História Águas passadas [Namkook] - Capítulo 43


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, Monsta X, VIXX
Personagens Chanyeol, D.O, Jackson, Jeon Jeongguk (Jungkook), Joo Heon, Jung Hoseok (J-Hope), Ken, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kris Wu, Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun, Won Ho
Tags Bebida, Chohee, Colegial, Coréia, Dormitorio, Drama, Festas, Jackook, Jackson, Jungkook, Konkuk, Kris, Muito Drama, Namjin, Namjoon, Namkook, Originais, Romance, Seokjin, Separação, Seul, Taekook, Tragedia, Traição, Universitário, Vhope, Yifan, Yoonmin, Zitao
Visualizações 134
Palavras 5.795
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


É ISSO MESMO, BRASIL? QUASE 400 FAVORITOS?
JÁ DISSE QUE SÃO OS MELHORES LEITORES DO MUNDO?
Eu mal consigo acreditar quando vejo isso. Não imaginei que pudesse chegar nesse número como está acontecendo, só sei que devo tudo a vocês.
Sei que demoro muito nas actualizações, mas sempre dou o meu melhor para vocês.
Nesse mês acabou acontecendo alguna probleminhas de criatividade e sem falar no capítulo gigantesco que saiu. Peço perdão pela demora.
Mas enfin, estaria anunciando o último capítulo da história. Porém eu dividi o capítulo, não queria fazer algo cansativo de ler ou que se entediassem no meio do capítulo.
Antes de começarem a ler, quero que saibam que amo todos que acompanharam a história até aqui, que comentaram e a quem não comentou, mas mesmo assim leu. Queria dizer que são os amores da minha vida.
Façam uma boa leitura ♡

Capítulo 43 - Capítulo 43: Última chance. Parte I


Fanfic / Fanfiction Águas passadas [Namkook] - Capítulo 43 - Capítulo 43: Última chance. Parte I

Sentado na cama, observava Namjoon terminar de se arrumar. Já passavam das cinco horas e ele ainda estava em frente ao espelho escolhendo qual gravata era melhor.

Ele conseguia enrolar mais do que eu para decidir alguma coisa.

Mesmo ele já tendo separado a roupa da sua formatura com alguns dias de antecedência, acabou mudando por não achar legal quando se viu vestindo-a.

Eu era o namorado mais paciente do mundo, por esperar ele se arrumar durante, quase, duas horas.

Encarei-o pelo reflexo do espelho e ergui as sobrancelhas.

Tínhamos que chegar cedo à faculdade, caso Namjoon queira dar seu discurso de formando.

— O que foi? - perguntou ele desfazendo o nó da gravata mais uma vez - a culpa não é minha se eu não tenho roupa.

— Mas você comprou a roupa, Namjoon. - ele virou e jogou a tira de tecido em mim bufando irritado - Arrumamos essa roupa há uma semana, é impossível que ela tenha mudado.

— Era a roupa que eu queria na semana passada, mas agora não combina mais. - rebateu sentando ao meu lado - não vou mais. Pego o meu diploma amanhã - levantou falando decidido.

Fiz o mesmo que ele e cruzei os braços em frente ao peito.

— Não vai mais? Então vai deixar sua família esperando você aparecer na cerimônia? Yoongi já está lá, se não sabe. - falei e ele revirou os olhos – Eles estão esperando por você. Se não queria ir, dissesse isso há um mês.

— Por que eles têm que ser tão pontuais? - reclamou.

— Caralho, Namjoon, você está lindo assim. Todas as blusas que colocou ficaram boas porque você é bonito. - disse já sem paciência. Vi um sorriso surgir no canto do seu rosto e ele pegar a primeira gravata que tinha colocado – pode tirar esse sorriso da cara.

— Desculpa, amor. - pediu segurando minha cintura por trás e beijando meu pescoço - É um dia importante, me entende? É normal ficar nervoso. - seus braços apertaram mais forte e soltei um grunhido – Sei que também está ansioso, mas não para a formatura e sim para o que tem depois dela.

Ele deixou um beijo estalado em meu ouvido e me soltou. Senti minhas bochechas esquentarem, quando percebi o sorriso malicioso em seu rosto.

— Está falando da festa? Eu estou muito ansioso mesmo, beber, dançar... Tem coisa melhor? - ele fechou a cara e voltou sua atenção a se arrumar para a formatura.

Deixei um beijo em seu rosto e sai do quarto, indo para a cozinha beber um copo de água.

Tanto tempo com Namjoon e ainda não me acostumei a escutar isso vindo dele.

Enchi o copo de água e tomei em goles rápidos. Voltei para a sala e peguei minha carteira e celular, colocando-os no bolso do blazer que eu vestia.

