1. Spirit Fanfics >
  2. A Psycho Love >
  3. A beira da insanidade

História A Psycho Love - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oii,

Gente desculpa pelos erros no primeiro capítulo, meu corretor me odeia e eu sou lerda, não prestei atenção

Bom, vou enrolar não
Boa leitura ❤️

Capítulo 2 - A beira da insanidade


Fanfic / Fanfiction A Psycho Love - Capítulo 2 - A beira da insanidade

Sn~

Meu coração acelerou e minha garganta de fechou, o olhar dele sobre mim era extremamente amedrontador, pela primeira vez depois de anos senti medo de um paciente. Tento disfarçar meu medo e permaneço encarando ele

- vamos me diga, cuidado com o que?

- as pessoas ao seu redor, seu ciclo de amizades e com quem anda... Nem todos são o que aparentam ser

- o que dizer com isso? - ele fecha os olhos me oferecendo o braço para que aplicasse o remédio, suspiro fundo e pesado assim fazendo com cuidado e atenção, em seguida, descarto o que havia usado e saio dali com a bandeja em mãos - qualquer coisa, peça para que me chamem ok?

- ok - ambos dizem sem se olhar e saio dali indo até minha sala, a tensão tomara conta de meu corpo, o que caralhos voadores ele quis dizer com isso? Sera que ele me conhece? Ou... Aish, pare de fantasiar S/N, parece uma criança com a imaginação fértil. 

[...]

Ouço a campainha tocar, tomo um pequeno susto pois estava sozinha em casa, me levanto indo atender a porta, olho pelo olho mágico e era Jungkook, Taehyung s Hoseok ambos com sacolas nas mãos, sorrio e abro a porta 

- oi, entrem - digo sorrindo dando passagem pra eles, kook me dá um selinho demorado antes de entrar me fazendo ficar mais boba ainda, fecho a porta e sigo com eles até o sofá

- gente, por que tu tem que morar justo no último andar em pinguelo de salamandra? - rio da fala do mesmo 

- era o único disponível, e o elevador tá quebrado, isso aí eu não tenho culpa não 

- deve ter sido aquele gordo insuportável do teu vizinho, grr - Hobi diz num tom bravo um tanto engraçado me fazendo rir 

- e então, o que trouxeram? - digo bisbilhotando as sacolas nas mãos dos mesmos 

- bixin curioso meu Deus - kook diz dando um tapinha em minhas mãos - são algumas gordices pra gente, eles iam lá em casa pra gente ficar de bobeira, porém, trouxemos tudo pra cá

- uuh, tendi tendi - ficamos ali conversando aleatoriamente, a cada minuto trocavamos de assunto, Taehyung estava reclamando de fome e do nada Hoseok começou a falar da vez em que o namorado ( Taehyung ) deu uma bola fora com ele na cama por conta da fome o que me fez gargalhar 

Já sei! 

Levo um pequeno susto com meu subconsciente que surgira do nada com vários papéis em mãos, ela os joga tudo na mesinha onde havia uma xícara de chá e uns biscoitos, bufo fraco e disfarçadamente

Ele disse a respeito das pessoas que estão ao seu redor certo? De alguma maneira, ele te conhece e se, ele estiver se referindo ao seu relacionamento?

Reviro os olhos tentando não dar atenção para o que a mesma dizia

- amor? - volto a atenção pro Kook - você tá bem? Tá meio distraída 

- ah, estou sim só estou pensando em umas coisas, bobagem - sorrio de lado

- vamo ver um filme? - Tae pergunta animado

- bora, vou por na Netflix - digo procurando pelo controle da tv em algum canto da sala de estar 

- eu vou fazer a pipoca 

- e eu vou ajeitar essas gordices - Kook e Hoseok foram pra cozinha, Tae fica sentado no mesmo lugar meio pensativo, acho o controle e sento ao lado dele

- você tá bem? - pergunto cutucando a bochecha do maior

- ah, estou, só estava pensando em umas coisas

- e oq seria? 

- o Hobi, tá meio distante... Ele o Kook andam saindo bastante, nos dias que você nao estava por perto por conta do trabalho, eles saiam pra se distrair porém, nenhum dos dois me chamavam - suspiro de leve, então Jungkook sai sem mim e sem me avisar? Não quero parecer a namorada ciumenta e surtada mas... Poderia pelo menos me avisar pra onde vai... 

