~tayfofanms

tayfofanms
Avatar por @misuzu_
Nome: Taynã Silva
Status: Usuário Veterano
Sexo: Feminino
Localização: São Paulo, São Paulo, Brasil
Aniversário: 26 de Setembro
Cadastro:

~tayfofanms - Jornais

195 jornais

Teste

Postado

:)


Permalink Comentários (1)

Encerramento do Especial do Horror + Cancelamento do Artes Insanas VII

Postado

Encerramento do Especial do Horror + Cancelamento do Artes Insanas VII

É, pessoal. Não deram muito certo esses últimos dias nem o adiamento do encerramento do Especial do Horror por motivos incontáveis. No entanto, eu até fiz mais do que eu esperava fazer e os primeiros dias deram MUITO CERTO.

O que não quer dizer que acaba por aqui.

A ideia não é tentar continuar esse especial de novo, até porque esse mês estarei toda enrolada com provas, trabalhos e seminários, mas sim continuar produzindo parte do conteúdo do Especial do Horror e postá-lo posteriormente, incluindo jornais de dicas e a drabble com o tema vencedor da enquete.

Por isso, comemoremos o que já foi postado, o que vingou.

Foram seis fanfics postadas no mês de Outubro, abordando o Halloween ou apenas temas sombrios:

Invertido (EXO; Luhan) e Abracadabra (EXO; SuSoo), ambas escritas para o @ProjetoIE de Outubro;
Como não ter medo do escuro (EXO; SuChen), Encruzilhada 666 (EXO; Chanyeol) e 13 (BTS; JungKook), escritas para o DarkSide Project;
Mamãe, o céu vai cair (EXO; Xiumin);


Foram três jornais do #PROJETODicas, todos com temática de horror:

A arte do terror em poucas linhas;
O horror survival;
Terror psicológico;




Cancelamento do Artes Insanas VII


Infelizmente, por falta de postagens, o Concurso Artes Insanas, que nesta sétima edição tinha o tema "Duplo", está sendo cancelado. Talvez a série de concursos volte com o tema numa próxima vez, mas é mais provável que seja um tema completamente novo.


Escutando: Taemin - MOVE
Lendo: Matéria escura
Assistindo: MINDHUNTER

Permalink Comentários (1)

Encerramento do Especial do Horror - Só que não!

Postado

Encerramento do Especial do Horror - Só que não!

Anuncio que, devido à problemas na internet e falta de tempo nos últimos dias, o encerramento do Especial do Horror, previsto para hoje, foi adiado para dia 05/11, já que boa parte das postagens acabaram sem acontecer.

Assim, fiquem de olho que ainda há atualizações por aí. Para não perder nada, veja o CRONOGRAMA DO HORROR (mais atualizações podem ser adicionadas à ele).



Permalink Comentários (0)

Frases & Parágrafos - Terror psicológico

Postado

Frases & Parágrafos - Terror psicológico

Hey! Você sabe o que é terror psicológico?

Não sei vocês, mas até uns meses atrás eu ainda confundia a diferença entre Terror e Terror Psicológico e aprendi a diferenciar com a seguinte frase: um é verdadeiro, o outro está na cabeça de quem tem medo.

Como assim?

Acontece que o Terror psicológico se difere do Terror (medo) convencional porque geralmente não existe realmente. Não existe um fantasma, um assassino ou qualquer outra coisa do qual o personagem precise fugir, mas ele sente que deve ou vai morrer ou sofrer consequências graves.

Numa história de Terror psicológico, independente da mídia a qual pertence, o medo é inserido nos pensamentos do seu personagem. Um exemplo básico e fácil de identificar é quando o personagem se sente perseguido por alguém. Não necessariamente isso é verdade e, se não for, se enquadra em terror psicológico, já que é ele mesmo que o desenvolve, o que é muito mais agravado e evidente se a história for contada pelos olhos de quem está com medo. Seu leitor vai ficar confuso se deve acreditar nele ou não, principalmente se seu objeto de medo for comum, como um assassino.

Por outro lado, não se sabe todas as formas pelas quais se pode desenvolver este tipo de medo, mas uma delas, com certeza, é através de traumas (geralmente ocorridos na infância), que pode se resumir num acontecimento aparentemente normal, como cair num pequeno tanque com peixes e passar a ter medo deles. Outra maneira muito comum é o “medo aprendido”, onde a pessoa reconhece o medo de determinada coisa em outra pessoa e passa a ter medo (como de barata porque sua mãe tem medo delas); mas essa é uma coisa delicada porque também depende da mente da pessoa, se ela é vulnerável ou não, suscetível a isso ou não.