Logo Namjoon apareceu na sala, vestindo as mesmas roupas que tinha colocado primeiro e senti uma vontade grande de bater nele, mas me segurei ao máximo e apenas sorri.

— Bonito?

— Muito. Podia estar perfeito, mas essas roupas atrapalham. - sorri com o que disse e circulei meus braços em seu pescoço tocando seus lábios sutilmente com os meus.

— Podemos resolver isso. - falou mordendo meu lóbulo e descendo seus beijos para meu pescoço - Prometo ser rápido.

Afastei seu corpo, quando senti seus dedos no cós da minha calça e o encarei com o cenho franzido.

— Acabamos de nos arrumar, Nam. - dei as costas a ele e peguei a chave do carro sobre a mesa de centro – Sem falar que estamos atrasados. Pegue suas coisas e vamos logo, pretendo não atrasar mais. – abri a porta do apartamento e sai, esperando por ele.

Ele mordeu seu lábio e me seguiu para fora do apartamento, com a cara fechada e um bico formado em seu rosto.

Fechei a porta e tranquei-a, passei meu braço por sua cintura o puxando para perto de mim e deixei um beijo breve perto da sua boca.

— Eu te amo.

— Eu te amo mais.

Virou meu corpo para si e me beijou. Sua língua invadiu minha boca e retribui o toque, voltando a enrolar meus dedos em seu cabelo.

Namjoon afastou seu rosto do meu e sorriu, passando a língua em seus lábios.

— Vamos? - perguntou ele estendendo sua mão.

Assenti entrelaçando meus dedos nos dele e descemos do prédio, indo para Konkuk.

Acabamos chegando lá mais rápido do que nós esperávamos, não havia muito trânsito e o estacionamento da faculdade não estava cheio, acabou sendo rápido para acharmos uma vaga perto do prédio principal.

Caminhávamos lado a lado em direção ao auditório, onde iria ser a cerimônia, Namjoon parecia não ter pressa alguma para chegar no lugar e eu apenas o acompanhava.

Não queria ser o chato que o apressaria.

Ele olhava para todos os lados do campus com um sorriso pequeno em seu rosto e me perguntava o motivo dele.

Talvez fosse a saudade dali quando ele finalmente pegasse seu diploma e pudesse ensinar música em algum colégio ou abrisse uma academia própria.

Não podia ter certeza, já que nem ele tinha.

Apertei meus dedos em sua mão e ele desviou seus olhos para mim, ainda com o sorriso em seu rosto.

— Tem alguma coisa no meu rosto? - neguei - então o que está pensando?

— Em muitas coisas, mas todas envolvem você.

— De um jeito bom?

— De um jeito muito bom.

Vi seu sorriso aumentar e ele erguer as sobrancelhas sugestivo, me puxando para mais perto de si.

— Que tipo de muito bom? Um tipo que eu e você estamos sem roupas no nosso apartamento? - perguntou e abaixei a cabeça olhando para o chão enquanto minhas bochechas ficavam quentes.

— Não, Namjoon. - respondi e vi que já estávamos na porta do auditório - não é nada disso. Por que leva tudo para esse lado?

— Não fazemos nada há duas semanas, esse é o motivo. Sabe o que são duas semanas sem sexo quando o seu namorado mora com você? Eu estou precisando de você e ter você tão perto, mas tão longe me mata.

— Pensei que estivesse tudo bem, não me falou nada – ele fez um biquinho e puxei seu braço - É o trabalho na loja, desculpe. - pedi abraçando seu corpo e sentindo seu perfume forte – prometo recompensar esse tempo depois da festa. Consegue esperar?

— Mais do que já esperei?

Revirei os olhos e ele desfez o abraço quando seu nome foi chamado de dentro do auditório.

— Nos encontramos perto do lago, quando a cerimônia acabar. - falou acariciando meu cabelo e deixando um beijo suave em minha testa - Tenho que ir. Ache Yoongi e fiquei perto dele.

— Certo. - respondi e ele saiu dali junto com o garoto que havia o chamado.

Coloquei as mãos dentro do bolso do blazer e fui até a entrada dos convidados. Assim que entrei, vi de longe Yoongi sentado perto da família de Namjoon.

Fui até eles devagar e cumprimentei-os sentando perto da irmã mais nova do Namjoon.

Não demorou muito para começar. Aos poucos, depois de todo aquele discurso de iniciação, foram chamando os nomes até chegar ao dele.

Namjoon estava tão feliz quando pegou seu diploma e sorriu para a câmera do fotografo. Sua mãe tirava fotos também, ela fazia mais barulho que qualquer outro ali dentro. Acabei rindo e tirando algumas fotos com meu celular também.

