1. Spirit Fanfics >
  2. BNHA X Leitor >
  3. Aizawa and Shinsou X You (nsfw)

História BNHA X Leitor - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


+

Capítulo 1 - Aizawa and Shinsou X You (nsfw)


Fanfic / Fanfiction BNHA X Leitor - Capítulo 1 - Aizawa and Shinsou X You (nsfw)

Seus olhos percorriam o espelho com indecisão, já fazia mais de quarenta minutos em que você vestia e desvestia peças do seu roupeiro. Você estava nervosa porque passaria a tarde com um velho amigo, Shinsou. Vocês se conheciam já fazia cinco anos, quando no auge da sua adolescência como uma sem dom, derrubou café no garoto. O seu jeito desastrado marcou o início de uma amizade baseada em um bom humor e confiança mútua. Mas, recentemente vocês não estavam hábeis de se ver, Shinsou passava por um processo legal onde sua mãe tentaria passar a guarda do filho a um tutor e antigo professor dele. Era confuso e você sinceramente não desejava entender, mas, naquela tarde ele havia te convidado para conhecer seu mais novo responsável legal e comer besteira enquanto assistia seus filmes trash favoritos de terror.

Você se sentia nervosa, porque não era novidade que se sentia atraída por Shinsou no momento em que ele levantou assustado com café em todo o seu uniforme escolar. E agora, aos 21 anos, você tinha um namorado. Ele não era nem de longe o seu sonho de infância, mas amavam um ao outro como amigos e não romanticamente. Então, passar a tarde com o responsável por sonhos de princesa era realmente uma situação que te deixava ansiosa. Mais uma vez, você retirou as calças jeans e buscou por um outro look no armário.

Alguns minutos se passaram e finalmente você sentia que estava com a roupa perfeita. Um short que ia um pouco acima do joelho na cor preta e sua camiseta favorita. Além de tênis amarelos e meias que escondiam sua canela, em um padrão xadrez. Você não optou por maquiagem, não só por gosto mas também porque não queria se exibir de mais, então apenas cobriu um chupão com base, uma lembrancinha da noite que teve com seu namorado no dia anterior. Agora, com os lábios pintados com brilho labial transparente, você moveu-se até a rua e esperou que um táxi passasse por ali.

O caminho havia sido surpreendentemente curto, ou talvez você só estivesse alheia demais. Entregou uma porção de notas ao motorista e desceu do carro, vendo Shinsou acenar para você. Ele estava a poucos metros então você deu uma pequena corrida antes de abraçar o amigo. A sensação quente dos braços dele em sua volta lhe deixou relaxada.

Vocês trocaram cumprimentos e uma pequena quantidade de novidades como o seu responsável legal ser um pro hero, sobre o seu novo emprego na delegacia da cidade como secretaria e também conversaram sobre como o processo foi cansativo. Shinsou comentou sobre como sua mãe estava um pouco receosa, mas ainda orgulhosa dele. Você também estava orgulhosa de Shinsou, ele já havia se tornado um herói iniciante a algum tempo e agora moraria com alguém que podia aprimorar suas habilidades.

–Eu estou tão feliz, você finalmente fez aqueles idiotas darem com a língua nos dentes. –Você exclama, citando os colegas que duvidaram da capacidade heróica de Shinsou. Para você, com habilidades ou não, Shinsou sempre foi seu herói.

–Hah, tem razão. Eu também estou feliz, principalmente por você estar me acompanhando nisso. –Ele revelou, um pouco tímido o que te fez pensar o quanto ele era adorável. Shinsou puxou um molho de chaves quando vocês pararam em frente a um elegante apartamento. O caminho até o andar onde Shinsou e seu responsável moravam foi silenciosamente agradável.

Dentro do apartamento, você sentiu um forte marcante de café e essência masculina, alem de um peculiar aroma de iogurte. Quando você viu um homem esguio na cozinha, estremeceu. Ele era muito intimidador. Os olhos inexpressivos haviam olheiras profundas, a barba rasa contornava seu maxilar e uma cicatriz bonita deixava seu rosto ainda mais assustador e dominante. Seus cabelos estavam desgrenhados, atingindo um pouco mais abaixo dos ombros e eram pretos assim como suas vestes. Ele usava seu traje de herói e estava preguiçosamente preparando um café preto. Analisando um pouco mais, você percebeu ser Eraserhead e isso te deixou ainda mais nervosa.

A mão de Hitoshi pousou sobre seu ombro, numa tentativa de te tranquilizar. Mais uma vez, foi estupidamente fofo e você teve certeza de que ele era definitivamente um grande herói – não que vocês houvesse dúvidas antes –.

–Aizawa-Sensei? Essa é a (s/n), falei sobre ela mais cedo, lembra? –Hitoshi te apresentou e você deu um aceno tímido enquanto os olhos de Eraserhead te analisavam profundamente.

–É um prazer conhecer voc- o senhor.

