História All We Need Is Love (Em correção) - Capítulo 54


Escrita por:


Notas do Autor


Olha quem voltou? Sim eu mesma!

Como foi o ano novo de vcs? Passaram bem? Espero q sim porq eu fiquei em casa o dia todo enchendo o rabo de rabanada e pastel ❤

Esse é o primeiro capítulo do ano!! ♥

Surtemos! 😵❤

Boa leitura amores meu 💕

Capítulo 54 - Por que não me conta nada?


Fanfic / Fanfiction All We Need Is Love (Em correção) - Capítulo 54 - Por que não me conta nada?

                    P.O.V. Félix


Depois que Bridgette subiu eu fui pra cozinha beber um pouco d'água e tentar lembrar qual foi a merda que eu fiz pra ela mudar de humor tão rápido.

O problema só pode estar em mim, porque porra...

O jantar que eu fiz pra ela pareceu funcionar mais depois do filme ela ficou mau do nada. Eu não sei se foi algo que eu falei, se alguma atitude minha magoou ela, eu não sei. Mas ela também não me diz nada e isso só complica mais as coisas.

— O que houve meu filho? — ouço a voz do meu pai e tiro as mãos do rosto.

Ele anda até a cafeteira e tira o bule de café de lá.

— Nada, está tudo bem... — o sigo com olhar quando ele caminha até o balcão e pega uma caneca.

— Sei que não está nada bem, pode começar! — ele dita sério e seu pedido sai mais como uma ordem.

Suspiro, e melhor pedir conselho a alguém mais experiente.

— Poderia me responder uma coisa? — pergunto deixando meu copo de lado e sento na mesa.

— Claro — afirma passando o café do bule para a caneca.

— Como o senhor lidava quando a mamãe mudava de humor do nada quando mais jovem? — sou direto.

— Problemas com a Bridgette? — pergunta colocando a bule no lugar novamente e senta na minha frente com a caneca em mãos.

— Sim... — encaro minha mão e rodo o anel em meu dedo.

— Olha, sua mãe muda de humor do nada até hoje, não só quando éramos jovens — solta um sorriso de lado e eu rio também

— Mas me explique direito o que está acontecendo entre vocês — pede e dá um gole no seu café.

— A Bridgette é uma namorada muito atenciosa carinhosa incrível, nisso eu não tenho o que reclamar — dou um pequeno sorriso só de lembrar dela — Mas desde que voltamos da viagem ela está meio estranha...

— De eu jeito bom ou ruim? — me interrompe.

— Eu não sei, ela muda de humor constantemente, eu cheguei a pensar que o problema fosse eu sabe? Achei que não estava sendo um bom namorado, então junto com a mamãe preparei um jantar romântico pra ela, pareceu funcionar ela ficou extremamente feliz e só de ver ela sorrindo eu achei que estava tudo certo, ainda mais quando ela me certificou que eu não tinha nada haver com a mudança de humor dela e que era coisa de mulher, mas eu sinto que tem algo amais nisso eu acho que ela está mentindo pra mim, sei lá. Agora pouco estávamos assistindo a um filme e do nada ela disse que iria tomar banho e quando fui tentar beija-lá ela se afastou dizendo que não estava no clima e depois disse que iria dormir, a tristeza nos olhos dela era nítida eu sabia que ela tinha chorado, mas ela não quer me contar nada pai, sempre que eu pergunto se ela esta bem ela diz que sim mas eu sei que não está, eu sinto isso só de olhar nos olhos dela. — finalizo e suspiro frustrado.

— O que você acha que seja? — pergunta calmamente dando outro gole no café.

— Eu não sei, mas acho que ela está escondendo alguma coisa de mim... — confesso encarando o meu anel de namoro fixamente.

— Bom... — respira fundo — eu não sou nenhum especialista em mulheres mas eu sei que elas são criaturas extremamente sensíveis, podem mudar de humor por nada ou simplesmente por tudo. Mas eu acho que isso é algo natural, toda mulher pode passar por isso em uma fase da vida.

