1. Spirit Fanfics >
  2. Bye my first. >
  3. Capítulo 4.

História Bye my first. - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Capítulo 4.


No momento em que a internet chega ao dispositivo as notificações travam o mesmo, Renjun teve que esperar algum tempo antes de conseguir acessar, seu primeiro instinto foi abrir o twitter e checar cada notificação de Jisung, na maioria eram memes de gatinhos ou frases boiolas dizendo que o mesmo era sua alma gêmea de amizade. Após checar todas as notificações o garoto finalmente decide conferir as mensagens de Donghyuck, primeiro apenas mensagens de desculpas, no dia seguinte algumas dizendo que foi até sua casa e não havia encontrado o mesmo, no terceiro dia apenas algumas avisando estar tudo bem e não iria guardar mágoa do chinês. Nesse momento Renjun percebeu que Hyuck não se importou o suficiente nem para se desculpar. 

Com a ausência de Jeno o moreno não tinha como fugir da angústia e a dor de ter o coração partido em milhões de pedaços, se sentia um tolo completo por não ter superado um pouquinho se quer Haechan, era como ter fugido para nada uma besteira completa e apenas drama como o amigo chamaria. Não sabia o que fazer, mas não era uma opção voltar agora que já estava no meio do caminho, mesmo que um mês não seja suficiente um dia teria de superar o Lee de uma forma ou outra.

Espantando seus pensamentos o garoto decidiu dar uma volta por uma área ainda não explorada da cidade, pegou a bicicleta de seu tio e seguiu até o leste do lugar onde se encontrava a maior concentração de restaurantes. Mesmo morando na Coreia a anos sempre esteve acostumado a comer comidas tipicamente chinesas em sua casa, por esse motivo seu corpo pedalou automaticamente ao restaurante com caracteres chineses na porta, mas o garoto não esperava encontrar como atendente aquele amigo calado de Jeno.

— Bom dia Chenle, não sabia que você trabalhava aqui. 

— Meus pais são os donos então eu meio que sou o dono também. 

— Que interessante, parece uma boa oportunidade de tirar alguns trocados durante as férias.

— Sim, normalmente gasto todo o salário com o Jeno nas férias… Enfim, você gostaria de pedir agora? Vai levar para Jeno também? 

— Não… Na verdade, não vou ver ele hoje, problemas em casa ou algo assim.

— É provavelmente o Jaehyun pegou no pé dele por sair todo dia, mas relaxa eles sempre se resolvem rápido! Eu tenho que ir agora, já volto pode escolher com calma.

Chenle seguiu para as outras mesas  com a maior agilidade, o garoto era realmente bom no que fazia parecia ser bem experiente no trabalho do restaurante. Renjun demorou 20 minutos para conseguir escolher o que pediria tudo parecia gostoso demais, mas não poderia comer todos os pratos naquele momento, então pensou no custo beneficio já que sua carteira não estava assim tão cheia de dinheiro. Chamou o chines mais novo de forma discreta e fez o pedido, o garoto avisou que voltaria logo, em exatos 10 minutos estava de volta com o prato pedido e algumas outras coisas.

— Meu pai te mandou isso, é por conta da casa.

— Ei que isso não precisa eu pago sem problemas — Existia problema sim, era mais que o garoto poderia pagar.

— Relaxa Renjun, não somos mafiosos ninguém vai ir te cobrar pelo que você comeu.

— Mesmo assim é comida demais pra uma pessoa só.

— Meu pai me liberou já, posso comer com você se quiser.

— É pode ser..

— Esse prato que você pediu é o favorito do Jeno sabia disso? Ele só come isso quando vem aqui.

— Não sabia, na verdade nem imaginei isso.

— Vocês são parecidos ate nisso é incrível, Jeno me falou que vocês fazem aniversario no mesmo dia  de meses diferentes. 

— Ele fala de mim pra você? Que esquisito!

— Você nem imagina o quanto ele fala de você…

— Não quero nem saber o que ele fala, acredito que ele me odeia secretamente.

