História Através da Escuridão. - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, Hailee Steinfeld
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Hailee Steinfeld, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Visualizações 256
Palavras 4.160
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HEEEEEEEEEEEEEY ESTRELINHAS
tudu bom?
e aí
mano tem seis rascunhos com o que vai ter nos próximos caps e meu deus eu preciso escrever hahahaha
ain só pra avisar vcs camren meio que está se estabilizando....

Capítulo 39 - American Robin


Bocejei mais uma vez enquanto andava pelos corredores da arena, bebendo mais um pouco do café que estava em minhas mãos e tentando permanecer completamente acordada para mais um longo dia de audições.

— Você está com uma cara horrível — Demi comentou, andando ao meu lado e eu me limitei a rolar meus olhos — O que foi?

— Briguei com Lauren — admiti, virando o resto do copo de café antes de jogar na primeira lixeira que vi. 

— Oh merda, mas pelo menos você volta hoje e...

— Eu usei meu jatinho para Nova York, discuti ainda mais com ela e cheguei no meu hotel aqui quase as quatro da manhã — a interrompi, vendo seu olhar surpreso — Eu mal dormi e já tive que me levantar e vir para cá — expliquei sem conter um outro bocejo de sair dos meus lábios.

Eu estava cansada, com sono, estressada, irritada e frustrada porque minha namorada não retornou minhas ligações pela madrugada. Então me limitei a enviar uma mensagem ao menos avisando que eu havia chegado novamente em Providence. E, evitando ficar ainda mais irritada, deixei meu celular na bolsa no camarim. Acho que já estava com pena dos candidatos que iriam me ver nesse péssimo humor. 

— Vou torcer que ninguém mais da sua temporada apareça hoje então — Demi comentou um pouco divertida e eu fiz uma careta, ainda tinha aquilo para lidar. 

Tentei fazer uma nota mental para falar sobre isso com Lauren quando estivéssemos bem. 

A medida que nos aproximávamos do palco eu já era capaz de ouvir os gritos da platéia que se intensificaram quando entramos ali, os cumprimentando e nos sentando em frente a bancada na mesma ordem de ontem.

Balancei minha cabeça, como que tentando me alongar enquanto esperava o primeiro candidato do dia. Porém, eu percebi que seria um dia difícil no momento que vi uma garota fantasiada como Olaf entrar no palco para cantar - muito mal - Let it go. Acho que nunca havia dito tantos "não" em minha vida. E muito menos sabia que era possível dizer "não" de tantas formas diferentes. Cheguei até implicar com Simon em determinados momentos. E no intervalo entre as audições eu já estava quase dormindo na bancada porque um rapaz cantou a música tema de Titanic. 

— Ok, o que raios aconteceu entre você e Lauren? — Demi perguntou enquanto andávamos até o camarim — Porque você disse ao último cara que ele poderia abrir uma empresa de soníferos apenas com a voz dele, Simon quase cuspiu a água de tanto rir — ela argumentou e eu tentei segurar minha risada. 

Havia sido divertido dizer aquilo, agora eu entendia porque Simon sempre dizia coisas estranhas aos participantes. Era hilário!

— Eu já estava com sono e ele me vem cantar aquela música? — me defendi, pegando uma fruta e começando a comer. 

— E desde quando é culpa dos participantes que você está com sono por ter feito a idiotice de ir a Nova York ontem!? — Demi me repreendeu e eu suspirei baixinho, me sentindo um pouco pior — Então, me diga, o que houve entre Lauren e você? — perguntou mais baixo e eu neguei com a cabeça.

— Acho que apenas eu fazendo merdas como sempre — respondi no mesmo tom, deixando claro que eu não queria falar sobre isso. 

Peguei um pouco de suco e andei até um canto mais calmo do camarim, me sentando no sofá e tentando ligar novamente para minha namorada. Porque eu estava começando a me sentir arrependida, escutando em minha mente tudo que Lauren me disse ontem a noite e percebendo que ela poderia estar certa em tudo que me disse. 

E dessa vez, em vez de bufar, apenas soltei um suspiro pesado quando Lauren não me atendeu. Mordi meu lábio, tentando digitar uma mensagem, mas desistindo antes de enviar. Encarei meu celular, tentando saber se eu estava fazendo o certo insistindo assim.

