1. Spirit Fanfics >
  2. Alfa e ômega >
  3. Capitulo 1

História Alfa e ômega - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capitulo 1


Meu nome é Chinmi Nonemi, tenho 24 anos e faço o curso de adm (no caso, administração), hoje é meu primeiro dia na faculdade e já esta sendo um saco, são todos tão sorridentes e felizes, realmente irritante, pessoas alegres de mais me dão nos nervos. Agora eu estou indo para minha ultima aula da manhã, artes, uma merdaassim como todas as outras, hoje nós estamos apenas conhecendo os professores e onde vão ser nossas salas, apresentações e todo esse bla bla bla, ou seja, perca de tempo.

Eu prefiro não olhar muito para as pessoas desconhecidas, caso não tenha dado para perceber, ao menos para isso ter 1 e 88 de altura facilita minha vida, mas faz de mim um poste ambulante para a maioria, mas eu nem me importo mais. No caminha varias pessoas me cumprimentam, eu apenas ignoro, mau posso espera para chegar na sala e não ter que interagir mais com ninguém.

Eu observo os posters, a mesma merda motivacional de sempre, “Não desista”, ou, “Siga em frente”, coisas assim só me fazem querer da um soco na cara de quem botou isso lá, até parece que isso algum dia já mudou a vida de alguém. De repente, um baque, eu olho para baixo, uma garoto trombou comigo, se não fosse pelos cadernos eu ia jurar que era um duende, porque senhor, que menina baixinha, eu acho que ela é uma anã.

- Desculpa! Eu me distrai.- Ela diz em quanto se abaixa para pegar os livros.

- Tanto faz- Eu respondo dando a volta e seguindo meu rumo.

-  Voce não vai ajuda-la? – Um cara me para e pergunta. Ele é um pouco alto, mas é mais baixo que eu, deve ter uns 1 e 80 ou sei lá. Aparentemente um beta.

- Foi ela que esbarrou comigo, eu não tenho obrigação de fazer isso, nem quero. – Eu respondo.

- Se eu fosse você eu não faria isso- Ele aponta para um canto do corredor, um cara me encara, ele parece furioso, ele é um alfa, consigo sentir seus feromônios daqui, são bem fortes.

- Aquele cara te encarando, é o irmão mais velho dela, ele é super protetor e um alfa dominante, mesmo que tenha sido sem querer ele deve achar que você esta implicando com ela, então, se eu fosse você iria ajuda-la.

- Ajuda minha bunda, se ele achava que eu estava perturbando a irmã dele, eu vou fazer ele ter certeza.

Eu ando até ela, e fico parado na frente da mesma que ainda estava pegando uns papeis que caíram no chão junto com os livros.

- Deprimente, você é tão miserável.

Ela levanta o olhar para me ver por uns segundos, mas logo abaixa a cabeça de novo. Ela tem um rosto fofo, e isso me irrita.

- Que modos horríveis, você tem que olhar para a pessoa que esta falando com você, eu ate faria você fazer isso, mas você é tão pequena que eu teria de praticamente me deitar no chão para alcançar a sua altura.

Eu olho para um papel no chão, caiu de um dos livros dela, eu pego ele antes que ela o fassa.

- Vejamos o que temos aqui, algumas anotações de química han? Formulas e mais formulas, que bobeira.

Eu rasgo o papel em vários pedaços.

- Opa. O que voce vai fazer sobre isso?

Ela levanta-se vagarosamente, eu não sei o motivo, mas eu segurei seu braço antes que ela pudesse passar por mim.

- Eu ainda não terminei!- Eu digo puxando-a, ela olha para mim.

O olhar dela estava choroso, mas isso não importava, na verdade só me deixava mais irritado, eu jogos os restos do papel no chão e sigo meu caminho, todos me encaram e eu sinto que o olhar do irmão dela continuava em mim, com odio, desgosto e vontade de me matar. Talvez eu tenha peado um pouco pesado, mas isso não importa, alias, eu nem ligo.

Logo ao entrar na sala percebo uma leve diferença, as mesas possuem duas cadeiras cada, meu instinto me diz para sair daqui, com a sorte que eu tenho certeza que minha dupla vai ser um alfa de merda e idiota, mas assim que me viro dou de cara como professor.

