1. Spirit Fanfics >
  2. Membros >
  3. annubis

annubis

annubis
Nome: .¸¸.*nothing♡*.¸
Status: Usuário Veterano
Sexo: Feminino
Localização: Acrelandia - AC
Aniversário: 11 de Fevereiro
Cadastro:

annubis


.。*゚+.*.。𝒾 𝒹𝑜𝓃'𝓉 𝓌𝒶𝓃𝓃𝒶 𝒹𝒾𝑒. 𝒾 𝓈𝑜𝓂𝑒𝓉𝒾𝓂𝑒𝓈 𝓌𝒾𝓈𝒽 𝒾'𝒹 𝓃𝑒𝓋𝑒𝓇 𝒷𝑒𝑒𝓃 𝒷𝑜𝓇𝓃 𝒶𝓉 𝒶𝓁𝓁
。。。。私は死にたくない。私は時々私は全く生まれなかったことを望む*:・゚✧

.try again ;;graecus

Postado

Citação:




Mostrar Spoiler:

먼 길을 다시 돌아간다 해도. 난 여전히 같은 맘일 테니까.𝓌𝑒’𝓁𝓁 𝒷𝑒 𝒶𝓁𝓇𝒾𝑔𝒽𝓉. 𝒾 𝓌𝒶𝓃𝓉 𝓉𝑜 𝓉𝓇𝓎 𝒶𝑔𝒶𝒾𝓃






-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝙽𝙾𝙼𝙴 𝙲𝙾𝙼𝙿𝙻𝙴𝚃𝙾 𝙴 𝙰𝙿𝙴𝙻𝙸𝙳𝙾𝚂*:・゚★デミゴッド,。・
𝕁𝔸ℂ𝕂 ℙ𝔸ℝ𝕂

Seu nome fora concebido por sua avó, incentivada por seu pai e contrariando o vô, que insistira e muito por dar-lhe um nome coreano, assim como todos de sua família paternal. Ainda assim, decidiram optar por mudanças e fazer do garoto o primeiro da família com um nome ocidental. É de origem inglesa, porém seus familiares não se atentaram tanto a isso, mas sim ao seu significado bastante cristão. Significa “Agraciado por Deus” ou “A graça e misericórdia de Deus”. De fato, algo que combina com sua existência, visto que a criança fora uma dádiva na vida de seu pai e do restante de sua família, mesmo depois de tudo, que será contado mais tarde. Seu sobrenome, no entanto, é herdado de sua parte coreana, e nisto não teve brigas para ser colocado, já que o de sua matriarca é completamente desconhecido. Algumas fontes dizem que ‘Park’ significa “da floresta” ou “paz”, porém não são fatos. O que se sabe é que um nome muito antigo que era usado apenas por nobres em um passado distante, mas que hoje se distinguiu e é usado por todo tipo de pessoa. No entanto, ainda faz bastante jus ao presente de sua família.

Citação:
Jackie — Garoto da Natureza — Jackson — Sr. Perfeição — Sr. Líder — Cervinho

1. Seu apelido mais comum e a maioria das pessoas o chamam assim. Ele gosta bastante e acha muito fofo.
2. Adoram tirar uma com ele, e foi lhe concebido tal apelido logo depois que foi reclamado por sua progenitora. Ele não achou ruim, pois ele realmente era filho dela e ama tudo que envolva os animais, as plantas e afins.
3. O Sr. D o deu esse apelido. Aparentemente, apenas para o irritar, e Jack o retribuiu o chamando de ‘Sr. Bebum’. Coisas de quando era apenas uma criança.
4. Querendo zoar com a sua cara, seus queridos amigos o chamam assim todas às vezes em que ele faz algum feito grandioso ou recebe alguma congratulação ou elogio. Jack o odeia, mas o que pode fazer além de socá-los com muito ‘amor e carinho’?
5. Ele mesmo quem inventou, muita sendo a sua criatividade. Apesar de ser mais como uma brincadeira, ele realmente é um bom líder e as pessoas concordam com isto. Por isso quando é escolhido para o papel ele inventa de utilizar o apelido para divertir os demais.
6. Seus amigos que também inventaram e Jack ficou sem falar com os garotos durante muitas semanas. Isso foi após descobrirem que ele dorme agarrado com um cervo de pelúcia e o semideus se sentiu muito envergonhado nesse dia. De qualquer forma, ele não parou de dormir com o seu companheiro.


-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴 𝙴 𝙳𝙰𝚃𝙰 𝙳𝙴 𝙽𝙰𝚂𝙲𝙸𝙼𝙴𝙽𝚃𝙾・゚★デミゴッド,。・

Jack tem seus dezessete invernos completos, não tão próximo de completar os seus dezoito. Ele nasceu em um final de tarde de dezembro, com os ventos gélidos percorrendo toda a cidade até as vastas florestas estadunidenses, a neve branca caindo tão delicadamente no chão e o céu coberto de cinza. Não era um dos melhores dias para se sair de casa, ainda que o natal se aproximasse, porém aquele dia parecia dizer a população para que permanecessem em casa e não se atrevessem colocar os pés para fora. E fora naquele exato dia de vinte de dezembro de dois mil e dois que o pequeno e belo garoto nascera, tão delicado quanto um floco de neve e tão majestoso quanto as luzes e decorações que embelezavam as metrópoles.


-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝙽𝙰𝙲𝙸𝙾𝙽𝙰𝙻𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴・゚★デミゴッド,。・


O jovem garoto nasceu no meio das imensas florestas verdes do Olimpo, com todos os animais e seres comemorando pelo novo filho da grande deusa, mas comemoração esta que durou muito pouco. Logo ele já estava nos braços de seu progenitor, em sua casa na cidade de Boston, no norte dos Estados Unidos. Eles viveram ali até seus três anos de idade até se mudarem para a enorme Nova York. Sua nacionalidade é estadunidense, porém por seu pai ser de origem sul-coreana isto lhe concebe uma descendência e uma dupla-nacionalidade que não demoraram em tirar para o garoto.


-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝚂𝙴𝚇𝙾 𝙴 𝚂𝙴𝚇𝚄𝙰𝙻𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴・゚★デミゴッド,。・



Citação:
Cisgênero — pessoas cujo gênero está em concordância com a designação médica de sexo.
Pansexual — São pansexuais pessoas que sentem atração sexual por outras pessoas, sem distinção de gênero.
Homorromântico — São homorromânticas pessoas que só sentem atração romântica pelo mesmo gênero.

O coreano nunca teve dúvidas e sempre se sentiu bem sendo um homem, mesmo dizendo e afirmando várias vezes que seu gênero é um lixo. Fatos são fatos, não há como discutir. Quanto a sua sexualidade, por bastante tempo ele se questionou sobre. E quando eu digo bastante, eu quero dizer muito mesmo, do tipo que só foi entender e conseguir se encaixar em algo há mais ou menos dois anos atrás. Custou muito para que ele entendesse. Quando era mais novo ele beijou algumas garotas e achou bom, mas apenas sentia prazer naquilo. Não conseguia se imaginar tendo um romance com uma, diferente do que era quando pensava sobre um garoto. Por um tempo ele se rotulou como bissexual, até quase entrar em um namoro com uma garota e perceber que aquilo não era ‘pra ele. Preferia quando só existia a atração sexual em si. Depois de um tempo, percebeu que nunca se importou realmente com gêneros e quando pesquisou sobre o que era a ‘pansexualidade’ soube no mesmo instante que era ali que se sentia parte. Mas, e quanto sua atração romântica? Constou-lhe ainda mais para descobrir. E enfim, em meio a pesquisas e muitas questões debatidas consigo mesmo que conseguir entender e pensar ‘por que não?’. Não era errado, muito longe disso. Era como se sentia. E sabe, Jack se sentiu muito feliz com isso. Feliz por conseguir se sentir parte de algo e não se estranhar a todo momento ou sentir que era errado. Amar nunca foi e nunca será errado, e foi isso que ele levou e ainda leva consigo. Poucas pessoas sabem, e ele nunca teve problemas ou achou ruim de explicar quantas vezes a pessoa quisesse. E para sua maior felicidade ainda, seu pai não foi contra e o apoiou em todos os momentos e esteve ao seu lado para o dizer “Filho, seja como você for eu te amo e irei te amar por toda a eternidade”.


