1. Spirit Fanfics >
  2. Blemeless >
  3. Escape

História Blemeless - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Escape


Fazia dois dias que Levi não tinha o menor vislumbre de Eren.

Assim que o mais velho voltou a dormir, desta vez em uma das macas do próprio laboratório de Zoe - será que era comum que dormisse tanto? - o homem se esgueirara para fora com um curativo escandaloso que Hange insistiu em fazer. Foi óbvio que ela queria compensa-lo de alguma forma, mesmo que fosse das suas maneiras estranhas.

Desde então, mantinha distancia da parte sul da casa, onde as acomodações de Hange estavam.

Depois que o fascínio inicial passou e ele ficou longe o suficiente das distrações em forma de vampiro, Ackerman começou a pensar claramente outra vez, sem a interferência de seus pensamentos impuros. Ele com toda a certeza deveria começar a raciocinar com a cabeça de cima quando garotos bonitos estavam envolvidos.

O fato era: Jaeger não havia sido colocado como sua responsabilidade e por tal não deveria se intrometer. Não era ele que deveria se preocupar se o garoto estava sendo devidamente alimentado, ou se estava confortável, ou com medo das maluquices da cientista, e isso se tornava mais óbvio quando seus pensamentos maliciosos claramente poderiam piorar o sofrimento do pobre garoto. Nada aconteceria entre eles, porque Eren simplesmente não poderia reconhecer o que estariam fazendo e isto era impedimento mais que suficiente.

Por isso deveria manter-lo com a amiga.

Hange era desastrada?

Com toda certeza!

Era ruim com pacientes? Também.

Mas deixou Saori alerta para caso algo acontecesse - o que era bem provável dadas as experiências anteriores.

Pronto!

Sua presença não se fazia mais necessária.

Se concentrava no que realmente deveria fazer: os papéis nada interessantes de seus investimentos, a administração da propriedade, uma carta de urgência da monarquia e convites de bailes a qual não compareceria.

Nada novo.

Manteve-se assim por algumas horas sem ousar perder a concentração. A sala quieta e monótona como única companhia.

Isto é, até perceber uma presença cravar os olhos em si.

Por duas vezes ele viu a criatura se esconder assim que percebia Ackerman fita-lo em seu esconderijo mal fadado e, de novo, constatou o quão infantil Eren era. Sentiu vontade de rir ao observar as ações do menino.

Tão fofo!

Não, não, não! Nada de jogar as constatações dos últimos dias fora!

"Entre Eren. Você é um vampiro, não fantasma. Eu posso vê-lo".

Um par de olhos receosos apareceu na porta seguido de um corpo magro e belo. As bochechas coradas contrastando com a pele branca comum em sua espécie.

Sinalizou para o outro se aproximar enquanto prendia as esmeraldas com seu próprio olhar. Naquele momento esqueceu qualquer coisa que divagará nos últimos dias.

Quem queria enganar? Eren não era o tipo de pessoa que se pode simplesmente ignorar.

Com passos incertos e lentos o vampiro adentrou a sala parecendo envergonhado. Um novo quimono o cobria e Levi se perguntou se a pessoa que o vestia tinha problemas com calças ou só queria que ele enlouquecesse ao imaginar o que estaria ali de baixo.

"O que faz aqui, hum? Quem foi o irresponsável que deveria estar de olho em você?"

Eren o encarava absorvendo tudo o que este dizia, mas parecia mais interessado no movimento dos lábios e na expressão de Levi do que realmente nas palavras expressadas. Mordeu os lábios e a ponta de um canino que ainda crescia apareceu.

Aquilo o pegou de surpresa! Era comum saber que em vampiros comuns, os caninos não cresceriam outra vez se fossem arrancados, o que tornava a vida desses seres extremamente difíceis, seus poderes diminuíam e se tornavam anêmicos por toda a eternidade, isto se não morressem. Aquela pequena recuperação lhe deu esperança. Se até mesmo algo incurável estava melhorando, os outros traumas também poderiam.

Levi se levantou. Delicadamente pegou o pulso do vampiro o guiando para se sentar na sua frente. Sem que se desse conta, a criatura também o tocou, seus dedos gelados fazendo um carinho singelo na parte interna e sensível de seu braço.

Como se tivesse sido atingido por um poderoso choque, ele se soltou bruscamente dando dois passos para trás.

"Sente-se!" Ordenou e mesmo que o outro não o entendesse, o tom de voz foi claro.

"O que devo fazer com você, hum? Estou começando a pensar que tem algum tipo de perseguição comigo ou algo assim" Divagou de maneira ríspida.

O vampiro pareceu não se importa com a fala do outro, ou simplesmente não entendeu, entretanto o que fez a seguir disparou o coração do aristocrata e enviou um arrepio de medo por sua espinha.

Sem sombra de dúvidas Eren sorriu. Os cantos levantados e os pequenos dentinhos a montra deixando-o irresistivelmente adorável e naquele momento, mais do que tudo, Levi teve receio de seu falho auto controle.

"Fique aqui!" Ele fugiu tão rápido quanto podia, tentando manter os batimentos normalizados. A cabeça avoada.

Pediu força a qualquer ser celestial que pudesse existir ou antes que aquele visitante saísse de sua casa ele faria uma besteira.


Notas Finais


Todo mundo de quarentena e eu faço o que?

Volto com minha fanfic esquecida!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...