1. Spirit Fanfics >
  2. A benévola Imperatriz >
  3. Inukimi, A Senhora das Terras Ocidentais

História A benévola Imperatriz - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


~HELLO MY FRIENDS!
Antes de qualquer outra coisa, gostaria de informar que estou muito feliz por terem gostado da fic, meu intuito é divertir-los e intreter-los com uma boa leitura ( Pelo menos é o que eu tento kkk) [email protected] pelos comentarios gentis, do 1 cap, de A Benévola Imperatriz, sou [email protected] a cada um que favoritou a fic S2 vcs são demias! ;3

Tenham uma boa leitura muchachos...

Ps: Pedoem qualquer erros ortograficos ;)
estou atento(a) a opiniões é so comentar lá em baixo...
Bye bye...

Capítulo 2 - Inukimi, A Senhora das Terras Ocidentais


 

Aquela bela e elegante mulher de airosos cabelos prata, aquela, que se assentava sofisticadamente em um dos luxuosos assentos que ornamentava tão harmoniosamente o venusto salão do palácio dos domínios da jovem imperatriz. Essa encantadora mulher, não aparentava, nem de longe, ser o grande e poderoso cão yokai, das terras ocidentais. Fisicamente se assemelha ao seu belo filho: orbes dourados, pele suave e tão clara quanto as longas madeixas. Possivelmente, Sesshoumaru havia herdado dela a lua crescente de tonalidade roxa que descansava graciosamente em sua testa, mas não era apenas na aparecia que os Inu yokais   tinham em comum, ambos tinham um aspecto pretencioso e indiferente. Aquela, era Inukimi, a temida senhora das terras ocidentais, a mesma que exibia um sorriso satisfeito, ao ver sua futura nora se aproximar.

–  Olá querida humana! – Disse calorosamente enquanto a convidando para se sentar ao seu lado, Rin, timidamente, fez conforme sua vontade, aceitando seu pedido e se sentando não muito longe de sua bela futura sogra.

– Não estou te reconhecendo, Rin querida, seu rosto está muito abatido. – Articulou docilmente enquanto analisava o rosto jovial da mesma.

“um semblante triste” Analisou em seus pensamentos.

Recentemente ,a senhora das terras ocidentais,  a conhecia,  mas  recordava do ânimo de Rin, de sua persistência quando havia lhe dado a oferta para se casar com seu filho, presumiu ser  loucura sua ideia de estabelecer a paz entre as duas raças, mas se lembrava perfeitamente do rosto sorridente que a jovem fez quando lhe foi concedido.

– Sesshumaru... – sussurrou levemente, chamando a atenção de Inukimi para si.

 – Eu não sei mais como agrada-lo! já dei de tudo! joias, roupas, banquetes e até festas! mas é como se tudo que vier de mim, fosse maldito, ele realmente me odeia!– Relatou fazendo uma careta emergir na face da bela Yokai, Rin podia jurar que a ouvi-o murmurar um " menino mimado" mas antes de questiona  o que havia ouvido essa se voltou com um sorriso caloroso.

– Oh querida! Não o interprete mal, não é que Seeshoumaru não goste de você... Ele só odeia completamente os humanos...– “reconfortou” Inukimi, pode-se dizer que ela não era a mais habita a lidar com sentimentos humanos.

 –  O que é ainda pior! – Ressaltou Rin, surpreendendo a yokai ao se levantar bruscamente de seu assento.

–  O intuito de me casar com um príncipe yokai foi para unir as duas raças! Como vou consolida-los se o influente Cão Yokai odeia humanos, mais até, do que qualquer outro?! –  Indagou retoricamente pra si, esquecendo, por um momento, a presença de sua futura sogra yokai.

 –  A iniciativa tem que partir de nós dois! Nós seremos o exemplo! é a única maneira de provar que humanos e yokais podem vivem em harmonia! – Gesticulou Rin  perdida em suas reflexões , simultaneamente  a mesma dava pequenos círculos inconscientes entorno do salão, Inukimi a observava duvidosa, era indiferente aos humanos, mas não entendia o porque de uma mulher tão poderosa como Rin, se  importasse  tanto com uma coisa tão  trivial, como o conflito intrínseco de seu povo, não entendia o porquê da mesma se esforçar tanto para consolidar seus servos, a julgava enigmática.

– Querida, de a ele um tempo até se acostumar... é tudo muito novo! Sesshumaru nunca esteve tanto tempo em contato com humanos antes – Explicou amavelmente, apesar de conhecer bem o gênio de seu filho, sabia que Sesshumaru não concordaria nunca em se unir a uma humana, pelo menos, não por livre e espontânea vontade, não como Rin desejava.

