História A Deputada Trilogia Entre o Amor e o Poder. Versão Camren. - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Austin Mahone, Camila Cabello, Fifth Harmony, Halsey, Ian Harding, Justin Bieber, Lucy Hale, Meghan Trainor, One Direction, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Liam Payne, Personagens Originais
Tags Camre G!p, Fifth Harmony, Lauren G!p, Norminah, Romance
Visualizações 111
Palavras 2.476
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente depoiis de tanto tempo voltei com mais um capítulo Camren, espero de coração que vcs estejam gostando dessa história. Caso vcs gostem comentem por favor pra eu poder saber se posso ou n continuar com isso.

Capítulo 30 - Capitulo 28


Fanfic / Fanfiction A Deputada Trilogia Entre o Amor e o Poder. Versão Camren. - Capítulo 30 - Capitulo 28

POV'S Lauren

Acordei sentindo o peso e o perfume da minha princesa sobre meu corpo. Tentando não me mexer muito para que ela não acordasse, saí da cama sem ser percebido.
   Coloquei minha calça do smoking e fui até a parte superior do iate, já discando o número do triplex.
  -Bom dia, querida.
  -Bom dia, Marta! Tudo bem por aí?
  -Sim, tirando o telefone que não para de tocar – logo imaginei que seria assim,
principalmente depois que eu e Camila saímos da festa de mãos dadas. Agradeci mentalmente sua provocação, nos trazendo para o iate, pois não queria preocupá-la com isso.
  -Siga sempre as mesmas instruções. Não estou pra ninguém.
  -Sim, minha querida. É isso que estou fazendo.
  -Ok. Preciso que você arrume algumas coisas para mim, e peça para Liam trazer-me para o iate.
  -Do que você precisa, filha?
 -De roupas de banho, para mim e Camila. Algumas peças de roupas normais e o mais importante, Marta. Prepare um café da manhã completo.
  -Vou fazer isso agora, minha filha. Mais alguma coisa?
 -Não, apenas isso. E mantenha o telefone fora do gancho se facilitar seu trabalho – rimos juntos.
  -Pode deixar.
  -Obrigado, Marta. Nos vemos mais tarde.
  -Vou providenciar tudo o mais rápido possível, divirtam-se.
  -Obrigado.
   Desliguei o telefone, sentindo a brisa do fim daquela manhã de sábado, e pensando em como minha vida não poderia estar mais perfeita.
   Havia acabado de ganhar uma das eleições mais importantes da minha vida, e ainda por cima, sendo a política mais bem votado de todos os tempos. Mas o que não me deixava tirar o sorriso presunçoso do rosto era ter Camila ao meu lado.
   Depois dela se declarar apaixonada por mim durante toda a sua vida, não pude deixar de agradecer a minha futura sogra Sinu por essa revelação. Camila já era um fascínio, porém depois daquela declaração não poderia ser a mulher mais feliz dessa vida.
   Se me senti?
   Sim, com certeza.
   Minha mulher. A mulher que sempre foi minha, desde seus primeiros pensamentos...
   Camila me encantava diariamente, ela sempre teve o dom, desde o começo para me surpreender. Ela havia se guardado para mim, e agora depois de sua declaração tive a certeza...
   Sempre fui eu.
   Era o meu corpo que ela desejava.
   Era o meu amor que ela almejava.
E eu realizando, que para mim era o meu melhor e maior projeto, a faria, consequentemente, a mulher mais feliz do mundo.
   Esse era o meu ideal de vida.
   Na verdade, essa era minha obrigação.
   Faria que seu sonho se transformasse na sua realidade mais plena e feliz.
   Porém Camila nunca ficaria atrás.
   Ela estava sendo espetacular. Na festa se comportou como uma esplendorosa mulher de político. Dando atenção para todos os convidados, sorrindo e sendo simpática como toda primeira dama deve ser. E no final da noite a devassa me atacou, nos trazendo mesmo sem nada planejado, para o píer de Nova York, onde estava atracado o iate de nossa família. Camila definitivamente nasceu para estar ao meu lado.
   Minha única preocupação foi sua tensão o lado do seu editor chefe. Ela ficou muito nervosa quando encontrou Bieber na festa, e sentia muito incomodada quando a tirei da sua conversa com ele. Conversaríamos sobre isso mais tarde, pois sabia muito bem já perceber quando Camila estava me escondendo algo.
