~mandyxb - Mandy mangle

Nome: Mandy B.
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: Indisponivel
Cadastro:
『You’re so beautiful ❂ I can’t forget you
Your eyes still make ❂ my heart flutter』


Game of Survival

Postado


❂ Nome Completo ❂
“— Jung Da Hyun – Jung é seu nome de família, e Da Hyun é seu nome próprio, que significa 'virtuoso, bom'.”

❂ Apelidos, quem deu, opinião sobre e quem pode chamar ❂
“— Dana – forma mais rápida de chamá-la, que tem som semelhante à 'hyun'. Não é um apelido que ela se importe de ser chamada, já que é conhecida assim desde muito nova por todos que a conhecem.”
“— Dana Busan – significa 'Busan's Dana', ou 'Dana de Busan'. Apelido este que surgiu com alguma das meninas que reparou o sotaque de Da Hyun, mesmo que ela esconda o sotaque. Este é outro que realmente não a importa, desde que ela é orgulhosa de suas origens, mas Dana repreende quem usa tal apelido, pois, isso pode estragar qualquer disfarce que ela possa tentar manter em frente à gangues aliadas/inimigas.”

❂ Idade ❂
30/11/1995 (23 anos na Coreia) – Busan (Coreia do Sul)

❂ Personalidade & História ❂
Jung Dae Won, um rapaz amante da bebida, sempre fora do tipo que se embebedava para esquecer dos problemas e se "divertir". Em um dos dias em que resolvera sair por aí após beber o quanto podia pagar, encontrou a moça mais bonita que vira em toda sua vida: Kwon Hana, uma jovem linda e doce, que saía com um grupo de amigos para se divertir. Então, Dae Won cometeu o pecado que levou ao ventre de Hana seu primeiro filho, Jung Dae Hyun.

A violência que o pai de Dana fez à sua mãe não fora perdoada pelos pais da moça solteira e jovem de mais. Dae Won e Hana se casaram forçadamente por decisão de seus pais, para que quando Dae Hyun nascesse, estivesse em uma família de verdade, a família Jung. Não muito depois do nascimento do primeiro filho, o terrível hábito de beber de Dae Won trouxe à família mais uma vergonha e uma filha: Jung Da Hyun.

Quando nova, Dana era igual à sua mãe. Uma criança doce, alegre e espontânea. Não diria que a alegria da casa pela rigidez de seu pai, mas era quem estava grudada à Hana para tentar fazê-la sorrir com seu jeitinho atrapalhado e engraçadinho. Desde de pequena era falante, mesmo que não fosse permitida a falar muito em casa. Da Hyun era o tipo de criança que olhando, dá para ver uma alma feliz ali.

Mas, na adolescência, toda a essência infantil de Dana foi-se embora. Tudo que não podia perceber quando era mais nova, ela percebia. Sua mãe era a mulher mais infeliz que já vira na vida, seu pai era a destruição daquela família, e seu irmão estava se tornando um homem violento igual ao pai. Da Hyun nunca realmente sofreu maus tratos pelo pai, mas a rigidez que ele impôs à casa dos Jung a tornou uma jovem fechada, quieta. Dana evitava sorrir, pois sabia que seu pai reclamaria. Fora de casa, ela não conversava com as pessoas. Da Hyun desaprendeu a conversar, ela era tão boa nisso, mas após se afastar do mundo exterior, ao menos conseguia responder as perguntas dos professores sem gaguejar e precisar procurar por palavras.

Tendo um pai alcoólatra e mãe dona de casa, a família Jung estava totalmente desestruturada. Sem conhecimento do que seus atos poderiam ter como consequência, com 16 anos Dae Hyun se envolveu com más companhias da escola, e se envolveu gravemente com drogas. Da Hyun, quase um ano mais jovem, foi proibida pelo próprio irmão de contar aos pais o que acontecia.