— Não ta nem perto de te odiar Renjun que ideia… Vamos mudar de assunto ele pode me matar depois. Você já conheceu o irmão dele?

— O Jaehyun? Vi ele uma vez gritando com o Jeno no meio da rua.

— A cara dele isso mesmo, eles têm uma relação complicada, o Jae cobra demais as coisas de Jeno, mas acaba não apoiando ele.

— Eles brigam muito? — Renjun nem prestava atenção direito em sua comida, a história dos Lee parecia mais interessante.

— Pelo menos uma vez por dia, Jaehyun é um completo idiota trata o Nono como se fosse seu escravo, além de ter gastado o dinheiro que o mesmo ganhou de aniversário.

— Meu deus que filho da puta! Ele pegou o dinheiro do Jeno escondido?

— Sim, ele achou o envelope que o Doyoung havia mandado e pegou mais da metade do dinheiro dele. Gastou tudo em besteira e nunca teve a decência de devolver, o Nono ia juntar para uma bateria nova.

— Ele toca bateria?

— Tocava, Jaehyun quebrou a dele…

— Não imaginei que a situação fosse assim.. Tão tensa.

— Na verdade o Jae não é uma pessoa tão ruim, ele acabou tendo problemas com álcool, mas já esta bem melhor agora, ele já não bebe e não é tão violento mais.

— Eu espero que ele não beba novamente… O Jeno lida com isso bem?

— Ele já ta costumado, ele não liga muito pro irmão o Doyoung sempre mandou na casa, mas agora que ele foi pra capital quem manda é o pai deles. 

— O Jeno não pretende ir pra Seul?

— Ele queria, mas o Jaehyun desmotivou todos seus planos, ele quer fazer direito, sempre sonhou em ser advogado, mas ele acabou desistindo pra ficar na cidade e cuidar do pai.

— O pai deles tem sei la algum problema? - Renjun fala essa ultima frase em um tom mais baixa para não parecer arrogante.

— Não necessariamente, ele tem uma fratura na perna e às vezes acaba ficando afastado do trabalho, Jeno não queria que ele se esforçasse tanto. Ele ganhou algum dinheiro tocando com umas bandas e pensou em fazer isso para ajudar o pai.

— Jeno tem um coração muito bom..  

— Ele é um anjo ninguém merece esse garoto. — A fala de Chenle parecia um pouco sugestiva, mas o mais velho ignorou isso.

— Termina de comer ai que eu vou te levar em um lugar.

Renjun teve um pouco de medo de perguntar qual seria o lugar, mas deu um silencioso voto de confiança ao mais novo e só terminou de comer. Alguns minutos depois os dois garotos seguiam de bicicleta ate o outro lado da cidade, eles chagaram em uma casa e Yuta esperava os dois na porta.

— Eai Renjun fiquei sabendo que o Jeno te abandonou hoje.

— Para com isso Nakamoto — Moon Taeil apareceu ameaçando o garoto com uma garrafa, meio assustador.

— Vamos entrar eu comprei muitas comidas, espero que você goste de algo. — Os garotos seguiram para dentro do local e logo estavam na sala da casa de Yuta.

Os amigos de Jeno eram sempre muito convidativos e Huang se sentia cheio de amigos pela primeira vez, todos os 4 garotos o tratavam como se fossem amigos a anos.

— O que acham de fazer um eu nunca? - Taeyong falou se levantando do sofá. — O Renjun precisa contar o que faz de errado.

— Eu não faço nada juro, mal consigo beijar alguém sem ter um ataque. - Todos da sala acabam caindo na gargalhada como se isso fosse a coisa mais engraçada do mundo.

— É tem cara de que você fica nervoso.. - Chenle falou baixo enquanto os outros se divertiam. 

— Então vamos jogar verdade ou desafio o que acha Renjun? Prometo que vou pegar leve com você. - O olhar de Taeyong era sugestivo demais e mesmo com medo o chines concordou com a cabeça.

