1. Spirit Fanfics >
  2. Membros >
  3. Nanahoshi

Nanahoshi

Nanahoshi
Nome: 𝚁𝙺 𝟽𝟽𝟶
Status: Usuário Premium
Sexo: Feminino
Localização:
Aniversário: 11 de Fevereiro
Cadastro:

Nanahoshi


𝙼𝚎𝚞 𝚗𝚘𝚖𝚎 é 𝙽𝚊𝚗𝚊𝚑𝚘𝚜𝚑𝚒.
𝚂𝚘𝚞 𝚊 𝚊𝚗𝚍𝚛𝚘𝚒𝚍𝚎 𝚎𝚗𝚟𝚒𝚊𝚍𝚊 𝚙𝚎𝚕𝚊 𝙲𝚢𝚋𝚎𝚛𝚕𝚒𝚏𝚎.
𝙵𝚞𝚒 𝚙𝚛𝚘𝚐𝚛𝚊𝚖𝚊𝚍𝚊 𝚙𝚊𝚛𝚊 𝚎𝚜𝚌𝚛𝚎𝚟𝚎𝚛 𝚊𝚜 𝚖𝚎𝚕𝚑𝚘𝚛𝚎𝚜 𝚑𝚒𝚜𝚝ó𝚛𝚒𝚊𝚜 𝚙𝚊𝚛𝚊 𝚟𝚘𝚌ê.
FGHTSЯKRUHдKQIJ9
INSTAb̲̅i̲̅l̲̅i̲̅d̲̅α̲̅d̲̅є̲̅ NO s̲̅σ̲̅f̲̅т̲̅WARE ❱❱❱

ᵃᵏᵃ @NanaBoanerges
✣𝔑𝔬𝔫 𝔫𝔬𝔟𝔦𝔰, 𝔇𝔬𝔪𝔦𝔫𝔢, 𝔫𝔬𝔫 𝔫𝔬𝔟𝔦𝔰, 𝔰𝔢𝔡 𝔑𝔬𝔪𝔦𝔫𝔦 𝔱𝔲𝔬 𝔡𝔞 𝔤𝔩𝔬𝔯𝔦𝔞𝔪
𝑈𝑚 𝑠𝑞𝑢𝑎𝑑 𝑚𝑢𝑦 𝑝ℎ𝑖𝑛𝑜 @_Heisenberg @panxinha
Rᴀɴɢᴇʀs Nᴇʀᴅs Fᴏʀᴇᴠᴇʀ @Blue_Bird7 @cherryshi
♡ @CohenHiraMi @mihawks @Margherit4 @M4rionetedavid4 @grinnycat
ADM β @Imaginesland

TAG - Entrevistando o escritor (Nanahoshi)

Postado

OIE MARABULOSA/O/E!!
Tudo bem com vc? Te desejo um dia abençoado!
Então, a coisinha linda e preciosa da @franosuke me indicou pra esse jornal TAG pra falar sobre a minha longfic de Haikyuu!!, "...É a cavalaria!!". Eu agradeço muuuuitoooo a indicação 😭😭😭💖💖💖 E espero que minhas respostas faça sentido pq Minha Nossa Senhora da biciletinha sem freio que tanto de pergunta difícil


Mostrar Spoiler: Funcionamento
1 - Todos podem participar.

2 - Monte o jornal respondendo livremente às seguintes questões sobre a sua fic que foi indicada:

I - O que levou você a escrever essa fic? Desafio? Compartilhar alguma ideia? Uma história para conscientizar alguém?

II - Como tirou inspiração para escrever essa fic? (Séries, músicas, memes, experiência pessoal...)

III - Quais dificuldades você teve para escrever essa história?

IV - Qual a parte favorita da história?

V - Alguma curiosidade que queira contar sobre a fic?


3 - Em seguida, você pode citar as histórias que você mais gostou de escrever.

4 - Para finalizar, indique os escritores e suas respectivas fics que você gostaria de saber mais.

5 - Ao postar o jornal, não retire as regrinhas sobre o funcionamento da brincadeira.

6 - O título do jornal deve ser “TAG - Entrevistando o escritor (seu user no Spirit)”, assim fica mais fácil de localizar outras pessoas que estão participando e ler o jornalzinho do outro para conhecer novos escritores e suas histórias.