Porém se isso passar dos limites a chame pra conversar e diga tudo pra ela, de como você se sente em relação a isso e como querendo ou não isso te machuca, tenho certeza que ela irá te enteder e se abrir com você, só tente passar mais confiança pra ela. E se quer ajudá-la seja mais compreensível, permaneça do lado dela, seja mais presente diga que a entenda mesmo sem entende-la, seja carinhoso, respeite-a, ame-a verdadeiramente. E aposto que com isso já estará fazendo o suficiente por ela — me lança um sorriso caloroso e dá um último gole no café antes de se levantar.

— Nossa... — estou sem palavras, meu pai pode ser sério, mandão e um pouco frio as vezes mas tenho certeza que ele tem um grande coração e está sempre disposto a ajudar quem ama — Obrigado pai... — agradeço e me levanto também.

— Não tem de quê — caminha até a pia e lava a caneca a repousando no balcão — É me desculpe... — diz do nada e o olho confuso.

— Pelo o que?

— Por hoje, por ter feito você fazer muitas coisas, eu estava nervoso e com medo de algo dar errado, mas até que você se saiu bem no seu primeiro dia... — pousa a mão em meu ombro quando se aproxima.

— Tudo bem pai, não tem problema — o tranquilizo.

— Prometo que pego leve da próxima vez — sorri fraco — Boa noite e boa sorte com a Bridgette — da uns tapinhas no meu ombro e sai.

— Boa noite também e obrigado — agradeço e apago a luz da cozinha pronto para subir mas paro quando ouço a porta da sala abrir, era Adrien, ele estava com um sorriso enorme no rosto — O que aconteceu pra estar tão feliz? Faz tempo que não te vejo assim — pergunto alegre por vê-lo finalmente feliz.

— Me resolvi com a Mari, esclareci tudo e sábado nós iremos ter um encontro — sorri subindo as escadas mas para de repente — e aliás, parabéns cara — pisca pra mim e o encara confuso.

— Pelo que? Nem é meu aniversário...

— Esquece, na hora certa irá saber — diz por fim e sobe o resto dos degraus em direção aos seu quarto.

Será que está me parabenizando por ter assumido a empresa? Acho que se resolver com a Mari deve ter mexido com a cabeça dele.

Apago a luz da sala e subo as escadas calmamente, abro a porta do meu quarto sem fazer barulho e sorrio ao vê-la toda largada na cama enquanto dormia tranquilamente, quem vê assim nem imagina que é um furacão quando está acordada.

Vou direto pro banheiro e tomo um longo e relaxante banho, eu não sei o que está acontecendo com a Brid mas vê-la triste está me deixando pra baixo também, mas vou seguir o conselho do meu pai e contar tudo pra ela, como me sinto e vou tentar ser o mais sincero possível talvez ela me conte tudo também.

— Félix? — Brid me chama com a voz rouca quando deixo meu celular sem querer cair no chão quando saio do banho.

— Sou eu amor pode voltar a dormir... — pego o celular novamente e me sento na poltrona que tinha no canto do quarto.

— O que vai fazer?

— Ainda tenho algumas coisas do trabalho pra terminar — digo pegando o notebook que estava em uma mesinha ao lado.

— Sério? — pergunta se sentando na cama e esfrega os olhos depois de se espreguiçar.

— Sim, volta a dormir ainda está cedo — digo olhando para o notebook me concentrando no que teria que fazer quando Bridgette fecha o mesmo me fazendo olhá-la.

— Deixa isso pra depois... — tira o notebook das minhas pernas e coloca na mesa novamente, para a minha surpresa ela senta em meu colo e esconde o rosto na curva do meu pescoço.

Acaricinho seu cabelo e ela suspira me abraçando mais forte, eu poderia passar a noite inteira assim.

— O que foi meu amor? — pergunto afagando suas costas quando ouço um soluço escapar de seus lábios.

Porra, ela está chorando de novo e eu não sei o que fazer.

— N-Nada... — diz quase num sussurro.

— Brid me conta por favor, eu realmente estou preocupado com você — peço tirando seu rosto do meu pescoço e ela me olha com os olhos transbordando em lágrimas.

— Podemos conversar depois? Agora eu só quero que você fique comigo... — pede com a voz embargada e eu seco suas lágrimas.

— Claro, o que você quiser linda só não chore mais — peço com o coração apertado, vê-la assim me destrói por dentro.