   Mas não queria pensar naquele momento. Continuei na proa do iate até Liam chegar, uma hora depois, com tudo que eu havia pedido. Ele ainda me ajudou com a bandeja que eu levaria para Camila, e logo depois o dispensei novamente. Terminando de arrumar nosso café da manhã, o levei para o quarto.
  -Bom dia, bela adormecida! – ver Camila acordando era uma das visões mais perfeitas que meus olhos já haviam presenciado, fora seu ronronar de gata manhosa, que me deixava duro apenas com um gemido.
  -Bom dia, amor – ela sorriu, levantando um pouco e vendo a bandeja de café da manhã, ainda em minhas mãos. – Café da manhã na cama?
  -Você merece, princesa – lhe dei um selinho. – Vamos comer?
  -O que temos aqui – ela começou a observar a bandeja, já tomando um gole do seu suco – Waffles, mocha? –Tão esperta minha garota, que já sabia qual seria sua próxima pergunta. – Você não trouxe a Marta pra cá, não é, Lauren?
   Bingo…
  -Tecnicamente não.
  -Tecnicamente não?
  -Eu trouxe seu café da manhã até nós – seu olhar interrogativo me fazia rir. – Está bem! Eu liguei para Marta, pedindo que ela preparasse nosso café, Liam o trouxe, junto com algumas roupas.
  -Pretende me raptar a bordo desse lindo iate, Senadora? – Camila tinha o dom de me enlouquecer, ainda por cima mordendo os lábios.
  -Por hoje sim, Karla Camila – ela sorriu aproximando nossos rostos. – Quero um pouco de paz ao seu lado, e esse lugar, mesmo sem planejar, se tornou perfeito.
Então meu ataque foi providencial? – a devassa já estava praticamente no meu colo.
  -Com certeza – gargalhei a fazendo sorrir inocentemente.
 -Você é literalmente uma devassa, Karla Camila.
  -Por que, amor? Só por te querer da hora que acordo, a hora que vou dormir? – ela mordeu meu lábio inferior.
   Não preciso dizer que nosso café da manhã teve que ser adiado, não é.
   ***
  -Esse lugar é lindo – Camila estava na proa do iate, devidamente vestida com seu biquíni branco, logo depois de conseguirmos sair daquele quarto e do banheiro. Porque como minha princesa costuma dizer, nossos banhos matinais são os melhores.
  -Também gosto dele – a abracei por trás, sentindo seu perfume de banho recém tomado. – Pensei quando fomos para a ilha de irmos com ele, mais não tínhamos muito tempo, não é?
  -Verdade, mas o helicóptero e lancha, também fizeram daquela viagem muito emocionante – Camila se aconchegou ainda mais no meu corpo.
  -Foi um dos finais de semana mais gostosos que já tive– ela sorriu.
  -Para mim também – se virou, enlaçando meu pescoço com os braços. – Amor, por falar em fim de semana, as meninas estão querendo comemorar sua vitória hoje em uma boate – fiz uma careta, ganhando um selinho gostoso.
  -Você quer ir? – ela sorriu manhosa.
  -Acho que seria legal. Nós nunca saímos para dançar, e a Ally já reservou um camarote para nós com entrada privativa. Do jeito que você gosta – sorri a apertando ainda mais a mim.
  -E elas te pediram para me convencer?
  -Tecnicamente sim – gargalhei da sua imitação quase perfeita minha.
  -Eles me pagam.
  -Eu disse isso a eles – Camila fez uma falsa careta, fazendo-me rir ainda mais.
  -Você disse?
  -Disse e impus medo – ela estava se sentindo poderosa.
  -Essa é minha garota – girei nossos corpos a beijando apaixonadamente.
   ***
  -Allyson, já estamos a caminho –disse no celular, com Camila praticamente no meu colo. E estava vestida para matar, com um vestido tomara que caia preto, curtíssimo. Não gostei muito no começo, porém pensando friamente, me facilitaria no caso de mais um ataque na limusine.
   Preferi vir com ela, já que precisaria dos serviços de Liam e dos outros seguranças.
   -Ok, irmã! Vou ficar esperando vocês na porta, junto com os seguranças.
  -Ótimo, chegaremos em dez minutos.
  -Beleza – desliguei o celular a encarando.
  -Você sabe que a partir de hoje sua vida não será mais a mesma, não é?
  -Claro que sei, amor – ela estava relaxada. – Não se preocupe, Lauren, nós vamos passar por isso. Eu estou com você, e isso pra mim é o que importa.
