História Apenas colegas. - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Jhope!bottom, Jikook, Namgi, Namjin, Vhope, Vtop
Visualizações 51
Palavras 2.379
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - Final feliz.


Eles desceram as escadas de mãos dadas. Era domingo e Hoseok acordou cedo, tudo que queria era ir o mais rápido possível para casa. Apertou um pouco a mão de Taehyung quando os olhares dos presentes na sala se voltaram para si.

O senhor Kim, o senhor Philips, George e também Lucy estavam lhes esperando lá em baixo. Hoseok sorriu sem graça, estava receoso sobre a reação deles ao lhe verem vestido normalmente, mas relaxou ao ver que ninguém esboçou nenhuma reação forte.

–Bem, então você é realmente um homem afinal...– Senhor Philips comentou e riu sem graça, rompendo o silêncio e trazendo um clima ainda mais desconfortável. Taehyung lançou um olhar repressor para o tio e pigarriou.

–Hoseok-ah! Eu preciso falar com você!– George foi quem falou, interrompendo Taehyung, que pretendia dizer algo.

–Se você tem algo pra dizer, fale logo!– Taehyung respondeu por Hoseok, irritado. E George ainda pensou em protestar, mas apenas respirou fundo. 

–B-bem... Eu...– ele começou, esfregando as mãos nervoso e se aproximou mais dos outros dois rapazes. Respirou fundo outra vez, os olhos fixos no chão, e se ajoelhou ali. –Me perdoe, Hoseok-ah!– Ele exclamou alto em coreano, levando a testa contra o carpete. 

–Pare! O que você está fazendo?– Hoseok arregalou os olhos e apressou em se agachar para levanta-lo dali. 

–Hoseok-ah!– George exclamou chorado e se agarrou a cintura do mais velho fazendo-o quase ir ao chão também. –Eu juro que eu não mostrei o seu vídeo pra ninguém! Eu ia apagar, eu juro! Eu não sei como a Lucy conseguiu ele!– ele falou enrolado, engasgado com o choro. Taehyung bufou e contraiu os lábios vendo o primo agarrando seu namorado, mas apenas virou o rosto e deixou passar daquela vez. 

–Eu também queria perdir desculpas!– todos voltaram os olhos para a garota loira que havia se posto de pé também. Sua face era dura e seu tom não expressava sentimento algum. Hoseok se endireitou e voltou-se para Lucy, também não sorriu, apenas devolveu-lhe o mesmo olhar frio. –Eu sei bem que o que eu fiz não merece perdão e eu nem vou tentar me justificar...– Lucy continuou. –Eu estava com inveja de você sim... Eu passei a minha vida toda sonhando com a ilusão de ser a senhora dessa casa um dia e eu estava cega por isso... Tão cega que não podia enxergar que isso significava me casar com um homem que eu não conheço, que não gosta de mim... E no meu pensamento infantil você só queria a mesma coisa que eu, você queria o dinheiro, o status, você queria o meu lugar... Mas eu estava errada, você não era igual a mim... Você queria apenas ser feliz com o homem que ama...– Ela fez uma pausa e engoliu em seco, desviando seu foco para os próprios pés. –Eu acho que eu te invejo mais agora...– a voz saiu tremida e ela mordeu os próprios lábios. –Eu espero que você seja feliz com o Taehyung... Não com o Taehyung que eu idealizei uma vida inteira, mas com o Taehyung de verdade... Aquele que você conhece e ama... Você merece isso, não por que seja o coitadinho nessa história, mas porque você não é um covarde...– Ela retornou os olhos para Hoseok e deu um sorriso leve.– Eu espero que um eu possa me tornar alguém tão admirável quanto você um dia!

Lucy concluiu e Hoseok retribuiu o sorriso amavelmente. Ele podia ainda não gostar dela, mas não era de guardar rancor, principalmente de quem lhe pedia perdão, e não era como se não entendesse o lado de Lucy, no fundo ela era só uma coitada mal amada.