-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝙰𝙿𝙰𝚁𝙴̂𝙽𝙲𝙸𝙰・゚★デミゴッド,。・

Jack Park é estupidamente bonito. Ele realmente é provido de uma beleza diferente, grandiosa e única, como é de se esperar de um filho da natureza. Tudo nele é meticulosamente encaixado e adornado para que não haja falhas. Na melhor das palavras, é como se fosse o próprio sinônimo de perfeição. O coreano tem elegância e charme até mesmo na maneira como se comporta diante das pessoas. Seu rosto é banhado em uma delicadeza nos traços e tamanho encanto, com os olhos pequenos e delineados em traços asiáticos, os orbes de cores caramelo e verde, quase como uma perfeita heterocromia. As bolsas de água abaixo deles lhe dão um charme natural junto com as sardas que o contornam mais a cor avermelhada de suas bochechas que se espalha até o nariz em contraste com a tez amarela-esbranquiçada, quase como se a luz do sol ou o brilho da lua sempre estivesse se refletindo sobre a mesma. Os lábios rosados são bem desenhados, nem tão pequenos e nem tão grandes, assim como seu nariz e sobrancelhas. Jack também possui a famosa imperfeição genética de covinhas, que lhe dão um ar ainda mais formoso e bastante fofo quando em conjunto ao seu sorriso branco e alinhado. O cabelo liso é um tanto rebelde e mediano, de cor castanho-caramelo, mas que sempre parece saber o jeito certo de estar para realçar sua aparência e estilo. Ele já o descoloriu algumas vezes, e cores como o rosa realmente lhe caem muito bem. Seu corpo é esguio, por volta dos 1,77 cm de altura, junto de vários músculos presentes pelo entorno de seu corpo. É, esse realmente é o homem.

jung jaehyun – korean singer by nct





-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝙿𝙴𝚁𝚂𝙾𝙽𝙰𝙻𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴・゚★デミゴッド,。・




Jack sempre foi uma criança iluminada, atraindo olhares e ganhando atenção por tão pouco que fizesse. A princípio, em um primeiro momento, se encantam por sua aparência, tão diferente e tão única, pouca vista no cotidiano. E então, pouco depois, se veem admiradas por sua personalidade, brilhante como um raio de sol e tamanha espontaneidade em um único ser. Mesmo na sua pouca idade, ele já era admirado por outras pessoas que diziam querer ser como ele, cativados por sua personalidade estonteante e agradável a maioria. Ele se acostumou cedo a ter tantas pessoas ao seu redor, constantemente dando atenção e falando com as mais diferentes pessoas. A comunicação é um dom seu, e o permite que consiga conhecer e se aproximar de alguém com uma facilidade considerável. O semideus é bastante adepto em fazer amizades ou pelo menos conhecer e interagir com todos ao seu redor, se esforçando para nunca deixar uma escapar de suas mãos e seus sorrisos simpáticos. Jack é muito gentil e extremamente prestativo, difícil não o ver fazendo algo. Incansavelmente ele está à todo vapor, andando de um lado para o outro fazendo um favor, dando uma ajudinha e assim por diante. Ele não consegue dizer “não”, ainda mais quando o pedem com jeitinho. E não consegue receber uma resposta negativa quando vem de sua parte, tendo ele fazendo de tudo para que obtenha o que deseja. E o coreano consegue ser muito insistente e irritante quando quer, não se cansando nem um pouco nem que tenha de irritar alguém o dia inteiro para receber o que precisa. Ainda assim, é difícil de odiá-lo quando pouco depois ele estará o mostrando um sorriso brilhante de ponta a ponta depois de justamente ter o que queria.

O garoto é muito cuidadoso com tudo, seja fazendo algo por si ou para outra pessoa. Ele não tem pressa quando algo precisa ser bem feito, e o mesmo tem um certo talento em deixar as coisas de uma forma bonita e agradável aos olhos. Nada como um filho ou filha de Hefesto mas bem, ele tenta. Seu cuidado é uma característica bem popular sua, visto que da mesma forma que ele tende a ser com objetos ele também é com as pessoas. Um típico príncipe encantado dos contos de fadas ou o garoto mais popular do colégio? Bem, digamos que sim, por mais que ele não concorde com isso. Muitas cenas próprias de clichês românticos já foram reproduzidas por ele. Limpar uma sujeirinha no rosto de alguém, segurar antes da pessoa cair, colocar uma mecha do cabelo para trás. Para Jack, atitudes normais do dia-a-dia. Para outros, não costuma ser interpretado desta forma, e por isso tantos se iludem com o semideus. O garoto nunca tem nada sério com ninguém, pelo menos até o presente momento. Ele até que gosta de um pouco de usar suas “técnicas” de sedução, árdua a tarefa de recusar e não entrar em seu joguinho de provocações. Certamente um belo de um puto irresistívell. Além de quente, muito quente. Entenda como quiser. Nem que mínima, a atração por esse rapaz é quase impossível. E ele sabe que no quesito beleza, há de sobra em todo o seu ser. Jack gosta muito de flertar e mais ainda de ser cobiçado por alguém, provocando a pessoa o máximo que puder. Ainda assim, ele não costuma ficar com muitas pessoas por medo de estragar relações de companheirismo que estabelecera ali, poucos sendo aqueles que conseguiram ter algum contato mais íntimo com o garoto, geralmente pessoas pela qual ele tem muita confiança. Uma relação romântica é ainda mais difícil, e até então não houve ninguém que conseguira conquistar de verdade o coraçãozinho do jovem semideus. Quem sabe isso não vá mudar? Nunca se sabe o que pode acontecer...

O coreano possui uma postura e uma aura diferente, mesmo depois de tanto tempo. Ele é muito elegante, do tipo que usa roupas chiques e que sempre estão na moda quando volta para sua vida na cidade grande. É um burguês, nas mais sinceras palavras, o que faz jus ao jeito como se comporta e como fala ou gesticula. Vindo de uma alta classe, os resquícios de sua etiqueta de boas maneiras são mostrados muitas vezes sem que ele perceba. Ele se acostumou a usar gírias e falar de uma maneira mais relaxada no acampamento, porém vez ou outra ainda age como um nobre rico, como lhe fora ensinado desde pequeno. Em momentos como esses, as pessoas costumam achar graça e fofa quando ele se dá conta e fica com as bochechas um tanto rosadas, o que é algo um tanto quanto raro de se ver nele, e são acontecimentos que dão a oportunidade perfeita para que seus amigos riam e zoem de sua cara, o que o deixa mais constrangido. Geralmente é Jack quem deixa as pessoas assim, então é um acontecimento e tanto o ver ficar desta maneira. Ele praticamente nunca age de modo tímido, por já ter intimidade com metade daquele lugar e pela facilidade em conversar e fazer amizades. Apenas em momentos muito específicos terão o prazer de ver o semideus se portando como um bobo.

Jack é conhecido no acampamento como sendo um semideus justo, nobre e honroso, com as características perfeitas de um herói valente e que sempre se põe na frente, agindo como um perfeito líder pronto para resolver quaisquer problema ou ameaças. Não importa o que aconteça, ele irá erguer seu arco e flecha e lutará para proteger a todos e defender seu lar, mesmo que tenha de por sua vida em risco. Seria mentira dizer que ele não tem medo, afinal, todos temos e é completamente normal. Mas, acima disso, ele irá colocar suas responsabilidades e seu senso heroico e de liderança, se isto signifique que ele será capaz de salvar tudo e a todos, o faz sem pensar duas vezes. Sempre foi bem ciente dos perigos que o acerca, e já enfrentara muitos deles. Logo, não será agora que irá correr deles. O que for que tenha de ser enfrentado, que esteja preparado para o filho da natureza.