Sem solta-lá levanto com ela ainda no meu colo e a coloco na cama me deitando ao seu lado ela por sua vez me agarra de imediato deitando uma parte do seu corpo em cima do meu.

Os soluços de Bridgette invadiam meus ouvidos e seus ombros tremiam enquanto ela me abraçava, já faz um tempo que estamos assim e Brid não parou de chorar um minuto se quer. Eu realmente não sei o que está acontecendo. Depois de um tempo sinto seu choro cessar aos poucos e seu aperto em meu braço diminuir, ela se afasta e coloco a mão em cada lado de seu rosto secando as lágrimas e afasto os fios de cabelo que cobriam o mesmo, seus belos olhos azuis estavam vermelhos.

Merda! Eu odiava ver minha garota chorar.

— Pode por favor me dizer o que está acontecendo? Alguém te machucou? Eu fiz alguma coisa? — pergunto a última frase com medo da resposta, se fosse eu o motivo do seu choro jamais irei me perdoar.

Ela me olha por um tempo e seu semblante volta a se entristecer e ela olha pra baixo desviando o olhar. Vejo uma lágrima escorrer de seu olho mas limpo rapidamente.

— Eu já disse que não é você... — diz baixo levando a mão até meu rosto e faz um carinho ali.

Será que ela está mesmo falando a verdade?

Suspiro sabendo que ela não iria me dizer nada mesmo, a envolvi novamente em meus braços e senti ela repousar a cabeça novamente em meu peito. Deposito um beijo no topo da sua cabeça e afago seus cabelos vendo ela fechar os olhos lentamente. Não sei quanto tempo se passou até que a respiração de Bridgette se normalizase e eu percebesse que ela finalmente tinha dormido.

Eu só queria saber o porquê de tanta dor e tristeza da parte dela.

────────── ♡ ──────────

O relógio já marcava seis da manhã e eu via a luz do sol adentrar o quarto lentamente, fiquei a madrugada inteira acordado observando Brid dormir, sempre que conseguia pregar os olhos eu ouvia o som do seu choro e acabava acordando, então resolvi ficar acordado pra consolá-la toda vez que ela acordasse no meio da noite pra chorar.

Só depois das quatro ela finalmente conseguiu pegar no sono. Agora ela dormia tranquilamente com a cabeça repousada em meu peito, suas bochechas tinham um leve tom avermelhado, seu cabelo azulado estava solto e espalhado pelas suas pequenas costas uma das mãos sobre meu peitoral e suas pernas enroscadas na minha.

Quando estava próximo das sete o cheiro que eu tanto amo invade minhas narinas assim que Brid se movimenta em cima de mim, era uva, o cheiro dos seus cabelos. Vejo ela abrir os olhos lentamente até eles se acostumarem com a claridade e me encarar por alguns instantes antes de me lançar um sorriso tímido.

— Bom dia — retribuo seu sorriso — Está melhor? — pergunto e levo uma das mãos até seu cabelo.

— Ficou a madrugada inteira acordado? — ignora minha pergunta e leva a mão até a lateral do meu rosto passando o polegar em minha bochecha.

— Fiquei preocupado com você — digo acariciando seus cabelos.

— Me desculpe por isso... — pede desviando o olhar — Não precisava se preocupar comigo, você deve estar exausto e...

— Não se desculpe — a interrompo — E precisava sim, você é minha namorada, eu me importo com você... — beijo sua testa e ela me olha por uns estantes e dá um pequeno sorriso de lado balançando a cabeça negativamente e sai de cima de mim se deitando ao meu lado.

— Eu te amo idiota... — não evito sorrir quando seus dedos finos alcançam meus cabelos e fazem uma carícia leve ali.

— Também te amo — sorrio olhando fixamente a imensidão azul que são seus olhos.

— Eu... — ela iria começar mais é interrompida pelo som de ronco que veio da sua barriga e isso acaba nos fazendo rir.

— Acho que tem alguém precisando comer — digo ainda rindo e levo a mão em direção a sua barriga.

Assim que toco a mesma ela arregala levemente os olhos e se senta na cama rapidamente se afastando do meu toque.

— O que foi? Eu fiz algo de errado?

