1. Spirit Fanfics >
  2. After You (Imagine Jeon Jungkook - BTS) >
  3. Velhos tempos

História After You (Imagine Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia
Boa tarde
Boa noite, como meus amoores estão? ❤️

Estou de volta, na maior cara de pau, depois de um tempão com capítulo novo pra vocês kajskaj, e como prometido, aqui vai mais 3 mil palavras pra vocês, um cap bem grande e cheeeio de emoções. Não tenho muito o que dizer hj então, apenas espero que gostem!

É isso meus amores, aproveitem o capítulo de hoje e estarei de volta em breve.
Tenham uma boa leitura, e até as notas finais! 🌻💙

Capítulo 16 - Velhos tempos


Capítulo 16 — Chapter Sixteen. 

Jeon Jungkook POV’S 

— Não perca seu tempo com ameaças inúteis, Scarlett! — Olhei para Yumi preocupado dela acordar e ver essa briga toda, Clark me mataria se soubesse. — Apenas saia da minha sala antes que eu chame os seguranças para você. 

— Ameaças inúteis? — Riu debochada. — Você não me conhece, Jeon Jungkook, eu sou pior do que você imagina! — Ela falava como uma sádica, mas não me assustava de forma alguma, eu me mantinha sério encarando a loira a minha frente. — Boa sorte com sua nova família de merda! — Saiu da sala fechando a porta de vidro com força, que por ser bastante resistível, não se quebrou com o impacto. Mas acabou assustando Yumi.

Olhei para a mais nova que começou a se mexer enquanto passava as mãos pelos olhinhos, parecendo se espreguiçar. 

— Mamãe... — Resmungou. — Mamãe! — Começou a chorar e eu me levantei rapidamente indo até ela.

— Calma... Calma, Yu. — Tentei acalma-la me abaixando ao lado dela. 

— Titio? Ah é, eu tô aqui. — Comentou me fazendo rir de sua carinha confusa de sono. — Quando vamos ver minha mamãe? 

— Daqui a pouco, meu amor. — Falei acariciando seus cabelos. Os olhos de Yumi são tão pequenos e negros, se meus pais a vissem, com certeza diriam que ela é a minha versão feminina, pois parece muito comigo quando eu era criança. Suas bochechas gordinhas davam vontade de aperta-la até não poder mais. 

— Estou com saudades da minha mamãe. — Fez bico me olhando manhosa. 

— Eu também estou, Yu... — Deixei escapar só então percebendo o olhar arregalado da menina sobre mim, ela riu tampando a boca. 

— Você também sente saudades da minha mamãe? — Perguntou em meio ao riso, acabei rindo junto dela e balancei a cabeça, bagunçando os cabelos lisos da bebê. Ah Yumi.... Se você soubesse o quanto sinto falta da sua mãe... 

— Ué, não posso? — Perguntei brincalhão e ela sorriu para mim. 

— Titio, você gosta da minha mamãe? — Perguntou sorridente. — Ela gosta de você, sabia? — Dizia com um brilho no olhar, arqueei a sobrancelha curioso com essa conversa. 

— Como você sabe disso, Yu? — Perguntei rindo de sua expressão. 

— Eu ouvli’ ela falando pro titlio’ Tae... — Sussurrou como se contasse um segredo. — Mas não diz pra ela isso não, titio! — Rimos e eu dei um beijinho em sua testa. 

— Pode deixar, esse é o nosso segredo, uh? — Mostrei o mindinho pra ela que logo foi entrelaçado ao seu. Yumi fazia eu me sentir bem, não precisava de muito para ver que ela realmente é minha filha, a forma que ela me cativa e faz com que eu me sinta em casa.... Dentre muitos outros motivos, me faziam querer cada vez mais, ser um bom pai para a pequena, e estar mais presente em sua vida. 

[...] 

4:30 PM.

— Poderíamos fazer isso naquele buffet da última festa, seria uma boa, até pra receber os novos sócios! — Hoseok falava animadamente sobre uma possível festa em comemoração aos novos contratos, e também, aproveitando para comemorar o aniversário de cinquenta anos da empresa. 