É extremamente difícil o ver perder a cabeça ou a paciência. Não tende a elevar sua voz mesmo em momentos conflitantes, sempre tentando manter o máximo de calma possível e passar o mesmo para os outros. As feições expressões em seu rosto em geral esboçam tranquilidade e serenidade, pois ele sabe esconder bem o contrário disso dentro de si. Então, para o ver endurecer suas expressões, que esteja bem preparado para o que vira em seguida, e a imagem de Jack completamente furioso irá vir à tona. Apenas situações de extremidade irão causar isso nele, como se o problema a sua frente não fosse nada perante toda a raiva que sente e que precisa ser descontada de alguma forma, caso contrário ele não ficará satisfeito consigo mesmo. É em momentos raros como esse que ele perde toda a sua compostura e age de um jeito um tão inconsequente, até que possa “retornar a consciência” do que está fazendo, e que deve contrariar a situação e não se deixar levar, pois ás vezes pode prejudicar não apenas ele, como outras pessoas ao seu redor também. Jack é extremamente leal aos seus companheiros e se importa com cada um deles como se fizessem parte de sua família, então saber ou ver algo de ruim acontecendo com eles é como se uma parte de seu coração estivesse se quebrando, o que só piora com quem ama; melhores amigos, um parente ou um namorado. É como se roubassem seu coração, e ele irá fazer de tudo para o ter de volta e ver todos bem mais uma vez, a paz reinstaurada e sorrisos adornando a face de todos.

É importante ressaltar e enaltecer o quão talentoso o Park é. Não apenas tendo uma personalidade incrível, mas também tem habilidades incríveis. Seriamente esforçado, a todo momento dando o melhor de si e se empenhando em ter ótimos resultados. Ele é sempre muito eficiente quando se trata de suas próprias tarefas e bastante disciplinado em fazê-las quando lhe fora ordenado. Jack é muito meticuloso em fazer as coisas do jeito certo e que o deixe contente com o resultado. E é bom receber elogios por seu esforço e capricho. Também é muito inteligente, desde criança tendo o hábito de ler livros de alto intelecto e de idade avançado e de guardar todo tipo de informação, sempre apto para aprender assuntos diversos e ser capacitado para falar ou até mesmo ensinar com certa facilidade algum conteúdo desejado. Ele é como uma máquina em guardar referências e conhecimento, principalmente aqueles referentes a natureza, a qual sua matriarca criou. Uma das coisas que mais o deixa feliz é ver que é capaz. Capaz de usar uma espada, capaz de usar seus poderes, capaz de saber muito, capaz de se sentir como se o mundo estivesse em suas mãos. Infelizmente, são poucas as vezes em que se sente assim. Completo com algo a qual fizera. Ele não nasceu perfeito e com a suprema capacidade de fazer qualquer coisa. Foram horas afinco e sem dormir para que se sentisse pelo menos bom o bastante. E mesmo após tanto treinar, geralmente nunca sente que é o bastante. Agonizantemente querendo mais para tentar se sentir completo com algo a qual se tornara bom. É difícil ter que acordar às 03h30 da manhã por não se sentir suficiente para ninguém e principalmente para si mesmo. Por mais que tantos o digam o quão eficiente é Jack não consegue fixar isso em sua cabeça. Por trás do garoto valente, forte e destemido há um com medo, melancolia e incertezas. Ele se sente como se enganasse a todos ao seu redor, mostrando uma figura que ele não consegue reconhecer e conseguir ser 100%. Enxerga apenas seus defeitos, e não as qualidades que tanto lhe falam.

O semideus tende a ser uma explosão de sentimentos, transpirando sentimentos bons para todos e sendo aquele que traz alegria para a vida de outras pessoas. Mas, de tanto fazer isso, ele se esquece de ser feliz para si mesmo. De tanto querer ver os outros bem, ele não se lembra de tirar o tempo para se sentir bem. E como poderia, ele pensa, se constantemente se sente vazio, mesmo tendo tantos ao seu redor o cortejando. Mostra um sorriso, mas esconde o que há de verdade em seu âmago, correndo sua alma e o fazendo se torturar cada vez mais por dentro. Ele sente muito, mas também não sente nada, está é a realidade pela qual tem vivido durante anos. O vazio o deteriora, o fazendo achar que nunca será bom o suficiente para ele e nem para ninguém. O perguntam como ele consegue ser tão perfeito. Ele ri, como se achasse graça, mas no fundo não há nada de engraçado, apenas uma profunda tristeza e um constante sentimento de que se ele parecer assim por fora, quem sabe um dia também consiga se sentir da mesma forma por dentro. Jack é um garoto quebrado como qualquer outro, cheio de problemas e pensamentos fodidos. E ele sente raiva de si mesmo por ser assim, alguém com uma cabeça tão dividida, alguém que não consegue se abrir verdadeiramente, alguém que não consegue sentir as coisas boas que falam sobre si, alguém tão cheio de falhas em seu ponto de vista.

Às vezes se sente eufórico, precisando extravasar toda a sua exaltação de alguma forma. Inventa diversas coisas para fazer, pula como uma criança, anima as pessoas com brincadeiras e piadinhas, pede por um carinho no cabelo, se junta a todos em uma roda para contar histórias dos antigos deuses, fala com metade do acampamento em um único dia. E às vezes, ele se sente em uma depressão, raso e sem muita vontade de fazer nada, não tão animado como geralmente fica, se forçando a fazer coisas tão simples, um sacrifício para sair da cama e até mesmo ouvir o que os outros tem a lhe dizer. Por vez, as palavras parecem não fazer sentido e tudo é meio embaralhado, sem nexo. Mas ele se esforça para não deixar ninguém preocupado, para que no final do dia ele apenas possa se deitar na sua cama e não faça absolutamente nada, pois sabe que não conseguirá dormir tão cedo por conta dos constantes pensamentos em sua cabeça. O coreano já está acostumado com eles, o assombrando e o dizendo coisas que ele não quer acreditar, mas continua o fazendo, a cama parecendo afundar com tanto que carrega em todo o seu corpo. Ele saber como é passar pelos momentos de crise e os ataques de pânico, pois são constantes em sua vida. E não há mais nada nele, nem lágrimas para serem choradas ao algo para ser sentido. Ele apenas fica lá, em seu próprio vazio e sozinho contra um mundo que criara. Se os monstros lá fora fossem os únicos que o percebem, ele estaria agradecido, pois certamente são menos piores do que aqueles dentro de si mesmo.

É extremamente difícil e doloroso para ele, porém ele tenta melhorar a cada dia, tentando ser suficiente para si mesmo, enxergar a beleza que os outros veem em si, não deixar que caía ainda mais nesse poço sem fundo. Afinal, só ele mesmo pode vencer essa luta, e é o que ele vem tentando fazer. Por mais que ele cogite em desistir ele não o faz, pois há outra voz bem lá no fundo o dizendo para continuar persistindo, correr contra sua escuridão e viver. Ser feliz, se sentir feliz é o seu maior desejo. Não algo momentâneo, mas sim o que o dá prazer de acordar todos os dias e seguir em frente, estar ao lado de pessoas que ama, fazer o que gosta, estar feliz apenas pelo simples fato de realmente estar, e não por algo diferente ter acontecido. Jack é ciente de que há pessoas verdadeiras e boas ao seu redor, que o amam e que gostam de estar ao seu lado. E é nisto que se concentra, e também nas pequenas coisas que fazem seu dia melhorar. Ele não precisa de muito, nunca precisou. As únicas coisas que precisa é poder viver bem, estar satisfeito com a sua vida e ter pessoas que ama ao seu lado. Nada mais importa, e são por essas coisas que ele continua levantando de sua cama e sempre persisti, nunca desistindo de si do que lhe faz bem. Há muitos monstros, mas ele continuará se mostrando capaz de derrotá-los todos os dias, ou não poderia ser chamado de semideus.

Escreveu it’s hard
Eu não queria me sentir assim. Mas às vezes parece meio inevitável. Eu constantemente faço milhares de questões para mim mesmo todos os dias. Por que eu sou assim? Por que eu não consigo ser melhor do que isso? Qual a porra do meu problema? Eu gostaria de entender. Não é uma escolha minha. Eu apenas...sinto. E tudo parece tão fodido. O mundo é fodido, cheio de um monte de merda que eu simplesmente não consigo fugir. Eu sei que preciso enfrentá-las, mas parece tão mais fácil simplesmente fugir. Mas eu não posso fazer isso, eu preciso ser forte. Mas, por que eu nunca me sinto forte o bastante para lidar comigo mesmo e meus próprios problemas? Sempre me definhando, sempre me sentindo como se não fosse nada. A luta está sempre do lado de fora, então por que sempre sinto que ela na verdade está dentro de mim? São tantas questões sem respostas e eu não sei o que fazer...”


