1. Spirit Fanfics >
  2. Membros >
  3. P3ssimist4

P3ssimist4

P3ssimist4
Nome: “Nada de bom acontece depois das duas da manhã. ”
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Contagem - MG
Aniversário: 29 de Março
Cadastro:

P3ssimist4


Às vezes eu escrevo, às vezes eu edito... eu tenho dezesseis anos e sou apaixonada pela ficção: O Senhor dos Anéis, Harry Potter, The Witcher, etc. A minha série preferida é Breaking Bad, e vida longa ao sr. White!
Tenho shipps estranhos, você não entenderia. É MUITO difícil eu ler algo HÉTERO, mas tente a sorte e me divulgue a sua fanfiction! Eu não gosto de K-pop e nem de Animes, então sem chances de eu ler a sua história se for desses temas, por favor não insista.

Oliver Hoffmann.

Postado

Nome completo:
Oliver Hoffmann.
Idade:
Vinte e cinco anos de idade, nasceu dia vinte e três de janeiro. O seu signo é aquário.
Aparência:
Oliver é um homem atraente, despertando a atenção de ambos sexos. A coloração de suas órbitas é azulada, como safiras. Sua pele é clara, quanto um típico alemão. Há a presença de uma barba em seu rosto, ele gosta de a preservar. Os fios de seus cabelos são aloirados. As sobrancelhas são finas, já que o homem como um bom metrossexual gosta de faze-las. Seus lábios não são grossos e os dentes demasiadamente brancos, ou seja, tem um belíssimo sorriso. Não gosta de seu nariz e já cogitou fazer cirurgia plástica.
É um admirador barato de seu porte físico, praticando diversos exercícios para o preservar. O seu abdômen é definido, com a presença de ‘’gominhos’’. Os braços possuem músculos, consequência dos levantamentos de pesos. A sua clavícula é bem chamativa também, e isso para o homem é uma qualidade. É um ser consideravelmente alto, sendo um metro e oitenta centímetros a sua altura.
Hoffmann em sua adolescência enfrentou problemas com a depressão e automutilação. Quando finalmente o homem conseguiu vence-los, tatuou um ponto e vírgula em seu pulso. No intuito de dizer que venceu essa frase e não desistiu de sua vida, embora já tenha tentado. Tem cicatrizes até hoje.


Photoplayer:
Armie Hammer.
Condição sexual:
Bissexual.

Personalidade:

Considerado um cafajeste nato, com a sua lábia sedutora e safada. Um típico sem vergonha. Não perde as oportunidades que a vida lhe oferece, sempre tentando conquistar as pessoas que lhe chamam atenção.
Um ser definitivamente bom de convívio, bastante sociável. Faz amizades com uma velocidade impressionante, tal característica que também acarreta consequências ruins. Já que se apega com a mesma intensidade e, na maior parte das vezes, saí decepcionado no final por confiar tão fácil nas pessoas.
Tem uma boca muito suja quando está com seus amigos, sendo zoado por isso. Também é bastante engraçado, fazendo piadas com absolutamente tudo, vez ou outra isso magoa outras pessoas.
A sua alma é livre, assim sendo um mochileiro. Sempre com o desejo de ter novas experiências, independentemente de serem boas ou ruins.
É um excelente amigo, verdadeiramente gosta de aconselhar e dar ‘’puxões de orelhas’’ quando necessário. Sabe guardar segredos como ninguém, sempre podem confiar nele.
Hoffmann é altamente honesto, não gosta de fingimento e de mentiras. Isso se encaixa como um grande defeito, já fez diversas pessoas afastarem-se por tal coisa.
Ingênuo, ou seja, não é difícil de o enganar. Já que é um pouco lerdo e não presta atenção alguma nos detalhes.
Não é nem um pouco fã de compromissos amorosos, a sensação de estar preso verdadeiramente o incomoda. No entanto não procura se apaixonar de forma alguma. São apenas encontros de uma única noite e nada mais, sexo sem compromisso.
É excelente em guardar os seus sentimentos mais íntimos apenas para si, nem um pouco exposto. Ele pode estar horrivelmente triste que ninguém saberá.
A vida o transformou em um indivíduo um pouco machista, tem opiniões antepassadas e não muda por nada.
É um praticante do ateísmo, no entanto, não acredita na existência de uma força superior. Para ele é somente histórias criadas no intuito de fazer crianças dormirem. Uma tremenda bobagem e nada mais que isso.
Um pacifista, não gosta de agressão e pensa que a maioria das coisas é possível resolver a base do diálogo. Só que não se engane, Oliver pode ser ruim quando a situação convém. O mesmo fará de tudo para proteger quem considera importante para si, até mesmo matar.
Tem a ''cabeça muito dura'', não costumando dar ouvidos ao que os outros dizem. Para ele apenas a sua verdade o interessa.
Curiosidade é o seu sobrenome, quando está intrigado com algo faz absolutamente de tudo para descobrir o que está o incomodando. O ditado popular ‘’a curiosidade matou o gato’’ encaixa com perfeição em Hoffmann.
Se preocupa mais com as outras pessoas do que si mesmo, outro grande defeito seu.
Metrossexual nato, admira se cuidar e sempre quer sua aparência física impecável.
Um pouco medroso, para falar a verdade. Ainda que goste de se auto desafiar e vencer esses medos.
Sendo um pouco orgulhoso, não tem o costume de se desculpar. Só quando pensa que está definitivamente errado, ou quando vê que machucou alguém.
Está longe de ser o fã número um de seguir regras, logo pensando que algumas nasceram para serem quebradas. Um pouco rebelde nesse aspecto.
Ainda que não se considere muito inteligente, é uma pessoa extremamente dedicada e estudiosa. Por incrível que pareça, é um indivíduo culto.
Sentimental, se magoando fácil com coisas bobas. Mas não costuma guardar rancor e logo esquece o que está o deixando mal, perdoando o alguém que lhe machucou. Esta característica não se aplica à algumas pessoas, um exemplo são alguns membros de sua família.
Herdeiro de uma invejável autoestima, ainda que se incomode com alguns aspectos de sua personalidade, se ama e aceita do jeito que é. E não mudaria absolutamente nada em si mesmo.