Isso quer dizer que seu personagem não é um super-herói perfeito que não tem medo de nada ou que é invencível [s
(na verdade, nenhum personagem é)[/s], pelo contrário: ele reconhece fraquezas que não necessariamente ele tem. Quer dizer que essa vulnerabilidade ao objeto de medo está na cabeça dele e é isso que chamamos de terror psicológico.

Vejamos o exemplo do filme “Uma janela secreta” (muito bom), estrelado por Johnny Depp, vivenciando o escritor Mort Rainey, que enfrenta uma crise criativa durante a criação de seu livro.

Seu pesadelo começa quando um homem peculiar bate à sua porta o acusando de plágio e, ao analisar a obra do tal homem, o escritor percebe ser a sua própria. Mas como, se ele nem sequer havia terminado? Essa dúvida cruel é o que determina todo o rumo conturbado da trama e a gente só descobre que o homem era coisa da cabeça do escritor no final do filme. Interessante, não?


Em outras palavras, se o terror não existe realmente, pode muito bem ser fruto da cabeça do seu personagem. Assim como as fobias, geralmente um medo sem sentido cujo objeto de medo é algo inofensivo - como peixes, balões ou baratas - realmente existem, mas o perigo está na cabeça de quem tem medo.


Escutando: ZAYDE WOLF - New blood

Permalink Comentários (1)

Frases & Parágrafos - A arte do terror em poucas linhas

Postado

Frases & Parágrafos - A arte do terror em poucas linhas

Há alguns meses eu me deparei com uma postagem em um blog sobre microcontos de terror. A matéria dizia que a ideia consistia em escrever histórias de terror em poucas linhas, - não mais do que duas frases -, o que me deixou intrigada porque sou do tipo de pessoa que escreve até demais. Daí pensei nisso durante longos meses com a certeza de que eu deveria vir aqui debater sobre isso.

A hora chegou.

Bom… Como a maioria das pessoas devem pensar, escrever terror é difícil se essa não é sua zona de conforto (assim como comédia e fluffy são coisas quase impossíveis pra eu escrever), além de os micro-contos exigirem uma habilidade de síntese incrível para englobar todo um contexto em apenas duas frases de forma que o leitor entenda o universo da trama sem precisar de mais detalhes; mas muita gente acha que terror se faz com muita descrição de sensações, sentimentos de medo e agonia, além de uma boa dose de sangue ou quem sabe até um gore; mas depois de ler esses micro-contos, vai ficar óbvio: não é bem por aí.

O fato é que terror não se faz apenas montando uma boa cena de suspense pra surpreender o leitor com um aparecimento inesperado de um monstro ou fazer o personagem entrar numa casa mal assombrada. Às vezes, o terror está dentro de casa ou na sua cabeça. Pode ser um assassino, uma superstição, uma verdade. Qualquer coisa pode ser o que chamamos de objeto de medo (do que alguém tem medo), o que chamamos de terror psicológico (mas falaremos mais sobre isso em outro jornal).

Assim, uma história de terror não precisa ser banhada de sangue e rasgada com garras, mas sim apresentar algo com que o leitor possa se identificar, por mais sem noção que seja a trama. Isso pode ser feito, por exemplo, através de situações cotidianas (como um novo emprego, uma viagem ou mudança de casa) ou inclusão de personagens com personalidade, história ou aparência bastante comuns (como aqueles filmes clichês onde um grupo de jovens viajam, se perdem e acabam numa casa aparentemente abandonada).

Porém, também é importante inovar. Temos medo do desconhecido, por isso que não ficamos assustados quando o formato e temática da história já são bem conhecidos (o grupo sempre se separa, a casa sempre é mal assombrada, etc), assim como uma história cujo objeto de medo seja explicado deixa de ser terror.

Um exemplo bom disso é o filme “Mama”. Eu fui assistir esse filme achando que ia ser de gelar a espinha e dormir com a luz acesa, e o medo até rolou durante parte da trama, mas sumiu quando a história da Mama (a alma penada que “vivia” numa casa e tomou para si duas criancinhas) começou a ser contada. A coisa virou drama porque, vamos combinar, a história dela era triste e no fim das contas ela só queria proteger as meninas como filhas dela, então nunca foi a intenção dela machucar ninguém.

