História Abraço - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Haikyuu!!
Tags Kagehina
Visualizações 93
Palavras 615
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fluffy
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu comecei a ver Haikyuu e me apaixonei por vôlei?????? E kagehina porque inimigos pra amigos pra namorados é a dinâmica que nós merecemos. Eu não sei muito sobre vôlei então eu não sabia se tem rotação depois de cada ponto ou ?? eu só joguei volei no fundamental e meio que por obrigação então não lembro de nenhuma regra heakrasdjh desculpa se tiver algo muito ??

Capítulo 1 - Vitória


Nishinoya sentiu uma gota de suor escorrer por sua têmpora. Seus joelhos perfeitamente flexionados, ele estava preparado. Do outro lado da rede Oikawa sorria, aquele mesmo sorriso debochado de sempre. Quicou a bola uma, duas, três vezes. O apito soou. Seu sorriso morreu, as feições agora sérias. Respirou fundo e segurou a bola firme com as duas mãos, lançando-a para cima e pulando para sacar.

O coração do pequeno líbero disparou, a sensação era a mesma de tomar uma injeção de adrenalina diretamente em alguma artéria. O matchpoint era da Seijoh, se ele perdesse essa bola…

A pressão parecia apertar-lhe o pescoço, sufocando-o. Ela vinha em sua direção, exatamente em cima de si, seus olhos vidrados, em um milésimo de segundo, ele viu uma rotação quase imperceptível, ela iria para a esquerda. Oikawa rangeu os dentes em raiva quando viu a mão de Nishinoya salvar seu saque. O peito de Yuu ainda arrastava no chão quando Daichi lançava a bola diretamente para as mãos de Kageyama.

“Bola de chance.” Daichi gritou, sua voz era pesada, carregada de nervosismo. Os jogadores de Seijoh estavam preparados para defender a cortada do número dez, quando foram surpreendidos pelo ataque de fundo. Kageyama havia lançado lançado bola para Asahi. O bloqueio subiu, mas o ataque havia sido tão agressivo que passou diretamente pelos braços compridos estendidos sob a rede e bateu no chão com um estrondo alto. A plateia vibrou, Ukai levantou do banco com as mãos no rosto e o Karasuno permaneceu mudo.   

O saque de Iwai foi facilmente recebido por Asahi. O ginásio estava quase silencioso, apenas preenchido pelo barulho dos tênis e do couro. Kageyama recebeu a bola, seus olhos diretamente na direção de Hinata, eles se encararam ferozmente em um segundo que parecia uma eternidade. Hinata correu para o outro lado da quadra e fechou os olhos, flexionando os joelhos e dando o maior salto que conseguia com suas pernas já doloridas pela exaustão.

Ele sentiu a bola bater na sua mão, os olhos ainda fechados, ele podia somente sentir o vento gelado na sua pele suada. Quando abriu os olhos, a bola havia atingido o chão tão forte quanto uma pedra.

O som do apito soou longo, mas logo se tornou mudo nos ouvidos do garoto.

Hinata olhou para Kageyama e recebeu um olhar de volta, lentamente, os dois abriram um sorriso. Sem pensar sobre mais nada, Hinata correu para seu amigo. Todo o ginásio vibrava, podia ouvir as vozes agudas das garotas do time feminino, embargadas, atrás deles na platéia. Ouviu Sugawara gritando do banco e viu Daichi caindo de joelhos e podia jurar que seus olhos estavam marejados.

Quando finalmente jogou seu corpo contra o de Kageyama, sentiu os braços longos abraçando sua cintura e seus pés não tocavam mais o chão. Hinata colocou as mãos nos ombros do levantador e gritou alto, ouvindo abaixo de si a risada engraçada de Tobio.

Todos os olhares do ginásio estavam sob o par da Karasuno mas, imersos na alegria de finalmente vencer contra a Seijoh e o calor que irradiava um do outro, não havia tempo para que se sentissem constrangidos. Aquele momento era deles, a felicidade e adrenalina transbordava em cada poro de cada centímetro da derme e seus corações pulavam tão rápidos e fortes, pela vitória e talvez algo a mais, algo só deles, que ninguém precisava saber. Aquele abraço, suas cortadas e levantamentos, sua parceria, a sensação de ser invencível quando estava com Kageyama na quadra e ter alguém que confia plenamente em você, e vai sempre estar lá para receber o seu passe, para que a bola não caia no chão. Aquilo tudo era somente deles e de mais ninguém.

 


Notas Finais


Amém.

Desde quando eu vi esses dois eu fiquei pensando neles vencendo e se abraçando de urso porque na hora da adrenalina e emoção ninguem lembra de ter vergonha então eh isto obg por ler beijo <3

(se quiser conversar meu twitter é @ssatouz)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...