Lauren havia ficado realmente irritada e eu não me recordo dela sendo assim. Pouquíssimas vezes a vi furiosa, minha namorada era uma pessoa calma. Então saber que consegui a tirar do sério me deixava um pouco chateada e pensativa. Eu agi mesmo de uma forma mimada e controladora?

É fato que não gosto de saber que Lauren estava com sua amiga, mas não porque não quero que ela tenha amigos que não conheço, mas porque era justamente Halsey. A mulher que deixou minha namorada tão animada naquele estúpido encontro às cegas que me vi dentro de um avião para me declarar. E agora fugi para o jatinho para ir atrás de Lauren.

Talvez ela estivesse certa e eu fosse impulsiva. Afinal só me declarei porque estava com ciúmes, não esperei superar todos meus problemas e me relacionei com Lauren ainda estando machucada, tentei recusar a responsabilidade com minha filha por pura birra e orgulho, quase fiz merda com Hailee porque estraguei as coisas com Lauren.

Parecia que eu tinha um ciclo aqui. Não conseguia acertar em praticamente nada.

Quer dizer, eu acertava bastante em decepcionar minha namorada. E isso acabava comigo. Talvez eu não fosse o correto para Lauren, ela definitivamente merecia alguém melhor que eu. Que ao menos tivesse continuado em casa e não saído sem nem avisar.

Não me surpreenderia se Lauren quisesse desistir. Ela era uma namorada incrível, era compreensiva com o meu trabalho e entendia que meus horários eram malucos e na maioria exigia de mim 24 horas por dia e 7 dias por semana. E quando eu estava em casa, duas semanas por mês minha atenção era praticamente toda para minha filha. Mesmo assim Lauren não se importava e simplesmente me ajudava com Fairy sem nem que eu precisasse pedir. Eu tentava fazer o máximo possível, porque Lauren não tinha responsabilidade nenhuma com minha filha, mas ela fazia por simples prazer. Ela engolia todos os acontecimentos anteriores entre mim e Hailee e sorria educadamente e era até agradável com a mãe da minha filha.

Oh merda.

Ela via todos os dias uma criança que era minha e de outra mulher. Ela via essa outra mulher as vezes em nossa casa. E nunca fez nenhuma reclamação. Enquanto eu pego um jatinho e tenho um surto de ciúmes porque ela saiu para se divertir com uma amiga.

Que grande namorada que eu sou.

Balancei a cabeça, afastando os pensamentos quando vi um produtor nos chamar para voltar a bancada. Respirei fundo, deixando meu celular no bolso e voltando para o palco. Eu tinha que tentar ser mais gentil com os participantes, eles não mereciam minha grosseira apenas porque briguei com minha namorada.

E acredito que tive sucesso tentando ser apenas divertida e séria quando necessário sem ser rude com os participantes. Consegui até mesmo me distrair por boas vozes que eu adoraria ter em meu time e os ajudar amadurecerem para o programa. E no final do dia até mesmo fiquei algum tempo a mais com os outros jurados já que uma confeitaria da cidade nos enviou um bolo enorme e vários doces. Não queria chegar apressadamente em casa novamente. 

Mas dessa vez mandei uma mensagem apenas avisando a que horas eu voltaria, sem insistir para conversarmos pelo celular. 

Admito que parte de mim estava apreensiva que Lauren não estivesse em casa quando eu chegasse, ou que ela realmente desistisse de nós duas. Por isso respirei fundo e ao não conseguir me distrair a caminho do aeroporto, peguei meu celular, discando o número da minha empresária antes de levantarmos voo. 

 Hey Camila — Ally atendeu em alguns segundos — Tudo certo com as audições?

— Sim! Foram dois dias ótimos de audições — a tranquilizei, dando ombros — Apesar que uma participante antiga da minha temporada voltou, e bom, muitas coisas aconteceram naquela temporada — murmurei, coçando minha cabeça.

— Acha que pode ser problemas? — perguntou adquirindo um tom profissional.

— Não, não sei — respondi sincera — Foi um grande rolo entre eu, essa garota e Demi — relembrei com uma pequena careta, balançando a cabeça — Mas ela parece não se importar então, não sei — dei ombros, mesmo que Ally não pudesse ver.

 Não vamos nos apressar em nada, mas verei o que posso saber sobre como ela anda, se ela fala de você de alguma forma — Ally garantiu — Qual o nome dela?

