1. Spirit Fanfics >
  2. Are We Still Us? - WooSan Version >
  3. 87. Hello, mother-in-law?

História Are We Still Us? - WooSan Version - Capítulo 87


Escrita por:


Capítulo 87 - 87. Hello, mother-in-law?


Fanfic / Fanfiction Are We Still Us? - WooSan Version - Capítulo 87 - 87. Hello, mother-in-law?

20:15. 


San POV 


Acabamos de chegar na casa da mãe de Wooyoung e eu estou sentindo que vou vomitar, minhas mãos estão suando e eu estou tremendo. Parece  até que é a primeira vez que vou ver ela. 


-Você deveria ter vindo com uma roupa mais apresentável. -ele diz me olhando de cima a baixo e eu reviro os olhos. 


-Qual o problema com a minha roupa?- pergunto e ele dá de ombros. 


-Nenhum, só deveria ter colocado uma cor diferente. -ele diz esperando a mãe dele abrir a porta e eu fico quieto. 


A maçaneta se mexe e eu cogito a ideia de sair correndo, meus pés batem involuntariamente no chão e eu esfrego as mãos na calça para limpar o suor. Merda. Wooyoung entrelaça seus dedos nos meus e eu olho para ele com um sorrisinho, a porta se abre revelando sua mãe e eu engulo em seco. 


-Boa noite. -ela diz com um sorriso simpático e eu sorrio de volta mas o nervosismo deve ter feito parecer uma careta. 


-Oi mãe. -Wooyoung diz e eu o olho, ele não vai abraçar ela? 


-Oi querido, como está?- a voz dela é doce e calma e eu respiro fundo. 


-Como fome. -ele diz com uma risadinha e ela sorri. 


-Entrem, o jantar já vai ser servido. -ela diz e Wooyoung vai na minha frente ainda sem soltar minha mão e eu o acompanho- Vocês estão namorando?- ela pergunta quando nos sentamos na mesa e eu olho para Wooyoung. 


-Não, mas também não estamos solteiros. -ele diz me olhando brevemente e o olhar de sua mãe volta para mim. 


-Eu já te vi aqui outras vezes mas nunca nos falamos, qual o seu nome?- ela pergunta e eu limpo o suor inexistente da mão e aperto sua mão. 


-San, Choi San. E o da senhora?- pergunto de forma formal e ela faz uma careta soltando minha mão. 


-Linsay e não me trate de um jeito tão formal, eu não sou tão velha assim. -ela diz arrumando os cabelos e eu relaxo um pouco. 


-É um nome bonito- falo e ela balança a cabeça. 


Seu olhar apesar de me passar algum tipo de conforto é sério e me analisa descaradamente, vez ou outra ela olha para Wooyoung enquanto eles conversam mas seu olhar sempre volta para mim, como se pudesse ver cada pecado cometido. 


Barulhos na escada chamam nossa atenção e um homem consideravelmente alto está descendo as escadas com uma calça social preta, blusa social branca e seus pés ocupados por uma sandália. Isso me faz repensar no que Wooyoung disse. 


Sua mãe está com um vestido fofinho rosa de moranguinhos, seu pai com roupas "normais" e ele também e eu estou com uma calça preta, blusa social da mesma cor e um coturno também preto sem contar no boné preso em minha cintura. 


-Boa noite querida. -sua voz um tanto grossa ressoa em todo o cômodo e eu o olho engolindo em seco. 


Wooyoung parece tranquilo ao meu lado, desde que chegamos ele não se importou nem um pouco com a forma que sua mãe me olhou mas sua mão continuava segurando a minha enquanto ela me interrogava. 


-Wooyoung. -ele diz e então sorri. 


-Pai. -ele diz de volta fazendo uma leve reverência e então os olhos de seu pai caem sobre mim, tão sérios quanto os de sua mãe. 


-E você? É o namorado dele?-ele pergunta direto e quando Wooyoung vai responder seu pai levanta a mão, indicando que eu quem devo falar. 


-Não exatamente- minha voz sai um pouco estranha e eu limpo a garganta- Nós estamos nos conhecendo, somos quase namorados mas não oficializamos. -falo conseguindo passar um pouco de firmeza e ele levanta as sombrancelha. 


-Entendi, qual o seu nome?-sua voz é firme e eu sinto meu corpo todo tremendo e minha perna balançando em ansiedade. 


-San, Choi San. -falo quando Wooyoung aperta minha mão como forma de me tranquilizar e ele escora as costas na cadeira olhando para sua mulher. 


-Prazer, eu sou Jeong Yunho. -ele diz com um sorriso caloroso e eu sorrio de volta. 


-O prazer é meu. -falo e uma moça surge da cozinha e caminha até nós com pratos em mãos. 


-Boa noite, senhores. -ela diz e a mãe de Wooyoung a olha com reprovação. 


-Eu já disse a você para não agir de um jeito formal com nós, você é praticamente da família!- ela diz e a moça sorri para ela. 


-Ok, me desculpe. -ela diz colocando nossos pratos a nossa frente e então faz uma reverência antes de se retirar. 


-Podem comer. -a mãe de Wooyoung diz e ele solta minha mão para comer e eu faço o mesmo. 


-Então, San certo? Me fale mais sobre você, com o que você trabalha e o que gosta de fazer. -o pai de Wooyoung pede e eu termino de mastigar antes de responder sua pergunta que foi acompanhada de várias outras no decorrer da noite. 