História:
Nascido e criado na Alemanha, na cidade de Hanôver. A mulher que lhe deu à luz tinha seríssimos problemas com alcoolismo e drogas. Compreendendo que não teria tamanha responsabilidade e capacidade de cuidar de uma criança, o deu para os avós criarem. Também nunca chegou a conhecer a figura paterna, já que o mesmo não o assumiu quando o filho nasceu.
Uma criança esperta e inteligente, arrancando sorrisos sinceros por onde passava. Sempre estava acompanhado por amiguinhos e era muito alegre. Também recebia muito amor de seus responsáveis. Ainda que fosse obrigado a frequentar igrejas desde muito jovem, nunca reclamou disso. Portanto, apesar de tamanha alegria, no fundo desejava saber onde estavam o seu papai e mamãe. A carência era bastante.
Quando os hormônios em seu corpo começaram a surgir foi uma fase muito difícil. A temida adolescência. O miúdo não se interessava apenas pelas meninas, ou seja, os rapazes também lhe chamavam a atenção. Sempre que ia jogar futebol dava uma encarada discreta no corpo dos garotos. Entretanto tentava ignorar essa curiosidade, até porque cresceu com o pensamento que Jesus Cristo abominava os homossexuais. E estes não herdariam o reino do céu, logo ardendo no fogo do inferno.
Entretanto os desejos foram ficando insuportáveis de resistir ao decorrer dos anos, portanto teve o seu primeiro beijo com alguém do mesmo sexo aos dezesseis anos de idade. Óbvio, já tinha ficado com garotas por ser uma pessoa atraente e sociável. No entanto a situação era diferenciada. Oliver Hoffmann tinha beijado um de seus colegas.
Ambos sabiam perfeitamente que tinham uma reputação a manter e guardavam esse prazeroso segredo somente para eles, as carícias e os toques eram às escondidas.
O problema é que os meninos se apaixonaram. Foi aí que o adolescente namorou sério pela primeira e única vez em sua vida. Estavam contentes com a união e em um futuro próximo até mesmo planejavam se assumirem. Porém a vida não é um mar de rosas e não podemos prever o que vai acontecer.
Por ter tanta confiança no amado, Oliver se entregaria de corpo e alma. Iria enfim perder a virgindade aos seus dezessete anos. Estavam em uma das salas do colégio, após o fim das aulas. Pensavam que estavam completamente sozinhos, mas estavam totalmente enganados. Com as peças de roupas jogadas ao chão e se beijando ferozmente, um barulho ecoa. A porta tinha sido aberta. Um dos membros do clube de basquete entra no ambiente e vê a situação íntima dos rapazes, o jovem impressionado gargalha e debocha bastante. Tirando uma foto dos dois.
Por pouco não bateram no rapaz, na intenção do mesmo deletar a comprometedora fotografia. No entanto a ameaça do outro foi mais perigosa. Dizendo que mandaria para todo mundo caso encostassem um dedo se quer nele. Portanto, preocupados e com bastante receio, fizeram um acordo: o menino apagaria a imagem e em troca ganharia uma quantia por cima disso.
No dia seguinte o adolescente apareceu na escola com medo do que iria acontecer, quando pisou dentro do local percebeu que todos os estudantes estavam olhando para si. Rindo, chacoteando, proferindo palavras que lhe machucavam. O valentão que pegou Hoffmann e seu namorado no flagra então surgiu, acompanhado por seu grupinho. Começaram então a espancar Oliver, saindo de lá rindo do rapaz e comentando que ele era uma maldita bichinha. A foto tinha sido espalhada através das redes sociais para o colégio todo.
Teve que se mudar de cidade, indo morar em Dresden onde ninguém lhe conhecia. Passou a pior situação do mundo com os seus avós. O seu avô o espancou de cinto até aparecerem marcas em suas costas, já a avó dizia que ele estava sendo possuído pelo demônio e chamou um padre para fazer um exorcismo. O garoto nunca mais foi tratado ou encarado com os olhares carinhosos como antes. Absolutamente tudo tinha mudado.
(...)
Já estava entrando no início de uma depressão, sua família não o amava mais e tinha perdido todos os seus amigos. O amado também não o respondia virtualmente, foi aí que uma horrível notícia começou a circular na internet. O pai do namorado de Hoffmann quando soube da tragédia o matou a sangue frio. Claramente fora preso logo em seguida, porém isso abalou totalmente as emoções do menino de dezessete anos. Então se rendeu a prática da automutilação.
Com toda a pressão do mundo em suas costas e não podendo desabafar ou confiar em ninguém, se sentindo inútil e sem forças para continuar sobrevivendo. Deixou de comer, emagrecendo perigosamente. O jovem então tentou cometer suicídio, ingerindo uma alta quantidade de comprimidos. Obviamente uma tentativa malsucedida. Ele então foi mandado para um internato, o que foi uma das melhores coisas de sua vida. A sua salvação.
Se dedicou completamente aos estudos, coisa que não fazia antes. Tornando um ser intelectual e até mesmo ''nerd''. Decidiu ignorar as opiniões alheias e criou forças para assumir a sua bissexualidade, isso até mesmo o ajudou a arranjar amizades na escola. Portanto sempre com a intenção de nunca namorar ninguém, já que tinha uma fobia e pânico exagerados de machucas mais uma pessoa. Verdadeiramente se sentia culpado pela morte de seu ex.
O internato lhe ajudou a passar em uma excelente faculdade de medicina em Stanford, nos Estados Unidos. Também o ajudou a fazer uma melhor amiga e essa o ajudava com absolutamente tudo, eram inseparáveis. Enfim a alegria e vontade de viver de Oliver tinham voltado.
Quando se mudou de país foi morar junto com essa sua amiga. Já que era maior de idade começou a fazer autoescola e até mesmo a trabalhar. A bolsa não era 100% e não desejava ser dependente de ninguém para ajudar a paga-la, então o emprego o ajudou bastante.
Quando finalmente se formou ele era outra pessoa, sua alma tinha sido renovada. Alguém feliz e com tamanho orgulho de si mesmo, aprendendo a se amar e aceitar do jeito que é. Se tornou um ótimo e exemplar psiquiatra, com o hobbie e paixão de viajar o mundo todo. Sendo a maravilhosa Irlanda o seu luar preferido. Sempre em suas viagens ficava com alguém, porém sem permitir-se apegar. A sua amiga conheceu uma mulher na faculdade de artes cênicas e se casou com a mesma, logo indo morarem juntas.

