1. Spirit Fanfics >
  2. A princesa perdida >
  3. A balsa

História A princesa perdida - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente, tudo bom? Bom, nesses tempos de quarentena o melhor que nos resta é se distrair, não é?
Então aqui vai um cap novo pra vocês ♥
Espero que gostem ♥


Trilha sonora do cap: League of Legends - Awaken ft. Valerie Broussard

Capítulo 7 - A balsa


Fanfic / Fanfiction A princesa perdida - Capítulo 7 - A balsa

Sentir o a balsa balançando de um lado para o outro podia ser desconfortável para alguns, mas Sakura via aquilo como algo relaxante que a fazia esquecer-se um pouco do nervoso que andava sentindo por ter que encontrar-se com a duquesa Hyuga. Naruto dizia que a princesa Haruno e Hinata eram muito próximas, certamente foi por isso que a grã-duquesa a encarregara de conhecer as candidatas a princesa.

Encarou a pequena janela em forma de círculo ao lado de sua cama, vendo as águas agitadas das ondas do mar. Estava com medo. Por mais que tentasse manter os pés no chão, a ideia de que talvez ela pudesse realmente ser a princesa encheu-a de esperanças... Não queria riqueza, não queria um título, ela só queria uma família. Queria conhecer seu passado, descobrir o porque foi parar naquele orfanato... Porque ninguém nunca foi busca-la? Ela era amada? Eram tantas perguntas, tantas perguntas... mas nenhuma delas seria respondida se quando Hinata a olhasse, dissesse que ela não era a princesa, e se isso acontecesse... quem ela era então?

- Sah, está ouvindo? – Naruto chamou sua atenção, despertando-a de seus devaneios.

- An? O que? – ela encarou o Uzumaki, notando seu ar irritado enquanto fechava com força seu livro de capa marrom.

- Você tem que se concentrar – pediu, suspirando em seguida – Escute, eu só quero que você se saia bem na entrevista com a Hinata, entende? Ela pode perguntar coisas sobre a família Haruno, algum nome de parente e... bem, você não decorou nada disso.

- Eu sei, eu sei – fez uma careta – Eu só... desculpe, não consigo pensar em nada agora. Mas vou me esforçar.

- Está bem – o loiro se aproximou, entregando o livro para a garota – Tente decorar ao menos os nomes dos parentes maternos, são bem menos pessoas.

Sakura encarou o livro, abrindo-o aleatoriamente. A imagem da arvore genealógica da família real a encarou, e bem ao lado do nome Sakura Haruno, estava o nome Again Haruno.

- Hum, esse era o príncipe, certo?

- Sim, falamos sobre ele a alguns dias, não se lembra? – Naruto sentou-se ao seu lado – Ele era mais velho que a princesa, o pobre homem estava pronto para assumir parte das responsabilidades da família quando tudo aconteceu...

- Oh – ela murmurou sentindo seu peito ficar apertado – Todos morreram, não é? O rei, a rainha e o príncipe...

Naruto arqueou as sobrancelhas e encarou a garota, sentindo o pesar em suas palavras.

- Sim, infelizmente – assentiu – Mas isso faz muito tempo – levou suas mãos as dela – Se você for mesmo a princesa, não terá seu pai, mãe e irmão com você, mas terão outros membros da família real prontos para te receber.

- Acredita mesmo que isso pode ser verdade? – suspirou.

- Claro que sim – sorriu – Sah, você tem que acreditar também. Assim que chegarmos a Osaka, Hinata vai confirmar tudo, tenho certeza.

- Espero que sim, porque se não for eu... não sei mais por onde mais procurar.

Ambos ficaram quietos por um longo tempo, Sakura correu seus olhos pelo quarto, vendo Sasuke deitado em um colchão no chão junto com Ichin.

- É incrível como ele consegue dormir em qualquer lugar – Naruto resmungou – Sei que eu provavelmente já disse isso, mas é que realmente fico impressionado – deu um breve riso, tirando seus sapatos e subindo na beliche – Sempre gostei de dormir nas camas de cima – comentou ajeitando-se entre os lenções – Você não vai se deitar?

- Ah – pensou um pouco torcendo o nariz ao encarar o livro em suas mãos – Acho que vou estudar mais um pouco antes de ir.

- Está bem, não esqueça de apagar o lampião quando acabar – o loiro avisou virando-se na cama.