~×~

22:12. 


A noite se passou de uma forma confortável depois de algumas doses de vinho e eu conheci melhor os pais de Wooyoung, eles não são tão sérios quanto aparentam ser e eu descobri que Wooyoung não iria se chamar Wooyoung e sim Otávio. 


-Boa noite, qualquer dia vocês voltem aqui. E foi um prazer conhecer você, San. -o pai de Wooyoung diz apertando minha mão e eu sorrio para ele. 


-Até mais. -Wooyoung diz acenando e então caminhamos em direção ao meu apartamento com os braços entrelaçados. 


-Então seu nome seria Otávio e não Wooyoung?-pergunto com um sorriso implicante para ele que revira os olhos e sorri chutando as pedrinhas da calçada. 


-Essa é uma história engraçada, minha avó por parte de pai e minha mãe sempre foram como cão e gato. Elas eram melhores amigas, sempre tinham pensamentos semelhantes e se davam bem mas também se desentendiam a cada cinco segundos, sempre se implicavam e esse foi o motivo de meu nome quase ter sido Otávio -ele diz com um sorriso nostálgico que me faz sorrir também. 


-Elas não se falam mais?- pergunto e Wooyoung balança a cabeça me olhando. 


-Minha avó faleceu a quatro anos atrás, foi um dia difícil para minha mãe porque ela teve várias crises e teve que ser internada mas mesmo com isso tudo, quando ela lembra da minha avó, ela sorri com os olhos cheios de lágrimas. Ela ainda sente falta das implicâncias de minha avó mas acho que ela se conformou que não tem volta. -ele diz comprimindo a boca em uma linha reta e me olhando brevemente. 


-Entendi, eu sei como ela se sente. -falo me lembrando de minha mãe e ele não fala mais nada. 


Fazemos o restante do caminho em silêncio vez ou outra dando risada de alguma coisa idiota até chegarmos em casa, sem me preocupar me jogo no sofá abrindo o botão da calça e em um momento de descuido Wooyoung se deita sobre mim. 


Sem questionar abraço seu corpo e respiro fundo, o perfume dele alçando meu nariz e o cheiro de baunilha de seus cabelos também. Apesar de não estarmos juntos em um relacionamento ainda estamos juntos, é confuso mas faz sentido ao mesmo tempo. 


Nós nos beijamos, dormimos juntos, cozinhamos juntos e a única coisa que ainda não aconteceu de novo foi tomarmos banho juntos e... Transar. Não que seja errado não ter acontecido, longe disso, é só um tópico que ainda não aconteceu. 


-San?- Wooyoung me chama e continua: -Como você está se sentindo? 


-Bem eu acho, e você? 


-Sujo, eu preciso de um banho. -ele diz se levantando com o rosto sonolento e então anuncia: -Eu vou tomar banho no banheiro do seu quarto e você toma no banheiro normal. -e assim sai de cima de mim e caminha até o quarto. 


-Okay. -falo sozinho, ainda demorando alguns segundos para realmente ir tomar banho. 


A água gelada tira todas a sensação de sujeira do meu corpo e a cantoria de Wooyoung do outro lado me faz rir, eu sou tão grato por ele estar aqui comigo em um momento tão delicado. Mesmo que eu chore dias seguidos e depois fique "bem" ele continua aqui, não me julga ou me diz como agir, ele só me deixar ser eu mesmo e respeita meu espaço. 


Desligo o chuveiro e visto minha roupa no banheiro mesmo, saio do banheiro e vou até o quarto encontrando Wooyoung esparramado na cama encarando o teto. Ele está sorrindo e de braços abertos, parece perdido em seus próprios pensamentos. 


-Está pensado em mim?-pergunto e ele se senta depressa me olhando. 


-Sim e não. 


-Como assim?- pergunto secando o cabelo com a toalha e ele sorri apoiando o rosto nas duas mãos. 


-Eu estava pensando em você conversando com meus pais então não é necessariamente só sobre você, eles gostaram de você e isso me deixa feliz. -ele diz com os olhos brilhando e eu sorrio. 


-Que bom que eles gostaram de mim. -falo e me deito na cama, colocando dois travesseiros em baixo da cabeça. 


-É. -Wooyoung diz e ficamos em silêncio, o abajur iluminando todo o quarto enquanto apenas o som das nossas respirações preenchem o quarto. 


Meus olhos estão ardendo e eu bocejo, sentindo o sono me atingir cedo demais. Desde que Wooyoung veio para cá eu tenho dormido cedo demais, antes eu nem dormia ou só cochilava por algumas horas e agora eu consigo dormir horas áfio. 


Um pouco hesitante ele chega mais perto de mim, sua mão passa pela minha cintura e suas pernas se entrelaçam na minha. O abraço de volta e mecho em seu cabelo sentindo o cheirinho fraco de baunilha inalar deles. Esse é um dos meus cheiros favoritos em todo o mundo. 


-Boa noite, Wooyoung. -falo bocejando e ele boceja também. 


-Boa noite, San. -ele diz baixo e presumo que já esteja quase dormindo. 


-A lua está linda hoje. -sussurro beijando seu cabelo e sinto seu sorrisinho contra minha pele. 


-As estrelas também.


To be continued...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...