–Eu não sou tão velho. –Ele fala com seriedade, passando os dedos nos cabelos. Você achou isso estranhamente sensual e teve medo de ter um fetiche secreto em homens que não dormem mais que duas horas por dia. Você viu várias semelhanças entre Hitoshi e Aizawa, ambos os dois falavam pouco, tinham rostos inexpressivos e eram gostosos para um caralho.

–D-desculpe, sen-…

–Aizawa. Aizawa já está bom.

–Sim, senh… Aizawa! –Você se corrigiu, enrolando os polegares com nervosismo. Hitoshi, achou aquilo fofo e acariciou seu ombro. Aizawa bebericou seu café e começou a perguntar sobre você em um tom monótono.

–Dom?

–Não tenho.

–Trabalha?

–Sim.

–Idade?

–21.

–Animal favorito?

–Gato- espera, animal favorito? –Você e os dois soltam uma risada descontraída e o seu nervosismo se dissipou completamente. A conversa estava começando a ficar divertida quando Aizawa declarou que iria ao mercado e que voltaria logo. Frisando que não queria que Shinsou incendiasse o apartamento ou algo assim. Sozinha novamente com seu amigo, seu peito bombardeava com rapidez. Principalmente porquê agora vocês dois estavam sentados lado a lado em um sofá para dois, com seus joelhos roçando um ao outro e os ombros colados.

Vocês começaram a rir e tomar alguns sustos quando o filme Braindead começou. Sua paixão por filmes daquele estilo te distraiu um pouco. O suficiente para abraçar-se ao amigo sem se preocupar com a proximidade. Mas ficou estranho quando você percebeu que Shinsou prendia a respiração e esfregava as mãos nas pernas, como se estivesse secando-as. Você demorou, mas finalmente entendeu.

Shinsou estava excitado.

Ele havia ficado duro com um abraço.

–Shinsou, não sabia que gostava taaaaanto assim desse filme. –Você disse divertida, citando a ereção dele. O Hitoshi ficou trêmulo e chocado, pensando que o brilho da televisão não seria o suficiente para denunciar seu estado.

–(S/n), me desculpa… e-eu não sei o que- –Uma chama lasciva de ousadia brilho em seus olhos quando sua mão direita chegou na coxa do seu amigo, perigosamente próxima a sua virilha. Ele estremeceu, direcionando os olhos púrpura para você. Normalmente você teria vergonha, bem, você estava queimando de vergonha. Mas porra! Era Shinsou. Shinsou duro com um abraço. Com o SEU abraço. Ele era sua paixão platônica já fazia cinco anos e o mais próximo que chegou de uma situação assim foi em seus sonhos eróticos. Agora, ele estava ali a sua mercê. Tremendo como um gatinho assustado quando sua mão apenas ameaçava a tocar a ereção.

Hitoshi inclinou-se, deitando a cabeça em seu ombro e ofegando diretamente em seu ouvido. Você treme, e sente Hitoshi segurar seu pulso, forçando sua mão contra a ereção e esfregando-se com desespero nela. Você finalmente percebe que aquilo está REALMENTE acontecendo. Hitoshi Shinso está se esfregando contra você, era quase como um sonho. Usando mais da sua confiança pervertida, você se senta no colo do garoto e como você desejou por anos, finalmente o beijou. Seus lábios encaixaram-se nos deles e você gemeu contra o garoto. Mexendo os quadris enquanto ele apertava sua cintura com força. O que antes era apenas um toque de lábios, se tornou algo animalesco. As línguas rolavam com violência e vocês imploravam por mais contato visual.

Suas bocas ainda estavam coladas quando Shinsou deslizou as mãos pelo seu tórax por dentro da camisa, retirando ela com rapidez.

–(s/n)… –Ele gemeu, beijando seu pescoço. –Me diga por favor se realmente quer isso… Eu ainda posso me parar, mas se continuarmos vai ser impossível.

–Por deus, Shinsou, você não faz idéia do quero isso. –Você responde com rapidez, rápido o suficiente para não perceber o brilho prateado nos olhos do garoto e um sorriso malicioso. Ele havia pego você em sua peculiaridade e agora você é quem estava por baixo, ele acariciou cada centímetro do seu corpo, abrindo o feixe do sutiã e apertando seus seios. Mesmo com a mente em branco, você mantinha-se rebolando em Shinsou, ofegando baixinho. Você recobrou os sentidos quando os olhos de Shinsou voltaram a ser púrpura e perceberam uma terceira pessoa ali.

Aizawa possuía os cabelos flutuando, encarando profundamente Shinsou com os olhos brilhando em vermelho vibrante. Você ficou ruborizada, nervosamente buscando por suas roupas, percebendo que havia sido pega por Eraserhead como uma vadiazinha louca montada em seu pupilo.

–Explique-se. –Aizawa ordenou, mas Shinsou não respondeu. Ele desviou os olhos e evitou o responsável. Contrário ao que você esperava, Shinsou não se desculpou ou parou o ato. Pelo contrário, desafiou a autoridade do Pro Hero.