— CeCe Frey — respondi, já me sentindo mais aliviada — Ah mas não era sobre isso que eu ia falar, eu estou pra te pedir algo há meses e sempre esqueço — comentei, me ajeitando na poltrona do avião — Preciso de sua ajuda com Dinah — avisei.

— O que? O que aconteceu com ela? — Ally perguntou preocupada.

— A ajudei no ano novo a fazer uma música para Normani e falei que não iria insistir sobre a carreira musical que ela pode ter, mas meses atrás a peguei de novo tocando e compondo e eu acho que no fundo ela ainda quer isso — contei, vendo um comissário se aproximar e avisar que eu teria de desligar o celular — O ponto é, você sempre pensa em acabar trabalhando com outros artistas além de mim, o que acha que ser a empresária de Dinah? — sugeri.

— Camila, você nem ao menos tem certeza se ela quer isso — Ally argumentou e eu sorri por ver que era essa a preocupação dela.

— Bom, por que você mesmo não tenta descobrir? — insisti sorrindo — Eu tenho que desligar, já estou voltando a Nova York, até mais Ally — me despedi, ouvindo um murmurio de resposta e desligando meu celular, permitindo que pudéssemos decolar. 

Passei o tempo no voo me dedicando ao ver alguns arquivos que Ally havia me enviado. Eu não queria começar o processo do meu novo álbum esse ano, queria continuar com o ano calmo antes da loucura. E só queria terminar a turnê mundial de Deeper. América do Norte já havia ido e Europa também. Faltava América do Sul e Ally parecia querer adicionar Oceania e talvez alguns na Africa e eu estava tentando a ajudar a escolher melhores datas para me deixar livre para as próximas audições do programa e o restante dele também. Sem falar que todas as minhas viagens precisavam coincidir com as datas que eu já não estaria com Fairy, não queria perder dias de vê-la. 

E focando em trabalho nem notei quando já estávamos aterrissando. E em alguns longos minutos eu já estava entrando em casa novamente sem evitar o sorriso aliviado ao ouvir o som de músicas que saia da cozinha. Lauren ainda estava aqui. 

Deixei minhas coisas na sala e andei em direção ao som, sem evitar o sorriso ao encontrar minha namorada. Lauren cantarolava os versos de alguma canção que eu não tinha intimidade para decifrar o artista, mas aparentemente ela adorava a julgar pela dancinha que fazia enquanto colocava um pedaço de pizza no microondas.

— Adoro essas recepções — comentei, a fazendo pular de susto antes de se virar para mim surpresa — Hey — acenei devagar, notando como seus olhos rolaram enquanto ela ligava o aparelho. 

— Oi — respondeu segundos depois, se escorando no balcão para esperar sua pizza — Como foi a viagem? — perguntou cordialmente e eu fiz uma careta.

— Mais ou menos — admiti, me aproximando devagar dela — Olha, eu, quer dizer, me desculpe por ontem, eu só...

— Essas desculpas manhosas misturada com saudade e o desejo de não brigar, não vão funcionar — minha namorada me interrompeu e eu a encarei confusa, parando de andar — Nós vamos discutir aquela sua cena ridícula de ontem, Camila! — avisou e eu a encarei incrédula.

— Você fica irritada quando eu volto para casa para discutir e quando eu volto me desculpando? Lauren me ajuda a te entender — resmunguei cansada, a vendo bufar frustrada e cruzar os braços.

— Claro! Ontem não havia motivos para termos aquela conversa aquela hora da noite, mas por causa de ontem temos que estar aqui hoje! — exclamou, me deixando meio confusa com sua fala.

— Eu estou admitindo que estou errada, o que quer que eu faça!? — questionei, cansada demais para levar aquilo a diante.

— Eu quero entender toda sua cena de ontem — Lauren respondeu, mexendo em seus cabelos aparentemente frustrada.

— Eu estava com ciúmes, você já sabe disso! — a lembrei, negando com a cabeça.

— E eu lhe disse que somos amigas — Lauren se defendeu e eu bufei.

— Ah claro tem até camisetas de casal, não é? — Não evitei o sarcasmo e a vi rolar os olhos.

— Você quer mesmo discutir isso sendo que todo dia alguém está te pedindo em casamento? Te mandando cartas eróticas? Que só faltam te beijar em casa meet and greet!? — Lauren recrutou e eu a encarei sem acreditar.