No final eu estava com dó da Mama e torcendo por ela. Entendem como a coisa muda de figura quando você passa a conhecer o que há por trás do objeto de medo? É como acender a luz e perceber que aquela sombra no escuro era só uma blusa na cadeira, então não acendam todas as luzes para os seus leitores.


Por isso é tão comum nas histórias de terror, sejam elas de filmes, livros, quadrinhos ou fanfics, vermos cenas em que há sons estranhos ou que não deveriam existir naquelas situações (como arranhões na porta se você não tem animais), falhas de luz ou escuridão (quem nunca teve medo do escuro que atire a primeira pedra porque esse é um dos medos mais comuns justamente porque não sabemos exatamente o que nos espreita nas sombras) e outras estranhezas. Então, anotem: omitir informações é uma boa ideia, contanto que isso não signifique deixar seu leitor perdido.

Outra coisa muito importante, seja lá qual for o tamanho da sua história de terror, são as escolhas das palavras. Acho que todo mundo já sabe que cada gênero tem mais ou menos o seu “jeito” de ser escrito, a forma como os fatos são apresentados. Num romance, por exemplo, o foco é justamente a relação entre o(s) casal(is), então é comum falar de sentimentos, de incertezas, de desejo. No terror, por outro lado, é mais comum a descrição do medo, da angústia, da finitude e da vontade de viver. Assim, enquanto a escolha de palavras de um romance é mais voltado para esse tipo de contexto, o do terror exige palavras que provocam impacto, medo, agonia e, de vez em quando - principalmente no caso do gore - palavras que remetam à coisas que incomodam nosso estômago.

Para entender melhor sobre a escolha de palavras, indico que leiam “Escuridão total”, escrita pela @Saavik. Eu costumo dizer que a escrita dela, principalmente no que diz respeito ao terror e ao suspense, é poética de uma forma cruel. #Ficaadica

Por outro lado (é sempre bom lembrar), gore não é terror, então nem pense em escrever algo nojento achando que está pondo medo em alguém. O terror vem da sua cabeça, então pra que falar apenas de coisas que causam enjôos nos estômagos mais fracos?

Dadas essas explicações, fica fácil entender porquê você não precisa de tantas linhas para assustar alguém, o que as pessoas que escreveram esses micro-contos já sabiam muito bem.

Para quem se interessou por eles, clique aqui e aqui.


Citação:
DESAFIO (exercício):

E você? Já pensou em experimentar escrever um microconto de terror? Começar por uma drabble ou double drabble pode ser mais fácil, então tente escrever uma drabble (100 palavras) ou double drabble (200 palavras) para praticar. Escreva sobre qualquer coisa dentro do gênero terror/horror. Se quiser, pode participar com seu pequeno texto de horror no @ProjetoIE deste mês (o tema é Halloween e o projeto está aberto para outras pessoas além da equipe de escritores - lembrem-se de seguir as regras do perfil e do site). Você ainda pode postar o link aqui nos comentários, eu vou ler e te dar um feedback.

Vamos ver o quão assustador você consegue soar?



Até mais e bons pesadelos!


Escutando: Blade Runner 2049 Original motion picture soundtrack - Hans Zimmer <3
Lendo: Joyland - Stephen King

Permalink Comentários (1)

Frases & Parágrafos - O Horror Survival

Postado

Frases & Parágrafos - O Horror Survival

Nascido como um subgênero do terror no universo dos video games e popularizado com os primeiros jogos de Resident Evil, Silent Hill, dentre outros mais recentes, o Horror Survival é o que o próprio nome diz: um Horror de Sobrevivência.

Não vou me estender demais sobre os games porque não conheço muito desse universo, mas nos jogos, é comum o personagem principal não saber direito o que está acontecendo e estar preso num ambiente hostil, onde ele deve solucionar os mistérios e sobreviver ao mesmo tempo. Nos quadrinhos, filmes, livros e fanfics, isso não é tão diferente. O personagem geralmente busca sair desse ambiente hostil e não necessariamente ele vai desconhecer os motivos de estar lá ou o que está acontecendo.

Bons exemplos disso são aquelas clássicas histórias de assassinos, como a franquia de filmes Jogos mortais, onde os personagens acordam sem saber onde estão e precisam participar de um jogo mortal para sair dali. Podemos citar alguns exemplos àqueles que nunca assistiram à um filme da franquia, como o da fulana (perdoa eu não lembrar o nome) que tem uma armadilha presa aos seus ombros, pronta para se fechar e destruir sua cabeça - a chave para se livrar dela está atrás de um dos olhos de seu namorado, preso junto com ela.