-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝙵𝙰𝚃𝙾𝚂 𝙷𝙸𝚂𝚃𝙾́𝚁𝙸𝙲𝙾𝚂・゚★デミゴッド,。・




Antes sequer de podermos contar a história deste personagem é importante que conhecêssemos o antes de sua origem. Park Kang-Joon era apenas um jovem enfrentando o mundo e se estabelecendo em um outro país. Ele já era familiarizado com os Estados Unidos, mas ainda assim tudo era muito diferente da vida que teve em seu país de origem. É um moço que veio de um berço de ouro, tendo uma família pertencente a alta classe sul coreana. Luxo era o que não faltava em sua vida, porém tanto ele quanto seus familiares eram conhecidos por sua humildade e por terem ascendido aos poucos, até chegarem onde estão hoje. O homem criou asas muito rapidamente, e não tardou em ir buscar por sua liberdade, esta que encontrou no outro lado do mundo. Mesmo em um país diferente, ele conseguiu elevar-se na vida com certa rapidez e conquistar o topo a qual sempre sonhou em ter por mérito próprio.

Sua vida parecia boa daquela forma, mas ele sentia que faltava alguma coisa. Tinha aquela sensação encravada no fundo de seu âmago. E quando passou a ouvir suas vontades ele conheceu alguém. Ela era diferente de tudo que já conseguiu botar seus olhos. Era uma mulher exuberante, doce, com um ar de grandiosidade, como uma verdadeira rainha. Nunca havia visto nada como ela antes. Se conheceram em frente a um lago rente a uma floresta a qual costumava se aventurar para correr e se exercitar. Kang-Joon nunca acreditou em amor à primeira vista, mas pela primeira vez havia sentido algo do tipo. E bem, ela também parecia sentir o mesmo. Como se fossem imãs se cumprimentaram e conversaram até o anoitecer. Quando menos perceberam estavam se beijando sob os olhares atentos da lua, como se ela apreciasse o casal que mais pareciam apenas dois adolescentes descobrindo o amor. Fora tudo muito mágico, e mesmo quando ela lhe revelou quem era e o contou sobre tudo que jamais poderia imaginar ser real, ele não deixou de amá-la, e muito menos quando ela disse que um dia partiria. E antes que isso acontecesse, eles se embrenharam um no outro e trocaram promessas que sabiam que não seriam mantidas, mas que naquele momento foram ditas verdadeiramente.

O coreano aprendeu o que era sofrer por um amor que nunca mais teria, porém aprendeu a viver com isso e disse para si mesmo que não amaria mais. Ledo engano o seu. Tempos mais tarde foi surpreendido por um cesto cheio de flores e folhas com um pequeno bebê adormecido. Dentro também continha uma pequena carta, com o mesmo cheiro da floresta que emanava de sua amada. Ali, ele aprendeu mais uma vez o que era amor, e derramou lágrimas diante de seu pequeno.

Os acontecimentos a partir dali foram difíceis e complicados. Era uma situação delicada, visto que Kang-Joon escondera sua relação com a deusa de todos, e nem pretendia dar muitos detalhes, tendo que inventar histórias para que acreditassem em si. Sua família ficara desestabilizada com a notícia, e não queriam aceitar a criança. Isso até colocarem os olhos no garotinho, e instantaneamente se apaixonaram por seus olhinhos doces e sorriso brincalhão. O pequeno Jack parecia ter um certo tipo de poder sob as pessoas, conseguindo fazer todos se apaixonarem por ele, o que aliviava seu pai. Durante dias teve muito medo do que pensariam de sua pessoa e de seu filho, mas passou a não se importar mais quando voltou a estabilizar sua vida mais uma vez, e com o apoio das pessoas que mais precisava.

Citação:
Ele é seu filho, nosso filho. Essa criança passará e terá que enfrentar muitos problemas e viverá correndo perigos. Por isso, por favor, cuide dele e o proteja. Um dia ele terá que ir para um lugar seguro onde há outros como ele, meio-sangues, e apenas lá ele estará a salvo de verdade. Ele não pode saber de nada até que chegue o momento de partir. Mesmo que ele me odeie por isso, o importante é que esteja a salvo com você. Não o dei um nome, mas saberei qual for o escolhido. Eu sinto muito.”


Ele tinha uma missão, que era proteger sua criança. Com a pouca idade eles se mudaram e passaram a viver em Nova York, uma cidade muito maior do que Boston e com muito mais pessoas. Era necessário, já que a empresa do pai construiu uma filial na cidade e ele tinha de ir para lá. Jack não se lembra de muito coisa de quando era um bebê, assim como muitos. A única coisa que sempre soube era de que nunca teve uma mãe de verdade. Sabia que ela existia, mas sequer sabia como era e o porquê de tê-lo deixado, apenas ele e seu pai. É claro que não era ruim viver apenas ele e seu velho, mas sempre teve aquele constante sentimento de vazio, de que algo faltava em sua vida. E sabia que faltava, mas não queria admitir o que era.

Uma grande diferença em Jack é que ele nunca procurou saber muito sobre sua mãe, ainda mais por saber que seu pai não se sentia confortável por isso. Parecia um assunto que deveria ficar confinado no passado e ser de pouco conhecimento para o filho. Uma parte de si a odiava, e a outra apenas não queria sentir nada, o vazio em relação a ela. Poucas foram as coisas que já ouvira falar sobre ela, mas ele guardava consigo e às vezes até imaginava como era pelas características que seu pai já lhe dissera. Sua família também parecia a odiar e nunca falavam sobre o assunto. Ele achava que estava bom dessa maneira, de certa forma.

Quando tinha cinco anos de idade as coisas começaram a mudar em sua vida. Fora nessa idade que o pai do garoto encontrou uma nova pessoa, uma mulher elegante e de caráter duvidoso e tinha uma filha de sua idade que se portava como a mãe. Mirabelle e Aisha Willians. O pai e a mulher não demoraram muito para que se casassem. Jack não gostava delas, mas não é como se pudesse fazer com que algo mudasse. Era só uma criança afinal. No entanto, seu pai acreditava que aquilo poderia proteger seu filho. Bem, era o que esperava. Fora também nessa idade que durante sua alfabetização seus professores perceberam certa dificuldade em sua aprendizagem em ler e escrever, e quando o questionaram ele dizia que as letras pareciam estranhas e que se embaralhavam diante de si. Após alguns diagnósticos foi constatado que sofria de dislexia. Quando era criança não entendia aquilo direito, e por isso achava normal a forma como aprendia as coisas, e apenas aos poucos foi entendendo do que se tratava. Por conta disso teve que mudar de escola por quatro vezes, até conseguir encontrar uma instituição privada onde os professores conseguiam lidar com seu transtorno e podiam o ensinar de uma forma que o ajudasse verdadeiramente. Apesar de sua limitação, ele nunca deixou de ser uma criança inteligente, criativa e habilidosa, ainda que tivesse aprendido de forma mais lenta e várias vezes tivesse ficado atrás de seus colegas. Muitas vezes se sentiu incapaz e se culpava por não poder ser como os outros, porém não desistiu de fazer o seu melhor e poder estar no mesmo nível que os outros.

O garoto era muito popular em seu colégio, e todos gostavam de si. Bem, quase todos. Sempre havia crianças invejosas e más que tentavam fazer com que ele se prejudicasse. Ele nunca se importou, e era bom com todos. E havia um professor que sempre parecia lhe observar de longe, os olhos bem presos em sua pessoa, e que quando se aproximava dizia coisas que ele não compreendia bem. Durante sua infância ele sentia e via muitas coisas estranhas, mas pensava ser criadas por sua imaginação. Quando tinha seus onze anos, enquanto voltava para casa, resolveu caminhar pela floresta que havia pero de sua casa. Ele sempre esteve em constante contanto com a natureza desde que quando se entende por gente, e nunca soube bem o porquê, mas apenas que se sentia acolhido e protegido por ela. Então, era apenas mais um dia normal em que esteve ali sozinho. No entanto, ele ouviu uma voz melodiosa e baixa vindo de algum lugar não tão longe de onde estava e parecia lhe chamar. Sentiu que a conhecia e seus pés se moveram sem que percebesse, indo até ela. Os acontecimentos dali foram todos muito rápidos, e tudo se passou em câmera lenta diante de seus olhos. Viu uma silhueta conhecida de um ser humano se transformando em um animal pequeno e um tanto parecido com um lobo. Ele tentou o atacar, mas fora impedido por uma flecha. Quando olhou para o lado, assustado, havia duas pessoas, e uma delas ele já conhecia, visto ser seu amigo do colégio. Eles gritaram e o puxaram, e logo estavam correndo pela mata, indo para um lugar a qual ele sequer sabia. Ele ouviu rosnados vindo atrás deles e sentiu que morreria ali mesmo, milhões de imagens passando em sua cabeça.