— Sério que você quer comparar isso com meus fãs!? — indaguei incrédula — São meus fãs! — exclamei o óbvio mas ela apenas bufou — Quer saber? Eu tive um dia cheio — murmurei, a interrompendo e me lembrando de suas palavras de ontem — E só queria chegar em casa e dormir — avisei, notando seu olhar incrédulo no meu — E é isso que vou fazer — dei meia volta e subi as escadas, decidindo pelo quarto de hospedes ao invés da nossa cama.

Minha cabeça estava fervendo e eu não estava com paciência para discutir aquilo com Lauren. Então apenas tomei um banho, vestindo um pijama qualquer e me deitando na cama. Eu estava exausta. Porém tudo que consegui foi tirar um péssimo cochilo que apenas me deixou ainda mais cansada. Bufei irritada, buscando meu celular vendo minhas anotações aleatórias e tentando escrever algumas delas. Mas nada saía. 

Saí do quarto, descendo até o estúdio e tentando me distrair por tocar algum instrumento, mas no meio eu acabava notando que estava tocando alguma música que fiz para Lauren. E também percebi que só iria conseguir dormir com ela ao meu lado. 

Eu não conseguia sequer me concentrar, porque as palavras que ela me disse ecoavam em minha mente e apesar de estar irritada com o que ela disse, a parcela maior de culpa dessa briga era minha. 

Por isso respirei fundo, saindo do estúdio e andando lentamente até o nosso quarto, eu precisava dela. Me surpreendi ao parar em frente ao nosso quarto e encontrar minha namorada deitada na cama com um blusão do nosso time preferido de basquete, a luz do abajur acesa enquanto ela lia um livro. Mas pela feição em seu rosto eu sabia que ela não estava concentrada na leitura.

— Está acordada também — constatei ao me escorar na porta do quarto.

Lauren ergueu o olhar lentamente em minha direção antes de soltar um suspiro e deixar o livro de lado.

— Não consigo dormir — admitiu e eu mordi meu lábio inferior.

— Nem eu — falei baixo, colocando as mãos nos bolsos da minha calça de moletom — Podemos conversar? — perguntei no mesmo tom, a vendo me analisar por alguns segundos.

— Eu não quero brigar, Camz — disse um tanto manhosa, o que me fez sorrir.

— Só quero conversar — garanti, entrando no quarto e me sentando na ponta da cama e a encarando — Porque acho que a nossa conversa anterior não tomou o rumo desejado — comentei ainda no mesmo tom.

— Acho que nem podemos considerar aquilo uma conversa — Lauren recrutou com uma pitada de bom humor que me fez sorrir.

— Eu realmente não pensei nas coisas — acabei admitindo baixo, colocando minhas pernas sob a cama e as cruzando — Eu não pensei em nada — murmurei entre um suspiro, tendo o olhar atento de Lauren em mim — Eu simplesmente fiquei insegura sobre isso — falei um pouco mais baixo.

— Temos quase um ano de namoro, por que ficou tão insegura dessa forma que te fez agir assim? Você sabe que te amo — Lauren afirmou confusa, e eu mordi meu lábio inferior.

— Eu não sei — balancei a cabeça, coçando minha nuca e desviando o olhar do seu, encarando o edredom na cama — Eu não sou tão ciumenta assim, você sabe — lembrei, ouvindo um som nasal de confirmação — Mas eu, sei lá, eu estava em outra cidade e você ia sair justo com ela — tentei explicar, voltando a olhar em seus olhos. 

— Eu vi suas mensagens somente depois que acordei no dia seguinte, eu nem ao menos peguei meu celular quando estava com Halsey — Lauren contou, se explicando por não ter me atendido — E, pra ser sincera nem fomos ao boliche, eu já não estava no clima — admitiu.

— Sinto muito — murmurei realmente me sentindo mal por aquilo, porque eu sabia agora que minha namorada apenas queria se divertir com uma amiga que não via há meses — Eu estraguei as coisas, né? — falei tentando rir mas Lauren apenas cruzou os braços, o que me fez suspirar — Me desculpe, eu agi de uma forma idiota, eu não deveria ter deixado o ciúmes tomar tanta conta de mim assim — fui sincera mas franzi o cenho ao vê-la erguer a sobrancelha e desviar o olhar segundos depois.