Com o envolvimento nas drogas de seu irmão mais velho, Dana estava literalmente sozinha. Não tinha mais a companhia daquele chato para encher-lhe o saco nos intervalos da escola. E foi nessa época em que ela percebeu em quanto foi uma tola em deixar de passar o tempo que estava em casa para conversar com o irmão, mas, ao invés disso, ela estava estudando, se matando aos poucos para conseguir tirar as melhores notas da sala. Foi um dos maiores arrependimentos de sua vida, em que ela percebeu tarde mais. Quando percebeu seu erro, Dana se fechou ainda mais. Comia pouco, não falava, e não saía de casa pra nada além de ir à escola.

“Por que papai não me trata como uma filha? Eu assisto às famílias dos meus colegas de sala como se fosse um filme da Disney. Por que eu não tenho um pai como o deles? Por que mamãe não liga pra mim? Por que ela não sorri pra nós? Oppa... Dae Hyun oppa, o que você está se tornando? Da última vez que nos vimos, suas roupas estavam rasgadas, você estava sujo e fedendo um cheiro forte que papai cheira quando chega em casa. Isso é uma família?”. Os pensamentos de Dana a incomodavam cada vez mais, e ela se tornou uma adulta mais cedo que deveria. Ela teve noção do que acontecia ao redor, mas não podia fazer nada.

Entretanto, quando Da Hyun completou seus 17 anos, e Hana já percebia grandes diferenças em seu filho, a caçula da família recebeu seu presente de aniversário: a morte de seu pai. Dae Won morrera num acidente de carro, graças... à bebida. A causa da morte não impressionou a família, e mesmo que não tivesse uma boa relação com o pai, os irmãos Jung ficaram mais tocados que o esperado.

Com a morte de seu pai, ela viu Hana como uma mulher guerreira. Aguentou Dae Won por anos, e ainda cuidava de seus filhos, que eram empecilhos em sua vida. Dana queria ser como ela. Da Hyun procurou por seu irmão diversas vezes, para tentar fazê-lo enxergar aquilo. Mas ela não precisou, ele fez isso por si só. Seu irmão estava de volta, chato como nunca, e cuidadoso como uma mãe.

A casa dos Jung estava indo à falência. Dae Hyun, com o choque de realidade da morte de seu pai por algo que ele estava se aproximando, largou as drogas para que tentasse arranjar algum emprego que ajudasse Hana com as despesas da casa. Da Hyun tentou o mesmo, e não só trabalhou fora, como dentro de casa. E mesmo com todos os esforços, falharam, falharam e falharam. Para aquela família não havia mais salvação.

Dias após o aniversário de 19 anos de Dana, Dae Hyun chamou-a para 'um dia livre de trabalho'. Os irmãos visitaram os lugares mais bonitos de Busan durante o dia, e durante a noite foram à uma balada. Ambos evitaram ir para a pista de dança, ou até conversar com alguém. Eles estavam apenas curtindo o dia como bons irmãos que não puderam ser nos anos anteriores.

Estava tudo indo bem. Mas Da Hyun percebeu algo estranho enquanto seu irmão ia pegar bebidas. Discretamente alguém se aproximava pelas costas de outra pessoa, um bêbado que parecia ser mais um rico esnobe de Seoul. O anônimo, que pelo corpo seria uma garota, chamou o bêbado de forma sexy, Dana até pensara que talvez fosse namorada do rapaz. Entretanto, uma de suas escolhas erradas fora parar para observar aquela cena. Esta escolha errada levou à uma outra: seguir o provável casal. A lista de erros não acaba aí, ela seguiu-os sozinha, uma escolha certamente imbecil.

Passos de distância, e consideravelmente discreta para alguém que não sabia disfarçar sua presença, Da Hyun seguiu-os, chegando a um beco poucos minutos após eles. E então, a cena que mais marcou sua vida, e deu-lhe traumas: o homem sendo assassinado friamente pela garota. Não apenas isso, a garota parecia se sentir confortável em matá-lo com uma faca já ensanguentada. Estava torturando-o. Mesmo escondida, Da Hyun se sentiu em perigo. Correu de volta para dentro da balada atordoada, e procurou por seu irmão. Já alterado pela bebida, Dae Hyun estava tonto e mal andava. Os irmãos foram embora lentamente, mesmo que Dana implorasse para que fossem o mais rápido possível.