–O que você quer para deixar isso continuar? –Você gemeu com surpresa quando os beijos de Shinsou chegaram em sua clavícula. O herói desativou sua individualidade, agora apenas observando. Você nunca pensou que ficaria excitada ao ser vista em uma situação como essa, sendo observada com… luxúria? Definitivamente a expressão de Aizawa era luxuriosa. Você não tinha dúvidas daquilo. E ficou ainda mais claro quando ele se aproximou, deixando sugestivo o suficiente. Shinsou sussurrou. –Tudo bem para você, (s/n)?

Você ponderou, respirou fundo e sorriu.

–Eu não vejo problema algum. –Os dois homens pareciam despertos o suficiente, Aizawa segurou suas coxas antes de virar você para ele, ainda no colo de Hitoshi. Ele amarrou suas mãos com os laços do seu uniforme, baixando com lentidão seu shorts. Você sentiu fisgadas em sua boceta, resmungando enquanto Hitoshi brincava com seus seios e mamilos, beijando e distribuindo chupões pelo seu pescoço e ombros.

–Ah, merda… desde que você pisou aqui eu te achei tão… gostosa… –Aizawa sussurrou contra suas coxas, beijando elas. –Tive que sair para ter autocontrole. –Continuou, puxando sua calcinha para o lado, dando uma visão do quão molhada e excitada você estava com tudo aquilo. Você entrou em combustão quando os lábios ásperos de Aizawa atingiram sua virilha, a barba rasa fazendo cócegas de um jeito delicioso. O homem começou a se livrar das suas próprias roupas e você aproveitou para descer do colo de Shinsou. Ele reclamou, mas você o calou com um beijo.

–Shin… me deixe te chupar… –Você ronrona manhosa, baixando as calças moletom de Hitoshi. Você soltou um suspiro surpreso quando percebeu. –Sem cueca? Acho que alguém já estava preparado por aqui.

–Estou sempre preparado pra você, (s/n), basta pedir. –Ele sorri, um pouco nervosa você abocanha o pau de Hitoshi. As veias volumosas deslizavam pela sua língua enquanto você começava a movimentar a cabeça.

–Vocês não estão a sós, sabiam? –Aizawa reclama, penetrando dois dedos em sua entrada úmida, fazendo-a soltar um gemido abafado pelo pau do amigo. Ele segurou sua cabeça e empurrou, agora fodendo sua garganta. Você sentia o ar se esvair quando ele colocava no fundo, retirava e colocava novamente com força e rapidez. Você começava a salivar, gemendo quando Aizawa fez pressão, colocando um terceiro dedo. O prazer percorria seu corpo e você gemia –ou tentava– quando era fodida de duas maneiras diferentes. Eraserhead pareceu ter se cansado, abandonando sua intimidade carente que pulsava. Você quis choramingar, mas o abandono foi compensado quando você sentiu o membro quente dele preencher você por completo.

Você teve de se desvencilhar de Hitoshi para soltar um grito, Aizawa atingia com precisão todos os seus pontos sensíveis, enquanto, com o polegar, esfregava seu clitóris. Shinsou agarrou seus cabelos com força e enfiou seu membro mais uma vez no fundo da sua garganta e retirou com rapidez, jorrando o líquido espesso em seu rosto. Você parecia satisfeita enquanto gemia, lambendo o que ficou perto dos seus lábios.

–Porra, (s/n) você fica tão sexy… quem vê pensa que você é tão inocente, mas não passa de uma putinha. –Ele provocou, agarrando seu queixo e te beijando. Você não conseguia responder, aquilo era insano. Aizawa ainda bombeava com força, atingindo seu ponto g, surrando ele e te destruindo por dentro. Você gemia feito uma vadia, lacrimejando enquanto fixava seus olhos nos de Shinso. Ele estava ofegante, uma mecha do seu cabelo cobria seu rosto e ele possuía um sorriso. Você sabia que parecia miseravelmente sensual agora, com o rosto vermelho e o corpo suado, sendo fodida com porra escorrendo pelo rosto inocente. Choramingando e implorando por mais.

–Você é tão gostosa, arhh… –Aizawa gemia rouco, encostando o tórax nas suas costas, amarrando os laços em seu pescoço agora, sufocando de um jeito prazeroso. Ele investiu duas vezes lentamente antes de sair completamente e atingir ao ápice. Vocês três caem exaustos, em silêncio.

–Isso foi… caramba (s/n)–Shinsou gaguejou.

–Aaaa, por favor não fala… eu tô em choque. –Você geme, cobrindo o rosto com vergonha. Aizawa se recupera rápido antes de levantar.

–Eu não sei vocês mas estou com fome. –Ele disse, usando a mão para descolar alguns fios que grudaram em seu rosto com suor. Apesar da situação e vocês três estarem nus, você estava confortável.

Até seu telefone tocar e você lembrar, você ainda tinha um namorado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...