Assim, é fácil vermos, nesse tipo de trama, os personagens morrerem um a um - dois a dois, ou como o autor quiser - e isso não precisa acontecer só por culpa de um jogo ou uma perseguição, às vezes o perigo está por todo lado, como no caso das histórias de zumbis, onde o lugar em que você está seguro de repente se torna perigoso, ao passo que mortos-vivos passam a habitá-lo.

Outra característica comum desse subgênero do horror, muito forte na franquia de Jogos mortais, é exatamente o que dá sentido ao título: os jogos. Geralmente, neste tipo de enredo, o(s) protagonista(s) são levados a participarem de atividades nada recreativas que incluem resolução de quebra-cabeças - o famoso “ganhe o jogo e saia vivo”. Além disso, também é muito comum a tentativa de fugir de um lugar fechado. Esse tipo de problema foi exercitado no Concurso Artes Insanas IV, onde foi dada uma situação que deveria ser solucionada da forma que o autor desejasse.

Situação-problema: Um ou mais personagens estão presos numa sala pequena e quente, cuja única lâmpada arrisca queimar com tantas baixas de energia. Há apenas uma janela, por onde não dá para passar uma pessoa e o duto de ar não resolve o problema, já que também é pequeno para uma pessoa adulta. O lugar parece ser subterrâneo, quem está preso consegue ouvir o som abafado de veículos passando ao longe e às vezes as paredes estremecem. Há apenas uma porta, mas quando quem está dentro consegue abrir, descobre que ela é falsa e dá apenas para a parede. Quem está dentro precisa sair porque há uma ameaça maior do que ficar ali e morrer. É preciso cumprir um prazo - do contrário, algo ruim acontece. Como escapar? O que há do lado de fora?


Resumindo, histórias de Horror survival contém - sempre - a busca pela sobrevivência, a saída (ao menos algumas vezes) de situações difíceis. Às vezes a busca por abrigo, por comida e outras necessidades básicas (quem já viu algum filme de zumbi vai entender isso direitinho). Nem sempre há colaboração entre personagens, já que isso depende muito do tipo de enredo que se tem em mãos e dos tipos de personagens, assim como nem sempre essa colaboração, quando existe, é legítima.

Além disso, histórias desse subgênero costumam ter muito gore, embora não seja exatamente uma regra, e quase funcionam como uma angst, dando ao leitor a incerteza do que virá a seguir.


E aí? Já pensou em escrever algo assim? E ler? Para aqueles interessados, super indico Video Kid, escrito pela @Saavik, um Horror Survival de tirar o fôlego.


Lendo: Joyland - Stephen King

Permalink Comentários (0)

Concurso Artes Insanas VII - Duplo

Postado

Concurso Artes Insanas VII - Duplo

Eu pensei muito antes de escolher de fato um tema para esta edição do concurso, afinal eram tantos temas legais como amigos imaginários, bruxaria e monstros clássicos, que fica difícil escolher um só. Pensei, inclusive, em deixar mais livre no sentido de ser apenas uma história de terror sem nada específico, mas confesso que fiquei com medo de que a maioria optasse pelos fantasmas e outras “criaturas” que já cansamos de ver em fanfics.

Assim, o tema da vez é a duplicidade de duas pessoas, sejam elas gêmeos, sósias, clones ou sabe-se lá o que você vai inventar. Quero que explorem a diferenciação dessas duas (ou mais) pessoas, a confusão entre elas, coisas que elas fazem em dupla se aproveitando disso. É obrigatório o gênero terror, mas o que você vai fazer na história é opção sua. Vale tudo - assassinos, ficção científica com terror, fantasia com terror, etc.&tal. Vale romance, drama e comédia, contanto que o gênero principal seja terror.


REGRAS:

⟶ A fanfic deve ser escrita especialmente para o concurso e estar dentro das regras deste e do site;
⟶ One-shot de 3.000 a 9.000 palavras ou Two-shot de 4.000 a 8.000 palavras por capítulo;
⟶ Obrigatório o uso das tags #artesinsanas7 e #CAI7. Fanfics fora das tags serão desclassificadas;
Proibidas betagem e co-autoria, assim como a postagem de fanfics de terceiros, mesmo com consentimento do autor original;
⟶ Fanfics apenas em português;
⟶ A classificação indicativa é de escolha do autor, assim como os personagens, que podem ser de qualquer categoria do k-pop e incluir personagens originais (por ex.: Chanyeol + personagem original), podendo ser yaoi, yuri ou hétera. Fanfics de outras categorias serão desclassificadas;
⟶ Ao menos um personagem deve ter medo dessa duplicidade, que precisa ser nociva de alguma forma;


