História Broken Hearts: A Garota da Rua 34 - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias AOA, TWICE
Personagens Chaeyoung, Chanmi, Choa, Dahyun, Hyejeong, Jihyo, Jimin, Jungyeon, Mina, Mina, Momo, Nayeon, Personagens Originais, Sana, Seolhyun, Tzuyu, Yuna
Tags 2yeon, Aoa, Mimo, Sadah, Twice, Yuri
Visualizações 26
Palavras 1.285
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi espero que esse capítulo esteja decente.

Capítulo 27 - Coringa e Arlequina


Fanfic / Fanfiction Broken Hearts: A Garota da Rua 34 - Capítulo 27 - Coringa e Arlequina

[P.O.V. Kim Dahyun On] 

Não dormi bem essa noite, fiquei pensando em Sana. Ao menos já é terça-feira, e talvez eu consiga falar com ela sem Tzuyu junto. Realmente espero que o resultado seja diferente de ontem, não é possível que Sana fique completamente cega mesmo quando não está com Tzuyu. Algo tem que quebrar o feitiço, certo? Espero que sim. 

Já estou à caminho do quarto de Sana, esperando o elevador chegar no meu andar. Eu estou nervosa, nunca lidei com situações assim. Lidar com relacionamentos abusivos é algo muito fora do meu alcance, eu só vi coisas assim em séries e filmes, estou muito preocupada de ser completamente inútil nessa ocasião. Não faço ideia do que vou dizer para Sana quando chegar em seu quarto, e nem o que farei se ela ainda sim não mudar de ideia, mas sei que elas não podem ficar juntas, não quando Tzuyu tem praticamente controle total sobre Sana. 

Entro no elevador, pensando nas piores possibilidades que podem se desenrolar. E se eu só piorar tudo? Ainda posso voltar atrás. Mas não, eu tenho que ao menos tentar ajudar. Não estou fazendo isso por causa de "amor verdadeiro" ou nada assim, estou fazendo isso porque eu sei que Sana é uma pessoa maravilhosa que não merece ser feita de idiota, e eu com certeza não vou permitir que aquele pedaço de merda a trate assim. Respiro fundo e bato na porta do dormitório, o fazendo sem pensar muito para que eu não fique ainda mais nervosa com a situação. Jihyo abre a porta e logo se mostra um tanto desapontada por me ver; talvez estivesse esperando outra pessoa. 

- A Minatozaki não está aqui. 

A garota diz certamente desinteressada, sabendo que ela não tinha nada a ver com minha visita. Começo a gritar palavrões em minha mente, sabendo que se Sana não está aqui, ela provavelmente passou a noite com Tzuyu. Jihyo percebe minha frustração e ri levemente, ciente minha situação. 

- Tzuyu roubou sua garota, hã?

Fala inclinando sua cabeça levemente, com um sorrisinho convencido. 

- Nem comece, Batman. 

Digo apontando meu dedo para a garota, esperando que ela parasse de fazer graça da situação. Sana havia me contado sobre o negocio do Batman no nosso encontro.

- Tenho quase certeza que alguém como você já sabe como funciona o relacionamento delas duas, então você já sabe que é sério. Tem algo que possa ajudar?

Digo apressada e impaciente, procurando achar alguma coisa que possa me ajudar à separar Sana e Tzuyu. Quem melhor para pegar informação do que a maior fofoqueira do colégio? Jihyo cruza os braços e levanta uma sobrancelha, levemente ofendida. A mesma logo suspira e desvia o olhar, provavelmente pensando que eu posso contar seu segredo de nerd para a escola. 

- Na verdade já vi uma situação bem parecida. 

 A garota entra no seu quarto e abre uma gaveta, procurando alguma coisa no compartimento aparentemente bem organizado. A castanha volta com duas revistas em quadrinhos com o título “Gotham City Sirens”, edição 21 e 24. Ela abre a edição 21 na página 14 e me entrega o gibi. Haviam imagens do Coringa e uma personagem que meu irmão já havia me dito se chamar Arlequina. As primeiras imagens mostravam o Coringa pendurando a Arlequina de um prédio, colocando uma faca em seu pescoço e etc. 

- Minatozaki é Arlequina, Tzuyu é o Coringa.

Jihyo diz enquanto folho as páginas. As próximas imagens lentamente vão melhorando, imagens dos dois se abraçando, jantando ou fazendo travessuras juntos.