Jack fechou seus olhos com força e quando os abriu segundo depois ele já não estava mais na floresta, mas sim em um beco em algum lugar da cidade. Como raios haviam parado ali? Eram tantas perguntas borbulhando em sua cabeça que mal conseguia formulá-las em sua cabeça. Antes mesmo que pudesse dizer algo os outros dois trataram de o responder e dar-lhe algumas informações. “Aquilo era um leucrota, e ele estava atrás de você, e por isso que precisamos sair daqui rápido!”. Voltaram a ouvir chiados altos e foram mais uma vez confrontados pela fera pequena e agressiva, que não havia morrido e sido acertado pela flecha. E, inacreditavelmente, ela falou com eles, e possuía uma voz conhecida. “Me entreguem a criança, ou terão o mesmo destino que ela! A mais lenta e dolorosa morte que poderão ter o prazer de conhecer!”. Porra, era a voz do professor de sua escola que vivia o perseguindo. Um dos garotos que estava junto dele o entregou um arco com flechas, um olhar firme em sua direção. “Se não quiser morrer, você terá que o matar”. Jack estava muito assustado, mas sentia que deveria o fazer, por mais estranho que fosse. Olhou para o garoto desconhecido, seu amigo e para o monstro. Era agora ou nada. A criatura se aprontou para vir em sua direção e em questão de muito pouco tempo ele conseguiu apontar uma das flechas e dispará-la com destreza no bicho, que parou ao ser atingido. Antes que ele pudesse fazer mais alguma coisa outra flecha lhe foi acertado e houve uma explosão, onde logo em seguida o animal desaparecera como se nunca tivesse estado ali antes. Jack não entendia mais nada. “Bom trabalho garoto, até parece ser um filho de Apolo como eu!”. Espera....Apolo?!

O k, quando achou que não poderia ficar mais estranho.... é, ficou. Eles o levaram até a sua casa com muita insistência, mas deveria ser rápido. Seu pai estava lá, e quando os viram parecia já saber do que se tratava. Jack chorou quando o viu, e sentiu que aquilo era uma despedida. Eles não tinham muito tempo, pegaram o essencial e se despediram. “Ainda vamos no ver garoto, não se preocupe. Você vai estar á salvo agora, mais do que se estivesse comigo. Sua mãe pediu que eu cuidasse e protegesse você, e fico feliz em saber que fiz isso até quando pude. Agora, não posso ajudar mais como antes. Você vai ficar bem. Eu te amo filhão”. Dali, ele foi embora com os outros dois garotos.

No meio do caminho eles o contaram tudo, e aquela altura do campeonato Jack não duvidava de mais nada. Sua vida havia virado de cabeça para baixo, mas da pior maneira que podia sequer imaginar. Acampamento Meio-Sangue? Deuses gregos? Monstros? Ele era um Semideus?. Tudo era uma loucura.... mas não tinha outra escolha a não ser seguir em frente, sem poder ao menos olhar para trás. Seus problemas só iriam aumentar a partir dali, e estava ciente disso. E tinha medo, mas não iria dizer aquilo em voz alta. Mas era normal, afinal não iria mais viver a vida que sempre teve e teria que lidar e se adaptar para o que viria a seguir. Por Deus (ou Zeus...), que loucura era essa que seu pai havia se enfiado (literalmente) para ter feito ele nascer? Em meio a tantos devaneios, ele mal percebeu quando tinham chegado, felizmente, a salvos. Sem mais monstros para serem enfrentados, caso contrário era possível que ele sujasse as calças de medo e nervosismo.

O acampamento era diferente do que tinha tentado projetar em sua cabeça. E as pessoas ainda mais. Uma metade homem metade cavalo, daquele que viu em seus livros de história? Era enlouquecedor para um garoto de doze anos, mas por fora ele se recusava a deixar transparecer, querendo mais do que tudo aquilo fosse apenas um sonho e não estivesse vivendo naquele momento um verdadeiro livro de ficção e mitologia grega. Pensou que nunca se acostumaria com tudo aquilo, pensou que nunca poderia chamar aquele lugar de lar... e nunca esteve tão errado. Mas, naquela época era apenas uma criança que acabara de descobrir ser o próprio protagonista de alguma série famosa da Netflix. Sequer poderia imaginar como aquele lugar e como todo esse novo mundo era parte de si, e assim sempre seria. Afinal, era isso o que era ser um meio-sangue.


-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝙵𝙰𝙼𝙸́𝙻𝙸𝙰・゚★デミゴッド,。・




✧・゚— Park Kang-Joon, 37 anos, pai・゚✧



lee dong wook – korean actor

Seu velho sempre foi muito bom para si e era o tipo de pai que toda criança sonha em ter. Kang-Joon fez tudo o que podia para cuidar de Jack, e o garoto era extremamente grato por isso, mesmo que tenha o dito poucas vezes. Sempre foram muito próximos, do tipo que marcam dias para passarem juntos e fazem atividades de pai e filho. Jogar barquete, fazer compras ou simplesmente assistir um filme juntos na televisão da sala, ambos se preocupavam em passar esse tempo em conjunto, como uma família, pois eram o porto seguro um do outro e precisavam disso. Com a família do outro lado do mundo e Jack frequentando o acampamento tudo era mais complicado, o que o fazia se preocupar e muito com o mais velho, desejando apenas que ele possa ser feliz. E por isso quando está em casa faz de tudo para o ver feliz e passar um tempo com o mesmo sempre quando possível.


✧・゚— Mari Inoue, 35 anos, madrasta・゚✧



ayase haruka – japanese actress

Sua madrasta é uma mulher sensacional, e seu pai a conheceu poucos anos depois de ter se separado de Mirabelle, para a felicidade do filho. Ela é uma pessoa boa, gentil, animada e que então pouco tempo conseguiu conquistar a amizade do garoto, que a adora. Eles se dão muito bem e fazem muitas coisas juntos, com ou sem a presença de seu pai, que até sente “ciúmes” em ter sua mulher roubada pelo filho. Eles geralmente gostam de cozinhar e assistir séries juntos. Ela é uma cozinheira excepcional, não é à toa que gerencia um restaurante em Nova York. Jack ama provar sua comida e também gosta muito de a ajudar, podendo assim passar mais tempo juntos e no final da tarde chorarem assistindo algum filme romântico clichê. O que mais o deixa feliz é no quanto ela parece gostar de seu pai e vise versa, e ele nunca havia o visto desta maneira antes, mas sabe que já passara por isso com sua mãe. Se sente orgulhoso em o ver seguindo em frente com uma pessoa boa e que o ama de verdade, então não tem do que reclamar, mas sim apenas apoiar o casal de pombinhos.


✧・゚— Park Ga-eul, 70 anos, avó・゚✧



go doo-shim – korean actress

O coreano tinha uma relação maravilhosa com sua avó. Eram muito próximos, mesmo com os milhares de quilômetros os separando. A senhora o tratava como uma joia rara e com um amor e aconchego que apenas uma mãe e avó tem. Ela era sua figura materna e um de seus portos seguros, quem podia passar o dia ajudando a plantar algumas flores e conversando até o sol se pôr. Era um ser humano incrível, de todas as formas. Quando ela se foi por conta de um câncer, Jack sentiu como se uma parte de si tivesse ido junto. Fora uma dor enorme para ele, uma ferida em seu coração que sempre permanecerá pelo resto de sua vida.