— Acha que, hm, ficou insegura assim porque, bem, você sabe? — perguntou um pouco mais receosa, me deixando confusa. 

— Pelo o quê? — questionei sem entender, a vendo suspirar e erguer o olhar ao meus. 

— Seu prévio relacionamento — minha namorada respondeu alguns tons mais abaixo e eu arregalei meus olhos. 

— O quê? Não! — neguei rapidamente, tendo seus olhos desconfiados em mim — Zeus, Lo, eu nem ao menos pensei nisso — garanti honestamente — Isso não passou pela minha cabeça, não faria sentido comparar duas coisas diferentes assim — expliquei, balançando a cabeça. 

E sabendo que o que eu dizia era verdade, porque eu realmente não pensei em Hailee ou sobre a traição de meses, não até aquele momento com Lauren relembrando. Eu não iria comparar as duas, e eu confiava em Lauren. Sem comentar que o que aconteceu com Hailee já havia sido superado por mim. Não era algo que cruzava minha mente quando minha namorada me dizia que sairia com uma amiga.

O problema era esse na verdade.

— Não é o que estava pensando — falei alguns minutos depois, vendo o olhar curioso de Lauren — É sua amiga, e não, não é porque eu não a conheço — comentei me apressando em explicar antes que minha namorada retrucasse — Ok, talvez seja um pouco — admiti, sorrindo ao vê-la sorrir fraco e negar com a cabeça — Mas, você estava certa, foi aquele surto de insegurança e medo de nunca te ter em minha vida após ver como estava feliz ao vê-la que me fez correr para um avião no meio da madrugada para te encontrar — confessei entre um suspiro pesado. 

— Vem cá — Lauren bateu ao seu lado da cama e eu sorri de lado, sem demorar para me sentar mais próximo a ela — Era só pra sentar não para ficar folgada assim — reclamou quando eu simplesmente deitei minha cabeça em seu colo e me fazendo rir. 

— É confortável — me defendi a vendo rir antes de negar a cabeça e me olhar novamente — Me desculpa? — pedi novamente. 

— Eu entendo você — ela disse primeiramente, sem responder minha pergunta — Digo, eu também fui um pouco exagerada ao citar seus fãs — admitiu e eu me limitei a concordar com a cabeça — São apenas seus fãs e eu acabo me simpatizando com eles ás vezes, digo, como não amar você? — Lauren tocou em meus cabelos e eu sorri levemente pela carícia e pela forma que seus olhos estavam nos meus — E, eu também tinha ciúmes de seus amigos antes de conhecê-los, e eu sempre confiei em você, só há esse sentimento estranho dentro do peito de que...

— A qualquer momento poderia te perder — completei sua fala, a vendo acenar lentamente em concordância — E eu sei que não irei, mas às vezes meu coração enlouquece minha mente — sussurrei, buscando sua mão livre para entrelaçar a minha. 

— Sim, e eu posso lidar com isso, é normal ter esse tipo de sentimento — Lauren garantiu, mas soltou um suspiro em seguida — Só me chateia que você não me espere, que deixe isso tomar conta e se esqueça de quem eu sou e como te amo. Eu realmente fiquei desconfortável com você voltando para casa antes do previsto, soou como controle, soou como você não confiando em mim. 

— Eu confio! — argumentei depressa, me sentando para poder a encarar melhor — Eu só senti o mesmo do ano passado, o medo de te perder, o medo de não ser suficiente para você, o medo de você perceber que pode ser mais feliz com alguém que conhece a mais tempo e que já tinha uma intimidade — me expliquei novamente, mostrando a vulnerabilidade que senti.

— Meu deus Camila — minha namorada me puxou para seus braços, nos deixando mais próximas — Você não vai me perder — ela prometeu, juntando nossos rostos de uma forma que nossas testas se encontravam.

E eu conseguia enxergar cada detalhe de seus olhos assim tão próximos dos meus, e eu acreditava em tudo que ela me dizia ali. Porque eu conseguia ver em seus olhos a verdade que seus lábios transmitiam. 

— Eu amo você, eu não vou a lugar nenhum — repetiu, fazendo com que um sorriso nascesse em meu rosto. 

