1. Spirit Fanfics >
  2. Akai ito Dahmo >
  3. Capítulo 7

História Akai ito Dahmo - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Capítulo 7


[2 semanas depois]

P.O.V Hirai Momo.

Paixão. É um sentimento humano intenso e profundo, marcado pelo grande interesse e atração da pessoa apaixonada por algo ou alguém. A paixão é capaz de alterar aspectos do comportamento e pensamento da pessoa, que passa a demonstrar um excesso de admiração por aquilo que lhe causa paixão. A impulsividade, o desespero e a inquietação são outras características que costumam estar associadas ao sentimento de paixão.  
    Todas as pessoas podem se apaixonar e a qualquer momento, dependendo de diversos fatores associados com os gostos, preferências e referências que cada indivíduo possui.

Eu acho que estou apaixonada por Kim Dahyun, essas semanas que passamos com terapias e tudo mais com ela me cuidando de forma doce e como nunca haviam me tratado. Adoro quando a mesma conta histórias de quando ela pequena, ou até suas piadas ruins que mesmo assim dou risada, ela está me fazendo ver o mundo de um jeito mais... Colorido? 

Mas eu não posso, ela é minha doutora, pacientes e funcionários não podem se relacionar que eu saiba, mil coisas podem dar de errado e provavelmente ela não sente nada por mim. Eu não sei o que fazer.

Meu peito dói só de pensar assim, será que ela tem um namorado ou namorada fora do hospital? Só de pensar na coreana com outra pessoa meu coração dói muito. Eu não quero estar apaixonada, nem posso, argh. 

Estava sozinha no quarto olhando pra parede enquanto pensava com uma vontade terrível de não existir. Sana tinha ido pro refeitório comer já que eu não estava com fome, só queria ficar na minha cama um pouco, nem tinha dormido muito pensando no assunto, abraço minha almofada e fecho meus olhos. Esses momentos eram como um azul escuro, me sentia naquela floresta fria e escura, sem luz.

Ouço a porta abrir e logo ouço a voz de Jihyo que provavelmente estava acompanhada de Dahyun e Tzuyu, estava dividida entre não olhar Dahyun e me virar e olhar Dahyun, mas acabei não olhando.

-Bom dia Momo! Por que está sozinha? - Jihyo pergunta estranhando Sana não estar aqui, apenas dou de ombros como resposta.

-Está tudo bem Momo? - Sinto um tom de preocupação em sua voz. Não dou resposta.

Ouço passos vindo até mim, era Dahyun, seu cheiro doce impregnou o quarto fazendo meu coração se desesperar, como era possível algo assim??

-Momori... Olha pra mim... - Ouço sua voz calma e doce e suspiro me virando para ela.

Por um momento senti o ar faltar em meus pulmões e meu coração vacilar, encaro suas orbes castanhas que olha as minhas com preocupação, engulo em seco desviando o olhar depois de um tempo.

-O que aconteceu unnie? Por quê está assim? - Seu tom de voz era preocupado.

Olho para a porta que tinha uma Jihyo e uma Tzuyu com olhares preocupados e apreensivos, odiava quando me olhavam assim, me sentia pressionada, como um peso de uma bigorna.

-Não é nada Dubu. - Forço um sorriso, ela suspira e acaricia meus cabelos e rosto, me arrepio.

-Não parece ser nada Moguri, estou preocupada, o que você tem? - A garota loira me pergunta, desvio o olhar.

-Hmm, a gente vai lá fora dar mais privacidade há vocês. - Jihyo fala saindo e empurrando Tzuyu para fora junto com ela e fechando a porta.

Dahyun suspira, me olha e eu retribuo o olhar, ela sorri levemente.

-Chega pra lá. - Ela fala fazendo sinal para eu dar espaço na cama para ela deitar, faço o que ela pede.

A garota se deita ficando de frente para mim me encarando, sinto a ansiedade me invadir e minhas mãos soarem, ela me olha como se tentasse me decifrar mas ao mesmo tempo como se me conhecesse na palma de sua mão, era estranho e reconfortante, dificilmente alguém me entendia.

-Não vai mesmo me contar? - Ela faz um bico adorável no qual meu coração se derrete automaticamente.

-Sinceramente? Nem eu sei o que está acontecendo. - Mentira.

Claro que eu não poderia chegar e falar "Hey eu gosto de você, mas somos paciente e doutora, o que torna difícil e você provavelmente não tem sentimentos por mim". 

-O que está sentindo? - Ela me olha com carinho.