Ao descer do tablado, vi sua mãe sorrir se sentando na cadeira.

Me arrumei na cadeira e voltei a olhar para onde Namjoon estava. Nossos olhares se cruzaram por breves segundo e me senti sortudo por tê-lo em minha vida.

Assim que todos os nomes foram chamados, a cerimonia ocorreu por mais meia hora, até finalmente se dar por encerrada.

Respirei aliviado levantando da cadeira e esticando minhas costas.

As pessoas foram saindo, conforme os alunos com as becas iam deixando os seus lugares. Mas Namjoon ficou no mesmo lugar, perto do pequeno palco, conversando um com uma mulher bem vestida e com alguns papéis em mãos.

Olhei para aquilo sem entender o que estava acontecendo, mas deixei passar quando Yoongi disse que era normal e me puxou para fora dali.

Ficamos todos próximos ao lago central.

Enquanto os pais de Namjoon conversavam entre si, Geongmin mexia em seu celular, ignorando todos a sua volta. Me sentei em um banco próximo e fiquei pensando sobre aquela mulher.

O que ela queria com Namjoon?

Quem era ela?

Abracei meu corpo e encarei um ponto fixo no chão, tentando a todo custo, afastar aquela imagem da minha cabeça.

No final, não devia ser nada demais. Apenas alguém da faculdade para conversar com ele. Afinal, sabia do seu desempenho durante os anos em Konkuk. Namjoon era um dos melhores da sua turma.

Se passaram alguns minutos e ele apareceu arrumando seu cabelo com o blazer no braço.

— Demorei muito? - perguntou abraçando sua mãe de lado e ela negou.

— Estava tão lindo naquela beca – falou arrumando o cabelo dele com um grande sorriso no rosto – tirei muitas fotos. Vou colocar uma moldura e pendurar na parede da sala.

— Mãe. - ele falou manhoso se soltando da mulher e fazendo a mesma coisa com seu pai.

— Por que não saímos para beber amanhã? - Yoongi propôs e todos concordaram de imediato – Eu tenho que ir agora, nos falamos depois e combinamos melhor isso. - falou se despedindo de todos e foi embora.

— Filho, nós vamos para casa também. Sua irmã resolver ficar em recuperação no colégio - o pai dele falou e ela revirou os olhos dando as costas aos três - e ela tem aula ainda amanhã - Namjoon assentiu e bagunçou o cabelo da irmã - Fico muito feliz de te ver formado.

Um abraço entre os dois foi dado e logo a família dele saiu dali se despedindo de mim e sumindo pelo campus.

Namjoon veio até onde eu estava e aconchegou meu corpo entre seus braços fortes.

— Estava com saudades de você. Ficamos muito tempo separados. - ele falou beijando meu rosto e colando nossas testas – Estava me coçando para sair de lá.

— Sei como se sentiu. Queria fazer o mesmo – afundei meu rosto em seu peito, inalando aquele cheio amadeirado vindo dele e fechei os olhos – vai querer ir para a festa?

Ele soltou um riso soprado e afastou meu corpo do dele, segurando minha mão.

— Podendo passar um tempo sozinho com você, acha que quero ir para uma festa? - ele perguntou e apenas o olhei sem jeito – vamos logo para casa.

Namjoon tentava achar o buraco na fechadura às cegas, mas estava falhando miseravelmente.

Rompi o beijo e o afastei, tentando sair de frente da porta.

— Não, não. Volta aqui. – ele falou manhoso segurando meu rosto com ambas as mãos e voltando a me beijar e a colar meu corpo na porta.

Agarrei a gola da sua blusa e o puxei para mim, fazendo ele quase se desequilibrar e apoiar ambas as mãos na porta.

— Nam-Namjoon – virei meu rosto e ele continuou a beijar meu pescoço e rosto – abra a porta, alguém pode aparecer aqui.

— Ninguém vai aparecer no corredor, Jungkook.

Voltou a me beijar e a passar sua mão pelo meu corpo. Isso até escutarmos uma porta se abrir no final do corredor.

Namjoon se afastou rapidamente e colocou a chave na fechadura abrindo a porta com pressa, fazendo com que seu corpo me empurrasse para dentro do apartamento.

Nos olhamos e Namjoon riu apoiando seu corpo na porta e eu o segui na risada.

— Caralho, se fosse aquele senhor do 408 iriamos ter uma palestra sobre bons modos. - Namjoon disse desencostando da porta e vindo até mim - por sorte ele não apareceu. - Parei de rir no mesmo instante em que nossos olhares se cruzaram.