- ei, pq não conversa com ele? Diz a ele que ultimamente está se sentindo sozinho, fala pra ele que quando ele quiser, vc vai estar disponível, só não guarda pra você, e outra, tenta entender o lado dele também - dou um beijinho na bochecha dele o fazendo sorrir ladino - escolhe o filme aí, eu vou ao banheiro e já volto - deixo o controle com ele e vou até meu quarto.

Uso o banheiro e volto, sem querer, esbarro em minha escrivaninha e derrubo uma pasta, me agacho para recolher e vejo uma foto, nessa foto, havia uma família, uma moça, um cara alto e mal encarado, e duas crianças, um garotinho e uma garotinha, junto tudo e fico analisando a ficha, percebo que era a ficha de Namjoon, suspiro pensando enquanto encarava a foto. Bom, claramente sua infância não fora fácil, pois quem olha essa foto, claramente enxerga isso, um pai mal encarado com um olhar bêbado, uma mãe claramente amedrontada, um filho com ódio do pai e com dor pela mãe e irmã e a garotinha apenas não entendia nada, amanhã preciso conversar com Namjoon a respeito disso. Guardo a pasta e volto até os meninos que já estavam todos na sala, Tae e Hoseok em um sofá abraçadinhos com um balde de pipoca em mãos e kook no outro me esperando 

- pode dar play - digo me sentando ao lado de kook que me aconchega em seus braços - depois preciso conversar com você - sussurro de maneira que só ele ouvisse, o maior apenas assente com a cabeça em concordância

[...] 

Os meninos haviam ido embora, eu e kook já tínhamos organizado tudo e estávamos nós preparado para dormir. Suspiro pesado pensando mil vezes em como iniciar aquela conversa sem parecer ciumenta e controladora

- o tae tá meio mal... - ele me olha sentando na cama

- e porque? 

- ele me disse que o Hoseok está distante, que você e ele estão o afastando

- oxe, ele disse isso? E porque ele acha isso?

- ele me disse que vocês andam saindo bastante sem chamar ele, e isso me deixou com uma pulga atras da orelha, porque não me disse que estava saindo? 

- não via necessidade, você nunca exigiu isso

- realmente, não gosto de ser controladora nem nada mas... Poderia ter me avisado, você sempre fez isso, mesmo que eu estivesse no trabalho... Só fiquei meio sei lá em saber disso... - ele segura minha mão me puxando para perto dele devagar 

- me desculpa gata, é que eu realmente não vi necessidade, tava com o Hoseok, a gente saía as vezes para distrair um pouco a cabeça e era ele quem me chamava pois estava mal ou tenso com algo - ascenti fraco com a cabeça o olhando, suspiro pesado pensando no que meu sub havia me dito anteriormente mas logo tento afastar 

- bom, sem problemas, vamo dormir vai, eu tô morta de cansaço - dou um selinho nele e nos deitamos agarrados um ao outro adormecendo 

[...]

Acordo no susto com um barulho de gritos vindo do corredor da entrada, me viro e kook não estava lá, suspiro pesado e vou até o hall vendo o mesmo discutir com o vizinho, bufo e vou até eles 

- eieieiei, oq que está acontecendo aqui?

- esse mané que ligou a merda de uma furadeira 07:30 da manhã e acha que é certo - meu deus, eram 07:30 da manhã e já tava rolando briga, bufo

- esse seu namoradinho que é surtado 

- surtado? O senhor que é louco e esquece que mora em um prédio

- aish, chega vocês dois, kook, não vale a pena e você Sr. Robert, por favor, tenha um pouco de senso, não quero denunciar o senhor ao síndico por pertubacao do silêncio plenas 07:30 da manhã - ambos bufão, kook entra de volta e eu tbm - logo cedo... 

- desculpa amor não queria que acordasse - ele acaricia meu rosto 

- tudo bem... Agora perdi o sono, vou fazer café pra gente 

- não precisa, eu vou ter que sair 

- mas já? 

- minha mãe me ligou e pediu que eu fosse lá em casa,ela está com uns problemas com meu pai e meu irmão, pediu ajuda 

- ah, tudo bem então, achei que fossemos passar o dia juntos - digo meio triste 

- me desculpa bebê - ele beija minha testa e pega suas coisas saindo, me jogo no sofá suspirando 

- minha vida é um saco 

E você é corna 

- o que vc quer hein? Logo cedo me pertubar? 

Não, só expondo fatos

Bufo, chacoalho a cabeça tentando afastar a peste e me levanto indo me arrumar. Já que não tenho nada pra fazer, vou aproveitar para saber mais sobre Namjoon. Pego meu caderno, minha bolsa e a ficha dele e saio de casa indo em direção ao hospital. Se a infância dele fora realmente como eu havia deduzido, certamente isso fora mais um dos motivos dele ser daquela maneira e estar onde está hoje, será? Talvez seja só mais uma dedução sem nexo ou não. Odeio ficar sem entender as coisas, isso ia contra meus meios profissionais. 