— N-Não, não é nada e-eu só... — desvia o olhar para as mãos — Eu... eu realmente estou com fome — levanta o rosto e me olha com um sorriso fraco.

— Tá bem... — franzi o cenho a olhando — Só irei escovar os dentes e aí descemos — falo e me levanto para ir ao banheiro.

Assim que chego lá paro em frente ao espelho e pego minha escova colocando um pouco da pasta na mesma e começo a escovar meus dentes.

Eu não sei o que está acontecendo! Bridgette acabou de recuar ao meu toque novamente, ela estava tão bem agora pouco, será que sou eu que estou errando no nosso relacionamento? Será que estou fazendo o suficiente por ela? O problema está em mim?

Suspiro pesado e cuspo a espuma da pasta na pia me curvando um pouco para lavar minha boca. Assim que termino me levanto e encaro meu reflexo no espelho notando as olheiras que tinham se formado pela noite mal dormida.

Essas mudanças de humor da Bridgette estão acabando comigo, eu não sei mais o que fazer em relação a isso, ela não me conta nada, não diz o que sente e nem conversar ela quer, eu estou perdido!

Tento segurar as lágrimas, mas é em vão.

"Seja mais compreensível, permaneça do lado dela, seja mais presente diga que a entenda mesmo sem entende-la, seja carinhoso, respeite-a e ame-a verdadeiramente."

Ouço as palavras do meu pai vindo a tona na minha mente e limpo as lágrimas rapidamente.

"Aposto que com isso já estará fazendo o suficiente por ela"

Respiro fundo me recuperando e taco água no meu rosto tentando me acalmar. Eu vou ser forte por ela, vou ser forte pela Bridgette mesmo sem saber o que diabos está acontecendo com ela, mesmo que ela não queira me contar não vou deixá-la sozinha nessa. Ela não merece passar sozinha por seja lá o que ela esteja passando!

Saio do banheiro e volto para o quarto me deparando com ela deitada com uma das mãos repousada na barriga enquanto olhava fixamente para o teto.

Caminho até ela e estendo minha mão cauteloso.

— Vamos?

Ela me olha com um pequeno sorriso no rosto e se levanta entrelaçando sua mão na minha.

— Vamos — afirma e deixa ser guiada por mim.

Fazemos o caminho até a cozinha em silêncio e damos de cara com minha mãe e Ellie sentadas na mesa juntas enquanto tomavam o café da manhã.

— Bom dia! — beijo o topo da cabeça das duas loiras na mesa carinhosamente e me junto a elas.

— Bom dia — Brid diz baixo se sentando também.

E as duas retribuem com um grande sorriso.

Lembro que Bridgette estava com fome e me levanto para servi-la. Caminho até o balcão e pego os waffles que já estavam prontos em cima de um prato e entrego a ela.

— Com calda ou sem? — pergunto estendendo a pequena jarra que continha a calda.

— Com, é claro — diz óbvia e eu coloco a quantidade que ela queria.

Me sento na mesa depois de me servir também e encho um copo com suco e entrego para ela.

— Meu filho é um cavaleiro... — minha mãe diz hipnotizada me olhando — Está vendo filha? Você tem que arrumar um namorado igual ao seu irmão — ela diz olhando agora para Ellie.

A mesma a olha estranho e volta a comer.

— Mãe... — sou interrompido por Adrien que entra na cozinha.

— Que namorado o que? Ela só tem sete anos! — Adrien olha para mamãe com uma carranca e a mesma sorri.

— Eu só estava avisando pra ela se preparar no futuro — minha mãe faz careta e Adrien se senta na mesa se servindo.

— Ainda está muito cedo pra ela se preparar pro futuro! — digo também não gostando nem um pouco da idéia dela.

— Vocês são ciumentos demais — Brid bufa.

— Ciumentos? Ela só tem sete anos! — Adrien diz pausadamente enquanto olhava para Brid.

— Já estou sentindo pena da Ellie quando chegar aos quinze — Brid balança a cabeça negativamente.

— Eu juro que se algum garoto se aproximar dela eu... — Adrien começa mas é interrompido pela irmã.

— Vocês não acham que está na hora de irem para o trabalho? — alterna o olhar entre eu e Adrien com tédio.