Família:
Amélie Hoffmann Rousseau.

Atualmente está com quarenta e um anos de idade. É a mãe de Oliver. O filho nunca chegou a conhece-la, embora não tenha raiva da mesma. Até mesmo compreende a sua decisão. Ela está desaparecida.
Wolfgang Schuhmacher Os Morales.

Atualmente está com quarenta e quatro anos de idade. É o pai de Oliver. O homem de vinte e cinco anos não sabe quem é o desconhecido, e diferente da mãe não tem vontade de conhece-lo. Uma pessoa totalmente irrelevante para si e nunca o perdoaria. Ele também está desaparecido.
Katharina Schmidt Hoffmann

Morreu aos sessenta e sete anos de idade. É a avó de Oliver. O homem a perdoou, independente que a mulher tenha lhe ferido muito no passado. Definitivamente não tinham uma boa relação e a última vez que se viram fora quando se mudou para o internato, era somente um adolescente na época.
Marlon Fournier Hoffmann

Morreu aos setenta anos de idade. É o avô de Oliver. O garoto nunca conseguiu lhe perdoar pelos maus-tratos, e não compareceu no enterro do mesmo. A última vez que se viram fora no velório de Katharina, mesmo assim se recusou conversar com o mais velho.
Renesmée Scherbatsky Müller

É a melhor amiga de Oliver. Atualmente com vinte e sete anos de idade. Tinham uma relação invejável e confiavam perfeitamente um no outro. A mulher está viva, ainda que esteja desaparecida. O maior desejo de Hoffmann é revê-la outra vez.
Élio Chalamet Mallmann

Faleceu aos seus dezessete anos de idade. Foi o único amor e namorado de Oliver. A relação dos dois era um pouco conturbada, mas eles eram completamente apaixonados um pelo outro. Não podiam se assumir e fingiam serem heterossexuais para os outros, até mesmo ficando com garotas somente para preservar as aparências. As brigas eram normalmente causadas pelos ciúmes excessivo de Élio.

Profissão antes do apocalipse:
Era um psiquiatra, sendo fotografia a sua segunda renda.
Medos, Traumas & Fobias:
O seu trauma é machucar alguém novamente, já que seu passado fora perturbador. Um de seus maiores medos é altura. Tendo fobia. Para ele, lugares silenciosos demais são perturbadores. E realmente os detesta. Tem fobia de perder outra pessoa consideravelmente importante para ele, evitando até mesmo pensar nisso. A espécie de animal que mais lhe amedronta são ratazanas. Ele também é claustrofóbico, ou seja, tem pavor de ambientes fechados. No entanto aviões são considerados o pior meio de transporte para si. Um de seus medos também é decepcionar os outros.
Alergias:
Camarão. Não podendo ingerir esses frutos do mar. É alérgico também a abacaxi e à poeira. Esses alimentos mencionados e lugares empoeirados causam vermelhidão em seu corpo e Hoffmann também começa a tossir sem parar. Precisando até mesmo de utilizar remédios para se curar.
Habilidades e Inabilidades:
É formado em medicina, característica que contribuiu nos tempos atuais. Por ser um homem consideravelmente forte, é ótimo em combates corpo a corpo. Um motorista exemplar. Hoffmann tem uma rapidez impressionante, sendo um excelente corredor. Consequência das atividades físicas que pratica. É um indivíduo extremamente sociável, conquistando as pessoas com uma habilidade impressionante. Também é impressionante tocando violão.
Sua mira está longe de ser considerada uma das melhores, por isso opta por armas brancas. Por ter um raciocínio lento é muito fácil engana-lo. Definitivamente não sabe cozinhar muito bem, fazendo somente o básico para a sua sobrevivência. A qualidade de sua visão é horrível, tendo que usar lentes de contato por consequência da quantidade de seu grau. Realmente é um péssimo nadador, então opta por não entrar em piscinas ou ir para praia. A sua sensibilidade afeta muito em sua personalidade.