  -Com certeza teremos vários paparazzi esperando uma brecha nossa, quando descobrirem nossa presença na Lótus.
  -Eu não me importo – ela enquadrou meu rosto com suas duas mãos pequenas. – Eu só quero me divertir ao seu lado hoje, tudo bem? – Camila sabia como ninguém, perceber quando eu estava uma pilha. E naquela noite só queria protege-la dessa loucura, que a mídia teimava em transformar nossas vidas normais.
  -Tudo bem! Vamos lá – disse assim que o carro parou em frente da boate.
  -Vamos – ela pegou minha mão, sorrindo.
   Havia uma fila enorme do outro lado da entrada. Mas graças a um nome forte, e um dos camarotes mais caros do 
mundo, eu e Camila entramos direto.
  -Boa noite, amigas! – Allyson sorriu como uma boba quando entramos direto no camarote.
  -Boa noite, Ally – Camila lhe cumprimentou com dois beijinhos, indo até Dinah.
  -E ai, mana? Fiquei feliz que tenha vindo. Essa festa é para você – ela me abraçou.
  -Para nós, Ally. Somos uma equipe, não conseguiria nada sem minhas assessoras – ela sorriu me abraçando ainda mais.
  -Deveria relaxar mais vezes, amiga – revirei os olhos.
  -E vocês deveriam ser mais mulheres, medo de mim? – vi Normani se aproximar, cumprimentando-me.–  Pedindo reforço para Camila – olhei em direção a minha princesa, que já balançava discretamente aqueles quadris, que seriam meu fim.
  -Não é bem assim, Lauren – Normani sempre calmo. – Só pedimos uma forcinha, pois sabemos que não nega nada para ela.
  -Sei – tentei ficar séria, mas sorri no final. – Vamos nos divertir, é para isso que estamos aqui.
  -É assim que se fala, mana.
  -Fui até Camila, a abraçando por trás, e sentindo seu perfume gostoso.
  -Boa noite, Dinah.
  -Oi, Laur, tudo bem?
  -Tudo ótimo – Camila virou seu corpo de frente para o meu, começando a dançar sensualmente.
  -Vamos nos divertir, Senadora? – a devassa estava mordendo os lábios.
  -Vamos, Karla Camila – apertei ainda mais sua cintura. – E contenha-se. Se não quiser ser comida naquele banheiro – apontei para o banheiro do camarote.
  -Não seria má ideia, amor – ela
rebolou ainda mais, e eu precisava me recompor.
  -Vou pegar alguma coisa pra beber, você quer? – eu sussurrei no seu ouvido, por causa da música alta.
  -Quero, amor, por favor – e voltou a sacudir seu corpo no ritmo da música.
   Fui até o garçom e peguei uma Heineken pra mim, pedindo um drink pra Camila.
   Quando voltei, ela estava conversando animadamente com o pessoal, sem parar de se mexer sensualmente.
  -O drinque da senhorita – entreguei a taça.
   Ela bebeu e fez uma careta, sorrindo.
  -Uau! É forte… Mas uma delícia. Obrigada, amor – deu mais um gole, me beijando logo depois. E percebi apenas pelo beijo que sua bebida era forte mesmo. Camila pegaria fogo. E eu a pegaria de jeito.
   Encostei-me em seu corpo, sentindo o ondular de seus quadris conforme a batida do som, e me movimentei com ela colando nossos quadris. Fazendo-nos rir como duas crianças travessas, pois minha semi ereção já era eminente.
   Meu rosto foi automaticamente ao seu pescoço, absorvendo seu cheiro, enquanto minha mão apertava seu quadril por cima do tecido fino do vestido.
  -Eu te amo tanto, sabia? – Camila levantou os braços, enlaçando meu pescoço por trás, sem parar de rebolar seu quadril contra o meu. Fazendo-me revirar os olhos de tesão, com aquele contato entre nossas intimidades.
  -Você está provocando, Karla Camila.
  -Eu sei... Senadora– deixei minha cerveja em cima da mureta do camarote e segurei seu quadril com as duas mãos.
Fazendo-a parar de rebolar contra meu corpo.
   -Camila– a chamei, sussurrando no seu ouvido. – Mais algumas dessas reboladas, e vou gozar na frente de todo mundo. E não seria propicio para uma Senadora da República gozar em público, não acha?
   Ela riu, jogando a cabeça pra trás, com seus cabelos roçando no meu rosto, seu cheiro me invadindo, deixando-me ainda mais acesa e alucinada.