–Ah! E mais uma coisa! Eu descobri sobre o seu vídeo quando peguei o George batendo punheta pra ele... Se eu fosse você, Taehyung-ah, pelo menos quebraria alguns dentes dele!– jogou no ar divertida a provocação e Taehyung partiu pra cima do mais novo, furioso. 

E a confusão estava feita.

Eles brigaram por algum tempo e Taehyung ainda ia furioso dentro do carro enquanto seguiam para o aeroporto. O clima daquela vez era completamente diferente da vinda, até pareciam outros homens dentro daquele veículo, era o que Hoseok achava.

–Se você queria evitar isso não devia ter filmado uma coisa daquelas! Aliás, vocês deviam deixar esses atos pra fazer na casa de vocês!– Hyunshin, com bom humor, respondeu os resmungos do neto.

–Eu passei uns onze anos da minha vida esperando pra afogar o ganso, eu não posso perder nenhum segundo da minha vitalidade!– Taehyung respondeu, seu tom ainda era irritado e os demais não conteram o riso diante da declaração, nem mesmo o motorista.

–O quê? Eu fui realmente o seu primeiro? Você parecia tão experiente, eu jamais podia imaginar!– Hoseok pôs a mão sobre a boca, estava surpreso, mas se tratando de Taehyung e da loucura que ele sempre teve por si, era de se esperar.

–Então você nunca esteve com uma mulher? – o avô quis saber.

–É... Bem... Quando eu tinha uns quinze anos e estava com raiva porque o Hoseokie tinha um namorado, eu procurei uma garota de programa, ela era bonitona e tudo, mas... Quando eu vi ela sem roupa... Eu brochei...–Taehyung contou sem graça e os outros soltaram uma exclamação de surpresa e riram.

–Então isso quer dizer que... Você é... Você é a “mulher” da relação?– o senhor Kim perguntou curioso.

–O quê? Claro que não! Eu detesto passivos!– foi Hoseok quem respondeu fazendo careta e riu. Ele só havia estado como ativo pouquíssimas vezes e detestou todas elas e com mulheres Hoseok não tinha superado nem a fase dos beijinhos. Ele sempre soube de sua particularidade, mas ainda tentou negar sua essência no começo da adolescência. Hoseok, naquela época até namorou com uma garota, mas ela acabou desistindo de si afirmando que ele não tinha interesse nela e de fato ela não estava errada, apesar de estar apaixonado, não conseguia enxergá-la de forma sexual e foi só então que passou a se aceitar. Mas aquilo já era outra história.

Taehyung e Hoseok se despediram do velho Kim no aeroporto com a promessa de voltar em breve e logo embarcaram num vôo de primeira classe de volta pra Coréia, eles estavam cansados, aquela semana parecia ter tido uns trinta dias. 

Eles finalmente estavam voltando pra casa.

(…)

–Não! Que história é essa de "normal"?! Você passou a semana em Paris com o cara mais rico de lá! Como pode ter sido só normal?– Jimin falou indignado. Era segunda e o conto de fadas de Hoseok tinha chegado ao fim e era hora de voltar a sua realidade de todos os dias. Não que odiasse trabalhar, na verdade era até bom, ter seus amigos, sua autonomia. Taehyung até já tinha lhe proposto que deixasse o emprego, mas ele não ia pagar de 'dama recatada e do lar' pra homem nenhum, mesmo que ele fosse podre de rico como o seu namorado, não mesmo!

–E o que você quer que eu diga? Não teve nada de extraordinário... Eu só fiz o que todo mundo faz quando vai pra Paris...– Hoseok respondeu simplista, não iria contar aos amigos o que teve que passar naquela semana.

–Aff seu ridículo! Eu pensei que nós fôssemos seus amigos!– Jimin resmungou.

–Você encontrou com Yoongie lá?– Jin perguntou.