-Hmm... Angustia, como se uma bigorna estivesse em cima do meu coração, me sinto naquela floresta, mas ela está mais pontiaguda do que o normal. - Falo e ela me observa.

-Bom, está preocupada com algo? - Ela pergunta mais próxima, sinto que vou infartar.

-Sim... - Respondo vagamente desviando o olhar.

-Poderia me falar? 

-Não...

-Okay... Bom, oque quer que esteja te afligindo, tente resolver com calma, as respostas vem com o tempo, certo? - Ela sorri reconfortante para mim que retribuo com um pequeno sorriso.

-Certo... - Falo quase em um suspiro.

Estávamos muito próximas, olho em seus olhos que desviam para a minha boca e os meus fazem o mesmo olhando para a sua. Sua boca parecia um pedaço de nuvem ou algodão rosa, porém pontiagudo como um diamante bem afiado, perfeitamente perigoso e atentador. Sinto meu corpo se aproximar mais e logo sentindo nossas respirações se mesclarem.

Até que a porta é aberta e eu me afasto bruscamente e acabo batendo a cabeça na parede, solto um "Ouch" e me sento na cama, ao olhar para a porta vejo Sana nos olhando e atrás dela Tzuyu e Jihyo.

-Interrompi algo? - A loira pergunta inocentemente com a cabeça tombada para o lado.

-Não Shiba, não interrompeu... - Suspiro.

Olho para Dahyun que estava meio corada olhando Sana. Eu estou louca ou eu quase beijei Dahyun?? Provavelmente estou louca e imaginando coisas.

-Ah que bom, Momo vamos na quadra com o pessoal? Vai ter um jogo com o outro bloco. - Sana fala animada.

-Eu não vou ter que jogar neh? - Falo receosa.

-Nah, relaxa unnie. - Ela sorri. - Vocês podem ir também doutoras, aposto que suas amigas vão estar lá também.

Ela me pega pela mão e sai saltitando, maluca, geralmente ela não gosta muito dos jogos porque tem muita gente reunida ela fica desconfiada.

 

                                                                              ••••

Lá estava eu na quadra do hospital sentada na arquibancada com minhas amigas e amigos, logo ao nosso lado estava as doutoras, olho para Dahyun que acena e sorri e eu logo retribuo dando um leve sorriso, até que de repente chega um garoto de cabelos castanhos e jaleco a abraçando, minha expressão muda para uma não muito boa.

-Quem é aquele cara que está abraçando a Dahyun? - Resmungo e meus amigos olham, vejo Jimin mudar sua expressão também.

-Ah, ele é o Jungkook, ele é o doutor do Jimin. - Hoseok fala enquanto comia o amendoim que carregava.

-É... - Jimin fala mas parecia emburrado.

-Impressão minha ou esses dois estão com ciúmes deles? - Nayeon fala com um sorriso sacana apontando para mim e Jimin.

-O QUE? P-Por que eu teria ciúmes? - Falo nervosa desviando o olhar.

-E-Exatamente, por que nós teríamos ciúmes? - Jimin fala corado desviando o olhar.

-Porque os dois pombinhos estão apaixonados pelos doutores. - A garota de dentes de coelho fala nos olhando com aquela cara.

-Verdade, dá pra ver! - Sana fala enquanto comia amendoim com Hoseok.

-Vocês estão loucos, eu e Jimin não estamos apaixonados... - Reviro os olhos voltando a olhar onde Dahyun estava.

Me arrependi. O tal Jungkook estava com a cabeça no colo dela e a mesma fazia carinho, aquilo me deu nos nervos, minha vontade era de empurrar o garoto para longe, pegar Dahyun no colo e falar que ela era minha. Mas não podia fazer nada além de ficar me corroendo por dentro, ela não era minha e provavelmente nunca seria.

-Por deuses Momo! Você está quase espumando de raiva. - Nayeon ri da situação e acaba que Mina, Sana e Hoseok riem também.

-Não estou vendo graça. - Jimin fala sério.

-Mas eu estou, e muito! - Hoseok ri e Jimin e eu bufamos.

-Queria ver se você iria rir se fosse com o Dr. Taehyung. - Jimin alfineta e Hoseok se cala, logo Mina, Nayeon e Sana dão risada.

-Tão rindo por que? Aposto que você Nayeon ia ficar emburrada que nem criança se fosse com a Jeongyeon, e vocês, Mina e Sana, também iam ficar assim se fosse com Tzuyu e Chaeyoung, não sou cega. - Falo e logo as três se calam.