— Cinquenta anos.... Me sinto velho comemorando uma ocasião dessas. — Falei pensativo fazendo Namjoon rir. 

— Você teve sorte, o senhor Kim foi muito grato pelo seu trabalho e por isso, você tem essa empresa em mãos agora. — Namjoon disse. 

O senhor Kim era o chefão acima de todos nessa dinastia, a empresa se espalhou por todo o mundo e cada uma delas tem seu “comandante”, no caso, eu sou o “comandante” da de Seul, e não foi por herança ou coisa do tipo. O senhor Kim já me conhecia de tempos atrás, ele sendo o melhor amigo do meu pai, via todo meu esforço na empresa, por isso me colocou em um lugar tão superior, anos de treinamento e cá estava eu, liderando uma grande empresa junto de outros homens. 

— O negócio é fazer uma festa de arrasar e beber a noite toda! — Hoseok falou novamente e nós rimos de seu comentário. 

— Ei Jeon, quanto tempo você demorou para descobrir que a Yumi é sua filha? — Nam perguntou enquanto a observava, a pequena estava sentada no balcão ao lado de uma caixa de donuts, ao seu lado alguns funcionários conversavam alegremente com a pequena que ria sem parar e comia junto deles. Todos haviam gostado muito dela por aqui. — Assim que eu vi você entrando com ela no seu colo, eu me espantei com você carregando uma miniatura feminina sua. 

— O pior é que ela realmente parece muito com o Jungkook. — Hoseok completou olhando para ela. — Tadinha, né? — Riu junto de Namjoon. 

— Tadinha nada, é uma honra nascer tão parecida comigo! — Revirei os olhos rindo soprado. 

— Bom, se você diz. — Jung riu mais ainda. — Mas voltando ao assunto da festa...

— Você realmente tá animado com isso, né? — Namjoon perguntou se virando para ele. 

— Claro, vai ser uma chance de mais contratos, você tem noção do que acabamos de conseguir? — Comentava animado. — Mais fortuna, Namjoon! 

— Ok, ok, podemos organizar isso. — Falei cruzando os braços. — Agora se me deem licença, preciso buscar a ___. 

— A sua futura esposa? — Namjoon perguntou sorrindo junto de Jung, encarei eles e suspirei coçando a nuca. 

— Queria poder falar assim... — Sorri fraco. 

— Olha, é normal nós levarmos nossa família pra essas comemorações, eu vou levar a minha, os funcionários também.... — Nam dizia voltando o olhar pra mim. — A família do CEO não pode faltar, você devia levar a ___ e a Yumi!

— Ótima ideia, finalmente conheceríamos ela! — Hoseok falou animado. — E seria uma forma de você se aproximar mais dela também, como se fosse um encontro!

— Ah... — Os encarei pensativo. — É uma boa, só espero que ela aceite né...

— Você só vai saber se convidar, mas faz algo romântico Jeon, não chega só convidando, manda flores, chocolate... — Jung começou a citar várias coisas e nós o encarávamos com cara de tédio. 

— Você tá viajando... — Namjoon começou a rir. 

— Já sei o que vou fazer... — Sorri assim que uma ideia surgiu em minha mente. — Mas não vou contar, se não o Namjoon rouba minha ideia. — Eu e Hoseok rimos. 

— Ah, já estava esperando... — Brincou cruzando os braços e rindo junto de nós. 

— Eu já vou, me mantenha por dentro das informações da celebração. — Falei para Hoseok enquanto me afastava deles. — Nos vemos depois!

— Vai ser de arrasar! — Fez uma dancinha engraçada. 

— Para com isso, você é um homem sério aqui. — Namjoon falou em meio ao riso tentando segurar o Hoseok. Balancei a cabeça enquanto ria soprado, caminhando até Yumi. 

— Vamos buscar sua mãe? — Perguntei e ela assentiu animadamente, com as bochechas cheias de donuts. Os funcionários que estavam com ela fizeram reverência e se afastaram assim que me aproximei. — A sua mãe vai me matar se souber que deixei você comer isso tudo... — Olhei para a caixa vazia reprimindo os lábios. 

