sou interrompida com uma gargalhada de sua parte, me acalmando. 

- Eu tô brincando, meus pais são ricos. - Ela diz, e suspiro aliviada. 

- V-você disse que tinha quatro gatos? - Pergunto, mudando totalmente de assunto.

- Ah claro, eles devem estar dormindo no meu quarto, vem. - Ela pega na minha mão e me puxa até as escadas. 

Vamos em silêncio até seu quarto, e no caminho, não posso tirar meus olhos de seu corpo perfeito.

- Aí estão vocês! - Ela diz alto assim que entramos no quarto. 

Quatro gatos estavam deitados em sua cama, e todos tinham acordado com o barulho, levantando e se espreguiçando. Após conhecer e acariciar todos, os colocou pra fora do quarto, enfim nos deixando sozinha entre quatro paredes.

Antes que eu pudesse falar qualquer coisa, ela pega um controle na mão, e logo uma música calma e sexy começa a tocar.

- Você gosta dessa música? Senão eu posso trocar. - Ela pergunta baixinho, se aproximando de mim.

- É perfeita. - Digo sorrindo e entrelaçando nossas mãos em um ato cúmplice.

Não dizemos mais nada, apenas conversamos pelo olhar, onde nos conectamos e nada mais podia desfazer aquela conexão. Alicia pega em minha cintura e me empurra levemente até sua cama, então me sento ali e logo ela sela nossos lábios.

Em um beijo calmo e carinhoso, ela envolve meu rosto com ambas as mãos e dá alguns selinhos em mim, fazendo eu sorrir com aquele ato. Não perco tempo e passo minha mão por sua cintura, arrancando alguns suspeitos de sua parte.

- Você tem certeza que quer isso? - Ela pergunta baixinho em meu ouvido, com uma voz sexy que me parecia muito familiar.

Não dei importância para aquilo, e como resposta, tirei sua blusa, a deixando apenas com um sutiã rendado completamente sexy. Mordo os lábios com aquela visão, e Alicia endireita suas costas, me mostrando seu abdômen definido que eu já havia sentido antes.

Sinto minha respiração descompassar assim que vejo ela tirando o próprio sutiã e me mostrando seus seios também definidos. Ela era uma deusa grega, sem dúvidas. 

Antes que pudesse falar qualquer coisa, ela volta a selar nossos lábios, agora com mais intensidade e desejo, me deitando na cama e passando uma mão por minha cintura, me arrancando suspiros carregados.

Aproveito que já estava nua na parte de cima para tocar em seus seios, os apertando com pouca força e arrancando alguns gemidos de sua parte. 

Alicia sobe minha blusa e constata que eu não estava de sutiã, indo logo abocanhar um de meus seios, me enlouquecendo cada vez mais.

Aquilo só me deixava cada vez mais molhada, ansiando por seu toque, então peço manhosa para que ela me penetrasse, logo sendo atendida.

Ela enfia a mão dentro da minha calça e começa a massagear minha intimidade, fazendo eu rebolar em sua mão. Logo ela enfia dois dedos dentro da minha intimidade já totalmente molhada por ela, e direciona sua boca até meu pescoço, depositando beijos molhados ali. 

- Carajo - Digo com dificuldade assim que sinto o prazer que me percorria com seus movimentos. 

- O que você quer rubia? - Ela pergunta safada, tirando a mão da minha calça e a enfiando na própria boca. 

- Quero que você me foda com a língua. - Digo exasperada, fazendo ela soltar um sorriso malicioso. 

- Seu pedido é uma ordem. - Ela diz, e logo coloca ambas as mãos na barra da minha calça, as puxando lentamente até me deixar totalmente nua. 

Antes que pudesse me manifestar, ela abocanha minha intimidade vorazmente, fazendo eu soltar um grito de prazer com aquilo. Sua língua percorria toda a minha intimidade, lubrificando mais ainda o local já totalmente molhado. 

Não aguentei muito tempo e logo tive um orgasmo avassalador, fazendo eu tremer o corpo inteiro de prazer. 

Após me recuperar, viro Alicia em um movimento rápido, agora ficando em cima dela e despindo o resto de roupa que restava em seu corpo escultural.

Sem cerimônias, enfio dois dedos dentro dela enquanto abocanho um de seus seios, a arrancando um gemido abafado. Alicia segura meus cabelos fortes enquanto eu aumentava a força das estocadas, logo fazendo ela chegar em seu ápice. 

Antes que ela pudesse descansar, junto nossas intimidades em um movimento de tesoura e começo a rebolar em seu colo, fazendo ela gemer em uma língua estranha, me deixando mais excitada ainda.

O prazer foi tanto que ambas gritávamos loucamente uma para a outra, até termos um orgasmo simultâneo e arrebatador. Após isso, me coloco do seu lado na cama, e sinto meu peito subir e descer freneticamente com aquilo.

- Isso foi incrível. - Ela diz ofegante, e apenas concordo com a cabeça.

- Você é simplesmente incrível. - Digo ainda desnorteada após a transa arrebatadora.

- Você que é. - Ela diz, se apoiando nos cotovelos e depositando um beijo em meus lábios, me arrancando um sorriso. 

Após isso, caímos no sono, e eu acordei algumas horas depois disso, enquanto Alicia ainda estava dormindo. Agradeço por aquilo, e me levanto silenciosamente, tentando não acordá-la e apenas pegar as minhas coisas e ir embora dali. 

Obviamente eu deixaria um papel com meu número, mas não podia ficar ali naquele momento, era intimidade demais aquilo e havíamos nos conhecido há bem menos de 24 horas. 

Assim que termino de me vestir, procuro minhas meias e acho apenas uma, me desesperando na busca da outra. Mas logo acho ela em cima da cômoda de Alicia e me sinto mais aliviada. 

Assim que a pego na mão, presto atenção em uma moldura que havia ali, era uma foto com quatro pessoas, duas mais velhas e duas mais novas. Imaginei ser a família de Alicia, e prestei mais atenção na outra menina, que parecia ser um pouco mais velha do que ela. 

Meu olho se prende nela, por algum motivo, a acho extremamente familiar, aqueles olhos felinos eram únicos e eu conhecia apenas uma pessoa com eles. 

“Não pode ser...” - Penso comigo mesma desacreditada.

“É claro... a semelhança, a gargalhada familiar, os gritos em uma língua estranha, que na verdade era árabe...” - Junto as peças e me sinto desesperada ao constatar quem era.

“Zulema...” - Digo em um sussurro.


Notas Finais


O que acharammm?? 🥰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...