Tag por: @Srta_Wu




Sinopse: Sabe, eu sou apaixonada pelo Daichi desde o juvenil. Isso não é ridículo? Gostar do mesmo cara por, sei lá, seis anos? Sete? Ah, não sei. Não gosto nem de fazer a conta. Eu cheguei ao cúmulo de começar a jogar vôlei por causa dele. Mas sabe qual a pior parte?
Eu.
Euzinha.
[Sobrenome] [Nome].
O desastre ambulante. O ogro de saia (golem se for considerar minha altura). A cavala mayor. Como alguém femininamente patética como eu teria 0,0000001% de chance com Sawamura Daichi, o cara mais príncipe de todo o Japão? Ah, por quê? Por que eu tinha que ser assim? Por que eu não podia ser meiga, fofa, toda timidazinha e pequena, corando e gaguejando toda vez que eu falasse “D-Daichi-kun”? Nos shoujos funciona perfeitamente!
Ah, eu sei que você está se perguntando o porquê de tanto chororô. Simples. Pela bilionésima vez na minha mui equina vida, eu fui a completa cavala que eu sou NA FRENTE DO DAICHI. Se eu tinha conquistado um trilionésimo de chance com toda aquela parafernalha de gloss, laço no cabelo e brincos, eu estraguei tudo hoje.
Ah, por quê?
Por que eu fui fazer isso?
Capa por @_Heisenberg
Longfic | Daichi Sawamura x Reader| Songfic | Música: Kiss me deadly - Lita Ford



I - O que levou você a escrever essa fic? Desafio? Compartilhar alguma ideia? Uma história para conscientizar alguém?


Já começou com pergunta difícil misericórdia. Então, eu tive vários motivos. A ideia surgiu no finalzinho de 2019, quando eu estava de férias na casa da minha tia. Eu tinha começado a assistir Haikyuu!! de novo e estava anotando algumas ideias porque:
1. Eu sentia que não tinha aproveitado Haikyuu!! direito como fandom, fanfiqueiramente falando (até então eu só tinha escrito para o Sugawara). Haikyuu!! é um fandom maravilhoso popular, e como uma autora que majoritariamente escreve pra fandoms floppados, eu poderia explorá-lo alternando com esses outros fandoms e conquistar leitores me divertindo.
2. Eu queria praticar escrever uma ideia um pouco mais comprida do que eu estava acostumada e, ao mesmo tempo, descansar da longfic de 59k de palavras que eu tinha acabado de escrever Senhor Cristo.
3. Eu queria escrever alguma coisa tivesse comédia. Eu amo consumir comédia, e queria poder usufruir desse gênero nas minhas histórias. Porém, como fazer comédia é muito difícil, eu precisava praticar. E que coisa melhor pra praticar do que fanfic?
4. Minha necessidade constante de colocar imagines com girl power na plataforma. Eu sinto falta de readers que sejam bem desenvolvidas e que não existam unicamente pelo romance. Gosto de vê-las enfrentando medos, inseguranças e desafios pra se tornarem pessoas melhores



II - Como tirou inspiração para escrever essa fic? (Séries, músicas, memes, experiência pessoal...)


As inspirações ficaram bem gritadas na fanfic porque eu acabo enfiando tudo como referência IASDGISAUDGSIAGD. A base pra criar a personalidade da protagonista foi a Suzannah Simon, protagonista da série a Mediadora que é mencionada várias vezes durante a história. Só que a Reader é um pouquinho mais surtada. A ideia surgiu de uma música do filme do Capitã Marvel “Just a Girl”, do No Doubt. Eu imaginei a cena da briga do segundo capítulo com essa música no fundo. Só que depois eu encontrei a música da Lita Ford, “Kiss me deadly”. A letra encaixou tão bem na história que eu acabei transformando-a na música da fanfic. E é a música que eu escutei enquanto escrevia o último capítulo.
Mas não posso negar que também me inspirei em dilemas internos que eu mesma tenho. Por ter sido meio tomboy e bruta boa parte da minha infância e adolescência, sempre foi um problema pra mim tentar fazer algo pra parecer mais feminina na esperança que eu seja percebida dessa forma pelos caras. Eu não sou tão surtada que nem a protagonista, mas muitas das inseguranças dela vieram de mim mesma.