Dias após o acontecido, Dae Hyun decidiu que sairia de casa. Dana estava totalmente incrédula com a ideia, mas depois de uma semana toda convencendo-a de que seria o melhor para Hana, Da Hyun aceitou que iria com seu irmão, e os irmãos então fugiram de casa; Da Hyun sabia que algo lhes trazia perigo de vida, mas não conseguia dizer o que. Seu irmão sendo ameaçado de morte e sua mãe com dívidas até o pescoço foram seus maiores motivos. Os irmãos fugiram para cidades vizinhas durante quase um ano, e após este período, a habilidade de Dae Hyun com carros foi descoberta por uma oficina pequena, e ele começou a trabalhar com isso.

O tempo que passaram na rua não foi nada do que eles imaginavam. Na verdade, nada do que Dana imaginava. Ela pensou que passaria noites péssimas no frio, imaginou que passaria fome, e teria de conviver com marginais. Mas não exatamente isso. Dae Hyun tinha conhecidos nas cidades próximas à Busan. Por saber lidar com carros, ele trabalhou com isso para cuidar de sua irmã. Eles dormiam nas oficinas em que Dae Hyun trabalhava. Dana criou um incrível laço de amizade e carinho com Dae Hyun, se tornou a irmã mais alegre com ele, já que o considerava como a salvação. Ela podia estudar tranquilamente, e viver como um ser-humano de verdade.

Quando entrou para a gangue, Da Hyun já era uma adulta madura, que media as consequências e sabia sobre tudo que estava fazendo e dizendo. Ela não tem medo de expor suas ideias nas reuniões da gangue, mas pensa muito onde suas opiniões levariam. Isso é o motivo de ela ser tão quieta, ela está sempre pensando em algo. É até difícil mantê-la numa conversa quando ela decide parar para pensar.

Palavras é algo que não atinge ela. Dana aprendeu desde cedo que ouvir tudo o que dizem é não viver, então ela apenas ignora as palavras de ódio, remorso, ou qualquer coisa que sintam por ela. Da Hyun não chega a ser uma 4D, mas suas expressões são fortes. Ela não pode esconder o que está sentindo na maioria das vezes, sendo ela uma péssima mentirosa. Dana é considerada o ponto fraco do grupo nesse quesito, pois ela não sabe esconder nada de ninguém.

A última coisa que seria no mundo, é inocente. Algo que já está explicado aos poucos, mas Dana é consciente de tudo. Antigamente era muito fácil enganá-la por não conhecer sobre a vida e o mundo. Algo que também vem de ela não ser inocente, é perceber rapidamente as intenções de alguém. Pode ser um ator de Oscar, um mentiroso de filmes, mas alguma hora ela perceberá, e não hesitará em entregar como traidor.

Da Hyun não reage bem à mortes próximas. Como exemplo, a morte de alguma membro da gangue. Dana não esconde sua tristeza, mas algo que quer mas não consegue esconder é o ódio que sente. Ela sabe que isso não é algo bom, e não leva a lugar nenhum, mas ela se permite sentir ódio e destruir alguns objetos. As lágrimas de Dana são comuns em momentos tristes e de ódio, como qualquer pessoa. Mas ela não esboça expressões enquanto chora. São as lágrimas, e nada mais. Isso sempre piora as situações.

Em resumo, Dana é quieta, pensativa e transparente.


❂ Família (Nome, idade e relacionamento) ❂
“— Kwon Hana – mãe, viva – 41 anos – antes de ser violentada por Dae Won, Hana fora uma garota doce, alegre e gentil. Sua companhia era apreciada por todos seus familiares e colegas de escola, e isso a fazia uma moça bastante popular. De uma beleza muito comentada, ela também sempre fora centro de atenções por onde passava. Após se casar e ter seu primeiro filho, tudo o que ela tinha de vida social fora retirada. Sua vida se resumia a limpar a casa, cozinhar para filhos e marido, e obedecer as ordens de Dae Won. A imagem que Dana tinha de Hana como alguém sorridente foi destruída com o tempo, e a relação que antes elas tinham de amigas inseparáveis se tornou de estranhas vivendo sob o mesmo teto. Atualmente elas não conversam, já que Dae Hyun e Da Hyun fugiram de casa sem ao menos se despedirem. Caso algum dia se encontrassem, Dana gostaria de dar uma boa vida para sua mãe que sempre fez de tudo pelos filhos.” aparência da atriz Kang Sora