— Esse é o nosso segredo, titio! — Sussurrou me fazendo rir. 

— Ok, mais um segredo pra lista. — Juntamos o mindinho. 

[...]

Eu e Yumi nos divertíamos cantando as músicas que tocavam no carro, eu cantava de modo que fazia ela rir sem parar e bater palminhas alegremente, só aquele momento e eu poderia dizer que foi o melhor dia da minha vida, a olhando pelo retrovisor, tão sorridente cantarolando junto comigo, foi como um calmante em meio a tanto estresse. 

Não estava me importando tanto com as ameaças de Scarlett, mas ainda tinha certo receio do que ela poderia fazer, a conhecendo bem, sabia que ela não desistia tão fácil até conseguir o que queria, mas decidi que devia abandonar um pouco aquilo e aproveitar o momento apenas dando atenção a Yumi. 

Chegamos em frente ao hospital e ficamos ali cantando mais algumas músicas e rindo, até que ela cansou e percebeu que sua mãe logo sairia dali se animando muito e ficando de joelhos ao lado da janela. Ri olhando para a mais nova e olhando para a entrada do local, esperando que Clark saísse logo. 

— Olha, a minha mamãe! — A bebê pontava para a entrada pulando alegremente, Clark saia dali arrumando seu casaco e sua bolsa no braço, tão linda quanto estava mais cedo. Ela olhou para o carro e por um momento vi ela sorrir, se aproximando rapidamente e abrindo a porta do passageiro. 

— Tão pontual... — Comentou me fazendo rir de leve. Yumi saiu do banco e veio pra cima de ____. — Meu amor, que saudade que a mamãe tava de você... — A agarrou enchendo a pequena de beijinhos, fazendo-a rir sem parar, Clark se aconchegou no banco ainda com a bebê no colo. Não conseguia segurar o sorriso. — Como foi o seu dia ao lado do Jeongguk? — Perguntou a arrumando em seu colo. 

— Foi muito legal, mamãe! — Contava alegremente. — O titio Jungkook tem uma sala grandona com uma janela que mostra o mundo todo! — ____ e eu rimos do comentário da mais nova e ela novamente a encheu de beijos. 

— Que bom que você gostou, meu amor. — Sorria observando os traços do rosto da mais nova. Liguei o carro novamente, assim, saindo dali. 

Elas conversavam alegremente e eu apenas ouvia, rindo vez ou outra do que Yumi contava a sua mãe, Clark e eu trocávamos alguns olhares a cada risada e comentário que Yu fazia, poderia dizer que agora, depois de três anos, estava começando a me sentir como o cara mais feliz do mundo. Apenas por ter a presença delas. 

Não demorou e chegamos a casa delas, Yumi me deu um abraço dizendo repetidas vezes que foi o melhor dia do mundo pra ela, me fazendo rir feito bobo de seu rostinho contente. Clark nos observava com a cabeça encostada no banco, sabia que ela estava feliz apenas pelo olhar dela. 

Yu desceu do carro primeiro, correndo até a porta de sua casa, deixando apenas eu e ___ no carro que ela estava prestes a sair. 

— Obrigada Jeon. — Sorriu ainda me encarando. — Você deixou ela muito feliz... — Retribui o sorriso da mais nova observando cada detalhe de seu rosto. — Ela não deu muito trabalho?

— Não, apenas brincou, dormiu, comeu e cantou comigo até o hospital. — Falei fazendo a mais nova rir. 

— Cantou, é? — Riu enquanto pegava sua bolsa e colocava os pés para fora do carro, pronta para se retirar. — Estou feliz que estejam se adaptando bem, e tão rápido... 

— Eu também. — Sorri. — Nos vemos logo? 

— Hm. — Fingiu estar pensativa, rindo soprado. — Claro, Jeongguk, nos veremos logo... — Sorriu por fim, fechando a porta, me deixando ali a observando andar até Yumi, pegando a bebê no colo e olhando para trás novamente, abaixei a janela do carro e acenei para elas, vendo um sorriso nascer em ambos os rostos, enquanto acenavam alegremente para mim. 