Assim que cheguei ao hospital, vou direto de encontro com Namjoon, minha curiosidade estava me matando, minha vontade era de interroga-lo mas isso contra os princípios da psiquiatria, o que me deixou com mais raiva ainda. Entro em seu quarto e o vejo apoiado a janela gradeada, suspiro e me sento na poltrona ao lado da cama do mesmo

- Bom dia doutora - ele diz sem me olha

- bom dia Namjoon, como foi sua primeira noite aqui? 

- ótima

- que bom, eu preciso conversar com você 

- sobre?

- sua história, para que eu possa te ajudar, preciso te conhecer, saber o que te trouxe aqui - ele suspira pesado e caminha lentamente de um lado para o outro pelo quarto com os braços cruzados até que por fim se senta na cama me olhando - e então?

- já que quer tanto saber, eu te conto - yes, pensei comigo mesma - como já deve saber, tenho um longo histórico de clínicas desde os 22 anos - ascenti com a cabeça prestando total atenção em cada palavra que ele dizia - o porque? Bom, minha vida era perfeita, parecia novela, até o dia que meu pai matou minha irmã e minha mãe, ele tinha psicopatia, síndrome do Pânico e distúrbio emocional, e sempre que ele surtava, fazia alguma besteira e da última vez, foi matar as duas diante dos meus olhos - eu estava pasma, de fato, não era nada do que eu havia deduzido anteriormente, era ainda pior - e quando ele veio pra cima de mim, eu fiz a mesma coisa, o matei, e senti prazer naquilo, o sangue dele em minhas mãos me fazia sorrir e era satisfatório vê-lo agonizando com a faca cravada ao peito - me arrepio inteirinha ao vê-lo sorrir enquanto contava aquilo, meu coração já batia mais que tambor de macumbeiro, minhas maos soavam frio e eu não tinha reação 

- e... Como veio parar aqui? 

- minha namorada... A desgraçada me denunciou como agressor, disse pra polícia que eu já tinha alguns problemas mentais, o que não era verdade

- e você a agrediu? 

- não, ela queria praticar BDSM, eu concordei mas pra ela, eu exagerei, e fui diagnoticado com retardo após vários testes - o mesmo suspira e seu olhar negro toma conta de seus olhos, e lá estava eu tendo um ataque do coração denovo 

- eu ainda tô tentando ligar tudo isso que vc tá me contando mas não vejo como, nada nesse quebra cabeça se encaixa... - digo baixo 

- realmente - ele me olha e permanece me encarando, faço o mesmo embora estava com medo, era quase impossível desviar de seu olhar, era amedrontador mas ao mesmo tempo me mantia fixada nele - doutora, já sentiu como se beirasse a insanidade?

- olha... Sinceramente? Sim, tratar com problemas internos dos outros é complicado - me vi falando automáticamente e paro ao perceber - eu... Preciso ir... - saio dali as pressas

Meu Deus, eu ainda estava chocada com o que Namjoon havia me dito. Seu olhar só confirmou sua história, quem sente prazer em matar o próprio pai? Sei que foi por merecer mas mesmo assim, ele nem se deu ao trabalho de dizer que foi em legítima defesa, e sim, por prazer. Sinto um arrepio na espinha, aperto o passo saindo da ala psiquiatrica e me trancando em minha sala. Anoto tudo o que me fora dito pelo loiro em meu caderno, cada vez mais me interessava por aquilo, embora fosse um local perigoso, parecia mais um jogo de xadrez onde minha peça se encontrava em cheque, eu de fato não sabia o que fazer. A aproximação que tive hoje fora boa, mas, o final, o que ele me perguntou, por que? Estava claro em seus olhos que já havia caído de súbito na insanidade mas, por que a pergunta a mim? Cada vez surgiam mais dúvidas em minha cabeça

Jajá você está como o tal médico que surtou depois de uma sessão com ele 

Meu subconsciente ria em tom de deboche enquanto bebericava algo em uma xícara o que eu deduzi ser um café, suspiro pesado 

- insanidade... 



Notas Finais


Gente, eu tava meio sem criatividade como podem ver
Não sei se ficou bom mas espero que sim
Espero que estejam curtindo e se tiverem dicas a dar, podem falar, eu aceito todas :)
Desculpem pelos erros ortográficos
Amo vcs❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...