História A Garota Invisível ( Imagine Yoongi - BTS) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Bts, Suga, Yoongi
Visualizações 117
Palavras 1.121
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii Nenis!!

Hora de bugar um pouquinho 😊🙌🏻

Boa leitura 📖

Capítulo 8 - Portas Abertas


Fanfic / Fanfiction A Garota Invisível ( Imagine Yoongi - BTS) - Capítulo 8 - Portas Abertas

Yoongi’s Studio- 03:39 A.M.

 

O silêncio, representava minha solidão, a respiração profunda, tentando encontrar paz interior, os olhos fechados, buscando não enxergar nada além da escuridão, os pensamentos, vagueando por minha mente conturbada.

“Os  momentos em que estamos sozinhos, podem ser assustadores, mas tudo tem seu lado bom, e estar sozinho em algum momento, nos faz encontrar a nós mesmos e ter nossas melhores ideias.”

Essas foram as profundas palavras que Namjoon certa vez me disse, na tentativa de ajudar em uma de minhas recaídas emocionais, que vieram a ter sentido novamente.

Sempre me sinto confortado com as palavras de Namjoon, mesmo que nem sempre sejam de muita ajuda, pois até desvendar o significado de cada vírgula, você desiste na metade.

A cadeira giratória em frente à mesa, a qual já esteve junto à mim durante muitas criações de músicas, agora me aconchegava e aquecia meu corpo.

Ainda com meus olhos cerrados, pude fantasiar Min em minha frente. Sua imagem era tão atraente aos olhos, sua presença, apesar de tímida, era marcante, sua personalidade carinhosa, entretanto, suas palavras acertaram tão fundo em meu coração, que foi impossível não senti-lo despedaçar.

“não posso aceitar que termine essa frase…”

“...ela não pertence a mim…”

Como em um espasmo, pego a caneta, que repousava a tempos ao lado do caderno de composições, limpo de qualquer escritura, e começo a escrever as surpreendentes inspirações que me vinham em mente naquele momento.

 

“If it was for you
I could pretend that I was happy even if I was sad”

 

A letra veio subitamente, pude até escutar o ritmo da melodia em minha cabeça.

 

“Wishing that love is perfect as itself
Wishing all my weakness can be hidden
In a dream where nothing worked out for me”

 

Tudo fazia sentido, as ideias voltando a correr por entre meus neurônios, essencialmente por conta dela, a garota Min, que me deu carinho, atenção, aquela que me fez voltar a ter inspiração, aquela que me deu um…. amor falso?

 

“I'm so sorry but it's
Fake Love, Fake Love, Fake Love”

 

O sentimento de voltar a criatividade era revigorante. Era como se a vida fosse devolvida a mim.

Finalmente, pude ver verdade nas palavras de Namjoon.

Em meio a esse bolo de emoções, fui interrompido pela porta sendo aberta por alguém que não esperava.

-Ah! Me desculpe Min Yoongi… não sabia que estava aqui! - a nova staff diz envergonhada, se escondendo atrás da porta.

-Sem problemas - acalmo a moça, que parecia em pânico - Afinal, o que veio fazer por aqui? - questiono simples, sem demonstrar irritação alguma por ter sido interrompido em meio a minha criação.

-Me mandaram ver se as portas estavam fechadas…. e pelo que vejo, nem todas estavam - solta um riso soprado e sorri.

Bem como me disseram, a moça é muito bonita e sua voz era docemente similar a da garota que tem meu coração, o que me fez sentir confortável e pedir para que entrasse e se sentasse ao meu lado.

Ao puxar uma cadeira e sentar tímida, se encolhendo ali, ela começa a ler as poucas frases que estavam escritas no caderno.

-Poxa… - eleva seu olhar até o meu - … deve estar apaixonado, não é? - solto um riso nasal, sorrio para ela, enquanto coçava minha nuca. - Pelo jeito, acho que sim - gargalha suavemente - Mas, imagino que não seja correspondido… - cessa seu riso e olha para o caderno novamente.

-Acertou em cheio! - verbalizo um pouco triste e fito a mesa, com um olhar perdido. - Mas ainda vai dar certo… eu acho… - levanto meu olhar em direção a moça, mas ao invés de vê-la, vejo Min e esbugalho os olhos assustado.

-Está tudo bem...? - pergunta a garota Min, preocupada.

-O que faz aqui? Não quero falar com você! - esbravejo rudemente, jogando a caneta na mesa.

-Não seja assim… estou aqui para ajudar você! - ela rebate, colocando a mão em cima da minha, que se encontrava repousando no braço da cadeira.     

-O que quer então…? - pergunto em um fio de voz, após fechar e abrir meus olhos lentamente.

-Um beijo! - sorrio de canto ao ouvir tal palavra sair de sua boca e me aproximo lentamente. Uno nossos lábios, sentindo a maciez dos seus. Logo que a vejo fechar os olhos, repito seu ato.

Sem malícia alguma, o beijo durou alguns segundos, até eu vagarosamente abrir meus olhos e ver que Min não estava mais ali, mas sim a nova staff. Me desvencilho do ósculo e a olho assustado, enquanto a mesma abria seus olhos sem entender o que estava acontecendo.

-Me desculpe… eu…- as palavras dificilmente saiam e o rosto ruborizado da garota não ajudava nem um pouco - E-eu… preciso de um pouco de ar… - gaguejo e logo me levanto, saindo depressa da sala, batendo a porta ao sair, assim deixando a pobre moça, que não tinha culpa alguma, para trás.

Andando como um raio pelos corredores, para chegar a saída da empresa, sou parado pela presença da garota Min em minha frente.

-Como veio parar aí? - pergunto bufando

-Andando! - responde, odeio quando suas respostas são óbvias, logo cruzando os braços e começando a me analisar - Você está bem? Está um pouco vermelho nas bochechas e ofegante? Onde está indo? - foi a vez dela de me encher de perguntas, como nunca antes fez.

-Bom… acabo de ter uma visão sua em meu estúdio e acabei beijando a nova staff por isso! E, estou indo tomar um ar fresco, para TENTAR espairecer! - devolvo a resposta, como se fosse algo óbvio, contudo, estava sendo grosso e deveras estúpido. Estava de cabeça quente, então sem pensar acabou fazendo a maldita pergunta novamente. - Você é mesmo real? - fito profundamente seus olhos, conseguindo ver suas lágrimas se formando. Seguidamente, ela se vira e segue corredor afora, me levando a esbravejar, batendo meu pé com força no chão, e sair correndo atrás dela. - MIN! - grito ao vê-la saindo pela porta principal da empresa. - MIN!! ESPERA! - o arrependimento tinha tomado conta de mim, não queria magoá-la, muito menos vê-la chorando de novo por minha causa, mas o pior estava apenas por vir.

Enquanto descia, ofegante, as escadas em frente a empresa, pude vê-la atravessar a rua e parar no meio da faixa de pedestres, assim virando seu corpo em direção a mim e levando seu dedo indicador até seus lábios, indicando silêncio.

Apenas tive tempo de parar na calçada e ver um ônibus passar por seu corpo, e juntamente, uma lágrima escorreu por meu rosto, me levando a fechar meus olhos com força e sentir uma dor em meu peito.

.

.

.


Notas Finais


E aí?
Espero que tenham bugado, por que até eu bugiei na hora de escrever 😊 hahahha

Qualquer sugestão ou dúvida é só comentar 😉

Obrigada (o) por ler


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...