[...]

_________ POV’S

11:30 PM. 

9°C

— Oh, Yumi... — Murmurei enquanto andava de um lado para o outro com a bebê em meus braços, ela estava meio enjoadinha e reclamava o tempo todo que estava com vontade de vomitar, minha avó brigou dizendo que foram os pães de queijo que ela se empanturrou enquanto corria pela casa toda. — Por que você tem que ser tão gulosa?

— Desculpa mamãe. — Fez bico me olhando com os olhos cheios de lágrimas. Suspirei e subi as escadas junto com ela, havia descido apenas para lhe dar um remédio e ver se ela melhorava um pouco, já havia dado seu banho e o remédio lhe daria sono logo, logo. 

Entrei em meu quarto colocando a pequena na cama, fazendo ela chorar mais ainda, percebi que ela não queria nada mais do que ficar em meus braços. Então, fiquei com ela ali, acariciando suas costas, andando de um canto para o outro, vendo se ela finalmente pegava no sono. Ela foi se acalmando aos poucos e se aconchegando em mim, não demorando para ficar sonolenta e deixar o sono vencer. 

Respirei fundo, despreocupada e mais relaxada. O remédio havia tido efeito, a coloquei novamente em minha cama e a cobri, jogando sua franjinha para trás e observando seu rosto, sorri de leve e beijei sua bochecha. 

Me levantei novamente indo até o banheiro, Yumi não dava tanto trabalho para dormir, hoje havia sido bem cansativo pois já havia descido e subido as escadas com ela chorando, ela só ficava assim quando algo realmente a incomodava, mas finalmente minha bebê havia dormido e eu poderia relaxar também.

Sentia a água morna do chuveiro cair sobre minhas costas me trazendo uma sensação melhor, estava muito frio e era apenas isso que eu precisava, antes de me deitar para dormir. Depois de tudo, me sentei na minha cama vestida a uma blusa grande e uma calça moletom, as típicas roupas que eu usava para dormir. 

Peguei meu celular entrando no Kakaotalk, vendo que haviam apenas algumas mensagens de Taehyung, MinHee e.... Jeongguk. Sorri de leve e entrei na conversa, vendo que a última mensagem havia sido enviada a apenas três minutos atrás. 

''Está acordada?'' 11:45 PM. 

Decidi responde-lo pois queria saber o que ele queria a essa hora. 

''Estou sim, o que foi?''11:48 ✓✓

A mensagem foi visualizada rapidamente, o que me deu a certeza de que ele estava apenas esperando minha resposta. 

''Não estou conseguindo dormir, então, vim cumprir nossa tradição..'' 11:48. 

Sorri de leve, me deitando na cama e olhando para Yumi, que dormia confortavelmente ao meu lado. 

''A Yumi acabou de dormir, ela estava enjoada e reclamando de dor''.11:49 ✓✓

Jeongguk digitou por alguns minutos... 

''Ah que merda, ela já está melhor? Precisa de algum remédio? Me diga que eu posso comprar pra ela''.11:49.

Continuou mandando várias mensagens preocupadas e eu ri fraco. 

''Não se preocupe, Jeon. Yumi tem sorte de ter uma mãe médica, já cuidei dela''.11:49 ✓✓

''Eu deveria estar aí para tentar cuidar dela também...''11:49. 

''O meu avô enlouqueceria se você chegasse aqui de repente''. 11:50 ✓✓

Não menti, se o Jeongguk chegasse de surpresa, assustaria meu avô e com certeza haveria alguma briga aqui em casa, ele não estava cem por cento confortável e confiando na volta repentina de Jeon. 

''Bom... Espero que ele não me veja então''. 11:50. 

Arqueei a sobrancelha confusa com a mensagem, mordendo o lábio de leve. 

"O que quer dizer?"11:50 ✓✓

''Quero dizer que está muito frio aqui fora e que preciso te ver!''11:50. 

Arregalei os olhos me sentando na cama rapidamente, me virei vendo Yu ainda dormir como se não houvesse amanhã, respirei fundo me levantando e abrindo a porta da varanda.... Não, não é possível, ele não pode estar aqui... 