— Querida, eu sou o chefe, eu faço meu próprio horário agora, resumindo eu vou a hora que eu quiser... — sorrio convencido e toco seu nariz.

— Não é bem assim! Hoje é seu segundo dia, você ainda tem bastante coisa pra fazer antes de ter essa moral toda — meu pai aparece na cozinha cortando meu barato e todos começam a rir de mim, incluindo Bridgette, era um sorriso verdadeiro, eu senti falta disso.

Agradeço a meu pai mentalmente por ter feito ela sorrir mesmo sem saber.

— Qual é pai?! — reclamo em um tom brincalhão.

— Ninguém mandou se gabar como um idiota — responde calmamente e se senta na mesa também.

Tomamos o café com bastante assunto e risadas mas Brid ficou em silêncio a maior parte do tempo e isso já estava me incomodando. Depois do café resolvi levar ela para o jardim para podermos finalmente conversar, sobre tudo o que está acontecendo.

— Então, quando vai me contar? — pergunto colocando uma cadeira pra ela se sentar e coloco uma em sua frente pra mim.

— Eu não tenho nada pra contar — responde com o olhar baixo quando se senta na cadeira.

— Bridgette não mente pra mim! — pesso respirando fundo e tento manter a calma.

— E-Eu não estou mentindo Félix... — insiste.

— Porra Bridgette! Então você chora pelos cantos porque você gosta?!

— N-Não é isso, é que eu... — para de falar e olha pra baixo.

— É que você o que Bridgette? Eu já estou cansado de tudo Isso, não é só você que está sofrendo, ver você assim acaba comigo também!

— Não queria que fosse assim — diz baixo e as lágrimas já caiam por seu rosto.

— Então porque você não larga a porra desse orgulho e pensa em mim também?! — a olho atentamente.

— É que eu tenho medo Félix... — confessa com a voz embargada.

— Medo de quê? Porque não me conta?

— Medo de você me rejeitar! — diz e seca as lágrimas.

— Eu não sei que merda está acontecendo com você Bridgette! Entenda que independente do que acontecer eu sempre vou estar aqui pra você! — me altero um pouco.

— E-Eu não consigo F-Félix! — ela já estava aos prantos.

— Você não confia em mim?

— Confio mas...

— Sempre tem que ter um "mas" né?! Bridgette, eu estou cansado de tentar te compreender o tempo todo! — me levanto aumentando o tom de voz e ela parece se assustar — Quando você resolver me contar o que realmente está acontecendo você volta aqui pra falar comigo!

— Félix... — chama por meu nome por um fio de voz.

— Vai embora Bridgette! — aponto para porta.

— Você não precisa falar assim — me encara com os olhos vermelhos por conta do choro.

— Acontece que eu já perdi a porra da pouca paciência que me restava! — grito e ela me olha assustada, eu nunca alterei a voz com ela, mas eu já estou exausto.

— Você tem que me entender, eu não estou assim porque quero...

— Já tentei te entender demais Bridgette e agora eu cansei! — sorri amargurado.

— Félix não precisa ser assim...

— Eu mandei você ir embora! — grito a interrompendo.

Ela me olha com os olhos cheios de lágrimas por alguns segundos e morde os lábios reprimindo o choro antes de balançar a cabeça negativamente e sair dali me dando as costas.

Solto a respiração que eu nem sabia que estava prendendo e me sento na cadeira apoiando os cotovelos em minha perna e escondo meu rosto com a mão respirando fundo.

– Que merda foi aquela? Por que a Brid saiu chorando daquele jeito?! – Adrien fala com raiva.

– Não se mete Adrien! – pesso ainda com a mão no rosto.

– Você não pode a tratar desse jeito Félix ela está... – se interrompe respirando fundo.

– O que iria dizer? – pergunto curioso tirando a mão do rosto.

– Não é nada. Você foi um babaca com ela, espero que se desculpe logo! – me olha com decepção e sai me deixando sozinho.

Adrien está certo eu fui sim um babaca com ela mas eu não aguentava mais ver ela chorando sem poder fazer nada e sem saber o motivo.

Vou para o banheiro tomar banho e me arrumar para o trabalho, assim que saio de lá enrolo uma toalha na cintura e vou para meu quarto colocar aquele maldito terno. Eu odeio usar terno mas essa é uma das regras do meu pai impôs para poder assumir a empresa, diz ele que com um terno eu tenho mais poder sem contar a elegância que ele traz.