Sakura apenas assentiu, e voltou a observar aquelas imagens a sua frente. O futuro estava começando a assusta-la. E inconscientemente a vontade de desistir de tudo começava a aflorar em seu coração.

Mal se deu conta quando adormeceu, ali mesmo na poltrona do quarto, com o livro da família real em seu colo.

 

 

Sentia-se ridículo por ter de ficar ali parado esperando o momento certo para atacar novamente. Ele era um ser poderoso, não um violãozinho qualquer. Era humilhante, humilhante ter deixado que aquela garotinha o derrotasse mais de uma vez.

Decidiu então fazer seu último ataque. Sabia que Sakura não estava em terra firme, então manipulou as águas dos mares do Japão formando uma tempestade jamais antes vista. Não importava aonde Sakura estivesse, não importava se ela estava junto com aqueles outros dois rapazes ou não. Ele a mataria naquela noite.

Fez um sinal c9m as mãos, e um brilho verde surgiu delas, iluminando todo o covil.

- CRIATURAS DOS MARES, EU INVOCO VOCÊS! SERES MONSTRUOSOS DO SUBMUNDO – berrou – MATEM A GAROTA E QUALQUER UM QUE ESTEJA COM ELA, AGORA!

 

 

Sasuke tentava a anos esconder que tinha pesadelos todas as noites, pesadelos que envolviam o dia em que o palácio havia sido atacado, a última vez que havia visto a princesa, o dia em que tudo havia ido por água a baixo.

Depois que o palácio foi destruído, poucas pessoas tiveram coragem de voltar, quer dizer... familiares dos que não escapam, afinal o numero de mortos tinha sido exorbitante. Sasuke por outro lado foi o primeiro a pular os muros da residência real, na esperança de encontrar sua amiga escondida em algum lugar. Os boatos que a grã-duquesa foi a única encontrada estavam começando a deixa-lo em pânico, e não conseguia acreditar que aquela baboseira fosse verdade.

Caminhou pelos grandes salões, pelos aposentos, e nada. Naquele dia Sasuke chorou como nunca, era real, ele jamais veria Sakura Haruno novamente.

Depois disso vieram as dificuldades financeiras. Sua família tinha origem pobre e por mais que não fosse o trabalho de seus sonhos, o salário como ajudante de cozinha colocava comida na mesa, já que seu pai estava doente e seu irmão nem sempre conseguia tirar um bom dinheiro no comercio de peixes.

Quando completou dezessete anos, já estava cansado de viver daquela forma, como um simples aldeão, Sasuke disse ao seu irmão mais velho que iria atrás de fortuna, que mandaria dinheiro sempre que possível para os pais, e só pedia para que esperassem por ele, porque ele voltaria, e nesse dia a família Uchiha jamais passaria fome novamente.

 

Remexeu-se na cama, abrindo os olhos em seguida. Pesadelos, aqueles malditos pesadelos. Olhou em volta, vendo Sah adormecida na poltrona próxima ao seu colchão e encarou a garota surpreso. Porque diabos ela estava dormindo ali? 

Levantou-se deixando os lenções de lado, e ignorando os múrmuros de Ichin. E caminhou até a garota, vendo um dos livros de Naruto em seu colo.

- É, pelo menos você anda se esforçando – murmurou em um quase sussurro, abaixando-se e pegando-a delicadamente no colo.

Sah era realmente muito bela, uma flor com alguns espinhos sem dúvidas, mas bela para aqueles que sabiam admirar. Por trás daquela língua afiada e marrentisse estava uma garota doce, ele sabia disso, já havia visto esse lado dela no dia em que dormiram juntos na estalagem. Aquela fora a única vez depois de anos em que não teve pesadelos, e o que aquilo significava? Bem, ele preferia não pensar muito sobre.

Sah era um perigo para sua sanidade e seus planos futuros, e por mais que tentasse negar qualquer atração que tivesse por ela, estava ficando cada vez mais difícil conviver ao seu lado sem poder toca-la, ao menos do jeito que queria, do jeito que imaginava. 

Colocou a rosada sobre o colchão que estava dormindo a pouco, já que era a cama mais próxima de onde estavam e a cobriu. Espreguiçou-se e nas pontas dos pés, caminhou até a porta e retirou-se do quarto.