Colou suas mãos grandes em minha cintura e me puxou contra seu peito, grudando nossos peitorais, me olhando intensamente com seus olhos escuros. Beijei seu queixo e subi até seus lábios cheinhos, deixando um beijo calmo neles.

Sua língua entrou em minha boca e senti seu gosto junto com o meu pelo toque.

Empurrei seu peito e o olhei ofegando alto. Ele deu alguns passos para trás e levou as mãos à cabeça, jogando seu cabelo para trás, sorrindo enquanto seu peito subia e descia em um ritmo acelerado.

— Meu corpo inteiro está com saudades de você - fechei os olhos e dei as costas ao outro indo para o quarto, mas Namjoon foi mais rápido e segurou meu pulso, me fazendo voltar alguns passos – Vai me deixar sozinho aqui?

-Preciso de um banho.

-E eu de sexo. - falou rouco perto do meu ouvido – Sabe que eu faço gostoso, Kokkie.

Lambi os lábios e cheguei perto dele, passando meu braço livre por seu pescoço.

-Se assistir um filme comigo, posso pensar. - disse, beijando a pele do seu pescoço, mordiscando-a – uma hora por uma noite de sexo, aceita?

Sorriu maldoso, selando nossos lábios rapidamente para soltar meu pulso e ir para a sala.

-Qual filme vamos assistir?

[...]

Sentamos na mesa do bar, Namjoon ficou ao lado dos pais, mas a minha frente. Enquanto eu sentei ao lado do Yoongi, que bebia uma mistura de soju e cerveja, enquanto falava sobre o emprego de meio período que ele tinha conseguido.

A mãe de Namjoon estava com um buquê de flores e entregou para ele assim que sentamos à mesa.

Já havia comida na mesa e algumas garrafas de soju também, que os pais de Namjoon fizeram questão de pedir antes que chegássemos.

Conversamos um pouco antes de começarmos a comer e mudar do assunto da formatura do Namjoon.

A mãe dele estava muito feliz, assim como o seu pai, que não parava de brindar a mil e uma coisas para o filho.

Adorava aquela relação que ele tinha com os pais. Não que comigo fosse diferente, mas gostava de observar de vez em quando como Namjoon era ligado a eles.

Yoongi me cutucou e o olhei.

—Namjoon está diferente com você também? - perguntou baixo, mexendo em seu prato como que quem não quisesse nada.

— Como assim estranho? Ele está normal comigo. Bem, eu acho que ele está. - fitei Namjoon conversando de forma descontraída com seus pais e voltei a olhar para Yoongi.

— Ele parece distante, pensei que estivesse do mesmo jeito com você também. - deu de ombros e o encarei – Ele conversou com você sobre aquela mulher que foi falar com ele no final da formatura dele?

— A mulher? - exclamei e tampei minha boca com as mãos e bebi um gole de soju - Não. Ele não me disse nada. Tem alguma coisa acontecendo que eu não sei?

— É que eu os vi conversando ontem também e queria saber se ele te disse algo sobre. - neguei e ele assentiu colocando um pedaço de carne na boca e bebendo o seu Somac – Não está preocupado que seja algo ruim?

— Fala logo o que você sabe, Yoongi. Se está falando sobre isso é porque sabe o que está acontecendo. Me diz!

Yoongi deixou de lado o copo e me olhou entreabrindo os lábios e suspirando de um jeito estranho.

— Não vou falar, Namjoon tem que fazer isso e se ele ainda não fez é porque não é o momento certo. - disse simplista bebendo mais um copo de soju e fazendo uma careta - Namjoon é quase um irmão para mim, sabe disso, não quero que ele perca a confiança em mim. Ele vai te falar, apenas te deixei ciente.

-Você é um filho da puta. – rosnei, bebendo o soju e ele riu

Assenti bebendo mais um pouco do líquido em meu copo.

Olhei para Namjoon e ele logo me olhou e seu sorriso sumiu.

Namjoon ainda escondia as coisas de mim. Até quando ele faria isso?

Ele não confiava o bastante em mim?

Desviei meus olhos dos dele e encarei o prato com a carne e senti meu estômago embrulhar.

Yoongi colocou sua mão em meu ombro, perguntado se eu estava bem e sorri de canto pedindo licença e saindo da mesa, com a desculpa que eu precisava de um ar.

Saí do bar e encarei o céu escuro da noite, apertando os meus braços em volta de mim.

Sentia uma dor imensa por não saber o que estava afligindo Namjoon daquele jeito.

Reparei em como ele saiu do auditório ontem à noite, parecia para baixo e no caminho para casa, mesmo com ele sorrindo e conversando, podia sentir sua cabeça em outro lugar.