A primeira rodada da brincadeira de acordo com Taeyong era para treinar Huang, eles se desfiaram a comer coisas aleatórias e contaram pequenas verdades sem significado na intenção de deixar o chines o mais conformável possível. Quando todos os garotos já estavam um pouco alterados pela bebida e confortáveis o suficiente com o jogo passou a um novo nível para Renjun.

— Huang Renjun verdade ou desafio? - Yuta parecia feliz ate demais.

— Hyung se eu escolher desafio você pode pegar leve comigo? Sinto que oTae vai me bater se eu não escolher desafio. - O garoto finge se esconder de Taeyong.

— Não te prometo nada se escolher desafio vai ter que arcar com as consequências. 

— Então eu escolho verdade… - Yuta ficou muito tempo rindo da expressão do outro antes de fazer a pergunta. 

— Se você pudesse escolher alguém aqui para passar 7 minutos no paraíso quem seria? - O som dos meninos segurando a risada invadiu a sala na mesma hora que o japonês terminou a fala. 

— Que tipo de pergunta é essa Yuta Hyung??? Por que eu escolheria um de vocês??

— O Jeno você escolheria?

— Não garoto ta doido? Eu não vou responder prefiro beber então.

— Depois dessa acabou suas chances de pular com bebida tem certeza disso? 

— Não, mas eu não quero passar 7 minuto com vocês.

— Ta chamando a gente de feio é? - Taeil fazia uma cara de falso ofendido.

— NÃO É ISSO CALMA! - O garoto se desesperou fazendo todos rirem. 

— Relaxa Renjun a gente só queria que você se abrisse mais, ninguém vai te comer vico aqui não.

— Só se você pedir claro - Taeyong fala com seu típico sorriso sugestivo deixando o chines nervoso.

— Vou girar a garrafa.. - Renjun girou a garrafa que estava em cima da mesa de centro, a mesma acabou parando em Taeil que estava ao seu lado e Yuta que estava em sua frente.

— Nakamoto verdade ou desafio? Não vou pegar leve pelo que fez com o Injun.

— Desafio, pode lançar o que você quiser.

— Te desafio a ficar 2 minutos no banheiro com o Renjun

— HYUNG POR QUE VOCÊ TA ME PUNINDO JUNTO EM? - Renjun questiona indignado.

— Nada de mais só pra ver como você ia reagir, agora vai lá aproveitar o momento china e japão romance. - Renjun e Yuta acabam indo para o banheiro e os amigos trancaram a porta pelo lado de fora. 

— Renjun eu tenho namorado pode ficar tranquilo… Eu estava só brincando não queria te irritar desculpa. - Yuta foi o primeiro a falar assim que entraram no comodo.

— Tudo bem hyung.. É que eu nunca fiz isso antes, o lance do verdade ou desafio sabe?

— Como nunca? Isso é muito comum em festas e essas coisas não?

— Não gosto de festas me deixam sufocado, muitas pessoas juntas fico estressado quero socar todo mundo. - o japonês começou a rir.

— Então você nunca vai em festa por que fica estressado? - O mais novo concordou com a cabeça. - Já que essa é sua primeira vez você deveria aproveitar ao máximo então se soltar sabe.

— Tenho vergonha e medo de fazer alguma besteira.

— Relaxa nós somos amigos agora, você não precisa ter vergonha das coisas, o Chenle acabou de encenar uma cena de vida de inseto na sua frente sem vergonha alguma, você precisa se soltar mais.

— Vou tentar então… Aliás, você falou que já namorava isso é verdade?

— Sim, meu namorado acabou de trancar a gente dentro desse banheiro..

— SEU NAMORADO É O TAEIL???

— Sim - O japonês estava rindo da surpresa alheia - Eu pensei que você já sabia, ate achei estranha sua reação quando comentei dos 7 minutos no paraíso, você  achou que eu tava dando em cima de você? 

— Para falar a verdade sim… Desculpa eu realmente nem notei.

— Tudo bem, tudo bem, mas você ficou realmente tão ofendido que eu dei em cima de você?

— Não, eu fiquei surpreso, na verdade ninguém nunca deu em cima de mim de verdade..