Como se relaciona com:
Amigos:
Uma excelente pessoa. Está lá para as suas amizades em todas as ocasiões, sendo boas ou ruins. É extremamente honesto e não importa se isso vai ferir os outros. Ótimo conselheiro, mas também é bom em chamar a atenção dos amigos. É extremamente preocupado com eles e faz de tudo para vê-los felizes, se preocupando mais com os mesmos do que consigo mesmo. Gosta de fazer planejamentos para o futuro e viajar com as suas amizades. Não conta os segredos deles para ninguém e sua boca se transforma em um verdadeiro tumulo. Eles sabem que podem confiar em Oliver para absolutamente tudo. E mesmo não desejando confessar é um pouco ciumento e possessivo.
Inimigos:
Por não gostar de brigas, prefere ficar longe. Evitando qualquer contato com os mesmos. Mas é muito difícil Hoffmann ter inimigos, já que é considerado uma pessoa com um ótimo coração. Prefere ter paciência e ignorar qualquer comentário estúpido que estas pessoas lhe proferirem, permanecendo quieto no seu canto. Só que se eles fizerem qualquer mal para as pessoas que são consideradas importantes para Oliver, ele irá quebrar a cara desses babacas. E não vai ser mais um alguém bonzinho.
Desconhecidos:
A sua intenção é fazer amizades com eles e se aproximar, sendo extremamente receptivo. Busca ser engraçado e amigável para ganhar a confiança dos mesmos, sem interesse algum. E isso faz as pessoas desconfiarem um pouco de si, embora logo elas vejam que Oliver é apenas uma pessoa sociável e que tenta ver o lado bom das coisas.
Gostos e desgostos:
O inverno, é um fã do clima gélido e de usar atraentes roupas de frio; histórias medievais. Tanto livros, quanto filmes; tocar violão. Ironicamente quem lhe ensinou o instrumento fora uma das pessoas que mais sente desgosto na vida: o seu avô; fazer amizades, conversar em geral. E compreende que é ótimo em desenrolar assuntos; falar palavrões, ainda que entenda quando é a hora errada de dize-los; viajar, sendo isso uma de suas paixões; sucos naturais no geral, o de acerola é o seu preferido; transar, é outra de suas paixões. Já que Hoffmann é um típico sem vergonha; comidas tailandesas, o homem curte coisas exóticas. Guay Jub é o seu prato preferido; fotografar, obviamente. Não é somente um amador no que faz, mas sim um profissional e excelente em seu trabalho. Gostando de tirar fotos espontâneas das pessoas ao seu redor; ajudar os outros, não é nenhum sacrifício para o mesmo e realmente quer ver as pessoas felizes; a música clássica, é o seu estilo musical preferido. Um fã de Mozart; a área de medicina, desde quando era pequenino se interessava pela mesma. E acha demasiadamente interessante tratar de transtornos mentais; dirigir, a sensação de liberdade lhe encanta; praticar atividades físicas e se cuidar.
O verão e a sua temperatura quente, não gostando de frequentar clubes ou praias; comidas doces de mais, isso faz o seu estômago embrulhar; seguir regras, até porque pensa que algumas foram criadas no intuito de serem quebradas; relacionamentos amorosos, se proibindo de apaixonar; desonestidade, detesta pessoas mentirosas e prefere manter distância; filmes românticos, odeia o clássico Titanic e pensa que é uma baboseira; músicas eletrônicas, acha muito estressante e não considera como um gênero musical; o silêncio, é uma coisa definitivamente perturbadora para o homem; o som de pandeiros, para ele é uma coisa chata e sem graça; odeia quando as pessoas lhe tratam de uma maneira grosseira; avião, é o meio de transporte que mais detesta; bebidas alcoólicas, a principal causa é a história de sua mãe; a sua família paterna, já que a mesma jamais procurou saber sobre o garoto. E o seu avô materno; valentões. Gente que se sente superior; cheiros de perfumes muito fortes ou adocicados demais, isso faz a sua cabeça latejar; ter que tomar medicamentes. Uma curiosidade de Oliver é que não consegue ingerir os comprimidos direto, no entanto, precisa mastigar.