— Merda! - levei minhas mãos até o meio dos meus cabelos e apertei eles sentindo tudo se encaixar – Por que demoro a perceber o que está acontecendo?

O modo como ele estava agindo hoje de manhã, como não tinha percebido?

— Jungkook. - escutei ele me chamar atrás de mim e me virei indo de encontro ao seu corpo e o abraçando - Está tudo bem?

— Não. O que houve com você? Sua cabeça está em outro lugar, Nam. - falei e senti seus braços me apertarem contra o seu corpo – está assim por causa daquela mulher que apareceu no final da formatura? Eu estou preocupada com você, Jonnie.

— Podemos conversar quando chegarmos em casa? - desfiz o abraço depois que ele beijou minha testa carinhosamente - Só vamos voltar lá para dentro e fingir que nada aconteceu, por favor. Não quero que meus pais fiquem preocupados com você. Diga que teve uma queda de pressão.

Consenti e ele entrelaçou seus dedos nos meus, apertando-os fortemente me levando para dentro do bar de novo.

Assim que chegamos, ele trocou de lugar com o Yoongi e voltamos a comer e beber normalmente.

Namjoon conseguiu me preocupar mais ainda.

Abri a porta do apartamento e entrei, sendo seguido por Namjoon. Deixei meus sapatos na porta e fui até a cozinha beber um copo de água e depois fui ao banheiro escovar meus dentes e lavar o rosto, o outro veio atrás de mim e fez o mesmo.

Coloquei uma roupa mais confortável e fui para a sala, onde Namjoon já estava me esperando em pé, perto do sofá.

Cruzei meus braços e esperei que ele começasse.

— Vou começar com o óbvio. Não tenho nada com aquela mulher. - ele levantou as mãos se rendendo e rodei os olhos rindo – Não quero que fique preocupado. É algo meu e sei que pode ficar chateado.

-Se ficar me enrolando assim, vou ficar pior. - ele assentiu e me apoiei no sofá, vendo ele descruzar os braços.

-Ela veio me procurar para a montagem de um projeto de música, já que, pelo o que ela disse, não só ela como os outros envolvidos na empresa dela, gostam do meu estilo de fazer as coisas. Seja para compor ou cantar. Eles estavam lá, ano passado, no dia daquela apresentação e eles vieram até mim e me pediram para fazer parte do projeto deles. Mas ainda não sei se é isso o que eu quero.

— Namjoon, isso é ótimo. - fui até ele e o abracei beijando seu rosto - Eles viram que tem talento, estão reconhecendo seu trabalho duro. - ele deu um sorriso torto e sem ânimo - Sobre o que é esse projeto, Nam?

— Vou levar à música para o mundo todo. Com o projeto eu e a empresa iriamos recrutar algumas pessoas e ensinar algumas coisas básicas, como tocar algum instrumento, cantar, interpretar e a compor. São alguns meses de projeto e não sei se estou preparado para algo assim.

— Deus, Namjoon, é maravilhoso. Seria um tipo de empresa de entretenimento. É tipo um projeto para trabalho, não é? Estou tão feliz, Nam. - dei alguns pulinhos, mas parei quando vi que ele não estava empolgado, parecia mais preocupado do que qualquer outra coisa – Por que não está feliz? Não quer participar?

— Tem um porém. - seus olhos caíram e ele ficou encarando o chão, esperando que eu dissesse algo.

— Kim Namjoon... Me fala logo o que é. - pedi, com a voz carregada de preocupação

— O projeto não é aqui... Na Coréia. - sua voz saiu como um sussurro e continuou - é nos Estados Unidos. São de seis a oito meses fora, mas eu posso não ir e continuar com a ideia de abrir um negócio próprio aqui mesmo. Sabe que eu nunca pensei alto assim.

— Namjoon, escuta o que está falando. - o interrompi, fazendo ele voltar a me olhar - Vai deixar de fazer um projeto importante desses por causa de quê? Por mim, pelo nosso namoro? - ele assentiu receoso e soltei uma risada nervosa

-Sabe que eu não quero ficar longe de você. Estamos dando certo e quero continuar assim.

– Vamos continuar dando certo, Namjoon. É uma chance para ingressar na sua carreira, não posso tomar isso de você porque estamos namorando – senti minha voz tremer e algumas lágrimas se acumularem no canto dos meus olhos - nosso namoro é importante, mas não a ponto de desistir dos seus sonhos por isso. São os seus sonhos e eles são maiores do que qualquer coisa. Quero te ver feliz fazendo o que gosta e não fazendo o que acha melhor por conforto. Eu te amo e é disso que precisa saber para seguir em frente. Eu quero que vá nesse projeto... Quero que aceite e só volte quando estiver terminado. - sorri alisando seu rosto e beijando seus lábios cheinhos - faça isso por mim. Por nós dois.