A chuva forte ainda podia ser ouvida do lado de fora, e a balsa balançava de um lado para o outro, o fazendo não conseguir caminhar em linha reta.

- OH CÉUS! – pode ouvir um grito vindo do andar superior da embarcação.

Sem pensar duas vezes, subiu as escadas e sentiu a chuva forte começar a encharcar suas roupas.

O dono da balsa estava a alguns metros, tentando segurar o leme da balsa com todas as suas forças.

- OH! RAPAZ, AJUDE AQUI – o homem pediu assim que viu o Uchiha se aproximar – O tempo não está nada bom, se não impedirmos o leme, sairemos do curso.

- Essas aguas são sempre assim? – Sasuke perguntou ajudando o senhor, que já parecia muito exausto.

- Não! Isso nunca tinha acontecido antes – ele explicou em pânico – Essas águas normalmente são calmas, em mais de trinta anos de trabalho eu nunca havia visto uma tempestade se formar por aqui.

Sasuke bufou pensando em como era um completo fodido, justo agora aquilo estava acontecendo!? Nem mesmo a natureza estava dando uma trégua a aquela viagem. Talvez o universo estivesse começando a cobra-lo pelos inúmeros golpes que havia dado em milionários durante a vida, fazendo-o pagar seus pecados, só poderia ser isso.

As cordas de uma das velas se soltou, fazendo a mesma balançar de um lado para o outro e ter um efeito nada bom na embarcação, que forçou o leme ainda com mais força, jogando Sasuke e o outro homem para longe.

O Uchiha levantou-se com dificuldade, sentindo-se tonto já que havia batido o nariz no chão e agora seu rosto começava a pingar sangue.

- Mas que merda – praguejou.

- Rapaz, você está bem? – perguntou o senhor preocupado.

- Estou sim! Tente parar o leme, eu vou amarrar novamente a vela.

 - Cuidado rapaz, esse mar está muito violento – avisou.

 

 

Sakura despertou sentindo um cheiro amadeirado impregnando ao seu redor, era bom, muito bom e bem familiar. Abriu os olhos notando que estava deitada no colchão de Sasuke, mas não havia nem sinal dele ali.

A balsa estava balançando mais do que antes, o que a deixou atordoada. Trovoes gritaram nos céus, e ichin começou a latir de medo.

- Aonde o Sasuke se meteu? Está um tempo horrível pra se ficara andando por aí – ela murmurou levantando-se em um salto e saindo porta afora. Ichin ainda assustado encolheu-se em meio aos lenções e começou a choramingar na tentativa de chamar a atenção de Naruto, mas o loiro estava em um sono tão profundo, que era possível que até se a balsa afundasse, ele nem ao menos notasse até sentir a água em seus pés.

 

Sakura correu pelos corredores da embarcação até o andar superior, vendo a chuva e o mar em colapso. Olhando ao redor pode ver uma figura conhecida subindo pelo mastro da balsa com uma corda na mão.

- SASUKE! – ela berrou assustada – SAI DAÍ, SEU MALUCO! – berrou mais uma vez, mas ele não parecia estar ouvindo.

Uma onda enorme veio em direção a balsa, e Sasuke não conseguiu se segurar a tempo. As águas o jogaram para o outro lado, para fora do barco, mar adentro.

- SASUKE! – ela correu até a borda da embarcação, vendo o moreno se debater nas águas.

- Garota! – o senhor dono da balsa jogou para ela uma corda – Jogue pra ele!

Sakura encarou novamente o Uchiha, vendo-o quase perdendo a consciência.

- Ele não vai conseguir – pensou um pouco, e então amarrou a corda na própria cintura e a outra ponta em uma das pilastras da balsa.

- Espere! – o homem jogou uma faca pra ela – Nunca se sabe os animais que estarão em baixo dessas águas!

Respirou fundo uma, duas, três vezes. E correu, correu e pulou do barco.

Seu corpo se chocou contra a água, e por um momento ela achou que morreria de frio.

- Sasuke!

Ela tinha que encontra-lo.

Nadou na direção aonde havia visto o rapaz se debatendo a pouco, e ficou chocada com o que viu a seguir.

Aquilo eram criaturas? Monstros marinhos? Ela não sabia, e teve medo, muito medo. Os animais cercavam Sasuke, como se estivessem prontos para dar o bote, com seus tentatulos e dentes afiados.