Caminhei a passos curtos até a frente do pequeno muro de vidro da varanda, parando e me assustando ao ver Jeongguk em pé, ali embaixo, com o olhar voltado para o celular, não demorando para olhar pra cima e sorrir ao me ver. 

— Você é louco, não pode vir aqui do nada... — Falava apressada ainda surpresa por vê-lo ali, me apoiando no muro e tampando a boca, por ter falado quase alto demais. 

— Foi exatamente o que você disse quando fiz isso pela primeira vez. — Falou baixo sorrindo de lado, o encarei meio boquiaberta e acabei sorrindo soprado, abaixando minha cabeça. — Pode vir até aqui? — Perguntou e eu o olhei novamente, apenas me afastando da varanda e entrando no quarto novamente, olhando uma última vez para Yumi e vendo que ela não acordaria fácil agora, me tranquilizando e saindo do quarto, fechando a porta com o maior cuidado possível. 

Caminhei com cautela até o andar de baixo, indo até a porta e a abrindo devagar, vendo Jeongguk parado bem a minha frente. 

— Como nos velhos tempos... — Disse me fazendo sorrir fraco. Ele vestia um moletom grande e preto, assim como sua calça, que também era de moletom. Seus cabelos levemente bagunçados e um tênis nos pés. 

— Seu cabelo está tão bonito... — Murmurei sem querer, observava o cabelo liso de Jeon, que cobria levemente os seus olhos, ele os jogou para trás fazendo as madeixas deslizarem entre si, respirei fundo o observando. 

— Estava pensando em cortar... — Sorriu. 

— Eu gosto assim. — Dei de ombros me afastando da porta para que ele entrasse, a fechei e caminhamos até o jardim, onde sempre íamos quando ele invadia minha casa a anos atrás. Liguei apenas a luz da cozinha, para que ela iluminasse a varanda do jardim. 

— Então, se você gosta, eu não tenho o direito de corta-lo. — Sorri para ele parando em frente ao local. 

— Por que veio até aqui a essa hora? — Fui direta me virando para ele.

— Eu já não disse? — Arqueou a sobrancelha. — Precisava te ver, ____. 

— Jeongguk, eu sei que está tentando se aproximar de mim. — Falei cruzando os braços tentando confronta-lo de alguma forma. 

— ________, eu sei que você ainda gosta de mim. — Também cruzou os braços, me olhando com um sorriso malicioso. 

— A-Ah, o quê? — Não consegui negar. 

— A Yumi.... Ela ouviu você falando isso para o Taehyung. — Sorriu ainda de braços cruzados. — E não adianta negar, eu também gosto de você! — Deu de ombros, falando simplista, enquanto andava por ali, observando as mudanças que haviam sido feitas nessa área da casa. 

— Ah.... Isso não é verdade. — Mordi os lábios meio relutante, ele se virou para mim sério, se aproximando um pouco e parando a minha frente. 

— Então.... Por que você fica tão nervosa quando chego perto de você? — Perguntou ainda mais próximo de mim. — Você ainda cora, sorri feito boba... 

— Jeongguk, você é do mesmo jeito, não adianta falar só de mim. — Tentei fazer uma cara séria e ele riu de mim.

— Deve ser porque eu estou certo e nós gostamos um do outro na mesma intensidade, não acha? — Se afastou novamente. Não respondi, apenas o observei. 

Jeon Jungkook, com certeza, é o homem mais bonito que já conheci, os anos passaram e ele mudou apenas para se tornar mais bonito ainda. 

— Você está diferente... — Murmurei ignorando sua fala anterior, o olhando de cima a baixo. — Parece mais forte. — Sorri e ele fez o mesmo, voltando a observar as coisas da casa. 

— Muito treino... — Suspirou. — Mas não estou aqui para falar de mim, estou aqui para falar sobre nós. — Me encarou. 

— Sobre o que especificamente? — Me fiz de desentendida rindo de leve e me sentando na poltrona que havia ali. 

— _____, ainda temos tempo... — Se aproximou parando bem em minha frente, se abaixando para ficar com o rosto rente ao meu, já que eu permaneci sentada. — E você sabe bem do que estou falando... 