-Eu não tenho certeza, Jungkook. Posso gostar de fazer música, mas ainda não é a minha prioridade. - falou, em um tom baixo, segurando minha cintura - Eu te amo tanto, Jungkook. Eu vou pensar sobre o projeto, mas antes quero aproveitar esses dias com você. - me puxou para um beijo, esse que foi prontamente correspondido.

Minhas lágrimas se misturaram com o beijo e senti aquele gosto salgado se misturar no ósculo. Sorri me afastando dele e colando nossas testas, ainda com os olhos fechados e as lágrimas deslizando por minhas bochechas.

-Eu te amo.

— Eu te amo mais, Namjoon e quero fazer isso dar certo. - falei baixo, com os lábios próximos aos dele.

-Vamos fazer dar certo, te prometo.

[...]

1 mês depois

Namjoon estava para terminar de fazer o Check-in e estava à beira de uma parada cardíaca ali mesmo.

Ver Namjoon indo para tão longe me dava um aperto no peito, mas sabia que era o melhor a se fazer agora.

Não sabia o que aconteceria amanhã. Ninguém sabia. E tinha medo de acontecer algo de repente e ele não conseguisse um emprego, sendo que ele teve essa oportunidade.

Precisava pensar nele antes de mim. Antes de nós dois.

Afinal, era do futuro dele que estamos falando. E se ele dependesse de mim, estaria o apoiando, não importa o que acontecesse.

Namjoon apareceu ao meu lado com o cartão de embarque e um sorriso nervoso brotou no meu rosto, junto com algumas lágrimas, que se tornaram impossível esconder.

— Jungkook, sabe que ir não é a minha única alternativa, não é?

— Você precisa ir, Nam. Já disse que é importante. - ele sorriu e me puxou para o seu peito, beijando minha cabeça

- Eu volto rápido. Esses meses vão passar voando e quando perceber eu vou estar aqui te perturbando de novo.

Passei meus braços por sua cintura e o apertei, enterrando meu rosto em seu pescoço.

— É bom que volte rápido. Você nem foi e eu já estou com saudades. - fiz um biquinho ele o beijou me fazendo sorrir – aproveita bastante e volta para cá com algum presente. E tire algumas horas do seu sono para me ligar.

— Meu namorado é muito interesseiro. - ele, sem desfazer o abraço, começou a andar até o lugar onde esperaríamos o voo ser chamado – amor, eu vou te ligar toda hora, vai acabar não sentindo falta de mim.

— Namjoon, eu trabalho e sem falar do fuso horário. - sentei na cadeira e ele se sentou ao meu lado, carregando sua mala de mão - só alguns minutos já bastam. Vou sentir saudades da sua voz. De você... - minha voz vacilou e desviei a atenção dele, encarando as cadeiras ao meu lado.

Ele pigarreou, chamando a minha atenção e o olhei, vendo ele tirar a correntinha de seu pescoço.

— Isso é para você não esquecer de mim. Lembre-se todos os dias que ainda tem um namorado - disse com a voz calma e colocou em meu pescoço – quando estiver tendo um dia ruim e não puder ligar, olhe para ela e lembre de mim. Estarei aqui te passando energias positivas... sempre.

— Quer me fazer chorar, não é? - ele negou e segurou meu rosto com as suas mãos o levando para perto do seu e me beijou com calma – Eu te amo.

-Eu também- sussurrou fraco.

Por que meus olhos estavam se enchendo tanto assim?

A imagem embaçada dele a minha frente, me dava certeza que eu o amava mais que tudo.

Ele passou o polegar por minhas bochechas, limpando quaisquer resquícios de lágrima ali e beijou os dois lados do meu rosto, antes de me soltar e escutar o que o autofalante informava.

Conferiu no cartão em sua mão e suspirou baixo, praguejando alguma coisa.

— É o meu. - avisou baixo e senti meu peito se apertar conforme ele se levantava com a mala em sua mão.

— Tão rápido, assim? - o olhei e ele assentiu estendendo a mão para que eu pegasse, fiz e fiquei em pé ao seu lado - passei meu braço por sua cintura e ele descansou o seu sobre meus ombros.

Fomos andando em silêncio até o portão de embarque, apenas sentindo a companhia um do outro.

Fiquei parado ali junto com ele. Não queria ter que soltá-lo.

Não agora.