–Encontrei, infelizmente!– Hoseok riu. –O que ele estava fazendo por lá mesmo? Eu nem perguntei!

–Ele estava acessorando o meu Namjoonie na campanha que a nossa empresa está fazendo em parceria com a empresa do Taehyungie... Não é conhecidencia?– Jin respondeu e Hoseok curvou as sobrancelhas levemente surpreso e riu internamente pela ilusão de Jin em chamar NamJoon de seu. –Aquele maldito! Eu queria ter a sorte de passar o final de semana em Paris com o amor da minha vida!– suspirou invejoso lançando um  olhar de esguelha a Hoseok que sorria pra si mesmo. Era dele quem tinha mais inveja! 

Ele havia arranjado um namorado lindo e rico da noite pro dia e agora estava ali se gabando das suas aventuras em Paris. Era o que provavelmente os outros estavam pensando dele e Hoseok se ria. Taehyung ser riquíssimo ou incrivelmente lindo e viriu não era o importante. O importante era que eles se amavam.

Que eles eram feitos um para o outro.

(…)

Era noite e Hoseok estava no apartamento de Taehyung. Quer dizer, ele já praticamente morava ali depois que começaram a namorar. Ele não era de si entegrar daquele jeito em relacionamentos, mas Taehyung era diferente. Ele passava uma sensação diferente.

–Meu amor, eu não sei se isso vai soar brega ou não pra você, mas eu tenho algo importante pra te dizer!– Taehyung iniciou o assunto assim que Hoseok saira do banho. O mais velho franziu o cenho estranhando as atitudes do mais novo e curioso sobre o que ele escondia atrás do corpo.

–O que foi? Você não está falando de me vestir de mulher de novo e a gente ir casar na casa de campo do seu avô não, está?– Hoseok falou como uma piada e gargalhou sozinho, parando logo em seguida ao ver o namorado baixar o olhos, decepcionado. –Meu Deus... Você estava realmente pensando num absurdo desses?

–Mas amor...

–Sem chances, você não vai me fazer vestir um vestido nunca mais!– Hoseok permaneceu firme.

–Você nem precisa usar um vestido muito grande... Ele nem precisaria de babados, nem nada...– Taehyung choramingou e Hoseok riu incrédulo e abraçou o mais novo. Ele ficava uma gracinha fazendo bico, dava até vontade de voltar atrás.

–Ei mocinho, escuta aqui!– Hoseok lhe procurou os olhos. –Eu pareço uma garota pra você?– perguntou e suspirou ao vê-lo balançar a cabeça em afirmação. –Errado! Eu não sou uma garota e você estava ciente disso desde que se apaixonou por mim... Então, se você quiser casar comigo vai ser de smoke também, me ouviu?

Taehyung finalmente levantou os olhos para os do namorado e sorriu. Ele não se importava de verdade com aquilo, apenas queria fazer uma brincadeira com algo que sabia irritar seu amado e, eufórico de felicidade com aquela “resposta”, levou seus lábios de encontro aos dele. E eram sempre tão macios, quentes. Sempre se encaixavam tão bem. E logo os dedos de Hoseok foram se emaranhar nos cabelos de Taehyung, que se deixou cair na cama levando o corpo do mais velho consigo e rolou por cima dele, lhe beijando o pescoço com avidez, as mãos deslizando por suas coxas nuas.

–Você é muito tarado, sabia?– Hoseok disse em meio a um arfar, tendo a coxa de Taehyung entre as pernas, fazendo seu membro despertar. –Um beijo nunca pode ser só um beijo pra você?– A crítica soou como uma brincadeira e Taehyung só continuou o que fazia, se livrado da própria calça, a fim de roçar as peles nuas.