✧・゚— Park Han-gil, 73 anos, avô・゚✧



noh joohyun – korean actor

Assim como sua avó, ele também é muito próximo de seu avô. Jack se lembra de muitos momentos bons de quando era criança ao lado do mais velho, quando ele o visitava ou quando a criança o fazia. Seu avô sempre fez de tudo por si, o mimando mais do que qualquer outro na família. Corria pela casa com o menininho mesmo sem nem conseguir ter folego direito, mas fazia de tudo para ver o neto feliz. O mais novo ainda se preocupa muito com o homem, ainda mais depois da morte de sua avó, pois sabe que ele sofreu mais do que qualquer um. Sempre que pode tenta se comunicar com ele por meio de vídeo-chamadas e ri todas as vezes que o homem não entende como se mexe na internet, dizendo que era muito complicado para alguém de sua idade, e se sente orgulhoso por ele se mostrar melhorando cada dia mais e continuando a seguir sua vida.


-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝚙𝚊𝚛𝚎𝚗𝚝𝚎𝚜𝚌𝚘 𝚍𝚒𝚟𝚒𝚗𝚘・゚★デミゴッド,。・
✧・゚— Deusa Phýsis (Φύσις ou “natureza”) – a divindade primordial da natureza e um dos primeiros seres a surgir no princípio dos tempos.・゚✧



pessoa desconhecida

Durante muitos anos de sua vida Jack não soube de praticamente nada sobre sua mãe. Era uma total desconhecida, e alguém que o deixou para ser criado sozinho por seu pai. Sua existência nunca fora de tanta importância para ele, que preferia apenas fingir que ela sequer existia. Não merecia seus pensamentos ou sentimentos bons. De certa forma, ele a odiou, e era uma parte infantil de si que queria deixar permanecer, por mais que seu pai o dissesse para não o fazer. Sua reclamação fora um baque tanto para ele quanto para os outros. Um filho da mãe da natureza? Não era algo comum, uma raridade perante os demais. Enquanto todos esboçavam surpresa, Jack fazia de tudo para não sentir nada em relação a isso. Faria alguma diferença? Não era como se os anos em que viveu sem ter uma figura materna fossem deixados de lado apenas com aquilo. Ele até tentou sentir-se da mesma forma quando ela apareceu para si em uma noite, surgindo tão estonteante do meio da floresta. Jack constatou que ela era realmente tão bonita quanto pensava quando seu velho lhe contava sobre ela. Sua surpresa durou pouco, mais do que havia imaginado, e expressões sérias adornaram sua face. Por um curto período eles conversaram. O coreano tentou não parecer abalado, mas quanto mais ela o olhava mais parecia ver dentro de si. Ele quis chorar, mas não deixaria que a mulher visse seu lado fraco. Ele não disse muito, nem mesmo gritou com ela ou a culpou. Apenas não conseguia e pensava que nada ela merecia. A dor também era visível na face dela, mas o que ele poderia fazer? Não pediu para nascer e muito menos ser filho de uma divindade grega. Ainda doía muito, e a deusa poderia aparecer para ele quantas vezes quisesse. Nada mudaria o fato de que ele nunca conseguiria agir como se fosse um filho feliz em vê-la.







-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝙵𝙰𝚃𝙾𝚂 𝙴 𝙲𝚄𝚁𝙸𝙾𝚂𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴𝚂・゚★デミゴッド,。・




✧・゚im scared... sobre medos・゚✧

Perder mais pessoas que ama, empousas, lâminas, e há aqueles que sente decorrentes de suas crises (medo de morrer, perder o controle, enlouquecer e outros sintomas).


✧・゚i have... sobre fobias・゚✧

Nada em específico.


✧・゚im like... sobre gostos・゚✧

Natureza, conversar, fazer amizades, aprender, fazer amizades, se aventurar, nadar, animais, ajudar, ensinar, derrotar monstros, provocar, animar as pessoas, se vestir bem, compras, boa educação, momentos felizes, elogios, treinar, esportes na natureza, seres mitológicos, taylor swift, sua família, flertar, andar de skate, tocar bateria e violino, filmes do studio ghibli, olhar as estrelas, arco e flecha, animes, café com latte.


✧・゚im dont like... sobre desgostos・゚✧

Se sentir sozinho, chorar, suas crises, se rebaixar, não ser útil, falta de educação, grosseria, perder o controle, tomar remédios, julgar, fazer mal a alguém, receber um sermão, comer carne, incertezas, não saber o que fazer, se sentir indisposto, empousas, os deuses, se machucar, lâminas, esportes com bolas, jogos, desenhar, pimenta, ver quem gosta triste, lugares pequenos e apertados, chá.


✧・゚im dont like to remember.... sobre traumas・゚✧

Houve uma vez em que estava em uma missão e ele se distraiu com duas garotas extremamente bonitas vestidas de líderes de torcida. Como de seu costume, ele começou a flertar com elas. Pena que nesse processo ele quase foi atacado por uma delas, tendo sorte ao ser salvo por um de seus colegas. Depois daquilo, ele jurou nunca mais se meter com uma líder de torcida pelo resto de sua vida. Também houve uma vez em que em uma de suas crises ele sentiu uma súbita necessidade de se cortar e, quando teve coragem, pegou uma lâmina e se cortou. Foi uma dor agonizante e Jack chorou muito nesse dia. Só conseguiu sentir mais dor e pensar o quão idiota era. Depois daquilo, nunca mais colocou uma perto de si e várias vezes começava a tremer quando tinha uma muito próxima. Já faz um tempo e conforme o mesmo passava ele conseguiu melhorar com relação a isso. A morte de sua avó também fora um trauma enorme para ele, visto ter perdido uma das pessoas mais importante de sua vida.


✧・゚i have something?... sobre doenças・゚✧

Transtorno de pânico e depressão.


✧・゚i know how to use!... sobre armas・゚✧

Sua primeira arma fora um simples arco de madeira junto de suas flechas, apelidada de Izanami, mas que tiveram um extremo significado e gosto para o jovem. Não sabia explicar, mas se sentia bem e muito mais calmo quando estava com um em mãos, sua flecha mirando diretamente para o alvo. E todos sabiam que ele era bom naquilo, sabendo acertar no lugar exato com tamanha perfeição. Muitos dizem que ele só irá errar se quiser, pois mesmo em meio ao caos o semideus consegue concentração para acertar na onde deseja. Fora um tempo mais tarde que ele pedira para que os filhos de Hefesto o personalizassem para si, com muito esforço conseguindo o que queria, mesmo que tivesse que fazer alguns favores em troca. Seu resultado fora muito melhor do que poderia imaginar. O arco verde misturado com o marrom e parecido como um tronco retorcido, cheio de detalhes de folhas e com o rosto de um belo cervo adornando o centro da arma. As flechas também ganharam o mesmo acabamento, e Jack não poderia ter ficado mais feliz quando colocara os olhos em sua bebê. Quando precisa escondê-la, a mesma se transforma em um anel em formato de galhos retorcidos e algumas plantas ao seu redor.


✧・゚im won... sobre presente de reclamação・゚✧

Seu presente de reclamação nada mais fora do que um cetro mediano, também com seu formato ornamentado em madeira, os troncos da árvore se agarrando em um diamante que jaz em cima, com um tom esverdeado ao representar o coração da floresta. Há outros detalhes em verde, com cipós e outros cristais menores compondo a parte do bastão. Jack não o utiliza tanto quanto gostaria, sendo um artefato diferente dos demais e clássicos. Ele o apelidou de Reirus. Sua mãe mesmo o disse que seria mais útil quando soubesse controlar seus poderes ativos, e assim ele espera. Quando precisa o esconder ele se transforma no outro par do hashi que combina com o de seu pai. Por conta disso, Jack gosta de apreciar ambos e lembrar de seus pais em momentos que mais precisa de uma figura familiar ao seu lado.


✧・゚im like this!...sobre curiosidades・゚✧

Ele é vegano desde os quatorze anos de idade e está muito bem assim, obrigada. Costuma conversar por bastante tempo com os animais e seres da floresta e particularmente gosta muito das ninfas. Tem dois piercings na orelha esquerda e um na sobrancelha direita. Sempre leva consigo para o acampamento o hashi que seu pai lhe deu de presente. Não tão secretamente escuta músicas da Disney e da Taylor swift. Seu cervo de pelúcia se chama Donnos. Seu lugar favorito no acampamento é a floresta e passa muito tempo lá. Tem o costume de cantarolar sem nem perceber e se sente envergonhado quando o observam o fazendo. Por mais que odeio se machucar ele costuma o fazer com muita facilidade ao se descuidar um pouco, resultando em muitos banda id pelo seu corpo e rosto, geralmente de algum personagem fofo como a Hello Kitty. Para ele, não há nada que um café quentinho não consiga resolver e pode melhorar vidas. Apaixonado pelos filmes do Studio Ghibli e o seu favorito é A Viagem de Chiriho. Talvez, mas só talvez, ele seja muito otaku e já tenha feito alguns cosplays na sua vida (seus favoritos são o de Taki de ‘Your name’ e Mikasa de ‘Shingeki no Kyojin’). Um tanto compulsivo em fazer compras. Muito apaixonado pelo ator Chris Pine desde quando assistiu ‘Diário de uma Princesa 2’. Foi diagnosticado com depressão e transtorno de pânico aos quatorze anos, pouco tempo após sua avó morrer. Qualquer seja o trabalho que envolva a natureza e os animais ele estará lá para ajudar.