Puxei ele pela jaqueta que vestia para um outro abraço. Encostei minha cabeça em seu ombro e deixei um soluço escapar da minha boca e, quando me dei conta, já estava soluçando alto ali.

Namjoon me apertava com força em seus braços enquanto sussurrava em seu ouvido que seria rápido e logo estaríamos juntos de novo.

Por que era tão difícil largá-lo, mesmo sabendo disso?

Quando o voo foi chamado mais uma vez, o larguei e limpei meu rosto com a manga do meu casaco.

— Você vai ficar bem? - assenti e ele beijou meus lábios mais uma vez – São oito meses, consegue viver sem estar comigo aqui, Jungkook.

— Eu sei, Nam. Me avise quando chegar lá, por favor. - fui rápido e ele assentiu deixando algumas gotas descerem pelo seu rosto.

Ele assentiu e abrigou meu corpo entre seus braços mais uma vez.

Apertei o máximo que pude e antes dele me soltar sussurrei em seu ouvido:

— Não faça eu esperar muito, mas, seja o tempo que for, eu vou estar aqui esperando que volte. Porque eu te amo, Namjoon.

Escutei Namjoon soluçar e se afastar devagar, indo para o portão de embarque e, antes que ele entrasse, olhou mais uma vez para trás sorrindo de lado, com os olhos avermelhado e entrou, sumindo da minha vista.

Respirei fundo e esperei que eu parasse de chorar para voltar para casa.

Os primeiros dias foram os piores. Os depois deles foram quase insuportáveis. Os dias começaram a se arrastar e eu não tinha motivação para fazer nada além de me sufocar em comida e mandar inúmeras mensagens para ele.

Falava muito pouco com Namjoon. Algumas vezes, acordava de madrugada para poder falar com ele e tentar conversar sobre algumas coisas, mas com o tempo paramos de fazer isso.

Ele saía mais cedo para o trabalho e eu dormia mais pesado por conta da rotina cansativa de trabalhar e estudar durante a semana toda.

Meu tempo com ele passou a ser escasso, mas quase não sentia mais falta desse contato porque sabia que ele estava ocupado com seu novo trabalho e eu tinha, agora, mais preocupações, já que tinha ficado com o apartamento dele.

Já tinham se passado quase quatro meses desde que ele embarcou e me sentia melhor do que antes.

Minha vida tinha se tornado mais monótona desde então e, todos os dias antes de dormir, mandava uma mensagem de voz para ele, mesmo que eu soubesse que essa não seria ouvida tão cedo e tão mais respondida.

Saí do chuveiro me enrolando na toalha e atravessei o pequeno corredor que separava o banheiro do quarto entrando no mesmo, vesti a roupa separada e voltei para o banheiro para arrumar meu cabelo.

Atravessei a casa a passos apressados e tomei um gole de café e dei uma garfada em um pedaço de torta que havia comprado ontem no café onde eu trabalhava.

Joguei tudo na pia de qualquer jeito e escovei meus dentes de forma apressada, olhando o relógio em meu pulso a casa segundo que passava.

Peguei o sobretudo, pendurado perto da porta e calcei meus sapatos, alcançando as chaves e cartei, colocando-os em meu bolso. Tateei os bolsos e encostei em meu celular ali. Busquei minha mochila em cima do sofá e a joguei sobre os ombros, pegando as chaves do carro dentro dela.

Fechei a porta do apartamento e desci as escadas enquanto vestia o sobretudo.

Olhei o relógio mais uma vez e constatei que faltavam vinte minutos para as aulas começarem e o jeito seria ir de carro.

Em dez minutos já estava dentro do estacionamento dos alunos de Konkuk, estacionando o carro e logo descendo dele.

Apressei meus passos e encontrei Kyungsoo parado perto de uma das máquinas de refrigerante do corredor, com os braços cruzados e uma bolsa pendurada nos ombros.

-Está quase atrasado. - falou começando a andar ao meu lado. Assenti e ele voltou a falar: - Está diferente. Dormiu direito?

-Dormi sim. Um pouco tarde, mas consegui pegar no sono rápido. - falei e ele concordou entrando na sala de prática comigo e se sentando ao meu lado no balcão de duplas - eu pareço bem?

-Nem de longe.

Suspirei fundo e abaixei minha cabeça sobre os braços descansados no balcão.

-Aconteceu algo? - neguei – Se quiser pode me contar ou eu chamo Yifan aqui e vocês conversam...

-Não. Não precisa disso. Estou bem, juro. - forcei um sorriso e a professora entrou em sala com as partituras em mãos e um sorriso cortante de orelha a orelha.

-Bom dia, alunos. - falou com uma voz animada – vamos continuar a ver as partituras da última aula. Preciso que estejam cem por cento para o teste.