O encarei com o rosto rente ao meu, sentindo minha respiração falhar, não sabia no que pensar, no que decidir, a única certeza que eu tinha, era que eu ainda o amava. Talvez essa fosse a resposta. 

— Mas não posso te forçar a isso, eu ainda quero você, mas você ainda me quer? — Perguntou com sua expressão séria e voz firme, sem desviar o olhar de mim. Decidi que eu deveria tomar uma decisão, a melhor de todas. 

— Jeongguk, eu... — A luz do corredor foi acesa e nós olhamos pra lá ao mesmo tempo, assustados. 

— _________? Você está acordada? — A voz de meu avô ecoou pela casa, olhei para Jeon  aflita pensando no que poderíamos fazer. Fui burra, não deveria ter acendido a luz da cozinha, isso acabou nos denunciando. 

Pensei rápido e então, peguei Jeongguk pela mão e o puxei para a porta da dispensa, a abrindo rapidamente e entrando junto com ele, meu avô era esperto, se me visse aqui a essa hora, em meio a toda essa situação, lembraria só das vezes que pegou eu e o Jungkook aqui em casa, com certeza iria procurá-lo pela casa. E se pegasse ele dessa vez, não seria como as últimas vezes que ele deixou passar. 

Me curvei um pouco enquanto encostava a porta de leve deixando uma fresta para que eu visse o movimento ali. Senti a mão de Jeon em minha cintura e me virei para ele rapidamente, só então me vendo encurralada ali na parede, sem saída.  

Suas mãos foram para minha cintura e ele estava tão próximo que seu corpo estava quase que encostado ao meu, sua mão direita foi para meu rosto acariciando minha bochecha, respirei fundo fechando os olhos e colocando minha mão na sua. 

— Você ainda me deseja como eu desejo você, _____? — Sussurrou encostando nossas testas enquanto fechava seus olhos, fiz o mesmo e fiquei em silêncio, conseguia ouvir os passos do meu avô na cozinha, mas sequer me importava. 

— Jeon... — O chamei bem baixinho, ele abriu os olhos e me encarou com uma mão em meu queixo. — Me beija! — Falei olhando bem em seus olhos. 

Um sorriso nasceu em seu rosto e ele não demorou para quebrar a distância de nossos lábios, me beijando como se sua vida dependesse daquilo, minhas mãos foram diretamente para a curvatura de seu pescoço, intensificando o ósculo, logo sentindo sua língua pedindo passagem.  

Senti suas mãos explorando meu corpo, ele apertou minha bunda me fazendo arfar em meio ao beijo, me segurou pegando impulso e segurando minhas duas pernas, assim me deixando encostando na parede, com minhas pernas ao redor de sua cintura, sem desgrudar nossos lábios. A boca de Jeongguk é tão macia que me faz querer beija-lo até não poder mais, os passos na cozinha não eram mais preocupação, apenas queríamos saciar esse desejo tão intenso agora.


Notas Finais


Eita eita, o clima esquentou... 🔥
Bom, não criem muitas expectativas gente kajskajak, pode... ou não... acontecer.
Nada melhor que dar uns pegas no Jeongguk na dispensa, né? Que maravilha!
(queria ao menos dar os pegas).

Bom, me digam o que acharam do capítulo aqui nos comentários, vocês sabem como eu amooo ler e responder cada um deles. Enfim, é isso meus amores.
Espero que estejam gostando do desenrolar da fanfic em si. Vou logo pedindo que me desculpem pelos erros de ortografia, caso houver algum!

Meu perfil ღ: @mayaszz 🌻
Até a próxima!

→ Outras histórias de minha autoria (todas terminadas):

ღ Lesson Of Love (Imagine Jeon Jungkook - BTS):
https://www.spiritfanfiction.com/historia/lesson-of-love-imagine-jeon-jungkook--bts-15362984

ღ A vilã
https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-vila-12179374

ღ The babysitter - Imagine SuHo
https://www.spiritfanfiction.com/historia/the-babysitter--imagine-suho-10748430


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...