— Essa hora ainda vai chegar, desculpe não ser essa pessoa.

— Hyung relaxa - Renjun estava rindo muito da cara do mais velho ao falar essa ultima frase, mas antes de conseguir responder outra coisa a porta foi aberta e os dois seguiram ate a sala em silêncio 

— Vocês estavam se beijando la por acaso? Saíram tão calados por quê? - Chenle solta logo quando estão todos sentados.

— Nada de mais vamos continuar o jogo. - Yuta solta antes de girar a garrafa.

— Chenle verdade ou desafio? - Taeyong pergunta rapidamente.

— Desafio obvio. 

— Desafio você a tirar a camiseta do Taeil sem usar a boca.

— Você  não tem do mesmo né.. Eu faço.

Chenle foi ate o amigo e pediu permissão antes de se abaixar, com a boca ele mordeu a barra da camiseta alheia segurando firme com os dentes e puxando devagar para cima. Depois de alguns minutos a camiseta do mais velho estava no chão ao lado do amigo.

— Nossa Chenle você é bom a boca não imaginava isso. - Taeil solta recolhendo e vestido sua roupa novamente.

— Ele é uma caixinha de surpresas não é mesmo? - Taeyong ri enquanto gira novamente a garrafa.

— Taeil verdade ou desafio?  - Finalmente Renjun sente que pode se vingar da brincadeira. 

— Verdade..

— Quando foi a sua primeira vez? - o chines sentai suas bochechas ficando vermelhas cada vez mais.

— A dois anos atrás, posso te contar todos os detalhes o Yuta adora ouvir sobre isso.

— Conta pra eles amor, conta como eu fui carinhoso e amoroso com você.

— Yuta pelo amor de deus ninguém quer saber os detalhes, silencio - Taeyong joga salgadinho na cara do amigo.

— Ok sem detalhes por favor só perguntei a data, já fui respondido tudo certo. - Todo riram ate mesmo Renjun achou graça da situação. 

O jogo continuou por mais de uma hora, os meninos só decidiram parar quando Renjun e Chenle já estavam deitados murmurando qualquer coisa de tão bêbados, Taeil levaria Chenle para casa quando o mesmo estivesse melhor, mas estava tarde demais para esperar Renjun ficar sóbrio e leva-lo para casa então Taeyong ligou para Jeno para pedir ajuda ao mais novo. Jeno demorou menos do que o esperado para estar na frente do apartamento de Yuta, quando chegou a sala a primeira coisa que reparou foi nos dois chineses abraçados enquanto riam de algo.

— Vocês podem parar de embebedar o Renjun? A avó dele vai comer meu cu se ele chegar bêbado mais uma vez. - Lee esbravejou indo em direção do amigo.

— A gente tava brincando nem reparamos que ele estava bebendo demais foi mal.. - Yuta solta com a maior cara de culpado.

— Tudo bem Hyung só não deixa ele beber mais da próxima vez, não quero que ele acabe tendo problemas com bebidas. - O garoto já conseguia separar os dois chineses que estavam abraçados - Ei Injun vamos para casa, venha vou te levar.

— JENOOOO!! NÃO PODEMOS IR MEU TIO TA EM CASA HOJE. -  Renjun fazia uma carinha de gato que na opinião de Jeno era impossível de resistir.

— Vamos vou te levar para minha casa então - Tentou levantar o mais velho.

— Não posso seu irmão não gosta de mim - Sua voz soava meio chorosa e Jeno se preocupou por um momento.

— Eu tenho que te levar para casa sua avó vai me matar se você não voltar hoje, minha casa é o único lugar que ela confiaria em te deixar.

— Não consigo andar... - O Lee poderia chorar ali mesmo, mas apenas respirou fundo e se virou de costas esperando o mais baixo subir em suas costas.

— Estamos indo, vou deixar ele no meu quarto ate ficar melhor e depois levo ele para casa. - Andava em direção a porta se despedindo dos amigos - Obrigado por me ligar e também por passar um tempo com ele, parecia que era isso que ele tava precisando sabe? Ate mais amo vocês, mando mensagem quando chegar.