Kyungsoo bufou, pegando o material da mochila e o jogando sobre a bancada de qualquer jeito.

-Não suporto essa mulher. - comentou mal-humorado e ri, concordando com a cabeça.

Mais mês tinha se passado, foi o tempo necessário para Namjoon me ligar duas vezes e falar como estava sendo corrido por lá.

Minha rotina continuava a mesma, mas me sentia melhor por saber que faltavam poucos meses para Namjoon voltar.

O trabalho no café era chato e muitas das vezes parado, mas era o suficiente para que eu pagasse as contas do apartamento, quando juntava com o que recebia dos meus pais.

Hoje era domingo, não ia para o trabalho e aproveitava para colocar as matérias em dia, por mais cansado que eu estivesse. Mas eu não pude fazer nada do que tinha planejado, já que Chohee tinha me puxado com ela para um bar.

Ela tinha brigado com Jongsuk mais uma vez em um mês e não me surpreendia em nada vê-la desejando a morte a ele.

-Jongsuk não presta. Não acredito que ele estava fazendo teatrinho esse tempo todo, que ódio. - resmungou ela bebendo sua garrafa de soju – aquela carinha dele me enganou, disse que tinha mudado e que ia fazer certo dessa vez... Idiota. Eu sou uma idiota. - gritou comendo o frango frito que tinha pedido.

Bebi um gole do suco e ela bufou irritada.

-Voltou com ele porque quis. Era só ter lembrado o que ele fez contigo, Cho. - ela revirou os olhos e bateu na mesa, fazendo um tintilar soar pelo bar - E sim, você é mesmo uma idiota.

-Eu nuca mais quero falar com ele. Esse filho da puta vai vir igual a um cachorrinho atrás de mim, você vai ver. - ela riu alto – Eu vou negar ele. Vai ser tão bom, Kook.

-Já ouvi isso duas vezes, em uma semana e vocês voltaram, depois de tudo.

-Agora é sério, Jungkook, não vou mais voltar com ele. Tenho outra companhia, além dele - falou enquanto abria outra garrafa de soju com um sorriso torto.

-Outra? Quem é o idiota agora?

-Oh Yeonseo. Eu a conheci em uma cafeteria em Hongdae, estamos nos conhecendo melhor por enquanto. - vi um sorriso maldoso em seu rosto e neguei bebendo o suco na mesa - Até podia dizer que nos conhecemos muito bem.

-Chohee, está saindo com uma garota? - arregalei os olhos e escutei ela rir alto e assentir, deixando um silêncio tomar conta da mesa depois.

Chohee mexia no seu cabelo, agora curto e tingindo em um rosa claro, se olhando em um espelho pequeno retocando a maquiagem sem muita pressa.

-Jungkook, você tá meio avoado. - observou ela, abaixando o objeto e me olhando - É por causa do Namjoon e dessa viagem dele?

-Não. Agora, nem tanto. - juntei minhas mãos em meu colo e mexendo os polegares – Eu estou preocupado com a faculdade. Estava pensando em mudar de curso, música não é para mim. Não estou mais sentindo aquela paixão pela coisa. Sinto que tem alguma coisa errada.

-Tenta mudar o curso, conversa com a diretoria da faculdade. Mas eu tenho uma proposta para você, antes de desistir do curso. - olhei para a rosada e ela pegou o celular da bolsa abrindo em uma página - Estava mexendo na página da faculdade e vi esse anúncio sobre um sorteio de um congresso que vai ter no seu curso para os Estados Unidos, no mesmo lugar onde o Namjoon está fazendo o projeto dele. Pensei que fosse se interessar.

Peguei o aparelho das mãos dela e li aquele formulário, várias vezes antes de abri no meu celular e preenchendo o formulário nele. sorrindo ao devolver o celular da garota e ler atentamente tudo escrito ali.

Boqueei meu celular e Chohee me olhou sorrindo.

-Vou pedir algumas cervejas. - falou levantando a mão e chamando um garçom, sem tirar o sorriso do rosto.


Notas Finais


Agora posso dizer que estamos a um capítulo do fim de Águas passadas.

Dessa vez é verdade. Juro.

Antes de tirarem conclusões precipitadas, deixe eu postar o último capítulo e aí sim vão poder falar o que acharam dessa história.

Sei que alguns gostam e estão bem ansiosos para saber o que vai acontecer e espero ver todos comentando o que estão achando do rumo e deem seus palpites sobre o próximo capítulo.

Espero que estejam gostando de Águas passadas assim como eu gosto.

Nos vemos no domingo.

Até logo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...