- Bom dia jovem.- Ele diz enqunto passa por mim e se senta em sua mesa, que ficava na frente de todas as outras no canto da sala, ele é bem jovem para ser um professor, aparenta ter uns 25, 26 anos, é meio alto, uns 1,85 de altura, cabelos ruivos, olhos verdes, sardas..Provavelmete um beta. Ele carrega uma garrafinha d' agua de metal com a estampa de algum personagem qualquer de anime, dela escorrem algumas gotas de agua.

- Então...Não vai se sentar? A aula esta prestes a começar.- Ele diz dando tomando um gole do que eu achava que era agua, que estava em sua garrafinha, mas deixa cair algumas gotas roxas em sua blusa social branca que estva por dentro de sua calça jeans. Não é possivel que e plena segunda-feira d manhã esse cara está bebendo vinho!?

- Eu preciso ir no banheiro- Respondo apontando para o lado de fora com meu polegar.

- Não se preocupe, a aula de hoje vai ser rapida, voce pode ir depois.- Ele dá um sorrisinho. Muito provavelmente ele sabia que eu não ia voltar para aquela sala. Cara mais chato.

Ando até a ultima cadeira da sala no canto esquerdo, de frente para uma janela coberta por umas cortinas cinzas, bem feias.

- Professor- Eu digo, ele olha para mim.- Tem uma mancha, na sua camisa.- Ele abaixa a cabeça e encara a mancha por meio segundo.

- Droga!- Ele começa a esfregar a mancha, mas ela apenas se espalha ainda mais. - Essa era a minha camisa favorita.

Começo a olhar para o lado, encarando a parede, indo para outro lugar. Meu refugio mental. Um lugar onde eu não tenha que ir para a faculdade porque meu pai quis, um lugar onde eu não tenha que andar sempre com uma cartela de supresores pra tudo quanto é lugar que eu vou por ter um cio descontrolado, um lugar onde todos não esfreguem na minha cara que eu sou a decepção da familia, um lugar onde eu não tenha nascido a porra de um ÔMEGA.

- Acho que todos chegaram, então vamos começar a aula!- Diz o professor interrompendo meus pensamentos.

Ninguem sentou ao meu lado, felizmente, mas depois do que aconteceu no corredor já era de se esperar, olho para frente e para os arredores da sala, parece que eu não sou o unico que teve de ficar sozinho, ao canto da sala nas mesas da frente, um garoto loiro de pele morena rabisca em uma folha de caderno, ele deve ser louco, não por rabiscar na hora da aula, mas por usar um cachecol em pleno verão, eu não duvido nada que daqui até o final da aula ele tenha um desmanho ou algo parecido por conta do calor. Ele arranca a folha de papel e passa para a mesa ao lado, meus olhos acompanham o papel até que ele chega a mesa do meio, uma garota ruiva pega o papel, seus cabelos são como fogo, visivelmente pintado por conta das pontas desbotadas, ela pega o papel, lê, da uma risada e olha para o garoto. Serio isso, estamos na faculdade e não na quinta serie.

Continuo olhando, ela cutuca a garota sentada ao seu lado para mostrar o papel e ... Não, não não, não, não, quais as provabilidades disso?

A pessoa ao lado da garota do cabelo de fogo, é a mesma menina que eu humilhei mais cedo.

Ela olha o papel, assente, e volta a prestar atenção no que o professor esta falando...É mesmo, o professor, é melhor eu prestar ao menos um pouco de atenção no que ele esta dizendo se não o pai vai me dar uma bronca, não que eu me importe, mas já vai ser a quinta da semana.

- Então, agora que eu já expliquei tudo, formem suas duplas.

Oi? Eu deixo de prestar atenção por um minuto e ja temos que formar duplas? Bem, tanto faz, provavelmente eu vou fazer dupla com aquele loiro doido de pedra.

Olho para frente novamente, a garota ruiva se senta ao lado dele.

- Vejo que voces dois ficaram sem duplas, porque não formam uma?

Passo meu olhar pela sala toda para saber de quem ele estava falnado, além de mim. Paro na fileira da frente, a mesa centralizada. Minha dupla é a garota nerd e sem sal que eu pertubei mais cedo, se isso não é karma, eu realmente não sei o que é.