“— Jung Dae Won – pai, morto em um acidente de carro – teria 48 anos – Dana nunca realmente teve um momento em que pudera chamar Dae Won de pai, já que ele quase nunca estava em casa, e quando estava, não conversa com os filhos ou apenas estava a dar ordens para que tivesse sossego e silêncio.” aparência do ator Gong Yoo


“— Jung Dae Hyun – irmão mais velho, vivo – aparência do cantor, dançarino e ator Jung Dae Hyun (B.A.P)



❂ Gostos ❂

❂ Desgostos ❂

❂ Favoritos (Música, comida, cor, número, etc) ❂

❂ Hobbies/Passatempos ❂

❂ Medos e porquê ❂

❂ Curiosidades ❂

❂ Amigos ❂

❂ Inimigos e porquê ❂

❂ Sonho ❂

❂ Música que a descreve (Coreana) ❂



❂ Aparência ❂
Kim Ji Soo (BLACKPINK)





Descrição da Aparência:
Peso e Altura:



Sobre a gangue:

Nome profissional e porquê:
Conhecida por fazer:
Habilidades:
Arma que usa:
Porque está na gangue:
Como entrou para a gangue:
À quanto tempo está na gangue:
Posição (Apenas 1):

Líder ()
Cérebro ()
Sniper ()
Lutadora ()
Traficante ()
Sedutora ()
Hackear ()

Todas as integrantes terão uma tatuagem com o nome da gangue, por favor escolha o local da tatuagem da sua personagem:







Sobre o par:

Como conheceu o par:
Relação com o par:

Namorado ()
Amigo ()
Crush ()
Irmão ()
Descrição da relação:


Extra:
A sua personagem pode:

Matar ()
Beber ()
Fumar ()
Bater em alguém ()
Discutir com as outras personagens ()
Ficar ferida ()


Tem alguma preferência na sua história?:

Permalink Comentários (0)

Atualizações do Usuário

Usuário: ~mandyxb
Favoritei a história
História: Nightfall (Long-Imagine BTS)
História: Nightfall (Long-Imagine BTS)
"Não temer"..... Essa era a frase que a ________repetia na sua cabeça enquanto olhava para os sete garotos a sua frente. Nunca a garota imaginou que poderia ter sete paixões ao..
Usuário: ~mandyxb
Favoritei a história
História: Meu Híbrido
História: Meu Híbrido
"Hyung, meus pés estão gelados." Aquele era um problema que poderia ser facilmente resolvido, bastava cobrir-se completamente ou ligar o aquecedor, mas Yoongi preferia dar a s..
Usuário: ~mandyxb
Favoritei a história
História: Tu sei il mio gatto
História: Tu sei il mio gatto
Jeon Jungkook um empresário bem sucedido, saiu tarde novamente de seu trabalho, segundo ele sua rotina é sempre chata, monótona. De casa para o trabalho, do trabalho para casa...
Usuário: ~mandyxb
Favoritei a história
História: A bandida e o policial ( imagine Suga BTS)
História: A bandida e o policial ( imagine Suga BTS)
Eu poderia se alguém melhor, ter uma vida simples, sem ter que encarar aquele policial. No entanto amo ação, ter uma arma como brinquedo e ser o que sou. Ela uma bandida Ele um ..
Usuário: ~mandyxb
Favoritei a história
História: Life and its turns -Imagine Jungkook
História: Life and its turns -Imagine Jungkook
As vezes fico me perguntando, qual é o sentido da vida. Uma hora você está bem, outra hora está mal ou você nem sabe o que está sentindo no momento. Faz exatamente um ano que ..