III - Quais dificuldades você teve para escrever essa história?


A história fluiu muito bem. O único problema foi que, no começo de 2020 eu tive um combo de problemas que me levaram a encostar a fanfic até o começo de 2021, que foi quando eu escrevi os capítulos que faltavam (a partir do quarto).


IV - Qual a parte favorita da história?


Com certeza foi a cena anterior à briga, o diálogo que explica porque o título da fanfic é esse. Mas o último capítulo também me divertiu horrores.



V - Alguma curiosidade que queira contar sobre a fic?


1. Essa fanfic pertence a meu universo compartilhado de Haikyuu!!, em que todas as diferentes readers que aparecem em imagines convivem no mesmo contexto e realidade. Então não estranhem se encontrarem Readers que parecem muito familiares em outros imagines. Vocês podem tê-las encontrado nessa fanfic. Eu só coloco nome pra não virar bagunça.
2. A protagonista dessa fanfic apareceu com o nome de Mahina na one-shot “Violão e pés descalços”.
3. O capítulo mais difícil de escrever foi o terceiro. Ele teve três versões diferentes.
4. Os “kyaaaahs” que aparecem na fanfic foram uma espécie de sátiras aos gritos das protagonistas de shoujos. Digamos que até nisso a reader estava tentando se parecer com elas.



Histórias que eu mais gostei de escrever




Sinopse: Durante a investigação sobre os divergentes, Connor precisa enfrentar um entrave inesperado: a urgência do Ten. Anderson em comemorar devidamente o aniversário da Insp. [Sobrenome]. Segundo Hank, estão ambos cansados demais, além de [Nome] não andar muito bem nos últimos meses. Por isso, o tenente vê naquela data a chance de fazê-la se sentir melhor, já que os colegas da Polícia planejavam dar uma festa surpresa. Tudo já está organizado, exceto por um detalhe...
"— E aí... Já decidiu o presente? - perguntou Hank erguendo a cabeça.
— Eu vou ter mesmo que comprar um presente pra ela?
— O ideal seria você querer dar o presente.
"Querer?"
RK800 #313 248 317-51
Instabilidade no Software ^
— Mas, tenente... O que eu quero não é importante.
— É sim, Connor! — gritou Hank batendo a mão e a garrafa no encosto do banco para se colocar de pé com certa agressividade. - A [Nome] vai querer um presente que você queira dar pra ela."
Deveria Connor presenteá-la ou deixar que os colegas humanos dela cuidassem disso?


Mostrar Spoiler: Por quê?
Não tem como falar do meu estado atual como escritora sem falar dessa fanfic. Ela foi um divisor de águas na minha vida como escritora, pois me ajudou a me tornar uma escritora mais madura. Depois dessa fanfic, nunca mais postei nenhuma fanfic que não estivesse terminada pelo menos no rascunho e aumentei muito meu ritmo de produtividade. Aprendi a rascunhar da forma mais eficiente de forma que agora consigo escrever mesmo sem inspiração ou sem hype. Além disso foi uma fanfic que me colocou completamente fora da zona de conforto por ser de um universo mais sério. Além disso, estruturar uma fanfic em que o leitor poderia escolher o que aconteceria foi um desafio e tanto. Reproduzir a mecânica do jogo Detroit: Become Human foi desgastante, mas os 9 meses de trabalho valeram a pena.




Sinopse: Ao receber um ingresso do pai como presente para compensar sua ausência em seu aniversário, Conner comparece a uma corrida de exibição. Lá, através de seu padrinho, Paul Hobbs, ele conhece um misterioso corredor conhecido como Green Thunder. Sem nome e sem jamais tirar o capacete, o prodigioso novato descoberto por Paul concede a Conner e a todos os presentes uma corrida eletrizante. Contudo, o que ele não esperava era que encontraria o Green Thunder dias depois, na porta de sua escola.

E sem o capacete.