Meu nome é Chinmi Nonemi, tenho 24 anos e faço o curso de adm (no caso, administração), hoje é meu primeiro dia na faculdade e já esta sendo um saco, são todos tão sorridentes e felizes, realmente irritante, pessoas alegres de mais me dão nos nervos. Agora eu estou indo para minha ultima aula da manhã, artes, uma merdaassim como todas as outras, hoje nós estamos apenas conhecendo os professores e onde vão ser nossas salas, apresentações e todo esse bla bla bla, ou seja, perca de tempo.

Eu prefiro não olhar muito para as pessoas desconhecidas, caso não tenha dado para perceber, ao menos para isso ter 1 e 88 de altura facilita minha vida, mas faz de mim um poste ambulante para a maioria, mas eu nem me importo mais. No caminha varias pessoas me cumprimentam, eu apenas ignoro, mau posso espera para chegar na sala e não ter que interagir mais com ninguém.

Eu observo os posters, a mesma merda motivacional de sempre, “Não desista”, ou, “Siga em frente”, coisas assim só me fazem querer da um soco na cara de quem botou isso lá, até parece que isso algum dia já mudou a vida de alguém. De repente, um baque, eu olho para baixo, uma garoto trombou comigo, se não fosse pelos cadernos eu ia jurar que era um duende, porque senhor, que menina baixinha, eu acho que ela é uma anã.

- Desculpa! Eu me distrai.- Ela diz em quanto se abaixa para pegar os livros.

- Tanto faz- Eu respondo dando a volta e seguindo meu rumo.

-  Voce não vai ajuda-la? – Um cara me para e pergunta. Ele é um pouco alto, mas é mais baixo que eu, deve ter uns 1 e 80 ou sei lá. Aparentemente um beta.

- Foi ela que esbarrou comigo, eu não tenho obrigação de fazer isso, nem quero. – Eu respondo.

- Se eu fosse você eu não faria isso- Ele aponta para um canto do corredor, um cara me encara, ele parece furioso, ele é um alfa, consigo sentir seus feromônios daqui, são bem fortes.

- Aquele cara te encarando, é o irmão mais velho dela, ele é super protetor e um alfa dominante, mesmo que tenha sido sem querer ele deve achar que você esta implicando com ela, então, se eu fosse você iria ajuda-la.

- Ajuda minha bunda, se ele achava que eu estava perturbando a irmã dele, eu vou fazer ele ter certeza.

Eu ando até ela, e fico parado na frente da mesma que ainda estava pegando uns papeis que caíram no chão junto com os livros.

- Deprimente, você é tão miserável.

Ela levanta o olhar para me ver por uns segundos, mas logo abaixa a cabeça de novo. Ela tem um rosto fofo, e isso me irrita.

- Que modos horríveis, você tem que olhar para a pessoa que esta falando com você, eu ate faria você fazer isso, mas você é tão pequena que eu teria de praticamente me deitar no chão para alcançar a sua altura.

Eu olho para um papel no chão, caiu de um dos livros dela, eu pego ele antes que ela o fassa.

- Vejamos o que temos aqui, algumas anotações de química han? Formulas e mais formulas, que bobeira.

Eu rasgo o papel em vários pedaços.

- Opa. O que voce vai fazer sobre isso?

Ela levanta-se vagarosamente, eu não sei o motivo, mas eu segurei seu braço antes que ela pudesse passar por mim.

- Eu ainda não terminei!- Eu digo puxando-a, ela olha para mim.

O olhar dela estava choroso, mas isso não importava, na verdade só me deixava mais irritado, eu jogos os restos do papel no chão e sigo meu caminho, todos me encaram e eu sinto que o olhar do irmão dela continuava em mim, com odio, desgosto e vontade de me matar. Talvez eu tenha peado um pouco pesado, mas isso não importa, alias, eu nem ligo.

Logo ao entrar na sala percebo uma leve diferença, as mesas possuem duas cadeiras cada, meu instinto me diz para sair daqui, com a sorte que eu tenho certeza que minha dupla vai ser um alfa de merda e idiota, mas assim que me viro dou de cara como professor.