Foda-se, se fosse pra morrer, que morressem logo os dois de uma vez. Ela não o abandonaria, não abandonaria a pessoa que salvou sua vida.

Nadou em direção ao Uchiha apertando com força a faca em suas mãos, notando que tinha chamado a atenção dos monstros, que agora a encaravam de forma assustadora.

Se desviou do ataque dos tentáculos de uma das criaturas, atacando-a com a faca e fazendo-a recuar, até finalmente conseguir alcançar Sasuke. Segurou-o com firmeza e deu impulso para que subissem para a superfície. Ela tossiu forte, estava quase sem ar. Um dos monstros com tentáculos tentou uma nova investida, mas uma forte onda caiu sobre eles, fazendo não só Sakura e Sasuke afundarem novamente como os monstros serem afastados.

- Sasuke! Acorda, por favor – ela pedia em pânico tentando nadar de volta em direção ao barco – SASUKE!

 Tentáculos surgiram na superfície da água e desceram com força na direção dos dois. Fazendo a corda que segurava a rosada se soltar de sua cintura.

- MAS QUE MERDA! – tinha que pensar, e pensar rápido.

Aumentou as braçadas contra a correnteza com dificuldade, já que tentava a todo custo deixar Sasuke na superfície para não engolir mais água.

- SAH! – ela ouviu alguém a chamando, e olhando ao longe conseguiu reconhecer a cabeleira loira de Naruto, que acenava pra ela da balsa.

- NARUTO! – ela conseguiu pegar a corda novamente.

Dessa fez mais tentáculos surgiram e Sakura só teve tempo de amarrar a corda ao redor de Sasuke e berrar.

- NARUTO, PUXA A MERDA DA CORDA! – o Uzumaki assustado com toda aquela situação apenas obedeceu, puxando a corda o mais rápido que pode, com a ajuda do dono da balsa

Sakura viu Sasuke se afastando, sentindo mais aliviada, mas quase foi atingida por um dos tentáculos. A força do ataque a vez afundar, e seu coração quase parou ao dar de cara não mais com criaturas medianas, mas com criaturas gigantescas encarando-a com aqueles olhos enormes e vermelhos, muito parecidos com os olhos da coisa que havia a atacado na praia.

- SAAAAH! – Naruto berrava enquanto tirava Sasuke da água- CÉUS! NÃO!

O senhor correu em direção a algumas caixas que haviam sobrado perto do leme, e voltou segurando quatro minas de dinamite.

O Uzumaki encarou aquilo assustado.

- O que vai fazer, velho? – perguntou –  A minha amiga está lá, você não vai jogar isso com ela ali!

- Vou jogar do outro lado – avisou – Espero que a claridade disso faça esses demônios do mar se afastarem.

- Eu vou entrar na água – ele tirou a corda presa ao amigo e começou a se arramar nela, mas o senhor o impediu.

- Não seja burro, isso não vai ajudar em nada! – acendeu a primeira dinamite com dificuldade devido à chuva, jogando-a com força para o lado oposto aonde havia visto a garota afundar – Se preocupe em salvar o seu amigo, ele deve ter engolido muita água!

 

Sakura estava começando a perder as forças, nadando na direção oposta dos monstros, quando um clarão a deixou momentaneamente cega.

Os monstros soltaram um grito parecido com um apito alto, e começaram a se afastar.

Era sua chance de fugir. Emergiu nas águas, dando graças aos deuses por estar bem mais perto da embarcação do que imaginava.

- Naruto! – chamou cansada, sentindo seus músculos fatigarem e suas forças se esvaírem. 

Quando estava prestes a perder a consciência, sentiu uma mão a puxando para cima e então tudo ficou escuro.

 

 


Notas Finais


Então é isso por hoje gente, o que será que vai rolar agora? Não sei, não sei kkkkkk'
Enfim, até aproxima! Se cuidem direitinho, galera que mora nas areas de maior risco (que o virus está se propagando mais) cuidado redobrado tá? Fiquem bem ♥
Logo, logo tem mais ♥
Beijos ♥

Trilha sonora do cap:
https://www.youtube.com/watch?v=rAu3q4goZow&list=PLRscI1cGNmh_s7vPF1er0OkY-fXR6q_QK&index=13


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...