   Então se virou de frente pra mim, e colocou sua taça vazia ao lado da minha garrafa.
  -Eu tenho um lugar melhor pra você gozar, Senadora! – ela passou seus braços em volta do meu pescoço.
   Ainda tocava Pitbull,Give Me Everything, e Camila rebolava seu corpo, sem tirar os braços presos do meu pescoço, encarando-me. O movimento do seu corpo fazia com que nossas intimidades se tocassem, e isso estava saindo de meu controle.
   Espalmei minha mão direita nas suas costas, a esquerda entrou em seus cabelos e a puxei, colando nossos lábios com urgência e sem delicadeza alguma.
   Ela arfou, enquanto nos afastávamos das vistas das pessoas, encostando nossos corpos em uma das paredes mais afastadas do camarote, e espaçando minhas pernas, encaixei-a entre elas.
  -Eu estou tão molhada, Senadora – ela sussurrou no meu ouvido, mordendo o lóbulo da minha orelha. – Eu preciso de você agora, amor – Camila agarrou meus cabelos, olhando-me fixamente – Me come aqui, Senadora … Agora – eu disse que essa bebida faria minha mulher pegar fogo.
  -Vem comigo – a puxei pela mão, fazendo-a rir devassamente.Tentei ser discreta, percebendo que Normani dançava animadamente com Dinah. E Allyson... Bem, Allyson à uma hora dessas já estava na pista atrás de algum rabo de saia moreno. Sorri e puxei Camila sem ninguém perceber para o banheiro do camarote.
  -Agora você vai ver que não se deve provocar uma Senadora poderosa, Karla Camila – ela gemeu quando a peguei com força pelo braço, jogando seu corpo sem delicadeza dentro do banheiro, trancando a porta. – Vou te comer com tanta força que vai sair daqui no meu colo.
E assim eu o fiz.
   Comi Camila freneticamente naquele banheiro, ao som estrondoso de Pitbull, o que a fez se sentir a vontade, e gritar muito enquanto a penetrava com força.
  -Uau! Isso foi maravilhoso – ela ergueu o rosto ofegante, beijando-me furiosamente. – Eu te amo, minha Senadora mais gostosa.
  -Eu também te amo, minha maluca mais apetitosa – sorri, tirando mechas grudadas de cabelo do seu rosto.
  -Vamos embora, acho que precisamos de um banho – Camila fez uma careta, olhando para baixo, e isso me fez rir.
  -Você se lembra disso agora, não é?
  -Eu adoro nossas loucuras – me deu um selinho carinhoso, voltando a ser aquela menina meiga.
  -Eu também, princesa. Mas você vai ser minha ruína.
  -Não, meu amor. Eu já te disse. Vou ser sua linda primeira dama.
   E por incrível que pareça, até por aparentar ser tão fria e calculista. Camila deixava-me emocionada quando dizia isso, pois sentia o poder de suas palavras.
  Beijei-a apaixonado antes de sairmos do banheiro, com nossos corpos denunciando sexo.
   Dinah nos olhou, sorrindo travessa para Camila, enquanto Normani segurava o riso, por medo de ser repreendida. Sorri e fomos nos despedir delas.
   Já com o celular nas mãos, acionei os seguranças para nossa saída, que não foi nada calma.
   Na porta, fomos recepcionadas por dezenas de fotógrafos e repórteres, querendo saber sobre nossa relação.
   Camila se assustou no começo, porém dentro do carro, e já no meu colo consegui acalma-la.
  -Eu avisei que sua mudaria drasticamente, princesa – beijei seus cabelos.
  -E eu disse que não me importaria. Estou com você – ela ergueu seu rosto encarando-me com aqueles olhos chocolates, que me alucinavam. – Eu amo você mais que tudo, Lauren Michelle. E enfrento qualquer coisa por você.
  -Eu também, princesa. Mas quero apenas te proteger.
  -E eu quero ser protegida, mas vamos para casa, agora – ela me abraçou mais.
  -Vamos – apertei o controle remoto, fazendo-a rir – Liam, hoje nós vamos direto para casa.
  -Para casa, amor? – a devassa voltou com tudo, rebolando em meu colo.
   Hoje eu te quero em casa, Karla Camila.
 -Ok, então para casa, Liam – sorrimos felizes e tranquilas, e fomos direto para o triplex. 


Notas Finais


Esporo q gostem desse capítulo. E desculpem qualquer erro de ortografia. Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...