Mas ele não entende que eu estou pouco me fudendo pra elegância e poder!

Já arrumado desço as escadas em direção a sala e me jogo no sofá colocando a mão no rosto e dou um suspiro fundo.

Será que Bridgette deve estar chorando agora por minha causa? Eu fui muito grosso com ela.

– Não sente assim vai amassar seu terno! – meu pai diz passando pela sala e eu bufo revirando os olhos disfarçadamente.

– Já estou arrumado vamos?! – Adrien para em minha frente e eu me levanto pegando a chave do carro em cima da mesa de centro.

Quando saímos de casa vou em direção a garagem para tirar meu carro de lá mas paro quando vejo uma pequena figura raivosa sair da casa a nossa frente.

– Que porra você fez pra minha irmã estar chorando tanto?! – Marinette pergunta com ódio nos olhos quando chega perto o suficiente.

– Eu... – ela não me deixa terminar e me dá um soco no rosto.

– Mas que porra? – olho pra ela com os olhos arregalados – Por acaso enlouqueceu?! – levo a mão até a maçã do rosto no lugar onde ela socou e ela apenas revira os olhos.

– Porra isso dói – faz careta sacudindo a mão aberta – Primeiro, Isso é pra você aprender a não magoar minha irmã e segundo quando chegar da merda desse trabalho você vai se desculpar pela merda que você fez! – me olha com ódio e desvia o olhar para Adrien que observava tudo atentamente com um sorrisinho no rosto.

Ela caminha até ele tímida e com um sorriso pequeno, nem parece a garota que acabou de socar minha cara a segundos atrás.

– Oi princesa – ele comprimenta lhe dando um selinho rápido – Sua mão está doendo muito? – pergunta segurando a mesma e deposita um beijo em sua mão.

– Um pouco... – responde baixo.

– Cara! Eu acabei de levar um soco no rosto e você está preocupado com a mão dela?! – pergunto indignado.

– Você mereceu idiota! – responde sem me olhar e a puxa pela cintura para um beijo mais longo.

Desvio o olhar passando a língua entre os lábios não contendo um riso surpreso por com esses dois ignorarem completamente e vou até a garagem para tirar o carro de lá.

Assim que saio aperto a buzina com força fazendo eles pararem o beijo e me olhar assustados.

– Eu não tenho o dia toda crianças! – bufo e Adrien lhe dá um selinho antes de se afastar com um sorriso e entrar no carro.

– Te amo! – ele grita acenando pela janela.

– Amo mais! – ela responde com as bochechas vermelhas.

Reviro os olhos enjoado com tanta melação e acelero o carro dando partida.

– Hey! Se seu relacionamento está ruim não precisa ficar incomodando com o meu – ele protesta com raiva e eu o ignoro.

– Não enche Adrien! – respiro fundo e me concentro no caminho para a empresa.

– O que você disse para Brid? – pergunta como quem não quisesse nada.

– Porque quer saber? – pergunto sério.

– Por nada... Só pra puxar assunto mesmo – diz e olha para o lado de fora.

– Eu acabei me exaltando e acabei sendo grosso com ela – olho para ele rapidamemte.

– Porquê se exaltou?

– Por que ela não queria me contar o que estava acontecendo com ela, perdi a paciência gritei com ela e a mandei embora – falar essas coisas em voz alta era muito pior.

– Você vacilou... – diz soltando um leve assobio.

– Eu sei que vacilei não precisa reforçar isso! – o olho com raiva

– Está arrependido?

– Demais, se arrependimento matasse...

– aperto o volante com força querendo socar minha cara por ser tão estúpido.

– Cara tenta mesmo se desculpar com ela, você tinha que ver o jeito que ela chorava, era de cortar o coração... – faz uma careta.

– Eu vou me desculpar, sei que fui um idiota – digo e para o carro em uma vaga vazia do estacionamento da empresa.

– Só não demore pra fazer isso – diz e caminhamos juntos até o térreo quando travo o carro.

– Não vou demorar... – abro a porta e todos ali direcionam o olhar para nós.