O garoto pegou a bicicleta de Renjun e seguiu em direção a casa do mesmo, era difícil carregar uma bicicleta e um garoto em suas costas, mas era como ter um déjà vu. 

— Jeno você me acha irritante? - a voz baixa do chinês assustou o mais alto e ele teve que parar de andar para não derrubar o outro.

— Não mesmo, quem te falou isso?

— Ninguém… Um amigo na verdade, não com essas palavras, mas ele deu a entender sabe? Talvez eu tenha feito algo sei la. 

— Renjun não acredito que você seja irritante, você é um pouco estressado, mas irritante não. 

— Você ainda vai querer ser meu amigo se eu for gay? - Jeno conseguia ouvir na voz do menor que ele estava chorando.

— Sim, não vejo porque isso seria um problema na nossa amizade…

— Eu posso acabar dando em cima de você sabia?

— Renjun eu sei que você gosta de um amigo seu, que você veio tentar esquecer, já sabia há muito tempo sobre a sua sexualidade e nem por isso me afastei de você por isso

— Como você sabe do Haechan? Você andou lendo minha mente? Como sabia que eu era gay?? - Huang faz um esforço para descer das costas do outro e parar em sua frente.

— Sabia que você era gay desde sempre, sua avó me falou andes de eu te conhecer. - A expressão de surpresa do outro permaneceu por muito tempo - E sobre a outra coisa você me contou da última vez que ficou bêbado, me falou sobre tudo, desde a briga ate sobre como começou a gostar dele. 

— Você não ficou com raiva?

— Não? Por que ficaria? Talvez um pouco triste.

— Por eu ser gay? Me desculpa eu não queria..

— Não por isso, por você não ter nenhum interesse em mim talvez.

— Você gosta de mim? - Renjun parecia cada vez mais confuso. - Calma aí você é gay?

— Não! Na verdade não sei direito, eu nunca gostei de ninguém antes, nem de garotas e nem de garotos.

— Você nunca beijou ninguém? 

— Já, eu já namorei, mas não gostava dela de verdade. Fiquei com algumas pessoas em festas, beijei um garoto uma vez por curiosidade.

— E como foi beijar o garoto?

— Normal, igual beijar uma menina.

— Você pode ser bissexual então.

— Talvez, eu acho que sim.

— Mas você ta interessado em mim?

— Sim… Eu sempre quis te conhecer por tudo que sua avó me falava sobre você, mas quando te conheci parecia ainda melhor.

— Mas eu pensei que você era hétero.

— Todo mundo pensa isso ta tudo bem…

— Você quer que eu me afaste?

— Não! Eu não to apaixonado por você nem nada do tipo era só atração.

— Então tudo bem… Vamos embora  já estou bem posso ir pra casa.

Os dois seguiram em silêncio por duas quadras. Jeno não queria ter falado tudo que falou e gostaria de apagar aquele momento, esperava que Renjun esquecesse quando acordasse no outro dia por conta da bebida, mas sabia que era pouco provável. Quando chagaram na rua que moravam,  os dois pareciam ter soltado o ar que prendiam há muito tempo.

— Não fique acordado ate muito tarde sua cabeça deve estar doendo. - Jeno foi o primeiro a falar assim que param na frente da casa dos Huang.

— Vou direto para a cama pode deixar.

— Boa noite Injun. - Jeno acenou e se virou para ir embora, mas Renjun o chamou antes de entrar e correu ate o mesmo.

— Obrigado por ser sincero comigo, foi muito importante. - Abraçava o coreano de forma muito apertada.

— De nada… - A sentença saiu quase como um sussurro e antes de entrar Jeno depositou um beijo na bochecha de Renjun.

 


Notas Finais


Espero que o capítulo tenha sido agradável, obrigada por ler ate aqui. Esse capitulo ficou bem maior do que eu planejei...

" Não! Eu não to apaixonado por você nem nada do tipo era só atração." Narrador: sera mesmo Lee Jeno


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...