- Apesar do relacionamento ser claramente abusivo, Arlequina continua sempre voltando para o Coringa, porque mesmo tendo mais memórias ruins ou neutras, ela subconscientemente quer amar ele, e isso acaba deixando apenas as boas. 

Após as imagens, que aparentemente eram apenas memorias, acabarem, é mostrado um desenho com traço um pouco mais elaborado, onde Arlequina deixa sua arma na mesa e abraça o Coringa. 

- Ela já havia superado ele, e todo o ódio veio á tona. Ela estava indo o matar, mas quando eles se viram, foi como se ela tivesse se esquecido de tudo. 

Jihyo pega a revista de minhas mãos e me dá a outra, que está aberta na pagina 3. Agora a página mostra a Hera Venenosa discutindo com Harley, a pedindo para escolher o Coringa ou ela, e tentando repetidamente à convencer de que o Coringa só quer a usar. 

- Você é a Hera. Conheceu a Arlequina depois de todo esse passado com o Coringa e a ajudou a superar isso. As duas se apaixonaram e até namoram em um ponto. Agora ele está de volta e Hera está tentando tirar Arlequina dessa loucura – literalmente – que é ficar com ele de novo. 

Nossa, Jihyo realmente gosta dessas coisas. E a semelhança é incontestável, fico até um pouco assustada. A garota pega a revista das minhas mãos e procura por dobras ou sujeira nas páginas que eu li. Após assegurar que eu não havia feito nenhum estrago no bem aparentemente tão precioso, ela volta para dentro do quarto, colocando os gibis na gaveta de onde os tirou. 

- Ok isso com certeza é muito parecido com a situação, mas ajuda em alguma coisa?

- Bem, sei que a fonte não é a mais confiável, mas na HQ a Hera diz que o que a Arlequina sente pelo Coringa, não é amor, mas sim um vício. Quando eles estão juntos, Arlequina se enche de adrenalina que tinha dos tempos com ele de tudo o que passaram juntos. Isso à deixa animada, nervosa e inquieta, e ela não quer que isso vá embora, então mesmo que o Coringa a trate da pior maneira possível, ela ainda vai fazer qualquer coisa para ficar com ele.

É um tanto estranho ver Jihyo falando sobre super-heróis, não só por causa do assunto, mas pelo jeito que ela fala sobre isso. Ela está falando seriamente e competentemente, sem o ar de convencida que normalmente tem quando fala. Parece até que é uma pessoa comum, não uma garota popular que saiu diretamente de “Meninas Malvadas”. 

- Então dizendo que o seu gibi está certo, e que a situação é como a da Sana, o que poderia ajudar ela?

Jihyo suspira e raciocina por um segundo. 

- Temo que precise de bastante tempo sem se verem, terapia e com certeza amor. 

Ela diz desviando o olhar por alguns momentos, apenas voltando a mim após terminar a frase. Fico muito surpresa com Jihyo, ela realmente deu bons conselhos e me ajudou. Não esperava isso da garota.

- Eu estava pensando em Arlequina, não Sana.

Jihyo de repente percebe o que disse e provavelmente não quer que eu a veja como alguém que se importa com os outros. Não entendi exatamente se Jihyo está fingindo se importar com Sana ou fingindo não se importar, mas de qualquer jeito, acredito que tenha sido útil. 

- Claro. Obrigada Jihyo. E não se preocupe, não vou falar para ninguém sobre seus interesses. 

Digo com um leve sorriso, tentando encorajar Jihyo a ser legal como foi hoje. Talvez ela apenas goste de falar sobre essas personagens e não tenha a chance de fazer isso muito, mas isso é entendível. Jihyo arruma seu cabelo e sorri levemente, voltando a ter seu típico jeito convencido. 

- De nada, Pamela.

Após a fala, a garota imediatamente fecha a porta na minha cara. Volto para frente do elevador, ainda tenho um tempo antes da aula, e não tomei café da manhã, deveria fazer isso agora. Não sei quando encontrarei Sana novamente mas tentarei seguir o conselho de Jihyo, Sana precisa de minha ajuda e não irei descansar até que ela esteja bem longe de Tzuyu.

[P.O.V. Kim Dahyun Off]


Notas Finais


Haha eu sou um desastre, desculpa. Espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...