– Bom dia senhor Agreste – o segurança na porta me comprimenta.

– Bom dia – respondo sem ânimo.

– Adrien! Você está atrasado! – ouço Morrice o fotógrafo de Adrien chamar sua atenção com raiva.

– Ontem cheguei mais atrasado e você não deu esse chilique – ele revira os olhos.

– É porque ontem você não iria ter um ensaio fotográfico com um dos modelos mais famosos do mundo! – exclama olhando mortalmente para Adrien.

– Sério? – pergunta com tédio enquanto entravamos no elevador e Morrice entra conosco.

– Sério! – o fotógrafo afirma

– Legal... – Adrien responde com deboche.

Morrice já foi meu fotógrafo quando eu era modelo e eu posso afirmar que no quesito chatisse ele dá aula, sempre foi muito pontual, não tolera atrasos e erros na sessão de fotos.

O elevador para no segundo andar e as portas se abrem e quem entra é Lila minha secretária, meu pai escolheu a mesma a dedo para me ajudar com os assuntos da empresa, contratos e essas coisas, ela trabalha muito bem porém a única coisa que a estraga é que ela vive dando em cima de mim e não me deixa em paz um minuto se quer, mas com isso não posso negar que ela é muito linda, seus cabelos longos cor de chocolate, sua pele morena é de enlouquecer qualquer homem. Mas eu não sou qualquer homem, não sinto nada por ela a única relação que temos é a profissional, ela não chega nem aos pés da minha garota.

– Devo lhe dizer que está atrasado Agreste? – Lila diz olhando para frente.

– Não, não deve – respondo secamente.

– Tudo bem, você assinou os papéis que entreguei na sua sala ontem? – me olha e eu nego, de quê papel ela está falando? – Assinou o contrato das empresas que querem fechar negócio com a gente? – neguei novamente e ela respira fundo fechando os olhos com força – Ao menos leu a mensagem de texto que te mandei por e-mail?!

– Não, não e não, não fiz nada do que você pediu – soltei um sorriso debochado.

– Félix isso não é uma brincadeira! Você tem que levar isso mais a sério! – dita com raiva.

– Boa sorte vai precisar – Adrien diz com um sorriso de lado quando o elevador para em seu andar e Morrice o segue com ódio.

– Vai precisar mais do que eu babaca! – me refiro Morrice que quase soltava fogo pelos olhos.

– Dá pra prestar atenção em mim? – Lila me olha com raiva.

– Fala Lila – dirijo minha atenção a ela.

– Você vai ter que assinar os papéis que não assinou, ler os acordos antes de assinar e ler a mensagem que te mandei é importante!

– Já acabou? – respiro fundo tentando não ser grosso com ela também.

Ela só está fazendo seu trabalho.

– Sim, o que ouve com você? Dormiu com a bunda virada pra lua? – tenta reprimir um sorriso.

– Minha vida fora do trabalho não é de seu interesse! – perco a paciência e fecho a porta do meu escritório na sua cara assim que entro nele depois de sair do elevador é claro.

Eu não costumo ser grosso com nenhum dos meus funcionários mas acontece que hoje não está sendo um dos meus melhores dias e parece que logo hoje tiraram o dia pra encher meu saco.

Já eram cinco da tarde e eu estou aqui dentro da porra desse escritório assinando contratos sem fim, lendo papéis chatos pra caralho e (infelizmente) importantes enquanto minha mente não sai da Bridgette, eu deveria estar com ela nesse momento depois de me desculpar pela burrada que fiz, mas não, eu estou aqui e tenho que esperar até as sete antes de dar um fora daqui!

Ouço batidas na porta e dou permissão para seja lá quem for entrar.

Lila abre a porta lentamente e entra, ela parecia cautelosa.

– Se for pra me entregar mais desses papéis você pode ir embora! – digo encarando um dos papéis importantes pra empresa enquanto me balançava na cadeira rolante.

– Não é isso, só vim saber como está – me lança um sorriso amigável.

– Eu já disse que não interessa! – altero a voz com raiva.