Qualidades:
Tem um ótimo coração, bastante sociável; engraçado e muito piadista; é um ser de alma livre quanto um pássaro; um amigo exemplar; não é nada transparente com os seus sentimentos íntimos; uma pessoa pacifista; sempre está disposto a experimentar coisas novas; bastante focado em suas coisas e não desiste facilmente das mesmas; um homem metrossexual; um individuo culto e inteligente; a sua autoestima é impecável; extremamente leal e companheiro.

Defeitos:
É um pouco ciumento; é um típico cafajeste; se apega facilmente nos outros; tem uma boca suja; gritantemente sincero; é uma pessoa ingênua e com o raciocínio lento; opiniões um pouco machistas; tem a cabeça ‘’muito dura’’ e é difícil muda-lo; teimoso; extremamente curioso; também é um pouco orgulhoso; um ser um pouco rebelde em alguns aspectos; sentimental; medroso.

Armas:

Um machado Albatroz FT-X2.

E também, no mundo apocalíptico, aprendeu a usar uma katana.

Par:
(X) Sim, o autor escolhe.
( ) Sim, eu escolho.
( ) Não.

Mataria alguém para sobreviver?
Somente se fosse em situação de vida ou morte, ou se essa pessoa tivesse matado alguém de seu grupo. Também em circunstâncias de alguém ter sido mordido e se encontrar infectado.
Daria sua vida para salvar alguém?
Apenas para salvar pessoas importantes para si e que ama, caso contrário não.
Mataria alguém do grupo? Se sim. Em que circunstância?
Não. Em todas as circunstâncias falaria com o líder do grupo primeiro, já que compreende que essa decisão não é ele que tem que tomar.
Trairia o grupo para se salvar?
De forma alguma.
Está disposto a fazer escolhas importantes?
Estou.
Está ciente que se seu personagem for aceito ele estará em minhas mãos?
Compreendo perfeitamente.
Algo Mais?
Por favor, se meu personagem for namorar faça ele se relacionar com algum homem. Mas antes dele se comprometer com indivíduo o deixe ficar com mais pessoas primeiro, transar com mais pessoas. E então depois disso se apaixonar. Explore o quesito do passado de Hoffmann e o pânico do mesmo de se apegar e ferir a pessoa amada.
Se não for pedir muito queria também que você fizesse Oliver se reencontrar com Renesmée, é uma coisa importante para mim.


Permalink Comentários (0)

Atualizações do Usuário

Usuário: P3ssimist4
Favoritei a história
História: Luba X Orochi
História: Luba X Orochi
Lucas e Pedro vulgo Luba e Orochi, são dois youtubers que se vêem envolvidos em algo mais que uma collab.
Usuário: P3ssimist4
Favoritei a categoria
Categoria: Hannibal
Categoria: Hannibal
Hannibal é um personagem icônico criado pelo escritor Thomas Harris e retratado em uma série em 4 volumes: Dragão Vermelho (1981), O Silêncio dos Inocentes (1988), Hannibal (1999..
Usuário: P3ssimist4
Favoritei a história
História: Become the Beast
História: Become the Beast
"Vê? Isso é tudo que eu sempre quis para você, Will. Para nós dois." "É lindo." As últimas palavras foram proferidas. Não havia mais nada, além do profundo sentimento de compre..