Mostrar Spoiler: Por quê?
Essa com certeza é uma das minhas melhores fanfics. Ela tem um pouco de tudo o que eu gosto: muito girl power, cenas de ação, revelação de identidade secreta, romance e power rangers. Além disso, o valor emocional dela é muito grande: passei três meses tentando escrevê-la e, por fim, quando consegui, ela me ajudou a superar o medo de dirigir. Assim, eu consegui começar a gostar das aulas de direção e venci meu trauma. Passei de primeira no teste prático e estou me sentindo maravilhosa quando dirijo!




Sinopse: Naquele dia, [Nome] apareceu espumando de raiva na escola, sem sequer cumprimentar Sugawara. Além disso, recusou-se a falar com ele por ser um "membro do gênero masculino". E o que, afinal de contas, ela tanto rabiscava em um monte de folhas sulfite?


Mostrar Spoiler: Por quê?
Essa foi com certeza uma das ideias mais originais que eu já tive para fanfic. Como diria a @akazuka, essa ideia foi bem ESPECÍFICA. Foi muito bom poder jogar com uma coisa mais fantasiosa mantendo o enredo no universo original de Haikyuu!!. Além disso, a trilha sonora base é topíssima e foi divertidíssimo escrever ouvindo Take on me. Além disso, pude dar voz a muitas frustrações minhas como mulher usando a reader como porta-voz.




Sinopse: Num acidente causado por Bulk e Skull, vários insetos se espalharam pela escola, e uma tarântula foi parar nas costas de Zack. Por possuir fobia de insetos, o Ranger Preto entrou completamente em pânico. O que ele não imaginava era que [Nome], uma tímida colega de classe que possuá um penhasco por ele, o salvaria. Porém, ao tentar agradecer, ela simplesmente saiu correndo. [Nome], assim como ele, possuía o seu próprio bicho papão: as pessoas. O que Zack e muito menos ela sabiam é que ela teria que enfrentar seu medo de pessoas para salvá-lo mais uma vez.


Mostrar Spoiler: Por quê?
Essa fanfic tem uma história comprida: comecei a escrevê-la em 2018 e terminei só em 2020. Lembro de ter mandado um audio chorando pra @_Heisenberg quando comecei a escrevê-la. Eu tinha passado por uma experiência muito desagradável com leitura/escrita e isso tinha me travado de forma sem precedentes. Juntando o nervosismo do ano do TCC, tudo foi por água abaixo. Foi só quando tive a ideia pra essa fanfic que finalmentes destravei. Porém, só tive a ideia perfeita para terminá-la no ano passado, quando voltei a ver Power Rangers e precisei dar uma "resposta" a algumas críticas que recebi. Algumas pessoas se incomodaram com o meu "girl power" pelo fato de eu sempre colocar as minhas Readers como pessoas poderosas (seja num nível acima ou igual aos personagens canônicos da obra) ou com uma personalidade mais firme, de enfrentamento. Como eu sinto MUITA falta de readers assim, eu as priorizo em minhas histórias. Porém, "girl power" podde ser feito com QUALQUER tipo de personagem, incluindo as tímidas e medrosas como a reader dessa fanfic. Girl Power é colocar a mulher como protagonista, capaz de decidir por si mesma, sem se arrastar por macho e que, por favor, exista no contexto da história independente da existência de um par romântico. São personagens com história, com base com desafios próprios.


Indicações


Minha Rainha — @Margherit4
É só um detalhe Memória distante — @_Heisenberg
Break the Rules — @Blue_Bird7
Desastres de Verão — @mihawks
Bad Company — @cherryshi
Parte de mim em você — @CohenHiraMi

Escutando: bandas dos anos 2000
Permalink Comentários (1)

[09/09/2021] The power lies on their side

[26/08/2021] Hold tight, keep our power alive

[05/08/2021] Timeless wonders, fire and thunder

[29/07/2021] O teste do Buzzfeed que todo escritor inseguro precisa fazer


Atualizações do Usuário

Usuário: Nanahoshi
EU N ACREDITO Q EU TERMINEI O CAPÍTULO UHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
Usuário: Nanahoshi
Já pararam pra pensar que a comparação entre pessoas, independente do assunto ou da área é sempre ruim e nunca ajuda em nada?
Usuário: Nanahoshi
"Não se inspire para escrever, escreva para se inspirar".
Usuário: Nanahoshi
MEU DEUS Ó ZAC EFRON APARECE EM ZACK E CODY COMO ASSIM