– Eu sei que sou sua secretária e estou abaixo do seu cargo mais isso não significa que você tem que me tratar com ignorância! Você mesmo disse que sua vida pessoal não é da minha conta mas você está descontando seja lá o que tenha acontecido com ela em mim, eu não tenho nada haver com isso tá legal? Eu vim aqui porque me preocupo com você! Está muito diferente do garoto doce que conheci no primeiro dia... – faz bico e se senta na cadeira em frente a minha mesa.

Ela até que tem razão, não posso misturar minha vida profissional com a pessoal e descontar minha raiva nela.

– Desculpa, não deveria ter descontado minha raiva em você... – baixo a guarda deixando o papel de lado.

– Me conta o que houve com você, posso ser muito mais que sua secretária se quiser – me olha maliciosa.

– Não é nada demais... – tento ignorar o duplo sentido na sua frase anterior.

– Meu Deus o que aconteceu com seu rosto?! – levanta da cadeira assim que nota o machucado acima da minha bochecha.

– Não foi nada – respondo sem olhá-la.

– Posso ao menos te ajudar a fazer o curativo? – pergunta fazendo um voz estranha, acho que ela tentou ser fofa mas não deu certo.

– Tá bem – aceito como uma forma de me desculpar por ser tão grosso com ela.

Ela comemora e caminha até um canto da sala e pega um caixinha de primeiros socorros e vem até mim. Ela puxa uma cadeira para perto e se senta começando a passar o algodão no pequeno corte, mas enquanto fazia isso ela praticamente esfregava os peitos em mim.

– Lila... – eu iria repreendê-la mas ela se levanta fingindo estar concentrada e senta no meu colo ainda passando a porra do algodão no meu rosto – Lila por acaso você a perdeu a... – quando começo a porta é aberta com brutalidade por Adrien que estava assutado.

– Mas que porra é essa?! – nos olha estranho – Foda-se! – balança a cabeça como se estivesse espantando os pensamentos recentes e tivesse que focar em outro.

– O que foi? – pergunto o olhando curioso.

– A B-Bridgette! – fala com os olhos arregalados e me levanto em um pulo tirando Lila do meu colo com um pouco de brutalidade.

– O que aconteceu com ela?! – pergunto preocupado.

– Ela... – respira fundo tentando recuperar o fôlego.

– Fala logo! Que merda aconteceu?! – apresso com raiva.

– Ela está no hospital!


Notas Finais


Pesadão né?

Amo vcs tá? Não matem a tia não 😬❤

Félix sofrendo por não saber oq está acontecendo com sua amada...

Tio Gabe dando conselhos...

Brid não querendo contar nada...

Félix perdendo a paciência e sendo um babaca com ela...

Brid parando no hospital...

Muitas emoções meus amigos, muitas emoções...

❗ATENÇÃO❗

Gente tenho um pedido pra fazer a vcs!!!

Tem um anjinho muito lindo vulgo @LoveAboveAll que está começando a fanfic dela agora, eu quando li juro que foi amor a primeira vista 💕

Se tiverem um tempinho dêem uma olhadinha lá, dar uma força pra que está começando agora é muito bom.

Se gostarem favoritem, eu particularmente amei!

Não esqueçam de comentar, comentários são muito importantes para incentivar os escritores ♥

Aposto q irão amar ❤

O link dessa preciosidade está aqui: https://www.spiritfanfiction.com/historia/high-society-17915436

Agora outro assunto, como vcs já devem ter visto a fanfic está em correção, eu não pretendo mudar nada, só estou tentando trazer um vocabulário melhor para a estória e corrigir alguns furos, sem contar com alguns errinhos ortográficos no decorrer da fanfic, esses problemas estão mais aparente nós primeiros capítulos da fic, são erros horríveis (sério, não sei nem como vcs conseguiram ler e gostar, se isso não é amor não sei o que é kkk). Eu estou corrigindo aos poucos, então se vcs virem alguma coisa um pouco diferente de quando vcs leram da primeira vez é porque eu já corrigi o capítulo. E podem ficar tranquilos que isso não vai atrasar os próximos capítulos eu continuarei escrevendo.

E quando o capítulo já estiver corrigido terá esse pequeno aviso no final do capítulo:
👉 ✪ Capítulo Corrigido 👈

Era só isso mesmo...

Amo vcs e muito obrigado por continuarem comigo todo esse tempo ♥

Comentem aí ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...