-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝙷𝙰𝙱𝙸𝙻𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴𝚂 + 𝙸𝙽𝙰𝙱𝙸𝙻𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴𝚂・゚★デミゴッド,。・




Como já dito anteriormente, o filho de Physis é um talento nato, uma peça rara e com a eximia facilidade em fazer coisas sem grandes dificuldades. Ele é perito em arco e flecha desde o momento em que colocara as mãos em um, como se tivesse nascido para manejá-la. Ele nunca achou ruim passar horas afinco apenas praticando com sua arma favorita dentre todas as outras. Também tem muita facilidade em combate corpo a corpo e desde pequeno se interessava em artes marciais e dizia ao pai como era divertido poder aprender a se defender e atacar. Seu porte físico também ajuda muito, tendo sido horas e dias treinando para se considerar bom o bastante. Outras armas como bastões, machados e afins também fazem parte do pacote daquelas utilizadas com destreza por ele. É um ótimo corredor e nadador, e bom o bastante com qualquer outro esporte que envolva a natureza. É possível perceber também que a comunicação é uma de suas maiores habilidades, como também a liderança ao conseguir guiar, ajudar e estar a frente a todo momento. Sempre teve facilidade nos estudos, principalmente nas áreas de humanas, como biologia e história. Jack tem também uma vez fenomenal, daquelas que te deixa hipnotizada e você apenas quer ouvir mais e mais e não se cansa nunca, além de que ele também sabe tocar violino e bateria. Apenas para comentar, o coreano também tem facilidade com línguas e não precisa de um longo período para saber o necessário, seja ela qual for.

Quando a suas inabilidades, apesar de saber fazer tanto, também há coisas que ele particularmente não vai tão bem como gostaria, enquanto a maioria sabe fazer muito bem. Primeiro que ele é bem ruim com espadas, facas, adagas, enfim, armas com lâminas bem afiadas e longas e pontudas. Jack particularmente não gosta muito delas e por isso costuma tem mais dificuldade em usá-las. É péssimo com esportes que envolvam bolas. Futebol, basquete, vôlei, golfe... apenas não dá. Ele prefere apenas observar ou passar bem longe quando estão jogando. Também não é habilidoso em construir coisas, qualquer seja ela. Sempre saí alguma coisa muito estranha e ele tem que se esforçar duplicadamente se quer conseguir fazer algo pelo menos fofinho. Não sabe desenhar. Seus desenhos são bem péssimos, porém muito engraçados, o que já conta como alguma coisa. Ele também não é bom em adivinhações e odeia jogos que o envolvam. A propósito, apesar de meio bobo, ele também é péssimo com jogos de cartas, tabuleiro e muitos de videogame, como os de luta, guerra e afins. Ele os odeia e odeia ainda mais que fiquem tirando uma com a sua cara apenas por não conseguir jogá-los sem sair apertando todos os botões como um louco e gritando de raiva sempre que perde.


-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝙿𝙾𝙳𝙴𝚁𝙴𝚂 𝙿𝙰𝚂𝚂𝙸𝚅𝙾𝚂・゚★デミゴッド,。・

Linguística
Capacidade de se comunicar com qualquer idioma, humano ou animal. Isto significa que a pessoa pode ler códigos escritos em outros alfabetos, entender o que pessoas falam em outras línguas, e até mesmo decifrar textos escritos em código, criptografados.

Solo Guia
A prole de Physis sempre saberá para onde tem que ir, ou seja, jamais se perderá de seu objetivo. Conectado com o solo, o semi primordial passará a ver ao seu redor coordenadas para determinados lugares, que sempre o fará tomar a frente em missões como um mapa humano.

Harmonia das flores
O semideus possuirá uma aura verde musgo que lhe protegerá das ações hostis. Por mais que ela não seja visível, a aura se torna capaz de confundir os pensamentos de qualquer pessoa, fazendo-a voltar atrás na ideia de atacar a prole.

O chamado da natureza
Mandando uma espécie de mensagem mental, o semi primordial poderá convocar um exercício de animais para que lutem ao seu lado.






-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝚁𝙴𝙻𝙰𝙲̧𝙾̃𝙴𝚂・゚★デミゴッド,。・




✧・゚— Amigos・゚✧

Jack é amigo de praticamente amigo de todas as pessoas e trata a todos tão bem e com tamanha simpatia e gentileza que é de dar inveja. Não importa quem for, ele irá o direcionar um sorriso bonito e encantador e o olhara e o dará toda a atenção do mundo. Alguns até dizem que é possível ver luzes e brilhos ao seu redor, o que é bastante engraçado e um tanto exagerado ao seu ver. O semideus sempre gostou de mostrar cortesia e respeito a todos, por mais que a pessoa possa não gostar de si, não importa. Ele será compassivo e um amor de gente. Ele é muito brincalhão também, adorando fazer umas piadinhas para descontrair e sabendo o jeito certo de fazer uma situação se tornar melhor de alguma maneira. Também é bastante prestativo, do tipo que gosta de ajudar a todos seja o momento ou a situação que for, ele irá dar um jeito de o fazer, sua cabecinha dura não o deixando descansar até que consiga o fazer. Ele é muito energético em todos os momentos, mais um ponto para que consiga animar o pessoal e elevar o astral do acampamento com seu jeitinho bobo, cômico e atrapalhado. Há alguns que ele pode considerar como sendo melhores amigos, e essas pessoas serão aquelas na qual ele mais irá confiar ao contar coisas sobre si mais profundas, que estão guardadas lá no fundinho. Também serão eles que o garoto irá recorrer para pedir por algo mais íntimo ou para se abrir quando mais precisar ou simplesmente chegar, não dizer nada e apenas abraçar e pedir por um cafuné na cabeça. São pessoas que realmente conhecem e mais estão acostumadas com o jeito único do coreano, e aquelas que o aguentam encher o saco e não calando a boca. É, isso que significa amizade né.


✧・゚— Inimigos・゚✧

Para ser bem sincero, Jack não considera ninguém seu inimigo, nem mesmo os deuses lá em cima ou aqueles que ameaçam destruir o mundo. Ele pode sentir raiva, ódio, rancor, o que for, mas ele não irá considerar como inimigo. Acha isso muito coisa de personagem principal de anime e, cóe, estamos na vida real (ou quase isso), e o garoto acha esse termo bem.... escroto, se assim podemos dizer. Então, nah, ele não categoriza ninguém como inimigo, apenas seres a qual ele não gosta.