— Eu também te amo — declarei, sentindo sua mão macia tocar em meu rosto, acariciando com delicadeza — E eu vou tentar controlar essas minhas impulsividades, porque eu confio em você, eu vou tentar ser mais racional — prometi, e pelo sorriso em seu rosto ela sabia que havia poucas chances que eu realmente conseguiria, mas ela sabia que eu iria me esforçar para seu meu melhor para ela — Me desculpe — repeti, mais sincera.

— Tudo bem — garantiu e desviei meu olhar para seus lábios que se abriam em um leve sorriso. 

Não esperei para juntar os meus ali também, a beijando devagar, suspirando de prazer ao sentir o toque que eu não sentia há mais tempo do que estava acostumada. Sua boca se movendo lentamente sobre a minha, prolongando o beijo superficial até que eu o aprofundasse, sua mão escorregando até minha nuca e me puxando para mais perto. 

Me afastei devagar depois, beijando delicadamente seu rosto e deitando minha cabeça em seu ombro, sentindo seus braços ao meu redor. Gostava de ficar nessa posição, eu sentia o cheiro doce que saía da pele da minha namorada e ainda de bônus sentia que nada poderia nos separar. 

— Você gosta de se declarar no amanhecer, não é? — Lauren disse em um tom brincalhão e eu franzi o cenho, olhando para as cortinas fechadas.

— Como sabe que já é de manhã? — questionei confusa, já que minha namorada tinha a mania de desligar o relógio digital do criado mudo porque a luz te incomodava, e eu via seu celular longe nós. 

— Não está escutando? — ela me encarou com o mesmo olhar que eu e apenas neguei por apenas ouvi sua voz. 

— Fecha os olhos e escute — pediu e eu suspirei, fazendo o que me pediu. 

Estava quase abrindo minha boca para dizer que não ouvi nada quando um som baixo entrou em meus ouvidos, um canto quase inaudível de algum pássaro. 

— É o mesmo pássaro que ouvi depois de você ter se declarado para mim a primeira vez — Lauren contou e eu a encarei surpresa, a vendo se afastar devagar do meu corpo — No meu apartamento era raro ouvir, mas aqui eu já ouvi várias vezes por estarmos perto do central park e á vários desses por lá — explicou, se levantando da cama. 

— Desde quando você é fanática por pássaros? — questionei confusa enquanto a via abrir a porta da varanda, fiz uma careta pela luz do sol que ainda estava nascendo.

— Não sou — minha namorada deu ombros, me chamando para ir até ela — Mas gosto de natureza, e você sabe — deu ombros, me lembrei de quando a levei ao parque — Me surpreende que nunca tenha ouvido esse — ela me encarou ainda incrédula enquanto eu me levantava e saía na varanda com ela sentindo os primeiros raios solares em meu rosto — Esse tipo sempre canta por aqui, e me lembra você — contou, me fazendo sorrir enquanto me escorava na cerca, observando meu jardim. 

— É um canto bonito — elogiei, a vendo apontar para uma árvore próxima a minha casa, sorri ao encontrar o pássaro de peito laranja — Ele é fofinho — murmurei, ouvindo sua risada. 

— Como a minha cantora preferida — Lauren respondeu me encarando e não evitei o sorriso, lhe roubando um rápido selinho — Acho que aquele ali sempre está ali, ás vezes eu quero dormir e ele não para de cantar — ela reclamou, me causando uma risada — Descobri até que espécie ele é — contou e eu a encarrei interessada — American Robin. 

— E onde está o Batman? — perguntei automaticamente, vendo minha namorada soltar uma risada pela piada idiota e em seguida me empurrar levemente — Gosto do amanhecer — comentei, a sentindo deitar a cabeça em meu ombro — Quando eu estou longe, viajando, eu costumo assistir ao amanhecer porque me lembra dos meus sentimentos por você, me lembra que sempre tem uma luz na escuridão — admiti, sorrindo quando Lauren buscou minha mão para ficar com a sua.

— É quase um símbolo do que temos — Lauren concordou e eu sorri, assentindo levemente por aquilo.

Amanhecer. Seria um ótimo título para um novo álbum. Tinha que anotar isso em algum lugar. 

Pensei em me mover para chegar ao meu celular, mas eu sentia a cabeça de Lauren em meu ombro e nossas mãos unidas. Respirei fundo, pensando que eu poderia deixar aquilo para depois. Onde eu estava agora já era um bom lugar. Era o melhor de todos. 


Notas Finais


E então??? @semiharmonizer


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...