-Okay paramos. - Nayeon fala.

-Oi meu amor. - Escuto HyunA, "ah não" penso assim que sinto ela me abraçar e tentar beijar.

-Ah não Hyuna, nem vem, a gente tava se divertindo até você chegar, por que não desiste da Momo? Não vê que ela não te quer? - Nayeon fala já irritada.

-Cala boca coelha, ela me quer sim, ela só não admite. - Ela fala e eu logo reviro os olhos.

-Hyuna vai embora por favor, eu não estou com paciência... - Falo tentando me livrar dela mas parece que a mesma gruda mais ainda.

-Hmm e se eu te acalmasse? Que tal? A gente podia ir lá no meu quarto... - Ela fala sussurrando a ultima parte e mordendo de leve o lóbulo da minha orelha logo beijando meu pescoço, me levanto desgrudando dela ficando muito desconfortável. Olho para Dahyun que parecia prestes a explodir.

-Eu falei pra sair daqui. - Nayeon fala de frente para a garota prestes a avançar.

-Hm que pena, pois eu não quero. - Ela sorri provocativa.

-Então vai por mal. - Nayeon fala e a pega pelos cabelos a arrastando para longe dali.

Todo mundo que estava no local estava olhando para nossa direção, vejo Jeongyeon, CL e Jihyo irem correndo para perto das duas.

-Nayeon solta o cabelo dela. - Jeongyeon fala segurando o pulso da mesma.

-Essa vadia fica incomodando a Momo, abusando e a deixando desconfortável, eu estou cansada disso, Momo não merece isso! - Nayeon fala quase gritando.

-Okay, ela vai parar mas preciso que voce solte o cabelo dela antes que a situação piore para o seu lado. - CL fala com autoridade e Nayeon bufa soltando a garota que cai no chão.

-SUA LOUCA DISSOCIATIVA. - Hyuna grita passando a mão pela cabeça que doía.

-O QUE DISSE? - Nayeon iria avançar mas é segurada por Jeongyeon que fala algo em seu ouvido, ela respira fundo e sai do local e Jeong vai logo atrás.

Suspiro nervosa vendo Hyuna sendo levada pelas doutoras, coloco minha mão em minha nuca e puxo meus cabelos repetidamente.

-Ta tudo bem Momoring? - Escuto a voz de Dahyun atrás de mim, me viro e a olho.

-Eu sabia que vir aqui era má ideia... - Falo ainda puxando meu cabelo.

-Hey ta tudo bem, olha pra mim. - Ela fala pegando minhas duas mãos, fazendo eu parar de puxar o cabelo. -Aquela idiota não vai mais te incomodar.

-Hmm acho que ainda vai... - Falo incerta e vejo o tal Jungkook vir ficando atrás de Dahyun, fecho a cara.

-Voce está bem? Momo, certo? - Ele fala sorrindo, percebo que ele tem dentes de coelho que nem Nayeon.

-Estou. - Respondo seca, vejo Dahyun estranhar meu tom de voz.

-Chimmy! - Jungkook fala ao ver Jimin atrás de mim.

-Oi Jungkook. - O mesmo fala também seco e o mais alto estranha.

-Ele é seu namorado? - Pergunto para Dahyun de forma que disfarça meu ciúmes.

Os dois apenas me olham por alguns segundos até cair na gargalhada, fazendo eu e Jimin ficar com cara de tacho. (n/a: tipo o meme do Mike Wazowsky hehe)

-N-Nem aqui e nem em marte! - Dahyun fala entre risadas limpando a lágrima de tanto que riu.

-Somos apenas melhores amigos. - Jungkook fala assim que para de rir.

Sinto um enorme alívio me invadir e acabo soltando um suspiro quase não notável, Dahyun me olha de uma forma que eu não sabia explicar, meus olhos param nos seus, eram profundos e com um significado que eu não sabia decifrar, ela sorri levemente me fazendo sorrir automaticamente.

-Bom, eu e Jimin estamos com fome, vocês querem ir comer? - O garoto com dentes de coelho fala com a mão no ombro de Jimin que sorria levemente.

-Não me pergunte isso que com certeza eu estou com fome. - Falo passando a mão em minha barriga e eles riem, faço bico por isso.

-Aish! Que fofa! - Dahyun fala apertando minhas bochechas que me faz corar.

-O-Okay, vamos. - Falo tentando disfarçar e volto a andar com eles rindo baixinho atrás.


Notas Finais


espero ter alimentado bem vocês :)

fiquem bem nessa quarentena


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...