–A culpa é sua... Você é pior do que viagra pra mim... Basta encostar que 'levanta'...– Hoseok riu da resposta. Taehyung não existia! –Me faz um boquete gostoso hoje, esposa... Eu tô com tanta saudade dessa sua boca perfeita!– pediu e saiu de cima do namorado, se sentando e apoiando as costas na cabeceira da cama. Hoseok bufou fingindo irritação pelo apelido e se ajeitou também, se pondo de quatro entre as pernas alheias.

Envolveu o falo do namorado nas palmas e mastrubou-o lentamente, mantendo um contato visual. O mais novo levou a mão ao seu rosto e passou o polegar por seus lábios e Hoseok circulou a língua por ele e o pôs dentro da boca, simulando um oral. Taehyung sorriu ladino, vendo o namorado chapar seu dedo, ele era tão sexy. 

E Hoseok largou o dedo alheio para, enfim, partir para o interessante. Abocanhou a glande alheia e massageou-a com a língua deixando uma ou outra sugada mais forte. Fez isso por algum tempo e Taehyung respirava pesado e gemia baixo. Tudo era tão erótico, a imagem, o cheiro, o som, o toque, todos os seus sentidos estavam despertados e concentrados ali. 

E o mais velho desceu a língua pela extensão ereta de seu pênis e alcançou-lhe os testículos. Sugou com vigor, enquanto lhe massageava o orifício da glande com o polegar. Taehyung tinha seguro entre os dedos os cabelos alheios e vez ou outra fechava os olhos e jogava a cabeça para trás, se deixando tomar pelo prazer que atravessava seu corpo como ondas.

Hoseok estava excitado e tocava o próprio falo a procura de alívio. Ele gostava de ver o namorado se aprazerando de seu trabalho. Gostava de saber que era a causa dos gemidos de seu homem. Inflava o ego e excitava. E pôs o membro alheio todo para dentro, sentindo-o descer pela garganta. Ele precisava de cuidado e concentração naquela hora e Taehyung levado a loucura pelo tesão do momento não demorou a tomar o ritmo dos movimentos, tornando-os rápidos e violentos, prendendo a cabeça de Hoseok pelos cabelos.

E foi só quando sentiu o limite do ápice lhe ameaçar, que libertou os movimentos alheios. Hoseok levantou, meio tonto e foi lhe tomar os lábios. O beijo tinha gosto de pré-gozo e tesão. As bocas se encontraram famintas e Taehyung empurrou o mais velho contra o colchão. Separou-se dele apenas por um momento para encher a mão de lubrificante e rapidamente preparou a entrada alheia antes de se meter dentro dela.

Foi rápido, porém intenso. Ambos chegaram ao orgasmo ao mesmo tempo. Voltaram depois a se beijar lentamente no banheiro, abraçados, o calor um do outro como companhia e Hoseok mordeu o pescoço do mais novo com um pouco de força.

–Isso dói, amor!– Taehyung resmungou.

–Eu sei que dói, eu estou fazendo de propósito!– Hoseok se afastou um pouco e o olhou profundamente nos olhos.

–O que foi?– Taehyung quis saber e Hoseok, sem romper o contato visual, lhe acariciou o rosto e deixou o polegar escorregar pelos lábios alheios.

–Por que eu te amo tanto, em? Isso não parece certo!– ele falou, o seu tom era sério e o mais novo franziu o cenho, confuso.

–Por que v...

Taehyung até quis perguntar o porquê daquilo, mas foi surpreendido pelo beijo de Hoseok. Era suave e cheio de sentimentos e apenas fechou os olhos e apreciou o momento. Era o seu Hoseok ali, demonstrando ser, o que Taehyung quis por uma vida inteira que ele fosse. 

Ele era seu.

E Todo resto era apenas detalhes.


Notas Finais


E fim, eu sei que tinha mais, mas eu resolvi adaptar esse final e para por aqui... Desculpe aos que já tinham lido antes e obrigado por relerem e obrigado também aos novos leitores... Vcs são dez milhões e meio!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...