 – Kimi-Sama eu já tardei demais! já se vão seis meses e desses seis meses ele não saiu de seu quarto, somente hoje ele dirigiu a palavra a mim, um dia antes de nosso casamento e somente para dizer o quanto me odiava – Confessou Rin, seu relato promoveu que Inukimi rumorejar-se  novamente, mas se recompondo e sorrindo logo após.

  – Bem ao menos é um progresso... – Motivou Inukimi, numa tentativa sem sucesso de Anima a jovem imperatriz, encorajar alguém também não era seu forte.

 –  Eu não queria força-lo a fazer isso! sei que me odiara mais por isso, mas é um sacrifício que tenho que fazer pelo país... esse preconceito racial já pendurou por muito tempo, o império está desenvolvendo e se expandido cada vez mais,  temos que aumentar nossa economia para fazer alianças, circular nosso comercio. Nosso reino não irar se erguer sem a colaboração de seus habitantes e para isso eles precisam estar em comunhão uns com os outros, e não se gladiando internamente! É isso que nossos inimigos querem!  –  Explicava mais para si do que para a yokai. Aquele era o único modo o qual Rin não se importava com seus súditos, quando ela tinha que se portar como uma imperatriz, quando era necessário ser posicionar indiferente e tomar decisões árduas, tudo para o bem do país, para o bem das futuras gerações.

 – Seria tão fácil se ele colaborasse! – exprimiu desistente enquanto se despejava em seu assento, Inukumi estreitou os olhos reflexiva, deveria ter algum palpite que pudesse auxiliar a jovem humana, mas qual?

 – Não sei se essa informação te dará muito proveito – Notificou chamando a atenção de Rin. –  Mas se me recordo bem, quando Sesshumaru era um filhote, ele amava observar o céu... era um de seus passatempos favoritos além de disfrutar seu tempo com seu cavalo dragão, Ah-un, talvez você pudesse convida-lo para passear com você pelo jardim?  Tem uma grande chance de despertar seu interesse.

Rin sinalizou positivamente com sua mão. – Por que não? Eu já tentei de tudo mesmo...- disse em um tom desistente, mas se erguendo logo depois. –  Eu não vou desistir –   afirmou olhando determinada para a bela yokai, que a encarava surpresa.

 – Kimi-Sama eu definitivamente unirei meu povo! Eu casarei com seu filho! – Prometeu perseverante, era aquela expressão que a Inu Yokai se recordava, da jovem Imperatriz, finalmente a reconheceu, ela não aparentava ser a mesma Rin quando estava entristecida.

No fundo Inukimi era receosa pela capacidade de Rin, sabia que seu filho tivera muitas pretendentes, mas nunca se interessou por nenhuma de suas candidatas, apesar de ter ao seu favor o fato de ser um príncipe yokai. Poderia conquistar a fêmea que desejasse ..., mas não dava importância para esse benefício. No entanto não entendia também o porquê de Rin não desistir do mesmo, poderia escolher outro poderoso Daiyokai, claro, era incontestável que nenhum outro seria tão poderoso quanto o grande Cão yokai,  mas  reconhecia que Sesshumaru era muito arrogante, frustrava-se pelo mesmo não ter puxado o carisma e charme do pai, nunca chegou a comentar, mas as vezes acreditar que o Daiyokai  era assexuado, considerou essa concepção devido os milhares de anos que Sesshumaru viveu sem se interessa em relaciona-se com qualquer outro da espécie, dificultando ainda mais a chance de se  tornar o companheiro de uma humana, fatigava-se ao pensar sobre isso, mas ocasionalmente acreditava que o mesmo iria morrer sozinho, matando o sonho, da senhoras das terras ocidentais, de um dia se tornar avó, ao contrário de Sesshumaru não se importava se seus  descendentes fossem hanyous,  só queria que o  filho não desperdiçasse a vida sem amar ninguém.

 “Tão grande desperdício de beleza! Teria crias tão belas!” Lamentou internamente exercendo uma leve expressão de dor que espantou Rin.

 – Kimi-Sama? você esta b... –  Travou ao sentir o contato gélido das mãos da Inu yokai, sobre as suas.

 – Estou torcendo por isso Rin-san! De o seu melhor! –  Suplicou com lagrimas nos olhos fazendo a jovem Imperatriz se assustar mais ainda.


Notas Finais


[email protected] por lerem até o final! espero que tenham se alegrado com a leitura!

Estou [email protected] a opiniões! deixe nos comentarios..

Até a proxima muchachos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...