OBJETIVOS:

1. Desenvolver a criatividade (inovem);
2. Desenvolver o mistério/suspense e o medo dos personagens;
3. Evitar a prolixidade, mesmo com o grande limite de palavras disponíveis;


O QUE SERÁ AVALIADO:

Intertextualidade (capa + título/subtítulo + sinopse + texto): 05 pontos *não precisa ter capa
Sinopse: 10 pontos
Fidelidade ao tema: 15 pontos
Gramática e Ortografia: 20 pontos
Coesão e Coerência: 20 pontos
Descrição: 20 pontos
Criatividade: 10 pontos
Estrutura: 10 pontos
Formatação: 05 pontos
Mistério e suspense: 05 pontos
Gosto pessoal: 10 pontos
Desfecho: 05 pontos
Prolixidade: 10

TOTAL: 145 pontos



DICAS:

1. Pensem bem: o que em duas pessoas iguais dá medo?

2. Avaliarei a descrição do ambiente, das ações e das sensações dos personagens, então NÃO foque em apenas uma delas;
3. Revise a fanfic antes de postar. Muitas das fanfics perdem uma grande quantidade de pontos porque os autores não revisam. Caso queira fazer alterações, pode fazer dentro do prazo de postagem, mesmo que já tenham postado;
4. Se não souber muito sobre o tema que deseja escrever, faça uma pesquisa. Isso não dói e ajuda a tornar sua história mais convincente;
5. Releiam as regras antes de postar para ter certeza que não burlou nenhuma;


PREMIAÇÃO:

1º Lugar: Resenha (em um jornal meu e no blog) + Capa de fanfic + Fanfic adicionada à minha lista de indicações;
2º Lugar: Capa para fanfic + Fanfic adicionada à minha lista de indicações;
3º Lugar: Fanfic adicionada à minha lista de indicações;

Obs.: Outros prêmios podem ser acrescentados até o fim do concurso.


PRAZOS:

Inscrição e postagem: Até 05/11 (Se sua fanfic tem mais de um capítulo, todos devem ser postados até essa data).
Resultado: Até 12/11


INSCREVA-SE:

CLIQUE AQUI (FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO)



FANFICS POSTADAS:




DÚVIDAS? Deixe nos comentários ou me mande uma MP. Se preferir, envie sua dúvida para o e-mail [email protected]



Permalink Comentários (2)

Abertura do Especial do Horror

Postado

Abertura do Especial do Horror

“O inferno está vazio. Todos os demônios estão na terra” (Autor desconhecido).


Já dizia a música This is Halloween do filme O estranho mundo de Jack que “a vida não é divertida sem um bom susto”. Além disso, gostamos tanto de histórias de terror, mesmo quando temos medo de nos assustar ou de sermos incapazes de dormir a noite, então porque economizar os monstros?

Sendo uma época em que os fortes são aqueles que se escondem embaixo das cobertas e mais fortes ainda aqueles que se arriscam em tramas medonhas pela madrugada, o Halloween é uma data importante para os amantes do terror e, para celebrar, abro agora o Especial do Horror deste ano, que vai de hoje até dia 31 de Outubro, encerrando (se tudo der muito certo) com a postagem da fanfic Pesadelo perpétuo - porque o Halloween precisa continuar, não acham?

Mas quem sou eu?

Eu sou aquela que vai soprar seu cabelo e sumir quando olhar pra trás. Sou quem vai te esperar no fim do corredor e te observar da janela. Sou quem vai andar pela casa de madrugada e dar vida aos seus brinquedos. Sou eu quem vai ver no espelho.

Então, como anfitriã nessa jornada, te apresentarei algumas das fanfics que me impediram de dormir no escuro. Além disso, o Especial do Horror contará com dicas sobre temáticas sombrias em histórias, uma nova edição do Concurso Artes Insanas, outros desafios temáticos (exercícios) em conjunto com os jornais de dicas e uma lista de fanfics de minha autoria para te fazer pensar duas vezes antes de ir ao banheiro de madrugada (mentirinha, nem todas são macabras).

Para aqueles que estão ansiosos para saber o resultado da enquete (feita de 14/09 à 24/09), sobre quais temas vocês queriam que fossem abordados em drabbles de terror, eis o resultado:

Obrigada pelos 35 votos nesta enquete, pessoal. Eu não esperava tantos. <3

Para não perder nenhuma postagem, fique por dentro do CRONOGRAMA DO HORROR.