✧・゚— Par・゚✧

Putz, Jack é um romântico incorrigível, e não é à toa que está sempre flertando com qualquer coisa que se mexa. Muitos pensam que por conta disso ele é daqueles que quer passar longe de um relacionamento e colocar uma aliança no dedo. Mas, é muito pelo contrário, ele adoraria fazer todas essas coisas, mas até então parece não ter achado a pessoa certa para isso, e por isso se firmou apenas em romances de curta duração. Suas atitudes como um jovem solteiro certamente não são como as suas se namorasse, por mais que muitos achem que não. Jack sabe que será extremamente fiel, e todo relacionamento é a base disso, da total confiança. Ele não é daqueles que prende ou acha que o companheiro deve viver em prol de si, muito pelo contrário. Ambos devem ter liberdade para viverem, e não ficarem grudados a todo momento um no outro. Ele certamente é do tipo amoroso, que gosta de fazer gestos românticos, sussurrar palavras bonitas e andar de mãos dadas por aí. Ele adora um carinho, um abraço aconchegante e ficar de conchinha, todas ações clichês de um casal que ele irá adorar protagonizar e o insistir em fazer. Na maioria das vezes ele tem uma queda por aqueles que são completos opostos de sua pessoa, pois acha que a química fica ainda melhor. Ira prezar em passar momentos juntos ao longo do dia quando possível, mesmo que seja apenas para trocar um papo e dar uns beijinhos escondidos. E talvez essa seja a melhor parte, se é que pode dizer. Apesar de adorar os momentinhos fofos, Jack gosta daqueles um pouco mais quentes, que as mãos e a boca vão percorrendo vários lúgarezinhos pelo corpo e... o resto fica ‘pra imaginação! É bem bobinho quando está com o parceiro, daqueles que olha todo apaixonado na direção e sorri envergonhado quando é pego o fazendo. O que pode fazer quando se está apaixonado? Tudo parece mais colorido e essas coisas toda. Nos momentos de conflito, os que mais quer evitar para que não aconteça, ele tenta se reconciliar o mais rápido possível e não brigar, resolvendo tudo na base na conversa. É daqueles que faz de tudo para ver o outro sorrir e ficar feliz, e facilmente o conseguindo com o seu jeito de ser e conseguindo ganhar uma expressão boa por parte do outro. Jack é realmente um bobo, mas pelo menos um bobo muito apaixonado, obrigada.


✧・゚— Senhor D e Quiron・゚✧

Jack tem uma boa relação com ambos, de certa forma. O Senhor D pode até ter uma personalidade bem difícil, mas nada que seja impossível e ruim para um semideus como ele. Por mais que o deus do vinho o ignore, o coreano faz questão de o cumprimentar e tentar puxar assunto apenas para encher o saco. Ele é bom em fazer isso com o mais velho até o fazer perder a paciência. É divertido para ele, como se ainda fosse a mesma criança de anos atrás. Ele o respeita, mas no fundo ainda sente algo que não sabe explicar, o mesmo que sente em relação aos outros deuses. Com Quiron já é bem diferente. Jack adora criaturas como ele, os sátiros, as ninfas e outros. Então, ele conseguiu criar uma ótima relação com o centauro, com muitas conversas boas trocadas entre eles, conselhos por parte do mais velho e treinos com arco e flecha. O garoto o vê como uma figura familiar, alguém que pode se sentir seguro quando está longe de seu pai, e que também zela por si e o protege junto de todos os outros. Ele não diz para os outros, mas quando conta para o pai sobre o acampamento ele sempre conta o quão incrível Quiron é, até fazendo um tanto de ciúmes no mais velho. Ele realmente o admira muito.


✧・゚— Deuses Gregos・゚✧

Jack não gosta deles e não o nega. Acha injusto ver todos os semideuses não tendo a presença de seus pais ou mães, enquanto eles lá em cima os procriam para depois sequer se importarem com suas existências por conta de suas regras estúpidas. Ele fica realmente irado com isto, porém tende a não mostrar seu posicionamento diante dos outros. Não quer que pensem coisas erradas sobre si, então prefere manter seus pensamentos apenas para si mesmo. Já se encontrou com alguns deuses antes e nunca demonstrara benevolência, gratidão ou qualquer coisa parecida. Jack realmente nãos se importa se os deuses possam o castigar por vossos pensamentos e muito menos tenta ser reconhecido por eles. Ele até já tentou ver o lado destes, mas a outra parte de si dizia mais forte e que ele não poderia perdoar, o deixando um tanto dividido dentre de si. É um pensamento um tanto infantil que não consegue deixar de lado.


✧・゚— Nicolas・゚✧

Os dois estabeleceram uma amizade assim que se falaram pela primeira vez, se assim podemos dizer. Há muitos pontos em comum entre eles, o que facilitou para que uma relação fosse criada. Ainda que Nicolas não fosse de ter muitos amigos aquilo era longe de ser um problema para Jack, muito pelo contrário. Mesmo no primeiro encontro conversou com o garoto como se conhecessem a anos e era cara de pau o bastante para criar e manter as conversas. O coreano era muito insistente e não demorou em conseguir ter um espaço significativo na vida do outro e então poderem se considerar amigos. Muitas vezes já lutaram lado a lado e estiveram a frente para derrotar o que era preciso, arriscando suas vidas e se ajudando, um salvando o outro. Eram parecidos e tinham uma ligação boa e puderam findar um companheirismo de longa data.


-ˋˏ‧͙⁺˚*・༓☾—— 𝚀𝚄𝙴𝚂𝚃𝙸𝙾𝙽𝙰́𝚁𝙸𝙾・゚★デミゴッド,。・




✧・゚— Opinião sobre o desaparecimento das estrelas e o desastre no acampamento;・゚✧

Jack amava olhar o céu escuro e estrelado. Lhe trazia uma paz inexplicável, ainda mais quando se estava tão próximo da natureza. Era bom sentir aquele cheiro amadeirado e o som das cigarras cantando perto de onde estava. Era em momentos como esse que sua cabeça não trabalhava a milhão e ele poderia ter um pouco de paz diante de todo o caos que adornava do lado de fora e do lado de dentro, em si mesmo. Logo, o desaparecimento daquilo que o fazia bem o deixou assustado e se perguntando o porquê. Ele também ficou com raiva, e mais ainda quando as coisas passaram a também darem errado dentro do acampamento. Era um daqueles raros momentos em que ele realmente ficava irado. Porém, mais do que tudo, também queria que aquilo passasse logo e as coisas pudessem voltar ao normal. Apesar da confusão de sentimentos, Jack também estava disposto e preparado para enfrentar o que quer que fosse para que as pessoas que gostava pudessem se sentir bem mais uma vez e a paz em seu lar fosse restaurada.


✧・゚— Com quantos anos foi reclamado e há quanto tempo está no acampamento?・゚✧

Ele foi levado para o acampamento com seus onze anos de idade e tem estado ali durante seis anos de sua vida. Em seu primeiro dia sequer imaginaria que aquele lugar se tornaria sua segunda casa e ficaria tão apegado a tudo e a todos. Ele foi reclamado ainda naquela idade, alguns meses mais tarde.


✧・゚— Passaria para o lado inimigo? Por que?・゚✧

Não. Por mais que não goste dos deuses que reinam lá em cima ele nunca ficaria contra seus amigos. O acampamento e aquelas pessoas são seu lar e fazem parte de sua vida. Como poderia ficar contra aqueles que ama? Não dá, nunquinha. Ele será aquele que se colocará em perigo e protegerá aos outros sem hesitar, como um verdadeiro e honrado herói faz.




@ não plageia na moralzinha

Permalink Comentários (0)

[16/07/2018] Fodase vou postar ficha na main conta

[02/07/2017] N-e-w love or ol\d ʟᴏᴠᴇ?

[11/06/2017] [//hello bitch+++

[03/05/2017] .out of the dark


Atualizações do Usuário

Usuário: annubis
Favoritei a história
História: Just Fantasy - Interativa
História: Just Fantasy - Interativa
Desde muitas eras humanos e criaturas sobrenaturais tem convivido juntos, nem sempre eles estiveram sob paz, houve a caça às bruxas, o medo dos vampiros e é claro a aversão por ..
Usuário: annubis
Favoritei a história
História: Blood Obsession - Interativa
História: Blood Obsession - Interativa
Murmúrios sempre acompanharam o nome daquela cidade, e para os habitantes de Montroir nada era mais saboroso do que as lendas tão belamente adornadas sobre as supostas bestas sem..
Usuário: annubis
Favoritei a história
História: Hainshon - Interativa
História: Hainshon - Interativa
.!(¡);; 𝗠ottomo Seinaru High School é um conhecido colégio em Tokyo. Conhecido pela rígido ensino, tipicamente japonês, ele abrange alunos de vários países. Com uma disciplina e..
Usuário: annubis
Favoritei a história
História: Emotions, Interativa
História: Emotions, Interativa
A realeza estava abalada. Reis, numa opinião compartilhada por grande parte das pessoas, deveriam ser homens que guiam seus súditos para uma confortável e merecida vida de felici..
Usuário: annubis
Favoritei a história
História: Poema dos Mortos, Interativa
História: Poema dos Mortos, Interativa
Em um cenário despótico cheio de cidades fantasmas, centros radioativos e um ecossistema desequilibrado, a enorme cidade de Alvorada se ergue majestosamente como um ponto de pers..