Jornal Desafio Lírico - 04


Por:


Desafio Lírico - 04

Olá pessoal! ^-^/

Venho através deste postar sem muitas delongas o meu poema dos desafios líricos. Um projeto ainda que está se desenvolvendo, mas que já ganha uma cara. Se você gosta de ler e/ou escrever poemas e prosas, faça parte também deste projeto e mostre o seu talento. ;D


Somniato poetam

A vida é um escárnio sem sentido. Comédia infame
que ensanguenta o lodo.
- Alvares de Azevedo -


Em mais um dia como outro
Disperso no tempo com as minhas sandices
Sinto um calor em meu peito
Profundo e misterioso ele é.

Em busca deste momento
Repouso logo os meus sentimentos
Em uma simples folha em branco
Que pouco a pouco vai cedendo espaço.

Uma ideia de mimesis e techné, pioésis
Por meio de meus versos construo.
Sob os primeiros cantos de um pobre poeta
Que amou e sonhou na vida.

Sonhando acordado no mundo que nunca existiu.
Em busca de um amor e prenunciando a morte
Ou em leves ventos suaves e sensuais:
A virgem dos negros cabelos soltos
Com os seus seios revoltos, pálida como o véu

Amou a virgem dos errantes sonhos, filha do céu,
Beijou a verdade santa e nua
Deixou a vida como deixa o tédio
Do deserto, o poento caminheiro.

E quando canto a ideia de ser um pobre poeta
De tudo, seus versos logo me inspiram.
A usar os mais lindos e expressivos sonhos
Para criar e dar vida ao inanimado.


Esse poema é bem mais técnico, acho que só vai entender quem já conhece bem as obras do Alvares de Azevedo.. Introduzir as ideias gregas foi algo arriscado, mas deu tudo certo, consegui fazer a intertextualidade com os sentimentos das obras do homenageado. HAHAHAHAHA

Escutando: Anemone is here - Freedom
Lendo: O método - Phil Stutz e Barry Michels
Bebendo: Café puro e sem açúcar

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...