Estão prontos pra ter medo? Para te dar boas vindas à esse especial e começar com um passo sem volta, que tal um “tutorial” para sobreviver às longas noites em claro? "Como não ter medo do escuro" é a primeira drabble desde especial e um dos meus "amorzinhos" nesse mês medonho. Então vão logo ao banheiro, enrolem bem os pés e garantam a luz acesa.

Confira Como não ter medo do escuro, dê seu primeiro passo.

Nos veremos de novo amanhã, se viver até lá.


Lendo: Joyland - Stephen King

Permalink Comentários (1)

Especial do Horror - Aquecimento (enquete)

Postado

Especial do Horror - Aquecimento (enquete)

"O inferno está vazio. Todos os demônios estão na terra" - Autor desconhecido.


Hey people! Tudo na boa?

Eu juro que me segurei pra não postar esse jornal hoje, mas a pessoa aqui é ansiosa demais pra esperar, então cá estou para lançar uma enquete.

"Enquete"? "Especial do horror"? Do que você tá falando, criatura?

Já há alguns meses eu estou bolando um Especial do Horror que envolverá postagem de fanfics e jornais voltados para o terror. Apesar de estar planejando isso há um bom tempo, ainda falta bastante coisa pra concluir, por isso não vou entrar em detalhes, prometendo algo que eu possa não cumprir.

Porém, no entanto, toda via... Eu andei pensando e as drabbles são coisas maravilhosas quando você quer jogar no papel sem demorar demais. Assim, veio a ideia de lançar essa enquete, que não é nada mais, nada menos, que uma perguntinha boba: "que tema você quer numa drabble de terror?"

Eu fiz um formulário no docs porque já tem gráficos, assim não preciso ficar contando votos. Lembrando que vou escrever com os três temas mais votados e a votação vai até dia 24/09.

Sem mais delongas, eis os temas:

Citação:
1. Zumbis;
2. Assassinos;
3. Invasão alienígena;
4. Espelhos;
5. Medo do céu;
6. Música;
7. Pessoas ao avesso;
8. Horário;
9. Pássaros;
10. Bicho papão;
11. Sandman (João Pestana);
12. Mensagem de texto;
13. Vampiros;
14. Lobisomens;
15. Elfos;
16. Sereias;
17. Aderência física;
18. Manipulação Dimensional;




Escutando: Peral Jam - Even Flow <3
Lendo: Joyland - Stephen King

Permalink Comentários (3)

Conheça o Projeto Secret Garden

Postado

Conheça o Projeto Secret Garden

Citação:
A lenda do jardim secreto


“Uma velha lenda diz que existe um lugar mágico: um jardim secreto onde as árvores dão como frutos histórias incríveis de todos os gêneros. Longas ou curtas, essas histórias não são umas melhores que as outras, mas contêm uma vastidão de emoções capaz de apaziguar dores, rejuvenescer os anciãos, curar corações partidos e assustar os mais bravos céticos que cruzarem esse jardim.

A lenda diz que, nesse lugar onde até mesmo as flores e a grama têm histórias para contar, as palavras reinam e que aquele que pelo jardim tiver a chance de passar, terá o direito de ler uma das histórias, dedicada à si - um presente de uma das árvores mágicas.

Mas cuidado. A lenta também rege que aquele que tiver a chance de pisar no solo desse jardim secreto também se tornará uma árvore e dará como fruto uma nova história para alguém que tiver a mesma sorte. No entanto, alerta sobre uma parte mais afastada do jardim, onde as árvores não têm folhas e usam seus galhos para prender visitantes para todo o sempre. Essas árvores são aqueles que leram, mas não deixaram uma nova história”.


Demorou, mas saiu!

O Projeto Secret Garden foi montado a partir de uma ideia da @Sekai_Mato e está sendo executado por mim, visando promover um desafio que funciona como um amigo secreto. A ideia é que cada participante escreva uma fanfic pedida por outro participante e ganhe uma que pediu.

O projeto contará com Betas, Capistas e Ficwriters oficiais, que ficarão responsáveis por eventuais fanfics cujo autores desistam, essas sendo postadas após o prazo de postagem das histórias, já que precisam de tempo para desenvolver os plots.

Se interessou? Corre lá no jornal sobre como funciona o projeto. As incrições para beta, capista, ficwriter estão abertas, assim como as de participante.





Permalink Comentários (0)