- Bom dia jovem.- Ele diz enqunto passa por mim e se senta em sua mesa, que ficava na frente de todas as outras no canto da sala, ele é bem jovem para ser um professor, aparenta ter uns 25, 26 anos, é meio alto, uns 1,85 de altura, cabelos ruivos, olhos verdes, sardas..Provavelmete um beta. Ele carrega uma garrafinha d' agua de metal com a estampa de algum personagem qualquer de anime, dela escorrem algumas gotas de agua.

- Então...Não vai se sentar? A aula esta prestes a começar.- Ele diz dando tomando um gole do que eu achava que era agua, que estava em sua garrafinha, mas deixa cair algumas gotas roxas em sua blusa social branca que estva por dentro de sua calça jeans. Não é possivel que e plena segunda-feira d manhã esse cara está bebendo vinho!?

- Eu preciso ir no banheiro- Respondo apontando para o lado de fora com meu polegar.

- Não se preocupe, a aula de hoje vai ser rapida, voce pode ir depois.- Ele dá um sorrisinho. Muito provavelmente ele sabia que eu não ia voltar para aquela sala. Cara mais chato.

Ando até a ultima cadeira da sala no canto esquerdo, de frente para uma janela coberta por umas cortinas cinzas, bem feias.

- Professor- Eu digo, ele olha para mim.- Tem uma mancha, na sua camisa.- Ele abaixa a cabeça e encara a mancha por meio segundo.

- Droga!- Ele começa a esfregar a mancha, mas ela apenas se espalha ainda mais. - Essa era a minha camisa favorita.

Começo a olhar para o lado, encarando a parede, indo para outro lugar. Meu refugio mental. Um lugar onde eu não tenha que ir para a faculdade porque meu pai quis, um lugar onde eu não tenha que andar sempre com uma cartela de supresores pra tudo quanto é lugar que eu vou por ter um cio descontrolado, um lugar onde todos não esfreguem na minha cara que eu sou a decepção da familia, um lugar onde eu não tenha nascido a porra de um ÔMEGA.

- Acho que todos chegaram, então vamos começar a aula!- Diz o professor interrompendo meus pensamentos.

Ninguem sentou ao meu lado, felizmente, mas depois do que aconteceu no corredor já era de se esperar, olho para frente e para os arredores da sala, parece que eu não sou o unico que teve de ficar sozinho, ao canto da sala nas mesas da frente, um garoto loiro de pele morena rabisca em uma folha de caderno, ele deve ser louco, não por rabiscar na hora da aula, mas por usar um cachecol em pleno verão, eu não duvido nada que daqui até o final da aula ele tenha um desmanho ou algo parecido por conta do calor. Ele arranca a folha de papel e passa para a mesa ao lado, meus olhos acompanham o papel até que ele chega a mesa do meio, uma garota ruiva pega o papel, seus cabelos são como fogo, visivelmente pintado por conta das pontas desbotadas, ela pega o papel, lê, da uma risada e olha para o garoto. Serio isso, estamos na faculdade e não na quinta serie.

Continuo olhando, ela cutuca a garota sentada ao seu lado para mostrar o papel e ... Não, não não, não, não, quais as provabilidades disso?

A pessoa ao lado da garota do cabelo de fogo, é a mesma menina que eu humilhei mais cedo.

Ela olha o papel, assente, e volta a prestar atenção no que o professor esta falando...É mesmo, o professor, é melhor eu prestar ao menos um pouco de atenção no que ele esta dizendo se não o pai vai me dar uma bronca, não que eu me importe, mas já vai ser a quinta da semana.

- Então, agora que eu já expliquei tudo, formem suas duplas.

Oi? Eu deixo de prestar atenção por um minuto e ja temos que formar duplas? Bem, tanto faz, provavelmente eu vou fazer dupla com aquele loiro doido de pedra.

Olho para frente novamente, a garota ruiva se senta ao lado dele.

- Vejo que voces dois ficaram sem duplas, porque não formam uma?

Passo meu olhar pela sala toda para saber de quem ele estava falnado, além de mim. Paro na fileira da frente, a mesa centralizada. Minha dupla é a garota nerd e sem sal que eu pertubei mais cedo, se isso não é karma, eu realmente não sei o que é.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...